Ir para conteúdo

lulis_sbc

Membros
  • Total de itens

    176
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

2 Neutra

Sobre lulis_sbc

  • Data de Nascimento 25-11-1985

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Alguem aqui programando Intercambio em Dublin nesse ano ou no ano que vem??? VAmos conversar?
  2. Tbm te adoro! De malta vou a Maiorca... a gente se encontra rsrs
  3. Poxa...eu gostava de ler as respostas antigas e ver o quanto a gente mudou
  4. Vai pra onde trotinha? Fevereiro tenho uma e aguardando ver se a de marco vai sair
  5. O Nei só de olho rs e trotinha...va pra Suécia...
  6. Voltei da Dinamarca e da Suécia rsrs A próxima está indefinida rsrs
  7. Oi galera, aqui vai um relato de uma viagem que fiz em setembro do ano passado à Paris. Segue um roteirinho de 2 dias para quem tem pouco tempo e mesmo assim quer conhecer o máximo possível dessa cidade que é linda. Quando ir? Fomos em Setembro, final de verão na Europa e o clima para nós, era parecido com nosso inverno, porém, encontramos dia ensolarado e outro de chuva. Em relação às estações, dizem ser bem definidas por lá, ou seja, verão é sinônimo de calor (não no final dele rsrs) e dias mais compridos (escurece aproximadamente às 9 da noite), na primavera as flores dão o ar da graça, no outono as ruas ficam cheias de folhas com paisagem incrível e o inverno é rigoroso, com neve e com dias mais escuros. Como Ir do Aeroporto de Beauvais a Paris? Antes de explicar como ir, vamos fazer aqui um imenso parêntese para algumas informações: Partimos de Dublin, num vôo de aproximadamente 2 horas e meia de duração, direto ao aeroporto de Beauvais. Situa-se no norte da França, na cidade de Picardia (aproximadamente 90 km de distância da Cidade Luz), próximo à cidade de Beauvais, onde as companhias chamadas low cost ou baixo custo operam. Sim, ele não fica em Paris, não fica em Beauvais, mas as companhias aéreas fazem propaganda como Beauvais-Paris. Cabe dizer que achamos esse aeroporto bem fraquinho, perdendo até pra muita rodoviária no Brasil e não é só por ser pequeno não, tem até uma parte de telhado (esses que a gente coloca na área de casa rsrs), e em alguns espaços a limpeza é precária, mas, se tudo isso coopera para um preço baixo, a gente deixa essa informação de lado (por enquanto) e deseja vida longa às chamadas low cost (e que venham logo ao Brasil!). O site Sleeping in Airports listou em 2014 alguns dos piores aeroportos do mundo e lá estava ele em sexta posição, dividindo espaço com Paquistão, Arábia Saudita, Uzbequistão, Alemanha e até Estados Unidos (lista completa aqui http://www.sleepinginairports.net/2014/worst-airports.htm). Em 2015 houve um up grade nesse ranking e o dito aeroporto ocupou a décima posição. Sobre como chegar: Algumas opções Ônibus: Essa foi a forma escolhida por nós e é a mais prática e econômica também. Um ônibus oficial do aeroporto faz o trecho Beauvais-Porte Maillot em Paris com duração de aproximadamente 1 hora e meia. O valor cobrado em 2015 por trajeto foi de 15,90 euros, pois compramos on line no próprio site (http://tickets.aeroportbeauvais.com/Information.aspx). Se comprado na hora, o valor aumenta para 17 euros o trajeto. Na hora da compra, não é necessário escolher horário do ônibus, apenas esperamos alguns minutos na fila e logo embarcamos. O intervalo de saída dos ônibus são de 5 a 30 minutos (mais informações aqui http://tickets.aeroportbeauvais.com/CGU.aspx?red=HB). Tome muito cuidado com os horários do ônibus, principalmente para o retorno