Ir para conteúdo

namags

Colaboradores
  • Total de itens

    76
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que namags postou

  1. KRABI Antes de iniciar falando como foram os dias, gostaria de dizer que foi desafiante escolher qual parte do litoral conhecer!! rs li sobre muitos lugares e como fazia pra chegar, e seguindo a dica de uma amiga que foi umas duas vezes para a Tailândia, optei por Krabi ao Nang pelo fácil acesso a algumas praias e ilhas que queria conhecer. Ficamos hospedadas em Krabi Ao Nang e depois as meninas conseguiram um bom preço na hospedagem e passaram uma noite em Phi Phi. Outro motivo foi que Phuket era mais badalada e não era o que eu procurava. Falei com elas e toparam. Outra questão foi pensar no fato de que ir pra Railay tinha que entrar na agua com a mala… confesso deu fadiga no primeiro momento quando li, mas quem se hospedou por lá amou e acho que encaro quando voltar um dia hahahahahaah Gostaria de ter ido a Full Moon, mas a data não bateu com a viagem. Chegamos em Krabi em torno das 18h e logo que pegamos as bagagens já vimos os guichês de taxi e van. Por estarmos em 3, optamos pelo taxi, que até Krabi Ao Nang sairia 600bahts no total e seria mais rápido. Já de Van, o valor por pessoa era de 150 bahts, e demoraria de acordo com as paradas nos hotéis para deixar a galera. Ficamos hospedadas no Krabi Heritage.. preço bom sem café da manhã. Caso quiséssemos, acho que era 300 bahts por pessoa (comida thai e um pouco de americana). O hotel fica praticamente na rua principal de Ao Nang cheia de comércios, 7eleven e restaurantes. No dia seguinte fomos passar o dia em Railay. É um passeio que não necessita de pressa para chegar, pois são 15 min de Ao Nang tanto a parte West quanto a East são pequenas e conhecê-las depende da maré. Em Ao Nang tem uma cambine que vende os ticktes e fica aberta até às 18h e cobra preço fixo para algumas praias. Após às 18h, você tem que negociar com o dono do barco. Acho que para ir pagamos 100bahts cada. Descemos em na West e como estava vazia, caminhamos até a East por uma trilha entre os hotéis. Chegando vimos que a maré estava bem alta e não dava pra fazer nada. Resolvemos então caminhar até Phra Nang, onde fica as rochas para escalar e o a caverna da princesa, local que tem vários objetos fálicos rs (é uma reverência dos Pescadores a uma princesa e pedido de boa viagem). Apesar da maré alta, lá tinha mais areia e ficamos lá curtindo a praia. Voltamos para a West para almoçar e a maré ja tinha baixado, facilitando o acesso. O tempo não estava bonito neste dia e pegamos um pouco de chuva. Almoçamos em um restaurante a de frente a praia. O cardápio é meio que padrão e um pouquinho mais caro do que Ao Nang, mas muito mais barato do que em SP. Esperamos a chuva passar e caminhamos um pouco pela praia e numa ruazinha que tem feirinha e uns bares, e como não daria pra ver o famoso pôr do sol, voltamos para Ao Nang.. negociamos o valor com o dono do barco..acho que 100 bahts pra cada porque erámos em 15 pessoas e voltamos para hotel e ficamos na piscina. Na mesma noite fechamos o passeio para as 4 ilhas (Phra Nang ...aquela mesma da escalada, Chicken Island, Poda Island e Tupi Island). A empresa é a mesma em todos os guichês turísticos, o que diferencia é a forma de negociação e valor. Pesquisei algumas agências e a que mais me interessou foi uma na rua que eu entendia o que a menina falava e percebia a honestidade dela explicando o passeio. Falei com as meninas e optamos pelo speed boat com refeição inclusa por 1000 bahts cada. Conhecemos outros brasileiros que fizeram esse passeio contratando um barco particular. Não sei dizer o valor, mas também é uma opção. Uma dica importante: levem ou comprem bolsa impermeável. Eles vem vendem lá acho que de 350 a 900 bahts. Eu comprei uns saquinhos impermeáveis na decathlon e as meninas compraram as mochilas em uma loja de mergulho em Ao Nang. É um pouco mais caro do que outras lojas, mas sabíamos que de qualidade. Lá tem tbm as capinhas pra celular. São coisas interessantes porque entramos e saímos dos barcos diversas vezes e todo cuidado é importante. Ahhh outra coisa, a Mi chegou em Krabi neste dia, pegou a Van do aeroporto e combinei de encontrar com ela onde pega os barcos para Railay, pois ela ia direto pra lá. A van deixou ela em outro porto de Ao Nang e queriam cobrar 1000 bahts pra Railay. Pedi pra ela voltar e encontrar comigo. Depois vimos que eles cobravam o mesmo valor, e seria dividido se tivesse mais pessoas, pois segundo eles não compensa levar pagando menos do que isso. Momento desespero sobre o que fazer...ainda bem que durou pouco, pois logo depois chegou um casal que ia para o mesmo lugar e eles conseguiram dividir o barco. No dia seguinte fomos ao passeio... gente.. imagina um mundo de chineses e indianos no mesmo lugar correndo pra chegar logo nos barcos... sem necessidade, claro... apenas observamos, esperamos todos subirem nos barcos e aí depois subimos rs. Primeiros paramos em Phra Nang e como já conhecíamos, optamos por caminhar pelo lado East, já que no dia anterior não foi possível devido a maré. Assim como descrito em outros relatos, houve uma desenfreada construções de hotéis por ali e não tem banco de areia, apenas uma calçada que separa a agua dos hotéis ou bares da região. De lá íamos para Chicken Island, mas como a maré estava alta, fotografamos do barco e não conseguimos descer e fomos para outro lugar nadar com snorkel. Eles tinham e emprestaram, mas recomendo levar o seu caso tenha (não podemos contar com a higienização e as pessoas colocam a boca). O legal que pra mim foi quando comecei a sentir e ver a beleza do litoral! E senti mais ainda quando fomos mergulhar em Tupi Island, pois tinha sol e dava mais brilho aquele lindo mar! Ficamos um pouco por lá e por fim fomos almoçar em Poda Island. O pessoal do barco que serviu a comida e era gostosa! Depois ficamos algumas horas na linha descansando e admirando o mar! O lugar estava cheio de turistas, mas possível de fotografar tranquilamente. Voltamos do passeio e partiu piscina rs. No hotel a Nar conheceu um casal de uma brasileira Dani e o namorado boliviano Carlos que moravam na europa. Casal SUPER SIMPATICO e coincidentemente nos encontramos no jantar em um dos restaurantes de Ao Nang e foram pessoas incríveis que tivemos o prazer de conhecer. Nesta noite as meninas decidiram que no dia seguinte iriam passar o dia e dormir em Phi Phi e fazer o passeio por lá. Eu optei em ficar em Ao Nang e fazer o passeio para a praia do Jame Bond. Paguei 1000 bahts com tudo incluso no mesmo lugar que fechamos os das 4 ilhas. Como foi chegar até a praia do James Bond... uma vam me buscou no hotel e viajamos por 1,5h até um porto. De lá subimos num speed boat e 30 min depois chegamos na praia... confesso que achei que era mais perto hahahahaahah Assim, foi legal e interessante, mas não tem nada lá hahahaahahhaha apenas a famosa pedra e uma placa falando que lá foi gravado uma cena do filme! Tem uma feirinha de artesanatos etc... mas não comprem nada lá, pois é bem caro! Como eu prefiro fazer esse passeio do que mergulhar, achei uma boa escolha, mas quem prefere o mergulho e tem que escolher, faça o mergulho. De lá, fomos para uma balsa que quem pagou a mais andou de caiaque por umas pedras. É bem bacana, mas eu não quis fazer porque não é algo que me agrada (fico super enjoada). Ahh, outra coisa, a água não é clara e verde como no litoral e o que mais é mais incrível são os paredões de pedra no caminho. Almoçamos num restaurante flutuante no trajeto. É feito para turistas e fomos bem servidos. Após o almoço e um breve descanso, voltamos para o porto e de carro conhecemos um templo com Buda reclinado e na entrada dele tinha vários macacos que podíamos alimentá-los. Por fim, fomos a uma cachoeira, mas ninguém quis entrar e voltamos para Ao Nang. Foi um passeio legal, com a guia super gente boa, atenciosa e falava inglês. Tinha poucas pessoas nele e aproveitamos bem. Cheguei a tempo de ver o pôr do sol e encontrei o casal Dani e Carlos na praia. Ficamos apreciando o belo momento bebendo cerveja rs e combinamos de nos encontrar mais tarde para jantar. Aproveitei para fechar o passeio para Phi Phi na mesma empresa por 1000 bahts speed boat e comprar lembrancinhas. No jantar, conheci outras brasileiras super legais que ficaram a maior parte da viagem em Phi Phi. Todos esses passeios saia