Ir para conteúdo

victorgeo10

Membros
  • Total de itens

    6
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que victorgeo10 postou

  1. Carta 3 – Viagem a Cidade de Natal Rachel, no São João desse corrente ano, passei duas noites no maior São João do Mundo na cidade de Campina Grande, estado da Paraíba, Brasil. Lá conheci uma amiga da internet que é da cidade de Natal. Ela é taurina como eu e você. Só que tem uma coisa: ela tem 43 anos e eu tenho 27. Mesmo assim, nós ficamos, namoramos. Depois, num dos primeiros fins de semana de julho, eu fui a Natal passar um final de semana com ela. Ficamos num hotel acho que era na praia dos artistas. Conhecemos o mercado de artesanato em Natal, e conhecemos a Escola Filosófica Internacional Nova Acrópole de Natal e a Comunidade Católica Shalom. O pessoal da Nova Acrópole como sempre muito gentil e atencioso. Já na Comunidade Shalom foi muito bom. Íamos participar de um grupo de oração, mas não houve nesse dia, porém houve uma palestra do fundador da comunidade Shalom, um vídeo dele gravado, de Moysés Azevedo, que já se encontrou com o papa, segundo a foto do site da comunidade. Foi interessante a palestra dele. Mas antes de comentar sobre a palestra, queria dizer que conhecemos um jovem lá da comunidade, e ele nos deu atenção e disse que padre Márcio, da nossa comunidade Doce Mãe de Deus, já deu palestra lá na Shalom de Natal. Então, na palestra, Moysés contou que na adolescência tinha decidido aproveitar a vida. E que só depois da mãe dele ter várias filhas, foi que nasceu Moysés. A mãe e o pai dele estavam esperando um filho homem há muito tempo. E depois de muita oração, ele nasceu. Porém, no começo da adolescência ele decide curtir a vida, e coloca a igreja em segundo plano. Porém o pai dele fez com que ele fosse à missa de manhãzinha aos domingos. Mesmo ele a contragosto, ia para missa, às vezes depois de uma noite toda na farra. Já que ele era dependente dos pais dele, ele tinha que acatar as ordens do pai para ir a missa ao domingo, no começo da manhã. Ele ia morrendo de sono. No colégio, uma menina católica, quando ele fazia o ensino médio, sempre convidada ele para os eventos da comunidade católica dele, mas ele não ia. Até que um dia ela o inscreveu num evento da igreja dela, e ele a contragosto foi a esse evento. O importante ressaltar é que ela tinha falado com uma irmã (freira) da igreja, e essa por sua vez falou com o padre e o padre falou com o bispo que antecipou a ida dele a esse encontro. Já que dependia de um sorteio ou alguma coisa parecida para ele participar desse encontro. Como se fosse um Encontro de Jovens com Cristo, o famoso EJC, onde em algumas igrejas se inscrevem muitos, mas por sorteio só alguns são escolhidos, devido à grande demanda de pessoas. Nesse encontro ele teve uma experiência com Jesus Cristo, e foi logo dizer a essa amiga dele da escola: “Olha, você tem que entender uma coisa: Deus me ama” e ele ficou repetindo isso para ela, e foi engraçada essa hora por que ela, segundo ele, ficou dizendo: “Moysés, calma, Deus ama todo mundo!”