Ir para conteúdo

GIACOME

Membros
  • Total de itens

    127
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que GIACOME postou

  1. Bacana e organizado o relato. Parabéns. Passei pelas Serras Gerais no dia 20 de Janeiro e vi o quanto tem potencial turístico. Muito bacana. Conheci o Rio Azuis e a rodovia 118, que passa dentro do parque da chapada dos veadeiros. Sensacional.
  2. Pessoal, postei alguns vídeos na sessão Cicloturismo mas não fiz o relato desta viagem que fiz à Chapada dos Guimarães. Fiquei dois dias neste lugar belíssimo, e relato aqui as minhas experiências. Primeiramente fiquei em dois locais; agendei um flat pelo Airbnb, mas não consegui efetuar o Check in no dia da chegada. Como fui de moto, saindo de Rondônia, rodei 1050km e cheguei às nove horas na Chapada. Assim, não consegui dar entrada no quarto. A anfitriã estava se comunicando por e-mail, e eu não estava recebendo os e-mails. Logo, tivemos um desencontro. Tive que procurar uma pousa
  3. 9boro, Sim. originais. Realmente são bem durinhos, mas dão conta do recado. O lance é o minimalismo. Abração.
  4. As fotos não estão à altura da beleza. Pensei em um rio Verde, de águas transparentes e com várias corredeiras. Uma cachoeira linda e água quente. Sensacional. Se puderem ir até Campo Novo dos Parecis, visite o Balneário Municipal. Mas como tudo na vida nada é de graça. Com a trepidação perdi a placa da moto. Pensem em uma situação: quatro horas da tarde, com uma placa na mão e 500km para percorrer até em casa. Mas todo viajante tem que ter resiliência. Nada está perdido. Com paciência encontrei uma oficina mecânica de motos, arrumei a placa e parti para Comodoro. Cansei menos que a ida, pois
  5. CONTINUANDO. Bem, em sequência ao relato, depois que eu abasteci em Lucianópolis, fiquei mais tranquilo e acabei pensando merda. Estava à 50km do trevo que liga Tangará da Serra a Campo Novo dos Parecis. Na minha cabeça, em um planejamento anterior, eu IMAGINAVA que as cachoeiras do hotel Salto das Nuvens, um hotel muito legal que existe próximo a Tangará da Serra, ficavam a 8 km do trevo. Ledo engano; quando cheguei no trevo que dividia Tangará para a esquerda e Campo Novo, pensei; quando estarei aqui novamente? porque não ir? no meu raciocínio de mochileiro a lógica é: está próximo de um lug
  6. Sensacional!!! Exercício mental bem descrito por vocês!!! Parabéns pelo relato!!
  7. Pessoal, inicio este relato já mencionando o título de um relato que li antes de abrir o meu. Chamou-me muito a atenção a frase "jornada de autoconhecimento". Sempre digo que toda viagem produz muito conhecimento. Mas as viagens de moto geram além disso, geram conhecimento de si mesmo. Dessa forma, esta pequena viagem também trouxe-me revelações, nas linhas que seguem, caso tenham paciência de ler. Minha viagem ocorreu entre os dias 22 e 26 de Janeiro. Saí de Casa, Cacoal, Rondônia, às 5:30, realmente pegando a estrada depois de abastecer às 6 horas da manhã. Da minha casa até a Cha
  8. Pessoal do Mochileiros, quero divulgar meu Canal no Youtube sobre Bike e Passeios em locais Interessantes. Gosto de conciliar lugares instigantes com o desafio dos pedais. abaixo seguem links dos vídeos relacionados aos Pedais realizados na Chapada dos Guimarães. O primeiro vídeo mostro o aluguel de uma bike própria para trilha na Loja Bikescia, na própria Chapada dos Guimarães e o início do Pedal de 40 km em algumas rotas turísticas como as cachoeiras Véu da Noiva, Namorados e Cachoeirinha. O segundo vídeo trato da viagem de Motocicleta de 1000km entre Rondônia
  9. SÁBADO, dia 15 de Julho de 2017; dia de Arequipa; saímos de Puno tarde, beirando às 9:00 horas; tomamos o café da manhã no Hostel Tayka e partimos; na saída para Juliaca, a subida nos últimos mirantes de Puno para fotografar o lago; mas já não tínhamos tanta motivação, depois das outras fotos absorvidas; fiquei com dor no coração de saber que estava passando ao lado das Chulpas de Sillustani e que não poderia parar. Um bom motivo para retornar ao Peru. Abasteci em um posto que aceitava cartão; enchi o tanque e partimos rumo a famosa Juliaca. Como sempre esta cidade dá um pouco de trabalho; e p
  10. Thiagopqd, pretendo ir em Julho/2018; mas desta vez sem as crianças; fazer o mesmo percurso até La Paz; lá ficar um pouco para fazer a estrada da morte de bike; depois voltar por Iquique e descer até Antofogasta e San Pedro do Atacama; fazer o Salar de Yuni também; o retorno quero passar por Arequipa e Lima;