entre 8, 8:30 do hotel.. só o primeiro que atrasou um pouco..mas nada que prejudicasse. O objetivo para fazer esse passeio era conhecer Maya Bay, onde foi gravado filme A Praia. Eu sabia que estaria no meio de muitos turistas e caso quisesse ir num momento mais tranquilo, a melhor opção seria ficar em Phi Phi ou barco particular. Por incrível que pareça, apesar do barco ter muitos chineses e indianos novamente, havia bem menos barcos neste passeio. Inicialmente gostei muito do passeio, pois o nosso guia nos levou para duas praias desertas e que não estavam no roteiro. Depois passamos pela Caverna Viking, mergulhamos num local ao redor de uns paredões incríveis! O dia estava lindo e o mar sensacional! AÍ COMEÇOU MINHA IRRITAÇÃO. Lembrando que o meu objetivo e os das pessoas do passeio era Maya Bay.. estávamos indo pra lá quando o guia perguntou quem estava com fome e meia dúzia respondeu que sim e ao invés dele parar na praia nem que fosse por 5 min, ele deu meia volta e não descemos! Nossa, comecei a brigar com ele no barco na frente de todo mundo! Depois o barco parou no porto dePhi Phi para almoçarmos e por fim ficamos um tempão em Babmboo Island tomando sol! O lugar é lindo, sensacional e incrível, mas eu tava muito brava por não ter feito o passeio que esperei e programei. Como estava sozinha, não conseguia compartilhar minha raiva com as pessoas. Chegando em Ao Nang, conversei com a moça da empresa que me vendeu o passeio. Ela se desculpou, pois também esperava que ele parasse em Maya Bay e o guia justificou pelas pessoas estarem com fome. Eu entendo isso, mas poderia ter parado por 5 min! No final ela ressarciu parte do passeio. As meninas que ficaram em Phi Phi pegaram um barco particular por um ótimo preço (não lembro, mas vou perguntar) e fizeram o passeio de manhã tranquilamente. Passeios feitos e lugares lindos conhecidos, partiu Camboja! Só pra informar que fechamos um taxi no hotel por 400 ou 500bahts e em 20 minutos chegamos ao Aeroporto rs Nosso voo era o primeiro, às 7h da manhã, com conexão em Bangkok e a tarde para Siem Reap.
  2. Chiang Mai Retornando ao relato!! Chegamos na cidade à noite e fomos direto para o hotel. Ficamos no Wangburapa, localizado no quadrilátero central da cidade. Este quadrilátero tem 1,5km2 e é cercado por ruinas de uma muralha. Recomendo esse hotel pelo tamanho do quarto, custo e localização para transporte. Ele tem o típico café da manhã Thai, mas tem pão de forma, café, suco e ovo. Optamos por ficar nesta região por indicação de uma amiga que foi e achou mais seguro. Não sentimos inseguras lá, mas percebemos que os bares e o Night Market fecham às 23h e depois disso não tinha muito movimento nas ruas. Nossa idéia em Chiang Mai era conhecer o Templo Doi Suthep, Chedi Luang, passar o dia com os elefantes e passeio para Chiang Rai. No dia seguinte, fomos a uma agencia que passamos para fazer o passeio ao Doi Suthep. Como chegamos no final da manhã, não tinha mais passeio para aquele dia e a guia nos ofereceu um motorista particular para nos levar ao templo. Gostamos da ideia e fechamos por 400 bahts pra cada. Na hora ela disse que não precisaríamos pagar maios nada, mas chegando lá tivemos que pagar a entrada de30bahts cada. Durante o percurso, o motorista falou sobre a cidade e paramos num mirante para fotografar a cidade. Chegamos no templo e combinamos com o motorista ficar 1,5h por lá. Se pudesse, acho que teria ficado mais um pouco para conhecer ao redor. Subimos os 300 degraus tranquilamente (com pausas para fotos rs), mas tem elevador também! O templo em si é pequeno, mas achei tão lindo que o tempo passou voando. O momento mais legal e importante pra mim foi quando recebi a benção de um monge budista! Assim como no Buda Reclinado e Buda de Esmeralda, eu senti uma tranquilidade absurda e feliz por estar lá e vivenciar tudo isso! Foram momentos cheios de paz de espirito! Voltando pra cidade, almoçamos em um dos shopping que tem lá e depois fomos fechar o passeio dos elefantes. Lendo muitos relatos, vi que a maioria dos passeios não me agradava, já que eu não queria andar no elefante e sabia que muitos sofrem maus tratos para agradarem os turistas. As meninas também tinham essa idéia e a Déa pegou a indicação de um amigo que foi no Dumbo Elephant Spa. Fomos até a agencia deles que fica dentro da muralha e o guia foi super receptivo e explicou que lá nós respeitamos o tempo dos animais e cuidados deles. Gostamos da programação do dia inteiro e fechamos com ele para o dia seguinte por 2200 bahts cada. Outra opção neste estilo é o Elephants Natural Park. Aproveitamos que ainda estávamos no horário, fomos conhecer o Chedi Luang que deu pra chegar tranquilamente a pé do agência e era próximo ao hotel (15 min a pé). Ao lado dele tem outro templo que entramos pra conhecer. Lá tinha alguns monges limpando o local e apareceu um pai com dois filhos com a cabeça recém raspada pelos monges. A Nar e a Déa que viram a cena do pai ter que escolher um dos meninos para ficarem com o Monges e foi visível a cara de chateação do escolhido. Tivemos a sensação que é muito comum alguém da família ser Monge. Pesquisarei mais sobre isso e informo vocês. Fomos para o Chedi Luang e antes acompanhamos uma missa budista. Foi bem emocionante presenciar isso, mesmo não entendendo o que estavam falando. O templo era lindo, todo dourado e as pessoas sentadas no chão rezando mostrou um lugar calmo e leve. Aproveitamos o pôr do sol para apreciar o Chedi Luang. Você faz um 360graus ao redor dele e cada lado da uma visão diferente do templo. Achei bem interessante. Saímos quando o local estava fechando. Voltando para o hotel, pausa para a beer rs e nesta mesma noite a Nar e eu fomos conhecer o Night Market. É uma rua cheia de ambulantes que vendem de tudo e com melhores preços.. se negociar muito. Optamos ir táxi/ônibus do hotel até o night e saiu 20 bahts pra cada. Pausa para o táxi/ônibus...a maioria dos taxis de lá são caminhonetes vermelhas cobertas na caçamba. Se você é a primeira pessoa a entrar com ela vazia, você negocia o valor e local com o taxista. Assim que outras pessoas param, elas sobem se o local delas for no caminho do seu. Muitos motoristas não falam inglês e usam calculadoras pra negociar. Falando parece complicado, mas não é rs É tipo um Uber comunitário hahahahaaha Voltando ao Night Market... além das barracas, tem vários galpões de artesanatos muito bonitos, alimentação e casas de câmbio. Achamos a cotação de la ótima e umas das melhores da viagem. Aproveitamos e trocamos o dinheiro pra Krabi la. Fizemos algumas comprinhas e voltamos para o hotel. No dia seguinte, o guia nos buscou no hotel de caminhonete e ao todo fomos em 8 pessoas para o Dumbo. O local é meio longinho.,..1,5h de Chiang Mai. Chegando conhecemos os 4 lindos e fofos elefantes.. 2 elefantas e seus 2 filhotes. Tem o um macho, o Dumbo, mas ele estava em outro lugar (não lembro onde). Passamos a manhã alimentando os elefantes com frutas. Enquanto alimentava-os, os guias fotografavam (incluso no pacote), mas podíamos usar o celular. É importante lembrar que eles passam as coisas certas para levarmos no dia. Como estava muito quente, os cuidadores levaram os elefantes para a sombra e fomos almoçar. O local é bem simples e a comida cozinhada lá estava muito gostosa. Quem cozinhou foi uma irmã de um dos guias e era um amor de simpatia. Outra coisa bem simples é o banheiro.. a maioria dos banheiros tailandeses é no chão e você tem que agachar. A descarga é você jogar agua do balde com caneca. Nenhum tinha papel higiênico (so nos hotéis) e alguns tinha chuveirinho. Depois do descanso, fomos brincar na lama com eles e após muita sujeira, tomamos banho de rio juntos com os elefantes. Neste momento é importante o desapego! Mesmo os cuidadores tomando cuidado para isso não acontecer, os elefantes podem fazer o número 2 ao nosso lado hahahahahaha Antes de partimos, a Nar deixou as papetes dela pra jogar fora, mas a cozinheira gostou e pegou pra ela muito emocionada e agradecida. No trajeto até o Dumbo, o guia parou na casa da irmã (a cozinheira) para pegar uma bola e vimos como o local era humilde.. depois que voltamos pra Chiang Mai, que pensamos que poderíamos ter ajudado com outras doações pra ela, tipo alimentos. Ela e a equipe foram tão legais que pensamos em agradecer de outra forma, mas não conseguimos nos organizar... Voltando pra Chiang Mai, falei com a Mi que