Ir para conteúdo

rafacarvalho33

Membros
  • Total de itens

    98
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que rafacarvalho33 postou

  1. Cienfuegos é uma cidade especial, além de ter sofrido uma colonização francesa, ela é patrimônio mundial da Unesco, a cidade tem belíssimo centro histórico, muito bem preservado, um calçadão para passeio e outro ao lado do mar, a cidade é muito importante porque aqui foi a ultima batalha da revolução liderada pelo Fidel Castro, daqui ate a Havana foi a passeata da vitória, já que o Ditador Fulgêncio Batista já havia fugido de Cuba. Próximo a Cienfuegos esta a Praia de Giron onde tem como conhecida a Baía dos Porcos, lugar onde um grupo paramilitar de mercenários desembarcou em Cuba para tentar tirar Fidel do Poder, isso em 1961 já, tudo isso financiado pelos EUA, porém não contavam com a força do povo cubano que se uniu ao exército e conseguiu derrotar a força invasora da ilha, por isso é mais comum ver frases, cartazes e outdoors exaltando o povo de Cienfuegos e sua coragem. - Como chegar Para vir de Havana a Cienfuegos há diversas formas, há pelo ônibus da Empresa Via Azul que é destinada a somente ao estrangeiro que custa em torno de 20 Cuc´s, há também uma forma de vir de caminhão que deve demorar mais e ser bem mais barato, mas foi dificílimo encontrar informações precisas sobre o lugar que saem e quanto custam, e há os táxis compartilhados que cobram as vezes 30 Cuc’s nesse trajeto, e negociando caem ate para 25 Cuc´s, isso se a pessoa quiser deixar reservado, esses táxis compartilhados só saem quando lotar, se você quiser deixar tudo reservado e bonitinho acaba pagando mais por isso, o que eu fiz foi acordar bem cedo lá pelas 07 da manhã e ir a um terminal grande que tinha perto do Hostal e ver tudo na hora, ao chegar lá havia um táxi que iria fazer esse trajeto e estava com uma pessoa dentro do carro, como era eu e o Paulo, o brasileiro que esta viajando comigo, nós tínhamos uma pequena vantagem para negociar, não podíamos forçar muito senão o cara podia se irritar e a gente não conseguiria ir para lá, então o taxista começou pedindo 20 Cuc´s por cabeça, respondi que estava caro e pagaríamos 15 Cuc´s cada um, a principio ele não quis e ficamos parados lá, na nossa, passou 2 minutos ele veio e aceitou, e pronto só faltava mais uma pessoa para completar o carro, 30 minutos depois chegou um cubano e assim partimos, foram 03 horas de estrada sem parada, uma viagem tranquila, as pistas são bem largas e boas até, um dos maiores desafios de viajar em Cuba é se locomover entre as cidades, além de ter essa diferença gigante nos preços, as informações são sempre bagunçadas. - Hospedagem Hospedei-me em uma casa de família na Avenida 54, entre as ruas 51 e 53, em uma casa verde, a uns 20 minutos do centro andando, quanto mais longe do centro, mais barato fica, esse é um dos esquemas para baratear a viagem. O taxista que nos trouxe perguntou se tínhamos lugar para ficar e respondemos que não, assim ele indicou um amigo dele que poderia nos ajudar, mas a casa custaria 25 Cuc´s, de pronto já respondi que estava muito caro e que aceitaríamos pagar 20 Cuc´s, ai veio todo o discurso que não conseguiríamos a esse preço e bla bla bla, respondi que tentaríamos, que fazia parte do nosso espirito buscar o impossível hahaha. Veio o amigo dele e nos levou a uma casa que cobrava 20 Cuc’s, que milagre, logo o preço que procurávamos, obvio que o taxista já tinha dado um toque para o intermediário que avisou a mulher, como achamos que o desconto foi muito fácil, resolvemos procurar mais barato, agora por 15 Cuc’s, só foi atravessar a rua e surgiu outro intermediário oferecendo casa, falei que estava disposto a pagar 15 Cuc´s por noite para 2 pessoas, mas que isso nem adiantaria mostrar, fomos em uma casa e não rolou, na segunda a dona aceitou e assim nos hospedamos, a 7,5 Cuc para cada um por noite, praticamente o mesmo preço de Havana, mas agora o quarto é só nosso, com banheiro e ar condicionado, ate pensamos em pechinchar um pouco mais para arranjar por 12 Cuc´s, mas os 15 já estava de bom tamanho, temos que escolher nossas batalhas ne hahaha. . - Alimentação Em todas as cidades sempre buscamos lugares cubanos para comer, existem pequenos restaurantes que as vezes tem apenas 1 mesa disponível e que vendem um bom prato de comida a 25/35 pesos cubanos, a moeda nacional, rodamos a cidade e encontramos um e fizemos uma bela refeição, com um refrigerante e ate uma sobremesa, no total deu 60 pesos cubanos ou 2 Cuc´s, como preferir. Sempre vamos em busca desses restaurantes mais baratos, os restaurantes turísticos cobram em torno de 7 Cuc´s a refeição. - Segurança Cuba é um dos lugares mais seguros que já conheci, andamos a qualquer hora do dia ou da noite, sempre com celular, dinheiro, câmera fotográfica e em nenhum momento sequer vemos alguém com um olhar de maldade ou aquele tipo que fica só na boa esperando o turista dar mole, a sensação de você poder andar nas ruas sem se preocupar com isso é incrível, dar uma paz de espirito enorme, olha que não andamos apenas em lugares turísticos, geralmente andamos mais na parte dos bairros para conhecer a real vida de um cubano, andamos em lugares que ficamos horas sem ver nenhum gringo por ali e somos sempre tratados de uma forma amigável e quando descobrem que somos brasileiros, nos sentimos em casa. - Câmbio Aqui em Cuba funcionam as Cadecas que são controladas pelo Governo e em qualquer cidade as taxas são fixas, já fiz um artigo contando qual foi a melhor moeda para se trazer para cá, é um dos primeiros posts, você só precisa buscar na cidade o lugar certo e trocar, eu preferi trocar uns 300 dolares canadenses em Havana, então não precisei trocar aqui. - Passeios Centro Histórico: A cidade tem um centro muito preservado, alias a cidade como um todo é mais bonita e preservada que Havana, que ainda conta com muitos prédios por reformas e outros abandonados, o centro conta com uma escola, um teatro, uma igreja, alguns prédios históricos e um palácio do governo local, a cidade tem um ritmo bem interiorano e o calor pelo menos nessa época do ano judia, mas a praça conta com muitas arvores e bancos para descansar, o legal que nessa praça tem o ponto da internet local, então os mais novos ficam ali usando internet, escutando musica, é a tecnologia chegando em Cuba. rs Playa Giron: Aqui onde aconteceu a grande batalha na Baía dos Porcos, na época a CIA contratou paramilitares mercenários para tentar derrubar Fidel Castro do poder, isso nos anos 1961, lembrando que a Revolução se deu em 1959, com esse racha entre EUA e Cuba e a aproximação da União Soviética, e toda confusão da Guerra Fria se aproximando as tensões entre os países estavam acirradas, e com isso a CIA fez essa tentativa em CUBA, mas ela não contava com a força do povo cubano que se uniu ao exército do país para combater a invasão e saíram vitoriosos, por isso que Cienfuegos tem uma importância para Cuba, pois foi aqui que se defendeu o país de uma invasão estrangeira, infelizmente não consegui ir a esse lugar, esperei um caminhão durante 2 horas que não apareceu, era a forma mais barata de ir, já que custava apenas 1 Cuc, taxistas cobravam 30 Cuc´s, mas gostaria de ter passado na praia onde aconteceu essa grande batalha. Malecón: é um calçadão que vai beirando o mar e um belo ponto para ver o pôr do sol, ali os cubanos fazem exercícios de corrida e os turistas param para tirar foto, um lugar bem agradável para se estar no final da tarde. Follow me
  2. Décimo sétimo dia de viagem 06/05/2017 – Sábado - Bayamo Acordamos as 09 horas da manhã, bem tarde e fomos ao terminal, ficamos sabendo que tem caminhão ate Morón por 10 Cuc´s e ônibus da Viazul por 17 Cuc´s, mas o nosso objetivo era outro, lá conseguimos um táxi para nos levar a Santo Domingo, nos custou 45 Cuc´s, para levar, nos esperar e retornar com a gente, hoje sera um dia bem caro para os nossos bolsos, não teríamos tempo para ir de jeito mais barato, que era tomar um caminhão ate uma cidade próxima e depois tomar um táxi para percorrer os últimos 20 km ate Santo Domingo, como era incerto, fomos de táxi mesmo, Bayamo ate lá da uns 50/60 Km, assim fomos em direção ao destino final, tudo isso para conhecermos a famosa Sierra Maestra, lugar onde os revolucionários ficaram escondidos de 1956 a 1958, porem ao chegar no parque não havia mais como entrar, geralmente os passeios são as 8 horas da manha, nos chegamos as 12 horas e o parque encerra as 15 horas, contamos que viemos de Bayamo e não iriamos passar a noite por ali (que é o que geralmente as pessoas fazem e eu recomendo rs) eles abriram uma excessão para nós, mas com uma condição, que a gente andássemos rápido por causa do encerramento do parque, pagamos 27 Cuc´s cada um e fomos nos 5 km de carro ate a entrada da trilha e caminhamos outros 3 km ate o lugar chamando El Comandancia de La Prata, onde estava situado a pequena vila que Fidel montou como base para se defender dos ataques das tropas de Batista. Sierra Maestra foi escolhida porque quando Fidel desembarcou o Gramma com 82 soldados revolucionários, logo na primeira batalha ele perdeu vários homens e outros foram presos, sobraram 12 pessoas, incluindo Fidel, Che, Camilo e Raul, assim foram para Sierra Maestra se esconder das tropas e se organizarem novamente, sendo que as tropas de Batista contavam com 80 mil homens, que loucura né, mas assim Fidel foi fazendo ataques estratégicos para pegar mais armas, roupas e comida, criou a Radio Rebelde no cume de uma montanha que tinha alcance por toda a ilha, e todo dia durante 1 hora pela noite, Fidel falava aos cubanos, assim ganhando simpatizantes para a causa, o local que começou com 12, chegou a ter 350 homens, todos escondidos pela Sierra, ate que Fidel foi vencendo as batalhas e foi rumo a Havana. O lugar é muito bonito, no meio das montanhas, estávamos só eu, Paulo e o guia, que nos deu uma aula sobre Cuba, e no fim nós chamou de irmãos latinos, fiquei feliz, gosto e compactuo com esse tipo de pensamento, conhecemos a enfermaria onde Che trabalhou, o armazém, a cozinha e o principal, a casa de Fidel, foi muito especial andar por ali, uma energia diferente, o passeio foi caro, mas valeu cada centavo, o melhor ate agora, estar no meio das casas foi algo foda, inexplicável, só um detalhe, acabei indo de chinelo e estourei ele na trilha, tive que voltar os 3 km descalços, que merda, fiquei triste nessa parte hehehe. Ao voltar a cidade, ganhamos um lanche e um refrigerante do parque, vimos o nosso taxista esperando e voltamos para Bayamo, chegamos na cidade e na casa havia uma sobrinha da dona, ali ficamos conversando e ela nos levou a um lugar que se come barato, perto da estação de trem, depois de jantar fomos na praça usar um pouco da internet que tinha sobrado do dia anterior, tomamos um sorvete e fomos para casa, amanha sera mais um dia longo ate Moron.
