Ir para conteúdo

RodriguesEdu

Membros
  • Total de itens

    64
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que RodriguesEdu postou

  1. Olá pessoal, tudo bem? Acabei de voltar da minha experiência pela Patagônia Chilena, de longe um dos lugares mais lindos que já tive o prazer de ver. Vou tentar fazer um relato bem rápido sobre tudo, mais pra dar um direcionamento sobre meu passo a passo da viagem. ROTEIRO e HOTÉIS 23/12 até 26/12 - Santiago, Chile - La Casa Roja 27/12 até 28/12 - Punta Arenas, Chile - Sol de Invierno 28/12 até 30/12 - Puerto Natales, Chile - We Are Patagônia 31/12 até 02/12 - Santiago, Chile - La Casa Roja Eu acabei ficando apenas quatro dias na Patagônia, dos 10 dias que passei no Chile. Se hoje fosse montar meu roteiro agora, teria feito diferente: pelo menos 5 dias inteiros distribuído nas duas cidades. Principalmente para quem gosta de cidades bucólicas e fazer nada com vista bonita, vale muito a pena. Sai de Santiago rumo a Punta Arenas as 04:00 da manhã do dia 27/12 em um vôo da Low Cost chilena Jet Smart. Um vôo ok, sem grandes problemas. Desembarquei em Punta Arenas perto das 07h30 e peguei um taxi para o meu hostel. O valor do taxi foi de CL$10.000, preço tabelado para qualquer canto da cidade. Sobre o Sol de Invierno: O hostel entrega exatamente aquilo que promete, um ambiente calmo e bem aconchegante. Está bem próximo de tudo que importa na cidade, por mais que não seja exatamente no centro. Tem uma área comum bem legal, com vídeo game, e uma cozinha bem acessível. Os banheiros sempre limpos e com uma lavanderia para quem precisar. Como chegamos cedo, deixamos nossas malas e fomos dar uma volta pela cidade. Passeamos pela orla da cidade, demos uma volta nos milhões de cafézinhos Descobrimos que tinha um free walking tour que EU NÃO RECOMENDO pela cidade. O guia praticamente passava pelos lugares da cidade e apontava falando que aquilo era X, mas não contextualizava nem narrava muito sobre a cidade. Nós não reservamos nenhum passeio em Punta Arenas. Eu estava em dúvida se teria dinheiro, e também se poderia encontrar algum passeio para ver pinguins por lá. Infelizmente não consegui bancar os passeios que tinham exatamente os mesmos valores das agências na internet. Punta Arenas é uma cidade charmosa, tem um mirante com uma vista maravilhosa da cidade. Tomamos uma caneca de chopp Austral no Lomito's e almoçamos no caro mercado central, além de muito café caminhando pela cidade. Saindo de Punta Arenas, compramos uma passagem pela Bus-Sur para Puerto Natales no valor de CL$8.000 a passagem. O ônibus sai da loja deles em uma das avenidas principais de Punta Arenas e fácil acesso do hostel que ficamos. A viagem de ônibus é tranquila e diferente da primeira cidade, Puerto Natales tem uma rodoviária, pegamos um taxi que custou CL$2.000 até o We Are Patagônia. Sobre o We Are Patagonia: As camas são enormes, mesmo sendo beliches. Cada um tem duas tomadas, luz de apoio e armário. Os quartos são enormes, o que é ótimo para não ficar tudo apertadinho. A equipe super atenciosa, solicita e disposta a ajudar em qualquer coisa. Tentamos mudar nosso vôo, e o atendente ligou para a companhia para ajudar com o espanhol. Além disso, tem um café da manhã justo, e limpeza super eficiente. O hostel é super bem localizado, fica pertinho da orla e de um pier maravilhoso e da famosa estatua dos homens voando. No dia seguinte (29/12) iamos fazer o nosso full day para o TdP e por isso ficamos andando pela cidade bem plenos para jantar alguma coisa. Era quase 22h e parecia ser 19h, de tão tarde que escurece lá. Diferente da Punta Arenas que tem bastante opções, Puerto Natales tem bem menos opções de restaurante e bares, por isso tivemos que caçar algum lugar para comer, passamos no supermercado pra comprar nosso almoço/lanche do dia seguinte. Sobre o Full Day pelo Torres Del Paine: eu pesquisei MUITO antes de decidir fazer esse passeio. Ouvi muita gente falando que não valia a pena e etc, mas eu não posso discordar mais do que li por ai. O passeio valeu MUITO a pena e acho que pra quem não está acostumado a fazer treeking ou acampar, o Full Day cumpre fazer o passeio. Eu fechei o passeio ainda aqui pelo Brasil pela Rutas Patagônia. Chegando lá em Puerto Natales descobri que a agência terceiriza o serviço para o TdP de uma outra agência que já tinha visto lá na região, chamada Comapa (http://www.comapa.com/inicio). Eu paguei exatamente o mesmo preço que está no site deles (CL$35.000). O passeio sai bem cedo (07h30) do hostel, e vai passando em alguns outros hotéis para buscar o pessoal. Felizmente tivemos o privilégio de ter um dia lindo, que deu pra ver as Torres do começo ao fim do passeio. Ao todo eles fazem 5 paradas, mas como o dia estava bonito nós fizemos 7. O percurso do passeio é: - Cueva del Milodón (fora do parque e custa CL$5.000) - Administração (para entrar no parque tem que pagar CL$21.000) - Lago Grey - Salto Grande - Lago Sarmiento - Laguna Amarga Não vou falar muito sobre cada um dos lugares, vou deixar as fotos dizerem por mim. O que é importante saber, existe alguns percursos que você