Ir para conteúdo

rafacarvalho33

Membros
  • Total de itens

    98
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que rafacarvalho33 postou

  1. Após o meu retorno para São Paulo e me acostumando com a vida rotineira de casa-trabalho-casa e vendo prédios para todos os lados, resolvi com mais 04 amigos fazer a trilha da Ferradura, na cidade de Paranapiacaba, que fica a 50 km do centro de São Paulo. Uma das cachoeiras da trilha A trilha tem um grau de dificuldade que poderia falar que é difícil, o caminho não tem nenhuma conservação e pela quantidade de pessoas que frequentam o lugar nos finais de semana a situação acaba ficando bem precária, em boa parte do tempo a trilha fica nas pedras, isso acaba gerando um cansaço maior por ter que ficar subindo e descendo em lugares escorregadios, tem que tomar cuidado para não escorregar e se machucar, é tanta gente fazendo que nem precisa de guia, é praticamente seguir o fluxo, infelizmente o lugar acaba traindo pessoas que não conseguem entender a importância de respeitar a natureza, é normal ver lixo pelo caminho, pessoas fazendo churrasco e som ligado em volume alto, isso tira um pouco da magia do lugar, a sugestão que eu dou é seguindo em frente, quanto mais longe do começo das cachoeiras, melhor. Começo do trilha Para quem vai no meio de semana, da para fazer sozinho sem guia, nas arvores a fitas amarelas indicando o caminho correto, e recomendo usar o google maps, ele consegue te ajudar e muito, abaixo vou colocar uma foto da trilha. Vamos agora a um simples relato para tirar suas dúvidas: - Como chegar? Bom, acabamos decidindo ir de carro e coloquei no google maps para ir ate um lugar chamado Cefelqui, que me parece que é um pesqueiro hehehe, ali na frente tem um bom gramado onde você poderá deixar o carro de graça, a trilha começa a menos de 500 metros dali, pela Rodovia Deputado Antonio Adib Chammas, posteriormente descobri que o local tem estacionamento no valor de R$15,00 a diária, porem como chegamos antes das 08h, ainda não estava aberto. A outra forma para chegar em Paranapiacaba, que um amigo nosso fez, foi ir de transporte público, ele pegou a Linha Turquesa da CPTM, ate a estação de trens Rio Grande da Serra, ali na frente da estação, sai o ônibus para Santo André (Paranapiacaba), ai só pedir para o motorista para te deixar no começo da trilha, não tem erro. Como fomos em um domingo, eram dezenas de pessoas fazendo esse trajeto, na volta é só retornar no sentido oposto do qual você veio e esperar passar o ônibus para Rio Grande da Serra. Mapa da trilha da ferradura. - Onde comer? Essa não tem erro, em nenhum lugar hehehe, a trilha não possui nenhuma infraestrutura, esteja preparado, leve água suficiente para um dia, comida, frutas, só cuidado para não exagerar e ficar com uma mochila muito pesada, ne?! hehe - Consigo acampar? Sim, é possível acampar durante a trilha, caso queira isso, é recomendado ir na sexta feira a noite, assim você terá mais espaço para escolher, mas se você procura sossego e um contato maior com a natureza, o lugar não é para você, a quantidade de pessoas, o barulho das músicas, churrascos e bebedeiras quebram um pouco do encanto do lugar. A trilha vai descendo entre as montanhas por essas pedras lisas e escorregadias. Cuidado! - O lugar é perigoso? Olha, confesso que nunca fui fã de trilhas próximos a grandes cidades, você acaba escutando muitos relatos de assaltos e coisas parecidas, como a trilha é totalmente largada, não há nenhum controle e presença por parte do Governo, então é meio que normal muitas pessoas irem com facões na cintura ou mochila para caso seja necessário, mas como fomos em um Domingo e tinha tanta gente que era difícil de acontecer algo, mas é bom tomar um pouco de precaução. Uma das cachoeiras da trilha Qual o grau de dificuldade da trilha? Olha, eu já fiz bastante trilha na minha vida, nessa eu achei de moderado para difícil, mais pro difícil do que moderado hahaha. A questão como falei antes é que por não ter nenhum tipo de preservação, algumas partes são bem difíceis de avançar, exigindo um esforço maior, e boa parte da trilha é por pedras lisas, então é normal ter que descer e subir nelas, isso gera um esforço e cuidado maior. Começamos a trilha por volta das 08 horas da manhã e só fomos termina-la as 17:30h, claro que paramos para entrar na água, tirar fotos e comer. Acredito que andamos em torno de 15/17 km. Já que erramos em algumas partes. Bom, acho que essas dicas acima já irão te ajudar a chegar lá, não se esqueçam de levar outra troca de roupa, uma meia e chinelo, pois provavelmente terão que passar por poças de água, tente evitar o máximo possível, pé molhado em trilha nunca é agradável, eu consegui ate o finalzinho, ate que chegou em uma parte que não teve jeito, tive que afundar meu pé na água hehehe. Espero que vocês tenham gostado e qualquer dúvida estou a disposição. E sigam meu instagram @followtheportuga com muitas fotos das minhas viagens e meu facebook Follow the Portuga. Leve sacolas plásticas para guardar seu lixo, respeite a natureza. Follow me
  2. A mudança é normal, ela traz a evolução, a experiência de viver uma nova perspectiva, a saída de uma bolha para conhecer outras, a busca de novos mundos, sair da zona de conforto sempre será benéfico, mesmo as que tenham causado alguma experiência ruim. Isso é o que muitos chamam de "bagagem da vida", tudo aquilo que você já passou, você carrega com você para o resto da vida. Quando você se permite a viajar, a interagir com outra cultura, você percebe o quanto precisa aprender, que o conhecimento que você tem das coisas é muito pequeno para achar que já sabe de tudo, viajar te deixa humilde, te obriga a pedir ajuda para saber onde fica uma rua. Viajar corta o seu instinto de julgar a tudo e a todos e abre a porta da aprendizagem. Não tem uma viagem que eu não tenha aprendido inúmeras coisas e voltado diferente, cada partida é uma viagem pelo meu EU interior também, sempre que vou descubro um pouco mais sobre mim, vou me conhecendo aos poucos, do que gosto e do que não gosto, do que aceito e do que não aceito de uma forma muito clara. Entendo perfeitamente quem tem medo da mudança, quem nunca teve? Até hoje eu tenho quando começo a fazer algo que nunca fiz na vida, mas sempre mentalizo que isso me fará bem e me tornarei uma pessoa melhor, a questão é que não é fácil quebrar essa barreira, precisa de muita preparação mental para isso, mas se arrisque, só temos uma vida. Viajar faz bem para a alma, faz bem para o mundo. Permita-se a isso. O mundo é muito grande para ficar parado no mesmo lugar. 🌍🌍🌍 Para mais textos assim acompanhe a página no Facebook FOLLOW THE PORTUGA e instagram @followtheportuga =]
  3. Já viajei diversas vezes pelo Brasil, mas foi a primeira vez que fiz uma ROAD TRIP, e foi uma das que eu mais gostei, porque a liberdade que você tem para ir aos lugares é muito boa, é só uma questão de querer, ligar o carro e partir, claro que mais uma vez buscamos de fazer no modo econômico, acampamos no começo da viagem, e depois ficamos em hostels/pousadas bem baratas, e no fim da viagem em casa de amigos, além disso, na parte da alimentação passávamos o dia com frutas e lanche de pão com mortadela e a noite cozinhávamos ou comíamos em algum restaurante barato, no transporte tínhamos um carro que andava bem gastando pouca gasolina, só tivemos o azar de que na metade da viagem o preço subiu quase 0,40 centavos, mas era o jeito né. O planejamento se deu em acampar e fazer passeios na natureza nos primeiros 15 dias de viagem, incluindo trilhas, cachoeiras, mirantes e muitos parques naturais, mas deixei reservado os últimos 10 dias da viagem para ficar na praia e curtir algumas festas já que ninguém é de ferro. Antes dessa viagem eu fiquei 05 meses viajando pela America Latina, passei por Peru, Equador e Cuba (onde tive um gasto médio de 20 dólares por dia) e Colômbia (11 dólares por dia), em comparação ao Brasil, infelizmente chegamos a conclusão que viajar pelo Brasil é mais caro do que viajar pelos nossos países vizinhos, tive um gasto de 110 reais ao dia, uma média de 33 dólares por dia, apesar de um custo maior posso afirmar que viajar pelo Brasil foi muito melhor, nosso país é muito lindo. No total foram 25 dias de estrada, rodando no total 6.100 km e passando por lugares como Capitólio, Serra do Cipó, Conceição do Mato Dentro, Diamantina, Lençóis, Vale do Capão, Mucugê, Caraíva, Vitória e Rio de Janeiro. Abaixo tem o link com os gastos detalhados, espero que gostem e que te dê o incentivo para conhecer esse nosso maravilhoso país. https://drive.google.com/open?id=0BwoRR6RnB40FT2JIN0haMXJSWGM ps: O alto valor do item OUTROS foi devido as cervejas que tomei no caminho rs BRASIL Total de dias: 25 dias Total de gasto: R$ 2.794,67 Gasto em média por dia: R$ 110,00
  4. Ola galera, sou o Rafael do site Follow the Portuga e estou deixando meu relato da bela cidade de Caraíva, para quem quiser ver mais fotos tenho o instagram @followtheportuga e o facebook Follow the Portuga. Caraíva é um paraíso baiano, disso não tenho duvidas, quando decidimos ir para o litoral marcamos vários lugares para conhecer, mas conforme íamos conhecendo as pessoas, todos nos recomendavam a ida a Caraíva. Assim, decidimos ir para lá, foram 14 horas de carro da Chapada Diamantina, pegamos uma estrada muito ruim nos seus últimos 30 km, quando era 22 horas da noite no meio do nada o carro atolou no meio do barro, a sorte foi que tinha outro carro atolado, assim ajudamos uma Doblo a sair do lamaçal, ai depois eles ajudaram a empurrar o Peguet, nem precisa dizer que ficamos com lama ate o joelho. Além disso, estávamos com o receio de não ter nenhum barqueiro fazendo a travessia já que era bem tarde já, mas tudo isso valeu a pena. rs Deixamos o carro em um estacionamento que cobrava 20 reais por dia, pegamos o barco que custa 05 reais por pessoa e finalmente havíamos chegado no paraíso desconhecido, CARAÍVA. A ideia inicial era se ficar apenas 02 dias, no máximo 03, no total foram 06, a única explicação viável para isso foi que existe um mosquito muito especifico na cidade, e quando ele te pica, você esta ferrado, só não ficamos mais porque meu amigo tinha data certa para voltar a trabalhar, senão poderíamos estar lá ate agora hehehe. Confira o relato completo: - Hospedagem Ficamos hospedados em um hostel que foi nossa melhor escolha, é uma casa muito acolhedora, com vários voluntários, deixando um clima muito legal, ali fizemos muitas amizades que fez total diferença na nossa estadia. O engraçado é que todo dia falávamos que no dia seguinte a gente iria embora, e quando chegava de manhã, sempre avisávamos que íamos ficar mais um dia, e a galera sempre dava risada. O