Ir para conteúdo

Fabiano Gauss

Membros
  • Total de itens

    142
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que Fabiano Gauss postou

  1. Olá Glaucia!!! Olha, eu comprei os voos internos antecipadamente viu, com cartão de credito. Acho melhor vc comprar antecipado, vai monitorando e de vez em quando o preço cai, aparece promoção. Deixando para comprar lá, vai ficar muito perto da data e pode estar muito mais caro. Eu só passei um dia em Raillay, não reparei nos passeios que tem por lá. Mas já li sim de pessoas que preferiram se hospedar em Raillay ao invés de Krabi, e faziam os passeios à partir de Raillay. Logo, acho que provavelmente saia passeio para a James Bond sim de Raillay. Mas te aconselho a achar algum relato aqui no Mochileiros de alguém que tenha se hospedado em Raillay e confirmar. Mas, não sei se você leu minha opinião sobre James Bond, não gostei muito não do passeio, na verdade muitos não gostaram. Mas claro, se você tiver com dias tranquilos, vá sim. Mais dúvidas, disponha Glaucia!!!
  2. Fala Alex Maciel!! Rapaz, comprei uns óculos de sol no Chatuchak por 3 reais kkkk. Agora quanto a óculos original confesso que não verifiquei, mas no geral, me pareceu que produtos de marca são levemente mais baratos que no Brasil. Abraço!
  3. Fala felipe, td bem? Olhei seu roteiro e achei ótimo, perfeito! Em Chiang Mai no seu dia reservado para o templo e zoo da pra fazer mais coisas, ir no Tiger Kingdom talvez ou conhecer templos menores na cidade. Fazer Wang long e Nuy bay de caiaque deve ser puxadinho, mas totalmente possível. Indo por Loh dalum, Wang long fica para a esquerda, vc passara por Monkey Beach, e Nuy Bay fica para a direita. São praias realmente fantásticas, eles deveriam divulgar mais por lá essas duas praias. Phra Nang Beach é a quarta praia do passeio 4islands, vc deve saber já né. Mas ela é bem linda, vale a pena ir duas vezes. E falta definir Bangkok né? Está em branco ainda aqui no seu roteiro. Seu roteiro está ótimo, prepare-se para uma viagem sensacional! Abraço!!
  4. Dilbert, você não é o primeiro que fala comigo que está complicado comprar pelo site da Thai Lion. Quando eu comprei foi ok. Boa sorte!
  5. Fala Dilbert! O quarto que nos ficamos no D&D na ida não tinha janela. Na volta pegamos um quarto com janela. Ambos ficavam no 5 andar, no sexto já era a piscina. Nossos quartos não ficavam de frente tb. Portanto não tivemos praticamente problemas com barulho em ambos os quartos, um pouquinho apenas até certa hora da noite com o som que vinha da área da piscina, mas era baixo. Vc talvez possa tentar mandar email pro Hotel pedindo um quarto sem janela em andar alto. Apesar do quarto não ter janela ele era limpo diariamente o que não deixava nenhum cheiro de mofo ou algo do tipo.
  6. Olá, tudo bem? Tá chegando a Trip heim? Novembro já tá logo ali! Eu não fui para aqueles lados de Koh Tao, então infelizmente não poderei te ajudar nesse quesito. Mas vou comentar em cima do seu roteiro baseado no que eu sei. 20/11- Chegada a banguecoque (14h30) e reconhecimento da kon san road (ok) 21/11- templos (Quem sabe nesta noite você possa ir ao Sirocco Bar, caso tenha interesse) 22/11- mercado flutuante e shoppings (ok) 23/11- dia livre ou antecipo a ida para Ayutthaya ou faço bate e volta (realmente acho que o principal de Bangkok vc já viu nos dias anteriores, visto que você não vai pegar nenhum fim de semana para ir ao Chatuchak. Então talvez fosse interessante neste dia você já fazer checkout no Hotel, ir para Ayutthaya e de lá mesmo já pegar o trem noturno para Chiang Mai, aí vc ganha um dia a mais na parte das praias caso esteja apertada em tempo por lá. Caso decida ficar este dia em Bangkok, você poderia ir a Chinatown, Erawan National Park e a noite dar uma volta por Nana Plaza caso tenha interesse) 24/11- Banguecoque - Ayutthaya ou Banguecoque trem nocturno para Chiang Mai (depende da decisão que tomar no dia anterior) 25/11- visita a Ayuthaya e trem para Chiang Mai ou Chiang Mai tour templos (3 dias em Chiang Mai está perfeito. Você não comentou aqui sobre o Tiger Kingdon e nem sobre o Zoologico, talvez vc não tenha interesse, sendo assim te recomendo: um dia para templos, outro dia para visitar a fazenda de elefantes e no terceiro dia o bate e volta para Chiang Rai) 26/11 - Chiang Mai tour templos ou tour elefantes 27/11 - Tour elefantes ou bate volta Chiang Rai 28/11 - dia livre e chegada a krabi às 20h30 29/11 a 09/12- Ilhas: aí surgem as dúvidas Nas ilhas te aconselho no mínimo 2 dias inteiros em Phi Phi. Em Krabi o número de dias depende dos passeios que vc quer fazer (Four Islands, Hong islands, Raillay Beach. Veja que no passeio de 4 islands você conhece a praia mais bonita de Raillay) O que sei é que você deve perder quase um dia inteiro em deslocamento de Krabi para ir pro lado de Koh tao, mas infelizmente não fui para aqueles lados então não posso ajudar. Espero ter ajudado. Fique a vontade para perguntar.
  7. Fala Dilbert! Fico feliz que o relato está ajudando. Rapaz, nem sabia dessa informação que só pode fazer checkin até às 19hs. Com certeza eu cheguei lá já passava das 20hs e foi tranquilo. Mas como vc vai se hospedar nesse hotel antes, já pode deixar avisado. Fique tranquilo, tenho certeza que isso não será um problema. Prepare-se para uma boa filinha para pegar um táxi no aeroporto, mas saiba que uma boa Foot Massage estará te esperando na Khao San haha. Abraço! Não exite em caso de dúvidas.
