Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

rafahhh

Membros
  • Total de itens

    16
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. 3º dia - 16 de Julho (Uyuni - Rumo ao Salar de Uyuni): Acordamos, deixamos nossas malas no quarto e decidimos sair para procurar uma agência para fazermos o tour de 3 dias no Salar. O Gustavo decidiu procurar sozinho. Gente, não dá pra sair sem luva nessas horas, minhas mãos ficaram duras, queimava do frio e corremos para uma loja mais próxima para comprarmos uma luva (por isso falei para vocês comprarem luvas em Sucre, em outro lugar ou então saiam correndo como nós em Uyuni). Tem bastante de coisas nessa lojinha, tem até comidinhas. Não me lembro o endereço, mas fica a caminho da Av. Ferroviária (rua das agências). Não esqueçam de levar água, é por conta própria. Normalmente os passeios saem as 11h da manhã, então dá tempo de organizar tudo no mesmo dia. Procuramos por uma mulher chamada Antônia (não sabíamos o nome da agência dela), porque queríamos ir com o guia Rudy, mas o mesmo não estava trabalhando neste dia. A agência dela é ao mesmo tempo um restaurante, muito legal. Ela foi muito simpática e querida conosco, mas ofereceu um preço muito alto no início. Algo em torno de 1.200 Bs pelos 3 dias. Só que eu já tinha lido aqui no Mochileiros que a média era 620 - 700 bs. Conseguimos por 700!! Tem que ser insistente, eles sempre vão baixar. Fechamos o "contrato" e pedimos para ela nós encaixar numa turma legal. Ah, se você vai pro Chile direto não esqueça de pedir o "Voucher de transfer" e guarde beeem, pois a Mari achou que tinha perdido..foi um susto muito grande. Faltava algumas horinhas para o nosso carro sair e voltamos para o hostel, pegamos nossas coisas e passamos na Imigracion para entregar o papel de entrada e pegar o carimbo de saída da Bolívia, pois no fim iriamos para o Chile. A Imigracion fica na Av. Ferroviária mesmo. Tudo certo, voltamos para o restaurante/agência da Antônia e decidimos tomar café (panqueca + suco de laranja deu 24 Bs) - O nome da agência dela é Uyuni Tours. Tava todo mundo já estava embarcando e nós nada. A Antônia tinha sumido, mas depois voltou..ela não parava quieta, muito agitada. Mas sempre falava conosco quando aparecia, achei legal da parte dela. Gente, tava muito frio e tava cansada de esperar. Até que chegou a nossa hora..ebaa! Mas o nosso carro não era o que estava na frente da agência e sim na outra agência (acredito que eles juntaram com a outra para fechar o número - 6). Antônia nos apresentou para o guia Valério. Que trabalhava para a agência: Turismo el Desierto - Av. Arce com a Av. Ferroviária (recomendo fortemente este guia. Muitomuito bom! Ele realmente é muito animado e falante, explicava mil coisas sem pedirmos. Que saudades dele). Voltando..conhecemos nossos companheiros de viagem: Eduardo e Maria José eram da Costa Rica; Marcos e Tatiana do Uruguai. Nós apresentamos e foram todos muito simpáticos. O Edu morou uns anos no Brasil e sabia falar um pouco português..Ele estava com uma blusa do Atlético (MG) por baixo dos casacos..hehe. O Marcos e a Tati estavam/estão fazendo uma viagem de 2 anos pelos países da América do Sul. Saímos e logo chegamos no Cemiterio de Trens: é legal pra tirar fotos, ver o horizonte, reencontrar amigos (vimos o Gustavo novamente..haha) tem uns 20 minutos pra isso. Depois seguimos para Colchani: uma feirinha de artesanatos, museu de sal, etc. comprei só 1 imã de sal. E logo seguimos para o tão sonhado Salar, bem..era quase o Salar. Tiramos fotos com as bandeiras, o guia começou a explicar de como era feito o sal, etc. O céu estava lindo de morrer, um azul tão azul..que nossa! Seguimos para a Isla del Pescado: Terra dos cactos gigantes. Você paga só se quiser subir lá 30 Bs. Olha, eu achei que valeu a pena. Assim tu consegue ter uma noção da imensidão do Salar e tirar aquelas fotos legais. Tivemos 30 minutos para ver e logo o guia chamou a gente pra almoçar. Ele foi muito gentil, colocou as comidinhas no nosso prato, tipo um