lugar se chama Aruanda Hostel, o valor da diária ta 55 reais, mas pelo convívio com a turma, vale muita a pena. Queria contar essa história que foi muito legal para nós, a cidade praticamente só aceita dinheiro, como íamos passar apenas 02 dias, tínhamos dinheiro para isso, e não para 06 dias, no final além do Vitor, dono do hostel, ter feito um desconto, ele deixou a gente fazer um deposito na conta dele quando chegássemos em São Paulo, foi muito bacana da parte dele essa confiança. Claro que conseguimos falar com um amigo nosso de SP e ele fez a transferência ainda no mesmo dia, mas fica a historia de que ainda tem pessoas boas no mundo. - Transporte Infelizmente no Brasil o turismo não tem o investimento e a estrutura que merecem, geralmente se você não tiver um carro, você não conseguira chegar a lugar nenhum, só se estiver viajando de bike ou carona, pois se depender de transporte público dificilmente chegara aos lugares turísticos, ou então vai ter que depender de agências de viagem que vão cobrar o olho da cara e nem é em toda cidade que elas existem. O que posso recomendar é ter um carro, ou alugar um, pegar o mapa da cidade com os pontos de seu interesse e dirigir ate ele, aqui você já tem dicas dos principais pontos, jogue no google maps e vá. O paragrafo acima eu estou colocando em todos os posts, mas Caraíva é dos lugares que o carro não é tão necessário assim, a cidade não aceita carros, então você pode chegar de ônibus, pegar o barco e ficar por Caraíva, já que da para fazer tudo a pé. - Alimentação No centro da cidade tem alguns mercadinhos onde é possível comprar algumas coisas para cozinhar, os mercados são bem simples, mas tem o básico. Existem alguns restaurantes no centro, os preços são um pouco mais caros que o normal, porque a praia é bem turística, mas uma coisa que você precisa provar é o pastel de arraia. Famoso na área. - Segurança Caraíva é muito tranquila, você nem vê presença do governo na região, muito menos da policia, um lugar perfeito para se estar, andávamos de madrugada por lá, e nunca houve nenhum tipo de problema. - Passeios Por ser praia, a pegada é totalmente diferente dos destinos anteriores, ali era o lugar para relaxar e curtir, tivemos a sorte de encontrar com um casal de Espirito Santo que havíamos conhecido na Chapada Diamantina, um casal muito gente boa que foram bem parceiros com nós, então durante o dia ficávamos na praia, curtindo o sol, conversando e conhecendo pessoas, aproveitando toda a vibe do lugar, durante a noite sempre rolava um samba em algum canto, logo depois um forró pé descalço e na areia, era assim todos os dias, lá as casas se organizavam para receber o evento, então cada dia era em algum lugar, e somente um lugar abria, fazendo com que todos fossem para o mesmo local. Isso foi uma das coisas que não sabíamos, e que acabou nos fazendo ficar mais tempo, pois queríamos um pouco de diversão noturna, chegar de manhã no hostel, acordar tarde e passar o dia na praia de ressaca esperando a noite chegar hehehe. Nesse lugar conhecemos muitas pessoas que marcaram e que a amizade permanece ate hoje, apesar da distancia. Ponta do Corumbau: Esse é o único passeio que encontramos para fazer e o fizemos, você contrata um bug para te levar ate esse local, são quase 40 minutos ate chegar, é uma praia muito bonita, onde passamos o dia por lá, conhecemos uma tribo indígena que fica próximo ao local explorando o artesanato e no final da tarde retornamos para Caraíva, recomendo levar lanches e água, pois no local não tem lugar para comprar. O valor depende muito da oferta e demanda, em 04 pessoas ficou R$220,00. Se for em 02 pessoas, eles fazem um valor mais barato. Essa foi nossa passagem por Caraíva, íamos ficar menos dias para tentar aproveitar outras praias, ate ao Espirito Santo, mas esse lugar cativou e nada como não permanecer num lugar onde nos faz bem, não?! Com isso, fomos com o casal que conhecemos ate Vitória/ES, eles nos emprestaram um apartamento para ficarmos 2 dias, já que precisávamos arrumar o escapamento do carro e dar uma descansada, já que foram 05 dias de balada chegando de madrugada e estávamos exaustos já de enfrentar tanta estrada, depois dali fomos para o RJ onde ficamos na casa de uma amiga nossa, ate chegarmos a São Paulo, onde foi o fim da nossa viagem. Não farei relatos de nossa passagem por ES e RJ, porque não fizemos nada turístico, ficamos na casa de amigos, descansando e aproveitando para sair a noite para beber uma cerveja. Foram 25 dias de viagem, rodando 6.100km por esse lindo Brasil, foi uma ótima experiência, já que viajei de tudo que é jeito, mas de carro por tanto tempo foi a primeira, e a liberdade que você tem, é incrível. Follow me.
  5. Quando eu digo que viajar mudou minha vida, não é da boca para fora, outro dia desses estava lembrando da minha primeira viagem, meu primeiro mochilão, no ano de 2009. Aquele garoto que saiu para conhecer a Bolívia e Peru sabia muito pouco da vida, o choque da realidade foi enorme e mudou totalmente o sentido da vida desde o meu retorno. Descobrir as dificuldades reais de um povo latino, ver a simplicidade de uma vida plena em uma ilha no meio de um lago, o vento gelado no alto de uma montanha, a falta de ar na altitude e a amizade sincera de um povo amigo, isso me transformou mais do que eu poderia imaginar, hoje sou quase um militante do " Vá viajar", as vezes tento evitar para não ser o chato do grupo, mas gostaria que todos tivessem uma experiência da mesma forma que eu tive, não precisa ir para o mesmo lugar que eu fui, e fazer as mesmas coisas, a ideia é mais a transformação interna, do que com a cidade que você visita, você pode ter esse choque seja na Bolívia, em Londres ou em Pequim, o lugar é o de menos, é só uma leve distração, o que interesse é o que te toca na alma e que faz mudar sua essência. Hoje eu penso se ao invés de viajar, eu tivesse feito a festa de formatura, por exemplo, sera que estaria escrevendo sobre isso nesse exato momento? Onde eu estaria agora? Quem eu seria? Quais seriam meus sonhos? Questões da vida né?! E você já parou para pensar no que uma viagem pode ter mudado sua vida? Conte para mim =] Para ler mais viagens dessas, só seguir o Facebook Follow the Portuga.
  6. Ola galera, sou o Rafael do site Follow the Portuga e estou deixando meu relato da bela cidade de Mucugê na Chapada Diamantina, para quem quiser ver mais fotos tenho o instagram @followtheportuga e o facebook Follow the Portuga. Mucugê foi a terceira e última parada na bela Chapada Diamantina, uma pequena cidade que não chega a ser tão turística como Lençóis, e nem tão roots como Vale do Capão, das três, achei que era a menos turística. Uma cidade bem agradável para a noite tomar um sorvete e caminhar pelas ruas da cidade. Claro que a região oferece muitas coisas, há tanta trilha na região que foi triste ir embora sem poder fazê-las, tínhamos apenas 02 dias e resolvemos focar nos lugares mais famosos e bonitos da região, que foram conhecer o Poço Encantado, Poço Azul e a Cachoeira do Buracão, uma das melhores cachoeiras que já fui na minha vida. Então vamos ao relato: - Hospedagem Ficamos hospedados em uma pequena pousada em Mucegê, existem algumas pela rua principal, conseguimos chorar um preço em um quarto simples com banheiro fora do quarto no valor de 40 reais sem o café da manhã, não tem tanta opção de hospedagem pela região, não encontramos camping para ficar e muito menos hostel. - Transporte Infelizmente no Brasil o turismo não tem o investimento e a estrutura que merecem, geralmente se você não tiver um carro, você não conseguira chegar a lugar nenhum, só se estiver viajando de bike ou carona, pois se depender de transporte público dificilmente chegara aos lugares turísticos, ou então vai ter que depender de agências de viagem que vão cobrar o olho da cara e nem é em toda cidade que elas existem. O que posso recomendar é ter um carro, ou alugar um, pegar o mapa da cidade com os pontos de seu interesse e dirigir ate ele, aqui você já tem dicas dos principais pontos, jogue no google maps e vá. Em Mucegê, encontramos uma empresa de turismo, isso facilita para quem não tem carro, ou que não queira alugar um por lá, a questão é que tem muito passeio que daria para fazer sem guia, nem nada, somente indo ao lugar, mas sem carro, sem chance, você terá que fechar passeio nas agências, não tenho nada contra elas, só que eles tem tudo planejado, caso você goste mais de algum lugar e queira ficar mais algum tempo, não será possível, você acabada perdendo um pouco da sua liberdade, algumas pessoas acabam fechando passeio já em Lençóis também para conhecer essa região. - Alimentação No centro da cidade tem alguns mercadinhos bem completos, os mercados são simples, mas tem o básico. Existem alguns restaurantes no centro da cidade, ali próximo ao coreto, descendo pela rua a direita, tem um lugar a noite que vende um maravilhoso PF por apenas 14 reais, é tanta comida que da para 2 pessoas tranquilamente. - Segurança Mucegê é uma cidadezinha bem do interior, tem uma delegacia que fecha a noite e com apenas um carro na frente hehehe, a cidade é bem iluminada a noite, aparentando um lugar seguro para passear. - Passeios Poço Encantado: A entrada custa 25 reais e digo que vale muito a pena, o poço é um lugar incrível, existe uma fila que precisa ser respeitada, então eles vão formando os grupos, tivemos que esperar em torno de 40 minutos para chegar a nossa vez, eles dão capacete com lanterna para te ajudar no caminho, e o guia além de acompanhar, explica um pouco sobre a historia do lugar, foi a primeira vez que tive um contato com um poço que tem mais de 60 metros e esta cheio de água, que é tão cristalina que você nem consegue perceber. O ideal é você chegar das 10h ate as 13:30h para pegar a entrada do Sol no poço. Poço Azul: Esse é outro lugar incrível, custam os mesmos 25 reais e você tem a oportunidade de fazer flutuação, por isso que lá em Lençóis eu acabei não fazendo, porque lá a entrada era 25 reais e mais 40 reais só da flutuação, aqui você paga a entrada e tem direito a fazer, bem mais barato e mais bonito também, a diferença é que as vezes a espera é longa, nos horários mais cheios chega a ter que esperar 2 horas, nós esperamos cerca de 45 minutos, enquanto isso ficamos no bar que tem no local comendo um pastel de frango (06 reais rs), você tem direito de ficar uns 30 minutos na água e é incrível. O ideal é chegar do 12:30h ate às 14:30h, mas não se esqueça das filas, eu acabei fazendo as 16 horas, foi praticamente o último grupo, mas mesmo assim gostei muito, deu para curtir o lugar. Cachoeira do Buracão: Uma das melhores cachoeiras que já vi na vida, MAS depois descobri que tive certa sorte, pois