  8. DIA 5 – DUBAI MUSEUM, GOLD SOUK E DESERT SAFARI. Neste dia, Dubai amanheceu com chuva. A probabilidade de você ir para Dubai e pegar chuva é bem pequena. Eu consegui! Enquanto caminhávamos à caminho do Dubai Museum embaixo de marquises para não pegar tanta chuva, entrávamos em algumas lojas atrás de guarda-chuva para comprar, e só ouvíamos: “No Umbrela, No rain in Dubai”. Não achávamos guarda-chuva em lugar nenhum, afinal “não” chovia em Dubai. Para ir ao Dubai Museum você deve usar o metrô, descer na estação Al Fahidi e caminhar cerca de 8 minutos, informe-se sobre a direção. O nosso hotel ficava quase ao lado do Museu. O Museu é bem legal, vale a pena a visita, até porque a entrada é bem baratinha, 3 EAD apenas. Por lá você vê um pouco da história de Dubai, contada através de antigos artefatos, ilustrações, remontagem de antigas moradias e muito mais. Interessante é que há uma parte subterrânea nesse museu que no primeiro momento você nem imagina que tem, uma parte mais moderna que a superior, com bonecos em tamanho real, simulando os trabalhadores e moradores da antiga Dubai e seu trabalho na pesca. Se uma visita básica te basta, sem se aprofundar muito nos detalhes, ela pode ser feita em 30 minutos tranquilamente. Do Dubai Museum fomos andando para o píer pegar a Abra, embarcação típica da Dubai e que serve para atravessar o Creek, que é um braço do mar que atravessa a cidade. Inclusive super indico que você combine a visita ao Dubai Museum com a travessia do Creek e os Souks, e faça por conta própria, bem facinho, não tem porque contratar esse passeio com agência. Do museu ao píer é perto, uns 8 minutos aproximadamente, e facinho de chegar. Basta se informar sobre a direção. Paga-se centavos para embarcar na Abra e a travessia é rapidinha. Você pode explorar também a região do píer, beira rio, que é cheia de restaurantes charmosos. Do outro lado do Creek você estará na região chamada Deira. Saindo da Abra você já dará de cara para um Souk. Eu não sabia exatamente como chegar no Gold Souk mas sabia que não era distante do Píer, entrei no primeiro Souk, fui andando, saindo de um Souk e entrando em outro, até que me apareceu o Mercado de Ouro. Eu te aconselho a ir se informando, mas qualquer coisa leve um mapa ou use o google maps. Só pra deixar claro, esses Souks de Dubai, são corredores com várias lojinhas, vendendo tudo quanto é tipo de coisas, por exemplo, à caminho para o Gold Souk você passa por um Mercado só de especiarias. Os vendedores dessas lojinhas são uma atração à parte, eles te olham passando e começam a te cumprimentar em todas as línguas que ele acha que você fale. Na hora em que eu falava que era do Brasil, eles falavam: Opa, lepo lepo, caraca muleke, bom bonito e barato entre outras frases Brasileiras. Esse “Caraca Muleke” do Cantor Tiaguinho era bem atual no começo do ano, como esses caras já sabiam disso? Kkkkk. Os preços nesses mercados são razoáveis. Quanto ao Mercado de Ouro, logo na entrada você vê a grande atração do local, o maior anel do mundo, com 64 quilos de ouro e diamante. Pelo mercado você vê ouro e mais ouro, pra quem quer ouro, falam que o preço é muito bom, vale a pechincha por lá, aliás, em toda essa região dos Souks. Esqueci de falar mas assim que saímos do Abra tinha um vendedor ambulante com guarda-chuvas, compramos um por 10 EAD, o preço inicial era 20 EAD. Quando estávamos voltando para o Hotel a chuva parou e o sol começou a aparecer timidamente. Esse passeio todo você pode fazer em uma manhã. Nós começamos pelo Museu cerca de 9hs e voltamos para o Hotel era 12h30. DESERT SAFARI Hoje era o dia do nosso Safari no Deserto. Esse passeio é vendido em todas agências de turismo em Dubai e é fácil de ser encontrado. Nós estávamos atrás de economia e compramos nosso passeio pelo Groupon dos Emirados Árabes que foi bem mais barato do que nas agências físicas em Dubai, e o cronograma do passeio era o mesmo. Pagamos 79 EAD por pessoa, pago antecipadamente com o cartão de crédito. Após a confirmação do pagamento a empresa nos pediu por email nossos dados e a data pretendida do passeio, e nos deu 3 opções de ponto de encontro, eu deveria escolher um deles e estar no meu dia escolhido, no ponto escolhido às 14hs. Um dos pontos de escolha era em Bur Dubai, próxima a estação de metrô Burjuman, em frente ao Supermecado Spinneys. Esse era o ponto mais próximo do meu Hotel. O link do groupon que eu comprei esse passeio está no início do relato. O cronograma do passeio é o seguinte: -Passeio de carro 4x4 nas dunas do deserto de Dubai. -Passeio de camelo. -Jantar com churrasco em estrutura no meio do deserto. -Show típico Faltando dez minutos para as duas estávamos em frente ao Supermercado Spinneys. No dia anterior, eu havia mandado um email confirmando e me retornaram falando que estava tudo certo e me passaram o nome do motorista. Com 30 minutos de atraso o motorista chegou. Até relevei o atraso pois o motorista tem que buscar outras pessoas, em outros pontos de encontro. O problema é que uma pessoa que deveria estar no mesmo ponto de encontro que eu, não havia chegado, aí foi uma demora do caramba, o motorista liga pra empresa e espera, e nada de ninguém aparecer. Quando deu 15h30 fomos embora sem essa pessoa aparecer. A viagem até o deserto durou cerca de 1 hora, essa viagem foi feita de micro ônibus. A essa altura o sol já aparecia, mas estava friozinho. Ao chegar embarcamos em um 4x4 com mais 4 pessoas e o motorista. Nesse momento o motorista vai passeando pelas dunas do deserto de Dubai com certa emoção nas descidas. A paisagem por aqui é realmente bem bonita. Em 10 minutinhos você chega na estrutura no meio do deserto onde aconteceria o jantar e o show típico. Antes de entrar nessa estrutura você faz o passeio no Camelo. Esse passeio é bem turístico, dura uns 5 minutinhos, você sobe no camelo, dá uma volta e acabou. Pode subir no camelo de uma à duas pessoas. Próximo aos Camelos havia um homem oferecendo um Falcão para você colocar no braço ou no ombro e tirar foto, perguntei quanto era e ele me disse 40 EAD, achei muito caro, não teve choro, e acabei abandonando a idéia de tirar uma foto com um Falcão. A estrutura onde acontece o jantar e o show é um cercado circular, realmente bem no meio do deserto. Tinha um palco no centro e várias casinhas em volta. Nessas casinhas você podia fazer tauagem de Henna, vestir roupas típicas para tirar fotos, comer uns bolinhos doces tipo bolinho de chuva mas com alguma especiaria que mudava um pouco o gosto, mas muito bom e tinha também vários Narguiles para você fumar à vontade, tudo isso de graça, incluso no passeio. Depois que o sol se põe o show começa. Esse show basicamente é composto por danças típicas. Depois de algumas apresentações o show é interrompido para o jantar. Filas são formadas, homens de um lado, mulheres do outro. Funcionários vão servindo o que voce quiser no seu prato. O cardápio era o seguinte: Macarrão, arroz, pão típico, salada, batata assada, pão Sírio e espetinho de frango ou kafta. Tinha refrigerante à vontade. Muito saborosa a comida, repeti umas 3 vezes. Estava muito frio e isso aumentou minha fome haha. Durante a janta teve apresentação de dança do ventre. Por volta das 20h30 fomos embora, eles te deixam no ponto de encontro onde te buscaram. Achei o passeio muito bom, tudo muito bonito, muito barato, cerca de 80 reais por um passeio de 4x4 no deserto, passeio de camelo, comida à vontade e transporte? Compensa demais! Mais um dia encerrado, amanhã era dia de conhecer a vizinha Abu Dhabi! CONTINUA...ABU DHABI.