também estava na cidade e combinamos de nós 4 irmos para Chiang Rai juntas de excursão. Fechamos no mesmo lugar do Dumbo por 900 Bahts com Chiang Rai e as mulheres Girafas inclusos. Caso quiséssemos fazer aquele passeio do barco para o triangulo dourado, sairia 1200 Bahts. Tem a opção de ir por conta de ônibus, mas fechamos com guia por ser mais cômodo. Concluímos que o passeio para Chiang Rai serve pra por teu sono em dia hahahahahahaha Eita lugar longe!! Acho que foram quase 3 horas de van até Chiang Rai. Lá vimos o templo branco que é LINDO principalmente por fora! Dentro não pode fotografar e tem que usar roupas cobertas. Ficamos uns 40 minutos, tempo adequado, e fomos para o passeio de barco. Acho que éramos em 12 na van e nós optamos em não fazer, por não achar graça. A guia então sugeriu para que ficássemos vendo as barracas de artesanatos que tem ao lado do deck. Resolvemos parar no bar para tomar cerveja enquanto esperávamos o pessoal. De lá almoçamos num restaurante que todas as excursões juntas. O almoço estava incluso, só refrigerante e cerveja que não (a maioria dos passeios são assim). Mais uma hora de estrada chegamos na tribo das mulheres girafas. Pensei muitooo antes de fazer esse passeio, pois li relato que era só turístico e não achava adequado. Levando em consideração que a Tailandia usa tudo para fazer turismo, este não seria diferente. Confesso que foi o lugar que mais me chocou em toda a viagem. Sabemos que elas são refugiadas do Miamar e como o governo Tailandês não assumem elas como cidadãs, elas acabam vivendo do turismo. Mas o que incomodou foi a forma que a guia as tratavas, parecendo um objeto. A guia explicou sobre o pescoço, que na verdade é um ferro que vai passando pelo pescoço e para de crescer aos 25 anos. Na verdade o pescoço não cresce, mas a musculatura do ombro e pescoço que afunda na clavícula. Como já estávamos irritadas com a guia por outros motivos, aquilo so aumentou. Mas ok..ela deve ter os motivos ou foi ensinada pra ser assim.. sei lá...Depois da explicação, ela deu 20 minutos para conhecermos a vila delas. É um terreno amplo que é cercado de barrcas de artesanatos, feio alguns por elas e outros revendidos. Conhecemos e conversamos com algumas e a que mais chamou atenção foi uma menina de 13 anos. Um amorzinho de simpatia e delicadeza e o mais incrível... ela falava inglês e espanhol fluente que aprendeu com os turistas!! Essa menina é uma gênia! Ficamos encantadas com ela e uma das meninas perguntou o que al gostaria de ser e a menina disse “não sei expressar em inglês, mas é ser como vocês”. MEU DEUS! A vontade era levar a menina pra casa! Uma lição de vida incrível! Pensando no nosso País, que não está fácil, esquecemos que temos algo muito importante.. a liberdade! Foi um belo tapa na cara pra acordar! Voltamos para Chiang Mai.. depois de algumas horas de viagem rs De lá jantamos no Night Market e paramos no bar para a despedida da Mi. Tentaríamos nos encontrar em Krabi, mas não deu muito certo. No dia seguinte nos organizamos para ir a Krabi. A caminhote até o aeroporto deu 40 bahts por pessoa e fica super perto do hotel. Chiang Mai foi muito legal em conhecer, uma cidade grande com aspecto interiorana e com as pessoas mais receptivas.
  3. Olá Paulera! não precisei colocar no passaporte. Eu imprimi duas cópias e mostrei junto com o passaporte quando cheguei na Imigração. eles pedem para levar duas copias e sugerem colar no passaporte. o Visto é valido para 1 entrada e dura 3 meses. obrigada
  4. SUKHOTHAI Confesso que tem poucas informações sobre Sukhothai em blogs/sites brasileiros.. Mas uma coisa que todos que foram falaram e concordo.. Vale a pena conhecer! A nossa idéia foi pegar um ônibus de Bangkok (Mo Chit Northen Bus Terminal) pra Sukhothai, passar o dia lá e a tarde pegar outro ônibus pra Chiang Mai. A ideia deu certo, mas com alguns poréns.... vou explicar: Quando estávamos na rodoviária de Bangkok falamos que íamos conhecer as ruínas da cidade histórica. O que planejamos foi descer na rodoviária umas 4h a 5h da manhã, guardar as malas lá , tomar café e ir para o passeio por conta (o sítio abre às 6h). Eles falaram que era pra descermos no terminal rodoviário antigo, mas eu tinha lido que era pra descermos na rodoviária NOVA. Como achamos que eles sabiam, fomos na deles... ERRO! Na verdade não foi erro, erro... mas é que o terminal antigo é na cidade antiga de Sukhothai (o Novo fica uns 15 a 20min de carro) e é um botecão. Este terminal antigo é ideal se você vai ficar hospedado por lá, porque aí você já vai para o hotel. Como não era o nosso caso, precisaríamos voltar para o terminal novo pra fazer o que planejamos. Lembrando que era 4h da manhã, 3 mulheres sozinhas num local desconhecido e escuro! Gente! DO NADA apareceu um cara de tuk tuk oferecendo transporte! Ele cobrou 200bahts para as três para nos levar até o terminal Novo... um anjo na nossa vida!! Chegando no terminal, estava tudo fechado e os caras do tuk tuk enchendo o saco para levarmos ao parque histórico! Explicamos que antes precisávamos nos organizar e guardar a mala, aí eles pararam de encher. Li em algum site que tinha guarda volume no terminal novo, mas adivinha? Não tinha hahahahahaha Resolvi perguntar onde tinha e um cara do posto de informações turísticas disse que tinha no parque. Ok.. vamos para o parque! Pegamos um "ônibus"... caminhão com assentos, cada uma pagou acho que 30 bahts. Chegamos no parque e perguntamos pelo guarda volume e... NÃO TINHA!! a moça sugeriu que guardássemos no posto Policial (uma Guarita de Madeira). A Nar levou uns cadeados power e guardamos nossas malas lá. Pagamos 100 bahts no primeiro parque .... são três parques e cada entrada custa 100 bahts. Como era 7h da manhã, ele estava vazio e tiramos várias fotos sem turistas... mas na verdade ele não é cheio.. durante o dia vimos poucos turistas. Andamos por cerca de 1h, 1,5h por lá, paramos pra beber algo lá dentro e andamos por mais 1h. Neste parque fica o Wat Maha That , onde tem diversos Budas conservados, e o Wa Phra Phai Luang, de origem Hinduísta. Talvez pelo horário e pelo dia (Segunda feira) o local estava praticamente vazio. É um lugar muito gostoso de conhecer e admirar as belas construções. Pesquisando na internet, descobri que Sukhothai foi o primeiro reino da Tailândia, onde se determinou o Budismo como religião oficial. Durante a caminhada vimos mais pessoas de tuk tuk do que a pé... e como estava muito quente, mas muitoooo quente, entendemos porque os caras lá do terminal novo nos ofereceram tuk tuk para o parque.. ao invés de caminharmos, eles nos levariam de tuk tuk (negociado, claro) Mas tudo bem...estávamos cansadas, resolvemos pegar um tuk tuk para conhecer mais outro parque (dos 3 optamos ir em 2). Nesta caso, o transporte foi importante, pois apesarem de serem próximos no mapa, é uma boa caminhada e não compensaria. Um cara do Tuk tuk ofereceu 200bahts pra ir e voltar...como estávamos tbm de saco cheio de negociações, topamos na hora. O cara ficou tão assustado por termos aceitado o valor dele, que ele resolveu faz os dois parques pagando o preço de um. Por um lado foi legal, pois vimos tudo, mas ele foi muito sem noção, pois passava de tuk tuk ao lados das ruinas sem dó! Muitos locais estão preservados, mas se eles fazem o turismo desta forma, o lugar não vai durar! Conhecemos o Wat Si Chun, o templo com Buda sentado e mão dourada (cheio de folhas douradas) e o Wat Sorosak, templo dos elefantes. foto assim que subimos no tuktuk Outra opção de conhecer o parque é alugar uma bicicleta. Confesso que não lembro o valor, acho que 50bahts. Os locais de locação ficam em frente a entrada do primeiro parque. Fizemos os outros dois parques, voltamos para almoçar por lá mesmo (a comida é barata.. mas levem trocado porque a galera não aceitou nota alta e brigou com a gente). Na volta pegamos aquele mesmo ônibus caminhão para o terminal novo para ir a Chiang Mai. Pagamos 207bahts a passagem pra Chiang Mai com 6h de viagem. Chegamos minutos depois que o ônibus primeira classe tinha partido. e a única opção foi a segunda classe.... adequada em relação a relatos que vi rs Resumo: vale a pena Sukhothai sem pressa e por um dia! Já li que tem gente que faz bate volta de avião ou ônibus por Bangkok. Outra opção é dormir por lá uma noite pra ter onde deixar suas mochilas ou malas e tomar banho. Vi vários hotéis e lugares legais pra comer por lá.