. Depois desse encontro ele disse que durante um tempo ele tentou conciliar sua vida do mundo, de festas, com a vida cristã, mas não estava dando certo, então ele decide entregar totalmente sua vida a Cristo. Mas voltando, o nome da minha ex-namorada é Ana Suely, ela contou alguns fatos marcantes da vida dela para mim, e eu contei alguns fatos marcantes da minha vida a ela. Ela também é católica e disse que já repousou no espírito várias vezes na igreja. Fiz até uma poesia para ela quando voltei para João Pessoa. O título da minha poesia é “Menina Mulher” e está no meu site. Porém, depois ficamos nos comunicando através da internet e telefone, e ela decidiu acabar o namoro comigo por que causa da diferença de idade. Ela disse que eu tinha que arrumar uma menina mais ou menos da minha idade, e disse que era errado manter esse namoro devido à diferença de idade entre nós. Ela também disse que eu era especial. No mais, um abraço Rachel. João Pessoa, Paraíba, Brasil, 24/09/2011 autor: Victor da Silva Pinheiro WWW.recantodasletras.com.br/autores/victorgeo10 WWW.victorgeo10.blogspot.com WWW.myspace.com/victorgeo10 WWW.twitter.com/victorgeo10 WWW.facebook.com/victorgeo10 WWW.youtube.com/victorgeo10 WWW.fotolog.com.br/victorgeo10 [email protected]
  2. Carta 2 – Viagem Religiosa - Jovenicamp 2011 Oi Rachel, me inscrevi no Jovenicamp 2011 pagando três parcelas no carnê, de suaves prestações de 50 reais do meu bolso, meu suado trabalho, e, enfim, participei e gostei muito do Jovenicamp 2011. O primeiro dia oficial foi na quinta-feira, já que viajamos e chegamos na quarta-feira a noite, numa granja chamada "Paraíso dos Colibris" na cidade do Conde, estado da Paraíba, Brasil. Bem, o primeiro dia foi muito bom, de manhã foi espiritualização, e de tarde foi os jogos. Joguei futebol e me interagir com algumas pessoas e, acredito eu, que comecei novas amizades com a rapaziada e a mulherada. Como fazia tempo que eu não jogava futebol, cansei rápido, e não fui o Victor grande jogador que fui na minha infância e adolescência. Infelizmente, refletir de maneira desconcertante um pouco e escutei um pouco de vozes nesses dias que passei lá. Lembre-se que sou esquizofrênico. Escuto vozes que minha mente produz e tenho reflexões as vezes desconcertantes. Nos dias seguintes, pela manhã teve palestras, além da missa que fechava à programação das manhãs. Uma palestra foi com Saulo, o baterista e geógrafo que eu já conhecia da universidade. No outro dia, sábado, a palestra foi com Tadeu, que eu conheci naquele dia do grupo de oração que você estava presente, que Adriano o tinha levado naquele dia para dar seu testemunho. Foi nesse dia do grupo de oração da sexta-feira que citei aquela famosa frase de Júlio César, político e general de Roma: “Vamos avançar, e seguir, para onde quer que os desígnios divinos e as provocações dos inimigos nos chamem.” E a palestra do domingo era para ser dada pelo fundador da Comunidade Doce Mãe de Deus, Inaldo, porém, ele estava em missão, e foi o padre Márcio que deu a palestra. Nessas palestras aprendi algumas coisas interessantes. Um delas foi o padre Márcio que falou que um amigo dele disse que a amizade entre eles quando estava distante, era semelhante a uma árvore em dia de seca, onde as raízes se aprofundam ainda mais em busca de água. Espero que assim seja nossa amizade Rachel, que na distância continuemos unidos em oração. Prezo muito sua amizade e espero que você seja feliz com quem escolher para casar, quero o seu bem, até mesmo antes de meu bem, quero o seu bem. E assim são os amigos, sempre colocando os amigos como prioridade antes mesmo de si mesmo. E esse amigo do padre Márcio também falou que a amizade deles quando estavam próximos um do outro, era semelhante a uma árvore em dia de chuva, que depois fica toda florida. Um dia antes dessa palestra com Tadeu, ou foi na sexta-feira com Saulo, não estou lembrado quais dos dois dias foi, porém um desses disse (acho que foi Tadeu que disse) que o segredo para atrair as borboletas não era correr atrás delas, mas preparar o