Ir para conteúdo

Vimeney

Membros
  • Total de itens

    21
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Lamentável isso, ainda mais em se tratando de um modelo que é o carro chefe da Vento, nós consumidores perdemos com isso porque ficamos sem opção no mercado nacional, já havia acontecido com a Snack, Bul Terrier e agora a Vento perdendo a credibilidade, com a palavra o Fábio... Penso que no dia que tivermos melhor acesso as melhores marcas gringas, não vai ter condições da indústria nacional competir com marcas como a La Sportiva ou Asolo (só para citar as italianas), a não ser que melhorem muito a qualidade de construção e de materiais utilizados. Eu como sempre tenho que comprar para três
  2. Na verdade pelo que me lembro ele falou que era quase impossível de descolar....
  3. Eu acabei de comprar uma exatamente igual, baseado no comentário do Fábio aqui no fórum de que a microfibra é bem mais resistente a descolagem, a minha por enquanto está boa, mas agora vou colocar a barba de molho com essa informação, até agora ainda não havia nenhum relato de descolagem da Finisterrre em microfibra (nanox).
  4. Samlima, a sua Finisterre e a de seu marido são de microfibra ou couro?
  5. Samlima, vai no site da Vento e solicita a colagem da bota que eles fazem o serviço, mesmo após o vencimento da garantia, a Vento tem a tradição de ter um bom atendimento pós venda. Eu mesmo estou solicitando o mesmo tipo de serviço e ainda estou aguardando a resposta do SAC até o momento.
  6. Judice Rocha, uma dica de bota nacional que me foi bem recomendada, além de leve e barata, é a da nova linha PREMIER PLUS da MARLUVAS, onde tem o modelo DRY WP CNV, que é totalmente impermeável. O único porém dela é o fato de ser uma bota de EPI, sendo que neste modelo só existe na cor verde musgo, tem um outro modelo interessante de couro nobuk parafinado na cor marrom, só que este é somente resistente a água. Tem um vídeo no YOUTUBE do pessoal da LIGA RAPEL indicando ela para trekking. Se você não tiver preconceito com botas do tipo EPI vale apena conferir...
  7. Então, comprei a Finisterre Nanox e testei na Serra Fina há duas semanas, apesar de que fui somente até o Quartzito, deu pra dar uma testada na sua resistência principalmente porque aquele trecho é bem íngreme e com bastantes pedras, só não dei uma nota 10 na bota, por causa de alguns arranhões, sendo um mais feio na biqueira, aliás, não sei por que a Finisterre não possui proteção de borracha na frente como a sua irmã, a GS3000, seria ótimo para evitar esses tipos de danos ao cabedal, no mais é ela é bem leve e o novo material em Nanox parece mais macio que o couro, não sendo necessário amaci
  8. Falando somente de botas nacionais, tenho uma SNAKE TRILOGIA que já comprei a algum tempo e ainda está nova, principalmente porque acho um pouco desconfortável (forma apertada nos dedos) e por não ter muita confiança para por em trilhas, então não posso opinar, pois só teve uso urbano, porém tenho uma coleção de botas da Vento que comprei pra mim e para a minha família, todas muito confortáveis (tanto pela palmilha quanto na forma larga), porém com exceção da CAOS que está novinha, tive problemas anteriores com as de modelo Titã e uma da GS2000, as TITÃ minhas e de meu filho descolaram com pou
  9. Otávio, esta indecisão é pior do que mulher em loja de sapato! Uma coisa que limita muito é a escassez de oferta de artigos importados para quem compra pela internet. O site da Rei não entrega os modelos da TaR, somente da BA, a Amazon tb não entrega os modelos mais interessantes da TaR, restando somente o Ebay com todas as suas limitações entre modelos e tamanhos. Cada vez mais me convenço de como é fundamental escolher bem o saco de dormir e isolante térmico! É uma coisa básica, tão pessoal quanto a escolha de uma mochila ou mesmo um sapato, entram em consideração vários elementos de caráter
  10. Uma outra questão a ser discutida neste tópico seria a viabilidade ou não da utilização do footprint com a função de potencializar o isolamento térmico. Seguindo a teoria do uso de várias camadas como forma de aumentar a retenção de calor, isto em princípio ocorreria devido a introdução de uma camada de proteção entre o solo e o chão da barraca, raciocínio mais o menos igual ao da utilização de um sleeping liner num saco de dormir para aumentar a sua capacidade térmica.
  11. Bullseye,quando o tema da discussão sobre isolantes térmicos se resume aos modelos da TaR e BA, acho que a resposta para esta questão tem um nome: BA Q Core SL, desde que este ganho a mais de peso não ultrapasse os 480 g do tamanho R, se tivesse do LW, seria perfeito para mim. Com relação a segunda questão: Tenho sim como trocar facilmente este peso e ainda saio ganhando, se comparar com os equipos que utilizava a pouco tempo atrás. Somente o conjunto de cozinha é que não é tão leve, devido ao material de titânio do spork e panela ambos da Snow Peak. Não fiz a medição mais deve ser mais pesa
  12. Otávio, o Big Agnes na configuração LW seria perfeito caso existisse na versão feminina com 1,68 m de comprimento, de forma a compensar o seu peso. Já o TaR NeoAir XLite na versão feminina também seria perfeito se existisse numa configuração LW (1,68x0,63x0,063). Mas como nem tudo é perfeito nesta vida, vou estudar qual deles tem o melhor custo X benefício. O que vc acha do TaR Xterm para uso no nosso clima tropical?
  13. Ok Otávio, sempre leio os seus posts, todos muito bons e instrutivos. Foi por este motivo que ilustrei o meu comentário utilizando uma citação vinda de uma pessoa experiente como você. Vou aproveitar a sua sempre valiosa participação, para me ajudar a dirimir algumas dúvidas. Pelo seu relato ficou claro que a melhor alternativa é comprar lá fora mesmo! Então vou afastar este cálice da tentação pela compra mais fácil, em favor de um produto que agregue mais por um preço semelhante. O que me deixa confuso na hora de decidir é principalmente: o peso em contra ponto com o tamanho (largura e altur
  14. Estive hoje na loja da Equinox e vi de perto o Light Mat da Camp, infelizmente não pude experimentar, mas outro dia testei um auto inflável da Quechua na Decathlon e gostei do conforto, só que a espessura dele acho que era de 3,5 cm e o peso então nem vou falar ... Fiquei tentado para comprar os LM da Camp, tanto pelo preço de aproximadamente R$ 360,00 a vista, como pela facilidade de poder sair com eles embaixo do braço e já poder usá-los neste FDS. Na loja tinha somente dois e estou precisando de três! De qualquer maneira segurei as pontas, pois não tinha dinheiro no momento para isto, tamb
  15. Ok bullseye, entendi as suas considerações relativas as condições que são enfrentadas na montanha. A minha experiência em campo se resume aos EVA, deste posso dizer que é incômodo tanto na espessura quanto na largura, entretanto sou um neófito em matéria de colchões infláveis e as vezes fico imaginando chegar de uma jornada cansativa em montanha, ter que montar barraca, as vezes mais de uma e ainda precisar ficar enchendo colchão de ar, não somente um, mas vários para toda a família! Embora concorde contigo que é uma incoerência gastar uma fortuna com um modelo "ultralight" e depois ter de ca
×
×
  • Criar Novo...