  5. Swadee ka Mochileiros! Neste quarto relato falarei sobre a viagem que fiz recentemente para a Tailândia e Camboja! Comprei minha passagem em fevereiro através de uma promoção pela Qatar. O valor foi de R$ 2700,00 com conexão em Doha. Joguei a idéia da viagem aqui e numa página do facebook de companhia pra viajar e conheci a Nar @Narja1000. Logo depois a Dea @AndreaSttar que viajou comigo para a américa do sul em 2013, se animou e juntou a nós. A Nar foi uns dias antes e nos encontrou em Bangkok. Confesso que não queria gastar tanto na viagem. Meu objetivo era menos de 8mil no total..é possivel e não é.... sempre levamos mais dinheiro para imprevistos. Se eu apertasse mais meus gastos de alimentação e transporte pra 50 reais por dia seria possível... deu um pouco a mais, mas nada absurdo. Tudo depende o que vc quer fazer por lá. Levando em consideração que a passagem foi quase 3mil, tem o os voos internos, que podem ser feito de ônibus e as hospedagem. no final foram gastos 3mil em passeios, alimentação e transporte taxi. Não esqueça dos gastos extras, como medicamentos, repelentes, protetor, roupas ou mochila se necessário. Quando estava decidindo os destinos, peguei algumas dicas em sites e de amigos que foram pra lá, e o resultado foi o seguinte: 26/04 saindo de SP - 23:30h depois chegamos em Bangkok. 4 dias cheios em Bangkok 1 dia cheio em Sukhothai 3 dias cheios em Chiang Mai 4 dias cheios em Krabi 2 dias cheios em Siem Reap 1 dia cheio em Bangkok Não considerei os dias de deslocamento como dia cheio. Volta 16 de maio - 30h depois chegamos em SP OBS1: Eu fiz o seguro viagem pela CVC e custou R$ 330. Existem outros tipos de seguros em outros sites, principalmente caso você faça algum esporte radical durante a viagem. OBS2: A Nar e eu levamos dólar em espécie. A Dea levou em espécie e cartão pra sacar nos caixas eletrônicos. Só usei o meu cartão no DutyFree e pagar bagagem da Cia Aérea. OB3: Para a Tailândia vale a pena trocar notas de 50 ou 100USD. Já no Camboja não precisa trocar pela moeda local.. pode usar o dólar. Quando chegarmos lá te explico melhor. OBS4: Na Tailândia o câmbio variou de 1USD -34,43 a 35 Bahts. OBS5: Compramos 3 passagens aéreas pela Tailândia pela Air ASIA: 1- Chiang Mai - Krabi, 2- Krabi - Siem Reap e 3-Siem Reap-Bangkok. Quando pesquisarem os preços, teoricamente esta será a mais barata SE você não tiver bagagem para despachar ou não optar pela refeição. Como é low cost, tudo o que quiser além do vôo é pago. Acabei comprando só as passagens sem as bagagens e me compliquei pra pagar lá na Tailândia no site da Cia Aérea. Fazer uma tabela com as empresas e valores ajuda na hora de planejar. O total aproximado de todas as passagens somando as bagagens foi de R$ 1115,00 OBS6: Levei USD1250,00 para pagar hotéis, passeios e extras (alimentação, transporte pela cidade e lembrancinhas) e deu certinho porque no final da viagem comprei uma câmera fotográfica e várias lembrancinhas. OBS7: A minha média de gastos extras foi de R$ 70,00. É possível esse valor ser menor dependendo do tipo de transporte que usa, o quanto negocia, se almoça e janta em restaurante...pra mim foi o suficiente. OBS8: O total aprox das hospedagens feitas pelo Booking foi de R$1000,00 (valor já incluso no dinheiro que estava levando) para 19 noites. OBS9: fizemos o visto para o Camboja antes e online. Levou 2 dias para ficar pronto e custou USD40. OBS10: em questão de segurança foi bem tranquilo, claro, como brasileiras tomamos muito cuidado com as nossas coisas. Assim como li em outros relatos, só encontrei pessoas pedindo dinheiro no Camboja. O bom de estar com Chip de celular era ver se o caminho correspondia com o do taxista. Em uma corrida pedimos para o motorista nos deixar num lugar e ele nos deixou em outro. Aí olhei no google maps e vi que estávamos próximos, e fomos a pé. Dividirei o Relato por cidades para organizar melhor. BANGKOK Quando a Dea e eu estávamos em Guarulhos conhecemos a Mi. Ela viajaria sozinha e tinha um roteiro semelhante ao nosso. Combinamos de dividir o táxi quando chegássemos em Bangkok. O legal foi que além de dividir o táxi, depois nós 4 fizemos muitos passeios juntas. Chegamos em BKK no inicio da tarde. Obrigatoriamente passamos antes da Imigração pelo posto de controle de saúde (não esquecer de levar o papel da febre amarela) e trocamos 100USD no aeroporto (todas as taxas estavam iguais). Por recomendação, compramos um chip de celular pela dtac por 549 Bahts, válido por 30 dias e com 4,5GB (melhor compra do mundo! Hahahaha) Depois disso, o nosso hotel e o da Mi eram próximos e pegamos um táxi. Funciona assim.. vc pega uma senha que corresponde a um táxi estacionado. Começamos as negociações , sendo que o taxista não falava inglês (muitos só sabem falar os valores, e quando não sabem, usam a calculadora... utilizamos muitas mimicas tbm rs). Vi pelo Google Maps que levaríamos 45 min pra chegar até nosso hotel. O taxista ofereceu 500 Bahts, além de 50Bahts OBRIGATÓRIOS pelo aeroporto e 75Bahts de pedágios... ou seja 625 Bahts. Pedi para usar o taxímetro e no final ficou 150 bahts pra cada uma com tudo. Em Bangkok, conhecemos o Murilo que pra ele compensou os 500bahts, pois ele levou 2,5h pra chegar no mesmo hotel que o nosso. Outra opção é pegar um trem que sai do aeroporto e custa 85bahts e depois um táxi até o seu hotel ou hostel. Eu sei que tem transfer de van da cidade para o aeroporto por 150bahts, mas não vi do aeroporto pra cidade. Dea, Nar e eu ficamos no Rambuttri Village Plaza. Fizemos a reserva pelo Booking e fica numa localização bem turística. Tem a vantagem de ser perto de tudo, mas o taxistas aproveitam pra cobrar mais caro os trechos. A Mi ficou no D Hostel e nos encontrávamos na Khao San Road pra fazer os passeios e refeições. Sobre o Hotel: bom pela localização, preço legal. Não espere muita simpatia das atendentes e vc paga a reserva antes de pegar a chave. Na rua do hotel tem casas de câmbio com cotação melhor do que a do aeroporto. Praticamente um hotel só pra dormir e tomar banho... eles tbm tem piscina.. a galera vai, mas não conheci. Neste mesmo dia experimentei algumas cervejas Tailandesas :'> na Khao San Road. Esta é uma rua de duas quadras mais louca e bagunçada do que a Rua Augusta rs. Durante o dia ficam as barracas de roupas ou lembrancinhas e a noite os bares e as casas de massagens se destacam. Se ficarem por la, recomendo as refeições na rua de trás.. a Ram Buttri. La tem o rest Green Ville (eu acho que é esse nome rs) que é uma delicia e preço ok. Além disso, tem muitas lojas 7eleven que ajudam a economizar no orçamento. As refeições com bebida saiam de 150 a 250 bahts. Por serem ruas turísticas, o preço da bebida e comida era maiores do que em outros lugares. Em relação a famosa comida Tailandesa, realmente ela é bem apimentada! Eu optei por comer aos poucos, intercalando com comida européia (como