Ir para conteúdo

Jonathan Marques

Membros
  • Total de itens

    33
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

10 Boa

1 Seguidor

Sobre Jonathan Marques

  • Data de Nascimento 27-04-1982

Últimos Visitantes

735 visualizações
  1. Olá @gabiipm ... pergunta difícil porque depende do estilo que você procura. É sua primeira vez na Grécia? Se for é impossível tirar Mykonos e Santorini, visite-as! Das outras duas eu prefiro Paros, é mais meu estilo, mas as praias e os cenários mais bonitos estão em Milos. Paros tem a vila de Naoussa, que é um charme, e a praia de lagueri (uma das melhores para naturismo que já conheci), Milos por outro lado tem aqueles cenários de filme, praias de "mármore" (Sarakiniko) e moinhos no alto da montanha ...um must para postar no insta! hahah Santorini é linda mas é dispensável um repeteco. Mykonos é festa vale ir várias vezes. Abraços e obrigado!
  2. Olá Fabiano. Peloponeso é gigantesco... Quero deixar uma viagem completa só pra ele. Rhodes é a próxima. Estou planejando uma viagem pelo dodecaneso... De Karpathos a Rhodes, Cós e Samos, mas vai ficar pra 2019. Esse ano peguei férias em novembro, nem rola o Mediterrâneo.
  3. Wander. Setembro é o canal pras praias na Europa. Finalizando meu post sobre Creta, tão incrível quanto as cyclades. Abraços e obrigado!
  4. Olá Debalves. Estou finalizando meu post sobre uma parte de Creta que conheci agora nesse fim de verão europeu. Depois dá uma passadinha lá!!!
  5. Olá Mochileiros! Taí meu relato por um dos lugares mais cuti cuti que eu já tive o prazer de conhecer - O norte da ilha de Creta. A viagem foi feita por casal na faixa dos 30-35, sem pressa, com objetivo de relaxar e com o mote "conforto e preço baixo". Eu me apaixonei pela Grécia desde minha primeira visita e prometi voltar a cada dois anos. Dito e feito, aproveitei uma brecha de um viagem entre Barcelona e Paris pra me mandar pro paraíso. Resumindo o que eu vi: areia, marzão, boa comida, humildade, honestidade, cheirinho de buganvílias e barulho de cigarras. Se eu fosse você botava Marisa Monte cantando Vilarejo e nem leria mais este post..., "Vem andar e voa! Sobre Creta: Primeiramente esqueça a Grécia cheia de casinhas brancas, o negócio aqui é uma ilha com influência da arquitetura veneziana e otomana, de um lugar que gerou a civilização ocidental há 5 mil anos, da terra de Ícaro, do Minotauro.... É pisar lá e cai sobre você a origem do homem europeu, da escrita, da navegação comercial, das artes... Creta é imensa e eu acho que levaria uma vida para conhecer tudo, então decidi focar em um raio curto nos arredores da linda Chania. Apesar das distâncias entre as cidades e as principais praias serem pequenas, as estradas que cortam a ilhas são montanhosas e cheias de curvas, o que leva um trajeto curto, as vezes de 30 km, demorar hora para ser feito. Fiz um roteiro bem completo pelo oeste da ilha, totalmente factível e contendo os principais destinos, mas quando cheguei lá percebi que isso exigiria disciplina, esforço e várias horas dentro de um carro...Desisti! Correr pra que? Importante: Você vai precisar alugar um carro e nem pense em fugir disso. PRIMEIROS DIAS: Cheguei via Heráclito em voo da Vuelling saindo de Barcelona de madrugada (para pagar pouco). Saí do aeroporto e fui para o hotel crente que haveria um quarto e possibilidade de um early check-in.... Inocência. Tudo ocupado ao final de setembro. O jeito foi ir dormir na praça pensando nela!! Ahhh PARA! Que nada! Heráclito dá um pé na bunda dos turistas e mantem seus bares repletos de homens gregos sensuais...ops. Enfim... Repleto de moradores que curtiram a noite até o amanhecer e precisam agora se alimentar em lanchonetes arrumadinhas na pracinha principal abertas convenientemente as 5 da manhã. Voltando ao hotel me arrumaram um quarto emergencial só para dormir (amo a hospitalidade grega) até