precisa caminhar, mas tirando o do Lago Grey, que é uma caminhada de 20 min bem tranquila, o resto você não anda mais de 10 minutos pra chegar na atração. Nós comemos perto do Lago Grey e foi muito bom ter levado a nossa comida, uma vez que custa aprox. CL$15.000 cada prato no restaurante que paramos, e ele nem é dos mais caros. O passeio dura umas 12 horas, e voltamos para a cidade vendo uma paisagem linda. Assim como na ida, eles deixam a gente no hostel também. Jantamos aquele dia no Patagônia Food (que é um restaurante de comida local que estava cheia na noite anterior e parecia bem legal).Após isso, fomos pro Hostel, tomamos um banho e fomos procurar algum lugar para beber. Fomos primeiro no Baguales, que é um restaurante/bar no centro da cidade. Vale ir pelas cervejas próprias e rótulos super diferentes do que encontramos por ai. Depois de lá fomos para um bar de drinks que tinhamos lido na internet sobre, o Las Hope Distillery. Vou fazer um parágrafo inteiro sobre esse bar, porque foi uma experiência maravilhosa. Diferente dor esto dos outros bares/restaurantes que ficam ali perto das ruas principais, esse ficava um pouco distante (mas dá pra ir a pé). É uma casa normal, você toca uma campainha e vieram nos atender. Quem nos atendeu foi um dos australianos que fundaram a destilaria da qual eles tiram os próprios gins e whisks para fazer os drinks. Eles tem uma carta de drinks bem grandes, com praticamente todo mundo sentado em uma sala de estar ou no balção. O atendimento é maravilhoso e o preço é ok (CL$4.000 o drink). Bom, acabamos nossa noite ai e no dia seguinte iamos embora. Comprei ainda aqui no Brasil nossa passagem de Puerto Natales direto para o Aeroporto. O que foi ótimo, já que nessa época costuma ter sold out de passagem. Uma informação importante é: eu quase precisei trocar pesos em Puerto Natales e a cotação lá é horrível. Em Punta Arenas vale MUITO mais a pena, e se você for pra Santiago antes, vale mais a pena ainda. Em resumo, não deixem pra trocar pessoas em Puerto Natales, ok? No mais, é isso! Se tiverem alguma dúvida, só me chamar! ❤️
  2. Olá pessoal, tudo bem? Ando meio sumido daqui, mas agora estou de volta. Seguinte, estou planejando com meu namorado uma viagem para a Patagônia Chilena no final do ano. Iremos para Santiago no dia 23/12 e voltamos dia 02/12. Minha idéia é ficarmos lá no fim do mundo do dia 26/12 (meu aniversário! 🤗) até 29/12 ou 30/12. Estou tendo muita dificuldade em achar recomendações de empresas que fazem os passeios One Day. Falaram ser muito importante reservar com antecedência para não correr o risco de gastar mais do que já custa! hahaha Alguem tem indicação de sites e empresas que fazem isso, ou alguma sugestão de como proceder? Outra coisa, hospedagem! A maioria do pessoal que vai pra patagônia chilena, fica nos camping do circuito W. Porém, como vou fazer os passeios de One Day, queria sugestão de algum, hostel ou pousada para ficar. É isso pessoal! Abs
  3. Galera, seguinte, faz algum tempo que venho planejando esse mochilão/semestre sabático em uma expedição pelo Brasil, mesclando trabalho voluntário em troca de hospedagem/alimentação, e também um pouco de redescobrimento das belezas do Brasil. A viagem deve começar aqui de São Paulo, e ir subindo em direção ao Norte/Nordeste, buscando ONG's ou grupo de pessoas que precisem de ajuda em diversas áreas relacionadas a cultura e educação. E é nesse pedaço que vocês entram. Estou buscando informações de ONGs, instituições, pessoas, hostels e etc. que tenham interesse de me ter lá ajudando, fazendo serviços, em troca de hospedagem e alimentação. Vocês, desse brasilzão bonito que só vendo, conseguem me ajudar com informações preciosas? A idéia é começar em Agosto, com um mini roteiro só previamente traçado. É isso galera, Vamos tentar ajudar o amigo aqui. Bj
  4. Alguem com noticias sobre o cambio? Vou pra lá amanhã e queria me planejar certinho sobre.
  5. acho que vale vagas nos POD, é uma boa opção tambem, porem um pouco mais caro que o HI Hostel, mas com a opção de quartos individuais
  6. Sara, qual companhia de onibus você sabe que faz esse percurso? vou dar uma procurada aqui nos valores, e pretendo ja fechar.
  7. Vou pra NYC no final do ano com uns amigos. Eles vão embora no dia 03/01 e eu fico até dia 07/01. Estou planejando uma viagem para Was, saindo dia 04/01 e volto dia 06/01 para não correr risco com o vôo de volta pro Brasil. Estou querendo ir de trem, e voltar de trem também. Acham que vale a pena, ou devo me programar pra pegar um ônibus?! Como vou estar com mala, imaginei com o trem ia ser mais fácil. Engano meu? E quanto a neve, corro risco de ter uma tempestade e ficar preso na cidade, ou coisa de menino preocupado? Outra coisa, alguém tem sugestão de hotel/hostel? Queria um lugar bacana, já que vou estar sozinho lá. Valeu galera.
  8. Rose, fiquei nos dois e sou muito mais o Happy House! O Ventana me recebeu super bem, mas o Happy House teve um diferencial muito a mais pelas instalações, banheiro e staff. O diferencial do Ventana mesmo é a localidade, mas o HH não esta em um lugar ruim tambem.