  3. Décimo sexto dia de viagem 05/05/2017 – Sexta Feira - Bayamo Acordamos as 5 da manha para as 6 horas pegar o caminhão ate Guantánamo, deveria dar umas 4 horas de viagem, mas no final foram 6 horas e meia, o caminhão ficou parado por 2 horas na estrada esperando passageiros para lotar o caminhão, pagamos 50 pesos (2 cuc´s), ao chegar em Guantánamo esperamos um ônibus municipal por 1 hora para nos levar ate o terminal da cidade, o legal desse momento era que deixamos nossas mochilas ao lado do ponto de ônibus e sentamos do outro lado da avenida na sombra, e ninguém nem sequer olhava para as nossas mochilas, isso que estava todo nosso dinheiro lá e computador também, a segurança do local ainda me fascina hahaha, o ônibus custou 1 peso cubano, lá mais uns 30 minutos de espera para partir para Santiago de Cuba, o caminhão era muito desconfortável, um dos piores que pegamos, a viagem foi dura e durou umas 3 horas e custou 25 pesos cubanos, ao chegar em Santiago uma péssima noticia, não tinha caminhão para Bayamo, tivemos que tomar um outro para uma cidade que fica a 45 km do nosso destino final, chamada de Contramaestro, custou 20 pesos cubanos e mais 2 horas de viagem, lá pegamos um táxi compartilhado de 25 pesos cubanos ate Bayamo, assim fomos para nossa ultima hora de viagem. Ao todo pegamos 3 caminhões, 1 ônibus e um táxi compartilhado para percorrer 320 km, saímos as 06 horas da manha e chegamos ao destino as 20 horas, foi um dia cansativo, tudo isso se deu pela economia, gastamos 4/5 vezes menos fazendo dessa maneira, o jeito mais fácil porem mais caro é ir de Viazul, assim encontramos uma casa para ficar, saiu por 13 cuc´s a noite, não rolou os 12, fomos jantar hambúrguer e tomei duas belas pinãs coladas geladas e assim capotei na cama. Logo o primeiro dia em Bayamo foi assim, que beleza. rs
  4. Havana é a capital de Cuba e a cidade mais importante da ilha, é um dos lugares mais visitados pelos turistas, a cidade é bem grande, dando oportunidade para você escolher o bairro que prefere ficar, sendo que a grande maioria prefere ficar perto do centro, no bairro Havana Vieja ou em algum dos grandes hotéis no Malecón, perto do mar, cada lugar tem sua beleza e encanto, eu preferi ficar mais afastado desses 2 lugares, bem próximo ao Estádio Latino-americano que fica a 10 minutos da praça da Revolução, lá é um lugar mais local, meio longe do centro, cerca de 3/4 km de distancia. Havana tem muitos predios abandonados, ou bem velhos, coisa que em outras cidades já não se vê tanto, mas isso da um ar charmoso para a cidade, junto aos carros antigos e pessoas bem tranquilas, tudo isso faz de Havana ser uma cidade especial e diferente da grande maioria, sendo um lugar super seguro, te da a liberdade de andar por qualquer rua sem ser incomodado. - Como chegar Geralmente todos os voos para Cuba têm como destino de chegada em Havana, a capital do país, porém o aeroporto fica um pouco mais distante da cidade, caso você chegue de dia é possível pegar um ônibus que custa 1 peso cubano que passa perto do aeroporto, é necessário andar ate a avenida e esperar ele passar com a numeração P122, ou então ir de taxi, geralmente o taxi vai te cobrar 30 cuc´s por cabeça, mas no fim eu consegui por 10 cuc´s a pessoa, para mim e uma colombiana que conheci no voo, acabamos rachando o taxi para ficar mais barato. - Hospedagem Havana é a maior cidade cubana, o que não falta é lugar para ficar por lá, existem muitas casas disponíveis por toda região, eu preferi ficar próximo ao Estadio Latinoamericano, que fica a uns 10 minutos da Praça da Revolução, ele fica mais longe do centro e de Habana Vieja, o lugar mais turístico da cidade, preferi assim, pois ficaria mais perto dos bairros, para ter esse contato com o povo local, e quando fosse para o centro poderia ir caminhando tranquilamente pelas ruas ate chegar lá e assim ir conhecendo a cidade. Eu fiquei na casa da Dona Teresa, na Avenida 20 de Maio, ela mora no prédio azul no nono andar, ao lado do estádio, o valor da diária varia de 6/8 Cuc´s por noite, o quarto tem 05 camas de solteiro, virando uma espécie de hostel, o legal é que você pode conhecer mais mochileiros dessa forma, tem um banheiro dentro do quarto, ventiladores e agora ela esta providenciando um ar condicionado, já que o verão esta chegando, além disso você pode conhecer um dos filhos dela (Jorge) e o marido (Fran), isso te da uma interação muito boa com o povo cubano, você pode conversar de tudo, tirar suas duvidas sobre o país, pedir dicas, realmente é muito bom ficar nessas casas de família, uma experiência bem diferente e para mim bem melhor, você depois de alguns dias acaba se sentindo em casa. - Alimentação No começo ainda estava tentando pegar os esquemas de como comer barato, mas depois de um dia não tem erro, o principal é ver aonde os cubanos vão, e sempre verificar o cardápio, se ele estiver em peso cubano, que é a moeda nacional, provavelmente é um lugar barato, geralmente são lugares simples, que mal tem lugar para sentar, mas a comida é farta e boa, nos cafés da manhã era a mesma coisa, procure pequenas lanchonetes, lá você poderá comer sanduiches e tomar suco natural, em alguns lugares 2 lanches e 1 suco dava 10 pesos cubanos, coisa como 0,40 Cuc´s, por ai, o almoço fica em torno de 35 a 45 pesos cubanos, não chega a 2 Cuc´s, por isso que eu preferi ficar nos bairros mais distantes da zona turística, quanto mais perto dos turistas, mas difícil fica de encontrar esses lugares, ai só terá aqueles restaurantes caros para ir, onde você almoça por 07 cuc´s, sem contar a bebida e a gorjeta. - Segurança Nos primeiros dias a gente ainda fica meio receoso, brasileiro que somos sempre ficamos espertos com celulares, quando a noite chega ate assusta um pouco, a iluminação publica é bem ruim, ruas ficam totalmente escuras, mas mesmo assim não acontece nada, totalmente seguro, depois de 2 dias você já esta andando pelos lugares mais pobres da cidade gravando vídeo com o celular e andando as 2 da manhã pela cidade com a certeza que não acontecera nada, a segurança foi uma das coisas que mais me impressionou aqui, e isso significa liberdade, era livre para andar para qualquer canto a qualquer horário sem me preocupar com assalto, isso foi uma das experiências mais legais que passei na ilha. - Câmbio Em Havana existem diversas CADECAS espalhadas, só se informar qual a mais próxima da sua hospedagem para realizar a troca, no começo é normal ficar um pouco confuso, é ate bom anotar isso, CUC´s são os pesos convertíveis, essa é a moeda do turista, que geralmente usa para pagar hospedagem e transporte, você pode usar ela no dia a dia também, a diferença que a pessoa ira fazer a conversão do peso cubano para Cuc´s para poder receber dessa maneira. 