Ir para conteúdo

rafacarvalho33

Membros
  • Total de itens

    98
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que rafacarvalho33 postou

  1. Olha, se for sozinha, ou ate em duas pessoas, ate rola... mas ali nao tem muito espaço para acampar não... e nem tem fonte de agua perto. Então se for, vá com bastante agua
  2. Gonçalves é um município brasileiro do estado de Minas Gerais e é atualmente um dos pólos turísticos em forte desenvolvimento na Serra da Mantiqueira, fazendo parte do circuito turístico Serras Verdes do Sul de Minas. Além das inúmeras cachoeiras na região, a pequena cidade mineira conta com diversas trilhas para os amantes de trekking, e assim resolvi fazer a trilha da PEDRA BONITA no último final de semana. Visão de 1 dos 3 mirantes existentes na trilha Pedra Bonita é o ponto mais alto da região, sendo ponto de divisa entre Gonçalves/MG e Sapucaí Mirim/MG, com 2.120m de altitude. No topo é possível avistar toda a região, inclusive o Vale do Paraíba, Campos do Jordão, Serra do Mar, entre outros. A trilha tem 08 km (ida e volta) contando com 500/600 metros de desnível, acabei fazendo a subida em 02 horas e a descida em 01 hora e 30 minutos, num ritmo normal, com algumas paradas para hidratação e contemplação da natureza. Por ser uma trilha curta, optamos por realizar um bate volta, saí de São Paulo as 06 horas da manhã e cheguei no inicio da trilha as 10:30 para começar a caminhada, as 16 horas já estava retornando para São Paulo. Visão de 1 dos 3 mirantes existentes na trilha - Como Chegar Para chegar ao inicio da trilha, você tem que colocar no GPS o seguinte endereço Refúgio Kalapalo (Fazenda Campestre), porém houve uma ALTERAÇÃO do começo da trilha, antigamente os proprietários do Refúgio autorizavam a entrada dos trilheiros e dali começava o trajeto, porém eles não autorizam mais a passagem de pessoas em sua propriedade. Para isso, é necessário somente andar mais uns 200 metros de carro pela mesma estrada de terra, onde terá uma porteira do seu lado esquerdo, ali terá uma estrada subindo, vá a pé, ate ter em seu lado esquerdo uma porteira para a propriedade do Refúgio Kalapalo, quando chegar nesse ponto, do seu lado direito terá um pasto, você terá que atravessar essa parte, mantendo a floresta a sua direita, até que você irá encontrar o inicio da trilha, após essa parte, você encontrará mais um pasto, e na mesma direita você verá mais um acesso e pronto, agora é só encarar os 500 metros de subida. Uma das regiões mais bonitas de São Paulo Resumindo: Vá ate o Refúgio Kalapalo 200 metros a frente da entrada da fazenda você encontrará uma porteira (deixe o carro por ali) Suba a pé pela estrada ate encontrar uma porteira a sua esquerda, na sua direita terá um pasto, atravesse ele. Ande uns 500 metros, mantendo a floresta a sua direita, até que surgirá o inicio da trilha Ao atravessar a pequena parte com floresta, surgirá um novo pasto, andando 50 metros a frente, a sua direita terá o outro acesso da trilha que subirá ate o cume A partir daí, não tem mais bifurcações. Eu e 01 dos 02 cachorros que me acompanhou até o cume da Pedra Bonita - Dicas Leve: 2 Litros de água no mínimo. Lanche e frutas Boné e lanterna Óculos Protetor solar Blusa de Frio ou corta vento Protetor Labial Um calçado adequado para a trilha Sempre deixe avisado para familiares para onde você esta indo Planeje a trilha antes de fazê-la pela primeira vez, saiba o que você ira enfrentar durante o dia. Melhor época é sempre no outono/inverno, onde dificilmente terá incidência de raios e trovões, e muito menos chuva, mas sempre fique atento a meteorologia do dia. Turma feliz com o objetivo conquistado Não se esqueça de sempre trazer seu lixo de volta, ajude a cuidar e preservar a natureza. Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. Follow me
  3. Gonçalves é um município brasileiro do estado de Minas Gerais e é atualmente um dos pólos turísticos em forte desenvolvimento na Serra da Mantiqueira, fazendo parte do circuito turístico Serras Verdes do Sul de Minas. Além das inúmeras cachoeiras na região, a pequena cidade mineira conta com diversas trilhas para os amantes de trekking, e assim resolvi fazer a trilha da PEDRA BONITA no último final de semana. Visão de 1 dos 3 mirantes existentes na trilha Pedra Bonita é o ponto mais alto da região, sendo ponto de divisa entre Gonçalves/MG e Sapucaí Mirim/MG, com 2.120m de altitude. No topo é possível avistar toda a região, inclusive o Vale do Paraíba, Campos do Jordão, Serra do Mar, entre outros. A trilha tem 08 km (ida e volta) contando com 500/600 metros de desnível, acabei fazendo a subida em 02 horas e a descida em 01 hora e 30 minutos, num ritmo normal, com algumas paradas para hidratação e contemplação da natureza. Por ser uma trilha curta, optamos por realizar um bate volta, saí de São Paulo as 06 horas da manhã e cheguei no inicio da trilha as 10:30 para começar a caminhada, as 16 horas já estava retornando para São Paulo. Visão de 1 dos 3 mirantes existentes na trilha - Como Chegar Para chegar ao inicio da trilha, você tem que colocar no GPS o seguinte endereço Refúgio Kalapalo (Fazenda Campestre), porém houve uma ALTERAÇÃO do começo da trilha, antigamente os proprietários do Refúgio autorizavam a entrada dos trilheiros e dali começava o trajeto, porém eles não autorizam mais a passagem de pessoas em sua propriedade. Para isso, é necessário somente andar mais uns 200 metros de carro pela mesma estrada de terra, onde terá uma porteira do seu lado esquerdo, ali terá uma estrada subindo, vá a pé, ate ter em seu lado esquerdo uma porteira para a propriedade do Refúgio Kalapalo, quando chegar nesse ponto, do seu lado direito terá um pasto, você terá que atravessar essa parte, mantendo a floresta a sua direita, até que você irá encontrar o inicio da trilha, após essa parte, você encontrará mais um pasto, e na mesma direita você verá mais um acesso e pronto, agora é só encarar os 500 metros de subida. Uma das regiões mais bonitas de São Paulo Resumindo: Vá ate o Refúgio Kalapalo 200 metros a frente da entrada da fazenda você encontrará uma porteira (deixe o carro por ali) Suba a pé pela estrada ate encontrar uma porteira a sua esquerda, na sua direita terá um pasto, atravesse ele. Ande uns 500 metros, mantendo a floresta a sua direita, até que surgirá o inicio da trilha Ao atravessar a pequena parte com floresta, surgirá um novo pasto, andando 50 metros a frente, a sua direita terá o outro acesso da trilha que subirá ate o cume A partir daí, não tem mais bifurcações. Eu e 01 dos 02 cachorros que me acompanhou até o cume da Pedra Bonita - Dicas Leve: 2 Litros de água no mínimo. Lanche e frutas Boné e lanterna Óculos Protetor solar Blusa de Frio ou corta vento Protetor Labial Um calçado adequado para a trilha Sempre deixe avisado para familiares para onde você esta indo Planeje a trilha antes de fazê-la pela primeira vez, saiba o que você ira enfrentar durante o dia. Melhor época é sempre no outono/inverno, onde dificilmente terá incidência de raios e trovões, e muito menos chuva, mas sempre fique atento a meteorologia do dia. Não se esqueça de sempre trazer seu lixo de volta, ajude a cuidar e preservar a natureza. Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. Follow me