o volume da água estava muito alto, então deixou ela mais impressionante, você precisa encarar uma trilha de 03 km ate lá, é necessário o uso de colete salva vidas, ai você entra na água, tem que ir nadando ate uma certa parte, subir nas pedras e se aproximar do Buracão, o caminho todo tem a ajuda de guias, com boias para se alguém tiver alguma dificuldade, pois a correnteza estava muito forte, a água era tão forte e o barulho tão alto que tive ate dor de ouvido, fora o momento em que atravessei de um lado para o outro e me senti no meio do mar em uma tempestade hahaha. Porém nem tudo são flores, a água do lugar é bem escura e quando decidi voltar, fui dar um salto na água e não vi que tinha uma pedra bem abaixo, bati meu dedo do pé, que quase quebrou, chorei de dor e tive que voltar para a cidade com muita dificuldade, fiquei com essa dor por uns 2 meses, foi complicado. O local só dá para ir com guia, geralmente cobra em torno de 40 reais por pessoa, mas como tínhamos conhecido uma galera no Poço Azul, combinamos de ir juntos para o Buracão, assim conseguimos fazer o passeio a 35 reais, já que estávamos em 06 pessoas. Esse foram os nossos 2 dias pela região de Mucugê, a Cachoeira do Buracão fica em Ibicoara, 65 km de onde estávamos, mas rodar pela Chapada é tão bom que não custa nada rs, quem quiser pode ser hospedar em Ibicoara também, além disso, tem outros trekkings para fazer na região como a Cachoeira Encantada por exemplo, ou então a Lapa do Bode, uma gruta que parece ser bem legal. O que não falta é lugar para conhecer na região, da para ficar um mês facilmente na Chapada Diamantina. Deu ruim! hehehe Era hora de partir, depois de 15 dias praticamente fazendo trekkings e conhecendo Parques Naturais, era hora de conhecer o litoral baiano e relaxar na praia, a ideia era fazer algumas cidades, porém logo no primeiro lugar em que paramos nos apaixonamos pelo clima da cidade, mas isso fica para o próximo post. Espero que tenham gostado e... Follow me
  7. Ola galera, sou o Rafael do site Follow the Portuga e estou deixando meu relato do belo Vilarejo do Vale do Capão na Chapada Diamantina, para quem quiser ver mais fotos tenho o instagram @followtheportuga e para mais relatos o facebook Follow the Portuga. Vale do Capão é outro lugar famoso da Chapada Diamantina, um vilarejo pequeno e simples com um estilo mais roots do que Lençóis. Aqui ficamos 03 dias também para aproveitar algumas coisas da região, não deu para fazer tudo, mas o que fizemos foi de valer a pena. A cada dia que passava a Chapada me encantava mais. Então vamos ao relato: - Hospedagem Ficamos hospedados em uma pequena pousada no Vale do Capão, ficava a 05 minutos andando do centro da cidade, o lugar era bem tranquilo, e o preço também, 30 reais por pessoa em um quarto com banheiro. A região oferece muitos tipos de hospedagem para todos os bolsos, não recomendarei onde fiquei porque o banho era frio e a maçaneta na porta estava sempre quebrada, não acho justo recomendar esse local a vocês, mas sei que essas coisas acontecem, e não quero queimar o filme dos caras rs. Recomendo testar o chuveiro antes de fazer o check in. - Transporte Infelizmente no Brasil o turismo não tem o investimento e a estrutura que merecem, geralmente se você não tiver um carro, você não conseguira chegar a lugar nenhum, só se estiver viajando de bike ou carona, pois se depender de transporte público dificilmente chegara aos lugares turísticos, ou então vai ter que depender de agências de viagem que vão cobrar o olho da cara e nem é em toda cidade que elas existem. O que posso recomendar é ter um carro, ou alugar um, pegar o mapa da cidade com os pontos de seu interesse e dirigir ate ele, aqui você já tem dicas dos principais pontos, jogue no google maps e vá. No Vale do Capão, existem algumas empresas de turismo, isso facilita para quem não tem carro, ou que não queira alugar um por lá, a questão é que tem muito passeio que daria para fazer sem guia, nem nada, somente indo ao lugar, mas sem carro, sem chance, você terá que fechar passeio nas agências, não tenho nada contra elas, só que eles tem tudo planejado, caso você goste mais de algum lugar e queira ficar mais algum tempo, não será possível, você acaba perdendo um pouco da sua liberdade, algumas pessoas acabam fechando passeio já em Lençóis também para conhecer essa região. - Alimentação No centro da cidade tem alguns mercadinhos onde é possível comprar algumas coisas para cozinhar, os mercados são bem simples, mas tem o básico. Existem alguns restaurantes no centro da cidade, mas o que chama atenção é o pastel de palmito de jaca, você precisa experimentar, é muito bom. Tem uma argentina que vende pizzas em cima de uma pedra, vale a pena também. - Segurança Vale do Capão por ser toda voltada ao turismo acaba se tornando muito segura. Não tivemos nenhum problema, mesmo deixando o carro na rua durante 2 dias a noite, não aconteceu nada. - Passeios Cachoeira do Riachinho: No caminho para o Vale do Capão, você encontrara esse complexo, a entrada custa apenas 06 reais. Um lugar muito bonito, para relaxar e curtir uma bela cachoeira. Não tem como não achar, porque ela fica bem na estrada e tem uma placa muito grande avisando. Cachoeira da Fumaça: Esse foi um dos pontos altos da viagem, um trekking de 06 km para ir e 06km para voltar, você consegue conhecer a incrível Cachoeira da Fumaça, o lugar é impressionante, um dos mais bonitos que vi por lá. A entrada é gratuita, mas caso você queira deixar uma doação para os guias que tomam conta do lugar, eles aceitam. A entrada fica na estrada também, muitos carros param pela região para começar a fazer a trilha a pé. Trekking do Morrão e Cachoeira da Água Clara: Escolhemos esse trekking pela possibilidade de fazer sozinhos, sem guia e com custo zero, e por ser uma trilha menos conhecida, teríamos pouca gente e poderíamos curtir toda a natureza do lugal. Foram 16 km para ir e voltar sempre em linha reta, passando por lugares lindos dentro do Parque, é um pouco difícil chegar de carro ate o inicio dela, a melhor coisa é ir perguntando aos poucos, é mais difícil chegar de carro ate o inicio da trilha do que a própria trilha hehehe. Essa foi nossa passada por Vale do Capão, um lugar incrível cheio de trekkings, mas agora estava na hora de ir mais para o sul, com destino a Mucegê. Follow me.
  8. Outro dia estava olhando algumas fotos da minha viagem para Cuba ate que me deparei com duas belas fotos das moedas cubanas, até que pensei " Caramba, acho que ainda não escrevi sobre elas no blog." Então falarei um pouco sobre as duas moedas cubanas afim de esclarecer um pouco como funciona as coisas em Cuba. CUC: Essa é a moeda principal para o turista, conhecida na nota como PESO CONVERTIBLES, esse é o dinheiro que você recebe na CADECA quando vai trocar seus euros, dólares ou libras, geralmente essa moeda é utilizada para pagar pela hospedagem, seja em hóteis ou casas de famílias, a moeda é também utilizada para o transporte pela empresa de ônibus VIAZUL, destinada a turistas que querem ir a outras cidades, a agências de viagens, táxis e restaurantes mais caros. Essa moeda é voltada ao turista convencional, assim a arrecadação por parte do governo é maior já que 01 CUC é praticamente igual a 01 Dólar. CUP: Essa é a moeda local dos cubanos, o famoso peso cubano, ela é geralmente usada em mercados, restaurantes mais simples, nos caminhões que transportam pessoas em determinadas cidades, ônibus municipais, resumindo no dia a dia do cubano, onde ele tem mais acesso, o bom de você ter algumas notas dessas no bolso para as vezes querer comprar um sorvete na rua, ou ir em alguma lanchonete, comprar uma água, e para ter ela é muito fácil, é só ir na CADECA com seus Cuc´s e trocar por CUP´s. Você pode fazer tudo ao mesmo tempo, trocar seu 100 euros por 100 CUC´s, e pegar 20 Cuc´s e trocar por 480 CUP´s, por exemplo. Eu recomendo andar sempre com um pouco das 02 moedas no bolso, pois em alguns lugares você terá que pagar somente em CUC e em outros você pode pagar em CUP, claro que se você andar somente com os CUC´s e quiser pagar alguma coisa que esteja em CUP´s, o dono do estabelecimento fará a conversão na hora para te cobrar o valor certo e dar o troco também, mas em alguns lugares a conversão não é favorável, na CADECA um CUC vale 24 CUP´s, e nos estabelecimentos saem por 20 CUP´s, resultando em uma ligeira perda, assim eu gostava de ter as duas moedas no bolso para facilitar na hora de comprar alguma coisa na rua. Uma atenção que precisa ter é que na hora de efetuar alguma transação tem que deixar muito claro a moeda que esta sendo utilizada, tive a experiencia de comprar uma pizza que custava 06 CUP´s (estava escrito em um cartaz) e na hora de pagar o senhor quis cobrar 1 CUC que equivale a 24 CUP´s, só aumentou o valor em 04 vezes mais que o preço normal, na mesma hora recusei a pizza e fui embora, o argumento dele foi que o turista tinha mais dinheiro e tinha que pagar mais, só que comigo não funciona assim não hahaha. Espero que tenham gostado e tem alguns outros textos que podem te ajudar no planejamento a Cuba: Qual moeda levar para Cuba? https://www.followtheportuga.com.br/single-post/Qual-moeda-levar-para-Cuba Como tirar o visto para Cuba? https://www.followtheportuga.com.br/single-post/Como-tirar-o-visto-para-Cuba Onde se hospedar em Cuba? https://www.followtheportuga.com.br/single-post/Onde-e-como-se-hospedar-em-Cuba Como se locomover por Cuba? https://www.followtheportuga.com.br/single-post/Como-se-locomover-em-Cuba E para acompanhar de perto mais informações só seguir a página no FACEBOOK e INSTAGRAM Follow me