  11. Minha próxima viagem será para o Chile; Deserto do Atacama e Salar; depois voltar por Lima; Já viajei de Santiago até Buenos Aires por via terrestre; subi as Caracoles e desci a cordilheira em Mendonza; de lá peguei um ônibus top para Buenos Aires indico demais este trajeto abraços
  12. Bem, amanhecemos em Puno, no Hostel Tayka; amanheci só o trapo; chegamos muito de madrugada, um frio violento e naturalmente efeito do Soroche da altitude de La Raya. Fiquei sem fome e muito mal. Saímos para tomar o café (desayuno) e encontramos um pub muito legal, chamado Positive, com uma decoração no estilo daqueles hosteis tipo Che Lagarto; a temática era o Rock e Reggae; indico muito; o café era sensacional; café americano, com suco de laranja e ovos; depois deste café fomos às margens do lago Titicaca, no cais que leva às ilhas de Uros; eu estava morto e em frangalhos; fiquei deitado no
  13. Quarta-feira, dia 12 de Julho. O dia de hoje foi repleto de surpresas e pequenas dificuldades. No dia anterior tínhamos sido bloqueados no retorno de Ollantytambo pela greve dos professores. Assim, decidimos sair ainda de madrugada para Puno, com medo do bloqueio pela greve nacional. Logo, antes do amanhecer já estávamos levando as malas para o carro, estacionado na praça Regozijo. Com bastante pressa queríamos sair antes do bloqueio. Mas tal foi a nossa surpresa quando chegamos ao carro e encontramos o pneu murcho. Infelizmente este pneu vem dado problema desde a saída de Cacoal. Tivemos que
  14. Neste terceiro dia em Cusco, dia 11 de Julho, a coisa já não foi tão simples; iniciamos nossa fase de aventura que só iria terminar em Arequipa. Antes, um detalhe sobre o carro. Na primeira noite o carro dormiu em frente à praça Regozijo, na faixa amarela. Além de dormir preocupado com arrombamento, fiquei tenso imaginando o carro ser rebocado. Mas conversei com vários policiais que afirmaram a possibilidade de deixar o carro nesta praça a noite, sem problemas. Foi o que fiz. Mas na noite de segunda tirei o carro de Lá e coloquei algumas ruas abaixo, na rua paralela à Av del Sol. Estacionament
  15. Estávamos na segunda-feira em Cusco. Quarto dia de Viagem. Poucas aventuras nos esperavam neste dia, tendo em vista que era momento para re-conhecer Cusco e levar os pequenos / médios para passear. Nossos amigos estavam curtindo a parte que queriam ver e ficamos sozinhos. O dia era deleitar na praça, Mercado San Pedro e comidas, muitas comidas. A Lívia amou Cusco; aquela praça florida, as catedrais e monastérios, gente e gente, sol e luz. O Pedro queria até morar ali. Passeamos pela praça, fomos ao mercado central (com preços ótimos de lembranças). Como o dia foi sem maiores diversidades, r
  16. Bem. Neste terceiro dia de viagem, exatamente dia 09 de Julho, um domingo, decidimos subir a cordilheira, com destino a Cusco. Nossa preocupação eram as crianças, principalmente a Lívia de 5 anos. Ministramos um AS infantil, que tem a composição menor que o Soroche Pills. Nós tomamos este último, logo pela manhã, e depois tomaríamos outro comprimido a noite, chegando em Cusco. Isso porque elevaríamos aos 4728 metros em menos de 6 horas de viagem. Compramos os remédios, tomamos café em uma padaria e abastecemos. Encontramos um posto que passa targeta, cartão de crédito. Iniciamos a viagem. S
  17. Acabamos de regressar desta maravilhosa viagem, onde o exercício de resiliência e cuidado mútuo fez parte constante do trajeto; viajamos de carro, partindo de Cacoal, Rondônia, fazendo o já clássico caminho entre Rio Branco (Acre) e Cusco (Peru), passando pelas belas geleiras da cordilheira dos Andes. Estávamos em quatro pessoas, sendo elas duas crianças de 14 e 5 anos. Nestas condições o nível de aventura deve ser moderado, não podendo fazer caminhadas mais longas, ou qualquer outro passeio que demande muito esforço físico e muito menos risco à saúde ou à vida. Saímos de Cacoal junto com
  18. Desculpa Sérgio, agora que li, você já passou rsrsrs faça uma ótima viagem;
  19. Sérgio, quando você passar por Rondônia dá um toque caso dê tempo moro em Cacoal, Rondônia é seu caminho Abração Rômulo
  20. Olá Hlirajunior na verdade passei dentro da cidade completamente a pista estava interditada o desvio era dentro de bairros da cidade, periféricos e centro tem boa sinalização placas grandes, mas é um labirinto vou continuar meu relato onde creio que seja seu interesse: a cordilheira Cusco / Acre percorri este trecho de carro; foi muito bom abração
×
×
  • Criar Novo...