que o meu reservado ficasse limpo e pronto. Esse hotel maravilhoso e com um café da manhã incrível se chama, acredite, IBIS. Tem como não amar um lugar que transforma um IBIS num 5 estrelas? Com um dia inteiro livre visitamos o museu de história (IMPERDÍVEL) e a linda fortaleza veneziana no porto. No mais um passeio pela cidade, muito vinho e peixe frito! OHHH vida Ruim!! Na manhã seguintes após o café, alugamos o carro e partimos rumo ao Cnossos, um sítio arqueológico fabuloso que irá complementar sua ida ao museu. (Eu gosto muito de história e por isso recomendo que contrate um guia para que possa obter detalhes que enriqueçam muito uma viagem, mas se isso foge do orçamento o ideal é que busque informações no Wikipédia ou em livros sobre o sitio que irá visitar). O ingresso do museu dá direito a entrar no sítio. O palácio minoano é próximo ao centro de Heráclito e chegar lá é muito fácil pois tem boa sinalização. Também há transporte público saindo ao lado do museu para lá. Mesmo com guia você não deve gastar mais que 2 horas para visitar o sítio. Chegue cedo, o sol é implacável e sobrando tempo, o ideal é esticar depois para uma praia. IMPORTANTE:. Ao chegar no Cnosso há dois estacionamentos, o primeiro é pago e o segundo é público, entre no que estão estacionados os ônibus de viagem. Praia!!! A primeira escolhida é segredão e não está nos guias: Bem vindos a Sarantari Beach! Um paraíso com acesso fácil facilidades ao redor e pertinho de Heráclito, pra todos os públicos. Tem a parte naturista separadinha por um paredão, tem a parte "vestida", tem parte gay naturista... enfim todo mundo aproveita. Descobri esse lugar procurando por praias de naturismo. Em geral essas são praias de acesso mais complicado o que significa pouca muvuca, beleza rara e limpeza. Sarantari não é tão vazia, por conta do acesso e dos Resorts que existem ao redor, mas é tão bonita, limpa e tranquila que tenho certeza que vai agradar. IMPORTANTE: Apesar da praia ser localizada em uma via de fácil acesso, o Google e seu maps nos botaram em uma bela enrascada. Ele pediu para virar em uma rua sem saída. Com uma placa enorme de sem saída!!! Com duas roseiras Gigantes quase tampando a estradinha, sem marca de pneu e nenhuma alma viva!. Você provavelmente vai obedecer a placa... mas eu...ah... ah eu tava de férias da racionalidade também! Na Grécia muitas praias são com acesso assim, difícil, e você entra em ruas bem estreitas e de terra, pequenas trilhas que em parte são feitas a p... dito e feito, seguimos e coloquei o carro num areal, atolado, beirando um precipício. É de chorar!!! Foi um dos piores sufocos que já passei na minha vida, não conseguia retornar, perdi uma horinha do dia ali... mas deu tudo certo e chegamos aqui: Hora de ir para Chania. Aproveite a boa estrada e a vista das montanhas para o mar. No caminho tem uns postos de gasolina com mirantes tipo esse: Em Chania dividi minha estadia em dois hotéis. O primeiro foi o Royal Sun que fica no alto de uma colina com vista para a cidade, uma formosura só e de quebra vem com um restaurante pra lá de coisas deliciosas, gigantescas e baratas. O segundo foi o charmosíssimo Porto Veneziano Hotel com mesinhas de café da manhã na beirada d’agua, é de ajoelhar e agradecer tanta coisa boa na vida! Olha a vista do hotel no alto da colina!! TERCEIRO DIA A primeira parada foi a praia de Macherida. que também é naturista e (que chato) é linda, muito linda. MAIS UMA QUE VOCÊ NÃO ENCONTRA NOS GUIAS! IMPORTANTE: Macherida é bem pequenininha, são dois nacos de areia fofa. Chegar cedo é fundamental. Também é antes do almoço, com o sol quase a pino, que o mar ganha uma cor de saltar os olhos. Não há árvores então vá com proteção contra o sol ou aproveite só o tempo necessário. Eu fiquei umas duas horas e foi suficiente. Voltei depois outro dia mas no período da tarde, hora do pôr-do-sol. Foi