pai..hehe! Valério falou que tínhamos que sair logo, porque ele queria parar no meio do deserto para tirarmos umas fotos legais (adorei ele), pois essa seria a última vez que iríamos ver o Sal Seguimos para uma cidadezinha chamada San Juan onde iriamos dormir. Ficamos num quarto de 4 camas com o Marcos e a Tati. O banheiro era precário. Tinha um super balde onde você tinha que jogar a água na privada..haha! Tomar banho? hahaha..nem tinha água, ou era gelada. Mas tava frio pra [email protected]$$*. Sorte que era inverno e eu nunca suo, da-lhe lencinhos! Aahh, como podia esquecer..a luz era mtmt fraca, então vc ficava no escuro na privada (aproveitem este banheiro, pois no outro dia vai ser pior ) Não sei se preciso avisar, mas sempre levem papel higiênico seja lá onde forem Fomos até a cozinha comunitária para jantar, cada grupo tem a sua mesa e comida diferente. Lá tem umas mulheres que cozinham, então os guias levavam até nossas mesas as comidinhas, nada ruim, mas também não era maravilhosa! Só achei meio suspeita a sobremesa e não comi. Hora de dormir. Nosso quarto tinha 4 camas, mas o Marcos e a Tati dormiram na mesma e deram o outro saco de dormir para a Mari. Então eu peguei a coberta que tava sobrando da outra cama. Funcionou? Jura, né? Coloquei todas as roupas: 2 meias, 3 calças, 4 blusas, touca, luva e cachecol. E sim minhas roupas eram especiais (polar/fleece) estava com um casaco de pluma de ganso ainda. mais 3 cobertas de algum animal (pesadas pra caramba). Tava beem difícil de se mexer. Não conseguia dormir, porque o ar estava muitooooooo gelado, tanto que a janela congelou. Eu moro no Sul e sei como é o frio congelante, mas aquilo era fods. Tinha opção de alugar saco de dormir na agência, mas achamos que nem precisaria.
  2. 2º dia - 15 de Julho (Santa Cruz de la Sierra x Sucre x Potosí x Uyuni): Acordamos bem cedinho e pedimos para a recepção do hostel chamar um táxi para nós levar até o aeroporto de viru-viru (60 Bs), não esqueçam de pagar uma taxa de uso do aeroporto (15 Bs) essa taxa fica num balcão em frente das companhias aéreas. Fizemos o check-in e tudo. Como tínhamos algumas horinhas sobrando tomamos um delicioso café no Brazilian (fica aeroporto mesmo), tem várias comidinhas brasileiras como: coxinha, omelete de presunto e queijo, pão de queijo, salada de frutas, empadão, sucos e cafés. Subimos e ficamos na sala de espera, como mostrava o nosso bilhete estávamos no portão certo, estava bem vazia assim e pensei: Beleza, vai ser um voo tranquilo. Só que ai vimos que mudou o portão de embarque e descemos, gente do céu..estava LOTADO A companhia aérea BoA é muito legal, o piloto foi até cumprimentar as pessoas e começou a bater papo conosco..hehe! No nosso lado estava uma senhora bem querida, começou a contar que estava indo visitar o filho que fazia muito tempo que não o via. O terminal é bem cheio, tem muitas e muitas empresas. Eu fui com uma lista de nomes confiáveis. Tem vários horários e compramos o mais próximo. Passagem para Potosí pela empresa Dil Rey (25 Bs) + 2,50 Bs de taxa uso do terminal. Tínhamos algumas horas até o bus sair, e resolvemos almoçar. Deixamos nossas cargueiras no guarda volume do terminal. Tinha alguns pontos turísticos que queríamos conhecer, mas não deu tempo. Dai ficamos por perto. Almoçamos num restaurante que achamos mais "comestível" pedimos uma chuleta (o prato é enorme, a carne cobre o prato todo vem quinoa - parece arroz integral, salada de alface, tomate e cenoura) bem gostosinho, e tomei a água que eu tinha. Não me arrisquei a tomar o suco deles. O restaurante fica na rua do terminal mesmo. Pagamos 15,00 Bs o almuerzo. Fomos num mercadinho bem legal e compramos pringles, água, e uns docinhos para beliscar (16,00 Bs). Neste momento seria uma boa comprarem luvas/toucas (depois explico pq). Voltamos ao terminal pegamos nossas cargueiras e fomos até o portão de saída. O ônibus atrasou um pouco. Quanto ao conforto é como um ônibus convencional do Brasil. Partimos rumo a Potosí. Porta[1].jpeg[/attachment]
