Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Fred Prezotto

Membros
  • Total de itens

    21
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Fred Prezotto

    Florianópolis

    Pessoal, como a parte turística de Florianópolis fica em uma extensa ilha, a escolha do bairro/praia é fundamental para a viagem. O artigo abaixo tem dicas essenciais para escolher o lugar para ficar em Floripa. http://www.dicasondeficar.com.br/onde-ficar-em-florianopolis-sc/
  2. Fred Prezotto

    Salar de Uyuni - Agências, alojamentos e preços

    Olá pessoal. Agora em Janeiro eu fiz o tour de 3 dias saindo e voltando pelo salar. Eu fiz um tour um pouco diferenciado chamado Ruta Tayka. A diferença é que em vez de alojamento, a hospedagem é em hotéis muito bons, quartos privativos, água quente e boa estrutura. São no máximo 4 pessoas por veículo (mas demos sorte de ir só eu e minha esposa), o veículo é equipado com telefone via satélite. O valor do tour é mais caro que o compartilhado. Pagamos 400 dólares por pessoa. Esse preço é válido para algumas saídas promocionais. No site dos hotéis Tayka tem as datas das saídas promocionais. Fora dessas datas o tour gira em torno de 1000 dólares por pessoa. Nesse valor já está incluso água mineral, todas as refeições e os tickets para a Isla Incahuasi e o Parque Eduardo Avaroa. Nosso guia, Jose Chambi, foi um espetáculo. Infelizmente a pressão arterial da minha esposa subiu muito e tivemos que parar o tour no 2º dia Fica a dica para quem quer fazer o tour com um pouco mais de estrutura. Eu fiz um vídeo, nele há muitas dicas também
  3. Fred Prezotto

    La Paz

    Tem vários voos por dia entre Santa Cruz e La Paz. E por vários cias (BoA, Amaszonas, TAM, Aerocon). Acredito que você consiga comprar um voo para o dia, chegando com algumas horas de antecedência. Mas certeza mesmo é só comprando online.
  4. Fred Prezotto

    La Paz

    Olá pessoal, voltei há poucos dias de La Paz. Cidade bacana, mas a altitude não é fácil. A cultura deles é muito diferente da nossa. O teleférico é imperdível. Quem quiser dar uma olhada, abaixo está o vídeo da minha viagem. Tem muitas dicas.
  5. Fred Prezotto

    Amsterdam

    Não sei se ainda há tempo para você pegar a dica, mas em todo caso fica a dica para outros viajantes. Com esse tempo disponível eu ficaria no Centro Histórico da cidade. Dá tranquilamente para conhecer a Praça Dam (praça central), Red Light District, dar uma passada no Begijnhof e dar uma volta na Museumplein (Praça dos Museus). Caso você queira ir em algum museu ou na Heineken Experience você tem que repensar o roteiro, porque toma muito o seu tempo.
  6. Fred Prezotto

    Copacabana,Ilha do Sol e Ilha da Lua

    Eu e minha esposa passamos o réveillon 2014/2015 em Copacabana. Fizemos a trilha norte-sul na Isla del Sol e subi o Cerro Calvário Fizemos um vídeo com os melhores momentos da viagem e muitas dicas
  7. Fred Prezotto

    Amsterdam

    Olá pessoal. Recentemente eu e minha esposa fizemos uma viagem para Amsterdam. Abaixo segue o vídeo da nossa viagem para quem quiser dar uma olhada. Tem muitas dicas. Valeu.
  8. Fred Prezotto