  9. Carol Teles, pode perguntar! Se quiser mandar MP estou aberto!
  10. Carol, quando eu fui pra lá fiquei em dois Hostels, porque teve deslizamento no Andes e não pude cruzar a fronteira pra Arg, e o primeiro hostel que eu fiquei não tinha mais espaço. Depois dessa história triste eu lhe digo: ainda bem que o Andes deslizou. Eu acabei encontrando o Happy House Hostel, que é um hostel bem acessivel e super bem localizado (perto da Plaza de Armas e da Avenida Brasil. Ele fica perto do metro (duas quadras), tem supermercado do lado, a staff é super receptiva (sempre tiravam minhas duvidas do que fazer, me mantinham informado sobre a situação do Andes, me apresentaram algumas pessoas no hostel...) e tem piscina em uma área bem legal. Perto do metro tambem tem um bus que leva e trás do aeroporto (não lembro o nome da companhia, mas vou pesquisar e te mando MP confirmando) o que te poupa uns bons dinheiros já que o aero não é tão perto da cidade. SUPER RECOMENDO O HOSTEL! http://www.happyhousehostel.com/
  11. Fantastico! Gostei muito do seu relato, e acho que ele vai me ajudar a ter uma noção daqueles detalhes de cada lugar que quase ninguem lembra.
  12. A imigração não para de funcionar, MarcoMar. Não precisa se preocupar! A unica coisa que pode acontecer ter um contigente de funcionarios um pouco menor do que o habitual, mas 00:30 ainda é um horário de bastante movimento de passageiros, então deve ser bem de boa.
  13. Galera, alguem tem contato de pessoas que alugam apartamentos em NY? Já falei com o Fernando, e me falaram que existem outras pessoas. Estou querendo fazer um orçamento para minha viagem no ano novo. Abraços
  14. BARES Assim como as baladas, os bares da cidade de São Paulo também atendem diversos públicos, e têm muitas características singulares, que dão a cidade esse ar cosmopolita. Existem dois principais tipos de bares na cidade: o bar-balada e os bar convencional. Eles atendem diversos tipos de públicos, desde os descolados, passando por alternativos, chegando em público gls e universitários em geral. O horário de funcionamento deles costuma ser bem variado, podendo abrir as 11:00, para os que gostam de beber e já emendar o almoço, até os que só abrem durante a noite, servindo de esquenta para baladas. Aproveitando o gancho, não vou citar aqui aqueles bares que ficam na frente das baladas, que servem como apoio para dar um fire up antes de entrar nas casas noturnas. Vou levantar aqui os bares que podem substituir uma noitada. Na cidade existem diferentes pontos em que estão concentrados os bares, vou separar aqui por região, o que acaba também interferindo no público que frequenta o local. VILA MADALENA: A Vila Madalena é um dos lugares mais badalados, se não o mais, da cidade de São Paulo e principal reduto dos boêmios de plantão. ASTOR: O bar Astor, localizado na Rua Delfina, 163, é extremamente charmoso com a sua decoração inspirada nos anos 50 e 60. O local ainda apresenta uma carta de vinhos bastante variada e o chopp geladinho. Petiscos, filés e sanduíches fazem parte do cardápio. Destaque para as omeletes e o Bloody Mary, um dos melhores da cidade. SANCHA: O Bar do Sacha é um boteco localizado na Rua Original, 87. Sempre cheio, ele ferve no happy hour, possui um atendimento descontraído e mesas na calçada, sem falar no chopp sempre bem geladinho. BOTECO SÃO BENTO: O Boteco São Bento, que fica na Rua Mourato Coelho, 1.060, procura recuperar o visual e ambiente de botecos clássicos. A arquitetura do lugar faz diversas referências a São Paulo de antigamente, com mesas de mármore, limoeiros em volta das mesas externas, prateleiras e postes de luz velhos. FILIAL: O Filial, localizado na Rua Fidalga, 254, é considerado um dos melhores bares para curtir o "fim de noite" em São Paulo. O bar recebe muitos boêmios, universitários, jornalistas, publicitários, músicos e atores. GENÉSIO BAR E CHOPP: O Genésio é um bar localizado na Rua Fidalga, 259. Sempre cheio e animado, tem diversas fotos antigas do bairro nas paredes. O ambiente é de boteco clássico, com mesas de madeira na área externa e na calçada em frente. Está sempre bem movimentado e é uma boa opção de para tomar um chopp e comer um petisco ou pasta no fim de tarde. GENIAL BAR: O Genial é um bar dos mesmos proprietários do Genésio e do Filial, que fica na Rua Girassol, 374. O ambiente da casa é espaçoso e tem clima dos tradicionais botecos da cidade, com fotos de personalidades nas paredes e uma varanda com teto retrátil. O público é eclético e composto por pessoas de todas as idades. MELOGRAMO: O Melograno está localizado na agitada Rua Aspicuelta, 436 e conta com mais de 150 rótulos de cervejas, além de ser especializado em combinações de alimentos com a bebida. MERCEARIA SÃO PEDRO: A Mercearia São Pedro existe desde 1968, na Rua Aspicuelta, 544. O boteco é point cult da cidade e está sempre lotado de intelectuais e descolados. O ambiente é despojado, com cara de mercearia e mesinhas na varanda. SALVE JORGE: O Salve Jorge, localizado na Rua Aspicuelta, 544, possui diversas referências ao nome Jorge, desde uma pintura de São Jorge na parede, até fotos de famosos com esse nome, como Jorge Benjor e Jorge Mautner. SÃO CRISTOVÃO: O São Cristovão, também na Rua Aspicuelta, 533, homenageia o time de futebol carioca homônimo. O ambiente é pequeno e quase sempre lotado, com decoração formada de recortes de jornais antigos e fotos de jogadores famosos, como Pelé, Zico e Garrincha, que cobrem as paredes. ITAIM BIBI: O