  9. Ola galera, sou o Rafael do site Follow the Portuga e estou deixando meu relato da bela cidade de Diamantina/Mg e do Parque Estadual Biribiri, para quem quiser ver mais fotos tenho o instagram @followtheportuga e o facebook Follow the Portuga. Chapada Diamantina era o nosso destino principal, foram quase 03 mil quilômetros de estrada passando por várias cidades mineiras ate chegar a Lençóis, nossa primeira parada por essa bela região. No total foram 07 dias, 02 em Lençóis, 03 em Vale do Capão e 02 em Mucegê, e infelizmente ainda faltou muita coisa para conhecer, a quantidade de trilhas e cachoeiras da para ficar na Chapada por mais de um mês. Então vamos ao relato da nossa primeira parada: - Hospedagem Ficamos hospedado em um hostel na cidade de Lençóis, ficava a 05 minutos andando do centro da cidade, ele não tem site e nem esta no booking, o lugar era bem tranquilo, o dono argentino era bem simpático, apesar de não conhecer muito sobre a região, mas ele tem um livro guia muito bom que nos ajudou a programar nossos passeios. - Transporte Infelizmente no Brasil o turismo não tem o investimento e a estrutura que merecem, geralmente se você não tiver um carro, você não conseguira chegar a lugar nenhum, só se estiver viajando de bike ou carona, pois se depender de transporte público dificilmente chegara aos lugares turísticos, ou então vai ter que depender de agências de viagem que vão cobrar o olho da cara e nem é em toda cidade que elas existem. O que posso recomendar é ter um carro, ou alugar um, pegar o mapa da cidade com os pontos de seu interesse e dirigir ate ele, aqui você já tem dicas dos principais pontos, jogue no google maps e vá. Em Lençóis, existem muitas empresas de turismo, isso facilita para quem não tem carro, ou que não queira alugar um por lá, a questão é que tem muito passeio que daria para fazer sem guia, nem nada, somente indo ao lugar, mas sem carro, sem chance, você terá que fechar passeio nas agências, não tenho nada contra elas, só que eles tem tudo planejado, caso você goste mais de algum lugar e queira ficar mais algum tempo, não será possível, você acabada perdendo um pouco da sua liberdade. - Alimentação No centro da cidade tem alguns mercados onde é possível comprar pão, frios, macarrão e etc, foi o que fizemos nesses 02 dias, mas para quem esta com um orçamento maior, o que não falta é restaurante bom no centro da cidade, principalmente a noite, lugares com comida francesa, italiana, é comum encontrar pelas ruas. - Segurança Lençóis por ser toda voltado ao turismo acaba se tornando muito segura. Não tivemos nenhum problema, mesmo deixando o carro na rua durante 2 dias a noite, não aconteceu nada. - Passeios A cidade oferece um roteiro vasto de lugar para conhecer, com o tempo curto focamos em algumas para poder curtir cada lugar da melhor maneira possível. Cachoeira do Mosquito: Por ficar em uma propriedade privada, a entrada custa 25 reais (15?), mas posso dizer que vale a pena, a trilha ate ela é tranquila com duração de 30 minutos, a cachoeira é incrível. A foto diz tudo. Rs Como chegar? Rio Mucugezinho e Poço do Diabo: A entrada é totalmente gratuita, mas como o acesso a ela é tão fácil, acaba ficando muito lotado e nem é tão bonito assim, comparando com outros lugares da própria Chapada, mas por ser de graça e fácil de chegar, acabamos parando por la. Como chegar? Gruta Pratinha, Rio Pratinha e Gruta Azul: Esse é um dos lugares mais bonitos da região, porém fica em propriedade privada e a entrada custa R$25,00 reais, e vale muito a pena, a gruta Pratinha é muito bonita, das 10h ao 12h o sol bate na gruta e o azul fica lindo, você pode fazer flutuação ali, custa 40 reais, eu não fiz pois em Mucegê tem outra gruta que a flutuação já esta inclusa, ali também esta o Rio Pratinha, onde você pode fazer tirolesa (20 reais), ou simplesmente mergulhar no rio e relaxar com a linda natureza do lugar. A Gruta Azul ela fica mais escondida, com muitas arvores protegendo ela, assim os raios solares não entram como deveriam, mas mesmo assim o lugar é lindo. Verifiquem de acordo com o mês de visita o melhor horário para conhecer a Gruta, pois quando os raios solares entram, deixam a cor da água mais bonita. Morro do Pai Inácio: Esse com certeza tem que estar na sua lista de coisas para fazer na Chapada, além disso, você precisa deixar algumas boas horas guardadas para esse lindo lugar, recomendo chegar umas 4 da tarde e ficar ate a hora do pôr do sol, a entrada custa apenas 06 reais, tem 40 minutos de trilha só de subida ate o topo da montanha, aí é só curtir toda beleza do lugar. Como chegar? Para chegar nos lugares o google maps ajuda muito, ate o Waze tem algumas rotas, mas nada que um mapa simples não resolva, e sempre terá indicações na estrada e em ultimo caso, só perguntar para um morador local, todos conhecem os pontos turísticos da região. Follow me.
  10. Agora de Conceição do Mato Dentro ate Diamantina tem uma boa parte que é estrada de terra, e ali tem muito caminhão, mas é tranquilo
  11. Ola Mark... a estrada esta boa, é toda asfaltada, so quando você vai para as cachoeiras de Conceição que ai é estrada de terra... eu peguei o carro bem cedo, pela manhã e a estrada estava totalmente livre, não vi caminhão por la
  12. Ola galera, sou o Rafael do site Follow the Portuga e estou deixando meu relato da bela cidade de Diamantina/Mg e do Parque Estadual Biribiri, para quem quiser ver mais fotos tenho o instagram @followtheportuga e o facebook Follow the Portuga. Essa bela cidade mineira localizada ao norte do Estado foi uma das mais bonitas que conheci no Brasil ate agora, com apenas 40 mil habitantes e sede de uma Universidade Federal, ela mistura o lugar histórico com suas ruas de pedras e igrejas centenárias com uma diversão noturna pelos bares do centro da cidade. Além disso, Diamantina é o ponto principal para quem quer conhecer a bela região e alguns parques, como o Parque Estadual Biribiri, que conta com alguns municípios, cachoeiras, mirantes e trilhas para se fazer dentro dele e tudo de GRAÇA. - Hospedagem Ficamos localizados no Camping São Pedro, que fica a 05 minutos de carro do centro da cidade, um camping muito bonito e barato, custando 20 reais por pessoa, o legal que chegamos lá pelas 10 da noite e estava chovendo, e o camping estava totalmente vazio, ai começamos a dar uma chorada com a proprietária para tentar ganhar um desconto e porque realmente estávamos muito cansados da viagem, já que saímos da Serra do Cipó, fizemos o passeio em Conceição do Mato Dentro e chegamos só a noite em Diamantina, depois de explicar tudo isso, a proprietária falou que tinha um quarto que poderíamos ficar pelo mesmo preço, que alegria em poder dormir em uma cama, não podemos reclamar da barraca, mas ela era bem pequena para dois marmanjos hahaha. **** Aos amigos do blog que vão viajar e reservar sua hospedagem, peço para usarem minha caixa de pesquisa na página inicial do site, assim o Booking repassa uma parte da comissão para mim, ajudando eu a seguir com o trabalho aqui no blog, isso não gera nenhum custo adicional para você. Valeu =] **** - Transporte Infelizmente no Brasil o turismo não tem o investimento e a estrutura que merecem, geralmente se você não tiver um carro, você não conseguira chegar a lugar nenhum, só se estiver viajando de bike ou carona, pois se depender de transporte público dificilmente chegara aos lugares turísticos, ou então vai ter que depender de agências de viagem que vão cobrar o olho da cara e nem é em toda cidade que elas existem. O que posso recomendar é ter um carro, ou alugar um, pegar o mapa da cidade com os pontos de seu interesse e dirigir ate ele, aqui você já tem dicas dos principais pontos, jogue no google maps e vá. - Alimentação Nosso café da manhã e almoço sempre são lanches que preparamos, no centro da cidade tem vários mercados que da para comprar de tudo, em uma das noites saímos para comer na cidade, e tinha PF por 15 reais, nas outras noites preferimos cozinhar mesmo já que a cozinha do camping era muito boa e toda nossa. - Segurança Diamantina me pareceu ser tranquila, por ser um pouco maior é sempre bom tomar devidos cuidados, mas nas noites que fiquei saímos do centro da cidade de madrugada e nunca vimos nada de anormal. - Passeios Parque Estadual Biribiri: Esse é um dos pontos principais para se visitar na região, o parque é totalmente gratuito e bem sinalizado e conta com diversas atrações. Vila do Biribiri: Fica a 12 km da entrada do parque, tudo em estrada de terra para deixar claro, lá você terá um pequeno vilarejo, muito bem preservado que conta com alguns moradores e restaurantes para você almoçar, o PF fica em torno de 20 reais, a cidade é pequena mesmo, em 25 minutos você vê tudo, o legal é buscar algum local para conversar sobre a historia do lugar, aquela cidade apareceu por causa de uma fabrica têxtil localizada lá, na verdade nem é tanto pela história, e sim para bater uma prosa com alguém mais velho e escutar toda a doçura do sotaque mineiro hehehe. Cachoeira dos Cristais: Ela fica a 12 km da entrada do parque, a diferença é que a Vila fica pelo lado esquerdo da estrada e a cachoeira do lado direito no quilometro 11 da estrada, sinceramente, as cachoeiras não são nada demais, são bonitas, da para se refrescar em um belo dia de sol, e por ser de graça, esta valendo. Cachoeira da Sentinela: Essa fica apenas a 07 km da portaria, mais uma cachoeira bonita, mas nada que vai arrancar seu fôlego, pessoalmente, achei essa mais bonita que a dos Cristais, tem um visual melhor. Poço do Estudante: Como esse lugar ficava perto da estrada resolvemos dar uma olhada, mas sinceramente não vale a pena, um lugar muito pequeno e que parecia que não ia gente ali há anos, tanto que a pequena trilha é bem confusa. Mirante da Cruz: É um mirante muito bonito que da visão a boa parte do parque, eu recomendo se programar para pegar o por do sol no lugar, realmente é muito bonito. Esses foram os passeios que fizemos no parque, acho que deixei claro a percepção que eu tive das cachoeiras, mas tenho receio de estar sendo muito duro, pois como já tinha visto cachoeiras enormes em Capitólio, Serra do Cipó e Conceição do Mato Dentro, inconscientemente acabei as comparando e achando as do Biribiri não tão legais assim, mas eu recomendo muito a visita, pois fica perto da cidade, é de graça e é isso, se é de graça, não tem do que reclamar hahaha Gruta do Salitre: A gruta do Salitre fica do outro lado da cidade, mais perto do camping onde estava, ela é totalmente de graça também, a um aviso na entrada que dizem que é necessário agendar a visita, mas pareceu coisa para você pagar um guia, coisa que não é necessário, a gruta é bem legal, tem que descer as pedras e vá fundo, não tenha medo, só leve uma lanterna, ela é essencial, e um teste que fizemos lá dentro foi desliga-las, e ficar na escuridão total, é bem tenso hahaha. Parque Estadual do Rio Preto: NÃO VÁ, e não se assuste, o lugar parece ser fantástico, mas rodamos mais de uma hora ate lá para saber que o parque esta fechado hahaha. Ficamos bem tristes pela situação e pelo tempo perdido, porque foi um bom rolê para chegar lá e dar de cara com um funcionário proibindo nossa entrada, tudo isso porque estão em processo para contratar funcionários para o parque, e isso já levava 03 meses, então antes de se programar a ir, entre no site do parque ou ligue para eles para confirmarem certinho, nós devíamos ter feito isso, aprendemos a lição, ou não. Rs Além disso, vale a pena perder algumas horas para conhecer o centro histórico da cidade, as igrejas e ver as pequenas casas coloniais, a noite frequente a região da Rua da Quitanda, ali tem vários barzinho e restaurantes na própria rua, fica um ambiente muito bonito. É isso ae galera... Espero que tenham gostado do relato e... Follow me.