  4. Bofete é uma pequena cidade do interior paulista, contando com menos de 10 mil habitantes segundo o último Censo realizado, porém a região atrai muitos turistas pelos seus atrativos naturais, como a subida das 03 Pedras e a visualização do Gigante Adormecido (formação rochosa que ao longe parece ser um gigante deitado.) A pequena cidade do interior paulista fica a 200 km do centro de São Paulo, seguindo pela Rodovia Castelo Branco, assim sendo uma ótima oportunidade para se fazer um bate e volta. 03 Pedras - Bofete O objetivo era fazer a trilha e subir as 03 Pedras e para chegar lá tivemos que colocar no GPS a localização da Cantina da Figueira, um restaurante mineiro que conta com estacionamento e banheiros para os visitantes, ali você pode pedir informação, dar uma parada, comer algo, usar o banheiro e conversar com a proprietária do lugar, uma senhora MUITO simpática e prestativa. A entrada do sítio fica a 03 km do restaurante, onde terá um senhor também muito simpático a sua espera para contar um pouco da história do local e explicar sobre a trilha. Existem 03 formas para se chegar as 03 Pedras, basta você escolher qual a melhor para seu grupo: Deixar o carro no restaurante Cantina da Figueira e caminhar até o pé das 03 Pedras. Isso dará 16 km (ida e volta) Deixar o carro na entrada do sítio e percorrer 09 km (ida e volta) Ir com o carro até o pé das 03 Pedras e fazer somente a subida ate o topo. Subindo para o topo das 03 Pedras Eu fui pela opção 01 para treinar e aproveitar mais o dia e a beleza do lugar, mas a opção 2 também não seria ruim, cansaria bem menos. A entrada do sitio custa R$10,00 e para aqueles que querem acampar, o custo sai R$20,00, um valor bem razoável pela beleza do lugar, no sítio é possível usar os banheiros e abastecer as garrafinhas com água. A trilha do sítio ate o pé das 03 Pedras é bem sinalizada, a todo momento você tem visão para a estrada que leva os carros ate a entrada dela, porém do pé ate o topo, é necessário escalar algumas pedras, não é necessário o uso de equipamentos, mas precisa ter muita atenção e cuidado, em 30 minutos de subida, você estará no cume das 03 Pedras, sendo possível subir as 03 partes com ajuda de cordas já instaladas no local. Assim, fica a dica de um possível bate volta ou até a oportunidade de passar um final de semana acampado ao pé das 03 Pedras, um passeio de baixo custo que vai te proporcionar uma tremenda experiência e contato com a natureza. A subida requer um pouco de escalada, mas sem a necessidade de equipamentos de segurança - Dicas Leve: 2 Litros de água no mínimo. Lanche e frutas Boné e lanterna Óculos Protetor solar Blusa de Frio ou corta vento Protetor Labial Um calçado adequado para a trilha Sempre deixe avisado para familiares para onde você esta indo Planeje a trilha antes de fazê-la pela primeira vez, saiba o que você ira enfrentar durante o dia. Melhor época é sempre no outono/inverno, onde dificilmente terá incidência de raios e trovões, e muito menos chuva, mas sempre fique atento a meteorologia do dia. No topo das 03 Pedras Não se esqueça de sempre trazer seu lixo de volta, ajude a cuidar e preservar a natureza. Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. Follow me
  5. Boa tarde @casal100, eu fui lá era 30/07/2019, em um Domingo, e ate então era possível fazer sem guia, porém você precisa assinar um termo de responsabilidade, assinando, você ta livre para subir....
  6. Valeu! Vale a pena o retorno, to querendo ir lá para fazer a trilha da Ana Chata agora.
  7. A região do Complexo do Baú é uma das mais conhecidas de toda Serra da Mantiqueira, situada próximo a Campos de Jordão e São Bento do Sapucaí. A região atrai milhares de turistas ao ano, que procuram desde o turismo convencional até ao turismo de aventura. O Complexo do Baú é uma grande formação de rochas de 360 m de altura, 540 m de comprimento, com encostas de até 180 m de altura. Ele é formando por três montanhas: a Pedra do Baú (1.950 m), A pedra do Bauzinho (1.760 m) e a pedra da Ana Chata (1.670 m). A Pedra do Baú no centro, ao lado esquerdo da foto, atrás do ramo de folha, o Bauzinho O trajeto até a pedra do Bauzinho pode ser realizada de carro e tem uma linda visão para a Pedra do Baú. Já o trajeto da Pedra do Baú e para a pedra da Ana Chata só por trilha, que podem levar de 03 a 06 horas dependendo do ritmo de cada um, a nota especial é que na Pedra do Baú você tem que encarar 600 grampos. (recomendado fazer com um guia e equipamentos de segurança). O desafio da Pedra do Baú é encarar a altura e os famosos grampos. Os grampos são totalmente seguros, instalados na pedra desde os anos 40. Muitas pessoas contratam guia com os devidos equipamentos de segurança, mas existe a possibilidade de você fazer por conta própria, não tem muito erro, é só você ir com calma, de grampo em grampo sempre mantendo 03 pontos de apoio fixo. São 600 grampos ate o topo da Pedra do Baú - Como chegar Usando o Waze ou Google Maps coloque a localização Restaurante Pedra do Baú, de São Paulo dá em torno de 200 km. O local é bem estruturado, oferecendo estacionamento, banheiro, restaurante, hospedagem e dá acesso à trilha Pedra do Baú e da Ana Chata. A diária do estacionamento custa R$20,00 e o uso dos banheiros esta incluso nisso. A trilha tem em torno de 05 a 06 km, sendo 1,5 km de seu trajeto de subida, depois mais 600 grampos ate o topo da Pedra do Baú, então as pernas acabam ficando doloridas no retorno. Para se ter uma ideia, fiquei mais cansado nessa do que na de 25 km que fiz pela região de Biritiba Mirim. Bauzinho ao fundo A trilha é bem demarcada, com totens indicando a distância que falta até o inicio dos grampos. Quando chegar ao inicio dos grampos, terá um responsável controlando o acesso, caso você não opte fazer a subida com algum guia, será necessário assinar um termo de responsabilidade. Nesse mesmo ponto você verá o acesso para a trilha da Ana Chata. A subida pela FACE SUL da Pedra do Baú esta INTERDITADO, houve um deslizamento de pedra que acabou arrancando 03 grampos, porém mesmo sem eles, as pessoas estavam se arriscando com cordas para pular a parte sem grampos, os responsáveis do parque acabaram tirando mais alguns grampos tanto no meio como no começo para que nem com corda fosse possível. Tudo isso foi feito pela sua segurança, a face Sul não é tão firme quanto a Face Norte. Logo evite. Visão da Serra da Mantiqueira Como o mesmo lugar para subir é a mesma via para descer e não cabem 02 pessoas no meu grampo, ai você pensa "e como faz com o congestionamento de pessoas?" Bem, o Parque disponibiliza 04 funcionários que ficam um no começo, dois no meio e um no fim, controlando o transito de pessoas, isso ajuda muito. A Pedra do Baú é muito bem cuidada, não há lixo na trilha, é bem demarcada, gostei muito de conhecer a região, os grampos são firmes e estão em um espaço muito confortável entre um e outro, assim não dificultando para quem tem a perna curta. O medo sempre ira surgir, mas qual seria a graça da vida se a gente não encarar nossos medos né? O que posso recomendar é pensar em um degrau por vez, devagar, sem pressa e sempre da forma mais segura possível, caso tenha muito medo ainda, é possível contratar guias locais que vão te acompanhar e irão fornecer os equipamentos de segurança. - Dicas Leve: 2 Litros de água no mínimo. Lanche e frutas Boné e lanterna Óculos Protetor solar Blusa de Frio ou corta vento Protetor Labial Um calçado adequado para a trilha Sempre deixe avisado para familiares para onde você esta indo Planeje a trilha antes de fazê-la pela primeira vez, saiba o que você ira enfrentar durante o dia. Melhor época é sempre no outono/inverno, época que dificilmente terá incidência de raios e trovões, e muito menos chuva, mas sempre fique atento a meteorologia do dia. Não se esqueça de sempre trazer seu lixo de volta, ajude a cuidar e preservar a natureza. Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. **** Aos amigos do blog que vão viajar e reservar sua hospedagem, peço para usarem minha caixa de pesquisa na página inicial do site, assim o Booking repassa uma parte da comissão para mim, ajudando eu a seguir com o trabalho aqui no blog, isso não gera nenhum custo adicional para você. Valeu =] **** Follow me