perfeito também, coloquei os fones e minha playlist da Nina e da Ella, abracei meu amor e ...fomos embora logo depois pq o pessoal curte fazer cruising neste lugar a tardezinha e nós somos meninos bons! Veja!!! Macherida sendo linda e logo abaixo minha já tradicional foto de bumbum! (Por essa nem o Hulk em Thor Ragnarok esperava #chupaHulk) De lá, no fim da manhã, seguimos para Stravos, a praia do Zorba, o Grego! Tem barraquinha, tem cadeira para alugar e tem aquele marzão estonteante. Adorei!!! De quebra teve um peixe pescado na hora e grelhado que comi em um dos restaurantes do local. Ficamos até tarde e resolvemos seguir para o mosteiro de Moni Gouverneto, um local singelo e de muita paz. Tudo pertinho. IMPORTANTE. Esse mosteiro tem uma trilha de alguns quilômetros que leva você ao KATHOLIKO MONASTERY, uma ruína a lá Indiana Jones, linda pra fotos. E se você continuar a trilha por mais alguns quilômetros vai parar no mar. Vi fotos incríveis do local mas não consegui finalizar a trilha. Conto: Como fui para o mosteiro no finzinho da tarde, quando cheguei nas ruínas do Templo Perdido a luz do dia já estava escassa. A trilha toda é íngreme e cheia de degraus, fiquei com receio de chegar na praia e ter que voltar a noite, no breu. Então retornei. (Viu como me tornei um cara comedido? Hahahha) QUARTO DIA Passeio Épico: Hora de fazer a trilha do Cânion de Samaria, Samaria Gorge, 18 km montanha abaixo, um passeio de dia inteiro. A cara da lua florestal de Endor, só que sem os Ewoks. (derrrrr) Não é necessário (tem transporte público entre Chania e a entrada do parque), mas é barato e muito mais prático contratar um tour. Explico: O vale fica a cerca de uma hora de Chania e é bom chegar cedo pois um trecho da caminhada é feito sob o sol. Em geral as empresas que fazem esse passeio te pegam de madrugada no hotel e o deixam bem no início do dia no parque (custou cerca de EU$ 20,00 o que contratei – DICA: pergunte antes o horário que a empresa passa e garanta que eles cheguem no parque assim que o mesmo for aberto). Samaria é um parque nacional e a entrada não está inclusa no tour (salvo a empresa lhe diga o contrário), se não me engano custa EU$ 5,00. (O ticket da entrada precisa ser guardado até que a trilha seja toda completa, pois há uma portaria no início e no fim do passeio que confere o ingresso). O tempo do percurso é relativo, eu gastei cerca de 4 horas.... Ao final você ainda caminha mais 2 km até a vila de Agia Roumeli para pegar um ferry que te levará até Sougia (a vila de onde saem os ônibus de excursão ou o transporte público para Chania) O ferry custa EU$ 10,00 e na época que fui só tinha no horário das 17:00. É tempo suficiente pra relaxar na praia do local ou fazer uma boa refeição. Atenção aos restaurantes em Agia, na entrada da vila, os preços costumam ser bem salgados. Não se preocupe com água, você está em um lugar que a neve derrete lá em cima e vem fresquinha e limpinha correndo leve e saltitante por toda sua volta enquanto caminha. Há paradas estratégicas também para você fumar, comer, ir ao banheiro... Como saímos de madrugada nosso hotel preparou uma cestinha de café da manhã para comermos no caminho, com frutas, ovos, yorgute, leite... – tem como não amar ? . Voltamos para o hotel já era mais de nove da noite. Acabados e sujos, mas encantados com a experiência. QUINTO DIA A ideia era esticar até a fantástica praia de Elafonisi e sua mais que incrível e pouco conhecida vizinha: kedrodasos. Ambas nas listas eternas das mais bonitas praias da Europa. #SQN Preferimos curtir a manhã no hotel e fazer o check out com calma já que nos últimos dias ficaríamos hospedados no centrinho de Chania. E que centrinho!!! Coisa mais linda de meu Deuzo. Um Charme só, apaixonante!!! Tem bairro turco com direito a minarete e restaurantes de comida típica instalados, alguns em antigas casas de banho outros