Ir para conteúdo

SBaijuk

Membros
  • Total de itens

    14
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. SBaijuk

    Pompeia

    Pessoal, Fiz um bate e volta de Roma para Pompéia e acho que super valeu a pena. Saí 5:30 da manhã de Roma e cheguei super cedo em Pompéia. Me desculpem, mas não lembro os valores das passagens Voltei pra Nápoles e tive tempo de dar um passeio por lá. Peguem um trem para a estação Toledo, a estação de metrô mais linda que já vi. Em Nápoles NÃO parem tomar café e/ou comer algo no Caffe Roma Toledo, na rua principal. Eu pedi um café e um cake que sairia 3,40 euros, e o cara me cobrou o dobro do preço apenas pq eu sentei pra comer no local e usei a internet durante o tempo de tomar o café. Pra quem está em Roma e tem um dia sobrando, é um bate e volta que super recomendo. Abx
  2. OOii!! Estou pensando em ir em dezembro mas não tem a mínima ideia de qnto tempo ficar, vc tem alguma tabela de gastos de quanto gastou por dia em media em cada lugar?? E sabe me dizer se rola ir de barraca? tem campings e tal??? ou os hosteis são muito baratos que não compensa? Obrigada!!
  3. Levei um tanto em espécie e um tanto no cartão travel money. A taxa de câmbio do cartão eu não sei te dizer exatamente, mas trocando lá em espécie varia muito de lugar pra lugar. Mas tome como base a cotação do dia. Para os cálculos eu arredondei R$ 1 = 3 Bs e R$ 1 = 1,15 S/ que é mais ou menos a taxa de câmbio q eles usam por lá.
  4. 25º - 26º - 27º Dias - La Paz - Sta Cruz de La Sierra - São Paulo Último dia em La Paz. Passei o dia em Tihuanaco, as ruínas que ainda estão sendo descobertas, quem sabe daki alguns anos fique mais interessante, não curti muito. Na volta para o hostel conheci um brasileiro figuuura!! rs Saímos jantar numa pizzaria e depois curtimos a baladinha do Loki, tomando umas Paceñas (despedida!!). Dia seguinte pegar ônibus para Sta Cruz de La Sierra às 14:30h, pela Trans Copacabana MEM, por 170 Bs (já havia comprado a passagem no dia em que cheguei em La Paz). Depois de 17 hs de viagem, chegada em Sta Cruz por volta das 7:00 h. Fiz um lanche no Terminal Bimodal e peguei um taxi para o aeroporto (60 Bs), nd de ônibus desta vez.. rs. Não fiz câmbio no terminal, pois ainda tinha que pagar a taxa de embarque, então deixei para fazer câmbio no aeroporto. Na única casa de câmbio do aeroporto não havia reais. Nem pensei em pegar em dólares , deixei pra trocar quando chegasse aqui no Brasil. O problema é que nenhuma casa de câmbio aceita bolivianos, apenas o Banco Safra sob a taxa de R$ 0,20 (roubo??!!). Portanto: troquem todos seus bolivianos por dólares (se não tiver R$) antes de sair da Bolívia!!!! Para ver mapas das cidades e algumas sugestões de hostels, restaurantes, etc, acesse http://dayandnightmaps.com/ Fuso horário (comparado ao horário do Brasil, exceto horário de verão): Bolívia -1h / Chile mesmo horário / Peru -2 h Finalmente, se eu pudesse alterar alguma coisa no meu roteiro, teria ficado um dia a mais em San Pedro do Atacama para fazer o Salar de Tara, um dia a mais em Cusco para aproveitar mais a cidade e descansar dos 3 dias de Machu Picchu, teria só passado por Puno rapidão para conhecer as ilhas de Uros e ficado um dia a menos em La Paz (acho que Tihuanaco não vale tanto a pena). Mas enfim... qqr dúvida podem me escrever sem problemas. Obrigada a todos os leitores!! Pé na estrada e saudações mochileiras!
  5. 22º Dia - Copacabana - La Paz Acordei cedo no outro dia, fui tomar café e dar mais uma caminhadinha. Como não queria fazer a outra trilha de volta, peguei a barca das 10:30 h para retornar à Copacabana, e tentar trocar a passagem para às 13:30h. Cheguei em Copa 12:30h e corri para a empresa do ônibus (Turbus) para trocar a passagem. Eles disseram que não era possível eu trocar pq não estava 2 horas antes, insisti e eles disseram que não havia mais lugares. Como na praça ficam todos os ônibus que partem para La Paz, fui ver se não havia lugares com outra empresa, e tinha!! Então voltei na Turbus fazer a devolução da passagem das 18:30h (até 2 horas antes do horário do ônibus, em caso de desistência a empresa devolve 80% do valor). Mas eles não aceitaram a devolução dizendo que eu não estava 2 horas antes, porém, eu estava 5 horas antes, mas eles não entendiam . Expliquei que não iria com eles nem às 13:30h nem às 18:30h, que só queria a devolução do dinheiro. Daí do nd, o cara disse que tinha lugar no ônibus de 13:30h mas que deveria pagar 10 Bs pela troca. Lógico que não aceitei! Disse que queria meus 80% de volta pq iria com outra empresa (mais barato) . E no final, o cara acabou trocando minha passagem sem cobrar nd e peguei o ônibus da Turbus das 13:30h, e com lugares vazios ainda. Ufaa!! Que povinho difícil esse!! Cheguei em La Paz às 17:30h. Escutei uma senhora no ônibus falando no celular que ia ao Hostel Sagarnaga, e já me escalei para dividirmos um taxi. Até lá são 15 Bs. Chegando lá, achei caro 100 Bs quarto privado e fui andando para o Loki (54 Bs, quarto compartilhado com 6 mulheres e banho privado). Fui para a Calle Ságarnaga de novo, procurar agências, e já parei na Buhos Tours. Eles tinham o passeio para Chacaltaya e Vale da Lua para o dia seguinte e a moça me falou que este passeio não sai todos os dias. Então já confirmei com ela por 80 Bs. 23º Dia - La Paz Havia chovido demais durante a noite . Peguei um tempo meio encoberto no Chacaltaya, sem ver o cume do Huayna Potosi, mas pelo menos vi neve. E tbm fez muuuito frio. O clube andino estava fechado então não precisamos pagar os 15 Bs de entrada. À tarde fomos para o Vale da Lua (+ 15 Bs