Porte Maillot- Beauvais. Se você perder o último, vai ficar à força mais um dia em Paris e provavelmente perder seu voo (Experiência própria!!). De acordo com o site, o último ônibus sai de Porte Maillot em alguns dias da semana às 19:25 e em outros às 19:30 (só conferir aqui http://tickets.aeroportbeauvais.com/CGU.aspx?red=HB). Chegando em Porte Maillot continua tudo muito simples, o ônibus te deixa num estacionamento e lá mesmo, caminhando alguns metros apenas, você já estará dentro da estação de metrô. Trem: Não é a opção mais prática e nem viável pois não há um trem direto do aeroporto a Paris. Caso opte por esse meio você deverá pegar um transporte (táxi ou transporte público) até a cidade de Beauvais e lá pegar o trem. Táxi: Talvez a opção mais confortável, porém acreditamos que para os amantes de companhias de baixo custo seja a pior opção de todas financeiramente. Utilizando o táxi é muito provável que você pague mais nesse trajeto do que no tíquete aéreo, já que o trecho gira em torno de 180 euros. Como nos Locomovemos em Paris? Foram duas as opções utilizadas por nós: Metrô e Caminhada. É muito fácil se locomover em Paris com o metrô, há muitas estações espalhadas pela cidade e que te levam a todos os pontos turísticos da cidade sem erro. É possível baixar o aplicativo Paris Metro pelo celular e ele funciona off line (https://itunes.apple.com/us/app/paris-metro-map-route-planner/id527534137?mt=. Nós utilizamos o bom e velho mapa de turista. Esses que a gente pega no hostel e rabisca todo e não teve erro. Entre os pontos turísticos (até mesmo aqueles em que era possível ir com metrô) nós caminhávamos. Foi a melhor decisão da viagem...caminhar, caminhar e caminhar. Paris encanta não só por seus pontos turísticos, mas por cada pedacinho dela, por um artista de rua, por te dar o prazer de comer um delicioso crepe de nutela numa barraquinha, monumentos espalhados, pelos ares que te proporciona, enfim, por uma infinidade de coisas. Conselho? Esqueçam o salto e os sapatos desconfortáveis!!! Onde nos Hospedamos? Ficamos num quarto compartilhado no Hostel Aloha. O hostel fica bem localizado, próximo à estação Voluntaires de Metrô. Possui café da manhã simples com croissants (Yes!!!). Não é dos mais chiques e sofisticados, é bem simples, instalações antigas e com muitas escadas. O chuveiro conta com aquele ”treco” horroroso que você tem que bater de segundos em segundos para cair água (chamado temporizador). Há apenas chuveiro no quarto (não existe vaso sanitário nele) e do lado de fora mesmo, próximo às camas existia uma pia com espelho e as tomadas no quarto não eram individuais. O wifi não funciona bem em todas as dependências do hostel, mas nem foi tão problema assim. Tudo isso parece ser ruim, mas não. O hostel era limpo, bem localizado e com ótimo custo benefício. Fora que voltando à noite ainda dava pra enxergar a Torre Eiffel iluminada. Dia 1 - Jardins de Luxemburgo, Cathédrale Notre-Dame de Paris, Ponts dês Arts, Jardis des Tuileries, Place de La Concorde, Obelisk, Champs Elysées, Arc de Triunf, Tour Eiffel, Jardins Du Trocadéro e Campo de Marte Nesse primeiro dia temos o roteiro mais longo, então bora colocar um calçado confortável, alongar as panturrilhas e aproveitar o momento! Jardim de Luxemburgo Iniciamos esse tour pelo Jardim de Luxemburgo que é o maior parque público da cidade. Possui algumas estátuas, lagos e vale dizer que é lindo! Nele, encontra-se o Palácio de Luxemburgo, onde está instalado o Palácio francês. Entrada gratuita! Caso queira ganhar tempo, ao