    Boipeba

    Valeu pessoal.
  9. Fred Prezotto

    Boipeba

    Olá pessoal, alguém pode me ajudar com as seguintes dúvidas? Vou estar em Morro de SP e quero aproveitar um dia (bate-volta) em Boipeba. Mas não quero fazer o passeio Volta a Ilha que sai de Morro de SP, passa em Boipeba e alguns outros locais. Eu gostaria de aproveitar o máximo de tempo em Boipeba. 1- Existe transporte regular de lanchas entre Morro de SP e Boipeba ? Qual o preço e os horários? Se não existir um transporte regular, é fácil negociar na hora? 2 - Chegando em Boipeba, é fácil conseguir um transporte de barco ou de trator para ir e voltar de Moreré? Não vai dar para ir caminhando, já que algumas pessoas de mais idade estarão juntos. 3 - Por qual vila que se chega em Boipeba? Boca da Barra ou Velha Boipeba? Obrigado.
  10. 6° dia: Infelizmente nosso último dia em Los Roques. Precisávamos estar de volta as 15:00, já que nosso voo para Caracas sairia as 17:00. Nesse dia fizemos um passeio diferente do resto do pessoal da pousada, já que somente nós e o casal que nos acompanhou durante toda a viagem pelo Caribe, Mi e Douglas , iria embora nesse dia. Todo mundo da pousada foi para Boca de Sebastopol, mas como ficava longe e era um passeio de um dia inteiro não dava para a gente ir. Estávamos em dúvida entre 2 ilhas próximas, Madrisquí e Bajo Fabian. Madrisquí é uma das ilhas mais famosas de LR e a mais próxima de Gran Roque. Mas optamos por Bajo Fabian, que é um pequeno banco de areia, a uns 15 minutos de barco. [t3]Bajo Fabian[/t3] Não nos arrependemos nem um pouco de termos optado por Bajo Fabian em vez de Madrisquí. Bajo Fabian é um pequeno banco de areia, deve ter uns 5 a 10 metros de largura por uns 50 metros de comprimento. Rodeando Bajo Fabian, um lindo mar caribenho, um dos mais lindos de LR. Além de nós, havia mais algumas pessoas e muitas garças e pelicanos para nos entreter. Era só erguer a mão para o alto com um pedacinho de pão que as garças vinham comer. O mar de Bajo Fabian é lindo e uma delícia, chegamos a caminhar uns 500 metros mar adentro com a água na altura do umbigo. Não fizemos snorkel. Lá pelas 14:30 o Chichi veio nos buscar para nos levar de volta para Gran Roque. Vídeo de Bajo Fabian: Olha que lugar: Chegamos na Pousada Guaripete por volta das 15:00, tomamos banho, pegamos nossas coisas e fomos para o aeroporto pegar o voo de volta para Caracas com a Chapi Air. Dessa vez nosso voo foi com o avião menor da companhia, o de 8 passageiros. Assim terminou nossa aventura em Los Roques. Saímos em êxtase do arquipélago, foi uma viagem inesquecível. No meu blog há muito mais dicas, informações e fotos sobre Los Roques: http://www.dicas-de-viagem.com/dicas-de-los-roques/ Vídeo de Los Roques: Chegamos no Aeroporto Nacional de Caracas por volta das 18:00. Tínhamos que ir até o Aeroporto Internacional pegar o voo para Curaçao. Os dois aeroportos são vizinhos e unidos por um corredor interno. Não é aconselhável sair na rua e ir de táxi de um aeroporto para outro, é perigoso. Ao chegar no saguão do aeroporto nacional, basta seguir a direita e ir caminhando em direção ao aeroporto internacional. Não é tão perto, deve ser pelo menos uns 500 metros de caminhada. Quando chegamos no Aeroporto Internacional o check in da Fly Dae (cia que voamos para Curaçao) não estava aberto. Resolvemos jantar já que estávamos com fome. A praça de alimentação do Aeroporto de Maiquetia fica no piso superior e é bem ruim. Estávamos em dúvida se jantávamos ali ou se esperávamos para jantar no terminal de embarque, mas não sabíamos se lá dentro tinha opções de