jardim para sua vinda, sua chegada. E assim, eu pretendo formar e fortalecer novas e antigas amizades. O jardim é minha vida espiritual, e os amigos são as borboletas. E espero que só com a permissão de Deus e com o dedo Dele, é que ele envie uma menina para eu namorar, se assim Deus quiser. Se eu for namorar alguma menina, que seja enviada por Deus. Eu sei que você, Rachel, quer que Deus envie uma namorada cristã para mim, pois você quer meu bem, como eu quero seu bem. Mas decidi no Jovenicamp 2011 que minhas prioridades vão ser os estudos (vou fazer cursinho para o vestibular já que minha matrícula antiga na universidade foi cancelada e só é possível ter outra matrícula fazendo outro vestibular), e também tenho como prioridade me curar da esquizofrenia. Porém esquizofrenia não tem cura segundo a ciência, mas a ciência diz que a esquizofrenia pode ser estagnada. Não consideram cura, por que o paciente pode ter recaídas. Agora que comecei novas amizades no Jovenicamp, e quase todos vão à vigília jovem, eu agora não vou mais ficar assim tão carente de amizade na vigília. Na penúltima vigília que fui eu havia saído no meio da vigília, fui até a parada de ônibus, e lá na parada decidir voltar. Depois eu fui embora pouco antes da benção final da missa. E na última vigília que fui, eu sai no intervalo da vigília por que tava sozinho, carente de amizade. Porém, eu sei que devo ir para a igreja por causa única e exclusivamente de Deus, porém, uma amizade cairia bem também. Já que um dos pilares da igreja é a vida em comunidade, a fraternidade. No sábado a noite do Jovenicamp teve adoração e fui tocado que eu devo ser, pelo menos, um pregador, um palestrante cristão. Mas isso é um plano para o futuro, quando eu estiver integrado na igreja e sentir autoridade para proferir palestras. Olhando todos ali adorando a Jesus eu sentir um pouco dessa autoridade e a necessidade de servir a igreja dando palestras. No domingo e último dia eu tentei me inscrever no Emanuel (o primeiro ano de formação da igreja para se tornar consagrado), porém Adriano Brasil me aconselhou a não fazer, pelo menos por enquanto, por causa da minha esquizofrenia, já que para ser consagrado você não pode ter algumas patologias. E na quinta-feira do encontro, eu me confessei com padre Márcio. Ele me aconselhou rezar o terço todos os dias, e é o que eu vou fazer: voltar a rezar, mergulhar na igreja, e procurar ser ético em pensamentos, palavras, e ação. autor: Victor da Silva Pinheiro www.recantodasletras.com.br/autores/victorgeo10 www.victorgeo10.blogspot.com www.myspace.com/victorgeo10 www.twiter.com/victorgeo10 www.fotolog.com.br/victorgeo10 www.youtube.com/victorgeo10 www.facebook.com/victorgeo10 [email protected]
  3. Carta 1 - Viagem a Aracaju - Chamado para o Emanuel Oi Rachel, nesse presente texto vou falar da minha viagem para Aracaju, onde viajei no dia 14/12/2010 (Terça-Feira) e cheguei no sábado de Manhã (18/12/2010), e fui visitar e conhecer uma amiga da internet e acabei dormindo em comunidade católica onde sentir o chamado para o "Emanuel" que se chama o primeiro ano de formação para se tornar consagrado da igreja católica. Nessa viagem fui conhecer uma amiga da internet onde já conversava a muito tempo. Já até havia conversado com ela por telefone, havia dito a ela que ia no final da semana, mas acabei indo durante a semana. Eu pensava que ir de carro alternativo era mais barato, mas saiu um pouquinho mais caro. Fui de João Pessoa à Recife, e de Recife a Palmares na divisa de Pernambuco e Alagoas. Como já era de noite não tinha mais