invés de caminhar até a Catedral, vá de metrô. Horário de funcionamento: Depende da estação do ano. Consulte aqui (http://www.senat.fr/visite/jardin/horaires.html) Como chegar de metrô: Estação Odeón (linhas 4 ou 10) Cathédrale Notre-Dame de Paris A Catedral de Notre Dame é uma igreja charmosinha de estilo gótico à beira do Rio Sena e próxima à Ponts dês Arts (famosa ponte dos cadeados). Tanto por fora quanto por dentro é composta de detalhes, sejam vitrais, sinos ou também pela belíssima arquitetura. É passagem obrigatória não só por esses motivos, mas também porque é uma das catedrais francesas mais antigas em estilo gótico (Construída de 1163 a 1345) e porque fez parte de momentos históricos muito importantes. Vale lembrar que a visita é gratuita. Paga-se apenas para subir nas torres da Catedral Horário de funcionamento: Das 8h às 18h45 diariamente (até 19h30 aos sábados e domingos) Como chegar de metrô: Estação Châtelet (linhas 7, 11 e 14) Ponts dês Arts (Ponte dos Cadeados) Da Catedral de Notre Dame é só seguir sentido Torre Eiffel à beira do rio Sena e logo você avistará a famosa ponte dos cadeados, onde os casais apaixonados colocam um cadeado e jogam a chave no rio. Tá, isso tudo tem um ar lindão e romântico, mas acontece que em 2014 a ponte cedeu e a prefeitura faz campanha para que não mais se coloquem cadeados do amor por lá. Não sei o que acontece, mas quando fui tinha cadeado por tudo quanto é ponte rsrs Jardins des Tuileries Ahhhh como amamos esse lugar. Dizem ser o maior e mais antigo de Paris e para nós ele é lindo! O local tem várias entradas com diversas opções de descida no metrô . Cabe aqui esclarecer que é um local para pelo menos uma tarde inteira (o que para nós não foi possível). Além de grande, é possível sentar, apreciar a paisagem, ir a restaurantes, conversar no lindo gramado verde. Existem muitas coisas para ver e fazer por lá. O Jardins dês Tuileries nos encantou por muitos motivos, como os monumentos espalhados por ele, as árvores (milimetricamente podadas, diga-se de passagem), o Arco do Carrousel, vários lagos ao longo dele onde haviam cadeiras para sentar e apreciar a paisagem. Nesse primeiro lago da foto, sentamos para conversar e tínhamos a linda vista do Arco do Triunfo lá longe. Lindo, lindo e lindo! O legal: a entrada é gratuita!!! Horário de funcionamento: Verão: 7h as 21 h, Inverno: 7h:30 as 19:30 Como chegar de metrô: Estação Concorde ou Tuileries Place de La Concorde O Jardin dês Tuileries termina na Place de La Concorde e é lá que está instalado o Obelisco de Luxor. Info: A história conta que o rei Luis XVI e Maria Antonieta foram executados lá (na guilhotina). Champs Elysées Seguindo reto encontramos a Champs Elysées, uma das avenidas mais famosas do mundo. No começo, é toda arborizada e depois as árvores vão dando espaço para as lojas. ( Conselho para as meninas: A Sephora, famosa loja de cosméticos está por lá e é gigantesca! Vale a pena a passagem.) Vale a pena caminhar por toda Champs Elysées e parar para apreciar a cerveja local ou o famoso Macarrons (que o Marcelo achava que eu estava pedindo para comer macarrão rsrs) Arc de Triunf Seguimos pela Champs Elysées em direção ao Arco do Triunfo. São 50 metros e é possível subir e ver Paris do alto, inclusive as 12 avenidas que partem da praça de onde está o arco. Caso queira ganhar tempo, ao invés de caminhar até a Torre, vá de metrô. Info: Esse símbolo da nação francesa foi construído em honra às vitórias do Exército de Napoleão Bonaparte. Horário de funcionamento: 1° de abril