alimentação. Jantamos na praça de alimentação mesmo, que estava lotada e não tinha lugar nem para sentar direito. Comemos um lanche bem dos safados. Depois fizemos o check in e entramos no terminal de embarque, onde havia opções muito melhores de alimentação. O free shop é bem melhor que o da entrada, mesmo assim faltam muitos itens. Compras com bolívares trocados no paralelo ficam com preços bons. Pegamos o voo da Fly Dae um pouco depois das 21:00 e as 22:15 estávamos descendo em Curaçao. [t3]Curaçao[/t3] Pegamos um táxi do aeroporto até nosso hotel (30 dólares - preço tabelado). Os táxis lá na verdade são vans e os motoristas correm que nem loucos. Quando chegamos no hotel já passava das 23:00. Capotamos, já que o dia havia sido bem cansativo.
  11. 5° dia: Mais um dia inesquecível em Los Roques, nosso primeiro destino foi Carenero. [t3]Carenero[/t3] Cerca de 40 minutos de Gran Roque, na direção de Cayo de Água. Muitos passeios juntam Cayo de Água e Carenero no mesmo dia. Eu acho isso um erro, já que tanto Cayo de Água como Carenero merecem um dia inteiro, ou pelo menos a maior parte do dia. Ficamos impressionados com o visual de Carenero, muito lindo. Uma bela praia com um mar excelente para banhos e com aquela cor típica do Caribe. Na orla umas 3 casas de pescadores. O banho de mar é excelente, um dos melhores de LR. Logo que chegamos o Chichi nos levou para um snorkel. Caminhamos até a ponta esquerda da ilha, seguindo o Chichi. Contornamos a ponta esquerda e caminhamos mais uns 50 metros do outro lado da ilha. Ali entramos no mar e fomos caminhando pela água cheia de pedras. Avançamos uns 200 metros mar adentro, uma parte caminhando e quando a água chegou na altura da cintura fomos nadando. Foi quando chegamos numa espécie de lagoa azul lindíssima, com uns 6 metros de profundidade ou até mais. Esse local é muito lindo mesmo, foi o snorkel mais legal que já fiz. O chichi nos mostrou várias coisas, como polvo e até um tubarão passou por perto, mas eu não vi. Depois de uns 40-50 minutos de snorkel voltamos ao guarda-sol, cansados e em êxtase, esse snorkel foi demais. E somente o Chichi leva o grupo nesse snorkel. Depois de descansarmos saímos explorar Carenero mais um pouco. Na parte de trás a ilha também tem praias lindas, com piscinas naturais incríveis. Carenero é imperdível, saímos de lá em êxtase, foi a ilha que mais gostamos de conhecer em LR. Carenero, lindo visual: Piscina natural na parte de trás da ilha: Banco de areia na ponta esquerda: [t3]Noronqui:[/t3] Saímos de Carenero e na volta para Gran Roque paramos em Noronqui. A ilha não é feia, mas não se compara com Carenero. Dizem que lá é fácil ver tartarugas, mas estávamos tão cansados que não fizemos snorkel. Noronqui:
  12. 4° dia: Mais um dia espetacular em Los Roques. Andamos muito de barco nesse dia, com um sol forte, essencial passar e repassar protetor solar fator alto, eu usava o 50. [t3]Boca de Cote[/t3] Nosso primeiro destino foi Boca de Cote, uns 40 minutos de barco desde Gran Roque. Lá não tem praia, é um local excelente para mergulho e snorkel. O Chichi parou a lancha perto de uma ilhota, o mar balançava muito, não sei foi só esse dia ou se sempre o mar é agitado por lá. Logo pulamos na água para fazer o snorkel, estava difícil ficar no barco. Fizemos snorkel por uns 50 minutos, sempre seguindo o Chichi que ia procurando e nos mostrando coisas interessantes. Foi muito bom esse snorkel. Subimos novamente na lancha e o Chichi parou na outra ponta da ilhota, um local com grande concentrações de conchas. Descemos e ficamos contemplando por um momento a beleza