Itaim Bibi é um dos lugares mais badalados na cidade de São Paulo e o bairro em que se concentra o maior número de bares e baladas. BARDOT: Localizado numa esquina da Rua Clodomiro Amazonas, 260, o Bardot é um dos endereços preferidos do público no Itaim. Inspirado numa das grandes musas do cinema, a atriz Brigitte Bardot, o boteco tem clima intimista com jeitão de bistrô. CHARLES EDWARD: O Charles Edward tem estilo de pub europeu somado com bar americano. Localizado na Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 1426, a decoração conta com algumas peças antigas, como um caça-níquel de 1910. O público tem faxa etária de aproximadamente 35 anos e costuma se agitar com o pop rock ao vivo, principal atração do bar. DEZOITO BAR: O Dezoito Bar, na Rua Professor Atílio Innocenti, 101, conta com uma ambientação que combina iluminação baixa, paredes envidraçadas e mesas de estilo bistrô. Para deixar o clima animado, a programação alterna bandas ao vivo e som de DJs. EU TU ELES: O Eu Tu Eles é um bar que fica no térreo de um edifício comercial, de frente para Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2902. Decorado com mais de quatro mil fitinhas do Senhor do Bonfim penduradas no teto, a proposta do bar é fazer os clientes se sentirem em casa com um cardápio onde a cozinha brasileira é o destaque. KIA ORA: Localizado na Rua Dr. Eduardo de Souza Aranha, 377, o Kia Ora, pub neozelandês, conta com apresentações de bandas ao vivo, mesas de sinuca e pinball, além de muitas opções de cervejas e vinhos da região. A casa também serve os tradicionais espetinhos australianos. LOUIS: O Louis é filial de uma casa de Miami. O bar/balada foi inaugurado em março na Rua Amauri, 282. Música lounge e house compõem a trilha sonora, na medida para agradar a bem arrumada clientela. O local também oferece happy hour e esquenta pré-balada. MYNY: O MyNY é um bar inspirado nos tempos da Lei Seca e lembra os antigos prédios nova-iorquinos. Localizado na Rua Pedroso Alvarenga, 1285, traz no cardápio alguns coquetéis mais clássicos e diversas opções de sanduíches e petiscos. TATU BOLA: Localizado na esquina da Rua Joaquim Floriano com a Clodomiro Amazonas, o Tatu Bola Bar conta com um estilo especial que une de várias tribos e estilos. No cardápio também há 14 opções de caipirinha. THE SAILOR: Já o The Sailor, localizado na Avenida Faria Lima, 2776, é um pub britânico com inspiração em pin-ups e decoração de navio antigo. Além de shows com banda de rock e pop, a casa oferece cervejas Leffe e drinques com nomes de bandas, como Strokes e Coldplay. WALL STREET: Por fim, o famoso Wall Street Bar, na Rua Jerônimo da Veiga, 149, funciona como uma verdadeira bolsa de ações, onde o cliente pode ver (em tempo real) as cotações de suas próprias bebidas. A casa também conta com uma jukebox, para você escolher a música que quer ouvir no ambiente. BLÁ BAR: O local funciona como restaurante e bar, com destaque para o Happy Hour que, além de disputado, conta com a presença de DJs. A cozinha do local mistura as culinárias italiana e contemporânea, com destaque para as bruschettas e para o Tagliatelli de Ragú de Fraldinha. Frequentado pelos publicitários da região, o bar também já recebeu o cantor Sting e a banda The Killers. Como puxadinho do bar, o club Anexo fica ao lado, para quem quiser estender a noite. Avenida Brigadeiro Luis Antonio, 5003 - Jardim Paulista BAR DO ARNESTO: O Bar do Arnesto, no Itaim Bibi, foi inspirado nos botequins paulistas dos anos 60 e homenageia os sambistas da época, tendo como referência o personagem da música ”Samba do Arnesto”, de Adoniran Barbosa. A decoração foi toda garimpada de antiquários com mesas em diferentes materiais e tamanhos, para combinar com o clima de botequim. No quesito bebidas, o Arnesto oferece cerveja de garrafa com um sistema de refrigeração especial que gela de maneira uniforme e baixa a temperatura até cinco graus negativos sem congelar o líquido e uma carta de cachaça com mais de 503 rótulos. Endereço: Rua Ministro Jesuíno Cardoso, 207 - Itaim Bibi B4 LOUNGE: Com clima intimista, o B4 tem a proposta de ser um esquenta para a balada. A casa traz em seus ambientes sofás brancos, música ambiente, dois bares e mesa de bilhar. R. Amauri, 244 - Jardim Europa PAULISTA/AUGUSTA: A rua reafirmou sua vocação boêmia, passou a atrair jovens frequentadores e virou ponto de encontro de várias turmas BEACH BEER: Na altura do número 2456 da Alameda Santos (paralela da Avenida Paulista, perto do metrô Consolação), está localizado o Beach Beer. O boteco – que passou por recente reforma – tem porções de calabresa, provolone, fritas, frango a passarinho e afins a preços justos. A cerveja está sempre gelada e os garçons – procure o Gaúcho e o Alemão – são muito gentis e atenciosos. Na TV, tá rolando sempre uma programação esportiva bacana. PUPPY: Quase em frente a Faculdade Cásper Líbero, o Puppy fica no número 1009 da Avenida Paulista, próximo ao metrô Trianon-MASP. Por lá, o esquema é bem informal mesmo. As disputadas mesas - de plástico mesmo, do jeito que um botequeiro gosta – ficam todas na larga calçada da Avenida. Os lugares são muito disputados, então o ideal mesmo é pegar umas brejas – tem que pagar a ficha com antecedência – e beber em pé, apoiando as garrafas na lixeira de concreto da Avenida Paulista (mais roots impossível) BLUE VELVET: O bar entra no clima do clássico Blue Velvet, de David Lynch. A decoração é azul, com clima de balada em plena sala de estar. A