Ir para conteúdo

mauariza

Membros
  • Total de itens

    11
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre mauariza

  • Data de Nascimento 01-01-1984
  1. Tem um item bem legal que é a Deuter Transport Cover, que tem duas utilidades: Ela fechada protege bem a mochila, fecha com zíper duplo e tem um engate para trancar com cadeado, além de ter um bolso externo para uso eventual e uma etiqueta de identificação. Com o zíper aberto, uma parte da capa é dobrada para o lado de dentro da capa, e a mesma vira uma capa de chuva para a mochila. A principal vantagem é que você carrega uma única capa em vez de duas, e ela pode ser dobrada dentro de um bolso, podendo ser utilizada como travesseiro. Tem um review em vídeo bem legal dela no site da Trek
  2. Tem uns protetores com abas dobravéis no Deal Extreme, 9 dólares com 8 abas e 15 dólares com 10 abas. Parece interessante.
  3. Comprei o kit DS-200 do Deal Extreme, saiu por volta de uns 35 reais. O kit é composto de uma frigideira, uma panela com tampa, duas cumbucas de plástico, uma concha de plástico, uma colher de pau e uma esponja vegetal. O kit todo se encaixa e é guardado em uma pequena sacola de tela. Utilizei ele uma vez apenas, por enquanto. O material me pareceu mais resistente do que eu imaginava. A parte ruim é que os itens não se encaixam muito bem, o que pode agravar os arranhões nas panelas, seria bom utilizar pedaços de plástico ou de pano para proteger um pouco o kit. As cumbucas de plástico são pra
  4. Cara, eu tenho essa mesma barraca. Como é de se imaginar, se ela fica diretamente exposta ao sol, esquenta bastante (como qualquer barraca praticamente). Sou do Rio Grande do Sul, onde a umidade do ar é alta, ou seja, o calor é infernal e o frio entra nos ossos, e não tenho nada que me queixar dela em qualquer clima. Ah, e ela é uma beleza pra chuva. E te diria que no alto do inverno dá pra ficar de bermuda e camiseta dentro dela sem medo haha
  5. Alguém já comprou ou conhece alguém que já comprou aqueles bastões do DealExtreme? São realmente muito ruins?
  6. Alguém já comprou um cantil desses tipo refil de Camelbak no DealExtreme? Tem várias opções, mas fico meio relutante especialmente da vedação não ser boa e terminar molhando toda a mochila. O preço é até bem tentador.
  7. Meio atrasado, mas... haha Pedro, quanto a ser um fogareiro de determinada marca não é o principal, mas sim o tipo de combustível utilizado. Eu tenho um Apolo também, é um excelente fogareiro. Mas como os demais fogareiros a gás, em altitudes acima de 6.000m eles costumam falhar pela baixa oxigenação (em geral, gás em temperaturas abaixo dos -20° também não consegue manter a intensidade do fogo). Mas qual é a tua idéia de utilização? Pretendia fazer montanhismo mesmo? Imagino que a não ser que pretendas subir o Aconcágua ou alguma outra montanha de respeito, o fogareiro deve servir.
  8. É Guilherme, a minha é a marrom, não veio com creme mesmo. Bom saber que tu tem a mesma por um bom tempo e ela tá inteira! Mas darei uma procurada nesse creme, valeu a dica!
  9. Tenho uma Super Esquilo 4 há uns 6 anos, e uso ela bastante. Antes mesmo de comprar já tinha interesse nela há uns bons anos. Comprei e gostei tanto que indiquei para um amigo que acabou comprando também. Para mim as grandes vantagens dela são o avanço, a qualidade do material e a resistência na chuva e vento (já peguei uns 5 temporais fortes, inclusive um com granizo, e um vendaval no Uruguai e ela aguentou o tranco). Desde que comprei ela não sei o que é ter barraca alagada, e nunca precisei usar lona em cima ou em baixo dela. No máximo utilizei espeques de ferro por conta da propaganda que
  10. Por dicas aqui do fórum, comprei uma Finisterre. Que bota excelente! Estava em dúvida entre ela e a Titan, acabei optando por ela por conta de diversos relatos de problemas com a Titan em superfícies escorregadias. Eu costumava fazer trilhas curtas, normalmente de apenas um dia, utilizando sempre tênis. Comprei a bota para realizar uma trilha maior - a Ferrovia do Trigo, entre Guaporé e Muçum, no RS - pouco menos de 50km em 3 dias. Fiz a trilha em fevereiro, no alto do verão gaúcho. Antes da trilha, tive oportunidade de usar a bota apenas um dia (embora digam que não seja necessário amaciar).
  11. Já faziam uns bons anos que tinha vontade de fazer essa trilha, e nunca rolava oportunidade. Ano passado convidei um colega de trabalho para fazer a trilha e vinhamos nos planejando desde então, mas a coisa foi ficando, e finalmente agora conseguimos fazer a travessia, nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro de 2013. Segue o relato de como foi a experiência. Dia 14 (quinta-feira): Pegamos um ônibus na rodoviária de Porto Alegre com destino a Guaporé às 18:30, valor de pouco mais de 40 reais por pessoal. Ônibus semi-direto, viagem longa, parando em várias cidadezinhas no caminho. Chegamos no nos
×
×
  • Criar Novo...