Ir para conteúdo

Renato37

Membros
  • Total de itens

    124
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Tudo que Renato37 postou

  1. Travessia feita em: 28/09/2019. Todas as fotos estão em: https://photos.app.goo.gl/sS4m5bB5wDXsYJNe6 - Introdução - Uma semana antes dessa caminhada, estava conhecendo o Morro do Saboó em São Roque. Do seu topo, comecei a reparar em outros picos bem maiores ao redor, qdo um em específico me chamou muito a atenção. Era uma enorme e
  2. Lá não pode acampar. Todas as trilhas da vila são proibidas e somente com guia. Se quer acampar, existe o camping simplão de tudo. Camping selvagem não é mais permitido nas trilhas da vila.
  3. Travessia feita entre dias 24 e 25.08.2019. Todos as fotos estão em: https://photos.app.goo.gl/66XjHffMpRPdHuqA8 - Introdução - Tempos atrás, tinha ouvido falar que na região de Jundiai tinha a Serra do Japi que outrora cheguei a tentar uma investida, mas sem sucesso. Isso pq é proibido o acesso as trilhas em boa parte da Serra. Mas nunca imaginei que na cidade vizinha, Varzea Paulista, houvesse uma simpática serra com um belo visual e 3 picos com facil acesso e sem restrições. Um amigo me falou de uma tal Serra da Mursa e como chegar lá. E é claro que fui conhecer em um r
  4. Travessia realizada em 17/08/2019. Todas as fotos da travessia estão em: https://photos.app.goo.gl/iALbK8QSahnj7Lku6 - Introdução - Fazia algum tempo que não batia perna na região de Paranapiacaba, ainda mais por conta da proibição e o aperto da fiscalização nas tradicionais trilhas do entorno da vila, como a da Fumaça e Cristal. Então, para evitar problemas, tenho optado por ir para outros lugares, como na Serra do Mursa, Itapety e Mogi, entre outros. Já tendo feito um batevolta na pouco conhecida Pedra Grande do Quatinga em 2013, es que me surge a ideia de retornar a
  5. Vale muito a pena, como eu moro longe, o circuitão foi a melhor coisa que eu fiz para aproveitar o melhor dos 3 principais picos.
  6. Obrigado a todos! Pessoal, a melhor maneira de fazer os 3 picos é ir primeiro no A2, depois volta e passa no Itapiroca, e sobe para o Caratuva pela trilha que interliga ela com o A1. É uma trilha menos ingreme e você chega mais rapido ao topo do Caratuva. A outra trilha que vem da fazenda é mais longe e é uma pirambeira daquelas. Só vale a pena se for fazer a logistica ao contrário, acampando no Caratuva no primeiro dia e seguindo para o A2 no segundo dia. Na volta do segundo dia, passa pelo Itapiroca e depois volta para a fazenda. Se for fazer em 3 dias com 2 pernoites, começan
  7. 4ºDia - Do topo do Capim amarelo (2.392m) a Rodoviaria de Passa Quatro (sem resgate) A Segunda-feira amanheceu com uma fina nevoa, o que me fez supor que não iria dar para ver o nascer do sol. Mas era só uma nuvem passando e logo abriu. Um tapetão de nuvens cobria o vale do paraíba e as cidades do sul de MG. Após ver o surgimento do astro-rei por detrás da crista do Melano, fui preparar meu último café da manhã. A novidade foi o topo todo coberto pelo branco da forte geada da madrugada, o que foi um atrativo a parte, pois não havia visto o Capim amarelo daquele jeito nas outras vezes
  8. 3º Dia - Do topo da Pedra da Mina (2.798m) ao Alto do Capim amarelo (2.392m) No topo da Pedra da Mina, logo após o nascer do sol Acordei pouco depois das 6:00hs para ver o nascer do sol e logo desci para preparar meu café. As 7:00hs já estava desmontando a barraca, mas só fui sair pouco depois das 9:00hs para dar tempo do Leo curtir o topo e tirar suas trocentas fotos de primeira vez. Mochila nas costas, começamos a descer em direção as nascentes da Pedra da mina. Durante a descida, somos brindados com uma visão de arrepiar de toda a cadeia de montanhas da parte oeste da Serra fina,