  8. Depois de conhecer a Pedra do Sapo, chegou a hora de me aventurar para o Pico da Esplanada, infelizmente a data escolhida foi bem quando chegou a frente fria a região de São Paulo, ate pensamos em abortar a missão, mas no fim resolvemos seguir em frente com o planeado e encarar os 06 graus que fazia logo pela manhã. Para quem já foi na região, não tem muito segredo, você precisa ir ate o Bairro Manuel Ferreira, em Biritiba Mirim. Para aqueles que vão de ônibus, sai um do terminal Estudantes em Mogi das Cruzes, ele te levará ate o centro do bairro, e dali você vai ter que andar em torno de 03 km ate o restaurante da Dona Maria, indo sentido Pedra do Sapo. Para quem ta de carro, é só colocar no GPS o restaurante da Dona Maria e deixar o carro estacionado por ali mesmo. Dali você seguirá pela estrada, ate que passará pela entrada da Pedra do Sapo, que estará a sua direita e pintado de azul, continue reto, ate que terá outra bifurcação, essa a esquerda, continue reto pelo estrada, você verá mais a frente uma bica de água e logo após isso uma bifurcação a direita, você continua reto, ate que passará por uma chacará, que terá muitos cachorros, mas todos bem dóceis, logo após a casa, você encontrará uma placa de uma FAZENDA (vide foto abaixo), ai esta a entrada da trilha . Entrada da trilha Resumindo de uma forma mais clara, pegue a estrada da Dona Maria e siga pela estrada principal até chegar nessa placa da Fazenda. A trilha é um pouco mais fechada que o habitual, passando por eucaliptos e mata fechada, mas a trilha é bem tranquila, a subida ate o Pico da Esplanada é bem suave, não chega a ser tão íngreme como na Pedra do Sapo, da Dona Maria ate o Pico dá 05 km, que se faz em menos de 02 horas de caminhada. Trilha tem muita parte fechada, recomendo fazer com calça O planejado era fazer isso, dá para perceber que não tem muita dificuldade, são 05 Km da Dona Maria ate o Pico, mais um tempo de descanso e outros 05 km para retonar, quem tem que ir ate o centro do bairro, precisa aumentar uns 6/8 km nessa conta. Mas sempre existe o fator surpresa e no Pico da Esplanada conhecemos um grupo que faz reconhecimento na região e depois de alguma conversa, fomos convidados a nos juntar ao grupo deles para, literalmente, se enfiar no mato e abrir caminho, e lá fomos, achando que não poderíamos deixar essa oportunidade passar. Pico da Esplanada Além da dificuldade toda em descer pelo lado da montanha mais íngreme e que não tinha trilha nenhuma demarcada, o grupo de reconhecimento fez um caminho enorme, que nos fez andar 25 km hahaha para quem ia andar 10km e estava com água e comida para isso, andar 25 km foi uma baita surpresa, mas no final deu tudo certo e o que fica são essas histórias. - Dicas Leve: 2 Litros de água Lanche e frutas Boné e lanterna Óculos Protetor solar Blusa de Frio ou corta vento Protetor Labial Um calçado adequado para a trilha Sempre deixe avisado para familiares para onde você esta indo Planeje a trilha antes de fazê-la pela primeira vez, saiba o que você ira enfrentar durante o dia. Os 25 km que fizemos. Que volta rs Melhor época é sempre no outono/inverno, época que dificilmente terá incidência de raios e trovões, e muito menos chuva, mas sempre fique atento a meteorologia do dia, a região de Biritiba Mirim chove muito por causa da Serra do Mar. Não se esqueça de sempre trazer seu lixo de volta, ajude a cuidar e preservar a natureza. Caso seja marinheiro de primeira viagem ou nunca tenha feito a trilha para a Pedra do Sapo, recoendo que contrate um guia que conduza você e seu grupo com segurança. A trilha é considerado um esporte de aventura e todo cuidado é pouco. Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. Follow me
  9. Quando fui fazer a trilha para a Cachoeira da Pedra Furada, no retorno a São Paulo, conheci muitos viajantes que tinham ido para a famosa Pedra do Sapo, desde então fiquei com essa vontade na cabeça, até que no último final de semana resolvi conhece-la. Pedra do Sapo A Pedra do Sapo fica no município de Biritiba Mirim, na grande Mogi das Cruzes, e fica apenas 80 km do centro de São Paulo, então um destino perfeito para fazer um bate volta de final de semana. - Como chegar Dá para chegar lá de carro ou ônibus, para quem vai de ônibus, a caminhada é maior, já que o centro do bairro de Manoel Ferreira fica afastado da entrada da trilha, mas há sinalização nos postes indicando o caminho, então não tem como se perder, você deve ir ate a estação de trem Estudantes e dali pegar um ônibus no terminal chamado Manoel Ferreira e descer no próprio bairro. Para quem vai de carro, recomendo ir ate o Rancho da Dona Maria, lá você pode estacionar seu carro e menos de 01 km dali. você terá o acesso a trilha para da Pedra do Sapo, é preciso apenas seguir pela estrada até chegar esse ponto, onde tem um quadro de luz, todo pintado de azul (foto abaixo), no final da cerca há um espaço onde você pode passar sem precisar se contorcer, ai é só seguir descendo a estrada. No fim dessa estrada você terá uma grande bifurcação, a esquerda seguirá para a Torre da Vivo e a direita para a Pedra do Sapo, pegue a direita Você verá esse aviso da Suzano Papel e Celulose, já que ali é uma propriedade privada, depois dali será necessário ir ate o final desse trajeto e pegar a subida que estará a sua esquerda. Existem 02 lados para subir a Pedra do Sapo, onde esse lado que conto é o mais difícil, pois conta com uma elevação de 400 metros, totalizando, desde o rancho da Dona Maria ate o pico, 03/04 Km. Subida para o cume A subida é bem ingrime, em alguns pontos tem corda para ajudar na subida, é recomendável ter um bom preparo físico, mas todo esforço é recompensado quando chegamos ao cume e temos a linda visão da Serra do Mar, da praia Riviera de São Lourenço e de toda região de Biritiba Mirim. - Dicas Leve: 2 Litros de água (não há como captar água pelo caminho) Lanche e frutas Boné e lanterna Óculos Protetor solar Blusa de Frio ou corta vento Protetor Labial Um calçado adequado para a trilha Sempre deixe avisado para familiares para onde você esta indo Planeje a trilha antes de fazê-la pela primeira vez, saiba o que você ira enfrentar durante o dia. Melhor época é sempre no outono/inverno, época que dificilmente terá incidência de raios e trovões, e muito menos chuva, mas sempre fique atento a meteorologia do dia, a região de Biritiba Mirim chove muito por causa da Serra do Mar. Cume da Pedra do Sapo Não se esqueça de sempre trazer seu lixo de volta, ajude a cuidar e preservar a natureza. Caso seja marinheiro de primeira viagem ou nunca tenha feito a trilha para a Pedra do Sapo, recoendo que contrate um guia que conduza você e seu grupo com segurança. A trilha é considerado um esporte de aventura e todo cuidado é pouco. Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. Follow me
  10. Estou terminando um curso no SENAC chamado 'Condutor de Turismo de Aventura' e nesse finalzinho tivemos uma experiência junto com o pessoal da OUTWARD BOUND BRASIL (carinhosamente chamada de OBB) faz parte de uma rede mundial de escolas de aprendizagem experiencial ao ar livre. Do mar ao topo da montanha, do deserto à floresta, já desafiaram mais de 20 mil participantes a saírem de suas zonas de conforto e vivenciarem uma jornada outdoor única e transformadora. Uma das aulas do pessoal da OBB, bela sala de aula, não?! O nosso desafio foi fazer a travessia do Pico do Itapeva até o Pico do Diamante em um final de semana, tendo muito aprendizado sobre as maneiras corretas de se montar um acampamento, fazer a comida, guardar o lixo e ate de fazer suas necessidades fisiológicas, pude aprender muitas técnicas e cuidados ao se realizar uma travessia, as aulas foram tão boas que até deu uma vontade de fazer algum curso de liderança da OBB, pena que só tem uma vez por ano e a desse ano já foi, mas vamos falar do que interessa. Primeiro dia: O Pico do Itapeva tem 2.035 metros de altitude e fica situado na cidade de Pindamonhangaba, apesar que a sua entrada se da por Campos de Jordão, que fica apenas 30 metros da divisa, e seria desse ponto que começaríamos a nossa jornada. Eu guiando esse