01 Cuc = 01 Dolar/Euro, existe uma leve diferença, mas para ficar mais pratico melhor deixar assim, então como é possível ver, tem que tomar cuidado ao gastar em CUC, já o peso cubano que é usado em muitos mercados e restaurantes locais , 1 CUC = 24 pesos cubanos, logo gastar em peso cubano é mais vantajoso, como falei acima, tem ônibus da cidade que custa apenas 1 peso, refrigerante a 10 pesos, suco natural a 3 pesos, lanche a 05 pesos e refeição a 25/45 pesos cubanos, esse é o segredo para economizar em Cuba. Eu sempre andava com as duas moedas no bolso, na própria CADECA, você troca seu dinheiro por CUC´s e depois troca alguns CUC´s por CUP, que são os pesos cubanos, deixava um bolso reservado para os CUC´s e outros para os CUP´s, assim ficava mais fácil de gastar o dinheiro no dia a dia. - Passeios Aqui em Havana, os passeios que tem para se fazer são conhecer os monumentos históricos em homenagem aos libertadores de Cuba, como Jose Martí e Maceo, e dos revolucionários, como Che e Camilo, além disso, tem diversas praças, tem o malecón e o museu da revolução. Um dos primeiros passeios que fui fazer, e por estar próximo também, foi conhecer a Praça da Revolução, é lá que o Governo Cubano dirige o país, todos os prédios da região são ministérios, e nele se encontram 2 homenagens das mais famosas de Cuba, o rosto do Che Guevara com a frase “ Hasta la victoria siempre” e de Camilo Cienfuegos “ Vas bien Fidel”, na frente dessa praça tem um enorme monumento e um museu ao libertador Jose Martí, que foi um dos lideres cubanos contra os espanhóis pela independência de Cuba. O segundo lugar é o Capitólio, que ate se parece com a Casa Branca, e ate se pode imaginar que lá é o lugar do governo, mas na verdade não é e no momento que fui ele esta fechado para reformas, ali será um museu. O terceiro lugar visto foi o Museu da Revolução, a entrada custa 08 Cuc e lá é onde você poderá entender um pouco mais da historia cubana, que conta sobre o período pré e pós-revolução, com muitas fotos e capas de jornais da época, vale a pena ler tudo e entender uma parte da história cubana. O quarto lugar foi passear pelo Malecón, que é a região costeira que tem um calçadão, no caminho ate o centro de Havana você encontra muitos monumentos da independência cubana, e também a embaixada americana. O quinto lugar foi ir à região do hotel Havana Libre, ali tem a universidade de Havana e é uma região bonita para se passear, com avenidas grandes, dali você pode ir ate o centro velho que não é tão longe assim. O sexto lugar é simples, é uma sorveteria próximo ao Hotel Havana Libre, é um lugar muito conhecido pelos cubanos chamado de COPPELIA, onde vende o melhor sorvete de Cuba, no menor preço possível, você come 05 bolas de sorvete por 05 pesos, muito barato, esta sempre com fila, mas que dura cerca de 30 minutos, as filas são para a organização do lugar apenas, vale muito a pena conhecer lá. Para quem quer ir a um lugar barato para tomar um mojito, cuba livre ou coisa do tipo, existe um lugar muito bacana chamado CASA BALEAR, fica próximo ao Coppelia, coisa de 05 minutos andando, em uma esquina com outra grande avenida, lá tem mojito a 15 pesos cubanos e cuba libre por 20 pesos cubanos, muito barato, menos de 1 cuc... o lugar é bacana e sempre depois das 18 horas fica lotado, o lugar é mais visitado por cubanos, mas já percebemos que esta ficando famoso pelos turistas, sempre encontramos outros viajantes por lá. Um lugar para sair a noite, é ir a Fabrica de Artes, a entrada custa 2 cuc´s e ali tem 2 pistas de dança e uma exposição de arte em todo lado, realmente é um lugar muito bonito, mas é bem cult, quando fomos tinha uma banda que tocava rock, então não é uma coisa cubana de tocar salsa e reggaeton, vale a pena a visita porque da a sensação que você nem esta em Cuba pela quantidade de gringos. Fora tudo isso, a parte mais legal é andar pelas ruas sem rumo, conhecendo as casas cubanas por fora, almoçar nos lugares locais, experimentar algum doce caseiro ou tomar aquele suco natural, escutar a musica cubana ecoando pelas ruas e andar sem rumo, sem a preocupação de ser assaltado ou cair em uma rua errada. Havana é uma cidade diferente e especial, não tem muito como explicar, só indo para saber, e claro manter sempre a mente aberta para absorver o máximo possível, ir com a mente já direcionada para criticar tudo o que vê ou elogiar tudo o que vê, pode te dar certa ilusão sobre o lugar, como todo país, como toda cidade, Cuba tem seus pontos positivos e seus pontos negativos, tem suas coisas que funcionam perfeitamente e aquelas que precisam melhorar, basta você estar livre de preconceitos e curtir tudo o que a ilha pode te oferecer. É isso ae galera... Espero que tenham gostado do relato e...
  5. Décimo quinto dia de viagem 04/05/2017 – Quinta Feira - Baracoa Assim chegamos a metade da viagem na cidade mais ao oriente da ilha na qual passamos, acordamos e fomos tomar café da manhã e fomos para uma das pontas da praia para ver um pequeno forte que ate então tinha um museu, mas hoje ele estava fechado, voltamos e passamos no mercado para comprar umas cervejas já que merecíamos algumas e eu coleciono tampa de cerveja, 1 cuc cada longneck, voltamos a casa porque o sol estava judiando, tomamos 2 brejas para abrir o apetite e fomos almoçar, de la fomos na loja comprar os cartões para usar a internet, 1 hora sai no valor de 1,50 cuc´s, mais tarde usaríamos para mandar um recado a nossas mães e amigos, já estávamos a 15 dias sem internet, depois disso fomos buscar informação da onde saia caminhão para Guantánamo, fomos em um terminal e nada, no outro encontramos um caminhão parado e fomos perguntar, o motorista disse que saia as 6 da manhã para Guantánamo e falou que poderíamos ir na frente por 5 Cuc´s. e atrás por 3 Cuc´s, no fim aceitou 2 cuc´s de cada um, ótimo preço. Assim fomos a um hotel que fica na montanha, lá era um antigo forte e você tem visão geral da cidade e do mar, descemos ate a praça onde tem sinal de internet e fomos usar minha 1 hora de internet, ela é um pouco lenta, mas da para usar whatsapp aproveitei e baixei alguns programas de podcast para escutar na viagem e falar com os amigos, ficar muito tempo sem internet é estranho, foi bom usar um pouco hehehe, assim fomos jantar e direto para casa, arrumar as mochilas e descansar, já que amanha é dia de acordar cedo e ter uma grande batalha para chegar em Bayamo. Follow me
  6. Décimo quarto dia de viagem 03/05/2017 – Quarta Feira - Baracoa Acordamos bem cedo, lá pelas 08 horas e fomos atrás de informação para El Yunque, um parque nacional que fica a 8 km de Baracoa, Paulo tomou seu café da manhã e eu não tomei, continuo mal da barriga, mas antes disso fomos na igreja da cidade para ver a cruz que Cristovão Colombo trouxe lá pelos anos de 1500, essa é 1 das 25 Cruzes que Colombo espalhou pela América Latina, após isso encontramos um moto táxi que nos cobrou 4 Cuc´s, e lá fomos nós, ao chegar lá vimos que era obrigatório a ida de um guia + entrada do Parque, custou 13 Cuc´s, além de nós, veio mais uma senhora francesa e um cubano de Havana que estava em Baracoa a passeio também, a trilha dura em torno de 2 horas, mas no sol escaldante foi cansativo, ainda mais de barriga vazia, uma parte legal do trekking é atravessar o rio, a água chega na cintura, na metade do caminho tem uma parada de descanso onde tem uma barraca de frutas, onde você pode comer a vontade por 1 Cuc, a senhora que estava muito cansada ficou para trás, esperando a gente na banca e assim fomos ate o topo, assim pudemos ver um visual incrível, das praias, do mar, do caribe e de todas as outras montanhas com seus coqueiros, percebemos que tinha muitas árvores caídas e descobbrimos que foi por causa de um Tufão que passou na região, tenso, assim voltamos ate a banca, paguei 1 cuc e destruí as frutas hahaha, comi um do abacaxis mais doces da minha vida, isso deu uma energia a mais e na descida viemos conversando com o cubano sobre diversos temas, sorte que o Paulo foi gravando tudo, no inicio queríamos fazer entrevistas, mas é meio chato ter que pedir para alguém tal coisa sendo que conhecemos a tão pouco tempo, preferimos gravar em conversas naturais, no fim nadamos no rio, fazia tempo que não nadava em um, foi bom. Para voltar tivemos que andar 5 km ate a estrada e de la arranjar transporte de volta ao centro, ali conseguimos uma carona em um caminhão, mas aqui as caronas são pagas, gastei 10 pesos cubanos para andar 2 km, assim andamos o ultimo km e fomos direto tomar um suco natural e ir para a casa tomar um banho, lavei algumas roupas e meu tênis, e descansei na cama, também decidimos ficar mais um dia em Baracoa, tem algumas coisas que queremos fazer antes de ir embora. Bom, fomos jantar, ficamos na praça e depois em casa ficamos na sacada batendo papo por uma hora, e depois na sala com o Sr Daniel e sua esposa sobre diversos assuntos, nos contaram sobre o Tufão que passou aqui em 2012, e por ai foi... A meia noite fomos dormir, já estávamos mortos.