carro alternativo para Maceió, então tive que dormir uma noite numa pousada em Palmares. Depois, no outro dia fui de manhãzinha para Maceió de carro alternativo e de Maceió fui para Arapiraca. De Arapiraca fui então a Aracaju. Cheguei na quarta-feira a tarde e fui conhecer essa minha amiga da internet. Passei bem uma hora conversando com ela no apartamento dela, e depois fui na igreja do bairro dela saber se pudia dormir lá. Então o padre me indicou o abrigo da comunidade Shalom e/ou a Toca de Assis. Fui lá na comunidade Shalom, e lá para às dez horas da noite uma menina lá resolveu minha situação e a responsável por telefone me autorizou a dormir no abrigo da comunidade Shalom para idosos e moradores de rua. A comunidade Shalom tem a parte de encontros e evangelização, a comunidade onde dorme os de comunidade de vida que fica na mesma rua, e o abrigo de idosos e moradores de rua, que fica numa rua bem pertinho no centro de Aracaju. No outro dia de manhã fui conhecer a comunidade Toca de Assis, um abrigo franciscano para idosos e moradores de rua, e ele, o coordenador, autorizou eu dormir lá. Tinha dito a ele que tava de passagem em Aracaju, e que ia na sexta de volta para João Pessoa. Ele disse que já tinha ouvido falar da Doce Mãe de Deus. Ainda pela manhã fui visitar essa minha amiga onde conversamos rapidamente pois ela ia dar aula de reforço e depois voltei para a Toca de Assis e fiquei lá até sexta-feira a tarde onde depois vim para a rodoviária, comprei a passagem de volta e voltei às 23:30 horas para João Pessoa, onde cheguei sábado de manhã. O interessante é que na comunidade Shalom, e na Toca do Assis, eu disse que frequentava a comunidade Doce Mãe de Deus e disse espontaneamente que ia fazer o "Emanuel" ano que vem. Nessa experiência acabei descobrindo que realmente eu vou fazer o "Emanuel" ano que vem. Quando disse para você um dia que eu faria o "Emanuel" para fazer novas amizades, faz tempo isso, queria dizer na verdade que eu gosto da vida em comunidade cristã e era isso que eu buscava: a vida em comunidade cristã, as festas, a evangelização, os retiros, o grupo de oração, essas coisas. Como sou muito introspectivo fica difícil eu fazer novas amizade, mas acho que vou fazer um pequeno esforço para fazer amizade na comunidade Doce Mãe de Deus, com gente nova. No mais, uma abraço Rachel e que você seja feliz nas suas escolhas. Sim, quase havia me esquecendo, na quinta-feira de manhã fui a pé até a Toca de Assis, e acabei encontrando um mala, sem mala, um malandro, e passei um pouco de sufoco no nosso final da conversa. Ele parecia bem legal dizendo que tinha duas filhas, que era eletricista e pintor, que havia descarregado umas caixas de manhã. Ele me pediu uma bermuda e uma calça e e tirei da minha mochila e acabei dando a ele, e ainda paguei um lanche para ele. Foi ai que surgiu o problema, ele viu que eu tinha dinheiro e disse no final da nova conversa que era foragido da justiça e que precisava de dinheiro para entrar pelo mangue, pegar um barco e atravessar o rio. Ele me viu com 12 reais na mão e me pediu e tive que dar, depois ficou dizendo que queria o meu dinheiro, o dinheiro que eu ainda tinha, e acabei dizendo uma mentira nobre: disse a ele que ia voltar de carona para João Pessoa e que não tinha dinheiro para voltar de ônibus. Foi então que ele me deixou em paz e seguiu o caminho dele, mas me parece que ele inventou essa história de foragido da justiça. Essa foi minha aventura resumidamente em Aracaju. João Pessoa, Paraíba, Brasil, 19 de Dezembro de 2010, Domingo. autor: Victor da Silva Pinheiro www.recantodasletras.com.br/autores/victorgeo10 www.victorgeo10.blogspot.com www.myspace.com/victorgeo10 www.twitter.com/victorgeo10 www.fotolog.com.br/victorgeo10 www.youtube.com/victorgeo10 www.facebook.com/victorgeo10 [email protected]
