Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Feilke

Membros
  • Total de itens

    10
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Acho que tu vai gostar bastante, sao lugares bem bacanas! Caraivas queria ter ido... Em termos de preço, as empresas de porto seguro cobram pelos passeios por volta de 30 por pessoa, e uns 80 para a praia do espelho. Mas tu pode ir sozinha na maioria. As barcas de porto seguro te levam a arraial por uns 3 reais, de la tu pega as vans que ficam na praca e te levam para qqer lugar quase por 2,50 a 5 reais. O problema é a alimentacao na praia, que é bem cara principalmente em trancoso e na praia do espelho. Para almocar na praia tu vai gastar no minimo 50 reais. De noite é mais tranquilo, arraial tem mtassss opcoes, trancoso dizem que é lindo, fica bem iluminado, mas tem menos opcoes. Acho que é isso, se tiver mais dúvidas é só falar! Bjs
  2. Feilke

    Morro de São Paulo

    Cara, acho que dá, mas pega uma empresa grande, se der problema é mais fácil de processar hehe
  3. Feilke

    Morro de São Paulo

    Emotta, o trecho Morro Salvador, por meio do catamarã leva por volta de 2h30min. N. Tem algumas lanchas rápidas que fazem o mesmo trecho em torno de 1h, e elas começam cedo. Bom seria tu chegando em Morro já falar com o pessoal das lanchas e ver a possibilidade. Não tenho certeza se elas fazem Morro direto pra Salvador, mas acho que sim! Mas mais seguro mesmo é ir no dia anterior ou, se quiser gastar mais, tem umas empresas de turismo que fazem o transfer morro aeroporto. Abraços!
  4. Feilke

    Morro de São Paulo

    Cara, pega a lancha em morro que vai te levar pra valenca. De la tem onibus pra varios lugares, acho q ate pra minas. Se n tiver pra minas tu pega um pra ilheus ou salvador, cidades grandes, que la certamente vai ter. Espero ter ajudado abs
  5. Cara, de porto seguro a itacare ou morro é um longo caminho, acho que umas 6 horas, depende se tu vai de carro ou tem passagem saindo de porto seguro. Porto é bem divertido e tem umas praias legais, talvez seja melhor curtir a volta ali mais os arredores, bem tranquilo, do que fazer todo o deslocamento pra ficar um ou dois dias. Arraial é bem bacana de noite, tem trancoso e a praia do espelho tb. Se tu tiver a fim de conhecer as piscinas naturais de recife de fora (passeio feito em porto seguro) tu tem que ir na lua nova ou cheia. Pelo que eu vi a lua nova vai comecar em 10 de fevereiro, entao tem q ser no maximo ate o dia 15. Te informa la e perguntasobre as condicoes da mare, eles n falam mt sobre isso pra n perder o passeio. Se precisar de mais dicas é só falar! Abraços!
  6. Feilke