em becos com pátios internos... Kra, um show! SEXTO DIA Creta não é Creta sem o cartão-postal Balos Beach. Acho que as fotos mais abaixo explicam tudo. #semfiltro A praia fica a cerca de uma hora e meia ou mais de Chania. Tem que ir cedo porque, como todo cartão postal, lota de turistas...O problema não é a praia, que é enorme e cabe todo mundo, mas o estacionamento e a estrada até lá. Fui cedinho, voltei quando já estava lotando. Tem que pagar EU$ 1,00 na entrada do parque. A estrada é pura terra e por vezes estreita, mas a vista é sempre sensacional, e é só ter cuidado e prestar atenção. Ahhh, não pode levar guarda-sol e não há árvores por lá também. Tem uma parte da estrada que o GPS te manda para um lado e o fluxo de veículos segue por outro, mas nesse caso tudo bem!!! Eu ouvi um AMÉM??? Seguindo os carros vc passa dentro de um vilarejinho, com dois caras, um numa ponta e o outro na outra, controlando quem entra e quem saí, devido as ruas estreitas. Na volta pare no vilarejo e sente-se num dos restaurantes.... Que delícia de vida! O pasto cheio de carneirinhos, os pés de frutas, os flamboyants, o pessoal trabalhando na roça... Confesso que nesse dia eu me peguei chorando. Chorei emocionado com a simplicidade dos moradores que me convidaram a sentar à mesa e tomar um Raki (bebida típica digestivo – a cachacinha deles); com a comida servida no restaurante, praticamente tudo produzido ali; pelo lugar lindo, simples e com frutas a vontade para o visitante; com o mar que se descortinava no fundo, e pela praia que eu acabará de conhecer. Deveríamos ter seguido até Falasarna Beach, mas eu já estava tão grato, tão pleno de tudo o que é bom que me dei por satisfeito, agradeci a Deus pela oportunidade e voltei para Chania. Aproveitei o tempinho para ir ao museu (pequenininho e charmoso), e para andar de bicicleta pela cidade, comprar umas lembrancinhas...Enfim, comer, rezar e amar! ONDE COMER!!! O segredo da vida para passar dos 100 anos! Refeições é algo muito particular em uma viagem. Depende do orçamento, de restrições alimentares, etc. Mas segue uma lista de lugares onde fiz minhas refeições. A maioria foi indicação de um guia frommers da Grécia, antigo, que eu tinha aqui em casa, outros foram na sorte mesmo (É... ou tive sorte ou aquele povo cozinha bem pra kct!) Não sei se vocês já pesquisaram, mas Creta é um dos lugares do mundo onde mais se vive (é uma das “blue zones”) e parte dessa “culpa” é da dieta de seus habitantes. Mais ou menos assim: Pescados, carnes vermelhas com parcimônia, muito legume, muito azeite e lácteos de ovelha e cabra com moderação exagerada...:-D Fora tudo isso de bom, comer lá é bem mais barato que qualquer lugar em São Paulo. Você encontra pratos de polvo (poooolvo, grandão e com vários tentáculos no prato) por cerca de EU$ 12,00... pensa: Uma perninha dele aqui em sampa custa no mínimo R$ 70,00 – gente, é a picanha dos mares!!!! Não vi foi muitos lugares servindo o Meze (uma refeição com vários pratos em pequenas porções), como é comum encontrar em Athenas ou nas Cyclades. Então segue a lista de restaurantes por cidades: Em Chania: Portes Restaurant, Apostolis (pescados e frutos do mar) // The well of tuk e o Tamam (comida turca, farta e deliciosa) // Kritamon (local – peça pela porção com carnes e aperitivos, é enorme e alimenta três pessoas tranquilamente) e o restaurante do hotel Royal Sun! Em Balos, na vila que falei: Gramboussa restaurant (comida local) Em Heraklio: Hippocampos Foi isso! EFHARISTO POLI!
  6. Ola Bruno. Sempre fecho com a Mondial/Allianz ... Já precisei usar a parte médica e fui atendido rapidamente e de forma fácil pela empresa. Não recomendo de maneira alguma o Itaú. Certa vez fui usar e deu o maior problema e dor de cabeça... e ainda assim no fim não deu certo...Resumo, ganhei um processo $$ quando voltei mas podia ter morrido sem assistência médica.