  3. Oi RHCPeres! Que bom que tais curtindo! Quando você vai?
  4. Oi Thiago! Que bom que tais curtindo. Já sabe quando vai? Vão em quantas pessoas? No começo eu queria ir em um grupo grande, mas vi que 1 foi melhor, até porque temos os mesmos gostos e deu tudo certo
  5. Oii hlirajunior! Obrigada! O próximo post eu escreverei sobre uyuni Eu ameei Cusco..tem uma energia muito boa. Você é do sul também, né?! Sim, sou de Curitiba, mas moro em Floripa. Cusco é realmente indescritível, vontade de voltar lá é grande, ainda mais com as promoções que as companhias aéreas estão fazendo rsrs Ah, que legal! Verdade..é uma tentação essas promoções..hehe!
  6. Oii hlirajunior! Obrigada! O próximo post eu escreverei sobre uyuni Eu ameei Cusco..tem uma energia muito boa. Você é do sul também, né?!
  7. 1º dia - 14 de Julho (Guarulhos x Santa Cruz de la Sierra): No dia anterior arrumei tudo (cargueira e mochila), gente..queria morrer! Foi um desespero para fazer caber as coisas..sim, eu exagerei em algumas coisas, porque queria ter opções de cores..mulheres! Chegou o dia da viagem e acordei de madrugada para finalizar algumas coisas e sai de Joinville rumo a Curitiba. Tinha voo marcado às 7:43 para Guarulhos. Estava super ansiosa para chegar lá, porque iria conhecer a Mari pessoalmente. E ela já estava me esperando fazia umas 2h. Ai quando eu estava entrando na salinha de embarque internacional a Mari já estava me esperando lá, foi muito emocionante. Pois tínhamos planejado por um tempo, e realmente aquilo estava acontecendo. Então ficamos por ali esperando nosso voo que saia às 11:05 (Gol), a viagem durou umas 2h apenas. Achei que não íamos ganhar lanchinhos, e para a minha surpresa ganhamos um sanduíche bem gostoso e suco Ganhamos também mil papeis para preenchermos antes de entrar na Bolívia. Obs.: Está tudo escrito em espanhol/inglês. Chegamos em Santa Cruz e passamos pela "entrevista" e fomos pegar nossas malas na esteira. Essa hora sempre bate um desespero "será que agora vem a nossa?", "tá demorando demais", "Ferrou!"..por sorte chegou tudo certinho..uffa! Antes de sair entregamos o resto daqueles papeis. E prontoooooo..agora siiim! Estamos livres! E fomos ver passagem para Sucre, só que não tinha mais para o mesmo dia só pro dia seguinte. Então compramos para a manhã seguinte pegamos da BoA e cada uma pagou 195,00Bs. Pegamos um táxi(60 Bs) para o hostel que eu tinha reservado o Jodanga. A caminho do hostel pudemos ver que a cidade era super quente e seca. O hostel é bem escondidinho, o taxista não estava achando, mas por sorte eu tinha o endereço e tudo. Fomos bem atendidas e o hostel é muito bonito, bem colorido tem piscina, mas como tínhamos apenas 1 dia preferimos conhecer a cidade. Deixamos nossas coisas no quarto, pegamos um mapa (muito suspeito) e pedimos um táxi para nós levar até a praça (15 bs). Foi ai que vimos o caos dos carros, buzinas pra tudo, não tinha regra pra nada! A praça era linda, era num domingo e todas as famílias estavam por lá. Tinha feirinha de artesanatos também. E tinha uma hora que queríamos conhecer um lugar, mas ficamos rodando e rodando, porque o mapa além de ilegível não tinha nada a ver com o nome das ruas E por acaso encontramos uma sorveteria/lanchonete e decidimos