Ir para conteúdo

tiagobossi

Membros
  • Total de itens

    4
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Bio

  • Ocupação
    Estudante
  1. Perereka, Valeu a dica. Vou ver o que consigo. Tiago
  2. Amigos, Estou indo para o exterior, mas precisamente para a Flórida, no próximo mês. Gostaria de comprar uma barraca gringa lá. Li todo o tópico e me interessei por TNF Bug 33 3-Season que, segundo o site da fábrica, suporta 2000mm de chuva. Contudo o preço é de US$229,00, o que está fora das minhas pretensões. Vcs saberiam sugerir uma mais em conta, por volta de US$100,00 que seja capaz de suportar uma chuva do cace...? Ou melhor é comprar uma nacional mesmo? Abraço. Tiago
  3. Para quem se interessa em subir o Pico da Bandeira pelo lado mineiro ai vão algumas dicas: Alto Caparaó é uma cidadezinha muito simpática, mas, atenção, não possui banco nem hospital. Posto de gasolina tem. O parque tem uma infra-estrutura muito boa. Para datas mais concorridas vale a pena fazer reserva. Da Tronqueira (último ponto que se alcança de carro) até o pico são nove quilometros. Os primeiros 4.500m são tranquilos, a caminhada é muito bonito, margeando o Vale Encantado. Fiz a caminhada a noite com lua cheia, nem precisamos de lanterna neste primeiro trecho. A metade do caminho é demarcada pelo Terreião. Última área de Camping antes do pico. Possui banheiros e uma casa para quem quiser alugar. Possui tb um posto de vigilância. A segunda metade (do Terreirão ao Pico) é mais difícil, mas nada impossível. Vale a pena guardar forças para os últimos 800m. Esse aí é pedreira, literalmente. Vale a pena chegar imediatamente antes do nascer do sol. Chegar no pico muito cedo não adianta nada e vc vai acabar congelando. Verdade: pegamos tempo nublado (só no final, acabou que não deu para ver o nascer do sol) e lá em cima o frio é de encardir. Só como observação vale dizer que meu gorro, máquina fotográfica e cílios congelaram. Meu rosto ficou coberto por uma fina camada de gelo. E isso pq ficamos lá em cima menos de 20 minutos. Dica: para quem pode o melhor é sair para o Terreirão (metade do caminho) durante o dia, armar barraca e tratar de descansar para alcançar o pico durante a madrugada e ver o nascer do sol. Levem binóculo, pois se o céu tiver limpo, dizem, dá para ver até o litoral do ES. Subir da Tronqueira direto até o pico e voltar no mesmo dia (que foi o que eu fiz) é pesado. Dá para fazer, mas é pesado. Desça devagar ou seus joelhos vão para o espaço. Leve bastante líquido, sanduíches, frutas e barra de cereais. Mas evite subir muito pesado. Cuidado para não exagerar nos agasalhos durante a subida ou seu suor acaba congelando. É importante, sim, levar agasalhos bem quentes para os momentos que vc para de caminhar (principalmente no pico). Durante o dia dá para subir sem guia. Durante a noite, não. Dizem que dá para subir acompanhando apenas as setas, mas vc acaba se perdendo. IMPORTANTÍSSIMO: Nada de banho quente logo após a descida, espere seu corpo se aclimatar primeiro. Senão vc acaba no hospital. No mais, uma boa viagem e leve uma boa máquina fotográfica, as paisagens são deslumbrantes. Lá é maravilhoso. Uma das viagens que vc se lembra para sempre. Tiago.
  4. Para quem se interessa em subir o Pico da Bandeira pelo lado mineiro ai vão algumas dicas: Alto Caparaó é uma cidadezinha muito simpática, mas, atenção, não possui banco nem hospital. Posto de gasolina tem. O parque tem uma infra-estrutura muito boa. Para datas mais concorridas vale a pena fazer reserva. Da Tronqueira (último ponto que se alcança de carro) até o pico são nove quilometros. Os primeiros 4.500m são tranquilos, a caminhada é muito bonito, margeando o Vale Encantado. Fiz a caminhada a noite com lua cheia, nem precisamos de lanterna neste primeiro trecho. A metade do caminho é demarcada pelo Terreião. Última área de Camping antes do pico. Possui banheiros e uma casa para quem quiser alugar. Possui tb um posto de vigilância. A segunda metade (do Terreirão ao Pico) é mais difícil, mas nada impossível. Vale a pena guardar forças para os últimos 800m. Esse aí é pedreira, literalmente. Vale a pena chegar imediatamente antes do nascer do sol. Chegar no pico muito cedo não adianta nada e vc vai acabar congelando. Verdade: pegamos tempo nublado (só no final, acabou que não deu para ver o nascer do sol) e lá em cima o frio é de encardir. Só como observação vale dizer que meu gorro, máquina fotográfica e cílios congelaram. Meu rosto ficou coberto por uma fina camada de gelo. E isso pq ficamos lá em cima menos de 20 minutos. Dica: para quem pode o melhor é sair para o Terreirão (metade do caminho) durante o dia, armar barraca e tratar de descansar para alcançar o pico durante a madrugada e ver o nascer do sol. Levem binóculo, pois se o céu tiver limpo, dizem, dá para ver até o litoral do ES. Subir da Tronqueira direto até o pico e voltar no mesmo dia (que foi o que eu fiz) é pesado. Dá para fazer, mas é pesado. Desça devagar ou seus joelhos vão para o espaço. Leve bastante líquido, sanduíches, frutas e barra de cereais. Mas evite subir muito pesado. Cuidado para não exagerar nos agasalhos durante a subida ou seu suor acaba congelando. É importante, sim, levar agasalhos bem quentes para os momentos que vc para de caminhar (principalmente no pico). Durante o dia dá para subir sem guia. Durante a noite, não. Dizem que dá para subir acompanhando apenas as setas, mas vc acaba se perdendo. IMPORTANTÍSSIMO: Nada de banho quente logo após a descida, espere seu corpo se aclimatar primeiro. Senão vc acaba no hospital. No mais, uma boa viagem e leve uma boa máquina fotográfica, as paisagens são deslumbrantes. Lá é maravilhoso. Uma das viagens que vc se lembra para sempre. Tiago.
×
×
  • Criar Novo...