    Itacaré

    Itacaré é uma cidade praiana não tão pequeninha. Quando você chega, não dá nada por ela, parece um lugar feio, especialmente quem vem de Morro de São Paulo pela Rodoviária, que é o nosso caso. Depois, você só se surpreende. Chegando na orla, há a praia das conchas, praia bem feinha, com areia misturada com muitas conchinhas que torna difícil de caminhar. Ali, é a praia mais perto do centro, tem lugares onde as vezes rolam um shows (ia rolar mano chão por exemplo). É uma praia praticamente sem ondas, onde é legal curtir o por do sol. Caminhando mais a frente, há umas praias mais bonitas, bem pequenas, com ondas para surf. A primeira é Resende, que vale a pena só passar. Depois, vem a Tiririca, bem do lado, só andar um pouquinho, praia bem de surfista e tem uma barraca lá pra cima. Subindo umas pedras vem a praia da cosa e depois a Ribeira, outras praias bem pequenas, coladas uma na outra. Seguindo por uma trilha a partir da Ribeira, há a Prainha, que é considerada uma das praias mais bonitas do Brasil. Talvez seja um pouco de exagero, mas é uma praia bem bonita. No nosso caso, pagamos um guia (R$ 20 por pessoa) para nos levar. Há muitos relatos de que Itacaré não é seguro e tal, não sei até que ponto isso é verdade ou é feito para os turistas usarem os guias. Afinal, eles vivem disso. Há muita pressão para contrata-los, se quiser ir sozinho vá preparado para dizer não. A trilha para a prainha não é muiiiito difícil, é complicadinha só. Tem dois pontos onde há dois caminhos e pode haver erro, retornando ao início da trilha, que aliás é bem cansativa, com subidas, dá em torno de 1h30min de caminhada, tem que ter um pouco de preparo. A praia não tem infraestrutura, então o bom é ir cedo e sair para almoçar em algum lugar, perto da Ribeira tem vários. O caminho não tem nenhuma sinalização, acho que tudo lá é de propósito, obrigando você a contratar um guia. No outro dia, fizemos o passeio das 4 praias, Engenhoca, Havaizinho, Itacarezinho e Canoinha. Passeio bem legal, dá pra fazer tudo no mesmo dia bem tranquilo Itacarezinho é uma baita duma praia, mas só tem uma barraca e ela é bem cara! Então levem comida para o passeio. Além desses passeios, há o para Jeribucaçu que dizem ser bem bonito e o para Maraú, onde há piscinas naturais, o qual não fizemos devido à época de maré morta (a maré não fica boa para ver devido à fase da lua). De noite, Itacaré ferve! A noite de Itacaré é surpreendente, de dia parece um lugar deserto, de noite, borbulha! Há uma rua que tem toda a movimentação, a pituaçu. Lá você caminha caminha e caminha e há restaurantes e lojinhas para tudo que é lado. Não passa carro na rua. Vale muito a pena, lugar muito legal para ir de noite, cheio de comida boa e a um preço acessível. Ainda tem vários lugares para tomar drinks!
  7. Feilke

    Morro de São Paulo