belo e animado grupo Como fui através do SENAC, não sei informar se é necessário pagar para entrar, pois tivemos que passar por uma portaria, e a estrada é boa o suficiente para qualquer veículo. Menos de 02km andando da entrada chegamos a uma pedra/mirante, que fica próxima a uma cachoeira e ao rio que passa entre as montanhas, mais a frente tem uma estrutura de uma casa, ali é o local para se montar o acampamento. Dessa local dá para ver o Pico da Princesa e ao fundo o Pico do Diamante, sem falar que tem água limpa próxima ao local, fazendo ser um ótimo ponto para captação de água. Área do Camping Nesse primeiro dia tivemos diversas atividades sobre como cozinhar, como lavar a louça, como fazer suas necessidades e como montar seu acampamento, sempre visando atingir o menor impacto ambiental possível, além de dividir algumas tarefas com o grupo em geral. Segundo dia: Acordamos as 05:30 da manhã para começar a fazer o café da manhã, estávamos em 17 pessoas e eu fui um dos responsáveis pelo café, as 08:45 já tínhamos terminado o café, lavado a louça e desmontado todo o acampamento. Antes de começar nossa trilha tivemos mais uma grande aula sobre orientação e navegação usando mapas e bussolas. Para começar a trilha, eu fui um dos responsáveis por conduzir o grupo, a minha parceira foi no fim, fechando; foi uma experiência muito boa, ter que orientar e assegurar o melhor caminho possível, mesmo que eu nunca tenha feito aquela trilha, ate que não me perdi nenhuma vez. Passando o rio começa a subida ao cume A trilha ate o Pico do Diamante em sua metade é bem tranquila, passando por subidas e descidas bem leves, o problema é na parte final, onde o acesso ao cume do Pico do Diamante é pura subida, levando em torno de 01 hora e 30 minutos de subida, com uma elevação de 600 metros, infelizmente não tenho as distâncias corretas, pois esqueci meu relógio que mapeia o percurso, mas acredito que de um pico ao outro tenha em torno de 8/9 km. DICAS: Leve sua comida - na região não tem lugar para comer, então leve seus sanduíches e frutas Leve água, durante o percurso você encontrará pontos de água, menos durante a subida ao Pico do Diamante Leve protetor Solar Use roupas confortáveis Use calçados adequados a trilha Leve uma troca de roupa e toalha Boné e lanterna Sempre deixe avisado para familiares para onde você esta indo Planeje a trilha antes de fazê-la pela primeira vez, saiba o que você ira enfrentar durante o dia. Subida ao Pico Diamante A travessia da para se fazer em um dia só, a questão é que como ela começa de um lado e termina do outro, você precisa planejar direito como irá buscar o transporte depois, se não tiver, tem que arranjar algum Uber para subir ate o Pico do itapeva, ai depois quando terminar é só descer pela estrada que dará no centro de Campos de Jordão. Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga.
  11. Ah que legal, realmente ir de caminhao, seu pudesse nao iria também não hahaha muita treta
  12. Conhecer uma cachoeira no inverno não é das melhores sugestões que eu poderia dar para vocês, mas esse foi um caso especial e vou explicar. Estou fazendo um curso no SENAC chamado Condutor de Turismo de Aventura, e no final do curso temos que realizar um Projeto Integrador e depois de pensar muito, a decisão foi revitalizar a Cachoeira da Graça, sinalizando, limpando e tentando conscientizar as pessoas que frequentam o lugar. Muitos não sabem, mas a Cachoeira da Graça é propriedade privada, fica dentro de um sítio, onde o dono depois de inúmeras tentativas acabou abrindo mão de controlar o acesso. As pessoas literalmente invadiam o sitio dele até que foi colocado um portão, mas isso não evitou que as pessoas criassem uma trilha pelo outro lado da propriedade. Segundo ele, o problema não é nem a questão das pessoas frequentarem, e sim na sujeira que fazem, com isso apresentamos um projeto para limpar, sinalizar e tentar conscientizar as pessoas. - Como chegar A Cachoeira da Graça fica em torno de 50 km do centro de São Paulo, o acesso mais comum é por carro, colocando no Google Maps "Cachoeira da Graça Cotia" você chegará lá tranquilamente, ao entrar na estrada de terra, terá a sinalização do sitio da Cachoeira da Graça, porém você continua reto ate passar pela Sabesp e chegar próximo a um bairro, ali terá um estacionamento e a entrada da trilha. Quem for de ônibus, terá que ir até a Estação Butantã da linha 04 do metrô e de lá pegar o ônibus Terminal Cotia, e de lá o ônibus Morro Grande, aí é só falar com o motorista para ele te deixar o mais perto possível da Cachoeira da Graça. A trilha tem em torno de 02/03 Km e é de nível fácil e depois do nosso trabalho, ela estará bem sinalizada para que ninguém se perca hehe, o terreno é plano e em 30/35 minutos você estará na cachoeira. O lugar é muito bonito, com muito espaço para nadar e aproveitar, tem que tomar cuidado com as pedras, pois são bem escorregadias. DICAS: Leve sua comida - na região não tem lugar para comer, então leve seus sanduíches Leve água, não recomendo tomar a água do rio e nem da cachoeira Leve protetor Solar Use roupas confortáveis Use calçados adequados a trilha Leve uma troca de roupa e toalha Boné e lanterna O mais importante é que você respeite a natureza, respeite também a propriedade privada, não cause danos a mata, não abra trilhas, não faça churrasco, não coloque som alto e todo lixo que você criar, leve consigo para casa, cause o menor impacto ambiental possível. Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. Follow me
  13. Com a recente ATM ( Abertura da Temporada de Montanha) estava na hora de selecionar algum pico próximo a cidade de São Paulo para fazer um bate volta. O destino escolhido foi a SERRA DO LOPO, um conjunto de montanhas na divisa de Extrema (MG) e Joanópolis (SP), onde se encontra o Pico do Lopo ( Pedra do Cume), o mais alto da região com 1.700 metros. Visão de Minas Gerais e São Paulo na Rampa de voo livre de Extrema. - Como chegar Há melhor forma, sem dúvidas, é ir de carro ou então com uma agência de viagens de confiança, a cidade de Extrema fica as margens da Rodovia Fernão Dias, chegando na cidade terá muitas placas informando o local da trilha, a principio caso precise perguntar na cidade, é só falar da rampa de voo livre, a estrada para o começo da trilha fica na mesma estrada da rampa, podendo também estacionar e admirar a beleza do lugar como na foto acima. Seguindo 900 metros em frente você chegará a uma portaria (se for de final de semana terá um rapaz cobrando R$20,00 de entrada por pessoa), você terá acesso a pousada, podendo estacionar o carro, usar os banheiros e ter acesso a trilha. Eles dizem que a trilha passa pela propriedade privada, e com isso eles cuidam da manutenção da mesma, mas depois das Pedras das Flores ate o Pico do Lopo, a trilha não tem nenhuma sinalização e em uma parte em que seria necessário uma corda/grampo ou ate uma escada para ajudar na subida, não há, no final reclamamos com os donos sugerindo essa implementação. Pedra das Flores - Subida para o Pico do Lopo A subida chega a ser cansativa em algumas partes, mas nada que prejudique o passeio, a trilha tem em torno de 7/8 km (contando ida e volta), em sua maior parte do tempo é feito em mata fechada, porém os pontos mais visitados, para tirar fotos, descansar e apreciar a paisagem, fica em descampados, em enormes pedras na serra com forte incidência do sol. Você passará por: Pedra do Altar Pedra dos 05 Dedos Pedra dos Cabritos Pedra das Flores Pedra do Cume Pico do Lopo ao fundo Todos esses lugares citados acima é caminho para a Pedra do Cume, as vezes tendo que fazer pequenos desvios, mas são fáceis de achar, a trilha no seu começo é bem demarcada, mas após a Pedra das Flores, as placas somem, podendo confundir o viajante. Há uma parte em que precisa escalar uma pequena pedra para se chegar ao cume, há certa dificuldade