Ir para conteúdo

crovax

Membros
  • Total de itens

    8
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. "Quando do retorno de bens ao país o viajante poderá comprovar sua procedência por qualquer meio idôneo" não diz que "NÃO PODE ENTRAR SEM MOSTRAR O COMPROVANTE DE PAGAMENTO DE IMPOSTO SE FOR MERCADORIA ESTRANGEIRA". Diz que precisa de algum meio idôneo que comprove a procedência do objeto. Como uma nota fiscal de entrada. Claro que vai depende do fiscal... anyway.
  2. Cara, o que vale é vc comprovar que pagou o imposto sobre esse produtos. Fora isso não tem choro nem vela. Essa nota de entrada, além de ser um pouco questionável, não comprova que você pagou o imposto. O que comprovaria era a nota de venda dos produtos. De qquer forma, depois conte como foi a sua experiência. abrçs Sim sim. É só mais um adicional para falar pra eles que o produto já estava no Brasil. Mas no final vai depender do fiscal mesmo voltando de viagem eu conto sim!!
  3. Mauro, é o seguinte. Digamos que você tem uma filmadora usada e não usa mais. Eu tenho uma empresa e quero adquirir uma filmadora. Você tá vendendo ela barato. O problema é que empresa só pode comprar coisas que tenham nota fiscal, porém pessoa física não emite nota fiscal. O que fazer? Por isso que foi criada a nota fiscal de entrada. Tudo bem que podem falar que eu poderia comprar uma filmadora nova, mesmo sendo mais cara. Dai apresento outro exemplo: Você é um artista plástico, ta na faculdade, faz umas artes pra vocês e tal. Eu gostei muito de uma arte e quero colocar no meu escritório com
  4. Porreca, Acabei cruzando com uma outra alternativa, infelizmente não possível para todos. Eu tenho uma empresa, então vou criar uma nota fiscal de entrada dos produtos para a minha empresa. Dai levo essa nota. Na nota constará que os produtos pertencem a minha empresa e tal. Levarei a declaração também. Quando eu voltar conto aqui minha experiência, mas espero não precisar e passar no não declarar Só que isso qualificaria crime! Não. Seria crime se eu emitisse uma nota de saída, como se eu estivesse vendendo aquele produto. A verdade é que a minha empresa está adquirindo o produto de
  5. Porreca, Acabei cruzando com uma outra alternativa, infelizmente não possível para todos. Eu tenho uma empresa, então vou criar uma nota fiscal de entrada dos produtos para a minha empresa. Dai levo essa nota. Na nota constará que os produtos pertencem a minha empresa e tal. Levarei a declaração também. Quando eu voltar conto aqui minha experiência, mas espero não precisar e passar no não declarar
  6. Obrigado MauroBr. Encontrei no Google o seguinte modelo, vou preencher e reconhecer firma. Não custa tentar. Eu, NOME COMPLETO, NACIONALIDADE, inscrito no CPF nº xxx.xxx.xxx-xx e RG xx.xx.xx-x - EMISSOR DO RG, domiciliado na ENDEREÇO COMPLETO COM CEP declaro sob as penas da lei e conforme estabelecido no Artigo 299 do Código Penal que estarei levando em posse na saída do Brasil no dia xx/xx/xxxx para CIDADE DESTINO os seguintes itens e seus respectivos números de série: 1. ________________________________________________Número de série:______________ 2. __________________________________
  7. Basta declarar na ida o que está levando. Opa!! Obrigado pela resposta rápida. Como eu faço isso? Pensei que a declaração de bens na saída do Brasil tivesse sido abolida. Obrigado
  8. Fala pessoal. Deu uma lida nesse tópico e também pesquisei no Google, mas não achei resposta para minha dúvida. Eu tenho muitos bens adquiridos do exterior, comprador no eBay. Sempre compro. A maioria nunca foi taxado, e isso inclui videogames, celulares, até mesmo uma filmadora. E também comprei produtos em outras viagens pro exterior que estavam dentro da cota de 500 dólares, fui para a fila de não declarar e fui liberado. Minha dúvida é: Como eu faço quando for viajar pro exterior com um desses itens, por exemplo a minha filmadora, e estiver retornando? A única comprovação que eu tenho
×
×
  • Criar Novo...