  7. Isso, só precisa comprar, muito mais fácil e prático, zero de burocracia. Geralmente vendem na porta de embarque, recomendo levar os 20 dólares separados já. Qualquer dúvida estamos ae... Abraços
  8. Décimo terceiro dia de viagem 02/05/2017 – Terça Feira - Baracoa Tive a melhor noite de sono dos últimos 4 dias, já me sinto bem de novo, as 07:00 já estava arrumando a mochila e de banho tomado, as 8:00 devíamos nos encontrar com um taxista que tínhamos combinado de nos levar a 12 Cuc´s para Baracoa, fomos ao terminal e o taxista não apareceu, deu o cano, começamos a pensar no que fazer e um taxista falou que o melhor era ir para Guantanamo e de la tomar outro táxi para Baracoa. Guantánamo fica a 2 horas de Santiago e para essas curtas distancias sempre tem caminhão, fomos nos informar e descobrimos que perto da Praça da Revolução sai caminhão para lá, para a infelicidade do taxista que achou que ia ganhar uma corrida fácil, lá fomos nós na caminhada, encontramos o local e já subimos para guardar nossos lugares, a passagem custou 20 pesos cubanos, menor de 1 Cuc, antes de partir entrou um cara fazendo aquele jogo com 3 copos e 1 bolinha, onde você apostava onde ela estaria, logico que já sabendo da historia jajá apareceria alguns amigos do cara para jogarem e assim tentarem capturar alguém, nessa um cubano se animou, jogou, perdeu, ganhou e perdeu todo o seu dinheiro, ate pensei em avisar o cara do esquema que eles fazem, mas eles estavam em 4 e eu não queria arranjar problemas, uma merda. A viagem durou 2 horas ate Guantánamo, lá descemos na avenida meio que perdidos e uma mulher se voluntariou a nos ajudar, tínhamos que pegar um ônibus municipal para depois pegar outro ate Baracoa, o legal é que deveríamos ser um dos poucos turistas a fazer esse trajeto dessa maneira, então a ajuda brotava sem a gente pedir, além da mulher parar o ônibus certo, falar com o motorista onde ele devia nos deixar, ainda pagou a nossa passagem e passou o numero dela para a gente lugar quando chegássemos em Baracoa, isso foi muito foda, uma das coisas mais legais da viagem, ao chegar no outro ponto tivemos que esperar 30 minutos ate que apareceu um ônibus todo velho, subimos nele, a passagem custou 15 pesos cubanos, ou seja, gastamos 35 pesos cubanos ou 1,5 Cuc´s, ainda bem que o taxista não apareceu rs, foram mais 3 horas e meia de viagem, passamos por paisagens lindas, visão para o mar do caribe, varias e varias montanhas, algo de cinema, mas nem tudo é perfeito, estava morrendo de fome, com a barriga meio ruim ainda, preferi não comer nada para não dar problema no caminho, só que de táxi iria demorar 3/4 hora, esse caminho de um caminhão mais dois ônibus levaram 7 horas no total, pelo preço compensou, foi uma bela economia, mas segurar a fome foi foda. Ate que finalmente chegamos em Baracoa, íamos tentar casa por 10 Cuc´s, mas 12 Cuc´s já estava um bom valor, não queríamos explorar, fiz umas contas e no Peru, Equador, e Colômbia um hostel com quarto compartilhado, dividindo banheiro custa de 7 a 11 dolares, aqui cada um esta pagando 6 dolares num quarto privativo com banheiro, frigobar, ar condicionado, toalha e o mais importante, a experiência de conhecer uma família cubana, queremos sempre gastar menos, mas sabemos que esse dinheiro esta indo para as famílias que abrem a porta de suas casas, assim chegamos na casa do Daniel, eu com meu papo de negociador decorado já falei que éramos brasileiros sem dinheiro buscando quarto por 12 Cuc´s, assim Daniel responde “ Se Brasileiro não tem dinheiro, cubano tem menos ainda”, ai eu respondo “ somos irmãos latinos”, ele da risada e abre as portas de sua casa, assim já teríamos lugar para as próximas duas noites. Ficamos conversando uns 20 minutos e Sr. Daniel é uma pessoa muito bem humorada, a esposa dele é apaixonada pelo Brasil, ambos indicaram os lugares mais baratos para ir e o que fazer pela cidade, como o quarto não estava pronto e eu com um banheiro disponível se precisasse, fomos comer algo, 2 hot dogs e 2 sucos ( 9 pesos cubanos, 0,37 Cuc´s), estamos mais animados porque estamos conseguindo gastar menos que os 20 Cuc´s, já pegamos o jeito de viajar barato por Cuba. Assim fui tomar um banho, dar uma descansada porque amanhã é dia de fazer os passeios em Baracoa. Follow me
  9. Ola Paulo, atualmente eu estou na Colombia, estou passando quase 3 meses aqui e esse país é muito foda hahaha, depois olhe no meu blog, tem muita dica da Colombia por lá, ta faltando colocar Medellin, Cartagena, Santa Marta e San Gil, mas la já tem coisa de Ipiales, Popayan, Cali, Salento e Bogata hehehe é que eu ainda não fiz post aqui desses relatos, quis dar preferencia a Cuba. O visto cubano você precisa comprar ele, geralmente custa 20 dolares, e quem te vende é a cia aerea, no meu caso eu tinha escala no Panama, e comprei ele na porta de embarque, eu tentei comprar ele na Colombia, mas a cia area não tinha para vender, ja tive um amigo que teve escala em Cartagena, e por ali conseguiu comprar o visto, pelo mesmo valor, o visto dura durante 30 dias. Qualquer duvida so perguntar. Espero que tenha ajudado
  10. rafacarvalho33

    Cuba

    Cuba passa a sensação que parou no tempo, lá pelos anos 90, gente simples e humilde, levando uma vida muita parecida com a do próximo, num mesmo padrão, aqui não tem aqueles mercados grandes e nem redes de padaria, farmácia e açougue, são sempre pequenos empresários que montam seus comércios em uma pequena esquina, como era antigamente pelo menos em minha cidade. O que talvez nas grandes cidades brasileiras esteja acabando aqui tem de sobra, no final da tarde, principalmente nos finais de semanas, as ruas ficam lotadas, é a criançada brincando, seja jogando bola ou baseball, nem que seja com bolinha de papel e cabo de vassoura, a criançada toda descalça, pé no asfalto quente, aqui não tem o último modelo de chuteira e nem uniforme completo de algum time, era simplesmente brincar de futebol pela rua sem medo de ser feliz, os mais velhos ficam nas praças escutando música e tomando um Run cubano, uma vida leve e prazerosa. Não vou nem citar os orelhões bastante utilizados por aqui ainda apesar que a maioria já tenha celular, das charretes andando pra cima e pra baixo pelas ruas das pequenas cidades ou das pessoas sentadas nas praças tomando sorvete vendo as crianças brincarem como se amanhã não tivessem que ir trabalhar. Sei que ainda podemos encontrar esse estilo de vida no interior do país, mas nas grandes cidades talvez nunca mais. Tudo isso e mais um pouco, já que talvez não fui capaz de descrever tudo perfeitamente, me lembrou da minha infância, la pelos anos 90, vidas parecidas, onde todos tem os mesmos problemas em comum e as mesmas satisfações, não quero definir se isso é certo ou errado, não tenho essa capacidade para definir e julgar o melhor para um país, espero que os avanços tecnológicos cheguem em Cuba, mas que eles não percam esse lado bom de ter uma vida simples, leve e completa
  11. Décimo segundo dia de viagem 01/05/2017 – Segunda Feira – Santiago de Cuba Às 06 horas da manhã já estávamos acordados para ir aos festejos do primeiro de maio, eu tive uma mal noite de sono, febre voltou a atacar, as dores de corpo, enfim, já era o terceiro dia que não estava bem e isso estava me irritando, mas estava disposto a conhecer a festa do dia do trabalhador, lá se vai mais 04 km andando, fiquei por lá cerca de uma hora, tinha muita gente, muitas faixas e cartazes de apoio ao trabalhador, ao Fidel e a Cuba, mas comecei a me sentir mal, suando frio e voltei para a casa, assim decidi tirar o dia de folga, para somente descansar, fiquei somente na cama dormindo, olhando as fotos da viagem no note e batendo papo com os donos da casa. Nas conversas, ela me disse que pode ser Dengue (aqui também tem essas merdas), ou foi só fadiga muscular mesmo, só saí de casa para almoçar e jantar, mesmo não estando com muita fome, mas a irritação tava grande, preciso melhorar logo para não perder nenhum dia, espero que amanha eu acorde bem, já que terei que pegar uns 2 caminhões no dia ate Baracoa. Follow me
  12. Décimo primeiro dia de viagem 30/04/2017 – Domingo – Santiago de Cuba Passei a noite toda com uma agonia foda, único remédio que eu tinha era para dor de cabeça, tomei uns dois, as dores de corpo estavam piorando também, as 08 da manhã me levantei e a febre tinha passado, fui ao banheiro e pronto, estava com diarreia também, literalmente que merda, tomei um banho e fiquei sentado um tempo, a dona da casa muito simpática fez um café para mim e isso me deu uma animada, eu não queria perder um dia de viagem para ficar de repouso, logo hoje que íamos conhecer um castelo que fica a 10 km daqui, sai pela rua quase como um Walking Dead, fomos ate o ponto de ônibus e lá ficamos 02 horas esperando o bus passar, o bom que nesse tempo fui me recuperando aos poucos, já que estava quietinho sem fazer esforço físico, o busão não apareceu e resolvemos ir de táxi, a passagem do ônibus custava 0,05 Cuc´s, o taxi saiu 4 Cuc´s, como hoje é domingo tem pouco ônibus rodando, chegamos ao castelo, lá você encontra um lindo cenário para o mar e algumas praias desertas, mas a entrada ao museu era meio cara, pagamos 4 Cuc´s e não compensou, o museu é bem fraco, e se quisesse tirar foto ou fazer vídeo tinha que pagar mais, resolvemos voltar, mas não tinha mais táxi, andamos pela estrada pedindo carona, massem sucesso, poucos carros passavam por ali, ate que apareceu um moto táxi do nada, chamou um outro amigo dele e vieram falar com nós, assim pagamos 2 Cuc´s e voltamos para a cidade de moto. Nessa hora a diarreia mandava seus sinais, voltei voando para a casa, depois de problema resolvido, fui almoçar mesmo eu nem sentindo muita fome, comi para ver se ajudava a melhorar, voltamos para casa de novo para eu dar uma descansada, a dor de cabeça e febre sumiu a dor de corpo ainda persiste firme e forte. No final da tarde resolvemos ir a Praça da Revolução, onde acontecera os festejos do Primeiro de Maio, a Praça fia a 04 km da casa, não devia ter feito essa caminhada toda, mas estava querendo conhecer, a praça é enorme, tem uma homenagem a Antonio Maceo, no mesmo estilo de Che e Camilo em Havana, após conhecer a praça, fomos jantar para depois tentar dormir mais cedo já que o Primeiro de Maio começa as 04 da manhã, mas decidimos chegar lá pelas 6/7 horas, na hora de dormir senti a dor do cansaço e foi uma noite longa e difícil.