que seria facilmente resolvido com uma corda, um grampo ou uma escada de madeira pequena, que serviria de apoio. Recomendo que faça uma reclamação na entrada do parque para eles estarem cientes das mudanças que precisam fazer. - Dicas Leve: 2 Litros de água (no mínimo) Lanche e frutas Boné Óculos Protetor solar Blusa de Frio ou corta vento (o frio da montanha as vezes judia rs) Protetor Labial Melhor época é sempre no outono/inverno, época que dificilmente terá incidência de raios e trovões, e muito menos chuva, mas sempre fique atento a meteorologia do dia. Não se esqueça de sempre trazer seu lixo de volte, ajude a cuidar e preservar a natureza. Caso seja marinheiro de primeira viagem ou nunca tenha feito a trilha para o Pico do Lopo, recomendo que contrate um guia que conduza você e seu grupo com segurança. A trilha é considerado um esporte de aventura e todo cuidado é pouco. Relaxando no Pico do Lopo Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. **** Aos amigos do blog que vão viajar e reservar sua hospedagem, peço para usarem minha caixa de pesquisa na página inicial do site, assim o Booking repassa uma parte da comissão para mim, ajudando eu a seguir com o trabalho aqui no blog, isso não gera nenhum custo adicional para você. Valeu =] **** Follow me
  14. Indo para o inicio da trilha O Parque Estadual Serra do Mar tem em torno de 322 mil hectáres e é a maior reserva de Mata Atlântica, apesar que muito de sua fauna não existe mais por causa da caça desenfreada que ocorre na região. O parque é dividido em 10 núcleos, onde cada um tem diversas responsabilidades na preservação, e uma dessas responsabilidades é regularizar e cuidar das trilhas do parque. Em Bertioga o trabalho ainda não é o suficiente para dar conta da quantidade de turistas que frequentam as trilhas todos os finais de semana, há diversas trilhas na Serra do Mar que precisam de regularização, para assim ter uma sinalização adequada e um trabalho de consciencialização pela preservação do meio ambiente. Quem sabe com o desenvolvimento do turismo no Brasil, a gente não comece a ter um trabalho mais sério em trilhas que ficam perto de grandes centros urbanos para assim ter um lugar estruturado, apto a receber o turista da melhor forma possível. Com isso, fui em busca de fazer duas trilhas para conhecer a Cachoeira da Pedra Furada e a Cachoeira Light, com a ajuda de um amigo que já a tinha feito e de mais 3 pessoas, adentramos a Serra do Mar. Começando a trilha - Como chegar Há duas maneiras de chegar próximo a entrada da trilha, uma delas é ir de carro até o Km 77 da Rodovia Mogi Bertioga, ali tem uma lanchonete e uma vendinha de frutas, lá você poderá deixar o seu carro estacionado e seguir a pé ate o Km 80. ou Você pode ir até a estação de trem Estudantes em Mogi das Cruzes, ali do lado tem um Terminal de Ônibus onde sai o ônibus E392-MANOEL FEIRREIRA, o ponto final dele será no km 77 e a passagem custa R$4,50. A trilha é bem fechada, então tome cuidado com cobras e aranhas. Dali você terá que caminhar praticamente até o Km 80 pelo acostamento da estrada, praticamente terminando a famosa subida onde começa a Serra do Mar, ali do lado esquerdo começa a trilha para a cachoeira da Pedra Furada e da Light, eu recomendo que vá com alguém que já conheça o local ou com algum guia, pois a trilha tem diversas bifurcações e não há sinalização adequada. A trilha em si é fácil, não há inclinação, se mantendo plana praticamente todo o tempo, o que pode dificultar são as poças de lama no caminho devido as chuvas no local, isso retarda a caminhada, tendo que fazer alguns desvios ou literalmente colocar o pé na lama. O percurso leva em torno de 01 hora ate a Cachoeira Pedra Furada, isso deve dar em torno de 03-04km, e mais 01 hora ate a Cachoeira Light, totalizando uns 08 km, no máximo, não há nenhuma medição oficial da trilha, então é tudo no achismo de trilheiro. Cachoeira da Pedra Furada, o nome já diz tudo né?! Observe a água passando por debaixo da pedra. - Cachoeira da Pedra Furada Para mim, essa cachoeira é mais bonita que a da Light, mas isso é uma opinião minha, o tamanho dela, a força da água, a possibilidade de entrar debaixo da queda d´água , o fato curioso da pedra ser "furada", ter um amplo espaço para descansar, comer e nadar faz com que ela se destaque da Light. Único ponto chato é que dependendo do dia pode ter muita gente no local, acarretando a produção de muito lixo no e barulho, a nossa sorte é que no dia que fomos (sábado) estava vazio, éramos em 05 pessoas somente, conseguindo aproveitar a natureza da melhor forma possível. Cachoeira da Pedra Furada - Cachoeira da Light Para chegar na cachoeira da Light você tem que voltar uns 15 minutos para trás, pegar um desvio e seguir por 45 minutos ate que ela te levará há um ponto da trilha que terá 03 bifurcações, você precisará pegar a da direita, e seguir sempre em frente ate chegar na Cachoeira da Light. Reforço que o ideal é fazer com alguém que já a tenha feito ou caso você tenha experiência em trilhas, leve um mapa para orientação. Segurança sempre vem em primeiro lugar. Na Light tem espaço para acampar e nadar também, mas onde de fato fica a queda da cachoeira, não há espaço para sentar, descansar e comer, já que a mata fica muito próxima e não há pedras o suficiente, ate exploramos a região para tentar encontrar algum ponto para isso, mas não teve jeito, assim ficamos na parte de cima da cachoeira, onde tem algumas pedras e da para você se banhar na água gelada do rio. Cachoeira Light Esse passeio é extremamente válido para fazer um bate volta, só não se esqueça de levar comida e água e sempre olhar a previsão do tempo para evitar dias de chuva, no dia em que fui, no final da tarde deu um forte temporal com muitos raios, o que é extremamente perigoso para quem pratica o trekking na região, a sorte é que já estava dentro do ônibus indo para Mogi das Cruzes. A foto mais bonita do dia Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. FOLLOW ME
  15. Antes de começar o relato, gostaria de salientar que ocorre uma discussão a respeito dessa trilha, se ela deve ser feita ou não e vou tentar explicar o porque desse debate. A trilha de fato é ilegal, ela fica dentro de uma propriedade privada (a empresa MRS Logística) e a Sub prefeitura de Paranapiacaba não reconhece a trilha como oficial, além desses dois importantes fatores, não é anormal que ocorram a fiscalização para pegar os infratores na entrada da trilha, podendo gerar uma multa (que varia dos R$300 a R$500) e ate detenção por invasão a propriedade privada. Por outro lado, a trilha se dá ate Cubatão, passando pela Serra do Mar, com paisagens exuberantes, com fauna e flora muito rica e diversificada, além das cachoeiras pelo caminho, há também toda a importância histórica e cultural do trajeto, juntando esses fatores com o fato de Paranapiacaba estar próximo a cidade de São Paulo, é comum que dezenas de pessoas durante os finais de semana se arrisquem e realizem a travessia, ou pelo menos, parte dela. Paranapiacaba recebe centenas de turistas nos finais de semana. Por muitos anos, me recusei a fazer essa trilha, porque além de ela ser ilegal, ela também é perigosa, mas esse ano conheci duas pessoas que já fizeram esse trajeto mais de 05 vezes cada um, sendo conhecedores do local de olhos fechados, assim me senti mais seguro. Antes de mais nada, na minha opinião, acredito que a melhor solução para esse assunto seria a empresa cobrar uma taxa de entrada, e com esse dinheiro, aplicar na manutenção da trilha, deixando ela mais segura para os amantes de aventura, assim, todos ganhariam, a empresa, nós e Paranapiacaba, que assim, poderia receber mais turistas. O fato de proibir por proibir sabendo que existem pessoas que ate acampam no local, da a sensação que as autoridades junto com a empresa tem preguiça de lidar com a situação, pois ao mesmo tempo