de entrada). E ficou super calor, então aproveito para reforçar a dica de sempre: ir vestido como uma cebola, pra não passar frio nem calor. Ahh, e não tem parada para almoço nesse passeio. Então, um dia anterior compre água e coisas para comer, para levar. Curti pra caramba o passeio. Meu primeiro contato com a neve e tbm o terceiro Vale da Lua que conheço na viagem toda (fui pra chapada dos veadeiros antes, e conheci o Vale da Lua em San Pedro tbm). Voltando para o centro fui conhecer a praça do estudante, e tem umas sorveterias e confeitarias ótimas por ali. :'> 24º Dia - La Paz Reservei este dia para conhecer a cidade, fazer compras e decidir o que fazer no último dia em La Paz. Estava na dúvida entre Tihuanaco e o Downhill na Estrada da Morte. Fui na Extreme Downhill me informar (tem de 400 ou 500 Bs dependendo da bike), mas desisti pq pega um longo trecho sem asfalto e faz muito tempo que não ando de bike. Voltei na Buhos Tour para confirmar o Tihuanaco (50 Bs, com o descontinho pq fechei os dois passeios com eles). Sinceramente, estava cansada de ver ruínas já, mas como já estava no roteiro resolvi ir mesmo assim. Na Calle Eloy Salmon tem várias lojas de eletrônicos e acessórios de informática. Mas não achei HD externo barato que estava procurando. Equipamentos de montanhismo e escalada vc encontra na Tatoo, na Calle Llampu. Na Calle Jose Maria Linares, vc encontra só lojas de artesanato. Calle Jaen, é uma ruazinha linda, em estilo colonial com alguns museus e a Plaza Murillo fica próximo ao Loki. Para comer recomendo o Restaurante El Lobo, esquina da C. Santa Cruz com a Av. Llampu, tem buffet com saladas e pratos quentes a la carte. Tem Burger King e SubWay na Calle Socabaya (não aguentava mais a comida boliviana, apelei para os fast foods!!! )
  6. Re: Bolívia-Chile-Peru / 27 dias / 3800 reais / out-nov 2012 por AGiachetta » 16 Nov 2012, 15:14 Esta muito bom o seu relato, mas me surgiu uma duvida, tu teve que reservar ou comprar uma entrada para o huayna pichu, ou só fio até a entrada no horário das 10:00 ? AGiachetta, Quando contratei o pcte com a agência, eles compraram minha entrada para Machu Picchu e Huayna Picchu junto, uns 4 dias antes. Huayna Picchu tem que comprar com uns dias de antecedência, por isso já fui atrás no dia em que cheguei em Cusco
  7. 19º Dia - Puno Cheguei em Puno às 6:00 h, meio perdida pq não tinha lido muito a respeito de Puno. Estava sem descansar nada e tomei a péssima decisão de dormir uma noite em Puno. Dentro do terminal, já parei na agência Sumaya Tours que vendia o passeio para Uros e Taquile por 40 S/. Só que o passeio já estava quase na hora e eu sem muito tempo para pensar acabei pagando de uma vez. E a própria agência já encaminha tbm para um hostel e como eu não tive tempo de procurar um outro hostel, acabei indo pra esse mesmo: Hostel Qorikancha em quarto privado com um ótimo café-da-manhã (30 S/). No Hostel, pela tabela de preços era muito mais caro. As ilhas flutuantes são interessantes, mas a Ilha Taquile realmente não vale a pena, a não ser que vc não vá pra Copacabana. São 2:30 h de ida mais 2:30 de volta na barca que navega a 5 km/h. E só almoça e cruza a ilha de um lado pro outro. Nada de especial. O passeio só não foi pior, pq conheci um pessoal legal de Floripa. Ahh.. na ilha encontrei uma argentina que havia conhecido em Cusco, e combinamos de jantar juntas em Puno. Na rua Jr Independencia tem vários restaurantes, com menu de no mínimo 18 S/, achei td muito caro. 20º Dia - Puno - Copacabana Acordei cedo e corri pra rodoviária comprar a passagem para Copacabana que partia as 7:30 h. São várias empresas que fazem o trajeto e os preços variam de 15 a 25 S/ + 1 S/ de UT. Como era apenas 4 h de viagem não me preocupei muito, paguei 15 S/ com a Panamericano. A fronteira foi a mais tranquila de todas de atravessar. E quando vc está entrando em Copacabana, entra um carinha no ônibus cobrando 1 Boliviano de entrada na cidade, vai entender??!!! NÃO esqueça de adiantar uma hora no relógio. Então vc chega por volta das 13h em Copacabana. Fiquei no Hostel Olas Del Titicaca por 50 Bs, quarto privado e café-da-manhã. Fui dar uma volta na cidade, procurar um lugar pra almoçar e, depois, me informar sobre o passeio para as ilhas. Fechei o passeio para a Ilha da Lua e Ilha do Sol (sul) por 30 Bs com a Titicaca Tours. Tentei um desconto pq não iria retornar para Copacabana, mas não rolou. Já comprei tbm a passagem para La Paz, pro dia seguinte às 18:30 h, por 30 Bs. Depois de td certo, fui subir o mirante pra ver o pôr-do-sol. Mais tarde uma janta gostosa no Fogan de La Cabana na Calle 6 de agosto (ambiente super bacana e o menu turístico por 20 Bs). :'> 21º Dia - Copacabana Acordei cedo para pegar a barca às 8:30 h. Chegando na Ilha da Lua, tem que pagar uma taxa de entrada na ilha. São duas opções: 10 Bs para ir até as ruínas e 5 Bs sem as ruínas. Mas lá não tem controle nenhum, deveria ter pago os 5 Bs mesmo. Na Ilha do Sol, descemos na parte sul (5 Bs de entrada). Conheci um brasileiro com uma namorada sueca na barca, almocei com eles, depois eles retornaram para a barca, mas como eu tinha optado por ficar na ilha, fui procurar a trilha para caminhar até a parte norte. Para ingressar na parte norte mais 15 Bs. São 2:30 h de caminhada. Cheguei nas ruínas e fiquei esperando pra ver o pôr-do-sol e depois segui para o povoado procurar um lugar para dormir. Fiquei numa pousadinha bem simples por 25 Bs. A parte norte da ilha realmente é muito mais bonita que a parte sul. E recomendo fazer o percurso do sul para o norte, acho que a trilha tem menos subidas.