provar, bem gostoso os sorvetes da Friss (calle Ayacucho 161). Começou a ficar tarde e a esfriar decidimos voltar a pé, pegar o mesmo caminho que o táxi fez. Mas ai ficou confuso e pela última vez tentamos olhar no mapa e NADA! Não conseguimos compreender..uix! Tentamos pegar um táxi na rua, mas ninguém parava..o gente difícil! Uma hora conseguimos, mas o cara não conhecia a nossa rua Até que uma hora conseguimos, graças a deus! Chegando no hostel fui tomar banho. Tem duas abertura (quente e frio) segui o aviso "o quente é esse, o frio é esse..esperar 10 minutos pra esquentar"..jura que esquentou? Pensei, agora que já to aqui..que se dane! Banho geladooooo e rápidão! Ai decidimos dar uma volta no quarteirão a noite pra procurar lugar pra jantar. Gente, que lugar bizarro..nenhuma alma viva por ali! E tudo fechado! Ai de repente vimos uma luzinha numa casa..era uma mini mercearia, mas tava com a grade fechada e pedimos para a senhora abrir pra gente. Meio antipática, mas abriu..pegamos umas besteiras: chips de pimenta, bolacha, iogurte e maçã. Se puder..passe direto de Santa Cruz, não tem praticamente nada pra fazer lá. Pelo menos foi o que eu achei.
  8. Oi Gente! Depois de quase 1 ano resolvi fazer o meu relato, não por falta de tempo e sim preguiça..haha! Vou tentar resumir tudo que puder e sem enrolar demaaais (sou perfeccionista e gosto de detalhes) Decidi pesquisar mais a fundo sobre o mochilão em janeiro de 2013, mas não queria ir sozinha, então chamei todos os conhecidos possíveis e todos só me enrolaram..não tinham dinheiro, tempo ou não gostavam desse tipo de viagem. Também tentei chamar alguns colegas pelo Mochileiros e nada. Foi ai que pensei em tentar pelo menos convidar uma amiga de João Pessoa, eu não estava muito confiante e esta seria minha última tentativa E não é que ela ficou interessada?! Expliquei tudinho, o que gostaria de fazer e conhecer, os valores que íamos gastar, etc. E um mês depois ela me confirmou que iria..fiquei megaultramaster feliz Afinal não nós conhecíamos pessoalmente, apenas 3 anos virtualmente (eu e a Mari somos deficiente auditiva, e nós conhecemos através do blog que ela tinha sobre Implante Coclear, no qual somos usuárias). Ah, nossa comunicação é normal, não sabemos libras, e fazemos leitura labial. PLANEJAMENTO Planejamos a data para dia 14 de Julho até 5 de agosto e compramos as passagens juntas (virtualmente, claro) em fevereiro. Eu paguei R$ 768,00 ida e volta. E a Mari pagou R$ 1.200,00. Tive quase 5 meses para planejar tudo e comprar o necessário (cargueira, roupas especiais, bota, dólares, money belt etc.). É uma delícia fazer este tipo de planejamento, tive muita ajuda dos Mochileiros. Copiei alguns roteiros, lugares, o que evitar, etc. Afinal só teríamos 23 dias e não queríamos desperdiçar, e por isso o roteiro prontinho foi essencial para uma viagem mais "tranquila". Tomei a vacina para febre amarela, mas não pediram. Levei passaporte, pois minha identidade estava velha. E foi até melhor, pois pude guardar o papel da vacina, os papeis de entrada e saída do país tudo no passaporte. ROTEIRO Santa Cruz de la Sierra Sucre Potosí Uyuni San Pedro de Atacama Arica Tacna Arequipa Cusco Puno Copacabana La Paz Santa Cruz de la Sierra DICAS - Levei apenas dólares