  4. Encontro Para Nova Consciência em Campina Grande O Ano era 2007, época de carnaval e eu e meus primos e a mulher de meu primo, formos para Campina Grande, conhecer o Encontro Para Nova Consciência. Lá encontrei uma colega que conheci na escola de Filosofia Nova Acrópole em João Pessoa. Ela cursa atualmente filosofia na UFPB, Universidade Federal da Paraíba e estava na companhia de um colega de classe; a apresentei a meus primos e ficamos e lanchamos juntos, ela e o colega dormiu com a gente na casa da minha avó afim, quer dizer, avó por parte de mãe dos meus primos, já que sou ligado pelo sangue com meu tio não com minha tia afim, mulher do meu tio. Enquanto meus primos assistiam palestras para lá de intelectuais, o encontro teve palestras sobre diversos temas e diversas religiões, eu fiquei na parte de ecologia e vi algumas palestras num prédio secundário ao encontro. Lembro-me bem da palestra sobre águias e serpentes dada por um estudioso do Ceará. Ele falou que a Harpia, a maior ave do Brasil só encontrada no Amazonas, têm quase um metro de altura, se me lembro bem. Partir com esse grupo para Fagundes, uma cidade próxima de Campina Grande onde se encontra a Pedra de Santo Antônio. Lá jovens da capital costumam fazer luau e no dia de Santo Antônio, dia 13 de junho, é realizada uma festa lá em cima da pedra. E dizem que quem passar por debaixo de uma determinada pedra, no dia de Santo Antônio, é certo pra casar. Lá tem um restaurante cuidado por uma família. Conheci alguns integrantes dessa Família. A paisagem da pedra é belíssima e da pra ver toda Campina Grande. Depois voltei pra Campina Grande e assistir uma palestra (que ta no youtube) sobre a pintura da “Última Ceia” de Leonardo da Vinci e sua ligação astrológica. Essa palestra foi dada por "Bola". Depois, eu e a turma que tava comigo passarmos pelo Encontro da Nova Consciência Cristã, que é realizada na mesma época bem próxima ao Encontro Para Nova Consciência. Em frente ao prédio principal do Encontro Para Nova Consciência ouve uma confusão de alguns evangélicos que fizeram pequena peça de teatro de rua criticando o Encontro Para Nova Consciência, dizendo eles, que era o Encontro Para "Velha" Consciência. Depois eu e minha turma voltamos de ônibus para casa. autor: Victor da Silva Pinheiro www.recantodasletras.com.br/autores/victorgeo10 www.victorgeo10.blogspot.com www.myspace.com/victorgeo10 www.twitter.com/victorgeo10 www.facebook.com/victorgeo10 www.youtube.com/victorgeo10 www.fotolog.com.br/victorgeo10 [email protected]
  5. Conhecendo da Paraíba à Chapada do Araripe A Viagem era pelo curso de geografia da UFPB, Universidade Federal da Paraíba, o ônibus era apelidado de latão e tinham por volta de 20 e poucas pessoas. Nosso objetivo era conhecer a Serra do Araripe, no Crato, Ceará. Mais no meio do caminho conhecemos vários lugares paraibanos, potiguar e pernambucano. Sairmos de João Pessoa de manhã cedinho e formos parando em alguns pontos no decorrer da BR 230 para avaliarmos o solo. O professor que estava acompanhando era da disciplina Fundamentos de Petrografia, Pedologia e Geologia. Tinha um aluno que estava gravando os comentários do professor durante as paradas. Ás vezes, ele, o professor, mandava o ônibus parar no meio da estrada e adentrávamos na caatinga para analisarmos a