  8. 17º Dia - Machu Picchu !!!!! Acordar as 4:30 da manhã e ir comprar o bilhete do ônibus para subir até Machu Picchu (24 S/). Friozinho na barriga.. rs Chegando lá em cima hora do “café-da-manhã”. Na sacolinha do café-da-manhã, havia um suquinho de caixinha, um sanduiche mequetref, um mini pacotinho de bolacha recheada e uma banana. Até entendi a situação pq tínhamos que acordar às 4 horas da manhã. Mas depois conversando com duas chilenas que estavam no grupo, mas que ficaram em outro hostel, elas tiveram café-da-manhã descente. Fiquem ligados em pegar o mapa das ruínas na entrada . A entrada em Machu Picchu foi uma das coisas mais emocionantes da minha vida! Ficamos esperando o guia mais enrolado que não sei o que. Ele reuniu todo o grupo (uma galera) e começou toda a ladainha. E eu já estava de cara com toda a situação, fiquei preocupada com relação ao horário, pois iria subir ao Huayna Picchu às 10 h. Fiquei esperando a introdução do guia acabar, não conseguia prestar atenção em nenhuma palavra, então decidi conhecer as ruínas sozinha. Abandonei o grupo na primeira oportunidade e fui direto ao Recinto Del Guardian, onde tiram aquela foto clássica. Depois fui seguindo o mapa e passando em todos os principais pontos. Às 9 já tinha passado em quase todos os pontos. Então fiz uma parada para descansar um pouco e comer algo. Depois seguir para a entrada do Huayna Picchu. Aaahh! Compre em Cusco, muita água e coisas para comer (biscoitos, castanha, frutas), em Águas Calientes pagará o dobro, e Machu Picchu dá muita fome! A subida do Huayna Picchu foi mais tranquila do que imaginava, subi em menos de 1 hora. E lá em cima é sensacional toda a panorâmica das ruínas e as montanhas em volta. Descendo do Huayna Picchu, dei mais umas voltas para tentar tirar mais fotos talvez com menos turistas, rs. Sentei num lugar estratégico para admirar a paisagem e descansar um pouco. Decidi percorrer as trilhas alternativas do mapa, e ir para Intipunku, ou Sun Gate. Mas na metade do caminho fechou o tempo e começou a chover (isso era mais de 14 h). Então decidi voltar e descer para Águas Calientes (desci pela trilha e sozinha, sem problemas, na real um cachorro desceu comigo.. rs). Chegando em Águas Calientes fui almoçar e tomar uma Cusqueña!! :'> Chegando no hostel mais uma surpresa : a senhora da recepção disse que iriam me transferir de hotel. Opa!! Minha reclamação foi atendida, achei que ia para um hostel melhor. Tive que correr para o quarto arrumar a mochila e acompanhar um garoto até outro hostel. O outro era um poquinho melhor, mas tbm não tinha café-da-manhã. Então o segundo 'desayuno' do meu contrato eu não tive. 18º Dia - Águas Calientes - Cusco - Puno Acordei cedo para procurar um lugar para tomar um bom café da manhã para depois enfrentar as 2:30 h de caminhada até a hidrelétrica. Fiz toda a caminhada sozinha desta vez. Chegando lá fiquei um tempão esperando a van, que só saia às 14 h. A volta para Cusco é bem cansativa. Chegamos às 21:30 h em Cusco. Corri para hostel Kokopelli buscar minhas coisas (tinha deixado meu excesso de bagagem lá, pois não tinha necessidade de levar td para MP), arrumei a mochila e corri para a rodoviária comprar a passagem para Puno. Há varias empresas e vários horários para Puno. Os últimos saem às 23 h da Power e Libertad. Olhando os ônibus parados no estacionamento do terminal achei o Power melhor (Power 25 S/ + 1,20 S/ de UT), mas me enganei, era péssimo. Se for nesse horário tente a Libertad. Ahh!! Na correria deixei pra comer no terminal, pra garantir a passagem antes. Mas quebrei a cara, não tinha nd descente, os restaurantes já estavam fechados. Preferi não passar mais um dia em Cusco, pq meu roteiro estava apertado, a principio iria passar um dia na ilha do sol, mas td mundo que encontrei na viagem recomendou 2 dias pelo menos. Mas no ônibus, revendo meu roteiro, descobri que não havia contado com o dia 31 de outubro (mas que burra, dá zero pra ela III ). Então ganhei um dia!! E sim, deveria ter ficado um dia a mais em Cusco para descansar. Além de que tinha um pessoal muto legal no hostel e seria bacana ter passado um dia a mais com eles, mas enfim....
