Ir para conteúdo

GIACOME

Membros
  • Total de itens

    126
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que GIACOME postou

  1. Sérgio, quando você passar por Rondônia dá um toque caso dê tempo moro em Cacoal, Rondônia é seu caminho Abração Rômulo
  2. Olá Hlirajunior na verdade passei dentro da cidade completamente a pista estava interditada o desvio era dentro de bairros da cidade, periféricos e centro tem boa sinalização placas grandes, mas é um labirinto vou continuar meu relato onde creio que seja seu interesse: a cordilheira Cusco / Acre percorri este trecho de carro; foi muito bom abração
  3. bem, onde estávamos rsrsr há, neste momento estava dirigindo em direção à Puno; já eram 9:00 horas da manhã e tínhamos muitos quilômetros para percorrer; um detalhe importante é o tanto de cruzes dispostas na beira da estrada; será que eram os acidentes? bem, e eram; bem a frente um acidente entre duas carretas; sinistro; passamos por uma cidade, que creio ser Sicuani; bacana demais, mas bem movimentada, onde tinha uma feira no centro; depois de Sicuani, chegamos em La Raya, onde é possível ficar a mais de 4400 metros de altura; bem gelado e bem próximo da cordilheira; ali haviam bancas que vendiam produtos, provavelmente para a parada dos ônibus de turismo; mais a frente, parei em um pequeno comércio e comprei um refrigerante Crush; pensei que nem tinha mais; o interessante é que o refri estava quente; na verdade, não gelado artificialmente, mas sim pelo clima frio rsrsrs O que cito como relevante nesta viagem até Puno de Carro é tomar cuidado com Juliaca; o trânsito é caótico e a cidade é suja; infelizmente, uma constatação; de algo muito dito por aqui; Chegamos em Puno já perto das 14:00 horas; passei em um mirante mágico ao lado do lago Titicaca e fiquei triste por não ter parado; daria uma fotografia ótima; perdi, pois voltamos de madrugada; chegamos em Puno, bem no centro, de fronte a catedral; estacionei e procuramos hotel / almoço; achamos uma agência de turismo bem no centro (aquela clássica rua sem passagem de carro com vários restaurantes e movimento noturno); Puno é bem frio; já naquela hora, já estava meio frio; na agência de turismo agendamos o passeio a ilha de Uros no centro do lago; o passeio sairia à 15:00; fechamos por 40 pesos; tínhamos que encontrar hotel e almoço; achamos um hotel pertinho, com estacionamento; guardamos o carro e fomos almoçar; pedimos um menu gastronômico em um local bacana; meio que apressado, comemos e já saímos para o passeio; Muito se fala da ilha de Uros e das comunidades "fake" lá alocadas e feitas para agradar turistas; não vejo assim.pegamos o barco e achei o lago lindo; belas águas e um espírito louco; uma vibe alucinada de estarmos em pleno lago titicaca; chegamos na comunidade, assentada sobre as estruturas das ilhas flutuantes; nos recepcionaram de modo amável; levou-nos a conhecer as habitações e os locais de compras; achei tudo o máximo; mágico do mesmo modo; não é porque não existem mais os negros originais que Ouro Preto perdeu seu encanto; ainda podemos escutar os gritos da escravidão por ali; agradeço a eles por manterem a tradição, ajudando-nos a manter a memória; como podemos retribuir? pagando. pagando sim. chegamos em Puno bem a noite; estava bem frio. jantamos um gostoso jantar a partir de menus prontos, e fomos dormir para sair cedo no outro dia; mal saíamos as surpresas que nos esperariam; e que surpresas, rsrsr Sobre Puno? cada experiência é individual. para mim, Puno merece uma visita sim; as ilhas de Uros são legais e esteticamente belíssimas, extremamente artísticas; belas fotografias; Puno é movimentada; levemente desorganizada, mas intimamente ligada ao lago; amamos sim; dirigi 800 km somente para esta tarde; algumas horas na verdade; não me arrependi. bem, continuo...