    Para ir a Morro de São Paulo desde Salvador, optamos por comprar com grande antecedência o catamarã pela empresa biotur, no valor de R$ 75 por pessoa. Há a opção de lanchas na hora, que são bem mais baratas e rápidas, mas balançam bem mais e podem molhar as coisas. Para comprar, mesmo em alta temporada, havia vagas um dia antes, então não há pq comprar com tanta antecedência. A saída das lanchas fica bem do lado do Mercado Modelo, fácil de chegar. A viagem foi um pouco longa, acho que 2h30min, e é bem cansativa, não balança quase nada, mas igual, para quem sente enjoo, é melhor tomar um Dramin. Chegando em Morro de São Paulo, vai ter muita gente, já no porto, oferecendo carrinho para levar a sua bagagem. Não aceitei, mas parece que era R$ 20 por mala, se não me engano. O bom é ver aonde é a pousada. Se for na Primeira Praia ou ali no Centro, perto da fonte ou perto da praça, é tranquilo de ir caminhando, muito embora tenha uma subidinha bem íngreme logo na chegada, nada muito absurdo. Agora, se for para segunda praia já fica um pouco mais longe para ir carregando mala, se a mala não for pesada ainda dá para ir tranquilo. A partir da terceira e quarta praia eu já acho muito longe para ir carregando a mala, seria melhor pagar a um dos carregadores para não passar trabalho. Bom, quem chega em Morro de São Paulo tem a sensação única de estar em uma pequena cidade (uma ilha na verdade) muito bonita e agradável. O lugar é maravilhoso e a energia que rola lá deixa qualquer um morrendo de amores por Morro. Todo mundo se conhece, então não há perigo de assaltos nem nada do gênero, a cidadezinha é perfeita e muito tranquila!!! Tem várias opções de comida na rua da praia principal, desde panquecas e pratos feitos até rodízio de pizza. Tudo muito bom e com um preço bem acessível. Na segunda praia, à beira, temos restaurantes um pouco mais caros. A cidade de noite é muito bonita, dá vontade de ficar caminhando a noite inteira pelo pequeno centro. Recomendo que comprem tortinhas, empadinhas e outras guloseimas de um senhor de cabelo branco que passa com um carrinho a partir das 16h mais ou menos. É tudo feito a mão por sua filha e esposa, sensacional!!! Quanto às praias, elas são bem perto uma da outra. A primeira e a segunda são bem do lado do agito. A primeira menos badalada e a segunda cheia de guarda-sóis e barracas. A terceira já é mais vazia e a quarta então, bem mais. Mas todas são bem perto, e lindas! O passeio por volta da ilha é bem bonito, mas vale muito mais a pena quando a maré estiver baixa. Isso terá que ser na lua nova ou cheia, conferindo o horário da maré. Cuide para não ter muito vento, ou no dia anterior não ter chovido, se não você vai achar que eu estou mentindo. Na maré baixa, no meio do mar, formam-se piscinas naturais, a parte mais linda da viagem. Há também o banho de argila em Gamboa, que facilmente dá para ir a pé a partir do Morro. Saindo de Morro, há a lancha rápida e a lenta, além, é claro, das empresas que fazem transfer para outras cidades. Ambas as lanchas levam à cidade de Valença, aonde se pode ir de ônibus para qualquer lugar. A lancha rápida custa por volta de R$ 16 e demora menos de uma hora (35-45 min) e a lenta custa por volta de R$ 6 e demora 1h30min. Fomos com a rápida para Valença, foi bem tranquilo, vale a pena. De lá pegamos ônibus para Itacaré. As lanchas rápidas passam de hora em hora. Cuidado com os bancos, lembro de ter visto um bradesco, além do Banco do Brasil lá em morro. Na épcoa de maior movimento, o dinheiro acaba e fica as vezes um dia sem.
  8. Feilke

