Ir para conteúdo

AnaChrist

Colaboradores
  • Total de itens

    267
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que AnaChrist postou

  1. Concordo com o Dérien. Alugar carro compensa, na Chapada. A menos que vc esteja com muito tempo livre pra pedir carona, daí a carona vale mais a pena! Táxi e agência são sempre as piores opções! Infelizmente. Abraços
  2. Apesar de ter várias atrações restaurantes e um certo frisson de turistas atrás de alguma nova movimentação, o melhor programa em Cartagena é se desligar disso tudo e simplesmente andar sem rumo e se perder em suas charmosas vielas e praças, além de curtir a brisa de fim de tarde no alto de sua muralha. Sem pressa. Sem afetação. E foi o que fizemos e que conto hoje num post novinho no blog. Link aqui: http://www.nativosdomundo.com.br/2015/10/cartagena-das-indias.html
  3. Opa, Zé. Viva Cuba intensamente, depois você pensa no resto do mundo! rs Boa viagem pra vocês! Abraços
  4. Segundo a opinião daquele norueguês que ficou famoso por conhecer todos os países do mundo, o Uruguai é um dos mais subestimados pelos turistas. Eu concordo com isso! Quase ninguém conhece, mas é um país cheio de encantos! Eu, inclusive, moraria lá! rs Parabéns pelo relato! Abraços, Ana
  5. Jose Manoel, achei seu roteiro bem bacaninha! Também sou adepta das viagens mais vagarosas, em que a gente pode viver um pouco de cada cidade com mais plenitude! Mas confesso que sempre fico sentindo falta de ver Baracoa nos roteiros dos brasileiros pela ilha. Claro que ir pra lá requer mais tempo e é mais cansativo, mas foi meu lugar preferido em Cuba e conheci cubanos lá que nunca haviam falado com um brasileiro antes... enfim, sei que talvez não dê tempo nessa sua viagem de agora, mas não deixe de considerar numa próxima! Sobre contato com as casas particulares, é difícil mesmo, porque o acesso à internet lá é péssimo. Mas se eu puder lhe dar uma sugestão, lhe diria para tentar reservar apenas a casa de Havana, pois não há risco algum de vc ficar sem hospedagem, já que são muitas as opções de casas particulares em toda a ilha e há uma rede bem articulada entre as casas particulares das diferentes cidades, no sentido de que o dono da casa em Havana pode te ajudar na reserva da casa em Trinidad e assim por diante. A vantagem disso é que vc tem mais flexibilidade no roteiro e pode ficar um dia a mais ou a menos num lugar sem se preocupar com reserva. No mais, curta bastante, que Cuba merece! Abraços, Ana
  6. Há uns dois anos, passei o Reveillon numa prainha chamada Calhaus, em Paraty. Fica perto de Pouso do Cajaíba (que fica lotado), mas Calhaus mesmo não lota. Lá não tem pousada, então ou vc acampa, ou aluga casa dos caiçaras. Quando fui, tinham duas barracas e duas casas alugadas. E só. Tem também uma outra praia do lado de Calhaus, que chama Itaoca, que eu tô querendo acampar um dia. Essa só rola camping mesmo e é paradisíaca... Abraços, Ana
  7. AnaChrist

    Cuba

    BG, é triste, mas a realidade é que muita gente viaja para "consumir" o destino e não para vivê-lo efetivamente e conhecer o mundo para além do seu próprio umbigo. Penso que isso que diferencia um turista de um viajante. O povo que viaja com preconceito vai pra Cuba e segue direto do aeroporto para os resorts all inclusive de Varadero e Cayo Largo sem sequer conversar com um nativo! Ou vai para reclamar que não tem wifi, ou que os prédios são velhos e mal conservados... E, em geral, são os mesmos que acham lindo as ciclovias de Amsterdã e reclamam das ciclovias da Avenida Paulista! hehehehe Infelizmente, o brasileiro ainda viaja por status e não por espírito desbravador. Nisso os argentinos dão banho na gente. Conheço argentinos em quase todas as "aventuras roots" que me embrenho e brasileiros só encontro em lugarezinhos da moda. Provavelmente, os brasileiros estão na Disney, Paris e Bahamas. E quando resolvem ir pra um lugar "rústico" vão pro Atacama, ou pra Jericoacora! (adoro esses lugares, mas tenho muitas restrições ao tipo de turismo que rola nos dois destinos). Vamos ver se com a crise, as coisas mudam. Mas vai ser engraçado ver esse povo na Bolívia... rs
  8. AnaChrist

