Ir para conteúdo

monaik

Membros
  • Total de itens

    58
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre monaik

  • Data de Nascimento 02-05-1986

Outras informações

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Planejamento: Daqui do Brasil, comprei apenas a passagem Rio-VVi-Rio e VVI-Sucre pelas Amaszonas. O site dessa empresa é bem rudimentar, e eu não consegui comprar por ele. Mandei email para a empresa, eles fizeram a reserva e depois me enviaram um link para efetuar o pagamento, que deu certo! Os passeios foram todos reservados na hora, sempre pechinchando. Na maioria das vezes, saímos ganhando, mas tivemos nossas derrotas e acabamos pagando o tour para o Chalcataya no lugar mais caro, ou não teríamos tempo para fazê-lo. Em relação ao hostel, só reservei a primeira noite em Sucre, no T
  2. Dia 25 – 24/05: Voltando pra casa Dormi com a roupa que ia sair mesmo, para não ter trabalho. Quando o relógio despertou, desci a cama e, de repente, a escada vira comigo junto. Resultado: um saco de bata caindo com escada e tudo, fazendo um mega barulho e acordando geral...Uma menina até perguntou se eu tava bem, respondi que sim. Fui ao banheiro e no corredor estava o americano em pleno clima de final de festa: olhos pequenos e dando em cima de uma mulher bem feia....Viva o álcool! Voltei para o quarto, peguei as minhas coisas e fui esperar a van. Tinha mais um cara aparentemente es
  3. Dia 24 – 23/05: Uma pincelada madrilena Acordo de madrugada e encontro com o chileno voltando do pubcrawl. Ele me pergunta pq eu não fui e disse que ia acordar cedo pra ir a Madri. Nos despedimos e eu desci para esperar a van. Junto comigo, tem uma mexicana que pegaria o mesmo transporte. Quando chegamos no aeroporto, o checkin da Ryannair não está aberto. Vc é obrigado a passar lá para eles carimbarem o seu ticket, mesmo tendo feito o checkin online. Teve uma confusãozinha na fila; os espanhóis não conheciam o significado de fila e queriam passar a frente. Carimbado o meu ticket, fui para
  4. Dia 23 – 22/05: Caindo a ficha O dia continua chuvoso. Coloquei a minha capa e parti para a praça dos heróis. Ali do lado tem um prédio bonito, que não lembro o nome, mas só admirei por fora. Voltando para o hostel, passei na casa do Terror, que vale muito à pena. Aqui você conhece a história da Hungria durante as ocupações nazistas e socialistas, tendo inclusive um tanque dentro do prédio. Aliás, o prédio serviu de base para o governo nazista e socialista, onde ocorreram torturas, prisões, mortes. É chocante, mas nos esclarece o quão aquele povo sofreu com os dois governos autoritários. A
  5. Esse foi o meu segundo mochilão pela América do Sul. O primeiro foi no Peru, em 2013. Lendo os relatos para aquela viagem aqui no mochileiros, fiquei com muita vontade de ir a Bolívia e subir o Huayna Potosi. Mas como o tempo era curto, preferi aproveitar mais o Peru e deixar para uma próxima oportunidade a escalada na Bolívia. Dois anos depois surgiu a oportunidade: uma promoção da gol para Santa Cruz de la Sierra. Comprei a passagem logo para garantir, iria sozinha mesmo se não conseguisse companhia. Divulguei para poucos amigos que topariam o roteiro que estava planejando. No fim conseg
  6. Dia 22 – 21/05: I’m on a boat, it’s going fast Sobre as minhas impressões do hostel. Ele é bagunçado, tem mais staff do que hóspede. A galera que vai pra lá vai pra curtir as festas. Acordam bebendo e vão até cair. No início achei o banheiro sujo, mas depois ele tava sempre limpo. Não encontrei afinidades ali, mas ao menos consegui ir a festas qdo eu quis. Acordo e o tempo está bem chuvoso e frio, refletindo o meu humor. Passo no mercado de novo para comprar um complemento do café e parto pra rua com chuva msm. Comecei pela Grande Sinagoga. Peguei o ingresso apenas para a sinagoga, mas
  7. Dia 21 – 20/05: Um lindo dia húngaro Acordei e um belo sol estava me esperando lá fora. Desci da minha cama e tinha uma menina jogada na de baixo, pintada com um bigode! Bom, abstraí e fui ao mercado providenciar o café da manhã. Antes passei no câmbio e troquei 100 euros. Voltei ao hostel, paguei a hospedagem e deixei o depósito de 5000 HUF pela chave, peguei meu passaporte e parti pro parlamento. O Harry me respondeu dizendo que tinha marcado um walking tour pelo castelo. Avisei que ia ao parlamento e ficamos de nos encontrar depois. O parlamento era um pouco mais longe que eu
  8. Dia 20 – 19/05: What the fuck is Bratislava? Bratislava é a capital da Eslováquia. Lembram da Tchecoslováquia? Então, é o outro lado do rio Danúbio, sendo mais perto de Viena do que de Praga. Lá é bem bonitinha, com o centro histórico bem preservado. O castelo foi reconstruído algumas vezes. Os jovens falam inglês tranquilamente. Comida e cerveja boa e barata! Madrugo esse dia, pois meu ônibus ia sair 7:50. Tive que pedir para abrirem a cozinha do hostel e pegar o meu café da manhã. Cheguei com antecedência e fique na barraquinha esperando. O tempo foi passando, quase na hora do ô
  9. Dia 19 – 18/05: O Beijo Aproveitei e acordei um pouco mais tarde. Quando levantei, Becky tava pronta para ir embora. Me despedi dela (como é ruim essa parte) e fui ao mercado comprar o café da manhã dos próximos dois dias. Na volta, encontrei Chippie e Harry tomando café. Me juntei a eles. Eles também iriam embora, mas só na parte da tarde. Então resolvemos dar uma volta juntos na cidade antes deles irem. Passamos pela Rathaus, Volksgarten, Museum Quartier e o Hofsburg. Eles tinham um interesse bizarro de procurar o saco das estátuas de cavalo. Chegou a hora do trem deles e volt
  10. Dia 18 – 17/05: Before Sunrise Acordo no dia seguinte, cedo como sempre. A galera no quarto estava praticamente ‘morta’. Tomei café no hostel mesmo; tava com preguiça de ir ao mercado. Deixei um recado para a Becky e o Eli com o meu whatsapp, pra gente marcar algo pra mais tarde. Hoje era dia do Hofsburg, palácio de inverno da família imperial austríaca. O engraçado de Viena é a alta frequência da abordagem na rua para vc comprar tickets de ópera e concertos. E os vendedores ficam caracterizados de Mozart! Em outros lugares do mundo vc é abordado para comprar tours, bugigangas; a
  11. Oi Mayara! Legal que vc ta gostando Uma das coisas que mais gosto nas viagens são as histórias que trazemos na bagagem. E pra mim é muit bom poder dividi-la com os outros hehehe
×
×
  • Criar Novo...