    Salvador

    Olá mochileiros, venho fazer o relato da viagem que eu e minha namorada fizemos para a Bahia entre 26/12/12 e 10/01/13. Primeiramente, o destino inicial foi Salvador, para onde pegamos avião desde Porto Alegre, chegando lá pelo meio da manhã do dia 26, com uma hora ganha, afinal a Bahia é um dos poucos estados brasileiros que não adota o horário de verão. Fiz a opção de alugar um carro para passar os 3 dias em Salvador. Aluguei por um preço bom para os padrões brasileiros, R$ 100 a diária com o seguro, em um carro equipado com ar-condicionado. Fica a dica para alugarem pelo site rentcars.com.br, que dá bons descontos na hora do aluguel. Acabei pegando um carro da Avis, que teve um atendimento bom, sem nenhum problema. Contudo, para quem vai de bus, tem um ônibus que passa lá no Aeroporto que vai para a Praia da Barra, onde fiquei hospedado. É bem barato, menos de R$ 5... Tenham cuidado ao pedir informações no Aeroporto, pois eu havia perguntado na banca de informações turísticas e me passaram informações erradas! Salvador, em si, é uma cidade grande, e, como tal, tem um trânsito caótico e bem complicado. Para quem vem de outra metrópole (Porto Alegre), não é a melhor sensação ter que pegar um trânsito louco justamente nas férias. Na Bahia, especialmente em Salvador, não há muita organização das ruas, fica a sensação que vem carro de tudo que é lado! As pessoas, em sua maioria, dirigem agressivamente, e não se dão ao trabalho de dar sinal se vão dobrar. Nos três dias que aluguei o carro, conseguiram bater atrás de mim com o trânsito parado duas vezes! Mas parece que eles já estão acostumados, porque quando ocorreram as batidas os motoristas nem deram muita bola, como se fosse algo corriqueiro. Ou seja, me arrependi um pouco de ter alugado o carro. Se for para fazer as praias ao norte de salvador, com certeza vale a pena, mas dentro de Salvador eu já não tenho tanta certeza. Quanto aos pontos turísticos da cidade, vale a pena dar uma passada no Dique de Tororó, que tem estátuas de orixás bem bonitas e fica em frente do local onde está sendo construído a nova Arena da Fonte Nova, estádio do Bahia que vai sediar jogos da Copa. Está ficando bem bacana! A área central vale a visita também, o Mercado Modelo e seus arredores, vale conferir. Ali do lado tem o elevador Lacerda, que tem uma grande fila e não é grande coisa. Quando eu fui só tinha um funcionando, então estava bem cheio. Só vale a pena pra dizer que você andou no elevador, pq ele não tem nada de especial, tirando sua parte histórico-cultural. A segurança do centro me pareceu boa dentro do contexto das capitais. Claro, há muita gente pedindo e oferecendo coisas, mas você tem que ter jogo de cintura para recusar, como em qualquer cidade turística. Na subida do elevador tem o Pelourinho, local muito bonito, vale muito a pena conferir. Fiquei com remorso de não ter ido de noite, parece ser movimentado e bem bonito. Sobre os relatos de insegurança do Pelourinho, na minha ida não senti qualquer medo ou receio. Andava com câmera na mão e tirando fotos de tudo, bem turistão, mas me senti seguro. Havia policiais por todo lado e muitos turistas. Ou seja, vá ao Pelourinho, não precisa ficar com medo! Tive também a oportunidade de conferir o por do sol no Museu de Arte Moderna, no Solar do Unhão, que é bem bonito. Quanto ao museu, não havia nada de muito especial por lá... As praias de Salvador não são tão boas assim. Claro, perto das do RS são maravilhosas, mas comparadas com as do restante da Bahia são menos bonitas. Eu recomendaria ir para as praias do norte. Quanto a essas só consegui ir a Salvador tendo em vista o terrível trânsito que peguei para ir para o norte, acho que era pq a época não favoreceu, véspera de fim de semana que precedia o ano novo. Creio que indo durante a semana não haverá problemas de trânsito. Quanto à Praia do Forte, única que consegui ir, de fato ela é bem bonita, mas tudo lá é muito caro! O Projeto Tamar tem que pagar 16 reais por pessoa, com meia entrada para estudante (leve sua carteira de estudante!!). Na Bahia, contudo, você tem que estar ligado nas fases da Lua e nas tábuas de marés para poder aproveitar de verdade. As piscinas naturais se formam principalmente nas fases lunares cheia e nova, na maré baixa. Fique ligado nisso, fui no horário errado nas piscinas naturais e não aproveitei tanto. Em resumo geral, Salvador foi a cidade que menos