  9. 13º - 14º - 15º Dias - Cusco Chegada em Cusco às 16 h (são 18 horas de viagem, mas o ônibus atrasou um pouco). Agora com toda a energia recuperada, pensar melhor antes de fazer qqr coisa Fiquei no Hostel Kokopelli na Calle San Andres (20 S/). Várias opções de quartos compartilhados. Banheiro compartilhado e “privado”. Tem um bar dentro do hostel. Se quiser mais “sossego” tente ficar num quarto mais afastado do bar. Ambiente super alternativo, com três computadores para usar a internet e um super café da manhã!! Recomendadíssimo!! :'> Deixei as coisas no hostel e sai comer e dar uma sondada nas agências. Para o City Tour e o Vale Sagrado os preços não variam muito de agência para agência (entre 40 S/ e 50 S/ os dois passeios), e no final acaba indo todo mundo junto no mesmo ônibus. Então não precisa pensar muito na escolha da agência. Escolhi a opção da hidrelétrica para ir p/ Águas Calientes. E esta opção pode ser feita por conta própria ou por agências tbm. Como estava sozinha fui procurar agência e achei variados preços. Porém, na Peru Adventure Trek (http://www.peruadventuretrek.com/), senti mais confiança apesar de ser 50 S/ mais caro da opção mais barata que achei. Eles me mostraram um folder de um hostel super bacana em AC, me passaram super segurança qnto aos transfers e etc. (mas NÃO RECOMENDO esta agência, vou contar os apuros em seguida). Então fechei todos os passeios com essa agência (380 S/ Machu Picchu + 40 S/ City Tour e Vale Sagrado). No dia seguinte pela manhã ir comprar o Boleto Turístico (130 S/) no Instituto Nacional de Cultura, na Av. El Sol. Para fazer o City Tour e Vale Sagrado vc precisa desse boleto. Andar pela cidade pela manhã, almoçar e fazer o City Tour a tarde. A noite curtir o barzinho do hostel com a galera!! Mais alguns brasileiros!! No outro dia, o dia todo reservado para o Vale Sagrado. Sente do lado esquerdo do ônibus para ter a vista do canyon!! No Vale Sagrado, tem uma parada num restaurante para almoçar (20 S/ o buffet livre). Não sei o nome do restaurante, mas talvez a dica possa valer pra todos... rs. Saindo do restaurante tinha uma funcionária no portão e, como quem não quer nd, fui perguntar a ela se não tinha um lugar mais barato pra comer próximo dali, pois não iria comer demais e 20 S/ era muito pra mim. Ela me vendeu o mesmo ticket de entrada por 10 S/ 16º Dia - Cusco - Águas Calientes Chegou o dia mais esperado!! São 7 horas de van até a hidrelétrica e durante o trajeto, lindos canyons e altas emoções com a van beirando um precipício numa estrada de chão. Depois mais 2:30 ou 3 horas caminhando pela trilha do trem. Num dos canyons, depois do Vale Sagrado, havia muita gente descendo de bike. Para quem curte fica a dica de procurar um passeio em Cusco. Deve haver algum tour semelhante ao Death Road em La Paz. Chegando em Águas Calientes já tinha um guia esperando o grupo. Ele nos levou até o hostel e depois até um restaurante para jantar. Minha primeira surpresa : o hostel não era o mesmo que a agência falou, reclamei com o guia, mas ele demonstrou não saber de nd. Depois da janta ele passou as coordenadas do dia seguinte e entregou as sacolinhas com o “café da manhã” e os tickets de entrada de Machu Picchu. E, para a minha segunda surpresa, o meu ticket ele não tinha!!! Fiquei no pé dele perguntando do meu ticket, ele disse q iria atrás e dentro de 15 min retornava e me entregava. Nesse meio tempo meu grupo retornou para o hostel e eu conheci uns argentinos que tbm estavam com outros problemas de outra agência e o mesmo guia estava tentando resolver tbm. Então ficamos juntos esperando o guia voltar. Deu 20 min e nd e eu comecei a entrar em desespero . Os argentinos me acalmaram dizendo q o guia ia voltar com ctza e eu já achando que era golpe. Mais uns 10 min o guia voltou, tranquilizando os argentinos que o problema deles estava resolvido, mas o meu ticket ele não trouxe . Ele pediu pra q eu fosse junto com ele em uma lan house para imprimir. Isso já era umas 22 h e eu fiquei insegura de ficar andando com ele sozinha e pedi para os argentinos me acompanharem . Fomos em 2 lan houses que não funcionavam as impressoras e eu ficando cada vez mais nervosa . Na 3ª lan house finalmente ele conseguiu imprimir meu ticket. Portanto!!!! Cuidado ao fechar o passeio para Machu Picchu com agência. Se vc não comprou pessoalmente seu ingresso, exija seu ticket de entrada no parque antes de ir para Águas Calientes, se possível pague metade ao contratar o serviço e a outra metade quando estiver com o ticket em mãos (eu quase fiquei sem o meu).