  9. E ai Luiz Chianca, tudo certo? Vamos lá, quanto a Air Asia, comigo foi assim: só pode levar uma bagagem de mão com 7 quilos em cima do avião, só isso! Você não tem direito a despachar nada. Qualquer coisa além disso será cobrado. Por exemplo, eu paguei 300 Baht extra para poder despachar uma mala de 15 quilos. A minha mala tava com uns 11 quilos e da minha esposa tava com uns 13 quilos, aí deixamos uma mala com 7 quilos, e passamos o resto do peso para a outra que foi despachada. Atente-se também para as dimensões da mala que devem ter, aproximadamente né, ninguém vai medir sua mala creio eu haha, (40cm comp., 20cm largura, 55cm altura). Não pesaram nenhuma mala minha, mas eu vi um cara que tava na minha fila que a funcionária pediu para que ele coloca-se a mala de mão na balança para pesar, parece que é muito pessoal do funcionário, talvez se ele desconfiar da sua mala, que ela tá pesada haha, ele pode pedir pra pesar. Mas, se eu fosse vc faria o seguinte, jeitinho Brasileiro haha, na dúvida tente deixar a mala com 7 quilos, para isso, coloque coisas no bolso, a camera ao inves de deixar dentro da mala deixe pendurada no ombro, sei la, use duas calças, varias blusas haha, e aí depois do checkin vc coloca tudo na mala. Ou, se estiver viajando com outra pessoa, deixe algumas coisas da sua mala com essa pessoa de forma que sua mala fique com 7 quilos, aí quando você voltar, essa pessoa vai fazer o chekin dela haha, uma idéia. Enfim, por tão poucos quilinhos eu daria um jeitinho. Quanto ao checkin online, fiz todos no celular, não precisa imprimir, e nem me pediram para ver o comprovante no celular. Nas Low Costs que viajei, havia uma fila para quem tinha feito checkin online, era só entregar o passaporte e no sistema eles já viam que vc havia feito o checkin. Entre as low costs que viajei: Nok Air, Thai Lion Air e Air Asia, a única que não me deu direito de despachar uma mala foi a Air Asia. Rapaz, cobrar por fazer o checkin no balcão kkk, que absurdo né! Eu realmente não sei pq em todas as vezes fiz o checkin online antes. Todas as empresas me mandaram email para fazer checkin 2 dias antes. Se puder, coloca um chip 3G da True Move, aí fica tudo certo. Qualquer dúvida, estamos aí!
  10. Alex, não achei tão lotado não o tempo que estive por lá em Dezembro. Uns dois Tailandeses me disseram que a época que eu estava por lá era boa porque ainda não estava tão cheio o país, e que começa a encher bastante à partir das festa de fim de ano. Se der para ir em Chiang Mai vá, é bem legal a cidade. O Patara está tão lotado assim? Nossa! Mas tem outras boas opções de fazenda de Elefantes por lá. Eu indico o lugar que eu fui, simples, barato, bem calmo, e você ainda aproveita e vê as "Mulheres Girafas" que tem nessa mesma fazenda de elefantes haha.
  11. Fala Alex Maciel, beleza? Não, relaxa! Muita coisa vc não perde não. Feira é o que não falta na Tailândia. Tudo bem que o Chatuchak é a maior feira, tem os melhores preços e variedade, mas nada que seja imprescindível pra sua viagem. Poxa cara, vc vai em 11/12? Que legal, eu fui em 8/12 do ano passado. Lembro que dia 10/12 Bangkok estava em festa pq era semana do aniversário do Rei. Possivelmente você pegue algumas festividades e a cidade mais bonita. Boa viagem e qualquer dúvida estou à disposição.
  12. DIA 4 – DUBAI MALL E BURJ KHALIFA. Mais uma manhã que saimos cedo para passear em Dubai, impossível estar infeliz, estávamos em Dubai. Nem tomamos o café no Hotel, deixamos para comer no Dubai Mall. Para chegar ao Dubai Mall é simples, pega-se o metrô até a estação Burj Khalifa/Dubai Mall, a estação já desemboca dentro do Shopping. É um trecho grande que você vai percorrer da estação em si até o Shopping, mais ou menos 800 metros de corredores com aquelas esteiras tipo escada rolante no chão, não sei como se chama aquilo, tipo as que tem muito em aeroportos. Mas tudo fechado e com ar condicionado. O Shopping é estupendo, gigantesco, o maior do mundo, dizem que leva-se em torno de 2 dias para você conhecer o Shopping inteiro. Esse Shopping fica em frente à linda Dubai Fountain e ao lado e interligado ao Burj Khalifa. Qualquer franquia top do mundo que eu pensasse, lá tinha. Nós tomamos café da manhã no Ihop, almoçamos no Rain Forest, comemos um Chessecake de Oreo no Chessecake Factory, comemos os Cup Cakes do Magnolia Bakery, comemos Cookies em uma franquia que eu não conhecia, Bens Cookies, simplesmente o melhor Cookie que eu já comi na minha vida e jantamos no Elevation Burguer. Sim, ficamos o dia inteiro no Shopping, mas fazendo algumas atividades além de apenas comer e olhar lojas. Quanto aos preços das lojas no Dubai Mall, eu achei similares ao do Brasil, as vezes pode dar a impressão que é mais caro, mas o negócio é que lá é um conglomerado de lojas tops, franquias que por natureza tem preço mais elevado, então talvez possa passar a impressão de preços absurdos. O QUE FIZEMOS NA NOSSA VISITA AO DUBAI MALL: AT THE TOP Este é o nome dado a visita ao level 124 do prédio mais alto do mundo, o Burj Khalifa. Na minha opinião essa é a visita mais imprdível de Dubai, se você só pudesse escolher fazer uma coisa, penso que deveria ser isso. Compramos e compre o seu ingresso antecipadamente, falam que se deixar para comprar na hora você paga mais caro e que dificilmente conseguirá horário para subir. Na hora de comprar seu ingresso você escolherá exatamente o horário que fará a visita, de meia em meia hora. Então cuidado, planeje direitinho a sua visita para estar no local com os 15 minutos de antecedência que eles pedem. O preço é de 125 EAD por pessoa. Você tem horário para subir, mas pode ficar lá em cima o tempo que quiser. Para o horário de pôr do sol, das 17hs às 18h30 o preço é mais caro, 200 EAD. Há ainda um pacote que te da a possibilidade de ir até o level 148 e usufluir de petiscos grátis, custa em torno de 300 EAD. Você pode ver preços e informações atualizadas aqui: https://tickets.atthetop.ae/atthetop/ A entrada para a visita “At the Top” é dentro do próprio Dubai Mall, há placas indicativas dentro do Shopping. Com 1 hora de antecedência já começamos a seguir as placas, o Shopping é gigante, não sabíamos quanto tempo levariamos até chegar na entrada. Ao chegar, apresentamos o voucher que eles pedem para levar impresso e logo ingressamos. Primeiramente em um saguão uma funcionária nos dá algumas informações do prédio. Logo após você entra no Elevador, que é super futurista, cheio de luzes e rápido, leva cerca de 2 minutos para você chegar ao andar 124. Estando lá em cima não tenho muito o que falar, as fotos dirão por mim. Você tem uma vista panorâmica, podendo andar 360º ao redor do prédio. Vista sensacional e emocionante. Ficamos um tempo por lá e voltamos para o Shopping. DUBAI AQUARIUM & UNDERWATER ZOO. Este é o maior aquário do mundo, eu também considero a visita imperdível. Passar pelo túnel formado pelo próprio aquário é muito top. O Dubai Aquarium é fácil de ser localizado, fica em frente a Candylicious, loja de doces bem legal. Há vários pacotes, e de experiências diversas no aquário, desde mergulho com tubarões, encontro com Alligators até a simples visitação. Nos fomos no pacote mais básico que custava 100 EAD, nos dava direito a visitação ao aquário e ao Underwater Zoo. O aquário não é muito extenso mas é bem legal, com grandes tubarões e arraias. Difícil é tirar uma foto sem outras pessoas nela. O Underwater Zoo é outra parte que comporta um aquário nesses estilos mais comuns, cada aquário um tipo de peixe, você vai percorrendo os corredores e vendo as diferentes espécies. Há também um setor com animais noturnos e tem também o Alligator que você pode pagar um extra e entrar na jaula dele. Achei bem legal também essa parte da visita, vários animaizinhos diferentes. Preços e informações atualizadas você pode ver aqui: https://tickets.thedubaiaquarium.com/index.php?lang=en DUBAI FOUNTAIN. Esse é o show águas e luzes dançantes que acontece na Dubai Fountain todos os dias das 18hs às 22hs, de meia em meia hora e dura uns 8 minutos. Bem bonito. Só é difícil achar um lugar no meio de tanta gente para ter uma boa visão do espetáculo. Quase 22hs pegamos o metrô e voltamos para o hotel. Hora de descansar porque amanhã a rotina de acordar cedo e ir para passeios continuava. CONTINUA...DUBAI MUSEUM, SOUQS E SAFARI NO DESERTO.