  9. 2ºDia - Do Pico dos 3 Estados (2.665m) a Pedra da Mina (2.798m) Nascer do sol no cume dos 3 Estados O Sábado amanheceu com o céu totalmente livre de qualquer vestígio de nuvens, o que era um sinal de que seria mais um dia igualmente aproveitavel, com céu azul e tempo firme....Após ver o Astro-rei surgir por detrás da Serra do Itatiaia, fui preparar meu café da manhã, enquanto que o Leo se fartava de fotos no topo....afinal era a 1ºvez que ele estava fazendo a travessia e logo de cara a travessia ao contrário. Barraca desmontada e mochila nas costas, começamos a caminhar pouco a
  10. Álbum com todas as fotos da travessia estão em: https://goo.gl/photos/nfzuWXFzDoqd68vh8 Travessia realizada entre dias 29/07 a 01/08/17. - Introdução - No geral, quem faz a travessia da Serra fina pela 1º vez, logo se encanta com a beleza do lugar e também sente na pele a fama da travessia estar entre as mais dificeis do Brasil. O que ela tem de dificil, tem de recompensas, o que faz que muitos retornem. Já tendo feito outras 2 vezes no sentido tradicional, agora era hora de experimentar a travessia no sentido contrário, que dizem ser mais dificil, mas que oferece
  11. Galera, repeti a travessia no sentido contrário no final de Julho de 2017 e escrevi um relato detalhado....se quiser conferir, o link é: Abraços!
  12. Cara, estamos na temporada de chuvas, epoca de montanha é de Maio a Setembro.....
  13. Olá, O acesso é facil sim. De ônibus, é só pedir para descer entre os km52 e 53 na chamada "Cota 95" Atravessa para o outro lado e é só buscar a entrada da trilha que sai do lado da rodovia. Na duvida, pergunte a moradores locais. abs
  14. Ressussitando o tópico apenas para dizer que estive no PP pela primeira vez agora no final de Junho e pernoitei no camping para subir descançado no dia seguinte. Cheguei por volta das 17:30 de sexta-feira e não havia ninguém no camping. Mas pouco tempo depois, apareceu um garoto de aproximadamente 12 anos perguntando se eu iria subir direto ou queria passar a noite ali. Falei que iria passar a noite e ele disse que é R$ 10 para ficar no camping. Pelo que entendi, se eu continuasse em frente, não seria cobrado entrada alguma, pois perguntei para ele sobre a taxa e ele me disse que é só
  15. 3ºDia - Pico do Sino, Cachoeira do Aiuruoca e Ovos da galinha Sol nascendo por trás das Agulhas negras A Sexta feira começou mais uma vez com geada, mas dessa vez, a temperatura caiu menos do que nos últimos dias e o termômetro marcava -03ºC, sendo a noite menos gelada que peguei até então. Mais uma vez, a barraca amanheceu com uma fina camada de gelo, mas dessa vez, o ziper não travou. Como nos dias anteriores, novamente o céu estava livre de qualquer vestígio de nuvens e como estava em um vale, nascer do sol só subindo até a Pedra do Altar ou ir até a base das Prat
  16. 2º Dia - Pedra do Altar, Circuito dos 5 lagos e Abrigo Massena Pequeno lago, congelado logo pela manhã A 5º feira amanheceu com um céu estupidamente limpo, mas o frio estava de lascar. O termômetro que deixei pendurado do lado de fora da barraca marcava em torno de -05ºC e uma grossa camada de gelo cobria a barraca. Havia tanto gelo que o ziper da barraca até travou. E nisso, tive que ter paciencia para abrir e conseguir sair, sem quebrar o dito cujo. Barracas congeladas A área de acampamento estava toda coberta de branco da forte geada. Sair da barraca foi um desafio, mas
  17. Trilhas realizadas entre dias 15 a 18/06/2016. O Album com todas as fotos estão em: https://picasaweb.google.com/110430413978813571480/6311698533891046049?authuser=0&feat=directlink - Introdução - Esse é um relato de uma aventura decidida na doidisse de ultima hora, motivada pela paixão pela natureza e que inicialmente iria ser totalmente solo, mas que no final, o que começou sozinho, terminou em um trio. Eu fiz coisas lá que saiu totalmente fora do padrão de quem já conhece ou já fez as trilhas e travessias do parque. Fazia anos que tinha o desejo de fazer um circuitão so