disciplina estudada no semestre. Formos à Ingá e conhecemos a pedra do Ingá, por lá passa um rio e nessa pedra tem marcas, linguagens, escritas gravadas na pedra até hoje indecifráveis pelos cientistas. Essa pedra é conhecida internacionalmente. Lá o professor que era alemão, e falava tal língua além do português, falava inglês e conversou com um estrangeiro. Depois conhecemos Boa Vista, lá tem uma área bem seca que foi habitada por índios antigamente. Almoçamos na UFCG, Universidade Federal de Campina Grande e conhecemos um museu de lá da área de geografia física. Depois partimos para Santa Luzia e dormimos lá a primeira noite. Num estabelecimento da UFPB, no meio da caatinga onde há cada rojada de vento bem característica. Depois partimos em direção a Cajazeiras e chegamos ao Ceará. Lá dormimos uma noite em Santana do Cariri, uma pequena cidade e depois dormimos na casa de um professor na cidade do Crato. Conhecemos museu, a reserva do IBAMA, a Chapada do Araripe, que é uma floresta no meio da caatinga com vários locais de fósseis antigos, passamos por Juazeiro do Norte e a estátua do Padre Cícero. Depois formos pra Exú, a terra de Luiz Gonzaga e visitamos o museu em sua homenagem. Sim, na Paraíba conhecemos o Açude Coremas e vimos o canal da redenção. Além de ter conhecido o Parque dos Dinossauros na cidade Sousa. Na volta passarmos pelo Rio Grande do Norte, na cidade mais limpa do Brasil, Acari, e depois no Rio Grande do Norte, conhecemos uma zona de mineração. Se não me engane ainda dormimos outra vez em Santa Luzia. E depois formos a Pedra Lavrada, a cidade de um dos alunos. Lá comemos na casa dessa família do aluno anfitrião. Sim, de vez em quando parávamos e conhecíamos alguns as zonas de extração de minério aqui na Paraíba. Chegamos em João Pessoa à noite depois de mais ou menos 4 ou 5 dias de viagem. autor: Victor da Silva Pinheiro www.recantodasletras.com.br/autores/victorgeo10 www.victorgeo10.blogspot.com www.myspace.com/victorgeo10 www.twitter.com/victorgeo10 www.facebook.com/victorgeo10 www.youtube.com/victorgeo10 www.fotolog.com.br/victorgeo10 [email protected]
  6. Lembranças de umas férias potiguar Eu era pré-adolescente e não me lembro bem dos detalhes, mas viajei a Natal, no estado do Rio Grande do Norte. Fui com minha família e nos instalamos em uma pousada. Lembro que nessa viagem formos visitar familiares paternos. Visitamos as Dunas de Genipabu e quase descemos no "esqui-bunda" um objeto em que você senta e sai deslizando nas areias das dunas. Lá também tem a opção de andar de bugre, devagar ou rápido, porém não andei nem minha família. Na praia de Ponta Negra, o pessoal desce de esqui, porém não descemos. Jantamos na praia dos Artistas em Natal, uma praia urbana e bem movimentada. Lá em Natal também tem um forte-ilha. Não mergulhamos na praia dos golfinhos, mas meus pais voltaram a alguns anos a Natal e foram a essa praia. Voltando a minha viagem, passamos pelo parque das dunas, orla de Natal, onde as águas batiam com força na parede da barreira e alguns jovens pulavam da barreira pro mar. Visitamos o famoso cajueiro, maior do mundo. Visitamos outros lugares que não me lembro bem. E não passamos na badalada praia de Pipa, próxima a Natal. Porém, meus pais foram a essa praia numa outra viagem. autor: Victor da Silva Pinheiro www.recantodasletras.com.br/autores/victorgeo10 www.victorgeo10.blogspot.com www.myspace.com/victorgeo10 www.twitter.com/victorgeo10 www.facebook.com/victorgeo10 www.youtube.com/victorgeo10 www.fotolog.com.br/victorgeo10 [email protected]
×
×
  • Criar Novo...