  13. Olá Eduardo! De Krabi para Phi Phi da extamente 1h30 de trajeto. De Krabi para Samui não posso falar porque não fui, mas a galera fala que da umas 4/5 horas mesmo. Abraço!
  14. DIA 3 – PARQUE AQUÁTICO WILD WADI. Galera, ir a um Parque Aquático em Dubai é uma das melhores idéia do século. O clima por lá normalmente é um inferno de quente, por isso nada melhor que um dia entre piscinas e toboaguas para refrescar. E lembre que você estará em Dubai, onde quase tudo é o maior e melhor do mundo, agora imagina os Parques Aquáticos de lá? Há quem diga que são os melhores do mundo, melhores que os de Orlando e tudo mais. Eu não posso opinar sobre isso, pois só fui nos Parques Aquáticos do Brasil: Beach Park em Fortaleza e os do estado de São Paulo. Mas posso dizer que vale a pena demais! FALANDO UM POUCO SOBRE O WILD WADI E AQUAVENTURE WATERPARK Wild Wadi (preços e informações) - http://www.jumeirah.com/en/hotels-resorts/dubai/wild-wadi/rates/general-admission--rates/ Aquaventure Waterpark (preços e informações) - https://www.atlantisthepalm.com/pt/marine-water-park/aquaventure-waterpark Em Dubai existem dois parques aquáticos, ambos com avaliações muito boas: Wild Wadi e Aquaventure Waterpark. Se tiver tempo, vá aos dois. Nosso tempo não era tão extenso para contemplar os dois parques, por isso tive a dura missão de escolher um deles. Após ler muitas opiniões pela internet sobre qual dos dois parques escolher acabei optando pelo Wild Wadi simplesmente porque nas minhas pesquisas achei que esse foi o parque que levemente teve mais pontos positivos em relação ao seu adversário. Mas as avaliações deixam claro que ambos são ótimos parques e com certeza você que vai em Dubai deve fazer um grande esforço para visitar algum deles, seja ele qual for. Uma das atrações que mais me chamava atenção para escolher o Aquaventure, é um toboágua que cai dentro de um aquário com tubarões e arraias, vi alguns vídeos no youtube e pareceram bem legais. Anexo a este parque você também tem a possibilidade de visitar, por um valor extra, o “The Lost Chamber Aquarium”, só lembre que no Dubai Mall você vai visitar, visita obrigatória para mim, o Dubai Aquarium, então pense se vale a pena visitar dois aquários. Ainda no Aquaventure você tem a possibilidade de nadar com Golfinhos, tipo em Cancun, sabe? E aí você tem a possibilidade de fechar pacotes, tipo: entrada do parque + aquário + golfinhos. Este parque é ao lado do Hotel Atlantis, um dos melhores de Dubai. Os preços são parecidos, mas a entrada para o Wild Wadi em geral vai custar um pouco mais caro. Enquanto escrevia esse relato olhei no site dos dois e os preços estavam em 295 EAD(Wild Wadi) contra 260 EAD(Aquaventure). Para ambos não é necessário comprar ingresso antecipado, é tranquilo comprar na bilheteria ao chegar. Um detalhe que me lembro inclusive é que na bilheteria o ingresso estava 20 EAD mais barato em relação ao preço do site do Wild Wadi. O horário de funcionamento de ambos são das 10 às 19hs no verão, e das 10 às 18hs no resto do ano. Escolhi o Wild Wadi, principalmente porque as avaliações que li comentavam que este tinha uma estrutura melhor que a do Adventure, mais arrumado, mais novinho, e também comentam que no Wild Wadi você consegue caminhar sem chinelo tranquilamente devido ao seu sistema de resfriamento do chão, já no Aquaventure você não consegue andar sem chinelo, o chão é muito quente. O Wild Wadi fica ao lado do Burj Al Arab, e praticamente de todo o parque ele pode ser visto. Nenhum dos dois parques é acessível por metrô, ou você vai de táxi ou combina metrô e táxi para economizar, como eu fiz. Só lembrando que existe um outro parque aquático famoso em Abu Dhabi, o Yas WaterWorld, não fomos nesse. Dei algumas informações sobre ele no começo do relato. Falarei mais sobre minha experiência no Wild Wadi mais adiante. MINHA EXPERIÊNCIA Era 01/01/2016, uma sexta-feira, o que acaba sendo um problema para os turistas em Dubai já que muitos dos comércios não abrem na sexta, mas...o parque aquático abre!!! Já sabendo disso, programamos nossa visita ao Wild Wadi na sexta. Antes de ir havia lido também que na sexta-feira os metrôs começavam a funcionar apenas por volta do meio dia. Antes de sair do hotel me informei sobre e me falaram que isso já mudou faz um tempinho e que agora os metrôs funcionam normalmente na sexta, ou seja desde cedinho. Eram quase 10hs quando saímos do hotel, embarcamos no metrô, descemos na estação FGB Metro Station e pegamos um táxi que saiu por 12 EAD. Com os 6 EAD que cada um gastou no metrô, no total gastamos para chegar ao parque 24 EAD, bem mais barato do que se fossemos de taxi do nosso hotel em Bur Dubai. E rapidinho também, foram uns 20 minutinhos de metrô mais uns 8 minutos de táxi. Não havia fila na bilheteria e o parque estava com pouca gente, uma benção! Talvez por ser o primeiro dia do ano, a galera de ressaca talvez. Já li pessoas que ficaram 30 minutos na fila da bilheteria e ficavam cerca de 30 minutos na fila de cada brinquedo. Nós pegamos apenas filas pequeninas nos brinquedos. Na bilheteria, após pagar as entradas, eles te colocaram uma pulseira, tipo um relógio, e te explicaram o seguinte: -Você pode deixar uma quantia desejada ali na bilheteria, essa quantia estará disponível para você usar dentro do parque através da sua pulseira. Você não precisará andar com dinheiro, usará a pulseira para comprar qualquer coisa no parque. Por exemplo, em uma lanchonete dentro do parque o atendente encostou a minha pulseira em um leitor e pronto, paguei com o crédito que deixei na bilheteria. Quer saber seu saldo, sempre ao fazer uma compra o atendente poderá lhe informar. Tecnologia top essa viu. E se sobrar dinheiro você pode pegá-lo na saída integralmente. -Você também usa a pulseira para abrir e fechar seu Locker, caso tenha alugado. -O aluguel do menor locker é 20 EAD. Na bilheteria você paga 40 EAD, mas na saída recebe 20 EAD de volta. Existem lockers maiores por preços maiores, esse menor é grande o suficiente para um casal ou até três pessoas. Estava sol nesse dia, mas não estava calorão, chegamos até a sentir friozinho depois que saia da água sabe. Na verdade, não lembro se já comentei aqui no relato, mas não pegamos aqueles calorões infernais em Dubai não, sempre fresquinho. O parque é lindo, todo no estilo Árabe mesmo. Mas achei que o parque não é tão grande, podia ser maior, ter mais atrações. Logo na entrada tem a área dos banheiros, chuveiros, vestiários e dos lockers. Não precisa andar de chinelo no parque, pois o chão não é quente, se preferir pode andar com o chinelo sem problemas até porque em cada brinquedo tem espaço para guardá-los A atração chamada Jumeirah Sceirah talvez seja a principal do parque. Bem lá no alto você entra em