    Cuba

    Sobre alguns comentários que li aqui... Sim, muitos cubanos dizem que a libreta não é suficiente pro mês inteiro, mas vale dizer que rodei toda a ilha e não vi um único pedinte e os poucos moradores de rua que vi eram os alcoólicos (o alcoolismo, sim, é um problema no país, pois a cultura de beber rum está arraigada na população). Ouvi muitas críticas ao Fidel, mas nenhuma referente à fome, o que indica que a libreta é complementada com renda extra, porque afinal os cubanos trabalham e recebem seus soldos, como todos nós, não é mesmo? Claro que há desemprego e esse é outro problema no país, já que há uma população extremamente qualificada (quase todos os cubanos tem curso superior completo), mas não há onde empregar toda essa qualificação. Por isso, vemos historiadores dirigindo táxis, ou engenheiros trabalhando em restaurantes. Mas FOME não há. Outro comentário que li por aí é sobre "criar filhos em Cuba". Vou contar o que vi sobre "ser criança" em Cuba. Não há sequer um guri fora da escola e não vi nenhuma criança trabalhando, ou pedindo dinheiro no farol, ou suja, ou com "ramela" saindo por todos os poros. As crianças cubanas são tratadas como porcelanas e todos cuidam deles como se fossem seus próprios filhos. Quando estávamos em Sanctu Spiritus, ficamos observando o horário de saída da escola e o que vimos é que elas viram prioridade na cidade. Carros param para elas atravessarem (e isso é raro em outras circunstâncias, porque os motoristas cubanos são agressivos! rsrs), pedestres cuidam para elas brincarem e a garotada tem uma liberdade que só vejo nas cidades do interior do Brasil. Isso tudo com a vantagem de terem ensino de qualidade nas escolas (sim, o povo cubano é extremamente culto e se vc não acredita bastar puxar papo com um taxista e verá que ele sabe mais sobre geografia do Brasil que muitos brasileiros! rsrs). Então, sim, eu criaria filhos em Cuba. Tenho certeza que eles teriam mais liberdade (pois é, liberdade! no sentido mais pleno da palavra) do que nossas crianças criadas à playstation e galinha pintadinha, sendo enjauladas nos condomínios fechados de Alphaville, ou equivalentes. Enfim, amo o Brasil e amo Cuba. Ambos tem problemas e ambos tem potencialidades. Radicalismos ingênuos sobre qualquer dos dois países não nos leva muito longe. Abraços, Ana
  9. mcparadinha (adorei esse nickname! rsrs), concordo com o pessoal que disse que com um bom GPS vc tira de letra a travessia do Salar com transporte próprio!!!! Já vi relato de gente que cruzou até de bike! Se eu fizesse essa travessia de novo, certeza que alugaria um 4x4 também, porque fiquei MEGA incomodada com o roteiro padrão das agências, onde todos vão exatamente nos mesmos lugares sem criatividade alguma! rs Pra vc se inspirar e criar coragem (se é que está com medo! rs), vou colocar aqui um link do Blog "Mil Dias por Toda América" de um casal de brasileiros que viajou ao longo de 4 anos por todos os países da América num 4x4, que eles apelidaram de Fiona. Eles cruzaram o Salar de Uyuni sem problema algum e relataram a experiência aqui: http://www.1000dias.com/rodrigo/atravessando-o-salar-de-uyuni/ (eles são bem gente finas e, se vc tiver dúvidas, eles respondem bem de boa! já fiz vários roteiros na América que eles me ajudaram a montar) Deleite-se com o relato deles e boa viagem! Depois, conta pra gente como foi! Abraços, Ana
  10. Apesar do nome, a Isla Grande, em pleno Caribe Colombiano, é relativamente pequena e facilmente percorrida a pé, ou de bicicleta. Foi isso que fizemos no nosso segundo e mais divertido dia na ilha e que relato nesse post do blog: http://www.nativosdomundo.com.br/2015/09/bikeislagrande.html