  7. Marcando a kefalonia na listinha de sonhos. Amo a Grécia...Toca o sininho de férias e eu penso... Grécia. Esse ano indo pra Creta!!! Parabéns pelos relatos mega completos (quem precisa de Lonely planet com isso!? Hehhe). Curioso pra ler sua impressão sobre Paros.
  8. Estou acompanhando este fórum pois vou a Paris no fim de setembro. Sobre sua dúvida, o que é temperado? Em maio vc pode até pegar noites frias, mas tô falando de 6-8 graus em média é isso na Alemanha e França. As médias são maiores. Espanha e Grécia maio dá até praia... Claro q não falo de 30-40 graus, mas temperaturas amenas...Malharia básica é suficiente. Uma dica, se tiver com receio do frio compre umas camisas térmicas (são leves e fáceis de carregar) e leve na mão um casaco de pluma. Talvez por maior precaução colocaria um moleton bem leve. Já passei mais de 30 dias na Europa em pleno meados de outono só com isso... Tudo numa mala de bordo. Não se esqueça q vc encontra facilmente lavanderias automáticas, principalmente na Espanha... Em 30 minutos e alguns euros na máquina sua roupa saí limpinha e seca. E tem a Zara também em tudo quanto é canto (menos nas ilhas gregas- amém) e em maio elas estão repletas de coleção dá meia estação, e os preços são bem bacanas. Se for para áreas de neve, tipo topo de montanha, vc pode alugar roupa apropriada também. Enfim. Malas grandes só vão cansa-los nos trajetos de transporte público. Outra coisa... Praticamente todos os hotéis e maioria dos albergues... Assim como parte dos ap's do Air&NB tem toalha. Produtos de higiene pra levar dentro da aeronave também tem limite no volume é tipo de embalagem. Entao, se atenha a isso. Falei demais!!! [emoji1] [emoji1] Estamos na mesma situação. Eu e minha esposa. Mas nosso passeio é em maio/2018. Vamos fazer um tour por Espanha, França, Italia, Alemanha e Grécia. 12 cidades. A maioria dos deslocamentos por Low Cost. Não sei até onde é considerado bagagem de mão. Mas estou pensando em levar 1 conjunto completo para frio extremo, sendo que tirando um pouco de roupa serve para frio moderado e clima temperado. E 5 conjuntos para calor. Ir de tênis confortável para caminhar e levar um sapato para ocasiões especiais. 1 toalha de banho para os 2 e produtos de higiene. Só. Estou desesperado kkk
  9. Olá Mochileiros. Segue mais um relato em retribuição ao site e seus usuários pelas dicas valiosas que sempre me ajudam nas andanças por aí. Escolhi a cidade de Salamanca na Espanha para intercâmbio de 30 dias por três motivos: pela reputação das escolas de espanhol local, pelo preço muito inferior às demais cidades e pela história do lugar. Houve pontos positivos e negativos que tentarei expor, mas o resultado final foi uma viagem enriquecedora, muito estudo e história para contar. Salamanca é uma cidade universitária, não por acaso a universidade mais antiga da Europa está lá, e tudo roda em torno disso. Se não me engano dos cerca de 200 mil habitantes mais de 40% são estudantes. Por ser muito antiga a cidade também tem um belo conjunto de patrimônios históricos que, reunidos a uma curta distância da sua praça central, formam um cenário deslumbrante. É sem dúvida uma das cidades mais lindas e apaixonantes do mundo. Para chegar a Salamanca não há mistério. De Madri pode-se usar o trem da Renfe ou o ônibus. Preferi sempre o trem pela pontualidade, preço (desde que comprado os bilhetes com antecedência) e conforto. Se não for passar uns dias em Madri, ao desembarcar em Barajas compre um bilhete de trem (DE TREM E NÃO DE METRÔ) e siga direto para a estação Chamartin. De lá há várias saídas por dia para Salamanca. De Barajas à Chamartin há uma linha de trem no terminal 4 que saí praticamente a cada 30 minutos. Ficando em Madri, o meio mais fácil para de se locomover na cidade é a gigantesca malha metroviária. Compre passes pelo conjunto de dias que ficar...Em geral comprar o bilhete individual ou somente o diário pode sair