  4. VIAGEM A PUNO: LAGO TITICACA Neste dia já iríamos nos despedir de Cusco; ajeitei as malas no carro e fizemos o check out em nosso bacaninha hostel MixPeru; demos partida no carro (alegria de ouvir o motor) e fomos pegar a estrada para a chegada em Puno; de Cusco a Puno são aproximadamente 430 km; mas antes tínhamos que passar em duas igrejas; estas igrejas são aconselhadíssimas, pois fazem parte da rota do barroco andino; são construções importantes para o Barroco, tanto por sua riqueza material quanto pela chamada arte cusquena, que criticava a igreja dentro da própria igreja, como é o caso dos murais de Tadeo Escalante. A primeira é Andahuaylilas. Sua riqueza material é estonteante, por apresentar muito ouro, arabescos e sacadas sacras lindíssimas. Tinha turistas de várias partes do mundo lá. A segunda Igreja era o meu chodó. A Igreja de Huaro, um pouquinho depois da primeira cidade. Lá estão os famosos murais de Tadeo Escalante, professando uma espécie de vingança dos Incas aos espanhóis, dentro da própria Igreja. Depois deste tour literário / histórico, voltamos para a estrada; esta rota entre Cusco e Puno é maravilhosa; tem muitas atrações e algumas delas conseguimos apreciar, como é o caso de La Raya. Por outro lado, algumas belezas passaram ao largo, pois estávamos com pressa e acabamos por não parar. rota puno cusco inkaexpress.PDF continua...
  5. Fiquei com a consciência culposa por não concluir rápido meu relato, mas neste meio tempo fiz outra viagem de carro, bem longa, e acabei de regressar de uma viagem de moto. Portanto, tenho que concluir, principalmente para tentar saborear de novo os momentos que vivi por lá. A SUBIDA NO HUAYNA PICCHU Escolhi subir no segundo horário, porque fiquei escutando as dicas do guia que nos acompanhava; mas a ansiedade me fez ir ao portal da montanha antes. Cheguei lá e já se encontravam muitos gringos jovens esperando abrir o portão para subir; fixei a gopro de uma maneira que ela filmasse em primeira pessoa (fixei na testa rsrsrs) por um suporte que vem no kit motosposrt. Dali iniciei a subida; o engraçado é que quando você inicia a subida, você desce; onde é justamente a travessia de uma montanha para outra, a partir de uma depressão; bem, após essa descida, o negócio pega; subida semi-íngreme até culminar no mais heavy; o momento que as escadas de pedra tornam-se mais íngremes. Não senti cansaço em relação a altitude, e nem em relação ao esforço; creio que o que mais cansa são os joelhos e pés; você deve estar com um calçado bem estruturado e não derrapante; a minha bota Hitec foi fantástica; deu conta do recado; encontrei um senhor brasileiro que morava em Curitiba; ele estava com seu filho; fizemos amizade e subimos juntos; de repente chegamos em um nível que dava excelentes fotos; era uma espécie de sacada, onde são feitas as principais fotos que vemos pela net; claro que com o apoio do amigo brasileiro também fiz essa foto. Mas deste ponto ainda não estávamos no topo; era preciso subir um pouco mais; então mais umas escadinhas de média periculosidade, a travessia de uma pequena gruta, onde temos que nos abaixar para passar (quase aranhei minha câmera) e de repente estávamos no topo; bem lá em cima mesmo; lá tem um certo perigo, pois o local não tem aparatos de segurança; é extremamente fiel aos tempos incas; rsrsr a descida de tudo isso foi um pouco demorada, pois força bastante o joelho; um mínimo de preparo físico é recomendado. retornei já era mais de meio dia; encontrei a Helem na entrada e fui carimbar meu passaporte; afinal de contas, estávamos em Machu Picchu, solo sagrado dos Incas e do turismo de aventura. As 14 horas pegamos uma van que iria descer para Machu Picchu e esperarmos o horário do nosso trem. Ficamos em Àguas Calientes a tarde inteira; comemos uma pizza em um dos vários restaurantes exóticos que lá existem; depois saímos em busca de bibelôs nas várias barracas e lojinhas; comprei uma mini-muralha de pedras de Machu Picchu por 10 reais. achei top. às 19 horas pegamos novamente o trem e só paramos em Ollantaytambo; indico muito um pernoite nesta cidade; ela tem atraçoes bacanas, bem como ruínas insanas; além disso tem a descida de bike da montanha, que dizem ser top; na próxima ida explorarei melhor esta cidade; Em suma; o retorno para Cusco foi com aquela sensação de vitória, alegria extasiante, euforia que só certas emoções podem convergir em nosso ser; Ainda comemos na nossa pizzaria favorita, La Bodega, uma deliciosa pizza de peperoni; só saudades; continua...
  6. Mateusspagiari --> pode me contactar pelo e-mail [email protected] Marcosmarim --> não sei se abril é alta temporada; mas Huayna sempre é muito cotado; acredito que seja contar com a sorte não comprar antecipado boa sorte a todos
  7. GIACOME