o acessos a trilha e a saída dele são fáceis de identificar, se de fato quisessem proibir, não seria difícil fazer isso, ao meu ver parece que eles apenas buscam fugir da responsabilidade caso alguma coisa aconteça. Vagão de trem abandonado logo no começo da trilha Bom, dito tudo isso, vamos falar um pouco mais sobre a Trilha Funicular, a travessia até Cubatão tem 15 km, passando por 16 pontes e 13 túneis, as pontes estão a 50/60 metros de altura do chão, a trilha muitas vezes passa por mata fechada, tendo muitos espinhos, aranhas e até cobras, por isso é recomendável usar camisa manga longa e calça larga, e caso veja uma cobra pelo caminho, só precisa ter calma e deixar ela seguir seu trajeto em paz, recomendo o uso de lanterna para ajudar a atravessar os túneis. A trilha é plana e tranquila de se fazer, não requer muito esforço físico, agora as partes que atravessam a ponte, essas não são tão simples, primeiro porque sempre dá aquele medo, então é comum muitas pessoas travarem na hora e não conseguirem, segundo, as pontes estão bem danificadas, já que elas foram construídas e postas em operação no ano de 1867 e foi desativada entre 1970 a 1980, então a conservação da ponte esta comprometida, a parte de madeira esta podre e em alguns locais, o ferro que da a sustentação, esta bem gasto. A situação das pontes não são das melhores. No caminho, atravessamos por 05 pontes na ida, a primeira foi a mais cansativa, por ter todos esses problemas que citei acima, mas conforme você vai fazendo, você vai pegando confiança e segurança, na quarta e quinta ponte já fazia em pé, sem precisar me apoiar em nenhum lugar. A nossa volta, passamos por duas pontes e cortamos caminho para chegar ao novo sistema funicular, dando a oportunidade de ter a visão das pontes de longe. Além das pontes e trilhas, no caminho tem estruturas diversas, como as Casas das Máquinas, esses lugares geralmente são para as pessoas que querem acampar a noite, fazer alguma comida ou dar aquela descansada. Começamos a trilha as 09:00h da manhã e voltamos a cidade as 15:30h da tarde, já que estava ameaçando chover, nosso trajeto foi até a segunda casa das máquinas, que fica depois da quinta ponte, lá tem um ótimo lugar para tirar fotos e apreciar a Serra do Mar, chegando a ver Cubatão ao fundo, muitos vão até a terceira ponte, onde tem a primeira casa das máquinas e um ótimo lugar para tirar fotos também, os mais corajosos vão ate Cubatão. Dando aquela pausa na segunda casa das máquinas. A imponente Serra do Mar ao fundo Recomendo que caso você tenha interesse em realizar a travessia ou parte dela, que busque algum guia local ou pessoas que já fizeram e que possam ter ajudar durante a trilha, é de extrema importância ter um apoio, se eu fizesse ela sozinho, sem ter ao meu lado duas pessoas experientes, a situação seria muito mais complicada do que foi. Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. **** Aos amigos do blog que vão viajar e reservar sua hospedagem, peço para usarem minha caixa de pesquisa na página inicial do site, assim o Booking repassa uma parte da comissão para mim, ajudando eu a seguir com o trabalho aqui no blog, isso não gera nenhum custo adicional para você. Valeu =] **** Follow me
  16. Há um mês atrás comecei a pesquisar algum parque estadual que fosse próximo de São Paulo e que ao mesmo tempo fosse tranquilo, com trilhas e cachoeiras para serem conhecidas, assim cheguei na cidade de São Miguel Arcanjo, entrada para o Parque Estadual Carlos Botelho, localizado a 220 km da capital Paulista e 25 km da cidade de São Miguel Arcanjo. O Parque Estadual "Carlos Botelho" foi criado em 1982 e esta situado nos municípios de São Miguel Arcanjo e Capão Bonito, o parque é um dos mais importantes refúgios de vida selvagem da região sudeste do Estado de São Paulo, fazendo parte do contínuo ecológico de Paranapiacaba (incluindo o Intervales, PETAR e a Estação Ecológica de Xitué), constituindo um dos mais significativos corredores ecológicos conectores de remanescente da Mata Atlântica do Brasil, devido a essa importância, recebeu da UNESCO o título de "Sitio do Patrimônio Mundial da Humanidade". Assim, além de toda beleza natural, há toda uma importância para a preservação da região, hoje o local é considerado uma Unidade de Conservação protegida pelo Poder Público, que consiste em cuidar, manter e proteger toda a fauna e flora daquela região, ali abriga a maior população de muriquis, um dos maiores primatas das Américas, dos 1.200 monos-carvoeiros, mais da metade habita nas matas do Parque, ao lado de outras espécies, como a onça pintada. Meu cantinho no feriado. - Hospedagem Existem muitas opções na região, você pode ficar hospedado em São Miguel Arcanjo, ou ficar no núcleo Carlos Botelho, que fica bem na entrada do parque, porém só tem a opção de ficar em chalés e precisa marcar com alguma antecedência, a opção que eu escolhi foi ficar no Parque da Onça Parda, um camping com uma estrutura muito boa que fica dentro do parque, então o contato com a natureza se da a todo momento. O Camping conta um vestiário com 03 chuveiros com água quente, cozinha completa, a iluminação do camping é através de energia solar e ainda há espaços cobertos para locação, onde cabem de 02 a 04 barracas. O Camping também ajuda com a contratação de guias turísticos, já que existem três trilhas que só são feitas com um guia, ate que gostaria de fazer sozinho, mas depois de ir com o guia, seria praticamente impossível acertar o caminho, fora que com o guia você aprende muito sobre a fauna e flora do lugar. A diária no feriado foi de 50 reais por pessoa e em final de semana normal cai para 45 reais. as reservas podem ser feitas no telefone (15) 99728- 1752 (Diego) ou pelas redes sociais do Parque (Marcel), os dois são os proprietários do Camping, super solícitos e estão sempre dispostos a ajudar durante sua estadia. **** Aos amigos do blog que vão viajar e reservar sua hospedagem, peço para usarem minha caixa de pesquisa na página inicial do site, assim o Booking repassa uma parte da comissão para mim, ajudando eu a seguir com o trabalho aqui no blog, isso não gera nenhum custo adicional para você. Valeu =] **** - Transporte O Parque da Onça Parda fica em torno de 220 km da cidade de São Paulo e para chegar lá somente com carro, pois a viabilidade de se chegar indo de ónibus ate São Miguel Arcanjo e por lá arranjar transporte até o Parque Carlos Botelho, pode ser um pouco complicado, ainda mais aos finais de semana, acredito que de carro seja a melhor saída, já que ele te da uma maior mobilidade. O camping fica a 2 km da entrada principal do parque, entrando em uma estrada de terra logo após a ponte sobre o Rio Taquaral, a estrada comporta qualquer tipo de carro. - Alimentação Já que acampei no Parque da Onça Parda, usei a cozinha para fazer minha própria comida, já que o camping fornece toda a estrutura necessária, mas para aqueles que querem comer fora, na entrada do parque tem um restaurante chamado Mata Atlântica, que oferece comida no forno a lenha. Porém, recomendo comer o tradicional bolinho de frango na Casa da Rose, fica a 19 km da entrada do Parque em direção a São Miguel Arcanjo, quem for lá, é parada obrigatória. - Atrativos O Parque da Onça Parda está inserido no entorno do Parque Estadual “Carlos Botelho”, uma das áreas mais bem preservadas de Mata Atlântica do Brasil e considerado Patrimônio Natural pela UNESCO. Trilha da Cachoeira das Pedras do Ribeiro Bonito: Trilha de nível fácil para quem já esta acostumado com o esporte, duração de 02-03 horas, percorrendo em torno de 05-06 km, a trilha precisa de guia, pois no caminho será necessário atravessar o rio algumas vezes e as entradas são difíceis de identificar, sou acostumado a fazer sozinho as trilhas, mas nesse caso não tinha como, pude perceber isso no caminho rs. Os guias da região costumam cobrar em torno de 