acomodação, com sofás e pufes e uma pistinha de dança onde se ouvem hits de groove e soul dos anos 80 e 90, é uma sugestão de esquenta. R. Bela Cintra, 1541 - Jardim Paulista BARÃO DE ITARARÉ: O bar é chiquérrimo, com uma decoração inspirada nos anos 50 e 60. O público de lá é "arrumadinho", mas bem diversificado - vai de engravatados a artistas modernosos, e gays. A carta de bebidas é imensa, com mais de 50 tipos de cachaça e 12 de cerveja. Ideal para aqueles dias em que você quer fazer a phyna. R. Peixoto Gomide, 155 - Jardim Paulista FREY CAFÉ: Localizado na Rua Frei Caneca, um dos principais locais de encontro entre os LGBT, o Frey Café é uma delícia a qualquer hora. É perfeito para tomar um café com os amigos no final da tarde, para os drinks da happy hour ou mesmo para "ahazar na buatchy", já que lá também vira balada. Frequentemente, o local recebe festas temáticas, como a do Orgulho LGBT, e shows de stand up comedy. R. Frei Caneca, 721 - Consolação SPOT: É uma mistura de restaurante e pub frequentado por gente "phyna e eleganthcy", mas com um pé na modernidade. O som passeia pelo eletrônico, jazz e drum'n'bass. É ótimo para um jantar um pouco mais formal, porém sem frescuras. Também dá para ficar no balcão saboreando os deliciosos drinks da casa. Al. Ministro Rocha Azevedo, 72 - Cerqueira César CAOS: O Caos é um misto de loja de antiguidades durante o dia, bar com festas à noite e ainda é programa de TV no The History Channel Brasil! Como um pré-clube, as noites do Caos começam e terminam mais cedo, mas a programação musical é fina: ska e dub, música brasileira, hip hop old school, disco, funk, soul e boogie. Rua Augusta, 584 – Consolação VOLT: O bar Volt, localizado nos Jardins, é conhecido pela decoração em neon, que mescla peças restaurados de lugares clássicos do Baixo Augusta com novos criados por personalidades da noite paulistana. É considerado por muitos os melhor bar gay friendly para paquerar. No som, rola muito eletrônico dos anos 80. R. Haddock Lobo, 40 - Consolação Confira também um Guia completo da Rua Augusta e Arredores produzido pelo blog Viaje Leve
  15. BALADAS São Paulo é conhecida por atender todos os tipos de público, desde os mais moderninhos e playboys, até os mais alternativos. As baladas, como aqui é conhecido os clubes/boate/night, paulistanas têm em sua lista nomes de peso em âmbito mundial, e estão nos ranks das mais famosas junto com algumas de NYC e Ibiza. Geralmente as baladas em São Paulo funcionam com comandas de ‘consumação’ ou ‘seco’, e também com listas de descontos, que ao enviar seu nome (e de seus amigos) até uma certa hora, dá benefícios de preço e/ou fila preferencial. Promoters também são comuns na baladas, e podem ser consultados sobre preço. O horário de funcionamento das casas noturnas costuma ser das 22:00 até 05:00, sendo que algumas baladas podem começar mais tarde e/ou terminar mais tarde. Alguns tipos de clubs tem o costume de ter seu pico em dias de semana, como é o caso das casas sertanejas, porém, é mais normal encontrar as baladas lotadas de sexta-feira e sábado. Baladas em São Paulo geralmente são caras, se comparadas a outros lugares do mundo e do Brasil. A consumação média é de 50 reais por pessoa, pensando que cobram de R$20,00 até R$250,00 pela entrada. As mulheres costumam ter um ticket mais baixo, chegando a ter entrada VIP em grande parte das baladas. Nesse guia vou separar as baladas em quatro principais vertentes: alternativas, gls, casas especializadas e tradicionais. 1. TRADICIONAIS LIONS NIGHT CLUB: Localizada no primeiro andar de um prédio na Av. Brigadeiro Luís Antônio, o ponto forte da casa é a varanda com uma vista incrível para o centro de São Paulo. Além disso, o décor do Lions Nightclub é a cara da riqueza, com lustres de cristal e sofás de camurça. Além disso, a casa promove duas super festas de música eletrônica: a CIO, de quarta-feira e a Forward aos sábados. Os preços durante a semana são a partir de R$ 40 e fim de semana R$ 60, podendo haver esquema de consumação.Avenida Brigadeiro Luís Antônio, 277 Bela Vista - Centro - (011) 3104-7157 - quarta a sábado : 23h às 6h -
(http://www.lionsnightclub.com.br) D-EDGE: Com 10 anos de clube nas costas, o D-Edge já ganhou diversos prêmios, entre eles o “4º melhor clube do mundo”. Além da infra-estrutura impecável, e soundsystem dos mais modernos, o clube também abriga as festas de música eletrônica mais conhecidas do Brasil, afinal sempre contratam atrações gringas para tocar. O circuito eletrônico começa na quinta-feira com a festa Moving, seguida pela Freakchic nas sextas, Mothership aos sábados e o querido Super After que rola aos domingos até o meio dia. A média de preço é a partir de R$ 40 dependendo da noite, além de também rolar esquema de consumação. A D-Edge fica na Rua Auro Soares de Moura Andrade, 141, Barra Funda. O telefone é (11) 3665-9500 ( http://www.d-edge.com.br) JOSEPHINE: Inspirada em baladas de Amsterdã e Berlim, a Josephine é filial de um clube de Washington, Estados Unidos. Cortinas de veludo, lustres de cristal, escadas de ferro e divãs com estampa de cobra dão um ar luxuoso à casa, que conta com duas pistas, uma menor e outra maior, além de um espaço para camarotes. A balada funciona às quartas, quando recebe o DJ Milk tocando hip hop e black music e às sextas, com o house e disco do DJ Paulo Jardim. Horário de Funcionamento: quarta, sexta e sábado, a partir das 21h.
End.: Rua Mário Ferraz, 580 – Itaim – São Paulo.
Preço: de R$ 50 a R$ 250.