  10. 11º Dia - Ica - Huacachina Ok! Chegada em Ica as 7:30 h (10 horas de viagem). Conhecemos um outro holandês na rodoviária e dividimos um táxi para Huacachina (7 S/). Fomos para o Hostel La Casa de Arena II mas achamos muito caro. Depois fomos para o Hostel Rocha (20 S/). Quando a gente chegou lá vimos a piscina nos fundos e ficamos felizes!! Mas depois qndo olhamos com calma a piscina, estava suja... kkk . No hostel tem uma cozinha meia boca a disposição. Em Huacachina é td muito caro! Se for ficar leve o que comer e aproveite a cozinha. Fechamos com o próprio hostel o passeio do circuito Pisco (20 S/) e de buggy com sandboard a tarde (40 S/) e, para o dia seguinte, Islas Ballestas (55 S/). O circuito Pisco acho q só vale a pena se vc for comprar Pisco, se não, não recomendo! No circuito vc vai conhecer todo o processo de como eles fazem o pisco, tem a seção de degustação de alguns tipos de Pisco e é isso.... O de buggy é iradooooo!! Altas emoções!! E rola ver o pôr-do-sol nas dunas!! 12º Dia - Ica - Paracas - Cusco Neste dia, eu e a holandesa fomos para Islas Ballestas! Passeio sensacional para quem quer ver aves e leões marinhos. Paga mais 6 S/ da barca. Passa ver o candelabro nas dunas e segue para as formações rochosas repleta de animais! Antes de embarcar resolvemos ir para Reserva de Paracas e avisamos a guia. Pagamos + 30 S/ de transfer e 5 S/ de entrada na reserva. Tivemos que trocar de transfer, mas a guia nos direcionou certinho. O problema é que fomos parar numa van fretada por uma família de Lima, que estava passeando no fds. Ficou um clima super chato, pq eles não gostaram das duas intrusas na van, e eu com a minha colega holandesa tbm não ficamos nem um pouco felizes naquela van familiar... Mas no fundo valeu a pena o passeio, pelo visual do encontro do mar com o deserto e umas praias lindas! Pelo menos o tiozinho do transfer, que percebeu que a gente não estava contente, foi super legal e prestativo quando chegamos em Ica. Deixou a família no hotel deles e passou na empresa de ônibus pra eu comprar minha passagem pra Cusco. Depois levou a gente até a pousada em Huacachina, lá a holandesa ficou e eu peguei minha mochila e voltei com ele até Ica pra pegar o ônibus. Quanto aos passeios, saiu no total por 96 S/, mas com toda ctza, se vc sair de Ica por conta própria, sai muuuuito mais barato. O importante é chegar em Paracas antes das 8 da manhã. Eu estava meio de saco cheio de ficar andando e pesquisando e acabei fechando td com a pousada . E em Paracas resolvi ir para a Reserva em cima da hora. Então gastei muito mais pelo fato de não ter me programado direito (mas que burra, dá zero pra ela ). Ahhh.... Quando cheguei em Ica achei duas opções de ir para Cusco. Empresa Cruz Del Sur às 21:30 h por 178 S/ e Cial às 19 h por 90 S/. Como não sabia como seria o dia seguinte não comprei com antecedência, pois fiquei com medo de comprar o das 19 hs e não dar tempo de pegar devido aos passeios. Na volta de Paracas, às 16 h, passei na empresa Cial e só havia 3 lugares no andar de baixo do ônibus que é mais caro (120 S/), mas ainda sai mais barato que a Cruz Del Sur. Dessa forma gastei 30 S/ a mais de bobeira, por não ter comprado com antecedência (dá zero pra ela II kkkk).
  11. 6º Dia - San Pedro – Arica No dia seguinte dormi todo o sono atrasado e saí do hostel para a cidade aproveitar as últimas horas antes do passeio. San Pedro é uma cidadezinha muito simpática! Deixei a mochila na agência, fui na feira de artesanato e comer uma empanada chilena. Não deixe de tomar a cerveja Austral!! No passeio conheci dois brasileiros. Trocamos figurinhas e eles me mostraram fotos do Salar de Tara, bem diferente de td que eu vi no Uyuni, então recomendo um dia a mais em San Pedro para esse tour (eu infelizmente não fiz). No final de td cheguei a tempo para pegar o ônibus para Arica (Ufaa!!) 7º Dia - Arica - Tacna - Arequipa Chegada em Arica as 6:00 hs. O trem não estava funcionando. Como estava sozinha e era de madrugada, preferi não ir conhecer o mirante. Corri para o outro terminal em busca do táxi compartilhado para Tacna. O preço é fixo no terminal de 3.000 $ + 200 $ de UT. Atravessar a fronteira foi muito tranquilo e é 1 hora de táxi até Tacna. Chegando lá atenção para o horário: são 2 horas a menos então vc chega +ou- 5:30 hs. Vá para o terminal do outro lado da rua e compre a passagem para Arequipa com a empresa Moqueguas, das 7:15 hs (7 horas de viagem), por 20 S/ + 1 S/ UT. Fora do terminal tem uns carinhas que fazem câmbio! No ônibus conheci um alemão . Chegamos em Arequipa as 14 hs. Dividimos o táxi (6 S/) com mais duas francesas :'> . São 20 min até a praça principal (Plaza de Armas). Fomos almoçar e procurar um albergue. Na Calle Santa Catalina vc encontra hostels baratos (até 20 S/). Ficamos no El Caminante. Eu paguei 18 S/ mas depois descobri que o resto da galera pagou 15 S/, então sempre pechinche! Na Calle Palacio Viejo tem lugares baratos para comer e dentro do Claustro de La Compañia (Calle Moran) tem um Bar Restaurante Señor Misti, com um bom menu e barato tbm. O mirador de Yanahuara é perto da Plaza. Olhando no mapa parece longe. Acabei indo de táxi com o alemão, mas retornamos caminhando. Já fomos lá no primeiro dia mesmo, no final da tarde. A noite fomos num barzinho tomar uma Arequipenã, achamos um barzinho legal com um boneco do Che Guevara, mas não lembro o nome do bar nem da rua (sorry ). 