  11. Ah...obrigada, Luka! Viagem e fotografia são as minhas paixões mesmo! <3
  12. Um dos melhores relatos da Bolívia que já li aqui no Mochileiros! Parabéns mesmo pelo detalhamento e capricho na escrita!! Eu passei uns perrengues por lá, mas pretendo voltar em breve! País mágico! Abraços, Ana
  13. Pessoal, fui pra Colômbia agora em meio à alta do dólar e minha impressão foi a seguinte: assim como o Real desvalorizou, o Peso Colombiano também de tal sorte que não vi tanta desvantagem pra nós, brasileiros. Aliás, achei tudo beeem barato lá e inclusive comprei um macbook pela metade do preço que compraria no Brasil... Enfim, não sou economista e só estou compartilhando minhas impressões, mas acho que não precisa de pânico pra viajar pra lá, não! Boa viagem aos que estão de malas prontas! EU pretendo voltar em breve! Abraços, Ana
  14. O narcotraficante mais poderoso do mundo. O mais rico também. Tão rico que não tinha onde gastar tanto dinheiro e enterrava parte dos dólares vindos diretamente da sua "fiel" clientela norte-americana. A série Narco (aquela mesma com Wagner Moura) mostra muitas das propriedades de Pablo Escobar em toda Colômbia, mas esquece de uma, justamente a que fica em pleno Caribe Colombiano, de frente àquele mar de águas azuladas e que encontramos em completo abandono e invadida por porcos e indigentes. Sobre esse lugar carregado de histórias de ostentação e ruína, que escrevo no novo post do blog. link aqui: http://www.nativosdomundo.com.br/2015/09/o-palacio-de-pablo-escobar-no-caribe.html
  15. Pôr do Sol em Cajueiro da Praia (Piauí). Lembranças lindas dessa viagem...
  16. Pessoal, acabei de voltar da Colômbia e preciso compartilhar que achei Cartagena excessivamente turística. É linda, claro, mas achei pouco autêntica. Tanto que acabei estendendo minha estadia nas Islas del Rosário (mais especificamente na Isla Grande) e fiquei num esquema massa de turismo comunitário, na Comunidade de Orika. Achei que valeu demais! Povo tranquilo, mar calmo e de água quentinha, pura tranquilidade e ainda estimulando um turismo mais sustentável do que esses de bate-e-volta e turismo de massa, que só serve pra destruir os corais. Fiquei no Eco-hotel Las Palmeras e recomendo! Abraços, Ana
  17. Gabrielafanz, assim como o Matheusfl, também estou indo pra Cartagena em agosto na época de lua nova. Como chego dia 15, minha ideia é ir direto pra isla grande e já ficar por lá, pois dia 16 a lua já começa a crescer. Você sabe me dizer se há translado pra ilha à tarde? Chego em Cartagena por volta das 16h e já queria ir direto. Valeu demais pelas dicas! Abraços, Ana
  18. vivian.si, de bike deve demorar uma meia hora até a Laguna Céjar, mas avalie bem se vale a pena ir lá só pra isso, pois para entrar vc tem que pagar R$80,00 (valor que estava em maio), pois é quanto a comunidade que vive por ali cobra dos visitantes. A experiência de flutuar vale isso pra vc? Aí, vc que tem que avaliar. Mas prepare-se para depois tomar um banho gelado (tipo 0oC) para tirar o sal, pois seu corpo estará branco de tanto sal que tem naquela água. Mas, sinceramente, o que mais me incomoda nessa laguna é que um ecossistema tão frágil como aquele (não se esqueça que vc está no deserto) não pode simplesmente virar um balneário para turistas. Leve isso em consideração na hora de decidir ir, pois o pisoteio no fundo da laguna levanta sais minerais que deveriam estar solidificados para manter o equilíbrio do lugar, além de cada visitante levar novos sais estranhos para dentro da laguna. Quando eu fui era feriado chileno e mais de cem pessoas mergulhavam lá como se estivessem na piscina de suas casas e, por mais que haja orientação para que o povo não passe protetor