  13. Esse post terá uma forma diferente, e vocês irão entender o porque logo mais, Conceição do Mato Dentro fica apenas 65 km de distância da Serra do Cipó, uma estrada muito bonita que vai subindo e descendo as terras, no meu caso tive que tomar um pouco de cuidado pela chuva e nevoeiro, a altitude chega a mais de 1.000 metros de altura, mas nada que interfira na saúde, nem na sua, nem na do carro rs. Bom, o nosso plano era sair bem cedo da Serra do Cipó, chegar ao Parque Natural Municipal do Tabuleiro para realizar o trekking ate a famosa Cachoeira do Tabuleiro, conhecida por sua beleza, altura e sua curiosa formação rochosa, que visto de longe tem o formato de um coração, após isso iriamos passar a noite na pequena cidade de Conceição do Mato Dentro, com seus 20 mil habitantes, conhecer seu centro, reabastecer o estoque de comida no mercado e jantar, para no dia seguinte ir rumo a Diamantina. Bom, nosso plano parecia perfeito, ate que chegamos ao Parque e logo na portaria fomos avisados que a trilha estava fechada e o acesso esta proibido desde janeiro de 2017, ficamos bem tristes, mas regras são regras, só tivemos a possibilidade de ir ate o mirante, que fica a 800 metros de distancia da portaria para pelo menos ver a bela cachoeira de longe. O trekking seria de 12 km no total, estávamos preparados para isso, tanto que tínhamos tomado a decisão de dormir na cidade, mas com essa nova noticia, tivemos que ajustar o planejamento, mas obvio que não iriamos passar por ali sem ver nenhuma cachoeira, e assim descobrimos um lugar chamado Parque Estadual Serra do Intendente, onde fica a bela cachoeira Rabo de Cavalo, a 24 km em estrada de terra da Tabuleiro, partimos para lá e ao chegar encontramos o lugar totalmente abandonado, com muitos cachorros magros ate os ossos e um trailer da prefeitura onde deveria ter alguém para cobrar o estacionamento dos carros e motos. Ficamos tristes com a situação dos animais e o abandono do lugar, mas seguimos em frente, são apenas 2,4km de trilha e não tem como se perder. Após andar esse bocado você chega na Cachoeira Rabo de Cavalo, e é um lugar espetacular, estamos com uma certa sorte de sempre encontrarmos os lugares vazios, tivemos todo o silencio do mundo para poder escutar a natureza, mas como foi um trekking muito mais rápido do que estávamos preparados, com isso nosso dia terminou cedo e resolvemos partir direto para Diamatina/MG, em torno de 140km de distancia. Com isso não terei dicas para dar de onde se hospedar, onde comer, apenas o que vocês podem fazer lá e a DICA importante é que a trilha da Cachoeira do Tabuleiro esta fechada ate o ano que vem, as obras estão atrasadas e não tem data para reabertura, então se vocês estão pensando ir para lá, reconsiderem ou então aproveitem para conhecer outras cachoeiras da região. Um fato legal foi que na portaria do parque conhecemos um americano que esta viajando de moto pela America do Sul, além de termos feito amizade, fomos juntos para a cachoeira do Rabo de Cavalo, e na volta a moto dele não conseguia subir na estrada de terra e conseguimos ajudar ele a se safar dessa, já que na região não havia sinal de celular e muito menos gente passando por ali, espero que Steve tenha mais sorte em sua jornada e que a moto aguente ate o fim hehehe Espero que tenham gostado do relato e... Follow me
  14. Depois da passagem por Capitólio (leia AQUI o relato), tínhamos em torno de 400 km ate Serra do Cipó, que levou praticamente 07 horas para serem percorridas por causa de obras na pista, o Parque Nacional Serra do Cipó é totalmente GRATUITO, ótima noticia para quem quer esta com o dinheiro curto, no parque você tem a possibilidade de realizar trekkings para cachoeiras e cânions, podendo fazer a pé, ou alugar uma bike na entrada do parque. O bom do lugar que ele é quase totalmente plano, não há subidas íngremes, facilitando a caminhada, foi nessa que eu consegui bater meu recorde em um dia e fazer 30 km, começando a andar as 10 horas da manhã e só indo terminar as 18 horas. Foi bem desgastante! Infelizmente fiquei apenas 01 dia, mas deu para aproveitar o melhor do parque, espero que vocês gostem do relato. - Hospedagem Na Serra do Cipó não tem muitas opções baratas para se hospedar, não tem como fugir muito do Camping Grande Pedreira, o valor esta 20 reais por cabeça e a área de camping é enorme, tem vestiários para banho, porém não tem cozinha, único fator negativo, e esta a menos de 05 km do centro da cidade, foi uma boa opção para quem ia passar 2 noites e 1 dia. - Transporte Infelizmente no Brasil o turismo não tem o investimento e a estrutura que merecem, geralmente se você não tiver um carro, você não conseguira chegar a lugar nenhum, só se estiver viajando de bike ou carona, pois se depender de transporte público dificilmente chegara nos lugares turísticos, ou então vai ter que depender de agências de viagem que vão cobrar o olho da cara. O que posso recomendar é ter um carro, ou alugar um, pegar o mapa da cidade com os pontos de seu interesse e dirigir ate ele. - Alimentação Como passaríamos o dia todo fazendo trilha, nosso café da manhã e almoço foram lanches que preparamos, no centro da cidade tem vários mercados que da para comprar de tudo, a noite um lugar mais em conta é no Alcinos, lá tem prato que da para 2 pessoas por 20 reais, litrão de cerveja a 10 reais e tem wi-fi no local para quem precisar, vale a pena. - Segurança Serra do Cipó me pareceu ser super tranquila, com o jeito de cidade do interior, tranquilo e mais seguro, comparado com a minha cidade, logicamente, que nem preciso falar que é bem perigosa. - Passeios Parque Nacional Serra do Cipó: O Parque é totalmente gratuito e na portaria eles fornecem um mapa simples e te ajudam com dicas para você aproveitar o melhor do parque, como tínhamos apenas um dia para aproveitar , acabamos resolvendo fazer o maior trekking do parque. Não se esqueça de levar água, comida e tudo o que for necessário. Cânion das Bandeirinhas: São 12 km para ir e mais 12 km para voltar, o trekking é plano em 95% do trajeto e é necessário atravessar um rio a pé, a água chega ao máximo na cintura, no meio dessa trilha tem uma entrada para a Cachoeira da Formiga, são 2,5km para ir e 2,5km para voltar, e vale muito a pena, mas se prepare se você for andando, serão quase 30 km de trekking, tudo bem que é plano, mas mesmo assim são 30 km hehehe, começamos a andar as 10h da manhã e só fomos terminar as 18 horas. Existe a possibilidade de alugar uma bicicleta (50 reais) e fazer o trajeto todo assim, acaba sendo um pouco mais fácil do que andar, mas mesmo assim cansativo. Então foi isso, ficamos apenas 2 noites e 1 dia em Serra do Cipó, e nesse dia fizemos esse trekking de quase 30 quilômetros , mas valeu muito a pena conhecer a melhor parte do Parque Nacional e tudo gratuito, a seguir era partir rumo a Conceição do Mato Dentro e Diamantina/MG. Fique esperto para acompanhar os próximos relatos. É isso ae galera... Espero que tenham gostado do relato e... Follow me.
  15. Confesso que tinha um pouco de preconceito com Capitólio, como era um lugar que tinha ganhado muita fama aqui em São Paulo nos últimos anos pelo passeio de lancha por Furnas, eu acreditei que era um destino um pouco "gourmetizado" para mim, mas ao chegar lá percebi que daria para fazer muitos passeios de graça e com um contato grande com a natureza, como fui no meio da semana estava tudo muito vazio, isso deu um charme a mais aos locais visitados, não que eu tenha nada contra as pessoas, mas quando você esta naquela cachoeira sozinho ou acompanhado com 100 famílias, muda toda a vibe do lugar hahaha . Fiquei duas noites e um dia na cidade, ou seja, tive apenas um dia inteiro para fazer os passeios, pois cheguei de noite, montei barraca, ai o dia livre para fazer tudo que é possível, dormir e no dia seguinte partir cedinho para Serra do Cipó, mas tivemos a sorte de ter algumas dicas no camping e organizar um roteiro muito bom que deu para ver muitas coisas, confira o relato abaixo: - Hospedagem Capitólio é uma cidade muito turística que vem recebendo centenas de turistas a cada fim de semana, digamos que foi uma “área” descoberta recentemente por sua beleza natural, há um bom numero de lugares para se hospedar, seja hotel, pousada ou camping, como estávamos na pegada mais barata encontramos um Camping na beira da estrada que fica a uns 20 km do centro de Capitólio, mas que fica mais próximo de todos os outros passeios, poderíamos ter pesquisado mais e provavelmente encontraríamos lugar mais barato, mas como chegamos a noite e sem informação, não tínhamos muita escolha, ficamos no primeiro que vimos. O escolhido foi o Camping Canarinho, a diária por pessoa sai 35 reais, a estrutura do local é excelente, além disso, a senhora que cuida do camping é um amor de pessoa e nos deu toda as dicas possíveis da região, fez total diferença já que teríamos só um dia para fazer o máximo de passeios possíveis e nos ajudou a montar um roteiro barato, fugindo dos lugares caros. . - Alimentação Como tínhamos um isopor e passaríamos o dia todo rodando, a ideia foi fazer sanduíches e comprar frutas como café da manhã e almoço, os mercados mais pertos ficam no centro da cidade, a noite saímos para buscar um lugar para jantar e foi difícil encontrar, no centro da cidade tem muitos restaurantes porém com preços na faixa de 35 reais, mas procurando bem encontramos um macarrão com carne moída a 10 reais e no dia seguinte a solução foi comer hambúrguer por 10 também. Outra ideia é cozinhar também no camping, mas como o dia foi tão corrido, o cansaço era grande para cozinhar. - Transporte Infelizmente no Brasil o turismo não tem o investimento e a estrutura que merecem, geralmente se você não tiver um carro, você não conseguira chegar a lugar nenhum, só se estiver viajando de bike ou carona, pois se depender de transporte público dificilmente chegara nos lugares turísticos. diferente de outros países que conta com uma rede de turismo forte, ou então vai ter que depender de agências de viagem que vão cobrar o olho da cara. O que posso recomendar é ter um carro, ou alugar um, pegar o mapa da cidade com os pontos de seu interesse e dirigir ate ele, nada que perguntando, não se chegue. - Segurança Capitólio me pareceu ser super tranquila, com o jeito de cidade do interior, tranquilo e mais seguro, comparado com a minha cidade, logicamente, que nem preciso falar que é bem perigosa. - Passeios Paraíso Perdido: Um dos destinos mais procurados da região, dando a oportunidade ate de acampar no lugar, o lugar parece ser lindo, mas só tem um problema, a entrada custa 40 REAIS, bem puxado para ver algo da natureza, que esta lá com sua beleza natural, pessoalmente sou um pouco contra a esses preços abusivos para ver algo proporcionado pela natureza, mas é a vida. Ao conversar com a senhora do camping, ela nos deu a melhor dica do mundo, seguindo o Paraíso Perdido, você continua ate a estrada e tem outro sítio, chamado Cachoeira Pé da Serra, que é possível chegar ao mesmo lugar, à diferença que o valor cai para 25 REAIS, bem melhor né?! Mas a dica não para aí, se você continuar pela mesma estrada ate o final, chegara a uma porteira, num lugar chamado RETIRO DO VIKING, o sítio é de um dinamarquês e quando ele esta lá, cobra apenas 15 reais a entrada, a diferença que muitas vezes ele não esta, aí é só você entrar e curtir tudo de graça, foi o que aconteceu com nós, fomos lá, não encontramos ninguém, seguimos a trilha e tivemos a oportunidade de conhecer duas belas cachoeiras, tudo isso de graça e graças à dica do Camping Canarinho. Cachoeira Fecho da Serra: De Capitólio a Paraíso Perdido você passara por uma ponte, depois dela a primeira direita você entra na estrada de 07 km para a Cachoeira Fecho da Serra, tudo por estrada de terra, ali você vera uma escola abandonada do seu lado direito, da para abrir a porteira, deixar seu carro lá e fazer o caminho a pé ate a cachoeira, da para descer ate a boca dela, mas a estrada piora e como nosso carro era baixo, preferimos não arriscar, o lugar é totalmente gratuito, não paga nada para entrar. Vale muito a pena ir. Mirante dos Cânions: Na estrada Capitólio sentido Paraíso Perdido, ao seu lado esquerdo você vera uma cerca verde e um estacionamento, ali será o lugar que você pode parar para apreciar o mirante, que é a vista de cima da formação do Cânion, vale muito a visita, a natureza do local é impressionante, e aproveite e dê uns gritos para escutar os ecos hahaha . Lembrando que esse passeio é totalmente gratuito. Cachoeira Dicadinho: De frente a entrada do Mirante tem uma pequena entrada para a trilha, que são uma série de cachoeiras no qual você pode ir avançando e conhecendo, o bom que é totalmente gratuito e como você já esta ali no Mirante, não custa nada né?! Capitólio oferece passeios para mais uns 4 dias no mínimo, a diferença que muita coisa é paga, pois fica em propriedade privada, existe a Trilha do Sol, passeio de barco em Furnas e por ai vai, o nosso roteiro deu para fazer em 1 dia, chegamos a noite, acampamos, acordamos cedo e fizemos todos esses passeios que eu descrevi e voltamos para o camping para descansar e no dia seguinte seguir viagem para Serra do Cipó. Como nosso tempo era curto foi a melhor saída buscar fazer os passeios bons e gratuitos. É isso ae galera... nos próximos dias sairá mais relatos de Serra do Cipó, Conceição do Mato Dentro, Diamantina e o destino final que foi a Chapada Diamantina. Espero que tenham gostado do relato e... Follow me.