em dinheiro U$ 2.000,00, nada de cartão. Por isso levei bastante, e no final sobrou uns U$ 270,00 (e ainda fiz muitas comprinhas pra família, amigos e parentes). - Ter um roteiro e saber o que quer conhecer é importante, pois assim conseguiremos aproveitar bem e sem preocupação com falta de tempo. - Antes de sair de casa revise as notas de dinheiro, pois eles não aceitam nada rasgado nem manchado (a Mari não conseguiu trocar uma nota rasgadinha). - Pechinche, pechinche e pechinche, conseguimos descontos em TUDO..bom, quase tudo! - Instale este aplicativo para converter moedas: XE Currency. Muito bom, usamos muito! Ah, usei muito o aplicativo de lanterna do celular, pois a que eu comprei era uma porcaria e não ajudou em nada. Meu pai queria que eu levasse a dele (ele tem uma de cabeça..tipo médico), achei meio brega , mas me ferrei. Pois aquilo teria sido muiiiito útil para subir Machu Picchu de madrugada (bem feito pra mim! ). - Compre aquelas super meias tipo Dry Fit, por mais que sejam caras você pode usar por até 4 dias sem lavar. - Cadeados, muito importante também. Comprei aqueles com senha. - Compre aquela toalha Tek-Towel, melhor coisa. Vi muitas pessoas com toalhas normais, mas isso demora uma eternidade para secar e ocupa todo o espaço da cargueira. - Levei também aquelas palmilhas que é feitas de silicone/gel que você coloca no calcanhar. Uma ma-ra-vi-lha! (É a salvação pra quem tem dor na coluna). - Levei a farmácia inteira pra viagem e não usei nada! Mas faria a mesma coisa novamente, é sempre bom garantir. - Lencinhos umedecidos - indispensável! Nem todo lugar você vai conseguir tomar banho..então! - Além das roupas quentes, de boa qualidade e leves (DryFit, Polar/Fleece..). Ah, Levei uma capa de travesseiro, nem todos hostels trocam a deles Antes de arrumar a cargueira e a mochila coloquei tudo na cama, verifiquei para ver se não estava esquecendo de algo Por hoje é só..vou escrevendo aos poucos
  9. Oi namags! Estou acompanhando seu relato. Viajo dia 14/07 - Será que termina até lá? Hehe..(quase nada de pressão). Qual companhia aérea você pegou de santa cruz para sucre? Estou vendo de pegar a Boa das 8h (direto). Beijo
  10. Oi Debora! Irei fazer Bolívia-Chile-Peru em Julho, então estou acompanhando seu relato Uma perguntinha, tenho 1/2 dias sobrando, qual dessas cidades você curtiu mais Cusco ou La Paz? Beijo
  11. Oi Xará! Com certeza me empolgou muito! Já estava naquela empolgação, mas você sabe realmente como deixar a gente, como posso explicar.."sonhando acordado"! Hehe! Sobre Salkantay, quem sabe?! Ah é? Está logo ai, vai ser América Central? Acho muito top! Vou aguardar pelo roteiro e também pelo livro Beijos!
  12. Sorrent, ADOREI seu relato, tanto que perdi o final de semana inteirinho em casa lendo isso! Hehe! Vou fazer minha viagem parecida com a sua, só que em 23 dias (Julho/Agosto), e deu pra pegar muitas dicas boas! Amei as passagens do Salkantay, mas acho que não vai rolar, pois não terei tempo E concordo com os demais..daria um bom livro
  13. Oi Mauro! Estou ADORANDO o seu relato, super engraçado! Pelo que você passou de frio em janeiro, imagino que eu tenha que me preparar em dobro para a viagem que farei em julho ..hehe! Ficarei aguardando os próximos capítulos
×