25 reais por pessoa e podem ser adquiridos no Parque da Onça Parda. Trilha dos Monos: A trilha da Cachoeira é a principal do parque e praticamente obrigatória, a segunda é a dos Monos, que também é de nível fácil, com duração de 02-03 horas de caminhada, percorrendo em torno de 05km, e também é necessário o serviço de um guia, já que a trilha também atravessa o rio e tem alguns pontos que há bifurcações que podem confundir. Ela tem uma subida bem íngreme, em torno de 30 minutos de subida, e tem uma corda para auxiliar o viajante. de resto é uma trilha normal, tranquila, e o serviço pode ser contratado no Parque no valor de 25 reais. Essas duas trilhas cruzam por diversas vezes o rio, então se prepare, porque você ira molhar o tênis, não tem escapatória. Trilha da Onça: Não tive tempo de realizar essa trilha, que é mais curta que a Trilha da Cachoeira e dos Monos e necessita de guia. Além dessas 03 trilhas, existem outras que são auto guiadas, ou seja, você pode realizá-las sozinhas, como também praticar o boia-cross no rio que corta o parque. Todos esses atrativos citados saem do Parque da Onça Parda, porém a região conta com outras atividades como a ida ao Parque Taquaral, existem Vinícolas que podem ser visitadas , outras trilhas que saem do núcleo Carlos Botelho (que fica na entrada do Parque), além de outros esportes de aventura. A região, por ser próxima a São Paulo, é uma ótima dica para quem quer descansar um pouco e ter esse contato com a natureza, as trilhas são leves, a estrutura é boa, a cidade de São Miguel Arcanjo é muito bonita, com alguns bares e restaurantes, enfim.... fica a minha dica de passeio. Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. Follow me
  17. https://www.followtheportuga.com.br/single-post/Trilha-Funicular-Travessia-Paranapiacaba-x-Cubatao
  18. Ola galera, sou o Rafael do site Follow the Portuga e estou deixando meu relato da bela cidade de SEvilla, para quem quiser ver mais fotos tenho o instagram @followtheportuga e o facebook Follow the Portuga. Óbidos é uma vila portuguesa situada em Leiria, a 80 km de Lisboa, contando com apenas 12 mil habitantes, a vila recebe centenas de turistas todas as semanas. A pequena Vila tem um charme especial para quem gosta de cenários que remetem a idade média, por ser pequena, o passeio acaba não sendo cansativo e com algumas horas, é possível visitar toda a cidade. Sua beleza acaba atraindo muitos turistas e assim o governo organiza alguns eventos durante o ano, são eles: Mercado Medieval de Óbidos Óbidos regressa a Idade Média e sua cidade passa a viver como seus antepassados, para mim, esse é um dos melhores festivais que acontecem em Portugal, já que ocorre em diversas cidades, há teatro, música, gastronomia, tudo remetendo ao passado e sempre contanto uma parte da história de Portugal. Para maiores informações: http://mercadomedievalobidos.pt/ Vila Natal De 30 de novembro a 31 de dezembro, ocorre o Vila Natal de Óbidos, e acho que o nome já diz tudo né. a entrada custa 07 euros para os adultos e 05 euros para as crianças. Para maiores informações: http://obidosvilanatal.pt/ Festival do Chocolate Em Abril ocorre o festival internacional do chocolate na pequena Vila de Óbidos, perfeito para quem gosta de um doce. Para maiores informações: http://festivalchocolate.cm-obidos.pt/ FOLIO - Festival Literário Internacional de Óbidos Óbidos se transforma em uma vila literária Para maiores informações: http://obidosvilaliteraria.com/folio-festival-literario-internacional-de-obidos/ Fora as três atrações anuais que acontecem em Óbidos, a Vila continua sendo muito visitada em dias normais, a parte mais visitada são as muralhas de Óbidos, você consegue andar por quase 02 km em cima delas, tendo toda a vista para a cidade e o entorno, eu recomendo assim que entrar na Vila, fazer esse trajeto e depois na volta, ir pelas estreitas vielas da cidade. Não deixe de provar a famosa GINJA em copo de chocolate, Ginja é uma fruta similar a cereja e dela se obtém um licor, se for a Óbidos e não tomar ginja, quer dizer que você não foi a Óbidos. Espero que tenham gostado do relato, para qualquer dúvida só mandar mensagem pelas minhas rede sociais, estou presente no Instagram no rafacarvalho33 e no Facebook no Follow The Portuga. Follow me
  19. Ola galera, sou o Rafael do site Follow the Portuga e estou deixando meu relato da bela cidade de SEvilla, para quem quiser ver mais fotos tenho o instagram @followtheportuga e o facebook Follow the Portuga. O que fazer em Sevilla em 02 dias? Viajar em Agosto para o Sul da Espanha é mostrar um pouco da minha loucura rs, muita gente me disse que eu iria me ferrar pelas altas temperaturas, fiquei mais de um mês me preparando mentalmente para aguentar esse calor todo, e sim, faz muito calor, mas nada que te impeça de passear por essa bela região. Os dias são longos, o Sol só ira desaparecer lá pelas 21/22 horas, isso te dá muitas horas para você programar o seu dia, visitar algo pela manhã, almoçar com calma, tirar a famosa soneca na hora que o calor esta mais forte e pelas 17 horas voltar a programação normal. Assim, fui preparado para enfrentar as altas temperaturas, que chegavam facilmente acima dos 40 Graus, para se ter uma ideia, um dia era 23 horas e fazia 38 Graus, para quem veio de São Paulo e esta morando em Portugal, não é fácil lidar com isso, mas Sevilla se provou ser uma cidade fantástica, e realmente é. - Hospedagem Fiquei hospedado no Hostel A2C, um hostel com ótimo custo beneficio, o quarto tinha ar condicionado, isso faz toda a diferença hehehe, ele fica localizado próximo a região dos bares de Sevilla, e uns 15 minutos a pé do centro histórico em uma região totalmente segura. O quarto era compartilhado em 08 camas, com um banheiro dentro do quarto, já tinha o café da manhã incluso e saiu por €14,00 a diária. **** Aos amigos do blog que vão viajar e reservar sua hospedagem, peço para usarem minha caixa de pesquisa na página inicial do site, assim o Booking repassa uma parte da comissão para mim, ajudando eu a seguir com o trabalho aqui no blog, isso não gera nenhum custo adicional para você. Valeu =] **** - Transporte Para quem esta acostumado a viajar pela America do Sul, ir para Europa é fácil demais, é tanta forma de chegar ao destino, que ate se fica perdido, para Sevilla você pode ir de várias maneiras, desde avião, ônibus, carro ou trem, eu acabei fazendo essa viagem de carro, desde a cidade do Porto. Único problema encontrado foi para estacionar o carro na cidade, aqui na Europa, temos sempre poucas vagas gratuitas para muitos carros, então tive que deixar um pouco afastado do centro histórico e ir a pé ate o hostel, mas deixar o carro na rua não tem nenhum problema em questão de segurançao, isso é um grande alivio. - Alimentação Na Espanha é normal você encontrar os famosos menus diários, como se fosse nosso prato feito, você escolhe o primeiro prato, depois o segundo, ganha a bebida e a sobremesa, tudo isso num valor entre 10-14 euros sempre na hora do almoço, óbvio que para quem gosta de frequentar restaurantes melhores o preço sobe um pouco. - Segurança Para quem viveu e foi criado em São Paulo, estar na Europa é estar em um local muito seguro, claro que alguns cuidados devem ser tomados, mas não tive nenhum tipo de problema em Sevilla, mesmo quando andava de madrugada pelas ruas. - Passeios Sevilla me surpreendeu muito pela quantidade de praças, igrejas e lugares que pode ser visitado, tudo muito bem conservado e acessível para ir a pé desde o centro. Vou começar por um dos lugares que eu mais gostei de Sevilla: Plaza de España A praça da Espanha tem uma formato já peculiar, pelo menos as que eu conheço são num formato quadrangular, essa já tem o formato da metade de um círculo, e além disso tem um lago para passear de barco, isso da um charme muito especial a praça e um certo ar de romantismo. Se você