do mar, que ali tem várias tonalidades diferentes de azul ou verde, coisa linda. Novamente na lancha, passamos por um trecho de mar azul inacreditável, muito intenso. E seguimos em direção ao Palafito, a próxima atração do dia. Boca de Cote foi o primeiro e o mais distante local que visitamos nesse dia. Os seguintes já estavam no caminho de volta para Gran Roque. Vídeo de Boca de Cote: [t3]Palafito[/t3] Após uns 20 minutos chegamos ao palafito, que é uma construção de madeira sobre a água, onde vive uma família de pescadores durante a temporada de pesca da lagosta, que dura 6 meses. É tudo muito simples. Pudemos conhecer o local e a família estava lá, já que fomos durante a temporada de pesca (novembro-abril). Havia uma mulher cozinhando, uma criança brincando e algumas pessoas limpando peixes na cozinha. Achei que eles iam tentar nos vender alguma coisa, mas não tentaram e nem cobraram nada pela visita. Ficamos uns 20 minutos lá e zarpamos. Vídeo Palafito: [t3]Laguna e Pelona de Rabusquí:[/t3] Logo após o Palafito estão a Laguna de Rabusquí e a Pelona de Rabusquí. Primeiro passamos pela Laguna, um local com um mar incrível e uma grande concentração de estrelas do mar. O ajudante do Chichi pulou na água e nos trouxe rapidamente algumas estrelas (elas não podem ficar muito tempo fora da água). Ninguém quis pular na água, o sol estava muito forte e acho que todo mundo queria chegar logo num local com sombra. Ainda na Laguna o Chichi passou por um trecho com mar azul e mangue (muito interessante) e depois fomos na direção da Pelona de Rabusquí, que fica logo adiante. A Pelona é um banco de areia. Quando estávamos discutindo o passeio do dia, o Chichi propôs que passássemos o resto do dia na Pelona. Eu sugeri ao Chichi se poderíamos passar o resto do dia em Crasquí. Essa conversa foi no dia anterior. A Pelona de Rabusquí eu nem tinha ouvido falar antes de ir para LR, enquanto Crasquí era uma das ilhas mais indicadas nos relatos. Se nós ficássemos na Pelona, eu não teria outro dia para conhecer Crasquí. Mais pessoas do grupo também manifestaram o desejo de ir à Crasquí e assim foi definido o roteiro desse dia: Boca de Cote > Palafito > Laguna de Rabusquí > Crasquí (ao invés da Pelona de Rabusquí). O Chichi só deu uma rápida parada na Pelona para vermos como era, já que ela estava no caminho. Essa mudança de roteiro para Crasquí foi certeira, na minha opinião. Crasquí é imperdível e no nosso último dia em LR conhecemos outro banco de areia, muito mais bonito que a Pelona, Bajo Fabian. Vídeo Laguna e Pelona de Rabusquí: Estrela do mar na Laguna de Rabusquí: Pelona de Rabusquí: [t3]Crasquí[/t3] Saímos da Pelona de Rabusquí e após alguns minutos chegamos em Crasquí. Isso era por volta das 12:30 e ficamos lá até umas 16:30/17:00.0 Crasquí é uma ilha linda, com um mar bom para banhos e com alguma estrutura: casas de pescadores e alguns restaurantes, uns 3. Caminhamos um pouco pela ilha, nadamos, descansamos. No meio da tarde o Chichi apareceu com algumas lagostas que ele havia pescado e foi prepará-las para nós. Ele preparou as lagostas com água do mar. Só posso dizer que as lagostas foram para fechar esse incrível dia com chave de ouro. Estavam deliciosas. E pagamos a bagatela de cerca de 15 dólares por cada lagosta inteira. Vídeo de Crasquí: Crasquí, lindo demais:
  13. 3° dia: Na noite anterior ficou decidido que iríamos a Cayo de Água nesse dia. Li vários relatos no Mochileiros que geralmente o passeio à Cayo de Água incluía uma visita a ilha vizinha Dos Mosquises, onde funciona um projeto parecido com o nosso TAMAR. E nos relatos a maioria das pessoas dizia que não valia a pena conhecer Dos Mosquises. Então propus ao grupo e ao Chichi irmos apenas a Cayo de Água, o que foi amplamente aceito. O Chichi propôs que saíssemos um pouco mais cedo de Cayo de Água para passarmos em Sarquí e Espenquí. Todo mundo aceitou, eu também, já que queria conhecer o maior número de ilhas possível. [t3]Cayo de Água[/t3] Esse dia era um sábado e o Chichi nos disse que sábados e domingos o arquipélago recebe muitos venezuelanos que vem passar o fim de semana. Com isso as ilhas mais próximas de Gran Roque ficam mais cheias, principalmente Madrisquí e Francisquí. Então a dica é ir nas ilhas mais distantes nos finais de semana. Cayo de Água fica quase 1 hora distante de Gran Roque e foi a ilha mais distante que conhecemos. Foi 1 hora de bateção no barco para chegarmos à Cayo de Água. A dica é sentar no fundo do barco, balança e bate menos. Claro que deixamos o fundo para as mulheres e os homens foram na frente. Cayo de Água é a ilha mais bonita de Los Roques. É um paraíso. Quando chegamos só havia 1 casal com uma criança na ilha. Ela possui um istmo que é um dos lugares mais bonitos que já vi. Logo que chegamos, o Chichi e seu ajudante montaram nossos guarda-sóis e cadeiras e desceram nossas cavas. O Chichi convidou para darmos uma volta na lancha com a intenção de vermos tartarugas. Uma parte do grupo foi com o Chichi. Eu, minha esposa e o casal que nos acompanhou durante toda a viagem (Douglas e Mi ) resolvemos ficar e explorar Cayo de Água. Atravessamos o istmo e fomos em direção ao farol. Acho que caminhamos cerca de 1km até lá, por uma praia deserta que um mar muito lindo, com um tom azul intenso e excelente para banhos. Quando voltamos o grupo já havia retornado do passeio de barco. Almoçamos e ficamos até por volta das 14:30 curtindo Cayo de Água, (nadando, fazendo snorkel, caminhando). Vídeo de Cayo de Água: Cayo de Água praticamente vazia quando chegamos: Istmo: Olha esse mar: [t3]Espenquí e Sarquí:[/t3] Saímos de Cayo de Água por volta das 14:30. Nosso destino era as ilhas Sarquí e Espenqui, que ficam entre Cayo de Água e Gran Roque. Quando chegamos em Sarquí o tempo havia mudado, estava nublado e garoando um pouco. Não vimos nada de demais em Sarquí, pode até ser que foi pelo tempo ruim. Ficamos uns 20 a 30 minutos em Sarquí e partimos para Espenquí, que possui uma grande concentração de estrelas do mar. Vimos muitas estrelas do mar, mas também não achamos a ilha das mais belas (em se tratando de Los Roques). Depois de uns 30 minutos partimos de volta para Gran Roque. Vídeo de Sarquí: Vídeo de Espenquí: Sarquí: Estrela do mar em Espenquí:
  14. Continuando o relato... Chegamos em LR por volta das 10:30. Nosso quarto na Guaripete só estaria disponível no final da tarde. Então eles nos disponibilizaram um quarto para que pudéssemos nos trocar e fazer um passeio. Por volta do meio dia já estávamos a caminho do píer, com as cavas com o nosso almoço. Como o dia era curto, o ideal era conhecer uma das ilhas mais próximas. Fomos para Francisquí. [t3]Francisquí[/t3] Fica una 10 minutos de Gran Roque. Ela possui um restaurante especializado em peixes e frutos do mar. Não comemos no restaurante, mas vi eles preparando uma lagosta, devia ser deliciosa. Francisquí é um pouco "cheia" para os padrões de LR. tinha muitos barcos atracados por lá, alguns com música muito alta. A praia principal é pequena, com faixa de areia estreita e mar calmo, bom para banhos e ruim para snorkel. Do lado esquerdo sai uma trilha que leva até um local bom para snorkel, segundo relatos que li aqui no