8º Dia - Arequipa - conhecer a cidade No outro dia, o alemão tinha planos diferentes. Acordei e ele já não estava mais no hostel. Conheci um americano e passamos o dia juntos. Um figuraça, dei muita risada com ele . Fomos no museu da Juanita que é show de bola, não lembro ao certo mas acho que foi uns 30 S/ de entrada. O centro da cidade apesar de ser super comercial não perde o encanto. A tarde correr atrás de agência para o Colca Canyon. Na mesma rua do Hostel tem várias e na Calle Jerusalém tbm. Os preços não variam muito de agência para agência, então acabei comprando o passeio através do hostel mesmo com um descontinho a parte (110 S/ dois dias com trekking + 40 S/ de entrada do parque). Mas caso contrário gostei das opções oferecidas pela Eco Tours e Arequipa Tours na Calle Jerusalém. A melhor opção na verdade era do Colca Trek, mas caríssimo!! Tem várias opções pra fazer esse passeio: 2 ou 3 dias e com ou sem trekking. Fiz o de 2 dias com trekking mas não recomendo, pq vc não aproveita muito o canyon e muito menos o oásis, e é td muito corrido (ou talvez seja pq não estava muito bem). Neste dia conheci uma holandesa e um belga no hostel tbm. O americano queria fazer o canyon por três dias, então combinei de ir junto com a holandesa e o belga, falei pra eles fecharem o passeio com o hostel tbm, pra irmos todos juntos. Eu e a holandesa tínhamos os mesmos planos e combinamos de ir pra Ica juntas!! Ahh, já aproveitei este dia pra comprar a passagem pra Ica, pra garantir. Na Plaza de Armas tem um Centro de informações turísticas. Lá vc pode comprar a passagem, pq fica inviável retornar para a rodoviária que fica 15-20 min do centro. Tem duas empresas boas que fazem o trajeto, Cruz Del Sur e Oltursa. Eu e a holandesa compramos Cruz Del Sur por 82 Bs, que parte as 21:30 hs. 9º Dia - Arequipa - Colca Canyon A van passa te pegar no hostel as 3 horas da manhã. Tente sentar no lado direito da Van que vc vai ter todo o visual do canyon no caminho!!! Na noite anterior tive uma intoxicação alimentar . Eu não dormi a noite toda . Eu passei o dia todo ruim, comendo maçã apenas e tomando soro (que um brasileiro me deu, que eu tive a sorte de conhecer na van). Ahh tbm tomei as sopas das refeições apenas. E pra piorar mais ainda a situação não tive a sorte de ver o vôo do condor no mirador del condor sniiiff ... Chegamos no final da tarde no Oasis, nem tinha mais sol pra entrar na piscina. Poucos do grupo entraram... Eu fui dormir um pouco (estava exausta) e pedi pras meninas me acordarem pra janta. Tomei a sopa e voltei a dormir. 10º Dia - Arequipa - Ica Acordamos as 5 da manhã para começar a subir o canyon. A subida de 3 hs eu fiz em pouco mais de 4 hs, estava super fraca . Mas td bem, não fui a única. Tinham duas inglesas que penaram pra subir tbm, pelo menos tive companhia... hehe No caminho de volta, a van faz uma parada para os banhos termais. Eu e os holandeses não entramos e ficamos jogando baralho, 1 hora, até o povo retornar para seguir viagem. Chegamos em Arequipa, passamos no hostel tomar um banho e pegar as mochilas, saímos jantar (já comi um pouco melhor :'> ) e tomar pisco sour (sim, apesar de eu estar com o estômago fudido, eu tomei pisco Sour.... hahaha ). Depois seguimos para a rodoviária pegar o ônibus para Ica (fiquei meio enjoada na viagem, dá-lhe pisco sour )
  12. 2º Dia - Sucre - Potosi - Uyuni Chegada em Sucre às 8:30 h. Deixei a mochila no terminal, pesquisei os horários para Potosi e peguei um ônibus (+ barato que táxi compartilhado) até o centro. Algumas horas foram suficientes para conhecer o principal: andar ao redor da praça 25 de maio, ir ao mercado central, ir numa casa de câmbio (Calle Spaña), almoçar e voltar para o terminal. Queria ter ido ao mirante da recoleta mais não deu tempo. Ao sair da cidade o ônibus passa em frente ao mirante. Pelo que me pareceu o mirante em si é bonito, mas a vista da cidade não deve ser tão interessante. Confesso que fui com mais expectativas para Sucre, mas me decepcionei um pouco com a cidade, não vi motivos para passar um dia por lá. No terminal comprei a passagem conjunta Potosi-Uyuni com a Trans Imperador por 70 Bs + 2,50 