solar, vi várias pessoas se melecando com o protetor antes de pular. Enfim, viajar sem pensar no que deixaremos pra trás é bem triste. Eu, apesar de ter pago para entrar (pois fui mané), não entrei na água, pois me assustei com o que vi assim que cheguei. Foi dinheiro perdido, mas prefiro assim do que ser mais uma a participar de um lance que discordo. É possível ir de bike até várias lagunas por ali por perto sem pagar nada para ver o visual (que é deslumbrante) e sem alterar tanto o ecossistema, como os Ojos del Salar (onde muita gente tb pula, infelizmente), ou a Laguna Tabenquiche (um pouco mais longe). Espero não estar sendo chata e não estou falando pra vc deixar de ir, mas vale a pena ponderar essas coisas antes! rs Abraços, Ana
  19. Olá, pessoal. Acabei de voltar da Bolívia e fiz o passeio de 3 dias/2noites com transfer para San Pedro de Atacama com a agência Cordillera Traveller. O serviço foi bom, o carro era relativamente novo, o motorista era um pouco apressado, mas bom e a comida bem razoável. Meu azar foi mesmo com uma queda que tive (e fraturei o punho) e não tinha nenhum atendimento médico próximo. Tive que esperar (com dor) até chegar ao Chile para conseguir um médico. Então, quando forem sejam precavidos e além de itens básicos (como MUITA água, papel higiênico, babywhipes, boas roupas de frio, etc) levem material de primeiros socorros (analgésicos, anti-inflamatorios, tala, etc) e tenham juízo para não se machucar! rs Mas tenham em mente que a Bolívia não é um país com uma mega estrutura turística, então é fundamental ter certa flexibilidade e paciência, além de uma pitada de sorte, porque a verdade que mesmo com a melhor agência pode haver problemas... No mais, é só alegria, pois o lugar é fenomenal! Abraços, Ana
  20. Opa! Parabéns pelo relato! Quantos dias vc recomenda em San Pedro? Abraços, Ana
  21. E eis que chegamos ao ponto alto da viagem: Urubici. Rodeada de paisagens grandiosas, belas cachoeiras e trilhas de tirar o fôlego, a cidade nos seduziu a poto de já estarmos programando o retorno, dessa vez, no inverno. relato completo no post: http://porai-viajando.blogspot.com.br/2015/02/urubici.html
  22. Olá, nnaomi! Você e seus super guias/relatos com informações completíssimas! Lembro que você muito me ajudou na Rota das Emoções (que fiz em 2013) e agora, procurando sobre Urubici achei novamente seu guia. Muito obrigada pela dedicação e solidariedade com os mochileiros dessa comunidade! Estive agora em janeiro em Urubici e pude usufruir do verão da cidade. De fato, o clima é ameno e pegamos uma temperatura máxima de 23graus. Uma delícia! Gostaria de complementar com dois restaurantes que conheci e gostei: o Casarão (o ambiente é bacana e tem um cardápio honesto-leia-se barato- e variado) e o Muller (mais carinho, mas com um fondue delicioso). Sobre hospedagem, eu recomendo muito a Pousada da Célia. Ótimo custoXbenefício com quartos aconchegantes e a própria D. Celia nos recebe muito bem, já que mora ali mesmo e está sempre disposta à uma boa prosa. Caso interesse, segue o meu relato da estadia em Urubici: http://porai-viajando.blogspot.com.br/2015/02/urubici.html abraços, Ana
  23. Um pedacinho do Tirol em pleno oeste catarinense, Treze Tílias nos conquistou, principalmente, por sua linda arquitetura e por produzir uma das melhores cervejas que já tomamos, a Bierbaum. http://porai-viajando.blogspot.com.br/2015/02/treze-tilias.html
  24. Ah, que legal seu relato! Estive agora no fim de dezembro em Pomerode e fiquei morrendo de vontade de ir na festa. Acabei de fazer o relato da minha estada lá, se quiser ler: http://porai-viajando.blogspot.com.br/2015/01/pomerode.html Abraços, Ana
×
×
  • Criar Novo...