mais caro. A capital espanhola é muito legal e merece uns 3 ou 4 dias. Procure nos sites dos museus locais quais dias ou horários são com visitas gratuitas, isso vai ajuda-los a economizar um pouco. Há estações de metrô em dois terminais do aeroporto de Barajas. Mas voltando a Salamanca... Da capital até a cidade dourada no mais rápido dos trens são cerca de 1h:30. Ao descer na estação há opção de linhas de ônibus ou taxi. Transporte: O sistema de transporte coletivo não é extenso, são poucas linhas, mas que atendem bem a necessidade. Salamanca é uma cidade “peatonal”, feita para caminhar, e mesmo ficando em bairros mais distantes do centro, de nenhum ponto da cidade, você gastará mais de 30 minutos andando para chegar na praça central. Taxi: Assim que chegar na cidade pegue o número do rádio taxi local. Não há Urbe ou aplicativo de transporte compartilhado. Em geral você vai usar taxi apenas para a sair da estação ou voltar a ela (e com malas pesadas), fora isso seus pés serão seu principal meio de transporte. Mais sobre a cidade: O local é super, hiper, mega seguro e super, hiper, mega limpo. Há inúmeras atrações, de visitas as igrejas, museus e parques, até vinícolas nos arredores. Minha dica e passeio mais bonito que fiz foi subir nas torres da Clerecía no fim de tarde. O pôr do sol refletindo a luz sobre as pedras douradas é algo que nunca mais vou esquecer. Eu fiquei 30 dias e não conheci a cidade toda. E olha que gosto de andar. A noite é uma loucura. Primeiro porque a cidade recebe uma iluminação especial e fica ainda mais linda, segundo porque abre-se uma infinidade de bares de tapas e bodegas. De segunda a segunda o movimento não para. Quando falo noite falo em duas etapas, primeiros os bares que ficam cheios após as 21 e até meia noite…depois as dezenas de casas noturnas que começam a ficar cheias após as 3:00 da manhã. A noite em Salamanca é longa e segundo os locais não é boa se terminar antes das 07 da manhã do dia seguinte. Rola festas todos os dias, de chupiterias (casas de doses – cuidado com o DIABLO VERDE ) à jazz sessions em clubes de aparência duvidosa, mas extremamente seguros e calorosos, você encontra de tudo um pouco na noite Salmantina. Em geral, ao redor da Plaza Mayor ficam os bares e danceterias voltados aos estrangeiros, na Gran Via estão lugares mais comuns aos universitários locais e saindo do centro na Calle Van Dyck há bares e baladas com frequência pelos dos moradores. Dica 1: El Minutejo, um barzinho de tapas e caña muito barato e muito bom na calle Van Dyck. Dica 2: Se seu negócio é vinho recomendo a Bodega Cuzco próximo a Plaza Mayor que tem uma variedade de garrafas locais servidas em taças. Sobre a escola. A Enforex é uma escola muito bem recomendada, o que reflete na quantidade de alunos que ela recebe toda semana. Há gente do mundo todo e as aulas são muito participativas e dentro do possível animadas. Há também cursos extras que envolvem ensino da cultura local e passeios pela cidade. Sobre a acomodação A acomodação foi o que mais me incomodou. Escolhi um apartamento compartilhado, ciente que não haveria opção de alterar os colegas de alojamento e com esperança de aprofundar a experiência praticando espanhol com outros estrangeiros. Porém, quando cheguei no local todas as meninas que moravam no apartamento não faziam parte da escola, estavam lá por causa da faculdade, e não faziam a mínima questão de falar espanhol... Também achei complicado a diferença de idade entre nós. Não que eu seja um velho ranzinza, longe disso..., mas aos 34 anos já não dá para chegar em casa todo dia e conviver com bagunça e fumaça de maconha. Tá, sou chato. Mas estava em outra vibe e penso que a escola podia ter avisado sobre a possibilidade de todos os outros moradores do apartamento terem 18 anos e não necessariamente estarem cursando espanhol. Ou que pelo menos a STB (que me vendeu o pacote) fosse mais criteriosa nesse sentido...