  18. Pois é, fazer os 3 picos nesse esquema fica um pouco corrido, mas estando de carro, é bem mais facil para voltar para Sampa ou alguma outra cidade de 5 ou mais horas de distancia. A principio, eu iria vir com um grupo, mas o povo tava muito enrolado e como ocorre em vários grupos, sempre tem aqueles que dão para trás na ultima hora. E para piorar, uma das pessoas que deram para trás, era um dos carros, sobrando só o outro. E esse que sobrou, o motorista ficou doente faltando alguns dias para a trip, tendo que abortar, deixando todo mundo sem carona, inclusive eu. Obviamente que isso não se
  19. Nascer do sol no A2 A noite foi bem tranquila e o amanhecer do domingo foi com temperatura amena por volta dos 07ºC. Acordei por volta das 5h00 da manhã com a movimentação do pessoal no camping que iria subir para o cume para ver o nascer do sol. Como eu já havia estado lá na noite anterior e o fato de que eu ainda iria passar no Itapiroca e acampar a 2ºnoite no Caratuva, nem subi e voltei a dormir. Barraca desmontada e mochila nas costas, pouco antes das 9h00, inicio a caminhada de retorno. O acampamento A2 estava lotado e como ainda tinha o pessoal que foi ver o nascer do sol lá no
  20. Trilha feita entre dias 25 a 27/06/2016. Todas as fotos estão em: https://photos.app.goo.gl/KW1dFw1v57i7oVhq8 Fazia anos que o Pico Paraná estava em meus planos, mas pela distancia e falta de tempo habil, fui deixando de lado até que nesse ano, decidi que estava na hora de sair um pouco da região Sudeste e ir trilhar em algum pico na Região sul. E nada melhor que começar pelo pico mais alto e mais conhecido da região, o Pico Paraná. Em Março, lancei um evento no face para a primeira quinzena de Maio afim de encontrar outros interessados em me acompanhar (além de facil
  21. Travessia sem perrengues não é travessia. O corpo cansa, mas a mente descança. Quem vai para a montanha e natureza, não pode querer o conforto de casa num lugar desses. Para ver as paisagens e curtir o ar da montanha, tem que encarar a pernada hardcore da trilha. Se um dia vcs fizerem a travessia da Serra fina ou Marins x Itaguaré, ai vai ver o que é carregar peso.....são travessias classicas, mas bem mais puxadas que a Petrô x Terê, mas com a vantagem de não ser parque e nem ter que pagar taxas ou se sujeitar as frescuras e burocracias de parque nacional. A Serra fina é 4 dias, bem mais
  22. Pessoal, estou pensando em fazer uma dupla travessia emendada no Parque nacional do Itatiaia, subindo pela Ruy Braga e descendo pela Serra Negra ou Rebouças X Mauá para o inicio de Junho. Eu nunca estive na parte baixa do parque e nem fiz a Ruy Braga, mas já fiz a Rebouças X mauá. Vou de carro com um grupo e estou na duvida se é mais vantajoso, rapido e barato ir de carro (e deixa-lo) no estacionamento do Parque, iniciando a subida pela Ruy braga direto ou ir até o final da Travessias lá em Visconde de Mauá e deixa-lo no final da travessia escolhida, vindo até Itatiaia de onibus, resgate o
  23. Compatilho da opinião dos colegas. Se for sua 1º vez, melhor Petropolis X teresópolis, pelos motivos já ditos por eles. Se depois de ter repetido a travessia 2 ou mais vezes e quiser experimentar uma nova experiencia na mesma travessia, ai tente fazê-la ao contrário para novos desafios, perrengues e visus diferenciados. É verdade que ao contrário você não vai curtir todo o explendor, mas terá outras visões que passou desapercebido, por isso vale muito a pena a experiencia. E assim como toda caminhada, a vantagem de fazer ao contrário é que a subida do 1ºdia é bem mais suave (evita o te
×
×
  • Criar Novo...