eles definem). No final da viagem não passei bem e tive uma inflamação por excesso de pimenta. As Dea e a Nar encararam muitas pimentas e ficaram bem! O pato principal da Dea era o PadThai! Ela amou!! Nos restaurantes turisticos a pimenta é mais suave e você pedir para por pouca, mas quando almoçamos num restaurante bem tipico no shopping, sentimos a comida muito mais apimentada. Vimos muitas pessoas comendo Pad Thai na rua, mas não encaramos. No dia seguinte visitamos o Grand Palace, Wat Pho (Buda Reclinado) e Wat Arun! Optamos ir por conta e não por guia. Tem a vantagem de fazer no nosso tempo e conhecer lugares diferentes do turístico, mas se não ler algo sobre os lugares antes, perde o significado de algumas coisas, principalmente estátuas. Eu pedi o orçamento da kduangdara e ela fazia USD 135 por pessoa serviço de Guia em português, templos + grand palace e mercado das flores. Outra coisa importante.. tinha uns caras proximos ao Grand Palace falando que lá estava fechado...não caiam nessa. Grand Palace: entrada 500bahts e muitos Chineses na sua foto rs Lembrando em relação as roupas! Cobrir os ombros e usar calça ou saia abaixo dos joelhos. É possível alugar roupas lá dentro do Grand Palace. É um lugar muito lindo e foi residência do reinado Sião. Na década de 40 o nome do reino foi substituido por Tailândia e logo depois o Rei também se mudou para outra residência. Lá também se encontra o Buda de Esmeralda (não pode fotografar). Acho que chegamos bem na hora dos turistas e estava abarrotado de pessoas! ahhh o Grand Palace não abre em feriado nacional e as 2ª feiras. Pelo mapa o Wat Pho está ao lado do Grand Palace, mas como a entrada do Grand Palace é do outro lado e estava muito quente, optamos por pegar um Tuk Tuk até o Wat Pho... custou 50bahts no total. Wat Pho: entrada 100 bahts! O Buda Reclinado é incrível e dá vontade de ficar horas olhando pra ele! Ele tem 43m de comprimento e 15 metros de altura. É uma referência aos últimos momentos de vida do Buda. Se você tiver tempo, vale a pena andar pelo local. Além da arquitetura e diversas estátuas de Buda, há vários templos lindos e tranquilos.. são ótimos pra meditar! Foi onde mais gostei de Bangkok. De lá, almoçamos num restaurante muito gostoso em frente a entrada do templo e seguimos para o Wat Arun. Pegamos um barco por 3 bahts cada trecho que nos deixou do outro lado do rio onde fica o templo. Apesar da tradução ser o templo do amanhecer, fomos ver o pôr do sol rs Não entramos no templo, apenas ficamos no jardim ao redor. Mas se quiser entrar, a entrada custa 50bahts. Neste mesmo dia a noite resolvemos fazer uma Thai Massage! A Déa já tinha feito uma no dia anterior e adorou! A Mi e eu fizemos uma pra ombros e cabeças por 180 Bahts cada e a Déa e a Nar fizeram reflexologia podal. Fizemos ao lado do nosso Hotel e gostamos muito! Depois fechamos o passeio para o mercado flutuante e o de trem numa agência na Khao San Road por 550 bahts com tudo incluso(barco no mercado, com guia/motorista que mal falava inglês..descobrimos na hora). Acordamos cedo e fomos para o passeio. Os dois passeios ficam ha 1:30h de Bangkok sem trânsito e o motorista dirigindo rápido. Primeira parada foi no mercado flutuante. Paramos num ponto que andamos de barco a motor... gente.. pensa num barquinho que balançava horrores, numa água suja e do nada você uma cobra nadando nesta água? Por este barco chegamos ao mercado e conhecemos um pouco as condições que alguns vivem. Descemos do barco e entramos em outro que era a remo (cuidado nas agências que fecham o passeio e tenham certeza que tudo está incluso. O guia/motorista queria que pagássemos a entrada do barco, mas brigamos falando que já estava pago. Ele ligou para a agência e liberou). Entramos no barco e é realmente uma feira! Tem tanto barracas fora da água, quanto pessoal fazendo comida dentro deles... uma bagunça que todos se entendem. Tiramos fotos e após o passeio ficamos andando pelas barracas e comprando lembrancinhas (na minha opinião algumas lembrancinhas estavam mais baratas do que em Bangkok). De lá fomos para o trem. O esquema é assim... tem uma feira entre os trilhos. Chega no horário, os feirantes organizam as barracas e o trem passa. O legal é ver o trem passar hahahahahah. Aí termina o passeio Se você tiver tempo sobrando vá conhecer, se não tiver, não tem problema hahahahahaha na minha opinião é muito longe pra pouca coisa. Voltamos pra BKK a tarde e a noite fechamos o passeio para Ayutthaya. Cada uma pagou 500bahts com tudo incluso, até refeição. No passeio do barcos conhecemos o Murilo que foi juntos com a gente no Sky Bar tirar fotos, e a meninas beberam uns drinks. De lá, deixamos a Nar no hotel e resolvemos ir a um show de mulheres (maiores info, por inbox rs). Voltando pra Ayutthaya....Quando estávamos fechando o passeio, o cara da agência (fomos em outra na rua do Hotel) disse que o guia falava inglês, mas não poderia esperar muita coisa! Acharia um máximo fazer esse passeio de Bike, mas estava tãããão quente que a melhor coisa era o ar condicionado rs. Chegamos lá e o guia começou a falar um inglês decorado e eu não entendia nada... só sabia que horas tínhamos que nos encontrar porque ele mostrava uma placa com o horário hahaahhahaa Foi um passeio muito legal, com templos e estátuas de Buda lindas. Além disso, fomos na famosa árvore com a cabeça de Buda e no Buda reclinado que foi referência ao de Bangkok. Nesta hora do Buda aconteceu uma coisa bizarra... estava fotografando quando as meninas gritaram pra me avisar que estavam na Van. Eu falei que já ia e continuei fotografando... motorista viu que eu não voltei e pediu para todos que estavam Van saíssem pra ele desligar o carro e só entrar quando eu chegasse! Outra parte bizarra rs.... fomos almoçar num restaurante zoado que os guias levam todos os turistas la. O meu prato estava meio sujo e quando fui limpa-lo, a mulher tacou arroz nele... come o que dá rs E pra nossa alegria, apareceu um rato Como maio é inicio das chuvas... pegamos a primeira chuva da viagem....mas chovia tanto, mas tanto.. que tivemos que esperar pra ir embora e de brinde caiu um raio poucos metros de distância da gente. Terminando toda essa emoção.. chegamos em Bangkok, nos despedimos da Mi, que ia para Siem Reap na manhã do dia seguinte e nós pegaríamos um bus noturno pra Sukhothai no dia seguinte tb. No quarto dia lá optamos por fazer compras no Shopping, e o que faltasse de passeios, a Déa e eu faríamos na volta pra BKK no final da viagem. Fomos no Shopping MBK. Ele tem 5 andares e cada andar é focado em produtos específicos. Compensa muito para comprar eletrônicos, desde que negocie. Compras feitas, voltamos para o hotel e nos organizamos para irmos a rodoviária (200Bahts para as 3). Compramos passagem VIP pra Sukhothai por 360Bahts (8h de bus). VIP porque é mais confortável, tem ar condicionado e banheiro dentro no ônibus.