é básico se você trabalha com um público variado saber que incompatibilidades existem. Além do apartamento imundo, quando cheguei as roupas de camas estavam sujas e com mal cheiro. Avisei a escola, mas levaram dois dias para resolver. Também não havia aquecedor funcionando quando cheguei. Foram algumas semanas até que ele passou a funcionar de forma incipiente. Pelo valor que paguei teria eu mesmo alugado um apartamento mobiliado muito bom na cidade e sem necessidade de dividir com alguém. Foram cerca de EU$ 800,00 euros pela hospedagem em quarto individual com banheiro, porém em Salamanca o aluguel médio de um apartamento é cerca de EU$ 400,00. Da próxima alugo apartamento. Algumas informações a mais Não se preocupe com roupas sujas. Há lavanderias pela cidade e são muito baratas. Academias também. Procure uma próxima e se matricule, os valores não são elevados. Também há boa oferta de supermercados e rotisserias. Salamanca em outubro já é bem fria...piora em novembro e dezembro. Também são meses de muita chuva. Segundo o pessoal da cidade no verão o calor é infernal e em janeiro pode até nevar. De Salamanca para outros lugares. Salamanca não é nenhum hub de trens. Então basicamente você terá as opções: Madrid, Valladolid e Lisboa. De ônibus também é possível chegar à O Porto. Menos de 4 horas de viagem. Para Lisboa o trem saí as 01:00 A.M e leva em torno de 5 horas para chegar à capital portuguesa. Com conexão em Valladolid é possível acessar de trem Bilbao e até mesmo Barcelona. Para Barcelona aconselho ver promoção nas cias aéreas com saída de Madri ou Valladolid, é mais rápido e barato. Se ainda assim optar pelo trem saiba que serão longas 8 ou mais horas de viagem e com transbordos. Acredito que coloquei aqui o que é mais importante. Meu objetivo é dar ao menos uma ideia do que esperar da cidade à um futuro intercambista. Quando procurei informações no mochileiros.com encontrei pouca coisa. Mas é isso, não tem mistério e de resto é só curtir essa linda cidade! Hasta Luego y Buena Sorte!
  10. Olá Pablo. Não precisa preocupar. Nunca fui parado em imigração... O procedimento de desembarque é super tranquilo em Portugal, vc vai passar pelo controle de passaporte e eles vão apenas e as vezes questionar seu tempo na Europa. Em todo caso leve em mãos o voucher do seguro saúde e os comprovantes de hospedagens. Fica de boa!
  11. Olá Du. 20 dias e com países dos mais diferentes e longes...não sei. Ainda mais se for usar ônibus... Na minha humilde opinião escolheria dois, no máximo três países. Lisboa é linda, é cool e demanda uns 3 dias sozinha...de lá pra Madrid vc pode ir de trem. Há um que sai no fim da noite e chega em Madrid no dia seguinte (é o mais barato...na promo uns EU$ 30). No caminho desse trem tem uma cidade linda chamada Salamanca, e eu n perderia por nada ela. Mais uns dois dias. Madrid também nao da pra fazer em menos de 3 dias...De lá o melhor é avião mesmo para Paris via alguma cia aérea de baixo preço... só recomendo q vc na hora de comprar a passagem veja sobre as taxas extras para bagagem. Fora isso ainda na Espanha tem a imperdível Barcelona... Ou Bilbao, ou São Sebastian...ou Valência...enfim Paris vai mais uns 4 dias... Eu pensaria muito bem antes de tanto destino em tão pouco tempo. Vc vai correr o risco de gastar uma grana alta com transporte e ver muito pouco ou quase nada de tudo. Muito melhor mesmo é mergulhar na cultura de determinado local. #ficaadica Abraços.
  12. Oiii. Estou com as mesmas dúvidas. E então? fez a viagem? como foi a parte sobre visitar o deserto? Abraços!
  13. Muito bom seu relato! Parabéns... quase um Lonely planet...hahaha! Ajudou muito a planejar minha ida ao Marrocos. Obrigado
  14. As passagens comprei parte em pontos parte em dinheiro, somando hotel, alimentação, locação de carro e todos os centavos... Tudo em planilha foi de EU$ 3498,00 o casal. Com média de EU$ 25 por refeição.
×
×
  • Criar Novo...