gostei, principalmente devido ao trânsito e a cara de cidade grande que ela tem. Ninguém quer sair de um cidade grande para passar as férias em algo bem parecido com o que vê no dia-a-dia. Se for viajar a Bahia, passe por Salvador apenas um dia, eu recomendaria... As praias do Norte valem a pena conferir, mas só se tiver tempo, pois a região sul da Bahia guarda praias incríveis! Quanto à estadia, fiquei em um flat na praia da Barra, bem barato ao meu ver, 120 a diária para duas pessoas, com um bom quarto e uma piscina. Os bairros da Barra e Ondina parecem ser bem bons, andava tranquilo à noite por eles. Mas talvez eu tivesse ficado no Pelourinho, onde há alguns hostels... Depende do seu estilo... De noite, vale a pena ir no Rio Vermelho, onde há mais agito, mas também não é lá essas coisas! Claro, tudo isso é a minha opinião, Salvador deixou a desejar, mas pode agradar a outras pessoas, depende do estilo!
  9. SALVADOR Olá mochileiros, venho fazer o relato da viagem que eu e minha namorada fizemos para a Bahia entre 26/12/12 e 10/01/13. Primeiramente, o destino inicial foi Salvador, para onde pegamos avião desde Porto Alegre, chegando lá pelo meio da manhã do dia 26, com uma hora ganha, afinal a Bahia é um dos poucos estados brasileiros que não adota o horário de verão. Fiz a opção de alugar um carro para passar os 3 dias em Salvador. Aluguei por um preço bom para os padrões brasileiros, R$ 100 a diária com o seguro, em um carro equipado com ar-condicionado. Fica a dica para alugarem pelo site rentcars.com.br, que dá bons descontos na hora do aluguel. Acabei pegando um carro da Avis, que teve um atendimento bom, sem nenhum problema. Contudo, para quem vai de bus, tem um ônibus que passa lá no Aeroporto que vai para a Praia da Barra, onde fiquei hospedado. É bem barato, menos de R$ 5... Tenham cuidado ao pedir informações no Aeroporto, pois eu havia perguntado na banca de informações turísticas e me passaram informações erradas! Salvador, em si, é uma cidade grande, e, como tal, tem um trânsito caótico e bem complicado. Para quem vem de outra metrópole (Porto Alegre), não é a melhor sensação ter que pegar um trânsito louco justamente nas férias. Na Bahia, especialmente em Salvador, não há muita organização das ruas, fica a sensação que vem carro de tudo que é lado! As pessoas, em sua maioria, dirigem agressivamente, e não se dão ao trabalho de dar sinal se vão dobrar. Nos três dias que aluguei o carro, conseguiram bater atrás de mim com o trânsito parado duas vezes! Mas parece que eles já estão acostumados, porque quando ocorreram as batidas os motoristas nem deram muita bola, como se fosse algo corriqueiro. Ou seja, me arrependi um pouco de ter alugado o carro. Se for para fazer as praias ao norte de salvador, com certeza vale a pena, mas dentro de Salvador eu já não tenho tanta certeza. Quanto aos pontos turísticos da cidade, vale a pena dar uma passada no Dique de Tororó, que tem estátuas de orixás bem bonitas e fica em frente do local onde está sendo construído a nova Arena da Fonte Nova, estádio do Bahia que vai sediar jogos da Copa. Está ficando bem bacana! A área central vale a visita também, o Mercado Modelo e seus arredores, vale conferir. Ali do lado tem o elevador Lacerda, que tem uma grande fila e não é grande coisa. Quando eu fui só tinha um funcionando, então estava bem cheio. Só vale a pena pra dizer que você andou no elevador, pq ele não tem nada de especial, tirando sua parte histórico-cultural. A segurança do centro me pareceu boa dentro do contexto das capitais. Claro, há muita gente pedindo e oferecendo coisas, mas você tem que ter jogo de cintura para recusar, como em qualquer cidade turística. Na subida do elevador tem o Pelourinho, local muito bonito, vale muito a pena conferir. Fiquei com remorso de não ter ido de noite, parece ser movimentado e bem bonito. Sobre os relatos de insegurança do Pelourinho, na minha ida não senti qualquer medo ou receio. Andava com câmera na mão e tirando fotos de tudo, bem turistão, mas me senti seguro. Havia policiais por todo lado e muitos turistas. Ou seja, vá ao Pelourinho, não precisa ficar com medo! Tive também a oportunidade de conferir o por do sol no Museu de Arte Moderna, no Solar do Unhão, que é bem bonito. Quanto ao museu, não havia nada de muito especial por lá... As praias de Salvador não são tão boas assim. Claro, perto das do RS são maravilhosas, mas comparadas com as do restante