  6. quanto ta o voo de Atenas a Santorini? essa quantia te deixa bem seguro lá para gastar no que precisa. eu sobrevivi com tudo la por menos de 1000 euros (ferry, hospedagem e gastos la). e qualquer coisa eu tinha cartao de credito. não term quantia certa, leva a que se sentir seguro pra qualquer eventualidade rs vc pretende ir em alta temporada... capaz de nao ter ferrie na hora, principalmente mykonos, assim como hospedagem. por ser alta temporada, eu prefiro garantir tudo e nao ter dor de cabeça na hora abs
  7. oii! obrigada por ler! esse valor foi pra usar la eu reservei hotel e comprei os ferrys antes pela net. como era alta temporada, garanti pra nao ter problema abs
  8. Olá Igor, tudo bem? desculpa pela demora em responder! fico feliz que esteja animado para conhecer a Grécia! quero muito conhecer Cuba! podemos trocar informações depois! Acredito que eu tive sorte com a passagem pq eu tbm comprei em abril e peguei uma promoção da Swiss (2100 com tx) Em relação ao valor que vc pretende levar, é alto, mas depende no que vc gasta. Comia muito bem por 12 euros, mas só fazia uma refeição legal por dia (comprava no mercado e comia lanches). em relação as festas... comprando antes saia mais barato, 25 euros e acho q era 30 ou 40 euros na porta. Até aí ok, mas o que encarece é a bebida (a cerveja nacional deles pode chegar a 7 euros no bar e custa no maximo 2 euros no mercado). o que saiu mais caro pra mim foram os ferrys. os dias de viagens estão otimos e acompanha promoções das passagens! qualquer duvida me avisa
  9. Olá! Mil desculpas a demora! No total eu levei 500 euros e gastei 400 euros em 10 dias espero ter ajudado abs
  10. Olá Jorge, tudo bem? obrigada por ler! não sei te informar se existe ferry de Santorini para Turquia. ... talvez tenha avião desculpa não ajudar muito abs
  11. Ola Juliana! Obrigada por ler!Eu visitaria Creta, Rodes, delos e zaquinto por ler mais sobre. As pessoas recomendaram Paros e Ios. Acho que iria em todas que tivesse algo historico relacionado hahahahaha
  12. SANTORINI E RETORNO A ATENAS Antes de relatar sobre Santorini, quero comentar que fiz os translados para as ilhas de Ferry. Dependendo de onde você compra e o tamanho da sua mala, você não consegue subir com ela. Então a galera deixa na parte mais baixa do ferry e sobe para o respectivo assento. Só que você apenas deixa a mala lá..eles organizam pelo destino final e não tem identificação. Não tive problema com isso, mas já aviso isso para não ficar surpreso. Cheguei em Santorini na hora de almoço e já me encantei com aquele paredão e as casas em cima. O dono do hotel estava lá e me recepcionou super bem. Lá no porto eles tem serviços de transfer, ônibus até Fira, aluguel de carro, restaurante, lembrancinhas etc. Chegando no hotel, o dono me deu um mapa e explicou tudo sobre a ilha. Como teria um dia e meio pra curtir, resolvi selecionar bem pra aproveitar. Tem muitas coisas pra conhecer e fazer lá.. se pudesse ficaria mais um dia tranquilamente rs Eis as informações que ele me passou: As principais praias são a Perissa, Red Beach, Kamari e Perivolos. Há sítios arqueológicos e locais com as antigas construções antes do terremoto: Akrotiri e Pirgos Locais pra conhecer Thira e Oia (Fala Ia) e um passeio pelo vulcão. Há dois passeios para o vulcão: um que custa 18 euros, dura três horas (11-14h ou 14h-17h) e só vai até a ilha do vulcão e volta. outro que custa 23 euros, dura quatro horas (10:45-16:45 ou 11:45 a 17:47) e também passa pela ilha de Thirasia. Naquele dia resolvi conhecer Fira e depois ver o pôr do sol em Ia. Fiquei hospedada a duas quadras do centro do Fira. Vantagem de ficar por lá foi que assim como Mykonos, os ônibus vão para uma só direção e caso você queira ir de uma praia pra outra, ou você paga 5 euros no barco ou volta e pega outro ônibus. As passagens variam de acordo com o lugar, e são de 1,80 a 2,20 euros. O centro comercial de Fira tem poucas quadras mas cheia de lojas. Por alí também achei um mercado pra facilitar a vida, pois não serviam café da manhã com pão no hotel (eles serviam apenas café, frappe, café com leite e vinho por cortesia). Aproveitei e fui almoçar. Lá também tem diversas opções e gostos pra todos. Por indicação de uma amiga, fui conhecer o Naossa, restaurante típico grego. Comi muitooooo bem! Minha conta deu 14 euros com pão, prato principal (uma carne grega com massa)e uma taça de vinho da casa... melhor do que comparada a São Paulo. Depois do almoço continuei minha caminha por Fira! Mas pensa num lugar lindo! Fiquei muito encantada por lá! Peguei o ônibus pra Oia e ver o famoso pôr do sol! Andei um pouco por lá e tudo lindo também! as ruas são estreitas, cheias de subidas e descidas e com uma vista maravilhosa! Achei um canto pra ver o espetáculo e aguardei por 2 horas (ainda bem que sentada)! faltando uns 40 min, a galera começou a chegar e foi uma muvuca louca pra querer espaço (desde que fui a europa pela primeira vez ano passado, sempre achei a galera mal educada.. seja cara de pau também). Assim... realmente o pôr do sol é lindo, ainda mais lá... maaas ainda achei o de Mykonos mais incrível. Pode ter sido o dia ou a época do ano, mas esperava mais... Eu poderia ter ido no dia seguinte, mas como teria que fazer algo semelhante ao dia anterior, fiquei com preguiça e resolvi aproveitar outros lugares. Cheguei no hotel e resolvi tomar a jarra de vinho que ganhei. Estava delicioso, mas pensa em alguém zoada no dia seguinte? Fiquei tão enjoada que nem arrisquei em fazer o passeio de barco até o vulcão. Resolvi conhecer as praias Vermelha e Perissa. Primeiro fui na red beach e achei linda!! Só não curti o jeito de chegar lá, que é passando por várias pedras e com chinelo havaiana foi tenso rs e a areia são pedrinhas.. eu entrei de chinelo, mas se você tiver aquelas sapatilha é uma boa ou encara descalço mesmo hahahaahahahah Socializei um pouco por lá e resolvi voltar para o centro e almoçar. Comi um lanche no centro de Fira e fui pra Perissa, A praia tem areia escura devido as rochas vulcânicas e é muito estranho.. parece que está suja rs Aluguei uma espreguiçadeira por 5 euros e aproveitei a praia. Santorini é conhecida por ser romântica.. sim.. tem vários casais, mas tem muitos grupos de jovens, família, sozinhos etc rs Super recomendo por as construções, formação da ilha são coisas que nunca vi na vida. Uma coisa interessante que ela é apontada como a origem da lenda da cidade perdida de Atlântida. São informações que dão charme ao local. No dia seguinte, levei 6h de ferry pra chegar em Atenas (atrasou e isso que era highspeed). Isso foi quarta, e no domingo seriam as eleições do plebiscito grego. Estava acompanhando algumas noticias sobre a crise e realmente a galera estava em peso nos caixas eletrônicos e pequenas manifestações pacíficas. Até segunda ordem, o metrô estava de graça. Cheguei tranquilamente no Hostel e no meu quarto estava uma menina que viajou para algumas ilhas gregas com a empresa Contiki (excursão com grupo de jovens com bom preço). Jantamos e andamos por Plaka tranquilamente. No dia seguinte antes de ir embora, resolvi passar pelo Parlamento grego e ver como estava a situação... para a minha tristeza só havia turistas assistindo a troca da guarda. Aproveitei e passei no mercado pra comprar chocolates e vinhos gregos. Enfim, está foi minha viagem pela Grécia. Espero que ajude no roteiro e se tiver dúvida é só perguntar. Quero voltar outras vezes pra conhecer mais ilhas. Realmente eu só tive 10 dias pra viajar e não quis conhecer muitos lugares em poucos dias pra não transportar mala e perder um dia de viagem pra isso. Pode ter sido loucura o que fiz em ir neste momento tenso do País... mas também sei que se houvesse greve ou algo tipo, arranjaria algo pra fazer e aproveitar. Obrigada!!