uma cápsula e após uma contagem regressiva o chão se abre e você escorrega por um toboagua que começa quase que com 90º kkk, muito animal esse brinquedo. Outro brinquedo radical é o Tantrum Alley, uma bóia com capacidade de no máximo 4 pessoas, que desce em um toboagua que em alguns momentos parece que vai dar um looping com você. Muito boa essa atração. Slides é um brinquedo que percorre todo o parque. Você vai em uma bóia, pode ser sozinho ou casal, por correntezas que muitas vezes te darão mais que uma opção de caminho, ou seja, ao terminar um percurso você pode voltar e seguir pelo outro caminho. Achei legal que em algumas partes desse brinquedo tem subidas, e quem te faz subir é a força da água. Muito loco. Tem piscinas para ficar de boa, tem uma prainha artificial, tem piscina de ondas, outra piscina de ondas para surfar, entre outras atrações. A alimentação lá dentro é cara. Não tem muitas opções: lanches e pizzas. O combo mais barato que vinha hambúrguer, fritas e refri custava 50 EAD, mas é muito bem servido. Vimos algumas mulheres de burquini no parque, bem engraçado, de resto todo mundo com maiô, biquíni, sunga, o habitual do parques aquáticos. É permitido levar a gopro nos brinquedos desde que ela esteja presa ao seu corpo. Coloquei a alça no meu pulso e fui em todas as atrações com ela. Na atração Jumeirah Sceirah não é permitido nenhum tipo de câmera. Há uma área só para as crianças com brinquedos infantis. Neste dia lá no parque estava o jogador de futebol Valdívia com sua família, que hoje joga em um time dos Emirados Árabes. Ficamos no parque até mais ou menos 16hs. Na saída tinha uma filinha para pegar um táxi, mas não demorou. Para voltar ao hotel, fizemos o trajeto contrário da ida. Nesta noite ficamos apenas pela região de Bur Dubai comprando coisinhas e acabamos comendo por lá. Olha, muita coisa barata heim, ótima região de Dubai para comprar presentes pros amigos e familiares, coisas pra casa, doces, comidas diferentes e até roupas e sapatos. Comprei 2 pares de sapatos legais, simplesinhos mas descolados por 20 EAD cada par, isso da uns 18 reais, uso eles até hoje. Veja, tudo isso em lojas do tipo “Tudo até 8 EAD”, tem várias dessas lojas por lá. Compramos uma daquelas “Lâmpada do Gênio”, bem legal. Nessa noite comi no KFC, e percebi como a galera de lá curti uma pimenta viu, tudo nessa rede de fast food tinha a opção “picante”, eu pedi um lanche “picante”, com batata frita “picante”, quase não aguentei comer, e os caras comendo tudo picante de boa. Assim como na Tailândia, nas redes de fast food as bebidas tem tamanho padrão bem maior que no Brasil, nos combos básicos por exemplo vem refri de 700ml se não me engano. Legal dessa noite também foi rodar os Supermercados dos locais, nada do luxo de Dubai, supermercados simples, cheio de imigrantes Indianos, muitos homens, 99% vestindo chinelo, calça e camisa. Essa foi nossa noite na Old Dubai, mas amanhã passaríamos o dia na Dubai do luxo, lojas caras e prédios suntuosos. CONTINUA...DUBAI MALL E BURJ KHALIFA.
  15. Pat, parabéns pelo relato, tá ficando show! Myanmar e Camboja, tô doido para conhecer. Que lugares maravilhosos né? Ainda voltarei para ver mais do Sudeste Asiático. Diria que a região é para ser visitada calmamente em 3 meses, mas como ausentar-se por 3 meses fica fora da realidade da maioria dos Brasileiros como eu, a gente vai picotando a visita né haha. Acompanhando o relato. Abraço!
  16. DIA 2 – VÉSPERA DE ANO NOVO! PRAIA, MADINAT JUMEIRAH, DUBAI MARINA, MALL OF THE EMIRATES E RÉVEILLON 2016 NO BURJ KHALIFA. Neste dia acordamos umas 8 horas, tomamos o café da manhã basicão do hotel, nos dirigimos a estação de metrô Al Fahidi, a mais próxima do nosso hotel, pegamos o metrô até a estação FGB Metro Station que era a mais próxima do Burj Al Arab e da praia que queríamos ir. Houve uma conexão na estação Burjuman e o trajeto total durou cerca de 20 minutos no máximo. Tínhamos o desejo de ir na praia pública que fica ao lado do Burj Al Arab, para poder tirar fotos com o único hotel 7 estrelas do mundo ao fundo, já que uma hospedagem por lá não era pro meu cacife. Na saída de todas estações de metrô existem pontos de táxi, se não tiver nenhum parado espere um pouquinho que logo chega. Pelo que observei, todos os táxis usam taxímetro por lá. Da FGB Metro Station até a praia do lado Burj Al Arab deu cerca de 10 Dirhans, era perto para ir de carro, longe para ir a pé. Eram umas 9hs da manhã e já tinha bastante gente na praia. Meninas de biquíni, rapazes de sunga e bermuda, como em qualquer praia brasileira. Mar bem bonito heim, água transparente, não cheguei a entrar porque dali ainda iria em Shoppings e tudo mais, mas dei uma pisadinha na água e estava geladaça. Na praia onde estive há uma estação com Wifi free. Ficamos algum tempo por ali caminhando e seguimos rumo ao Madinat Jumeirah. Achamos um táxi facilmente na avenida da praia que nos levou ao Madinat. Pertinho também, uns 5 minutinhos e menos de 10 dirhans. Esse percurso até dava pra fazer a pé, cerca de 15 minutos, mas o sol estava muuito forte e nos desanimou de caminhar. O Madinat Jumeirah é um Shopping bem no estilão árabe, se não me engano faz parte de um complexo com hotel, mas a entrada é gratuita. Eram umas 10hs e pouco e estávamos com fome, pois o café do hotel, como já disse, havia sido muito fraco. Não deixe para comer por aqui, tudo muito caro e poucas opções de alimentação. Gastamos 60 dirhans no Starbucks com 1 croissant e 2 bebidas. Percorrendo o Shopping tem um rio por onde anda um barquinho típico. Se quiser dar uma volta nesse barquinho custa 50 dirhans por pessoa, preferi só ficar olhando mesmo. O Shopping tem lojas de decoração, roupas, tapetes. Não é lugar para fazer compras, e sim um lugar bonito para você tirar fotos e apreciar. O legal é que quase de todo lugar do Madinat você tem o Burj Al Arab de fundo. Na porta do Madinat Jumeirah pegamos outro táxi até a Dubai Marina. Esse foi uns 14 dirhans e durou uns 12 minutinhos de táxi. A região de Dubai Marina é repleta de prédios altos e luxuosos ao redor de uma Marina cheia de Iates. Eu estive em Dubai Marina de dia, talvez seja interessante também ir a noite e pegar todos aqueles prédios iluminados. Há a opção também de você dar uma volta de barco por ali. Não era caro, cerca de 15 a 20 dirhans, não me lembro exatamente, acabamos não fazendo este passeio. Após dar uma volta pela região, era a hora de ir até uma das estações do Dubai Tram para seguir viagem, não tinha nem idéia de onde ficava a mais próxima. Me informei e estava pertinho. Eu sabia que o metrô fazia conexão com o Tram na estação Dubai Marina, então esperei o Tram chegar, e fui até a estação Dubai Marina, desci e peguei o metrô sentido Mall of the Emirates, minha