Tel.: (11) 3571-1191. BALLROOM: Localizada no casarão que abrigava a extinta Heaven, a balada contrasta o chão de madeira e os lustres clássicos de cristal com globos espelhados. O público é predominantemente composto por pessoas entre 25 e 30 anos e o house e disco tomam conta das pistas até de manhã. Horário de Funcionamento: quarta a sábado, a partir das 23h30. End.: Rua Augusta, 3000 – Cerqueira César – São Paulo.
Preço: de R$ 50 a R$ 200.
Tel.: (11) 4328-3001. PINK ELEPHANT: Filial do clube de mesmo nome localizado em Miami, Estados Unidos, o Mynt Lounge é dividido em duas pistas: uma de hip hop (que costuma lotar após as 3h da manhã) e outra de house e disco. A decoração é formada por um conjunto de telões de LED, em um ambiente bem moderno e elegante. Horário de Funcionamento: quinta a sábado, a partir das 0h.
End.: Rua Clodomiro Amazonas, 482 – Vila Nova Conceição – São Paulo.
Preço: de R$ 50 a R$ 200.
Tel.: (11) 3071-0004. CARIBBEAN DISCO CLUB: Aberto as quintas, sextas e sábados, o club conta com ambientes separados por vários níveis, um lounge com mobília francesa, bares, sistema de som, iluminação com alta tecnologia e três camarotes (Cancun, Aruba e VIP) com atendimento exclusivo feito por hostesses e garçonetes. Segundo André Leão, gestor do Caribbean Disco Club “a ideia é surpreender a cada noite, com uma vibe especial”. Site: http://caribbeandiscoclub.com.br/sp/ Endereço: Rua dos Pinheiros, 1275 - Pinheiros LAB CLUB: Famosa pelo cardápio com drinks moleculares, a balada tem dois dias por mês dedicados aos amantes de música eletrônica. É que o primeiro e o último sábado do mês contam respectivamente com a Pixel Party e a Booty Call, que além de oferecer muitas promoções de drinks, também passa por todas as vertentes da música eletrônica. Os preços são a partir de R$ 30. Rua Augusta, 523 Consolação - Centro - (011) 3159-1746
- terça , quinta e sábado : 23h (http://www.labclub.com.br) DISCO CLUB: a casa já serviu de espaço para festas particulares de famosos como Gisele Bündchen e Naomi Campbell. Com o conceito de receber poucos clientes, mas exigentes, a Disco oferece um ambiente de glamour com o melhor do house music. – R. Professor Atílio Innocenti, 160 – Itaim - Quarta, sexta e sábado das 23h ao último cliente. - http://www.clubdisco.com.br CLUB A: Desde 2009 instalada no lobby do hotel Sheraton, a casa aposta numa decoração requintada para atrair moças e rapazes endinheirados com mais de 35 anos. Coqueiros de cristal feitos à mão, além de telas sensíveis ao toque nas mesas para pedir um drinque chamam a atenção de quem curte tecnologia. No som, shows de jazz, MPB e flashbacks embalam as festas, sempre regadas a champanhe. - Avenida Nações Unidas, 12.559 Vila Cordeiro - Sul - quinta e sábado : 21h - (011) 3043-8343
www.clubasaopaulo.com.br CLASH CLUB: Há seis anos o Clash Club está na lista dos favoritos de muitas pessoas, afinal além de ser um ambiente grande e agradável, a casa também investe em atrações gringas - principalmente para as noites de música eletrônica. As festas são variadas, mas entre as quintas e sábados a casa promove festas de música eletrônica – que bombam. Mulheres são VIPs até 1h, e a média de preço para homens é R$ 70 consumação.Rua Barra Funda, 969 - Barra Funda - (011) 3661-1500 - terça, sexta e sábado: 23h - 
www.clashclub.com.br 2. GLS THE WEEK: Sem dúvida, trata-se da mais famosa balada gay da cidade. Com filiais no Rio de Janeiro e em Florianópolis, costuma receber cerca de 2 500 pessoas por fim de semana em um megaespaço de 3 200 metros quadrados. O salão principal fervilha ao som de batidas de house, tribal e progressive, enquanto outro ambiente, repleto de quadrados coloridos, sacode com faixas dos mesmos gêneros, porém mais conhecidas. A casa acaba de inaugurar uma terceira pista, dedicada ao pop. Uma ampla área externa, adornada com uma piscina, recebe a turma ávida por ar fresco. Site: http://www.theweek.com.br Endereço: Rua Guaicurus, 324 - Lapa HOT HOT: Em meio a facilidades como a compra de ingresso antecipada para evitar filas e comanda pré-paga, o clube localizado na Rua Santo Antônio oferece uma das noites gays mais divertidas de São Paulo nas quintas-feiras. A promessa do clube é surpreender seus convidados com a decoração impecável inspirada nos anos 70 com um toque futurista. Além disso, a casa oferece pocket shows e festas temáticas. Diversão garantida! Endereço: Rua Santo Antônio, 570 - Bela Vista - São Paulo - SP Telefone: (11) 2985 8685 CLUBE GLORIA: É o clube mais fashionista de São Paulo, pois além de Andre Hidalgo - seu proprietário - ser idealizador da Casa de Criadores, o público não deixa a desejar no quesito “montação”. Um lugar para ver e ser visto, dançar música pop e ferver na pista até de manhã – as noites gays são nas sextas e sábados. O ambiente também não deixa a desejar, afinal toma espaço em uma antiga igreja no tradicional bairro do Bixiga. Não economize no make, plumas, leggings e acessórios ultrajantes, O.K.? Endereço: R. Treze de Maio, 830 - Bela Vista, São Paulo, 01327-000 