  13. MYKONOS Bom, cheguei aproximadamente na hora do almoço na ilha e fui recebida pelo dono do hotel (esqueci o nome dele). Lembrando.. fiquei no Morfoula's Studio, localizado ao lado do centro de Mykonos (5 min a pé). A vantagem foi que estava ao lado do ponto de ônibus que vai pra para as praias. Ah, muitos hoteis e hostel tem transfer do porto/aeroporto até o hotel. Eu mandei um email pra ele avisando. O dono me deu um mapa de Mykonos e mostrou os pontos principais. Vou relatar os lugares que fui e os que acho que devem ser legais rs No primeiro dia fiquei pelo centro de Mykonos, me perdendo pelas ruazinhas de casas brancas, conhecendo a pequena Veneza deles, os famosos moinhos de vento e fotografando diversas pequenas igrejas de cúpula azul ou bordô. Me recomendaram almoçar no Niko's Taverna e gostei muito! Comida típica grega com um preço um pouquinho a mais do que em Atenas. Mas não se preocupa, há diversos locais para todos os preço no centro. Depois do passeio, fui me informar sobre o deslocamento na ilha! Você pode ir de ônibus municipal, alugar carro, moto ou quadriciclo. Um dos locais o preço do quadriciclo estava 20 euros o dia e quanto mais dias você ficar, mais barato fica. Eu optei por ônibus por o trânsito deles é muito louco hahahahahaha e funciona assim: Os ônibus custam 1,60 euros do centro vão para o aeroporto, porto, a praia de Ornos, Paradise, Super Paradise, Agrari, Plati Gialos, Paragas e outras ali ao redor. Só que se você for para Ornos, você tem que voltar para o centro e pegar o que vai para a Paradise. Não há ônibus entre uma praia e outra. Essa opção é só feita de barco que custa 6 euros. Ahhhhhh para ir pra Super Paradise, o ônibus ida e volta custa 8 euros. No dia seguinte conheci a praia de Ornos. Ela é linda, calma e muito gelada (aliás, todas são). Recomendo se você não ta afim de agito - mais família. Para alugar um guarda sol e espreguiçadeira custou 5 euros. Fiquei o período da manhã lá, voltei para o centro, almocei e fui pra Paradise. Paradise também é linda e beeeeeeem mais movimentada! Lá tinha de tudo: jovens, adultos, idosos, quem quer curtir praia, ou só tirar foto..... Cada ponta da praia tem uma bar com muita música e agito! Fui primeiro no Guapaloca e depois no Tropicana!! A galera piraaaa!!! Depois voltei para hotel e vi o pôr do sol MAIS INCRÍVEL DA MINHA VIDA!!!! E CONFESSO QUE FOI MAIS LINDO DO QUE SANTORINI HAHAHAHAAHAHAH À noite o agito não pára e tem várias festas legais!! Recebi um folder sobre a Cavo Paradise e pra entrar estava 25 euros. Eu não fui, mas indico! rs Na outra manhã conheci Plati Gialos. Ela é estilo Ornos, mas mais movimentada! A espreguiçadeira é um pouco mais cara e como eu não estava afim de gastar com isso, deixei minha mochila na areia mesmo e curti um pouquinho a praia. Voltei e fui pra Super Paradise. Tem gente que gosta e outros não. Falam que a praia é direcionada ao público gls, mas a agrada a todos. Sim, tem um bar gls lá, mas tem o Super Paradise Beach Club que é o bar que as dançarinas ficam nas mesas e os caras piram. Já que você ta em Mykonos, vai conhecer!! Foi a mais linda que conheci de todas. E foi a cerveja mais cara que paguei na vida hahahahahahaahahah Terminei minha noite passeando pelo centro e voltei para o hotel pra arrumar a mala. No dia seguinte o dono do hotel me deixou no porto e a família dele super fofa me deu um pedaço de bolo rs Eu gostei muito da ilha, principalmente das praias. Lá tinha muitos casais e grupo de jovens atrás de diversão!! E realmente é o local que agrada a todos.. só não consegui ir em mais praias. Locais que eu não fui e recomendo: Tem um hostel em Paraga. Eu não fiquei lá porque não gostei das fotos.. é estilo acampamento e as camas são praticamente grudadas... mas nada contra. Conheci uma galera que foi e amou! Festa, bebida, gente jovem, piscina e praia o dia todo! Eu vi muitas fotos da praia de Kalafatis. Se você não alugou nada, tem que pegar um barco no porto velho de mykonos pra ir até lá. Eu não fui porque só tinha três horários e acho q ia ficar muito corrido conhecer. é isso e até Santorini Ja posto Fotos
  14. Me programei ficar dois em Atenas, sendo 1 pra conhecer os locais mais importantes e o museu (seria bem corrido) e outro dia pra ir a Delfos (sugestão das amigas). Mas por erro de atenção da minha parte, perdi o passeio pra Delfos e usei os dois dias pra conhecer Atenas. Vi no site do hostel que eles tinham um day tour por alguns pontos turísticos de Atenas. No final optei por fazer sozinha o tour, mas quem fez gostou muito e recomenda, principalmente pra conhecer mais sobre a história. Acordei cedo pra entrar na Acrópole e não pegar tantos turistas. O sítio abre às 8h até às 17h. O ingresso custa 12 euros e você tem direito de entrar em 6 locais arqueológicos gregos (Ágora Antiga, Acrópole e teatro de Dionísio, Ágora Romana, Kerameikos, Templo de Zeus e Biblioteca de Adriano). Eles são próximos no mapa, mas a área dos locais são grandes, e isso toma tempo. Serei sincera... fica extremamente corrido tentar ir em todos num dia só, mas dá pra fazer.... só se preparar para o sol na sua cabeça, beber muita água (no mercado e achei 0,36 centavos e no hostel por 0,50 centavos a pequena e 1 euro a grande). No intervalo de um local ao outro, aproveitei pra tomar o famoso Frappe de café que tem em todos os lugares (achei chafé hahahaahahahah) e o smoothie de iorgute grego delícia. No primeiro dia eu fiz eu Acrópole e Teatro Dionísio, Templo de Zeus, Estádio Olímpico (5 euros, mas não entrei), Museu da Acrópole (5 euros) e depois comprei lembrancinha em Plaka. Aproveitei e almocei por lá e experimentei a famosa Moussaka e bebi cerveja (12 euros no total). Eu estava com um guia sobre a Grécia e me ajudou a orientar sobre as ruínas na Acrópole, mas não se preocupa, o locais são bem explicativos. AMEI TUDO!! Apesar de boa parte ser apenas ruínas, você não se sente que está na cidade.. acho muito incrível isso de no mesmo local ter o antigo e o novo. Os locais são incríveis e acho sensacional conhecer lugares, ver peças em museus que existem há muitooooos anos! Também tive o prazer em ir pra Londres ano passado e conhecer o British Museum e ver muita coisas da história antiga (muitas peças gregas em estão Londres)! Como perdi o rolê pra Delfos, fui conhecer os outros locais do ingresso. Comecei pela Ágora Antiga que era um centro político e religioso de Atenas e lá possui o templo de Hefesto, o mais integro de Atenas. Além disso, tem um sítio arquelógico, um museu com peças encontradas na Ágora em uma Igreja Bizantina. Depois passei por Kerameikos, mas não entrei (muito quente), Bilbioteca de Adriano (vale a pena entrar pra ver a estátua de Atenas), e Ágora Romana. Esse passeio durou meio dia, e aproveitei pra descansar e à noite conheci uns brasileiros no hostel e saimos pra comer o Gyro, o famoso churrasquinho Grego. (de 2 a 3 euros). No dia seguinte fui para o porto Piraeus pegar o ferry para Mykonos. A viagem de metro levou uns 40 minutos, segui o fluxo das pessoas e cheguei no porto rs e logo na entrada vi o posto da Hellenics Seaways e peguei ticket.