  16. Durante a minha viagem sempre busquei manter o mesmo perfil, independentemente do país visitado, com isso busco manter meu gasto de 20 dólares por dia, e na Colômbia foi melhor ainda, por ser um país maior que os anteriores e ter um povo muito parecido com o brasileiro, acabei resolvendo ficar quase 03 meses, para ser mais exato foram 84 dias, no qual 55 dias foram em Medellín trabalhando no bar de um hostel para ganhar hospedagem, café da manhã, algumas gorjetas e cervejas de vez em quando. Por querer ter essa experiência de trabalho voluntário acabei economizando mais ainda, o que é sempre ótimo. * Para quem quiser ler mais sobre como foi encontrar e trabalhar em um hostel na Colômbia, aqui tem um relato completo sobre essa minha experiência. https://www.followtheportuga.com.br/single-post/Como-foi-trabalhar-como-voluntario-em-um-hostel-em-Medellin Foram 84 dias na Colômbia, onde passei por cidades como Ipiales, Popayán, Cali, Salento, Bogotá, Medellín, Cartagena, Santa Marta, Taganga, Palomino e San Gil. Abaixo tem o link com os gastos detalhados, espero que gostem e que te dê o incentivo para conhecer esse maravilhoso país. COLÔMBIA Total de dias: 84 dias Total de gasto: $978,04 dólares Gasto em média por dia: $11,64 dólares ***Lembrando que dos 84 dias, 55 foram trabalhando em um bar num hostel em Medellín, isso me fez economizar mais dinheiro, ficar mais tempo no lugar e assim reduzir esse gasto diário. Se quiser ver a tabela com todos detalhes, só clicar no link abaixo https://drive.google.com/file/d/0BwoRR6RnB40FT0FnUElLR3pIekU/view
  17. Sou suspeito para falar de Medellín, já que por aqui fiquei cerca de 52 dias, quando resolvi ir para Cuba, acabei ficando com quase 30 dias livres aonde poderia escolher alguma cidade para conhecer melhor, assim eu estava entre Bogotá, Medellín e Cartagena, porém Cartagena faz muuuuuuito calor e é muito turístico também, Bogotá me agradou porém o frio complica, já que eu tenho somente uma blusa e uma calça, já Medellín o clima era perfeito, assim mandei email para muitos hostels em busca de trabalho em troca de hospedagem, aí surgiu o PitStop Guest House, um dos melhores hostels de Medellín, oferecendo o melhor trabalho possível para um mochileiro, trabalhar dia sim e dia não no bar, vendendo cerveja e conhecendo gente do mundo inteiro, sem contar a estrutura do lugar com mesa de bilhar, ping pong, sauna, quadra de basquete, piscina e rede, tive muita sorte em encontrar um lugar desses. Além disso, Medellín é uma cidade muito bonita e bem organizada, as pessoas são gentis e a cidade é segura, tem uma rede de metro que te ajuda a locomover para os principais lugares da cidade, eu fiquei hospedado no bairro El Poblado, numa região muito tranquila, com bastante arvores e passarinhos, todo dia faz um clima bom, por isso que é conhecido com a cidade da primavera, aos finais de semana as noites são agitadas e bem divertidas, apesar da festa acabar cedo, cerca de 3/4 da manhã, para aqueles que não tem todo esse tempo que eu tive, em 4 dias é o suficiente para conhecer os principais pontos turísticos da cidade. - Como chegar Bom, eu vim para Medellín duas vezes, uma de Bogotá onde a passagem custou 60 mil pesos colombianos e outra de San Gil que custou 70 mil pesos colombianos, o terminal de Medellín fica grudado a uma estação de metro chamada Caribe, então isso ajuda você a chegar no lugar da sua hospedagem de uma forma bem barata, já que o metro custa apenas 2.300 pesos colombianos. - Hospedagem Bom, como já disse acima, fiquei hospedado no PitStop Guest House, ele é um dos melhores hostels da cidade, conta com uma estrutura praticamente perfeita, um staff gente boa e a cozinha deles é gigante, da para cozinhar a vontade, ele é um pouco mais caro que os demais, mas tem café da manhã incluído e por toda estrutura, compensa e muito, tem um bar que funciona ate a meia noite todos os dias, sempre são voluntários que estão lá, sempre afim de bater um papo, marcar um rolê a noite, e geralmente o hostel aos sábados proporciona festas com Dj, e nas sextas um churrasco mas no geral é um lugar bem tranquilo. Ele fica no bairro do El Poblado, próximo à estação de metro e de mercados e perto das baladas da região. Recomendo e muito ficar por aqui. **** Aos amigos do blog que vão viajar e reservar sua hospedagem, peço para usarem minha caixa de pesquisa na página inicial do site, assim o Booking repassa uma parte da comissão para mim, ajudando eu a seguir com o trabalho aqui no blog, isso não gera nenhum custo adicional para você. Valeu =] **** - Alimentação Aqui encontrei restaurantes de 7.500 a 8.500 pesos colombianos e serviam um belo prato com arroz, feijão, salada e carne, com uma sopa de entrada, a sopa eu sempre recusava, nesse calor tomar algo quente é impossível, a bebida estava inclusa também. - Segurança Medellín tem zonas bem seguras e policiadas, mas é sempre bom tomar cuidado, principalmente se não estiver numa zona muito turística, mas em nenhum momento me senti ameaçado. - Câmbio Na Calle 10 e no Shopping Center ao lado da estação de metro tem lojas de câmbio. - Passeios Medellín foi uma cidade que teve que se reinventar depois dos anos 90, invadida pelo terror e pela violência, hoje a cidade apresenta uma nova versão, renovada, artística e linda. Bom, vamos ao que interessa. Museu de Antioquia: Antioquia é o nome do Estado colombiano que esta situada Medellín, aqui você conseguira ver a exposição de muitos quadros do Botero, a entrada no museu custa 18 mil pesos e fica situado bem no centro, com isso você poderá caminhar para o entorno e ir conhecendo algumas praças da região e o centro histórico, como a catedral e assim vai. Museu Casa da Memória: Esse foi um dos museus mais legais que eu fui e achei muito interessante eles terem feito um lugar para retratar como foi Medellín nos anos de terror e violência, lá você saberá mais sobre os problemas não só com o Cartel de Pablo Escobar, como dos grupos guerrilheiros como as Farc ou dos grupos paramilitares, o museu mostra toda a evolução do terror na cidade, ate a sua diminuição. Realmente incrível a evolução da cidade no combate ao crime organizado. Pueblito Paisa: Fica próximo à estação de metro Industriales, você precisa subir um pequeno morro, lá em cima terá um local muito bonito com restaurantes e casas típicas colombianas, uma igreja e uma visão para parte da cidade, é um lugar bonito e gratuito, vale a pena conhecer. Parque Explora: É um parque, um pouco caro por sinal, porém bem interativo e cientifico, como se fosse o museu do Catavento em São Paulo, onde você terá ilusão de ótica e mais coisas desse tipo, a entrada custa 23 mil pesos colombianos, ele fica ao lado do Jardim Botânico na estação de metro Universidade. Esse eu não fui. rs Jardim Botânico: Um dos lugares mais bonitos da cidade, esse lugar precisa estar no seu planejamento, ele fica ao lado do metro Universidade, muito fácil de chegar. Recomendo levar alguns lanches e ficar no gramado lendo algum livro e aproveitando o canto dos pássaros. Comuna 13: As comunas aqui são as nossas favelas, lugares na periferia da cidade, perto dos morros, você precisa ir somente ate a estação San Javier, de lá pode conhecer o teleférico fazendo a transferência do metro de forma gratuita, e depois na volta descer na estação San Javier para conhecer a Comuna 13, que é muito famosa por seus grafites, a Comuna é totalmente pacificada e segura, tem acessos com escada rolante e tudo mais, vale a pena. Guatapé: é uma cidade localizada cerca de 2 horas daqui, e você tem a oportunidade de conhecer uma pequena cidade colombiana, além de subir 750 degraus para ter uma visão completa do lugar, que é incrível. Para saber mais sobre o passeio, precisa somente clicar aqui. Tour Pablo Escobar: Há diversos tours do Escobar na cidade, mas aqui o tema é um pouco sensível para os colombianos, eu pelo menos evitei falar sobre isso com as pessoas, eu fiz uma amizade com uma colombiana por aqui, depois que ela viu que eu fui no tour do Pablo Escobar, nunca mais falou comigo, então o assunto ainda é pesado, para ler mais sobre o passeio, só clicar AQUI. Vida Noturna: Medellín conta com vários espaços espalhados sobre a cidade onde tem boas festas, a mais famosa fica no Bairro El Poblado, onde esta concentrando todos os hostels, ali tem enorme quantidade de baladas e bares, na praça rola muita garota de programa e muita gente vendendo droga, mas é totalmente seguro, eu fui várias vezes por estar perto do meu hostel, mas depois de 2 vezes já não curtia mais, é um lugar mais caro e com muito gringo, prefiro ir em lugares mais locais, foi aí que eu descobri a Calle 70, que fica perto do Estádio de futebol , alias se você ama futebol precisa ir em um jogo na cidade, ali é uma avenida com muitos bares e concentra muitos locais, achei muito mais divertido por lá, escutei sobre outros lugares como Envigado ou Níquia, mas como eram mais longes, acabei não indo. É isso ae galera... Espero que tenham gostado do relato e... Follow me.