Telefone:(11) 3287-3700 YATCH: Ainda é quarta-feira, mas a vontade de sair está falando mais alto? Não se preocupe, pois a festa LUX, no Club Yatch, foi feita para você. Como o próprio nome já diz, a casa noturna localizada na Rua 13 de maio, foi inteira inspirada no universo marítimo, e a cereja do bolo são os barman vestidos de marinheiro. Mergulhe nesse fervo e comece a semana com o pé direito, ao som do melhor da música pop. Fica a dica, tá? Rua 13 de maio, 701 - Bela Vista - http://www.clubyacht.com.br BLITZ HAUS: A nova casa na Rua Augusta já se tornou pedida para o público gay moderninho. Nas quintas-feiras, o projeto Gato Mia promete retomar os ânimos para os baladeiros semanais. Lucas Dannvie, Bruno Machado e Felippe Negrão trazem uma festa para quem curte algo de qualidade, acima de qualquer coisa - porque o mais importante é dizer no final que valeu a pena chegar mais tarde nos estudos ou no trabalho, não é mesmo? Prepare-se para dançar ao som de muito pop – e cercado por boys magia. Rua Augusta 657 - Consolação http://www.blitzhaus.com.br A LÔCA: Ponto fervido na Rua Frei Caneca, a boate-inferninho conquistou o público paulistano e abala a região há quinze anos. Disco, house, rock e pop animam os habitués, que se jogam na pista em clima de amizade e paquera. A Lôca criou festas clássicas como a Tapa na Pantera, às terças, a Loucuras, às quintas, e a Grind, aos domingos. Atuações excêntricas de drag queens costumam dar o ar da graça às quintas e aos domingos no clube que acaba de passar por uma reforma. Parte da decoração agora é arranjada com material reciclado. Rua Frei Caneca - 916, Cerqueira César, São Paulo, 01307-000 3. ALTERNATIVAS ALBERTA #3: O nome é uma homenagem a Bob Dylan, que lançou em 1970 duas canções chamadas "Alberta #1" e "Alberta #2". Situado num dos endereços mais charmosos de São Paulo, no tradicional Conjunto Zarvos, o clube possui três andares --um bar em cada um deles-- e carta de drinques exclusiva. Na programação, muito rock, soul, jazz e electro. Av. São Luís, 272 - República, São Paulo, 01046-000 BECO 203: O Beco 203 é uma filial de um clube de Porto Alegre e pretende ser uma mistura de balada com casa de shows de rock. Esfumaçado, o ambiente do Beco 203 ganhou mais um bar, luminárias chamativas e quatro postes de pole dance, muito disputados pelos frequentadores. Os toca-discos são sustentados por um fogão e uma lavadora de roupas de estilo retrô. Enfeitam as paredes desenhos femininos do artista Camilo Meneghetti. No andar de cima, o pessoal repõe as energias em um lounge. Trinta drinques com nome de artistas fazem parte do vasto cardápio. Entre eles, o Cindy Lauper, que leva cointreau, vodca e sucos de limão e cranberry. Endereço: Rua Augusta, 609 - Consolação - São Paulo - SP Telefone: (11) 2339 0351 ou (11) 2339 0358 FUNHOUSE: A Funhouse é uma das principais casas de rock e indie de São Paulo, que atrai um público jovem e descolado. Localizada num antigo casarão da Rua Bela Cintra, em São Paulo, conta com pista cheia de luzes e banheiro com labirinto de espelhos. Endereço: R. Bela Cintra, 567 - Consolação, São Paulo, 01415-000 Telefone:(11) 3259-3793 4. CASAS ESPECIALIZADAS Aqui eu vou fazer uma pequena subdivisão, para ficar mais fácil de ver quais os clubes mais legais e que mais te interessa. SERTANEJO OUTLAWS: Mais nova balada sertaneja da capital, localizada na boêmia Rua Augusta. A casa é de propriedade de Anderson Ricardo, empresário de Luan Santana, e Marcus Buaiz, velho conhecido da noite paulistana. O foco da Outlaws é o público A. A casa funciona de quinta a domingo. Dia mais quente: quinta-feira. Site: http://outlawssp.com.br/ Endereço: R. Augusta, 2805 - Jardim Paulista Telefone(s): (11) 3062-8548 | (11) 3062-8575 VILLA MIX: Outra opção relativamente nova para os paulistanos que gostam de sertanejo universitário é o Villa Mix. De propriedade da dupla Jorge & Matheus, a casa também foca num publico mais elitizado. O próprio Villa Mix se intitula como uma “casa noturna voltada para um público seleto, exigente e de extremo bom gosto”. O Villa Mix funciona de quarta, sexta e sábado, a partir das 22h30. Dia mais quente: quarta-feira.
 Site: http://www.villamixsp.com.br Endereço: Rua Beira Rio, 116 - Vila Olímpia - São Paulo WOOD’S BAR: O Wood’s é a filial paulista de uma casa que é sucesso no sul do país. O Wood’s São Paulo foi inaugurado no final de 2010 e um de seus proprietários é Sorocaba, da dupla Fernando & Sorocaba. A balada segue a linha do Outlaws e do Villa Mix, foca no público A. Os shows rolam as quartas, sextas e sábados. Dia mais quente: quarta-feira. Site: http://www.portalwoods.com.br/ Endereço: Rua Quatá, 1016 - Vila Olímpia VILLA COUNTRY: O Villa Country é a casa sertaneja mais tradicional de São Paulo. Com uma estrutura gigantesca, que conta com palco, restaurante, pista de dança, bares, lojas e mesas de bilhar, tudo dividido em mais de 12 mil metros quadrados, o clube reúne até cinco mil pessoas por noite. O Villa Country funciona de quinta a domingo. Dias mais quentes: sábado ou em dias de show.