  15. Luiz, o ticket é o mesmo. Só quando vc sai ou vai para o aeroporto que paga 8 euros. Fora isso, o ticket custa 1,60. Mas antes de comprar, observa se tem algum papel escrito sobre se precisa comprar ou nao. Na minha volta para o aeroporto, eles liberaram a catraca. abs
  16. Que legal Luiz!! Você vai adorar! Tentarei agilizar o relato.. é que demora um pouco quando coloca foto rs abs
  17. Olá Mochileiros!! Venho neste meu terceiro relato falar sobre a breve e incrível viagem que fiz à Grécia! Além de gostar de compartilhar experiências, fiquei com um pouco de receio quando resolvi ir, não apenas pelos conflitos econômicos, mas pelo País ter um alfabeto diferente, deslocamento pelas ilhas e por estar sozinha . Quando resolvi tirar férias em junho esqueci de um pequeno detalhe: inicio da alta temporada em muitos lugares ou locais não recomendados pelo clima. Além disso tinha o preço o dólar que não ajudava (continua não ajudando rs) e objetivos de gastos que não poderia ser muito. Confesso que pesquisei diversos roteiros e lugares incríveis, mas desejei muito a Grécia! Sabendo pouco sobre os problemas econômicos de lá, me programei pra levar dinheiro e desencanar de chegar nos lugares caso houvesse alguma greve.. era um risco a assumir. Mas pensei também por ser alta temporada e ter poucas vagas em hoteis e hostels, uma boa chance de ser uma ótima viagem. Pesquisei roteiros aqui no mochileiros em vários sites bacanas de viagens e as dicas foram super úteis! E por incrível que pareça é MUITO fácil se deslocar por lá! Um dos motivos pra relatar a viagem é acrescentar informações técnicas pra quem planeja ir um dia. Foram 10 dias de viagens, sendo 3 noites em Atenas, 3 em Mykonos, 2 em Santorini e 1 noite em Atenas. Passagem: por ser verão europeu, as passagens são mais caras... mas consegui uma promoção da Swiss que facilitou muito a vida! E detalhe.. comprei no final de abril!! Obs: Não existe voo direto do Brasil pra Grécia. As grandes empresas europeias fazem escalas. Com a passagem garantida, fui ver hotel e ferrys! Mykonos e Santorini tem aeroporto e é outra opção de translado. Optei pelo ferry por ser mais barato. Em relação aos ferrys, nos sites http://www.greekferries.gr e http://www.go-ferry.com/, você pode pesquisar diversas empresas que fazem os translados. Algumas delas são a Hellenic Seaways, Sea Jets e Blue Star Ferries. Recomendo comprar no site da própria empresa. Problema que tive na compra dos ferrys Pesquisando no site, vi que pela Blue Star estava com ótimo preço pra econômica, mas meu cartão não passou diversas vezes e quando consegui, eles cobravam uma taxa do ticket absurdamente alta. No final, comprei pela Hellenic Seaways. Ela é mais cara comparada a outras na classe econômica, mas tem a vantagem de ser mais rápida (highspeed) - super vantajoso na volta de Santorini pra Atenas Obs: você tem que retirar os tickets na agência antes de embarcar! Fique tranquilo que são bem localizadas e super rápido! Só esteja com o passaporte em mãos! Ferrys 40 euros Atenas- Porto Piraeus para Mykonos 61 euros de Mykonos pra Santorini 59 euros Santorini para Atenas (Piraeus) Em relação as hospedagens Sabendo que seria verão, já fui atrás de hospedagem. Seguindo sugestões, em Atenas fiquei no Athens Backpackers, Mykonos no Morfoula's Studio e Santorini no Hotel Antonia. Optei por ficar em hotel em Mykonos e Santorini por descansar mais. É mais caro do que hostel, mas nada melhor do que um pouco de privacidade. 93 euros o Hostel em Atenas 135 euros Morfoula's 98 euros Hotel Antonia Por fim, o dinheiro. Li que não é um País caro e devido a crise, resolvi só levar em espécie. Mas também levei cartão de crédito para alguma emergência. No hostel eles não aceitavam mais cartão de crédito, apenas dinheiro pela situação. Em relação a bagagem, inicialmente pensei em ir com a minha mochila de 78l da trilhas e rumos, mas por ser um roteiro tranquilo, optei pela mala. No final a ida foi com 12kg e a volta 17kg (comprei váááários sabonetes de oliva hahahaha). Passagem, hotel, translados e roteiro garantidos.. bora viajar!! Cheguei em Atenas no período da tarde (6h de diferença do Brasil) e resolvi ir de trem e metrô até o hostel. Se você pesquisa pelo Google, ele passará os nomes das estações em grego ... maaaaaas ainda bem que nas estações tem a tradução para o nosso alfabeto! Eles tem poucas linhas de metrô e o deslocamento foi super tranquilo levando uns 40 minutos até a estação Acrópole. A passagem saindo e indo para o aeroporto para qualquer estação de metro custa 8 euros, e o metrô pela cidade custa 1,60 euros. Outra opção é pegar um táxi, mas não sei o valor. Importante: não tem catraca no metrô, você apenas válida o ticket. Teoricamente alguém irá verificar depois, mas não sei se foi pela crise, ninguém conferiu e teve dias que usei o metrô de graça porque eles não estavam cobrando. Uma coisa legal do metrô é que algumas estações tem réplicas de estátuas gregas, objetos encontrados nas escavações... diversos mini museus rs O hostel fica na região de Acrópole, que é dos points turísticos de Atenas! Tem diversas opções de restaurantes nos mais diversos preços e gostos pra todos! Ao lado fica Plaka, uma região cheia de restaurantes e lojas de lembrancinhas. Confesso que a maioria das lojas tem as mesmas coisas, mas vale a pena andar por elas e achar um bom preço! Gostei muito do hostel, principalmente da localização e pela bela vista do Partenon! Conheci diversas pessoas super legais e foi bem animado! A única coisa que não curti foi que o chuveiro que encharcava todo o banheiro.
  18. Olá Rodrigo!! Muito Obrigada pelas atualizações!! As pirâmides são incríveis!! Abs!
  19. Olá urielqueiroz Li suas informações e gostei bastante! Claras e objetivas! pergunta.. por que você nao gostou da localização do Hostel em Bruxelas? Abs
  20. Olá Diego então, eu não sei calcular por dia, mas posso te falar os meus gastos aproximados: Aéreo + Hospedagem Cd do México e Cancun +Seguro viagem + Transfer para o hotel em Cancun = R$ 4000,00 (neste caso, o hotel que pesou mais e foram 13 dias viagem.) Passeios em Cancun (Chichen itza, Senor Frog, Coco Bongo Camarote, Xcaret, Isla Mujeres e Golfinho) = U$440,00 - fechamos pela Agencia Caribe Maya Na minha opinião o que gasta na viagem são os passeios e as compras, pois o sistema All Inclusive compensa o valor gasto na hospedagem. outra dica.. começa pela cidade do México e descansa em Cancun. Vai aproveitar mais do que se fizer Cidade do Mexico depois. Abs!
  21. Olá Diego, tudo bem? Muito obrigada por te lido e gostado do meu relato! foi uma viagem incrível. Quanto a sua pergunta, minhas amigas e eu compramos as passagens e a hospedagem por aqui mesmo, pela agencia, pois assim facilitou a forma de pagamento pra cada uma. Fiquei no Hotel Riu Cancun com o sistema All Inclusive. Quanto aos passeios, pagamos lá mesmo com a empresa Agencia Caribe Maya. Não resolva o hotel por lá mesmo, pois dependendo da época que você for, lota. Outra dica, cuidado com o site booking.com quando reservar, pois tenho amigas que fizeram reserva por ele e esta nao foi computada (muito rolo). Abraços Natalia
  22. é uma boa idéia tbm! quando fui pra Patagônia levei um de nylon da Renner e super ajudou!
  23. Olá Rosana que bom que gostou! então.. fleece e o corta vento eu comprei na Decathlon.. peguei uns R$150,00 o corta vento e R$ 30,00 cada Fleece da Quechua. A mesma jaqueta uns meses depois estava R$99,00.. comprei antes devido ao cartão de crédito, pq não daria tempo de resolver em Santa Cruz.. já que a nossa idéia era chegar o mais rápido possível em Uyuni e tbm não queria me preocupar com isso na viagem. se preferir, recomendo comprar em La Paz.. perguntei para uma amiga que comprou e ela disse que é quase preço dos EUA.. e lá tem outras opções marcas. Na Calle Sagarnaga e na Av Illampu há diversas lojas que vendem essas roupas. Só precisa ver o que vale a pena, pois você passará no Peru primeiro.. e eu passei muito frio a noite em Cusco e em Puno. Você pode comprar um fleece aqui e depois comprar outro la. Espero ter ajudado
  24. Olá Prividal! Se você curte, vale muito a pena! Mas por exemplo, eu acho que a meninas que foram comigo não teriam o perfil desses tipos de passeios... ou sou eu que fico preocupada mesmo hahaahahah
×
×
  • Criar Novo...