  18. San Gil foi um dos lugares mais legais que conheci em Colômbia, sua cidade é pequena e bonita, mas o que reserva aqui são os pequenos pueblitos que ficam em volta da cidade, além de ter um visual incrível das montanhas e com um povo muito simpático, a região me agradou muito, fiquei apenas 3 dias, mas poderia ficar muito mais. Aqui também é uma capital para quem gosta de esporte radical, tem rafting, rapel e parapente, por exemplo, além disso tem inúmeros trekkins para fazer, e não precisam de guia, logo são de graça. - Como chegar Você pode chegar desde Medellín e Bogotá, mas como eu estava em Santa Marta, peguei um ônibus que levou 13 horas para chegar e custou 70 mil pesos, o final da viagem é incrível, reservando um visual das montanhas e do vale de forma inspiradora. - Hospedagem Existem poucos hostels em San Gil, mas o suficiente, fiquei no Open House Hostel, e gostei muito, paguei apenas 20 mil pesos colombianos e fiquei a 1 quadra da praça principal, não tem café da manhã, mas o staff é super simpático e tem altas dicas do que fazer pela região, eles me ajudaram muito com algumas informações. **** Aos amigos do blog que vão viajar e reservar sua hospedagem, peço para usarem minha caixa de pesquisa na página inicial do site, assim o Booking repassa uma parte da comissão para mim, ajudando eu a seguir com o trabalho aqui no blog, isso não gera nenhum custo adicional para você. Valeu =] **** - Alimentação Por ser uma cidade do interior, encontrei pratos de 5 mil pesos colombianos na hora do almoço, um dos menus mais baratos que encontrei pelo país, tem outras opções de 8/12 mil pesos colombianos, e na praça central de ate 20 mil pesos. Vai ao gosto do cliente rs. - Segurança San Gil por ser uma cidade bem pequena, não tem problema com violência, andava tranquilamente pela cidade sem ser incomodado. - Câmbio Bem perto da praça principal tem uma loja para fazer câmbio, fica a direita da igreja, na rua que sobe, bem fácil de achar. - Passeios Como disse lá em cima aqui em San Gil você pode fazer rafting, bungie jump, rapel, parapente e por ai vai, aqui é a capital do esporte radical, mas como já estou no fim da viagem e fiquei poucos dias aqui preferi dar atenção aos pequenos vilarejos da região e fazer alguns trekkings também. San Gil: É a maior cidade da região, conta com uma praça muito bonita e uma igreja, aqui é o ponto para você se hospedar, onde tem mercado, hostels, restaurantes, casa de câmbio e daqui saem ônibus para toda região. Barichara: Uma cidade que fica a 30 minutos de ônibus, para chegar lá você toma um ônibus de San Gil por 4.900 pesos colombianos, a cidade foi fundada em 1700, e é super bonita, dando um ar histórico, além de você conhecer a cidade, você pode ir ao mirante que da uma linda visão para as montanhas e fazer um trekking também ate Guane, que dura apenas 05 km, eu fui fazer esse passeio e claro que fui sem guia para dar a economizada na grana, bom depois de andar 1 hora e meia e não ter chegado ao local, comecei a estranhar porque 05 km não é tão demorado assim, abri meu GPS e descobri que estava indo para o lado totalmente oposto, assim descobri que é possível fazer uma trilha ate CABRERA, um minúsculo povoado colombiano, a diferença foi na distancia, para lá já foram mais de 3 horas de trekking, acredito que uns 12 a 15 Km, mas foi muito bonito e recomendo. Barichara e Cabrera foram cidades incríveis de conhecer, povo simpático e acolhedor e um jeito de interior que apaixona qualquer viajante. Parque Chicamocha: é um parque onde você tem vários miradores para o Cânion, além disso, contam com restaurantes, piscinas e brinquedos, além do teleférico, porem tudo é um pouco mais caro, além da entrada do parque, você precisa pagar para qualquer coisa que for usar, como iria ficar poucos dias, dei preferencia a fazer trekkings e conhecer as pequenas cidades colombianas. Curuti é uma cidade perto de San Gil, com uma bela praça e igreja, mais um dos pueblitos simpáticos de conhecer, lá também há poços que ficam a 3 km do centro da cidade onde as pessoas vão para se banhar, se divertir e etc, o ônibus ate lá sai do terminalito que fica no centro de San Gil e a passagem custa 2.700 pesos colombianos. A impressão que me deu no final é que seria muito bom se eu tivesse um carro hahaha, porque a centenas de Pueblitos e seria muito bacana sair pela manhã e ir passando por eles, almoçar em uma cidade, tomar um sorvete em outra e assim ter um dia nas pequenas cidades colombianas, mas nesses 03 dias que eu fiquei deu para conhecer 4 cidades da região e fazer um trekking bem bacana, gostaria de ter tido mais tempo para fazer mais coisas, aqui na região tem dezenas de passeios e trekkings para fazer. É isso ae galera... Espero que tenham gostado do relato e... Follow me.
  19. rafacarvalho33

    Cuba

    Marcos, esse link pode te ajudar cara, tem muita dica boa rs https://www.followtheportuga.com.br/cuba-relato Abraços
  20. rafacarvalho33

    Cuba

    Ola Marcos, sim, o preço esta bom porque já esta incluso o café da manhã! Negocia mesmo, e sempre fala que é brasileiro, porque eles amam a gente hahaha Boa viagem. Abraços
  21. Santa Marta é a principal cidade da região, no qual os fins de semana são agitados com suas baladas, e durante a semana certa normalidade de uma cidade pequena, mas com um transito bem chato e barulhento rs. Aqui você consegue realizar muitos passeios pela região, já que você encontra hostels mais baratos e lugares para comer também mais baratos, o melhor é ficar hospedado por aqui e fazer alguns bate e voltas para as cidades de Taganga, Minca e Palomino, caso queira se hospedar nessas cidades, não há problema, a diferença que os preços sobem um pouco mais, junto com os valores da alimentação também. - Como chegar De Cartagena sai ônibus a todo momento, eles custam em torno de 22 mil pesos e acaba levando 4/5 horas de viagem, depende muito do transito e das paradas, eles falam que vai direto, mas é mentira, vai parando em vários cantos, mas ate ai tudo bem, o terminal fica um pouco longe do centro da cidade, recomendado pegar um táxi ou moto-táxi, um táxi sai no valor de 7 mil pesos. - Hospedagem O melhor bairro para se hospedar é no centro histórico, eu fiquei no Hostel Santa Morena, custou 20 mil pesos colombianos e os quartos eram ótimos, com ar condicionado e banheiro dentro do quarto, a cozinha era bacana e o staff gente boa, o dono é um belga, gente finíssima, fica o dia todo no hostel praticamente hehehe, o café da manhã não esta incluído. **** Aos amigos do blog que vão viajar e reservar sua hospedagem, peço para usarem minha caixa de pesquisa na página inicial do site, assim o Booking repassa uma parte da comissão para mim, ajudando eu a seguir com o trabalho aqui no blog, isso não gera nenhum custo adicional para você. **** - Alimentação Na esquina do hostel tem um restaurante com menus diários a 7 mil pesos colombianos, ou então a uma quadra tem um mercado bem grande que da para comprar de tudo e você cozinhar sua comida no hostel. - Segurança Santa Marta por ser menor, da uma sensação de segurança maior, achei aqui bem tranquilo. - Câmbio No centro da cidade existem casas de câmbio, na Calle 14 entre a Carretera 4 e 6 tem várias casas para tocar moeda. Praia deserta em Taganga - Passeios Santa Marta tem para todos os gostos, para os que tem mais grana e para os que tem pouca, abaixo vai algum dos passeios, logicamente os mais caros eu não fiz, estou com a grana curta e como voltarei para o Brasil, quero economizar o máximo possível, depois vocês vão entender o porque hehehe Playa Branca, apenas 20 minutos de trilha ou 60 mil pesos de barco. Taganga: Uma pequena cidade que fica a 5 Km de Santa Marta, você precisa somente pegar um ônibus na avenida 5 que custa 1.600 pesos colombianos que ele te leva ate Taganga, lá tem uma praia melhor para uso, a principal não é tão bonita assim, mas é de lá que você pode pegar barcos para ir a outros praias, geralmente cobrando de 60 a 100 mil pesos, dependendo da praia, a de 60 mil se chama Playa Grande e você pode chegar lá a pé, no fim da praia de Taganga, começa uma trilha que vai passando por várias pequenas praias desertas, sem falar da visão que você tem das outras praias, em 20 minutos de caminhada você chega nessa Playa Grande, um lugar mais bonito, que você pode alugar cadeiras, tomar sua cerveja e depois almoçar, a comida varia de 15 a 20 mil pesos, porém você pode continuar a trilha por mais uns 50 minutos, você terá vários visuais bacanas, eu pelo menos quando fui era o único na trilha, e foi muito bacana, fiquei numa praia totalmente deserta, onde uma hora ou outra passava algum barco, depois de conhecer tudo e desfrutar, só voltar para Taganga e pegar o ônibus de volta. Minca: Essa cidade fica em torno de 24 km da cidade, e o ônibus para lá sai do mercado e custa 9.000 mil pesos, geralmente muitas pessoas acabam se hospedando lá, mas como eu gostei bastante do hostel que eu estou em Santa Marta, preferi fazer um bate volta, sem citar que os hostels em Minca são um pouco mais caro, então acabei fazendo isso, por lá você pode conhecer uma fazenda cafeeira e algumas cachoeiras que ficam em uma trilha que dura 06 horas, você pode ir de moto táxi também ou na caminhada, a fazenda e cachoeira só fica uma hora de trilha, então da para fazer os dois e depois voltar para a cidade, a trilha em si depois disso fica normal, parece ate uma estrada, toda hora passa carro e moto hehe, então não tem nada de especial. Palomino: É uma região turística que fica a 2 horas de distancia de Santa Marta, lá tem muitos hostels para você se hospedar ou você pode fazer um bate volta, como eu estava com tempo, resolvi passar uma noite por lá e aí eu conto mais para vocês através desse link. Cidade Perdida: Esse era um passeio que eu queria ter feito muito, mas é muito caro, ele custa 850 mil pesos colombianos, arredondando da 1000 reais, são 05 dias de trilha, acampando no meio do mato para chegar ate as ruínas de uma cidade perdida, o nome já diz tudo né, só pelo valor já da uma desanimada no peão mochileiro, então infelizmente esse não fiz. Parque Nacional Tayrona: É uma reserva natural que fica próximo a Santa Marta, mas ela é protegida, pois existem tribos indígenas vivendo na região, assim a entrada é controlada e cobrada, são 40 mil pesos colombianos só para entrar, depois mais 3 mil para uma van te deixar no inicio da trilha, que para o lugar mais conhecido, chamado de Cabo San Juan, dura em torno de 2 horas, ate que você chega na praia e lá encontra barracas para alugar, ao custo de 30 mil pesos colombianos por pessoa, e tudo isso você precisa chegar bem cedo, pois as vagas são limitadas, além disso você enfrentara longas filas para comer e tomar banho, todo esse relato foi de um amigo meu brasileiro que foi para lá, um mês antes, e isso me desmotivou bastante, além de ser algo muito turístico e caro, uma garrafa de água custa 6 mil pesos, um pouco mais que 2 dolares, para comer os preços são bem salgados, e pelo que vi do lugar não me pareceu ser um lugar tão foda para passar por isso tudo e pagar por isso tudo, além de eu ser contra exploração abusiva por um lugar que deveria ser de graça, com isso acabei não indo também para esse Parque, preferi ficar em uma praia deserta em Taganga de graça com menos turistas possíveis. É isso ae galera... Espero que tenham gostado do relato e... Follow me.