ir a Sevilla, esse lugar é obrigatório. Praça da Espanha - Sevilla Real Alcázar de Sevilla Esse é um outro ponto obrigatório para se conhecer em Sevilla, ganhou muita fama por ter a série da HBO, Game os Thrones, gravada no local, especificamente na parte dos jardins. O lugar é muito bonito e conta com uma rica história. O alcazár começou pelo ano de 713, já na época dominada pelo povo árabe, sempre serviu com o propósito de abrigar comandantes e pessoas da realeza, a entrada custa €11,50 e pode ser adquirido logo na entrada. Pensei em fazer o passeio lá pelo meio dia, mas a fila estava gigantesca, não tive coragem e aproveitei para conhecer outra parte da cidade, ao fim da tarde ao passar por lá, não havia fila nenhuma, não consegui entender muito o motivo disso, mas acabei gostando de entrar no local sem tomar 1 minuto de fila hehehe. Caso você queria se programar melhor, é possível comprar o ticket de entrada pela internet e assim evitar as possíveis filas. Metropol Parasol Não me pergunte o que isso significa hehe, brincadeiras a parte, aqui temos a maior construção de madeira do mundo, realizada por um arquiteto alemão e finalizada em 2011, ali se encontra área de restaurante, bares, com um belo mirador para o centro da cidade e um pequeno museu. A construção é muito intrigante e vale a visita. Metro Parasol Além dos 03 lugares citados acima, temos ainda Torre del Oro, Giralda e o Arquivo Geral das Índias, que valem a visita, apesar de não serem nada de extraordinário. Noite Para um final de semana esperava mais de Sevilla, mas por ser verão, percebi que a cidade estava um pouco mais vazia, talvez todos estivessem ido para a praia no sábado, mas deu para conhecer um pouco da noite quente de Sevilla, os dois lugares visitados foram o Bar New York e Manhattan, que fica beirando o Rio Guadalquivir, que pelo que percebi o publico é um pouco mais elitizado, por assim dizer. E outro lugar que achamos foi na Alameda de Hércules, um pouco mais alternativo por assim dizer, há diversos bares, muita gente bebendo nos bancos da praça, e o bom que era do lado do nosso hostel. Praça da Espanha - Sevilla Uma coisa muita estranha para mim foi a ausência de música nos bares e na rua, era um silêncio que ate incomodava, não encontramos nenhum artista de rua fazendo um som, ou algum bar mais animado, foi algo que não estou acostumado, já que a cidade do Porto é bem animada a noite. Como eu sempre digo, além de conhecer os principais pontos da cidade, a melhor coisa para se fazer é andar pelas vielas estreitas da cidade e captar cada detalhe das ruas, dos prédios, do dia a dia dos moradores de Sevilla. Espero que tenham gostado do relato e não se esqueçam de me seguir nas redes sociais =] Instagram e Facebook. Follow me
  20. Ta pensando em viajar para um lugar diferente? Fora da mesmice? 🤔 Bora viajar para o EQUADOR No Equador passei por Cuenca, Montañita, Baños e Quito foram 13 dias de viagem e gastei $253,30 dólares, uma média de $19,50 por dia, incluindo hospedagem, comida, passeio, transporte e a cerveja do fim da noite, como disse, muitos gastam 5/10 dólares ao dia, outros 40 dólares, depende do seu estilo. EQUADOR Total de dias: 13 dias Total de gasto: $253,30 dólares Gasto em média por dia: $19,50 dólares Se quiser ver a tabela com todos detalhes, só clicar no link abaixo https://drive.google.com/open?id=0BwoRR6RnB40Fd3NtWWJ4MjJMdkk Veja os relatos de cada cidade visitada ( Cuenca, Montañita, Baños e Quito) no BLOG. E não esqueça de seguir a página FOLLOW THE PORTUGA no facebook.
  21. Cheguei à conclusão de postar o custo da viagem sempre com o intuito de ajudar o próximo a viajar, mas os gastos de viagem é sempre uma coisa pessoal, tem gente que gasta metade do que eu gastei, outros gastam o dobro, depende do tipo de viagem da pessoa. Muitos viajam de carona e outros de avião; uns cozinham a própria comida e outros vão em restaurantes de 05 estrelas; muitos dormem em barraca em posto de gasolina e outros em hotéis luxuosos. Nos últimos 24 meses planejei a viagem na medida daquilo que eu gosto, nem na sofridão eterna e nem no luxo glamoroso. Geralmente fico em hostels baratos, porque além de gostar do ambiente, ele me propicia a fazer amigos, trocar informações e por ai vai, muitas vezes eu cozinho para economizar dinheiro, e quando vou a um restaurante sempre escolho um lugar popular, sempre do mais barato, já passei inúmeros dias sem almoçar, outros sem tomar café da manhã, sentir fome é algo constante, mas lido bem com isso, deve ser por isso que emagreci oito kilos em 45 dias hahahaha. No Peru passei por Lima, Huaraz, Trujillo, Chachapoyas e Mancora foram 22 dias de viagem e gastei $492,20 dólares, uma média de $22,37 por dia, incluindo hospedagem, comida, passeio, transporte e a cerveja do fim da noite, como disse, muitos gastam 5/10 dólares ao dia, outros 40 dólares, depende do seu estilo. PERU Total de dias: 22 dias Total de gasto: S/1528,70 soles ou $492,20 dólares Gasto em média por dia: S/69,50 soles ou $22,37 dólares Se quiser ver a tabela com todos detalhes, só clicar no link abaixo https://drive.google.com/open?id=0BwoRR6RnB40FWU9YMkNyaFh1WHM Para acompanhar os relatos de cada cidade e dicas essenciais, só clicar nesse outro link: https://www.followtheportuga.com.br/peru Me acompanhe também no Facebook FOLLOW THE PORTUGA e no Instagram @followtheportuga
  22. Quase sempre navegando pela internet eu me deparo com algumas notícias " Fulano faz volta ao mundo em 96 dias", "Ciclano demora 110 dias para percorrer todos os continentes", e as mais famosas "Eurotrip passando por 25 países em 10 dias", e assim vai, não quero fazer nenhuma crítica pessoal a ninguém, cada um gasta o seu dinheiro da maneira que quiser, não tenho a intenção de impor nenhuma regra, mas ao mesmo tempo preciso opinar sobre essa onda que surge de tempos em tempos. Cada vez mais nos deparamos com esse tipo de viagem e isso acaba incentivando as pessoas a fazerem igual, e eu sempre me faço os seguintes questionamentos "é possível conhecer uma cultura local com tantos poucos dias assim?", não seria preferível invés de ficar 02 dias em cada país, você ficar os 25 em um só e poder conhecer tudo numa profundidade maior, fazendo uma viagem mais intensa no país escolhido, não é um pouco superficial esse estilo de viagem? As vezes me soa como se fosse alguma coisa mais para falar que fez, do que para realmente conhecer uma outra cultura, em dois dias não da tempo nem de decorar onde fica aquela padaria legal que tem um pãozinho bom e barato hehehe, ou onde tem aquela cerveja gelada com uma galera animada, imagino as pessoas chegando na cidade, indo para os pontos turísticos, batendo fotos e indo para o próximo país fazer a mesma coisa. Eu sou da turma que entende que o caminho para chegar ao destino final vale mais que o próprio destino em si, ali esta a motivação por a gente viajar, em descobrir uma nova cultura, comer uma comida diferente, utilizar o transporte público, conhecer pessoas locais e trocar ideias sobre o mundo, esse é o principal, Machu Pichu ou uma Torre Eiffel, é só a cereja do bolo, só para finalizar uma viagem com chave de ouro, tenho certeza que 99% das histórias boas que você conta para seus amigos são de momentos aleatórios de uma viagem, estar perdido no metro, ou tentar falar a língua local sem ter domínio nenhum, ou não saber o que pedir no restaurante. Então na sua próxima viagem, seja menos rígido com você mesmo, deixe alguns dias livres, faça menos países, e mais cidades de um mesmo país, tire alguns dias de bobeira para caminhar nas ruas olhando cada detalhe dos prédios, como as pessoas conversam e ate como elas olham para você, se permita a sentir como funciona a cidade. A vida já é rápida o bastante, a viagem não precisa ser assim também. Para ler mais viagens dessas, só seguir o Facebook Follow the Portuga.
×
×
  • Criar Novo...