  13. Décimo dia de viagem 29/04/2017 – Sábado – Santiago de Cuba A viagem de ônibus durou 06 horas, e foi pesada, porque o ar condicionado estava no talo, era tanto frio que não consegui dormir, chegamos na cidade e já fomos procurar casa para poder dormir um pouco, geralmente estamos pagando 15 Cuc´s para os dois, mas agora o objetivo era tentar encontrar por 12 Cuc´s, fomos em uma casa, em duas e nada, na terceira eu falei “ Somos brasileiros e estamos viajando com pouco dinheiro, e vou ser sincero, estamos pagando 12 Cuc´s em outras cidades e estamos buscando o mesmo preço aqui em Santiago”; a mulher me olhou e falou “ mas nada de trazer mulheres para cá hein” hahaha assim conseguimos diminuir ainda mais o preço da hospedagem, dando uma folga no orçamento, mais uma batalha ganha para o projeto CUBARATO, assim fomos dormir algumas horas e acordamos as 13 horas e saímos para almoçar, trocar dinheiro, conhecer seus pontos turísticos e buscar informação para ir a Baracoa do jeito mais barato possível, queríamos ir de trem para ter essa experiência mas descobrimos que não tinha para esse trajeto, ônibus da Via Azul era 15 Cuc´s, nos táxis compartilhados negociamos para 12 Cuc´s e negocio fechado, então terça estamos com o transporte garantido. Ao lado do terminal, 10 minutos andando, esta o cemitério onde Fidel esta enterrado e onde tem um monumento não só para ele, como para outras pessoas que morreram durante a Ditadura de Fulgêncio Batista, além deles há outro monumento dedicado ao Jose Martí, libertador de Cuba, mas tinha que pagar 3 Cuc´s para conhecer essa parte e achamos que não valia a pena, depois disso fomos a uma praça onde Fidel Castro declarou a vitória da Revolução Comunista, depois de ter a vitória confirmada, ele saiu de Havana ate sua cidade natal para fazer o primeiro pronunciamento, ate que deu 17:30 da tarde e resolvemos ir para casa, mas eu e Paulo nos desencontramos e eu tive que voltar sozinho, sorte que consegui encontrar o lugar, andei algumas ruas perdidos, mas consegui me localizar, ai foi hora de escrever um pouco e dar uma descansada para conhecer a noite de Santiago de Cuba. Quando deitei na cama senti umas dores no corpo e já comecei a me preocupar, geralmente depois de muito esforço físico, meu corpo não aguenta e começa a pedir arrego, já iam 10 dias de viagem, caminhando 4/6 horas por dia, em Trinidad passei dois dias a base de sanduíche e pedaço de pizza e na ultima noite peguei aquela friagem do ar condicionado que deve ter derrubado minha imunidade, mas a dor era pouca e assim saímos para jantar, depois fomos ate uma praça onde tinha muita gente escutando musica, pegamos uma cerveja e eu comecei a piorar, às 23 horas já estava na cama morrendo com as dores no corpo, dor de cabeça e febre, estava destruído, foi a pior noite da minha viagem, já estava começando a me preocupar de verdade, não queria perder nenhum dia de viagem por isso, tentei dormir e torcer para acordar melhor, sempre ando com remédios, mas deixei tudo no apartamento da Dona Teresa em Havana, só tinha uma cartela de Anador que é para dor de cabeça, o resto vai ter que melhorar na raça. Follow me
  14. Nono dia de viagem 28/04/2017 – Sexta Feira - Camaguey Acordamos as 07:30 da manhã, arrumamos as mochilas e fomos tomar o café da manhã lá na mesma senhora do dia anterior, ali já compramos sanduíches para o almoço, fomos no terminal de ônibus e compramos as passagens para Camaguay (15 Cuc´s),seria a primeira vez que andaríamos de Viazul, saímos as 10 horas da manhã e chegaremos as 15 horas, porque teremos uma maldita parada para o almoço, aproveitamos e já compramos passagem para Santiago de Cuba (18 Cuc´s), sairemos a meia noite de hoje e chegaremos por volta de 6:30 da manhã, será um dia bem longo aqui em Cuba, teremos algumas horas para conhecer Camaguay, estamos dando esse sprint porque queremos passar o PRIMEIRO DE MAIO, um feriado muito importante aqui, em Santiago de Cuba, a segunda maior cidade da Ilha, terra de Fidel Castro e Jose Martí. Depois das 5 horas de viagem, chegamos a Camaguey e deixamos as mochilas no terminal mesmo, por apenas 2 pesos cubanos por item, lembrando que 1 Cuc = 24 pesos cubanos, ou seja, alguns centavos apenas, o centro estava distante em torno de 3 km e assim fomos andando ate lá, no caminho paramos para almoçar e fomos conhecer o centro histórico e a Praça da Revolução, bem bonitas por sinal. A cidade é muito bonita, e bem menos turística que Trinidad, tem um calçadão para caminhar com uma linha de trem cruzando a cidade, muito legal ver o trem passando por ali. Como nosso ônibus era somente a meia noite, tínhamos muito tempo livre, ficamos sentados nas praças da cidade observando a vida local cubana, e as 19 horas decidimos ir para o Terminal e ficar por lá esperando o ônibus, jantamos sanduíches numa banca e só foi sentar e esperar o horário, conseguimos ver um pouco de novela brasileira na Tv Cubana, aqui as novelas são bem famosas e todos gostam, encontramos com um casal argentino que tinha vindo com a gente ate aqui e iriam para Santiago de Cuba também. Esse foi mais um dia na ilha, a correria tem sido grande, muita caminhada e sempre correndo atrás de informação, como estamos na pegada de fazer a viagem custando menos de 20 Cuc´s ao dia, temos que correr para caminhos alternativos para economizar grana, buscar casas um pouco afastadas do centro e sempre ver o melhor jeito de se locomover entre as cidades, dentro da cidade fazemos tudo a pé, nos proibimos de pegar qualquer tipo de transporte interno, tudo pela economia, se você tiver mais grana é mais fácil, nos terminais tem os ônibus da Via Azul e só ir comprando as passagens desejadas e chegando na cidade tomar táxi ate a casa desejada, a gente na viagem mais roots possível tem que ficar caçando restaurante popular para economizar uns 3 Cuc´s por refeição hehehe. O bom que já estou me sentindo ate um explorador, desbravando as cidades cubanas, talvez fosse assim que os mochileiros dos anos 70,80 e 90 viajavam... Follow me
  15. As vezes durante a viagem o pensamento vai longe e as vezes surgem algumas questões no qual fico tentando responder e uma delas foi sobre "brasileiro(a) viajando sozinho", ai acabei escrevendo essa merda abaixo rs Mesmo já tendo viajado algumas vezes, sempre me admiro com a quantidade de pessoas que viajam sozinhas, na sua grande maioria são europeus e argentinos, independentemente do gênero, mas na verdade tenho ate encontrado mais mulheres do que homens sozinhos por aí, e isso me fez pensar porque é difícil encontrar brasileiro viajando sozinho, as vezes encontra-se um homem ou outro por aí, já mulher é muito mais difícil, mas fazendo uma relação com a quantidade da nossa população com as dos demais, percebe-se que temos poucos viajantes solos, e isso me fez questionar o porque do brasileiro viajar tão pouco sozinho. E depois de algum tempo cheguei na conclusão que o brasileiro tem uma especie de freio que não o deixa partir, a um excesso de medo que nos torna cegos e medrosos, (nem explanarei sobre aquele velho preconceito com países fora do eixo Europa-EUA), se pensarmos que viveremos em média 70 anos de idade, o que é tirar 2/4/6/12 meses de uma vida inteira para realizar um sonho? Seja ele qual for. Acabamos por ficar presos em uma prisão em que nos mesmos construímos, sempre preocupado com contas, trabalho e estudo, mas sera que só isso basta?! Sera que é assim que devemos levar uma vida?!O medo de sair da zona de conforto faz com que não façamos nada de diferente, achamos que não somos capazes de chegar sozinhos em uma cidade e se virar para procurar um lugar para dormir,ou qualquer coisa do tipo, temos medo do que a família pensara de nós, medo do que a sociedade ira julgar (geralmente julgamentos como vagabundo e por ai vai), agora, quem implementa esse medo em nós? Como nascemos, crescemos e passamos a ter medo ate o fim das nossas vidas? Sinceramente ainda não cheguei a uma conclusão para essa segunda resposta, espero que ate o fim da viagem eu consiga desvendar, por enquanto eu só sei que morro de medo de viver com medo.Espero que o texto tenha servido de algo e para mais brisas assim, só seguir o Follow the Portuga. Voar é preciso!