a 30 de setembro (10h às 23h) | 1° de outubro a 31 de março (10h às 22h30) Como chegar de metrô: Estação Charles-de-Gaulle-Etoile (linhas 1, 2 e 6) Tour Eiffel Impossível ir à Paris e ignorar a Torre Eiffel. Sim, ela é linda! Sim, ela é grande! Sim, ela é imponente! Pense em mais adjetivos bons que provavelmente eles se encaixarão para descrevê-la! (Maravilhosa, deslumbrante, fantástica). Acho que quase todo mundo sonha em conhecê-la pessoalmente. Para quem quer chegar nela de metrô, descemos em duas estações: Trocadéro ou Bir-Hakein. .A primeira achei a mais bonita, pois estávamos num sentido que passava por ela e só de olhar pelo metrô enchia os olhos (dos turistas, já os nativos nem se importavam rsrs). A segunda, andamos por um lado cheio de bares e camelôs vendendo os famosos souvenirs. Há duas formas de subir: Escadas e elevador. Como somos sedentários, estávamos cansados e queríamos pegar o final de tarde e o início do anoitecer lá de cima, escolhemos a segunda opção. Só um problema: a gente raramente compra tíquetes antecipado, o que nos custou um tempo extra na fila. Então, se você puder, compre e economize alguns minutos ou até mesmo horas nela. Enquanto isso, conversávamos. Nossa sorte é que a gente tem assunto que não acaba mais e um deles foi o tanto de policiais armados lá. Detalhe: Isso aconteceu 2 meses antes dos atentados de Paris. Depois dele, o Marcelo voltou lá e disse que existiam o triplo deles (e antes já eram muitos). Compramos nosso ingresso e fomos lá, pegar o elevador. Nesse caso a fila foi rápida (mas tem gente que demora nessa também). Para quem não quer perder tempo em fila, tem ingresso “corta-fila” no site oficial, porém, tem dia e horário marcados. Aqui cabe lembrar que o nosso ingresso dava acesso a todos os andares da torre (Pagamos por cada um 19 euros). Há a possibilidade de comprar apenas para o segundo andar (isso deve servir para quem tem muito medo de altura e o primeiro andar já está mais que suficiente, tirando isso, não vejo razões para comprar esse tipo). O elevador para no segundo andar, onde há uma troca de elevador e você segue rumo ao último. Lá, encontramos uma das vistas mais belas de Paris e nos apaixonamos por ela mais uma vez. A vista da chamada Dama de Ferro (como conhecida pelos parisienses) é linda e tenho comigo que se eu for 1000 vezes a Paris, 1000 vezes irei subi-lá. Quem sabe na próxima, pelas escadas. Deve ser incrível explorá-la por dentro. Para quem quiser explorá-la ainda mais, pode reservar uma mesa em um dos restaurantes, visitar o primeiro andar que possui piso transparente, loja de souvenir, museu, cinema... Então já sabe, né? Reserve um bom tempo para não fazê-la às pressas e sim fazer mais uma ótima experiência nessa viagem! Horário de funcionamento: 15 de junho a 1° de setembro (9h à meia-noite) | resto do ano (9h30 às 23h) Como chegar de metrô: Estação Bir-Hakeim (linha 6) ou Trocadéro (linha 9) Jardins Du Trocadero É nele que tive uma das vistas mais lindas da Torre Eiffel. O jardim é lindo e a vista incrível! Champ de Mars Fica do lado oposto ao Trocadero e é tão lindo quanto. Vale a pena tirar muitas fotos de lá também! Estivemos lá no dia seguinte no final da nossa jornada. Dia 2 – Basílica de Sacré Coeur e Museu do Louvre O primeiro dia foi um pouco mais cansativo, então, nos permitimos acordar mais tarde (por volta das 8:00) e seguimos. Como ver a Torre Eiffel nunca é demais, nesse dia repetimos a Torre, só que sem subir dessa vez. Fomos pela manhã, mas como chovia muito, decidimos ir ao Museu