da Bahia são menos bonitas. Eu recomendaria ir para as praias do norte. Quanto a essas só consegui ir a Salvador tendo em vista o terrível trânsito que peguei para ir para o norte, acho que era pq a época não favoreceu, véspera de fim de semana que precedia o ano novo. Creio que indo durante a semana não haverá problemas de trânsito. Quanto à Praia do Forte, única que consegui ir, de fato ela é bem bonita, mas tudo lá é muito caro! O Projeto Tamar tem que pagar 16 reais por pessoa, com meia entrada para estudante (leve sua carteira de estudante!!). Na Bahia, contudo, você tem que estar ligado nas fases da Lua e nas tábuas de marés para poder aproveitar de verdade. As piscinas naturais se formam principalmente nas fases lunares cheia e nova, na maré baixa. Fique ligado nisso, fui no horário errado nas piscinas naturais e não aproveitei tanto. Em resumo geral, Salvador foi a cidade que menos gostei, principalmente devido ao trânsito e a cara de cidade grande que ela tem. Ninguém quer sair de um cidade grande para passar as férias em algo bem parecido com o que vê no dia-a-dia. Se for viajar a Bahia, passe por Salvador apenas um dia, eu recomendaria... As praias do Norte valem a pena conferir, mas só se tiver tempo, pois a região sul da Bahia guarda praias incríveis! Quanto à estadia, fiquei em um flat na praia da Barra, bem barato ao meu ver, 120 a diária para duas pessoas, com um bom quarto e uma piscina. Os bairros da Barra e Ondina parecem ser bem bons, andava tranquilo à noite por eles. Mas talvez eu tivesse ficado no Pelourinho, onde há alguns hostels... Depende do seu estilo... De noite, vale a pena ir no Rio Vermelho, onde há mais agito, mas também não é lá essas coisas! Claro, tudo isso é a minha opinião, Salvador deixou a desejar, mas pode agradar a outras pessoas, depende do estilo! MORRO DE SÃO PAULO Para ir a Morro de São Paulo desde Salvador, optamos por comprar com grande antecedência o catamarã pela empresa biotur, no valor de R$ 75 por pessoa. Há a opção de lanchas na hora, que são bem mais baratas e rápidas, mas balançam bem mais e podem molhar as coisas. Para comprar, mesmo em alta temporada, havia vagas um dia antes, então não há pq comprar com tanta antecedência. A saída das lanchas fica bem do lado do Mercado Modelo, fácil de chegar. A viagem foi um pouco longa, acho que 2h30min, e é bem cansativa, não balança quase nada, mas igual, para quem sente enjoo, é melhor tomar um Dramin. Chegando em Morro de São Paulo, vai ter muita gente, já no porto, oferecendo carrinho para levar a sua bagagem. Não aceitei, mas parece que era R$ 20 por mala, se não me engano. O bom é ver aonde é a pousada. Se for na Primeira Praia ou ali no Centro, perto da fonte ou perto da praça, é tranquilo de ir caminhando, muito embora tenha uma subidinha bem íngreme logo na chegada, nada muito absurdo. Agora, se for para segunda praia já fica um pouco mais longe para ir carregando mala, se a mala não for pesada ainda dá para ir tranquilo. A partir da terceira e quarta praia eu já acho muito longe para ir carregando a mala, seria melhor pagar a um dos carregadores para não passar trabalho. Bom, quem chega em Morro de São Paulo tem a sensação única de estar em uma pequena cidade (uma ilha na verdade) muito bonita e agradável. O lugar é maravilhoso e a energia que rola lá deixa qualquer um morrendo de amores por Morro. Todo mundo se conhece, então não há perigo de assaltos nem nada do gênero, a cidadezinha é perfeita e muito tranquila!!! Tem várias opções de comida na rua da praia principal, desde panquecas e pratos feitos até rodízio de pizza. Tudo muito bom e com um preço bem acessível. Na segunda praia, à beira, temos restaurantes um pouco mais caros. A cidade de noite é muito bonita, dá vontade de ficar caminhando a noite inteira pelo pequeno centro. Recomendo que comprem tortinhas, empadinhas e outras guloseimas de um senhor de cabelo branco que passa com um carrinho a partir das 16h mais ou menos. É tudo feito a mão por sua filha e esposa, sensacional!!! Quanto às praias, elas são bem perto uma da outra. A primeira e a segunda são bem do lado do agito. A primeira menos badalada e a segunda cheia de guarda-sóis e barracas. A terceira já é mais vazia e a quarta então, bem mais. Mas todas são bem perto, e lindas! O passeio por volta da ilha é bem bonito, mas vale muito mais a pena quando a maré estiver baixa. Isso terá que ser na lua nova ou cheia, conferindo