  16. rafacarvalho33

    Amizade na viagem

    Mais um texto saindo do forno, dessa vez estava numa cidade chamada Armênia, que fica na zona cafeeira da Colômbia e enquanto estava na rodoviária sentado no chão esperando o ônibus bateu a inspiração. Confira logo abaixo, espero que gostem: Já existe a velha premissa que ninguém consegue viver sozinho, e para mim isso é uma grande verdade, e quando se viaja sozinho é normal você ter momentos solos, desde fazer algum passeio, ou a sentar numa mesa e jantar com você mesmo, mas um viajante nem sempre esta sozinho, ate digo que são poucas vezes que estive só, talvez desses 45 dias de viagem que tive ate agora, somente em 06 dias realmente fiquei sozinho (no qual é uma coisa bem intensa, mas esse texto fica para mais tarde, agora quero falar sobre amizade rs). Amizade de um viajante é algo especial, ela não gera nenhuma obrigação com o próximo mas ao mesmo tempo a pessoa esta ali do seu lado para compartilhar uma água, comida ou o que você precisar, para dar um exemplo real, quando estava em uma cidade bem do interior, não consegui trocar meus dólares na cidade e fiquei sem nada na carteira, tive um amigo que me emprestou dinheiro, cerca de 50 reais, para eu poder fazer o passeio do dia, me alimentar e etc... mesmo tendo conhecido a poucas horas antes de precisar do dinheiro, claro que no dia seguinte consegui trocar e pagar o que devia, mas foi legal a confiança que rolou, não só nesse caso, mas como em diversos outros, gera uma cumplicidade entre viajantes que provavelmente na rotina do dia a dia não aconteça. Essas amizades são express, duram 2/3 dias na média, ate o momento que cada um segue sua viagem, mas são vividos de forma intensa, compartilhamos histórias de vida, falamos um pouco de nossos países, comparamos o estilo de vida de cada lugar, eu sempre falo da Portuguesa, o maior time do Brasil haha, e ate trocamos contato torcendo para que algum dia quem sabe os caminhos possam se cruzar de novo. E venho percebendo que as cidades no qual faço essas amizades sempre me deixam uma boa recordação e uma leve saudades do lugar, mas no fundo sei que não é a saudades do lugar em si, e sim saudades das pessoas que conheci. Sou muito grato por todos aquele que passaram pelo meu caminho e por aqueles que irão passar. Vocês fizeram e fazem minha viagem ser melhor do que imaginava. Nos vemos por aí. ❤ https://www.followtheportuga.com.br/single-post/2017/04/06/Amizade-Viajante
  17. Oitavo dia de viagem 27/04/2017 – Quinta Feira - Trinidad Acordamos as 05 da manhã e ainda era noite, saímos pelas ruas escuras de Trinidad, segurança total, em busca de algo para comer, encontramos um lugar que vendia pão com presunto e queijo por 1,65 Cuc, um roubo, mas era o que tinha, guardamos o pão na mochila e fomos para parada de caminhão, por lá já havia uns trabalhadores, batemos um ligeiro papo ate que o caminhão chegou, já estava com gente dentro, entramos na fila, e sete pessoas subiram e o resto ficou no ponto, trinta minutos depois apareceu outro caminhão quase cheio já, tentamos subir e não conseguimos, o homem falou que estava cheio, mas eu senti que ali era só para trabalhadores, e nos turistas não tínhamos vez, ate que entendi a razão e assim voltamos para dormir mais um pouco já que o passeio não tinha dado certo, uma pena, não vamos conseguir conhecer o parque. Acordamos as 10 da manha e fomos a um museu da cidade que conta a historia de cubanos exilados que foram financiados pela CIA para combater a revolução,a entrada custou 1 Cuc, la tem uma torre que da para ter uma visão da cidade, continuamos passeando pelas ruas e fomos ate a rodoviária para ver o melhor modo de ir para Camaguey, o ônibus dos gringos custava 15 Cuc´s, ate que é um bom preço levando em consideração as 4/5 horas de viagem, como não tem muita demanda para lá, os táxis cobram a25 Cuc´s sem negociação, após isso fomos almoçar pizza, encontramos um lugar que vendia a 06 pesos, pedimos 4, logo daria 24 pesos cubanos, que é igual a 1 Cuc, na hora de pagar as pizzas, o homem queria cobrar 4 Cuc´s, fiquei revoltado na hora, não concordei e entreguei as pizzas e fomos para outro lugar, a 20 metros dali havia uma pizzaria com os mesmos preços, pedimos 4 e pagamos 1 Cuc, como era o certo a se fazer. Trinidad por sua beleza é muito turística e isso encarece a cidade e faz os cubanos pensarem que todos que estão ali tem muito dinheiro, depois dali fomos para a casa dar uma descansada do Sol forte, no quarto eu e Paulo discutimos sobre os nossos próximos passos, queremos conhecer Sierra Maestra e passar o feriado de 1 de Maio ( dia do trabalhador) em Santiago de Cuba, então estávamos discutindo as datas, e planejando com as poucas informações que nos temos, final da tarde saímos para tomar uma cerveja, encontramos um lugar que vendia macarrão com queijo por 1,25 Cuc´s, decidimos jantar ali mais tarde, Paulo pegou uma cerveja por 1 Cuc, e fomos dar uma volta por um bairro que ainda não tínhamos ido, la conhecemos uma senhora muito simpática que vendia lanches, sucos e bolachas por um preço muito em conta, o mesmo que em outras cidades e que ali em Trinidad ainda não havíamos encontrado, fizemos um lanchinho, batemos um papo e conhecemos a filha e a neta dela, uma graça, gastamos 1 Cuc para os dois e prometemos que nosso café da manhã seria ali, voltamos a casa, e fomos ao centro para conhecer a noite da cidade. A noite chegou, fomos ate a praça principal onde tinha uma boa galera lá, tomamos 1 breja e ficamos trocando ideia, ali sem querer trombamos com um inglês que tínhamos conhecido em Havana, ficamos trocando mais ideia e trocamos contato, ate que deu 23 horas e fomos dormir, o corpo já estava pedindo arrego.
  18. Sexto dia de viagem 25/04/2017 – Terça Feira – Santa Clara Acordamos às 08 da manhã e fomos tomar café da manhã, nos custou 0,50 Cuc para um hot dog, um pão com uma pasta deles e um suco natural, percebi que estou comendo melhor aqui do que nos outros países por onde passei hehehe, chegamos na estação e já tinha um caminhão com destino a Santa clara, pagamos 1 Cuc que da 24 pesos cubanos. E assim vamos para a nossa primeira experiência de caminhão. Os caminhões não tem aquele conforto, mas tem bancos laterais que da para ir numa boa, achávamos que a viagem duraria uma hora, mas na verdade durou 2 horas, no começo vim conversando com uma senhora cubana, mas depois resolvi tirar um cochilo, sou especialista em dormir em transporte publico hehehe chegamos na cidade as 11:30, fomos nos informar sobre a volta e o ultimo caminhão sairia as 14 horas, daria tempo de conhecer tudo e voltar para Cienfuegos, cidade que adoramos ficar, por isso nem cogitamos em passar a noite em Santa Clara. Dali andamos 10 minutos ate a estatua do Che Guevara, existe um monumento muito bonito em homenagem a ele, com a carta onde Che se despediu de Fidel e de Cuba para seguir para o Congo, abrindo mão de todos os seus cargos, ate agora esse foi um dos maiores monumentos que vi aqui em Cuba, essa homenagem existe em Santa Clara pois foi lá que Che batalhou com as tropas de Fulgêncio Batista, isso em 29/12/1958, após isso Fulgêncio fugiu e os militares se renderam e Fidel saiu vitorioso. Bem abaixo do Monumento, existe um Museu e um Mausoleo, no museu há fotos históricas e inéditas, pena que é proibido tirar foto, ao lado desse museu esta o mausoleo, onde esta enterrado os restos mortais de Che, junto com outros combatentes de Santa Clara, as duas entradas são de graça, após esse tour fomos ate o centro da cidade e de la ate o museu de trem, demoramos uns 40 minutos a pé para cruzar a cidade, esse museu do trem conta a grande batalha vencida por Che e seus 17 soldados, que descarrilaram um trem que continha 2 locomotivas, com 18 vagões que levavam 408 homens e um grande arsenal de canhão, bazucas, metralhadoras, em quase 2 horas de batalha, os militares se renderam e assim Che conquistou essa grande batalha em Santa Clara, o museu custa 1 Cuc e você poderá ver varias fotos da época, após isso comemos um pão com presunto e queijo e voltamos ao terminal para tomar o caminhão ate Cienfuegos. A viagem de volta levou as mesmas 2 horas, ao chegar na cidade, fomos tomar banho e sair para jantar, ficamos um pouco na praça vendo uma galera jogar futebol, tinha algumas apresentações de musica também, como se fosse algum ensaio, assim fomos para casa e capotar na cama, estamos caminhando muito todos os dias, acredito que da cerca de 4/5/6 horas por dia, tem valido a pena, mas tem cansado. Sétimo dia de viagem 26/04/2017 – Quarta Feira - Trinidad Acordamos às 06 da manhã e fomos rumo ao terminal para pegar o caminhão que iria para a Playa Girón, porem ele passa com menos frequência que o de Santa clara, na verdade só passa uma vez pela manhã, as 07h30min, as sete já estávamos lá, mas o tempo foi passando e nada do caminhão, nesse tempo eu comi, escrevi e ate dormi no banco da praça, ate que deu 09h30min e abortamos a missão de ir para Playa Giron, uma merda, mas vida de mochileiro não é fácil aqui em Cuba, tínhamos ate outras maneiras de ir, mas todas acima do que poderíamos pagar, assim fomos buscar táxi compartilhado para Trinidad, inicialmente pediram 8 cuc, fechamos nos 5 Cuc´s, no táxi havia um alemão que tinha pago 7 Cuc´s e um casal de franceses que pagou 10 Cuc´s cada um, nessa o taxista veio falar com a gente para não contarmos o preço a eles, e assim ficamos sabendo quanto os gringos pagaram, a viagem durou uma hora e meia e o final dela é muito bonito, vai beirando o mar com diversas praias desertas, ao chegar fomos buscar quarto para alugar e a conversa começou nos 30 Cuc´s e acabou nos 15 Cuc´s de sempre, resolvemos ficar 2 noites na cidade, a dica que eu dou é simples, só falar que esta disposto a pagar 15 Cuc´s. A primeira casa recusou, a segunda também , a terceira vendo tudo de longe, aceitou nossa oferta, aqui há muitas casas e todas são sinalizadas, com a autorização para receber turistas, então é só andar pela rua e achar o seu preço, após guardar as mochilas fomos passear na cidade, se situar onde ficam os ônibus, os táxis, restaurantes baratos e etc, só que cometemos um erro primário em não pegar o endereço da casa, ou seja, nos perdemos totalmente, levamos mais de 1 hora para achar nossa hospedagem de volta, foi ate divertido. Trinidad é parecida com Paraty, muito bonita e charmosa, mas é uma cidade extremamente voltada para o turista, os PALADARES por aqui não existem, pelo menos não encontramos, e os restaurantes mais simples te cobram 4 Cuc´s, fora a bebida, única coisa barata que encontramos aqui foi umas pizzas caseiras, comemos elas no almoço, 2 mini pizza de queijo e 1 refresco, deram 1 Cuc, após isso fomos em busca de caminhão para Topes de Colantes, um lugar que tem trilhas e cachoeiras, tem tour para la, mas é caro, assim descobrimos um local onde saiam caminhões com os trabalhadores da região, só que saem as 06 da manhã do outro lado da cidade, mas topamos a parada, após isso fomos subir um monte que da uma bela visão para a cidade, seu mar e suas montanhas, um lugar muito bonito, de lá começamos a escutar musica na cidade e resolvemos ir para o centro, já era quase 20 horas e estava na hora de jantar, encontramos um lugar que vendia um arroz frito com salada e presunto, tomei um suco e um refrigerante, e me custou 4 Cuc´s, muito caro, mas por aqui foi o mais barato que encontramos, em comparação antes comíamos por 1,5 Cuc com um belo peixe ou carne, aqui nem isso, para quem tem dinheiro, Trinidad é perfeita, nós, mochileiros viajantes durangos sofremos um pouco, depois do jantar fomos para a casa onde estamos, era hora de tomar um bom banho, dormir, já que amanhã era dia de acordar as 05 da manhã.
  19. Quarto dia da Viagem 23/04/2017 – Domingo - Havana Acordamos bem cedo, pois estávamos com a intenção de ir para Viñales e fomos a busca de informação pelos terminais, o ônibus Via Azul, que só transporta turista estava 12 Cuc´s (mas teríamos que comprar antecipado), táxi compartilhado estava por 20 Cuc´s só a ida, mas sabíamos que poderíamos ir de forma mais barata só não sabíamos como ainda, ate pensamos em chamar a galera do hostel para dividir um táxi, mas deixamos para lá, voltamos ao apartamento e mudamos os planos. A ida para Viñales ficou para o final da viagem, como teríamos alguns dias de sobra no final de viagem, encaixaremos Viñales aí, e iriamos organizar nossa ida a Cienfuegos, ainda estamos tentando descobrir como funciona para viajar barato por Cuba, e numa cidade grande como Havana, fica díficil, fomos a outro terminal tirar informações, o ônibus da Via Azul saia por 20 Cuc´s, e táxi compartilhado a 30 Cuc´s, chorando muito caia para os mesmos 20 Cuc´s, na saída do terminal conversamos com 02 cubanos que nos ajudaram e deram uma informação muito boa, disseram que em um lugar perto de uma autopista há um controle policial e todos os caminhões que transportam pessoas param ali, com isso conseguiríamos pegar um desses para Cienfuegos, espero que dê certo rs, isso nos fara economizar muito dinheiro. No apartamento começamos a pesquisar nos mapas onde ficaria esse autopista, a Dona Teresa fez algumas ligações para nos ajudar, mas cada um falava uma coisa, em um lugar diferente, ou seja, FODEU, o que faremos agora? Bolamos um plano de buscar táxi compartilhado por 10/15 Cuc´s que era um preço acessível para o tamanho da viagem, se não rolar, vamos buscar os caminhões pela cidade, nessa corrida atras de informações, acabamos por caminhar muito e conhecer outras partes da cidade, já que fazemos tudo a pé, e o Terminal da Viazul, por exemplo, ficava a 3 km da nossa hospedagem. A noite chegou e fomos jantar, arrumamos as mochilas e deixamos algumas coisas com Dona Teresa para ter a mochila mais leve na viagem e carregar menos peso, amanhã era dia de acordar cedo e buscar essa ida para Cienfuegos. Quinto dia da Viagem 24/04/2017 – Segunda Feira - Cienfuegos Acordamos as 07 horas da manhã, tomamos um banho, um café puro e vazamos com receio de não conseguir chegar a Cienfuegos com o valor que a gente gostaria de pagar, fomos ao Terminal e vimos 2 caminhões, a esperança apareceu, fomos nos informar, mas eles iam para Pinar del Rio por 06 Cuc´s, lado oposto para onde iriamos, pelo menos já sabemos como ir para Vinales. Ao saber que queríamos ir a Cientifuegos apareceu um taxista oferecendo levar nos por 20 Cuc´s, achamos CARO e não estava no nosso orçamento, fizemos um leve jogo duro e baixou para 15 Cuc´s, aceitamos, já que nem sabíamos direito aonde saia os caminhões, quais os horários e preços, compramos 5 sanduíches de mortadela por 1 Cuc e fomos embora. No táxi fui eu, Paulo e mais dois cubanos, a viagem durou cerca de 3 horas, ao chegar o taxista perguntou se tínhamos lugar para ficar, falamos que não e ele disse que um amigo dele faz por 25 Cuc´s para nós dois por uma noite, falei que estava caro e todo papo de brasileiro pobre que eu tenho e que queríamos um lugar por 20 Cuc´s, o taxista falou que seria difícil, que ali não encontraríamos, mas respondi que tínhamos que tentar, ao nos deixar na rua, surgiu um amigo dele e ofereceu nos levar a uma casa, chegando lá e o preço era 20 Cuc´s hahaha coincidência ne?! Na verdade o taxista deu um toque para o amigo que saiu voando para falar com a dona da casa para ela dizer o preço que queríamos escutar, mas como achamos muito fácil decidimos procurar um preço mais barato, a meta agora era de 15 Cuc´s, ao atravessar a rua um cara nos abordou oferecendo quarto por 20 Cuc´s, respondi que só pagaria 15 Cuc´s a noite para duas pessoas, fomos a uma casa e não rolou, na segunda casa a dona aceitou alugar o quarto por 15 Cuc´s, um quarto com 1 cama de casal, 1 de solteiro, 1 banheiro privado, ventilador e 1 ar condicionado, bem melhor do que o apartamento que ficamos em Havana, pagando o mesmo valor, assim ficaremos 2 noites aqui, deixamos nossas coisas, descansamos por 30 minutos e já saímos buscando um PALADAR (restaurante popular cubano) para comer, o almoço com sobremesa e refrigerante em lata saiu por 2,50 Cuc´s, demos uma volta no centro, conhecemos um pouco da cidade de Cientifuegos, tem um belo calçadão com muito artesanato e voltamos para a casa, sol estava muito forte e a cidade é bem pequena, deixamos para fazer o resto no final da tarde e buscar informações para a Playa Girón e Santa Clara, lugares que ficam a 1 hora daqui. A tardinha eu e Paulo fomos ao terminal dos caminhões e descobrimos que para Santa Clara sai a cada 30 minutos custando 1 Cuc e o ultimo caminhão regressa as 14 horas, para Playa Giron sai as 07:00 da manhã e não sabemos o horário de volta, depois disso fomos ate o Malecón, com o sol menos forte foi tranquilo andar por ali e ver um bonito por do sol, que aconteceu as 19:45 da noite, aqui os dias são muito longos, depois procuramos outro restaurante para comer por 1 Cuc e fomos dormir. Cienfuegos é uma cidade muito bonita, muito mais que Havana, as casas são novas e bonitas, esperava que depois de Havana as coisas iam piorar por ser interior, mas parece que as coisas são mais arrumadas por aqui, vamos ver nas próximas cidades.