  22. A primeira frase que posso falar sobre essa cidade é que ela é QUENTE, a cidade ferve dentro das muralhas, com certeza essa foi a cidade que passei mais calor na viagem nos poucos dias que eu fiquei. Cartagena é uma cidade muito histórica, por ficar a beira mar há muitos fortes espalhados e ate um castelo dentro da cidade, que dão todo charme a região, sem citar as ruas apertadas com suas casas coloniais e toda colorida. - Como chegar Bom, você pode chegar aqui pelo aeroporto, que esta muito próximo ao bairro turístico, que se chama Getsemaní. Do aeroporto você pode ir andando ate a avenida da praia e pegar qualquer micro-ônibus que te leve ao centro, por 2100 pesos colombianos, ou pegar algum táxi coletivo a 3.000 mil pesos, ou se quiser ir a um táxi só para você, esta na faixa dos 7.000 pesos. Já o terminal rodoviário fica um pouco mais longe da cidade, em torno de 1 hora de ônibus, que custa os mesmos 2.100 pesos, ou você pode ir de táxi por 20.000 pesos colombianos, do terminal ate o centro e vice versa. - Hospedagem O melhor bairro para se hospedar é no Getsemaní, é ai que esta os principais hostels de Cartagena, eu fiquei hospedado em um chamado Hostal Las Tortugas, foi o mais barato que achei, por 20 mil pesos a noite, sem café da manhã, outros que eu vi estavam a 30/32 mil pesos, todos sem café da manhã, todos ficam muito bem localizados, as ruas são pequenas, assim tudo fica muito próximo. - Alimentação Aqui encontrei restaurantes de 7.500 a 8.500 pesos colombianos e serviam um belo prato com arroz, feijão, salada e carne, com uma sopa de entrada, a sopa eu sempre recusava, nesse calor tomar algo quente é impossível, a bebida estava inclusa também. - Segurança Não senti Cartagena tão segura assim, claro que não me passou nada, mas aqui é bom tomar um cuidado maior, há muita gente nas ruas, aqui é uma cidade muito turística, então é bom ficar esperto, mas nada que preocupe. - Câmbio Em uma das ruas principais do bairro é possível trocar dinheiro em lojas de cambio, bem tranquilo. - Passeios Cartagena é um lugar para se caminhar pelas suas ruas pequenas e cheias de vida, na parte do bairro principal, andar pelas ruas, ver os grafites e a cada porta é a oportunidade de tomar um drink ou comer algo, passear sem saber ao certo onde dará é umas das coisas boas a se fazer, já dentro da cidade murada, onde o nível da uma melhorada e carros são proibidos de andar, vale a pena caminhar na mesma pegada, e, além disso, da para você andar em cima da muralha e dar uma volta quase completa, aproveitar o por do sol e tomar uma cerveja geladinha é uma ótima pedida. Você pode ir ao Castilho de San Felipe, que fica a 10 minutos caminhando no máximo do bairro e não tem como não vê-lo, a entrada custa 25 mil pesos e mais 12 mil do guia, é importante fazer a visita guiada, pois senão não ira entender nada e ira apenas ver muros e muros hehehe. Outro lugar para se visitar, mas que eu não fui é Playa Blanca, fica cerca de 1/2 horas da cidade, há agencias que te levam lá, mas também da para fazer sozinho, é necessário pegar um ônibus e um moto táxi, ou então da para ir de barco também, eu recomendo se informar na recepção do hostel para eles te indicarem o local que saem de barco me parece ser mais rápido e econômico, dizem que a praia é muito bonita, com bares e restaurantes, acabei escolhendo não fazer, pois no dia seguinte iria para Santa Marta e ali ficaria na praia por uns 8 dias, aí não valeria o trabalho todo de chegar lá e fazer esse bate volta. É isso ae galera... Espero que tenham gostado do relato e... Follow me.
  23. rafacarvalho33

    Cuba

    Durante a minha viagem sempre busquei manter o mesmo perfil, independentemente do país visitado, com isso busco manter meu gasto de 20 dólares por dia, e em Cuba não foi diferente, apesar de ter muito mais dificuldades em relação a hospedagem, já que lá não existem hostels como conhecemos pelo mundo afora, a parte do transporte também não é tão fácil assim, porque Cuba depende muito do turismo e tem um preço diferenciado para eles, então é necessário um esforço maior para fugir dessa "armadilha" cubana hehehe. O segredo é buscar o jeito cubano de viver e entrar no ritmo. Passei 30 dias em Cuba, passei por cidades como Havana, Cienfuegos, Trinidad, Santa clara, Camaguey, Santiago de Cuba, Baracoa, Bayamo, Morón, Varadero, Pinar del Rio e Viñales. Abaixo tem o link com os gastos detalhados, espero que gostem e que te dê o incentivo para conhecer esse maravilhoso país. CUBA Total de dias: 30 dias Total de gasto: $573,05 dólares Gasto em média por dia: $19,10 dólares Se quiser ver a tabela com todos detalhes, só clicar no link abaixo https://drive.google.com/open?id=0BwoRR6RnB40FbTBmUm9fN285LXc
  24. Durante a minha viagem sempre busquei manter o mesmo perfil, independentemente do país visitado, com isso busco manter meu gasto de 20 dólares por dia, e em Cuba não foi diferente, apesar de ter muito mais dificuldades em relação a hospedagem, já que lá não existem hostels como conhecemos pelo mundo afora, a parte do transporte também não é tão fácil assim, porque Cuba depende muito do turismo e tem um preço diferenciado para eles, então é necessário um esforço maior para fugir dessa "armadilha" cubana hehehe. O segredo é buscar o jeito cubano de viver e entrar no ritmo. Passei 30 dias em Cuba, passei por cidades como Havana, Cienfuegos, Trinidad, Santa clara, Camaguey, Santiago de Cuba, Baracoa, Bayamo, Morón, Varadero, Pinar del Rio e Viñales. Abaixo tem o link com os gastos detalhados, espero que gostem e que te dê o incentivo para conhecer esse maravilhoso país. CUBA Total de dias: 30 dias Total de gasto: $573,05 dólares Gasto em média por dia: $19,10 dólares Se quiser ver a tabela com todos detalhes, só clicar no link abaixo https://drive.google.com/open?id=0BwoRR6RnB40FbTBmUm9fN285LXc
  25. rafacarvalho33

    Cuba

    Em Havana aprendi uma expressão cubana "no es fácil", geralmente utilizada para quando uma pessoa não te entende ou esta complicando alguma situação. Ser mochileiro em Cuba não é fácil também, principalmente no quesito transporte, como fugimos dos ônibus da Via Azul que opera só para turistas, e os ônibus locais só servem para cubanos ou pessoas que estudam em Cuba, só nos resta correr atras de táxis coletivos ou caminhões; nos táxis sempre aquele problema de quererem explorar um valor acima do normal para ganhar um a mais, coisa que se passa em todo canto do mundo, a solução mais barata são os caminhões, mas nunca se sabe o certo o local de saída deles, qual o destino e que horas partem, nesse momento que escrevo o texto são 09:10 da manhã, estou desde as 07 da manhã esperando um caminhão que parta para Playa Giron, muito provável que ele não apareça e que eu não consigo conhecer a praia. Isso faz parte da viagem, já estou acostumado, o curioso é perceber que os cubanos ainda não entendem esse tipo de turismo, o de viajar em mochila e sempre optar pelo mais barato, talvez estejam acostumados ao turismo da alta classe que fica em Resorts e hotéis 05 estrelas e façam tudo através de tours, os cubanos não compreendem como eu vim até Cuba para ficar comendo nos PALADARES ( restaurantes bem simples que vendem comida para os cubanos) que custa 1 CUC, na cabeça deles eu deveria ir a restaurantes turísticos, mas lá um prato chega a 8 CUC. Outro dia estava tentando explicar o rolê mochileiro e um deles me respondeu " se não tem dinheiro, não deveria nem viajar", eu dou risada disso tudo...em outra cidade um cubano não entendia porque eu viajava de caminhão (1 cuc) se podia ir de táxi (30 cuc), nada como não quebrar certos paradigmas, né?! Obvio que não sou o primeiro mochileiro a vir para cá, mas ainda somos poucos comparando com o turismo normal, as vezes encontramos um ou outro comendo no PALADAR, viajando de caminhão ainda não vi, mas quem sabe depois do projeto CUBARATO não vemos mais mochileiros perdidos por aqui e quem sabe daqui a 20 anos Cuba dê opções melhores para o pobre mochileiro hahaha. Eu em uma das viagens de caminhão por Cuba Follow me
×
×
  • Criar Novo...