Bs de UT (ônibus muito bons). O ônibus parte às 12:30 h. A vantagem dessa passagem conjunta é que a empresa já te deixa no terminal de Potosi do qual partem os ônibus para o Uyuni. Pq em Potosi existem 2 terminais e se vc comprar as passagens separadas vc vai descer em um terminal e se preocupar de ir p/ o outro. Como eu não tinha interesse de conhecer Potosi, optei pela passagem conjunta Foram 4 hs de viagem até Potosi. Lá fiquei apenas 3 horas, tempo para usar internet e fazer um lanche no mercado central (coma punhoelo, rs :'> , uma massinha de pão frita bem gostosa). Depois são mais 5 hs de viagem até Uyuni. Cheguei lá à meia noite e já fiquei no Hostel Salvador em frente donde param os ônibus. Paguei 35 Bs num quarto privado com banheiro compartilhado. Mas não recomendo!! Apesar do cansaço da viagem recomendo ir para a Av dos Ferroviários e procurar outro hostel ou o Hostel Avenida que outras pessoas já indicaram aqui no site. E é nesta rua que as coisas acontecem!! 3º - 4º - 5º Dias - Uyuni Acordei cedo e fui procurar agência para fazer o Salar. Fui na Red Planet que tinha indicação, mas achei muito caro e o passeio já estava lotado. A moça da agência me indicou a Empexsa que era um parceiro deles. Corri para a Empexsa, ao lado do Hostel Avenida, e contratei o serviço por 750 Bs, já incluído o transfer para San Pedro no terceiro dia. Perguntei sobre um bom lugar para tomar café da manhã e a senhora me levou no Snack Nonis na mesma rua, um café da manhã delicioso!! O passeio sai as 10 hs, então vale a pena dar uma volta pela praça durante o tempo livre. E se precisar cambiar tem 3 opções na Av Potosi quase esquina com a Av. Acre (as 3 casas com taxas diferentes, pesquise) Quanto ao passeio eu recomendo mil vezes essa agência (Empexsa :'> ) (http://www.expedicionesempexsa.com" onclick="window.open(this.href);return false;). Não tenho nenhuma reclamação, o guia/condutor foi super querido (Beymar) e tivemos as 4 refeições do dia, deliciosas! Na primeira noite ficamos num hotel de sal maravilhoso e eu me arreguei num quarto de casal sozinha. Na segunda noite foi alojamento bem simples com quarto compartilhado para o grupo todo (6 pessoas). Fique atento em levar contigo 180 Bs para a entrada da Isla Pescado e Laguna Colorada + alguns Bs para banheiros, banho e artesanatos. E leve muita água e alguns petiscos para comer tbm, entre as refeições. Ao contratar o serviço vc pode pedir para ver a lista de quem já fechou com eles e saber com quem vc vai ficar os 3 dias. Tive a sorte de ir com 3 canadenses da minha idade e um casal mais velho de espanhóis super bacanas. Bom que eles falavam inglês e a comunicação ficou bem mais fácil entre o grupo, além de eu estar super faceira de colocar meu inglês em prática tbm. Então os 3 dias de Salar foram perfeitos, passeio Sensacional!!! Chegando em San Pedro (uma hora a mais, por volta das 12h), fui procurar albergue. Como não tinha um certo ainda, pedi para o motorista do transfer me indicar algum. Ele me disse que afastado do centro era mais barato. E passamos em uns 3 diferentes para eu ver se tinha lugar e ver o preço. San Pedro é um ovo de cidade, então mesmo afastado do centro é perto para ir a pé mesmo . Acabei ficando no Hostel Candelaria na Calle Carmen, próximo ao cemitério, por 8.000 $. Quarto compartido de 6 pessoas, mas dei sorte de ficar sozinha. Banheiro compartilhado e uma cozinha completa a disposição, o que é vantagem no Chile, onde as coisas são mais caras. Fui para o centro da cidade para almoçar, fechar o passeio para o dia seguinte para o Vale da Morte e da Lua e comprar a passagem para Arica (Turbus na Calle Lincancabur, paguei 21.000 $). Almocei na Calle Tocopilla, no restaurante Sol, muito bom por 6.000 $. Isso pq me indicaram quando pedi um restaurante bom e barato. O passeio eu fechei na empresa Corvatsch na mesma rua do restaurante (http://www.corvatschchile.cl" onclick="window.open(this.href);return false;), por 8.000 $ mais 2.000 $ de entrada no parque. O preço não varia muito de agência para agência e todas partem no mesmo horário. Depois de tudo acertado, dei umas voltas pela cidade e fui comprar umas coisinhas para preparar a janta e o café da manhã (No final da Calle Caracoles ou Lincancabur vc vai encontrar uns mercadinhos onde tudo é mais barato). O passeio para o Vale da Morte parte as 16:00 e retorna as 19:30, ou seja, se atrasar o retorno é arriscado perder o ônibus para Arica (20:30) . Então deixe bem claro para a agência que vc precisa retornar antes das 20 hs e pergunte se rola vc deixar a mochila lá para vc pegar na volta. Ou para não correr esse risco, aconselho tentar fechar o passeio assim que chegar em San Pedro, para o mesmo dia. Vc vai estar meio cansado do Uyuni, mas vai ter o dia seguinte inteiro para descansar.