próxima parada. O Dubai Tram demora um pouco mais pra chegar que o metrô e custa um pouco mais, 8 dirhans. A estação Mall of the Emirates já te deixa dentro do Shopping. Para quem não conhece, esse é o segundo maior Shopping de Dubai, mas não deixa de ser animal. Almoçamos no Shake Shack, franquia maravilhosa de hambúrgueres. Há opções mais baratas, mas no geral se você quiser comer em alguma dessas franquias mais famosas, irá gastar em torno de 100 dirhans o casal. Depois fomos no Ski Dubai que talvez seja a principal atração desse Shopping. Para quem não sabe, essa é a maior pista de esqui indoor do mundo. Há vários pacotes, veja os preços aqui http://www.theplaymania.com/skidubai/pricing. No Ski Dubai há a possibilidade de você ter um encontro com pinguins. Minha esposa ficou louca com isso, não sei que outro lugar do mundo você tem a possibilidade de abraçar e beijar um pinguim kk, então caso se interesse, lá é o lugar. O encontro com pinguins não te dá direito a usufruir do parque em si, você só entra no setor do parque destinado ao encontro com os pinguins. E os dois pacotes sairiam caro de mais, então optamos somente por este pacote Peng-Friend Encounter (Regular) por 145 dirhans por pessoa, incluía roupas e luvas porque dentro do parque é frio viu, http://www.theplaymania.com/skidubai/penguin-encounters. Este pacote dura 40 minutos e você pode abraçar, beijar e tocar nos pinguins. O problema é que não é permitido tirar fotos, você tem que comprar no fim do programa caso queira. Custa, nada mais nada menos que 100 dirhans 1 foto, e 150 dirhans vinha mais, acho que 15 fotos. Chorando consegui 3 fotos por 100 dirhans, veio em um cd que está perdido em algum lugar aqui em casa, não achei para postar, sorry. Depois de muito passeio voltamos para o hotel de metrô, por volta das 17hs. Tomamos aquele banho e nos arrumamos para o Reveillon, o “maior” Reveillon do mundo heim, tava ansioso viu! Existem várias opções para você curtir o Réveillon em Dubai. Tem baladas com shows, restaurantes finíssimos. Você pode também passar a virada em um barco na região de Dubai Marina, pode ficar na praia ao lado do Burj Al Arab, ou no “principal”, o local onde nos últimos anos tem acontecido a maior queima de fogos do mundo, a região do Burj Khalifa que fica ao lado do Dubai Mall. O melhor é que pra curtir isso tudo é grátis. Era pra lá que nós iríamos, para a maior queima de fogos do mundo, imagina a empolgação. Já tinha ouvido falar que era bom chegar cedo, no máximo 20 hs já estar lá, acabamos nos atrasando um pouco e saímos 20 hs do hotel. Quando chegamos na estação de metrô Al Fahidi o susto. Tinha muuuuuita gente. Tipo saída de estádio depois do jogo de futebol, multiplica por três isso. Muitos “locais”, todos os Dubaianos acho que vão para lá. Enfim, bora se apertar e vamo que vamo. Nos enfiamos na multidão, um empurra empurra dos infernos, policiais tentando controlar...e nesse ritmo chegamos a estação Dubai Mall que desembarca dentro do Shopping que estava cheio de placas indicativas “fireworks”. Assim que saímos do Shopping, na região da Dubai Fountain em frente o Burj Khalifa, vimos aquilo que alguns de vocês devem lembrar ter visto pelos noticiários. Um dos prédios, também gigantes, ao lado do Burj Khalifa encontrava-se em chamas. Na verdade era um Hotel. Chegamos eram umas 21h30, o prédio acabará de incendiar. Imagina, você estar numa região com tanta gente, no Oriente Médio, e aí você chega e tem um prédio com pequenas explosões e em chamas? Já logo pensei que era terrorismo e que logo mais seria eu quem estaria incendiando, credo! Eu realmente temi mesmo, sei lá eu. Mas mesmo assim ficamos por ali. Eram carros de bombeiros por toda a parte, resgate, uma correria danada. Os policiais afastaram o povo das proximidades do prédio o que prejudicou um pouco a visão do Burj Khalifa. Deu meia noite e aconteceu todo o show no Burj Khalifa, fogos, luzes e aquela coisa toda, fica tudo realmente bem bonito por lá. Informações são projetadas no Burj Khalifa, tipo: contagem regressiva, Happy New Year, 2016, a bandeira dos Emirados Árabes e por aí vai, tudo isso acontecendo e o outro prédio continuou incendiando. Bom, beleza, o problema estava por vir...e para voltar para o Hotel? Eu pensava em pegar um táxi para voltar porque tinha muita gente. Não tinham táxis! As informações que consegui é que os taxistas só iriam começar a rodar depois das 2 da manhã, eram umas 24:20hs ainda. Consegui ver o trânsito e ele era caótico, filas e filas e de carros parados. O metrô estava funcionando, funciona 24 hs no réveillon! Mas a estação do Dubai Mall estava fechada, pois o Shopping fecha e o acesso a estação fica impossibilitado, foi o que me disseram. O jeito foi seguir o fluxo até a estação de metrô mais próxima. Era tanta gente, mas tanta gente que pensei que não chegaria no meu hotel naquela noite. E assim, não adiantava ser rico, ter o dinheiro que fosse naquele momento porque o trânsito para carros estava totalmente parado. Só se você fechar com um helicóptero. O que seria perfeito é se você estivesse hospedado pela região e pudesse ir andando, não era nosso caso. Pensamos em parar em uma lanchonete, ficar por lá e esquecer do tempo até diminuir o número de pessoas, mas resolvemos enfrentar o tumulto. Olha, a desorganização para entrar no metrô era tremenda, mas isso devido a falta de educação dos “locais”. Todos afoitos, não respeitam fila, folgados, esbarram em você, um monte de cara fedidos...e olha que não tem bebida alcoólica por lá heim. Os Dubaianos estavam arranjando briga com os coitados dos policiais que tentavam controlar a galera que tentava derrubar o cerco e invadir o metrô desordenadamente. No meio dos Dubaianos haviam vários gringos em situação como a nossa. Casais de velhinhos europeus sendo quase pisoteados. Enfim, os policiais adotaram o seguinte procedimento, resolveram dar prioridade para os estrangeiros embarcarem no metrô. Tipo, que se dane os “locais”. Bom para nós, assim que conseguimos chegar perto do cerco e sermos visto por um policial fomos passados para frente e conseguimos entrar na estação, ufa. De dentro do metrô, vimos quilômetros e mais quilômetros de engarrafamento de carros. Não sei o que aconselhar para quem quiser ver o réveillon no Burj Khalifa, se não puder cacifar um hotel pela região, vai ter de encarar o metrô como nós. Carro nem pensar! Chegamos ao hotel mortos, mas chegamos, isso era o que importava, eram umas 2 da manhã. Logo dormirmos, pois apesar da hora acordaríamos cedo. O dia seguinte era dia de Parque Aquático!!! CONTINUA...PARQUE AQUÁTICO WILD WADI!
  17. Poxa Pat, fico feliz que de alguma forma te ajudei. Você por acaso fez o relato da sua viagem? Não anima fazer um relato não? haha. Abraço!!