o horário da maré. Cuide para não ter muito vento, ou no dia anterior não ter chovido, se não você vai achar que eu estou mentindo. Na maré baixa, no meio do mar, formam-se piscinas naturais, a parte mais linda da viagem. Há também o banho de argila em Gamboa, que facilmente dá para ir a pé a partir do Morro. Saindo de Morro, há a lancha rápida e a lenta, além, é claro, das empresas que fazem transfer para outras cidades. Ambas as lanchas levam à cidade de Valença, aonde se pode ir de ônibus para qualquer lugar. A lancha rápida custa por volta de R$ 16 e demora menos de uma hora (35-45 min) e a lenta custa por volta de R$ 6 e demora 1h30min. Fomos com a rápida para Valença, foi bem tranquilo, vale a pena. De lá pegamos ônibus para Itacaré. As lanchas rápidas passam de hora em hora. Cuidado com os bancos, lembro de ter visto um bradesco, além do Banco do Brasil lá em morro. Na épcoa de maior movimento, o dinheiro acaba e fica as vezes um dia sem. ITACARÉ Itacaré é uma cidade praiana não tão pequeninha. Quando você chega, não dá nada por ela, parece um lugar feio, especialmente quem vem de Morro de São Paulo pela Rodoviária, que é o nosso caso. Depois, você só se surpreende. Chegando na orla, há a praia das conchas, praia bem feinha, com areia misturada com muitas conchinhas que torna difícil de caminhar. Ali, é a praia mais perto do centro, tem lugares onde as vezes rolam um shows (ia rolar mano chão por exemplo). É uma praia praticamente sem ondas, onde é legal curtir o por do sol. Caminhando mais a frente, há umas praias mais bonitas, bem pequenas, com ondas para surf. A primeira é Resende, que vale a pena só passar. Depois, vem a Tiririca, bem do lado, só andar um pouquinho, praia bem de surfista e tem uma barraca lá pra cima. Subindo umas pedras vem a praia da cosa e depois a Ribeira, outras praias bem pequenas, coladas uma na outra. Seguindo por uma trilha a partir da Ribeira, há a Prainha, que é considerada uma das praias mais bonitas do Brasil. Talvez seja um pouco de exagero, mas é uma praia bem bonita. No nosso caso, pagamos um guia (R$ 20 por pessoa) para nos levar. Há muitos relatos de que Itacaré não é seguro e tal, não sei até que ponto isso é verdade ou é feito para os turistas usarem os guias. Afinal, eles vivem disso. Há muita pressão para contrata-los, se quiser ir sozinho vá preparado para dizer não. A trilha para a prainha não é muiiiito difícil, é complicadinha só. Tem dois pontos onde há dois caminhos e pode haver erro, retornando ao início da trilha, que aliás é bem cansativa, com subidas, dá em torno de 1h30min de caminhada, tem que ter um pouco de preparo. A praia não tem infraestrutura, então o bom é ir cedo e sair para almoçar em algum lugar, perto da Ribeira tem vários. O caminho não tem nenhuma sinalização, acho que tudo lá é de propósito, obrigando você a contratar um guia. No outro dia, fizemos o passeio das 4 praias, Engenhoca, Havaizinho, Itacarezinho e Canoinha. Passeio bem legal, dá pra fazer tudo no mesmo dia bem tranquilo Itacarezinho é uma baita duma praia, mas só tem uma barraca e ela é bem cara! Então levem comida para o passeio. Além desses passeios, há o para Jeribucaçu que dizem ser bem bonito e o para Maraú, onde há piscinas naturais, o qual não fizemos devido à época de maré morta (a maré não fica boa para ver devido à fase da lua). De noite, Itacaré ferve! A noite de Itacaré é surpreendente, de dia parece um lugar deserto, de noite, borbulha! Há uma rua que tem toda a movimentação, a pituaçu. Lá você caminha caminha e caminha e há restaurantes e lojinhas para tudo que é lado. Não passa carro na rua. Vale muito a pena, lugar muito legal para ir de noite, cheio de comida boa e a um preço acessível. Ainda tem vários lugares para tomar drinks! ILHÉUS Ilhéus é uma cidade feia e sem graça comparada com o resto da Bahia. É uma cidade grande, cujo atrativo maior é o centro histórico que originou a história de Gabriela, valendo a pena visitar o Bataclã. De noite, há bastante agito na rua que beira o mar. PORTO SEGURO Porto Seguro foi o destino final da nossa viagem e foi surpreendentemente gostosa nossa estadia! Em porto seguro há várias opções de praias e programas! Pode-se conhecer Cabrália, que é legalzinha, arraial da ajuda que é demais, tanto de noite quanto de dia, trancoso idem (só cuidem os preços que lá é muito caro na beira), a tão falada praia do espelho entre outros. Opções não faltam!
×