  13. Olá mochileiros!! Segue meu relato sobre meu primeiro mochilão (sozinha), para Bolívia, Chile e Peru!! No início fiquei meio insegura de ir sozinha, mas digo que ficar sozinha é praticamente impossível. Conheci muita gente bacana no caminho Primeiramente obrigada a todos as pessoas que postaram relatos aqui, os quais que me ajudaram e muito!!! Meu roteiro foi o seguinte: Dia Origem - Destino 1º São Paulo - Santa Cruz - Sucre 2º Sucre - Potosi - Uyuni 3º Uyuni 4º Uyuni 5º Uyuni – San Pedro 6º San Pedro – Arica 7º Arica - Tacna - Arequipa 8º Arequipa 9º Arequipa 10º Arequipa - Ica 11º Ica 12º Ica – Cusco 13º Cusco 14º Cusco 15º Cusco 16º Cusco – Águas Calientes 17º Machu Picchu 18º Águas Calientes – Cusco – Puno 19º Puno 20º Puno – Copacabana 21º Copacabana 22º Copacabana – La Paz 23º La Paz 24º La Paz 25º La Paz 26º La Paz – Santa Cruz 27º Santa Cruz – São Paulo Resumindo, quase td foi perfeito, tirando alguns perrengues (intoxicação alimentar ), frustrações (não vi o condor ) e alguns imprevistos básicos , que vou relatando por partes. Mas o que realmente é pra guardar, são as lembranças das paisagens e vivências inesquecíveis de uma das melhores viagens da minha vida! 1º dia - São Paulo - Santa Cruz - Sucre Meu vôo foi de SP à Sta Cruz com conexão em Assuncion. Cheguei no aeroporto de Sta Cruz às 13:00 h (-1 h). Peguei o ônibus em frente para ir pra Estação Bimodal. Atenção pra se informar com o motorista pq vc troca de ônibus (desce em algum lugar do centro e pega outro). Sai tipo uns 5 Bs no máx, muito mais barato do que de táxi (50 Bs), mas não é confortável pois o ônibus é minúsculo e a mochila atrapalha a entrada e saída de outros passageiros... kkkk. Fiz câmbio no terminal (o mais barato, aproveite). Para ir pra Sucre paguei 70 Bs com a empresa Mopar mais 3 bs de uso do terminal (parte às 16:30 h). Na Bolívia vc tem que pagar o direito de Uso do Terminal que vou abreviar como UT daqui pra frente. No terminal os caras ficam indo atrás de vc e te levam para comprar a passagem com eles, mas ignore e escolha sua empresa com calma. A estrada para Sucre é horripilante!! Passa por um trecho assustador sem asfalto , parece que vc está andando dentro de uma pedreira. Uma dica é dormir somente quando escurecer que é qndo começa esse trecho ruim. Antes disso tbm tem uma outra parte da estrada assustadora. Apesar de asfaltada é cheia de curvas e o ônibus fica o tempo todo tentando podar os caminhões nestas curvas . Para manter a tranquilidade muito Ravi Shankar no mp3... kkk Devido ao estado da estrada não acredito que tenham ônibus bons para Sucre. Esse da Mopar apesar das indicações aqui do site, achei um ônibus meio podrão. E se eu disser que entraram com uma galinha no ônibus estarei exagerando, mas entraram com uma caixa de pintinhos e um cachorro!!! Haha NÃO esqueça de levar algo para comer durante a viagem. O ônibus faz uma parada para a janta, mas vc não encontra nd descente para comer.
  14. Olá pessoal, segue um breve relato sobre minha viagem para Pirenópolis. Eu e minha amiga saímos de carro de Brasilia numa terça-feira (02/10) e sem roteiro definido. No 1º dia chegamos por volta das 13 horas na cidade e almoçamos no Restaurante Central ao lado da Igreja Matriz. Comida gostosa, buffet variado e por quilo, e o preço bem bacana (não lembro ao certo o valor mais saiu super barato, o que nos levou a almoçar lá nos dois dias). Após almoçar seguimos para o Centro de Atendimento ao Turista (CAT), para saber um pouco mais dos atrativos e pegar informação de guias e campings. Dali, resolvemos ir para a Reserva do Abade a 17 km do centro. Chegamos com o horário meio apertado lá, mas o tempo foi suficiente para conhecer todo o trajeto. Lá há duas opções de trilhas uma curta por R$ 15 e uma longa por R$ 30 por pessoa. Recomendo a trilha longa. A estrutura é super legal com trilhas e pontes suspensas, mas super bem planejado o que não polui visualmente o local. Ao retornar para a cidade, ficamos no camping beija-flor ao lado da Igreja do Bonfim. Detalhe: esquecemos a bomba do nosso colchão de ar, mas o Seu Osvaldo proprietário do camping foi super atencioso, e improvisou o cano de um compressor de ar e resolveu nosso problema!! Recomendo o camping, de estrutura bacana e apenas R$ 15 a diária. Fomos jantar no restaurante Trilha Zen (recomendadíssimo), quase em frente ao CAT. Com deliciosas opções de crepes e o preço acessível. No 2º dia acordamos e fomos atrás de uma padoca para tomar café da manhã (tem umas perto da rua dos bancos), depois na Agência Morro Alto se informar sobre a Cidade de Pedra, onde fomos super bem atendidas. Logo após fomos para a Fazenda Bom Sucesso (5 km), algumas cachoeiras de águas cristalinas com a taxa de R$ 12 por pessoa. Não achamos grande coisa, mas para um passeio de meio dia para tomar uns banhos de cachu vale a pena. Chegamos meio tarde na cidade, almoçamos e fizemos uma tentativa de chegar no Vale Dourado, apesar de nos avisarem que não era aberto para visitação, pois era uma antiga comunidade alternativa e tal. Na sorte, conseguimos um contato e uma companhia que nos levou até lá. Fomos jantar no Trilha Zen novamente. Neste dia, ligamos pra um guia da Tilapias Tur para agendar o passeio para o Parque dos Pirineus no dia seguinte (conseguimos o telefone dele no CAT, pois a agência estava fechada). Cristiano era o guia e recomendo para os mais interessados em Botânica, ele conhece muita coisa. No 3º dia fomos ao Parque dos Pirineus. O diária do guia era de R$ 100. Apesar de ter sido bem legal ir com ele, pois contou histórias legais e nos passou muitas informações sobre o local, é um passeio que acredito que possa ser feito tranquilamente sem guia. Pois ele nos levou numas cachoeiras meio escondidas que não eram tão bonitas e o acesso ao parque (objetivo do passeio) foi bem tranquilo, no qual só subimos o morro da capelinha com um visu irado. Se a ideia é dar uma conferida no Parque, acho que vale a pena tentar um acesso sem guia mesmo. Na volta para a cidade comemos novamente no Trilha Zen (viciamos nos crepes deliciosos, kkk) e pegamos a estrada para ir embora. Nossa ideia era ter ido para a Cidade de Pedra, mas desistimos pq nessa época o passeio não é muito indicado pois o local fica muito seco (além de não ter água no percurso) e também falaram que o acesso de carro simples é bem complicado. As cachoeiras do Rosário e dos Dragões ficaram na vontade, pois foi muito indicado pelas pessoas com quem conversamos (fica a dica). No mais é isso!! Abraços!
×
×
  • Criar Novo...