 Site: http://www.villacountry.com.br Endereço: Av. Francisco Matarazzo, 774 ROCK MORRISON ROCK BAR: Casa da Vila Madalena especializada em rock clássico, cujo nome homenageia o vocalista da banda The Doors. A programação do Morrison conta com shows ao vivo de diversas bandas cover. O público é formado por roqueiros de todas as idades, que possuem preferência pelo rock clássico. Site: http://www.morrison.com.br Endereço: R. Inácio Pereira da Rocha, 362 - Vila Madalena MANIFESTO BAR: Casa de hard rock e heavy metal localizada no bairro do Itaim, com diversos shows ao vivo de bandas conhecidas no cenário nacional. Membros de famosos grupos internacionais já passaram por lá, entre eles Deep Purple, Metallica, Iron Maiden, Ramones, Motörhead e Red Hot Chilli Peppers. Além dos shows ao vivo, a casa possui também DJs residentes. Site: http://www.manifestobar.com.br/ Endereço: R. Iguatemi, 36 - Itaim Bibi PAGODE SANTA ALDEIA: Não poderíamos começar a listar as principais casas, sem antes citar o Santa Aldeia, afinal a casa é sucesso absoluto quando o assunto é axé e pagode. É que é lá que os principais grupos se apresentam, além de o espaço ser grande e rolar feijoada com música ao vivo aos sábados. Se você curte pagode, lá é o seu lugar! Mulheres são VIP e homens a partir de R$ 25. Site: http://www.santaaldeia.com.br/ Endereço: R. Beira Rio, 113 - Vila Olímpia CARIOCA CLUB: Localizada no bairro de Pinheiros, próximo ao Largo da Batata, a casa investe em uma ampla programação de shows aos fins de semana. Fique de olho na programação, pois de sexta a domingo o Carioca Club recebe os grandes nomes do samba, axé e pagoda. A partir de R$ 20. Site: http://www.cariocaclub.com.br Endereço: R. Cardeal Arcoverde, 2899 - Pinheiros CABRAL: Localizado no Tatuapé, o Cabral é um dos nomes mais populares quando o assunto é balada de pagode e funk, afinal, a programação da casa começa na sexta-feira e se estende até a manhã de terça – com direito a matinê no domingo e tudo mais -, para ninguém por defeito. Além disso, é um ambiente grande que comporta até quatro mil pessoas. A partir de R$ 10. Av. Salim Farah Maluf, 1500 - Tatuape São Paulo, 03157-200 (11) 2605-3666 ESPAÇO SANTA CLARA: Se você curte mesmo é samba, seu lugar é no Espaço Santa Clara, afinal a casa foi inspirada em Jorge Ben Jor e oferece uma programação regada ao melhor do samba de raiz. Além disso, está localizada em Perdizes e sua decoração é um mix de rústico, conforto e tecnologia. Mulheres são VIPs, e os homens a partir de R$ 30. Site: http://www.espacosantaclara.com.br Endereço: R. João Ramalho, 1085 - Perdizes
  16. NOITE EM SÃO PAULO – Um guia da noite paulistana! A noite de São Paulo já foi considerada por jornais internacionais como The New York Times e The Guardian como uma das melhores da América Latina e não é exagero dizer que está entre as mais animadas do mundo. O problema é que são tantas opções que às vezes fica difícil escolher onde ir. De cinema a baladas, passando por passeios aos parques, bares, museus e teatros. A ideia aqui é agrupar todos – ou pelo menos grande parte – dos programas que você pode fazer durante a noite na grande São Paulo.
  17. Giika, depende muito dos seus interesses. A Argnetina é muito mais parecida com o Brasil, mas tem lugares maravilhosos. Buenos Aires é uma cidade de agito, tem varias baladas e bares, gente que gosta de andar por cidade, ver prédios, bairros originais, vai gostar mais. Longe da cosmopolita Buenos Aires você vai encontrar a Argentina mais natural. Da uma olhada nesse topico, ele da um especificada dos locais que tem no pais: argentina-guia-de-informacoes-t15626.html O Chile é bem diferente. Até Santiago te faz parecer que você não está na America do Sul, tão proximo do Brasil. Vina Del Mar, Vales Nevados e Valparaiso são bem legais tambem, e ficam ali do ladinho de Santiago. Fora a capital, você ainda vai ter o Deserto do Atacama e o sul do continente, com os vale dos lagos, que é fantastico.Vale dar uma lida: chile-guia-de-informacoes-t15707.html Você tem que escolher pelo que procura. Eu optei em ir pra BsAs e depois pra Santiago, tudo na mesma viagem. 7 dias em cada, valeu MUITO a pena. Boa sorte ai com sua viagem. Beijos
  18. HAppy House Hostel sempre, Lazlorenan
  19. Olá mochileiros, quando fui mochilar entre Argentina e Chile encontrei muitas pessoas, mas Ayesha (dona do Blog) foi uma das que mais me chamou atenção. Ela tinha deixado a vida dela inteira em Londres para viajar pelo mundo. Na época que eu a encontrei no hostel no Chile, ela ainda estava montando seus trajetos, decidindo se ia para cima ou para baixo. Trocamos contatos e ela me passou o blog, que venho acompanhando e recolhendo um monte de dicas. Está em inglês, mas ela escreve bem facil, então da pra entender. Vale muito a pena dar uma olhada: http://purpleish.com Bom, é essa a minha dica! Abraços.
  20. Happy House Hostel, Marcela!
  21. Cara, pra eu fiquei em dois Hostels ai em Santiago: o Ventana Sur e o Happy House Hostel. O segundo eu aconselho muito, pela limpeza, por ter sido bem recebido, pelo café da manhã e pela localização. Ele fica perto de dois mercados, e tambem da Av. Brasil, que tem varios bares legais. O preço não é muito alto, então o custo beneficio vale a pena.
  22. Ta dificil aqui hhaah alguma sugestão de hotel em Florenca, Veneza é Milao bem barato? Nao queria um hostel mas tambem nao precisa ter muita coisa, so quarto com banheiro individual.
×
×
  • Criar Novo...