  18. Fala Aldair!! Olhei seu roteiro com calma e, ficou redondinho, tá ótimo. Como você não vai para Chiang Mai, caso tenha interesse de ver Tigres, pode fechar o passeio ao Floating Market com o Tiger Temple, vc vê bastante desse pacote lá na Khao San. O cara que me levou no Floating market me disse que o Mercado do Trem havia fechado, mas acho que é mentira. Quanto a elefantes você pode andar neles em Ayuthaya. Abraço!!!
  19. Janes87 e Hannahgabriela!! Muito legal esse detalhe, eu realmente desconhecia. Até porque eu paguei 3600 e poucos reais por pessoa e na época o dólar estava beirando os 4 reais, e mesmo assim tive direito. Então não sei. Eles falam também que você só pode usar o Connect caso não tenha outro voo com conexão menor que 8 horas na sua data. No meu caso haviam voos com conexões menores na minha data, mas escolhi propositalmente o voo com conexão maior e mesmo assim ganhei o Connect. Vai entender. Vai ver que esse ano como estão tendo bem mais promoções de voo para Dubai eles estejam sendo mais rigorosos. Vale a pena então para quem desejar o Connect, informar-se melhor antes de comprar.
  20. DIA 1 – DE VOLTA A DUBAI! CONHECENDO A ÁREA DE BUR DUBAI ONDE FICAVA NOSSO HOTEL. Nosso voo de Bangkok para Dubai saiu às 16h30 e chegamos em Dubai às 19hs, horário local. Foram 6 hs de voo. A imigração foi tranquila, aplicamos aqui o nosso visto que foi tirado pela Emirates. Pegamos nossas malas na esteira e seguimos as placas de metrô, antes fizemos câmbio de cerca de 30 dólares que tínhamos trocado. Há estação de metrô no aeroporto que te leva a várias regiões da cidade. Na estação do metrô, nos dirigimos até a máquina onde vc mesmo compra seu ticket do metrô, é fácil. O valor do metrô é estipulado por área que você percorre, mas para todos os trechos de metrô que pegamos pagamos 6 dirhans. Na primeira compra você paga 2 dirhans a mais pelo cartão que você deve guardar consigo e só ir recarregando, se chama Nol Card. A máquina aceita moedas e notas. Pegamos o metrô, que não demora mais que 5 minutos para chegar, com nossas malas e fomos até a estação Al Fahidi, a mais próxima do nosso hotel. Houve uma conexão na estação Burjuman. No total o trajeto deve ter durado de 10 a 15 minutos. Há mapas com todas as rotas do metrô na estações, acredito que olhando esses mapas você não deva ter problemas, são só duas linhas, verde e vermelha, mais o Dubai Tran que faz a área do Dubai Marina. Eu baixei no google play o aplicativo chamado “Dubai metrô”, ou algo assim, e já fui dando uma olhada no avião para ir entendo as estações e pontos de conexão. As estações de metrô são um show, lindas! Saindo da estação Al Fahidi, pelos 8 minutos de caminhada ao meu Hotel, vi uma região tipo um centro de cidade, cheia de comércios, mas bem mais simples que a Dubai que estamos acostumados a ver nas fotos. Várias lojas gigantes do tipo “Tudo por no máximo 10 Dirhans”. Muitas lanchonetes, algumas lojas de câmbio e muitas lojas de joias lotadas, cheias mesmo, e não era loja de bijuterias não, nem folheado, era tudo virado no ouro puro, e o mais curioso é que as pessoas que estavam dentro das lojas comprando eram todas de aparência modesta. Eu não satisfeito me aproximei para ver os valores, e me impressionei mais ainda ver que não tinha nada por menos de 2000 Dirhans, alguém me explica isso? Pelas ruas muitos homens, alguns de mãos dadas, há muitos indianos por Bur Dubai. Alguns olhavam um pouco mais para minha esposa, mas nada que chegava a preocupar. Nesse caminho, e por toda viagem nessa região, surgiam homens do nada na sua direção e vinha falando bem baixinho no seu ouvido como se estivessem te vendendo drogas ou te contando um segredo muito grande. Eles diziam: Hey boss! Watches, bags, jewels, shoes? A primeira vez levei um susto do caramba, mas depois acostumei: No thanks! Eles não eram vendedores muito insistentes. O motivo do falar baixinho tipo na surdina deve ser porque é coisa roubada ou é ilegal vender assim nas ruas, sei lá. O Sun City International Hotel era um prédio de uns 5 andares, com grande fachada, fácil de achar. Ao lado do Museu de Dubai. Os recepcionistas não são dos mais simpáticos. O quarto era cômico, bem estilão árabe, brega pra caramba, mas era um bom quarto. Bom ar condicionado, banheira, frigobar e o hotel disponibilizava um café da manhã bem simples. Após um banho descemos para comer algo na rua. Havia muitos restaurantes Indianos, muitas opções vegetarianas, tinha um KFC, entre outros. Paramos em uma das lanchonetes que tinham Kebab de frango. Pedimos um prato que era a carne do Kebab, com fritas, uma pasta que talvez fosse humus, tudo isso prensado dentro de um pão deles na chapa. Tipo um crepe, mas maior. E vinha batata frita fora do lanche também acompanhando. Cada um desses custava 15 Dirhans e o refrigerante lata custou 3 dirhans. Engraçado que já beirava a meia noite e as ruas e lojas continuavam cheias, inclusive cabeleireiros. Após mais uma volta, retornamos ao hotel e encerramos nossa noite. Amanhã seria um dia com muitas atividades, bem no dia 31/12/15, véspera de Ano Novo. ABAIXO ALGUMAS FOTOS, DE DIA, NA REGIÃO DE BUR DUBAI ONDE ME HOSPEDEI. CONTINUA…DIA 31/12/15, VÉSPERA DE ANO NOVO. PRAIA, MADINAT JUMEIRAH, DUBAI MARINA, MALL OF THE EMIRATES E RÉVEILLON NA
  21. Fala Rodrigo Dellatorre! Isso mesmo, na volta o visto normal, tirado antes da viagem pela Emirates. É assim, você precisa enviar escaneado por email obrigatoriamente: -Comprovante de pagamento da taxa de visto. -Foto nas medidas pedidas -Algumas páginas do passaporte específicas que eles pedem -Formulário preenchido (tem no próprio site) -E além disso eles falam que para ajudar no processo, enviar "documentos adicionais". Que seriam documentos que de alguma forma comprovem que você está estabelecido no seu país e não tem desejo de ficar no deles. Aqui é meio que aberto, você pode enviar uma carteira de trabalho com registro, um extrato bancário, declaração de irpf, documento de algum bem que você tenha no seu nome, cartão de crédito etc. No meu caso enviei escaneado: carteira de trabalho com meu registro, extrato bancário (que nem tinha muito dinheiro), declaração de irpf, até o doc do meu carro no meu nome kk. Mas assim, pareceu bem de boa pra tirar o visto pra Dubai.