do Louvre. Na metade do caminho a chuva cessou e então fomos à Basílica de Sacré Coeur e de lá ao Louvre e claro depois voltamos à Torre e ao Jardin Du Trocadéro. Como a chuva brincava com a gente, resolvemos ir de metrô e caminhamos pouco nesse dia. Esse foi um dia para sobrar um pouco de tempo e voltar a lugares que gostamos e conhecer novas coisas como: Galeries Lafayette e Ópera – Palais Garnier Basílica de Sacré Coeur A Basílica de Sacré Coeur é uma igreja católica localizada no topo do monte Martre, o ponto mais alto da cidade. Subimos a pé pelas ruas e escadaria, apenas nos guiando pela fachada da basílica e pelas placas e deu certo! Há também a opção de funicular. Chegamos pelos fundos dela rsrs. Aqui vale ressaltar que na época (2 meses antes do atentados à Paris), existiam muitos policiais cercando-a. Amamos muito essa igreja. Ela é linda por fora e por dentro e ainda te dá a visão da cidade. Info: A basílica está localizada no topo do monte Martre, o ponto mais alto da cidade e foi feita por dois empresários católicos que fizeram um voto de construir uma igreja dedicada ao Sagrado Coração de Cristo se a França escapasse do ataque prussiano. Descemos a pé em direção ao metrô e lá ficamos um pouco, olhando as lojas de souvenirs, observando a dinâmica do bairro e procurando algum lugar para comer macarrons rsrs A noite voltamos ao bairro Montmartre, bairro boêmio, bom para apreciar a noite e uma cerveja É nesse bairro que encontramos o famoso Moulin Rouge! Eu não entrei, mas por fora, ele nos decepcionou. Acho que criamos expectativa demais. dúvida. Provavelmente deve ser como no filme por dentro, mas não estávamos dispostos a pagar mais de 100 euros para tirar a duvida. Museu do Louvre Ahhhhh... o museu do Louvre dispensa apresentações. Aqui também perdemos tempo na fila, pois não compramos o tíquete antes (da próxima vez a gente já sabe). Logo na entrada do museu é possível pegar um mapa em português. Ah, o museu é gigante, então recomendamos você listar as coisas que não quer deixar de ver, caso o seu tempo seja curto ou você necessita de uma visita mais pontual e não tão abrangente. Sobre a tão famosa Monalisa: é um quadro pequeno e cheio de gente se amontoando para tentar enxergá-la. Pior, ali quase ninguém está para apreciar a arte (inclusive nós rsrs), então, geral coloca a câmera ou celular pra cima e tenta um click. Quando consegue se aproximar, o povo tenta a selfie ou pede pra um ser iluminado tentar tirar uma boa foto rsrs e é isso...toca o barco! Horário de funcionamento: das 9h às 18h (exceto nas terças-feiras e nos seguintes feriados: 24, 25 e 31 de dezembro, 01 de janeiro e 01 de maio.) Como chegar de metrô: Estação Palais Royal/Musée du Louvre (linha 1) Coisas que chamaram a atenção:  Como existem brasileiros em Paris!!! Todos os lugares que fomos escutamos português e não era o nosso ... e não era de Portugal também rsrs  A quantidade de policiais em determinados pontos turísticos como a Torre Eiffel e a Basílica de Sacré Coeur  Quando fomos comprar croissants, a atendente os pegava com a mão Se alguém tiver dúvidas, é só chamar... Beijos
  8. Amei seu post! Quero ir à Meteora ainda esse ano e ele está sendo muto útil!
  9. Ahhh...estarei aqui aguardando relato sobre a Chapada! Bjo grande!
  10. Que horror Trotinha! Ah... Em solo brasileiro agora. Mamis não estava bem e vim correndo... sem planos pra próxima viagem agora talvez nordeste no natal e ano novo. Bjo
  11. Ei trotinha..desabafou, hein? Calma, as pessoas aprendem rs
×
×
  • Criar Novo...