Mochileiros. Pegamos a trilha (fomos atacados por mosquitos - passe repelente), mas ela tem algumas bifurcações. Chegamos num local, onde fizemos um snorkel legal, mas não sei se é o mesmo que indicam aqui no mochileiros Também caminhamos para a direita, após o restaurante. Esse trecho é bom para banhos também, mas quase não tem praia. Francisquí é linda, mas não chega aos pés de outros locais de LR que conhecemos posteriormente. Vídeo de Francisquí: Francisquí: Voltamos de Francisquí por volta das 17:00. Em 10 minutos estávamos em Gran Roque e logo após na Guaripete. Sempre chegávamos esfomeados , mas tínhamos que aguardar cerca de 1 hora pelo chá da tarde. Tomamos o chá lá por volta das 18:30 e jantamos por volta das 20:00/20:30 (rotina de todos os dias). À noite saíamos para tomar uns drinks nos bares que ficam na praia, ou dávamos uma volta na pracinha central, onde tem 2 barraquinhas de brincos e colares.
  15. [t3]Los Roques[/t3] O arquipélago de Los Roques pertence à Venezuela e está localizado no Caribe, ao lado das ilhas ABC (Aruba, Bonaire e Curaçao). São centenas de ilhas e bancos de areia. Gran Roque é a ilha principal, onde ficam as pousadas, o pequeno comércio, o aeroporto, ou seja a simples estrutura do arquipélago. Gran Roque possui umas 4 ou 5 ruas de areia, com algumas dezenas de pousadas simples entre casas de moradores. A população do vilarejo não chega a 2000 habitantes. Veja nosso vídeo de Gran Roque: Praia de Gran Roque. De dia ninguém frequenta, já que ela é cheia de barcos. À noite rola uns barzinhos bem bacanas e descolados, na areia. [t3]Pousada Guaripete[/t3] Nós escolhemos a Pousada Guaripete para ficar em Los Roques, já que ela é bastante elogiada aqui no Mochileiros. A pousada é muito boa, apesar de simples, como tudo em Los Roques. Nós (e todo mundo que estava na pousada) escolhemos pensão completa. Alimentação: café da manhã muito bom, durante o dia eles preparavam uma cava (térmica) onde ia nosso almoço nos passeios. O almoço era fraco, geralmente um sanduíche ou risoto, nisso a pousada tem que melhorar. Até ia umas bolachinchas ou salgadinhos juntos, mas comprávamos alguma coisa a mais no mercado para reforçar. Na cava também ia água e refrigerante. Cerveja também, mas era cobrada. Voltávamos dos passeios lá pelas 17:00 e as 18:00 era servido o chá da tarde (podia ser as 17:00). O jantar era servido por volta das 20:00 e consistia em entrada, primeiro prato, segundo prato e sobremesa. Sempre muito bom, preparado pelo chef Ciro. Nosso quarto era simples, mas agradável. Só demos azar com o ar condicionado que não funcionava direito e quebrou no penúltimo dia, ficamos sem ar a última noite. O ar estava num estado deplorável, a pousada poderia ter trocado antes, mas enfim, ficamos um pouco bravos, mas não deixamos isso estragar a viagem. O chuveiro sai pouca água. E não tem água quente. Mas isso é normal em LR, que for para lá tem que ter consciência disso. Um dos grandes diferenciais da Guaripete é o capitão do barco da pousada, o Chichi. Fazer os passeios com o Chichi vale muito a pena, no decorrer do relato vou falar mais sobre ele. Caso você não fique na Guaripete, também dá para fazer os passeios com ele. No geral avaliamos como positiva a Guaripete. Os funcionários são muito atenciosos. E não dá para exigir muito, já que estamos numa ilha isolada e rústica no meio do Caribe. Pagamos 960 dólares o casal para ficarmos na Guaripete no regime pensão completa por 4 noites (5 dias aproveitados). Vídeo da Pousada Guaripete: Fachada da pousada: Quarto: Lanche da tarde: Jantar: O capitão Chichi:
×