  20. Terceiro dia da Viagem 22/04/2017 – Sábado - Havana VITÓRIA! Acordei sem nenhuma ressaca, mostrando que o run cubano é de excelente qualidade, depois de tomar banho, fomos a CADECA, trocar um pouco de dinheiro e começamos a caminhada, primeiro ponto foi conhecer o terminal de trens para ver a viabilidade de fazer algum trajeto, vimos para Viñales, porém a viagem dura 07 horas, dando tudo certo, sendo que de táxi compartilhado leva 02 horas apenas, apesar de ser um pouco mais caro, o problema que muitos cubanos não recomendaram viajar de trem, dizem que quebram muito e demoram horas para o conserto, então deixamos para decidir nossa ida a Viñales amanhã, depois disso fomos em direção ao Capitólio e ao Museu da Revolução que conta a história pré e pós-revolução, o museu é simples, mas muito informativo a entrada custou oito Cuc´s e valeu a pena. Em Havana Vieja existe um calçadão lotado de turistas, isso me cansou um pouco, a cada tempo que passa, eu fujo cada vez mais desses lugares, é estranho você estar aqui e querer ficar num lugar tomado por turistas, não é mais a minha pegada, depois de andar por horas nas ruas dos bairros e ver a vida comum de um cubano, é por isso que eu vim para cá, para conhecer essa realidade, isso que faz valer a visita ate agora. Havana tem um clima especial que eu ainda não consegui desvendar, vamos ver se ate o fim da viagem isso melhora. As 18 horas tínhamos marcado com a galera do apartamento de se encontrar para tomar umas cervejas e sair para a balada, e assim fomos eu, Paulo, o dinamarquês, a americana, a sueca e uma francesa que chegou no dia anterior, depois das cervejas fomos para um lugar chamado FABRICA DE ARTE, super recomendado por todos os cubanos, realmente é um lugar muito bonito com diversos quadros e obras de artes espalhados por todo o lugar, foi interessante conhecer e saber que existe um lugar assim em Havana, mas prefiro uma coisa mais local, com musica local e menos turistas possível, mas foi divertido, a entrada custa 2 Cuc e a cerveja lá dentro por 1,5 Cuc e tem muito gringo e só toca música americana/europeia. Na volta de táxi fomos parados pela a policia, que na verdade só estava verificando os documentos do taxista, tudo ok, fomos para cama dormir.
  21. Primeiro dia da Viagem 20/04/2017 – Quinta Feira - Havana A viagem para Cuba já começou com certa emoção, estava em Cartagena e tinha voo para Bogota, com certa turbulência, diga-se de passagem, em Bogotá começou a chover muito forte e o aeroporto teve que fechar e o meu voo atrasou 1 hora e 30 minutos, já deu merda logo daí, com o atraso possivelmente perderia minha conexão. Cheguei a Panamá às 18h50min, meu voo para Havana saia às 18h55min, corri ate o portão e o avião estava lá ainda, mas com as portas fechadas, tive que trocar de passagem para um voo que sairia as 21:30, pelo menos ganhei um voucher de 10 Dólares e fui jantar um belo hambúrguer, nessa correria toda conheci Dani, uma colombiana que estava no meu voo e estava na mesma situação, tive a sorte que com os 10 dólares dela, ela gastou em um belo sorvete com browie no qual eu comi metade porque ela não aguentava mais, fazia meses que não comia algo assim. Ao embarcar comprei no portão de embarque mesmo o visto para Cuba, por 20 doletas. Depois de algumas horas de voo, eu e Dani chegamos a Havana, o legal que no aeroporto havia um posto móvel de saúde que estava dando injeção para a Febre Amarela de graça, estávamos meios receosos com a nossa mochila porque não sabíamos se estaria no voo que perdemos ou no atual, mas uns 15 minutos depois lá apareceram elas, Dani já estava meio nervosa, eu acostumado com essas coisas, estava tranquilo. Já para sair da área das malas a Aduana nos parou, separou-nos e começou a fazer um rápido interrogatório, onde me hospedaria, quanto de dinheiro estava trazendo e etc, ate que tive que realmente mostrar o dinheiro e assim fui liberado. Dani demorou mais, e causou certa preocupação em mim, mas depois de 30 minutos ela apareceu, ela teve que passar pelos raios-X, logo a seguir um taxista apareceu e nos abordou, explicamos que iriamos para lugares diferentes e ele quis cobrar 55 Cuc´s, ai caiu para 50,40,35 e terminou nos 30 Cuc´s, era 3 da manhã, mas mesmo assim recusamos, preferimos esperar ate de manhã, já que tem ônibus para a cidade por 1 peso cubano (1 Cuc = 24 pesos cubanos), mas o taxista voltou e ofereceu por 20 Cuc´s pelos 2 trajetos, acabamos aceitando e assim fomos para Havana, só que tinha mais um problema, eu só tinha o nome da rua e o nome do local, não tinha o telefone do lugar e nem o numero do apartamento/casa, ou seja ficamos perdidos pela avenida já que o local verdadeiro era no apto 96, no 09 andar de um prédio residencial, mas o taxista foi muito gente boa e ficou procurando para mim, ate que passou 20 minutos e encontramos uma senhora parada na porta, ela sabia que faltava alguém e assim estava me esperando, que alegria eu fiquei naquela hora, estava ficando preocupado, subi para o apartamento, encontrei meu amigo Paulo dormindo, o acordei de zuera, deitei na minha cama e não conseguia dormir de jeito nenhum, era tanta alegria que o sono não apareceu. Finalmente poderia dizer, ESTOU EM HAVANA, CARAJO Segundo dia da Viagem 21/04/2017 – Sexta Feira - Havana Apesar de conseguir dormir lá pelas 05 da manhã, as 08 já estava de pé, tomei um banho frio, aqui ate tem água quente, mas nesse dia pela manhã só tinha água fria, fui para a mesa onde conheci meus companheiros de quarto, uma colombiana que estava fazendo pesquisa e estudando em Cuba, um australiano que já estava de partida e uma americana de Nova Iorque, após um breve bate papo, conheci o filho da Dona Teresa (dona do apartamento), Jorge e a empregada que cuida da casa, ficamos conversando um pouco sobre a vida cubana e da vida brasileira (aqui as novelas brasileiras são muito famosas), após o bate papo, saímos para tomar um café da manhã, encontramos um lugar dos locais que por 1 Cuc dava para comer uns 2 salgados e um suco, ali encontramos a americana de passagem que estava indo para biblioteca estudar espanhol, fomos com ela já que era caminho para a Praça da Revolução. Ao chegar na praça, confesso que fiquei emocionado, depois de ver muitas fotos do lugar pela internet, estar ali foi um momento especial, ficamos em torno de 2 horas na praça, após isso descemos uma grande avenida ate a Malecón, um calçadão que vai contornando Havana, assim fomos caminhando ate parar no centro, onde passamos por inúmeras homenagens a pessoas que lutaram no século 18 pela independência cubana. Depois de caminhar muito, resolvemos parar para almoçar, aqui há lugares conhecidos como PALADAR, são lugares locais onde você come barato uma boa comida cubana, que com bebida, você gasta 1/2 Cuc´s, no almoço sentaram com nós um médico cubano e um médico colombiano que estava em Cuba fazendo uma especialização, conversamos muito a respeito de tudo e conseguimos uma informação muito importante, em Cuba da para se viajar em trem, coisa que não fazíamos ideia que existia, ficamos de ir ao dia seguinte à estação de trem fazer uma pesquisa, após isso fomos ate a Universidade de Havana e voltamos para o apartamento, saímos as 10 da manhã e chegamos as 17 horas, tirando a hora de almoço, foram 06 horas caminhando pelas ruas de Havana, sendo que ainda falta uma outra parte da cidade que ficara para o sábado. Na volta entramos em um mercado cubano para comprar água e ver os preços das coisas e o que tinha disponível, um mercado normal, a variedade de marcas é menor, mas é compreensível por todo fator histórico do país. Já no apartamento, uma sueca chegou ao hostal no lugar do australiano que tinha ido embora, e coincidentemente era aniversario dela, Dona Teresa comprou uma garrafa de run e comemoramos o aniversario dela na melhor maneira cubana. À noite resolvemos ir com a sueca ate outra casa onde ela tinha um amigo dinamarquês, ao chegar lá estava rolando um jantar simples, fomos convidados pelo cubano dono da casa a nos juntar e garantimos o jantar de graça, voltando para o apartamento compramos uma garrafa de run e ficamos jogando e bebendo pela noite.
  22. Bom, finalmente regressei de Cuba, foram 30 dias incríveis com muitas descobertas e dicas excelentes, antes de viajar eu li em muitos blogs que a média de gasto em Cuba se da em torno de 40 dólares por dia, mas eu coloquei uma meta nessa viagem em gastar menos de 20 dólares por dia, e CONSEGUI, não foi fácil, tivemos que andar muito e buscar muita informação alternativa, pegar 3/4/5 transportes para chegar em determinada cidade, tudo isso sem poder usar a internet, google maps e etc, realmente acredito que essa foi um mochilão na sua essencial, hoje esta tudo mais fácil e mastigado, precisamos apenas ir e seguir as instruções, em Cuba não funciona muito assim, você tem que ir para as ruas e tentar a sorte, tivemos muitas informações erradas que nos fizemos andar quilômetros na direção errada, mas a maioria foram informações corretas que nos ajudaram muito. A partir de hoje vou postando aos poucos sobre cada cidade que recorremos, acabei fazendo um diário escrevendo sobre meu dia a dia e os posts tradicionais com o resumo de cada lugar, espero que gostem e ajudem a viajar CUBARATO. Abaixo esta o roteiro que acabei fazendo na ilha, a ordem é essa: 1 - Havana 2 - Cienfuegos 3 - Santa Clara 4 - Trinidad 5 - Camaguey 6 - Santiago de Cuba 7 - Baracoa 8 - Bayamo e Sierra Maestra 9 - Moron e Cayo Coco 10 - Varadero 11 - Havana 12 - Pinar del Río 13 - Viñales 14 - Havana Passamos por outras cidades como Guantánamo e Ciego de Avila, mas foram cidades que tivemos que parar para pegar um outro transporte ate o destino final, mas essas não entram na lista pois realmente não conheci nada delas. Com isso vou a partir dessa semana postando sobre cada cidade, sera aos poucos porque é muita informação para a cabeça hehehe.
×
×
  • Criar Novo...