  22. DIA 0 – CONEXÃO DE 13HS EM DUBAI COM TUDO PAGO PELA EMIRATES. ANTES DA IDA A TAILÂNDIA. Vou chamar de dia zero essa conexão em Dubai antes da Tailândia, na volta da Tailândia quando ficamos mais 6 dias, começarei o dia 1. Aeroporto de Guarulhos SP, noite do dia 08/12/15. Nosso voo sairia de madrugada, às 1:25 hs e a ansiedade já quase não cabia no peito, nunca havia ido para tão longe e de culturas tão diferentes como no oriente Médio e Ásia. Chegamos com a devida antecedência e experimentamos jantar no Olive Garden do aeroporto de Guarulhos, ótima comida Italiana. Assim que disponível, nos dirigimos ao guichê da Emirates, com todas aquelas funcionárias de roupinhas fofas e fizemos o check-in rapidamente e sem burocracias. Não pediram cartão de crédito, nem visto, só o passaporte. Despachamos as malas e nos foi avisado que elas iriam direto para Bangkok, ou seja, se for usar esse Connect, leve uma muda de roupa na bagagem de mão. Depois disso foi aguardar o horário do voo e tentar conter toda a ansiedade. O voo da Emirates foi tranquilo. Saiu pontualmente, e durou as 14 hs e pouco previstas. Logo depois de o avião levantar voo, foi servida a primeira refeição. O almoço e jantar na Emirates basicamente era composta de duas opções de carne: vermelha, frango e peixe, mais arroz, verduras, purê, bolachinhas, pão, manteiga, e sobremesa, além de sucos e refrigerante. Depois dessa refeição, consegui dormir e acordei faltando 7 horas para a chegada em Dubai. Assim que acordei, outra refeição chegou, mais leve como um café da manhã, um croissant, suco e um bolinho. Depois ainda tive tempo de ver dois filmes e comer mais uma refeição. A Emirates dispõem de serviço completo de filmes, séries e documentários, boa parte legendado em português, muitos lançamentos. Você também pode acompanhar a viagem através de 3 câmeras externas instaladas no avião. Chegamos em Dubai era umas 19h30, horário local do dia 09/12/2015, tinha pela frente uma conexão de 13 horas que eu mesmo escolhi ter, por que? A Emirates tem o que eles chamam de Connect Dubai, que nada mais é que um serviço que te fornece gratuitamente hotel, transfer, alimentação e visto de Dubai, para voos da Emirates com tempo de conexão maior que 8 horas. Se não me engano isso não é exclusivo da Emirates, mas toda companhia aérea te fornece hotel e alimentação para conexões longas com mais de 8 hs. O aeroporto é majestoso demais, gigante, com várias pilastras em prata espelhadas sei lá eu e tapetes estilo árabe. Seguimos as placas sentido imigração. Você pega um metrô dentro do aeroporto para chegar a imigração. Passamos em um balcão da Emirates após o metrô, tem balcões e funcionários da Emirates por todo canto, e questionei sobre o Connect. Ela me mandou em um tipo de banco para emitir nosso visto de turismo, nos deu vouchers para o Hotel e nos mandou seguir para a imigração e logo após, na saída, nos dirigirmos as vans que nos levaria ao nosso Hotel. Nos balcões da imigração só homens barbudos, estilo Talibã haha, com suas roupas árabes toda branca. Mas foi tranquilo, pouca fila, alguns minutinhos e já estávamos embarcando na van que nos levaria ao Copthorne, o hotel que a Emirates usa para o Connect, não sei se é somente este o hotel que faz parceria com a Emirates. O Hotel fica a 5 minutinhos do aeroporto. Chegando fizemos o checkin, perguntaram qual o horário do nosso voo pela manhã, era as 8h40, disse que deveríamos pegar a van das 6h30. As vans fazem os tranfers 24 hs. O hotel era muito bom e com ótimo quarto. Tínhamos o direito de jantar e tomar café da manhã à vontade. O restaurante também muito bom, tipo de resort, muitas opções de comidas, vários pratos indianos, uma carne com curry sensacional, mas tinha comida para todos os gostos. Máquina de refri, nossa, comi como um doido haha. Eram umas 21hs e resolvemos sair na rua para dar uma primeira olhadinha de leve na cidade. Na saída do hotel taxistas nos ofereceram fazer tipo um tour pela cidade, nos principais pontos por 40 dólares. Não nos interessava pois ainda voltaríamos a Dubai para ficar 6 dias. A região do Hotel é bem deserta, não tinha quase nada e estava frio, sim, estava frio em Dubai à noite. Mas havia um mercadinho, bem de bairro, ali próximo. Aproveitamos a oportunidade e fomos dar uma olhada. Muito legal ver produtos com todas as escritas em árabe, muitas coisas diferentes mas com preços bem similares ao do Brasil. Não comprei nada pois nem tinha feito câmbio de nenhum centavo em Dirhan. Depois disso, voltamos ao hotel, banho, um pouco de tv sem entender nada e dormimos. Pela manhã tomamos o café, muito bom, muitas opções, checkout no hotel, nada nos foi cobrado e embarcamos na van que sai de 20 em 20 minutos. De volta ao aeroporto, fizemos o checkin e ficamos vendo as lojas no aeroporto de Dubai. Gigante a área de lojas nesse aeroporto. O voo para Bangkok saiu no horário e foi mais um voo tranquilo com a Emirates. Essa foi a nossa experiência com o Connect Dubai. No próximo post começo a falar das nossas andanças em Dubai, inclusive da loucura do réveillon CONTINUA...DE VOLTA A DUBAI, CONHECENDO A REGIÃO DE BUR DUBAI!
  23. Fala Aldair! Pô fechô então, deixa Chiang Mai pro fim mesmo, não tinha pensado nessa opção. Os dois passeios: 4Islands e Hong Islands são legais, é que as Hongs são mais bonitas. Esses voos de 30 dolares tá ótimo, feche assim que puder. Agora Phuket/Samui e Samui/Chiang Mai por 300 dolares ta muito caro, mas pela data que vc vai da pra esperar mais um pouco e ir acompanhando diariamente. Cara, eu não fui pra Phagam né, então não sei exatamente desse translado, mas, tenho quase certeza de ja ter lido que é ferry e bus, mal loucura kk. Qualquer coisa tamo aí. Abs!
  24. Fala Eduardo! Que roteiro top. Não fui para Camboja, Myanmar, Vietnan...Mas já to de olho para fazer 1 mês só para esses países. Veja se anima em fazer um relato quando voltar para ajudar a mim e outros haha. Cara, seu roteiro parece ótimo, só vou falar umas coisas para vc pensar! -Vc tem 4 dias inteiros em Phi Phi, todo tempo é pouco nessa ilha maravilhosa, acho que deve ser a mais linda da Thai. Em 1 dia vc vai a Maya Bay, Monkey, Mosquito e Bamboo. E em outro vc vai em Wang Long e Nui Bay. Mesmo que vc faça o Sleep Aboard, em 2 dias inteiros vc mata todas as ilhas citadas e em outro vc pode só ficar no Caiaque, Long Beach, View point...sendo que vc ainda terá pelo menos uma metade de um dia em Phi Phi. O que estou querendo colocar pra vc pensar é se não vale a pena tirar um dia de Phi Phi para: -Fazer o passeio as Hong Islands por Krabi ou Phuket. -Ou ficar um dia a mais em Bangkok. Parece que em Bangkok vc só tem 1 dia inteiro. Como vc não vai a Chiang Mai vc poderia tirar 1 dia para combinar floating market e ver os tigres, caso te interesse. E vc precisaria de mais um dia para ir aos templos, chinatow, shoppings, sirocco e uma das red light distriscts. Para Ayutthaya vc precisaria de mais um dia em Bangkok, mas acho que da pra descartar Ayutthaya visto o monte de templos, até mais lindos que vc vai ver em Angkor e Bagan. São só coisas pra vc pensar, não que desse jeito vá ser melhor. Cara, que inveja de vc, Bagan e Siem Reap eu queria muito ja ter ido, mas logo vou! Os aereos Bangkok para Krabi(Phi Phi) e Pagnam para Bangkok se achar por volta de 100 a 120 reais melhor comprar logo que ta bom. Qualquer dúvidas estamos aí!
×
×
  • Criar Novo...