    Huayna Picchu

    Fui em Julho do ano passado (2013) e te digo, é bem frio; nada anormal, mas a noite ande sempre preparado; as vezes dá uma pequena chuvinha e fica ainda mais frio; durante o dia até que podemos ensaiar retirar a blusa; em Águas Calientes o clima é ameno, pois é mais baixo;
  8. Olá Klebaum subi sim; acho que compensa: de qualquer forma, os guias atendem mais nos primeiros horários então você já escuta as orientações e depois sobe o que faltar você faz depois, quando descer; abração
  9. Bacana mesmo o relato também fiz este trajeto turístico entre Cusco e Puno, de carro; (julho/2013) mas percebi que na minha viagem faltaram algumas paradas, que vocês assinalaram; na cidade de Huaro tem uma atração especial, que compõem a rota do barroco andino os murais de Tadeo Escalante. muito transgressoras. pretendo voltar agora especificamente para Arequipa, pois tenho "base" de hospedagem na divisa com o Peru e para mim acaba ficando perto chegar nesta região; assim que fizer a minha viagem, posto o relato e linko vocês; só uma dúvida. existe alguma outra atração que vocês me indicariam em Arequipa? uma vez que pretendo ficar lá três dias? obrigado.
  10. há, esqueci de dizer existe uma rota que sai antes de Puno ou Juliaca até Puerto Maldonado mas não é asfaltada e é perigosa em Janeiro
  11. Hlirajunior fui pela interoceanica de Assis Brasil até Cusco; na volta de Puno retornei pelo mesmo local; fiz Puno / Cusco / Puerto Maldonado saí cedo de Puno e consegui chegar em Puerto Maldonado no entardecer; andei bem; a estrada é linda e flui muito bem qualquer dúvida estamos aí
  12. Julia lembro que tem uma pousada semelhante em pedrão à pousada Bom Jardim. Acho que é Sucuri; muito boa, parece; mas no mesmo preço, pois tentei reservá-la e vi os valores, (na época) é bom vasculhar Bom Jardim, que é pequeninho em busca de outras pequenas pousadas; mas creio que não tem; é importante reservar na Pousada Bom Jardim, principalmente no Carnaval; em Julho eu paguei 140,00 a diária para um casal; Abraços Rômulo
  13. Eu acredito que o equipamento não é o imprescindível; visto que os locais são particulares, em áreas reservadas ao turismo pago rsrsr assim, para entrar no aquário é necessário efetuar o pagamento no próprio lugar; creio que tem desconto se usar seu equipamento; somente creio; os rios triste e saloba tem os pontos de entrada pagos, mas creio ser possível entrar por outros locais; é bom frisar que o custo das flutuações em Bom Jardim é baixo; a hospedagem é relativamente cara para os padrões; mas vale a pena, pois é top as belezas; abraços Rômulo
  14. Prezados amigo do Mochileiros Estou planejando mais uma viagem; esta de carro com a família; Sairei dia 05 de janeiro e passarei em Foz do Iguaçu, rumo ao Litoral Norte de SP; Antes irei a Maringá, Interior de SP, Americana e depois descerei o litoral; passando por Bertioga e indo a Ilhabela; Já tenho agendado apenas um hotel em Caraguatatuba, principalmente para ficar próximo de São Sebastião, que dizem ter ótimas praias para crianças (o preço em Ilhabela não é convidativo) Gostaria da ajuda de vocês para saber aproveitar melhor o litoral Norte / sul de Sp com criança; algumas sugestões? alguma pousada com o selo mochileiros? segue link do meu roteiro: http://goo.gl/maps/U6qvY
  15. GIACOME

    Huayna Picchu

    Aconselho subir no primeiro também; depois dá tempo de você andar com calma pelo parque todo; quando subi, cansei demais e nem participei melhor do parque;
  16. Olá wsantosw Fui para Cusco pelo Acre em Julho agora; te digo uma coisa; a gasolina do Peru diminui a potência do carro; ele bate o famoso "pino" e tem perca de potência; acredito que caia uns 30 por cento; se o seu carro estiver muito cheio, você vai sentir um pouco o peso no motor 1.0; mas te digo, nada que atrapalhe a viagem; pode ir tranquilo quanto à motor; quando fui, um celta 1.0 lotado estava na minha frente e foi de boa; como você falou que vai somente em dois, fica filé; um dica é abastecer com gasolina 90; eu fui com um voyage 1.6, somente eu e a patroa; foi uma viagem maravilhosa; eu fiz o seguinte: - dormi em Puerto Maldonado e sai cedinho para a subida da cordilheira (6:00 da matina) - enchi o tanque em Puerto Maldonado de gasolina 90; - leve dinheiro vivo em moeda local pois tem dois pedágios pagos; - Demora bastante até você chegar na serra Santa Rosa, mas antes você já começa ver os picos nevados; muito louco; - Compre na farmácia em Puerto Maldonado um remédio para Soroche, esqueci o nome agora; ele é indicado tomar de 12 em 12 horas; chegando em Quincemil tome o comprimido e abasteça de gasolina 90; - Você irá iniciar a subida na serra; chegando em Marcapata, pare para fotos das belas montanhas e paisagens; tome o chá da coca; lá eles vendem água quente em uma feirinha; tome o chá; - Seguindo, você irá chegar no pico da cordilheira; mais de 4300 metros; não desça correndo do carro para fotografar as montanhas com neve que estão bem próximas; desça devagar, com calma; se agasalhe, pois já está bem frio; o mal dos andes pega é ali; descendo do carro, pois descomprime; faça fotografias de lá e cuidado com as pedras que estão na margem da estrada; tem crianças peruanas neste local. - Siga a frente e almoce trutas fritas em uma barraca à margem da estrada; a truta é maravilhosa; compensa e é muito barata; peça para diminuir o sal; os banheiros são horríveis, já digo de antemão; Em suma, Foi uma road trip maravilhosa; lindas paisagens, conversando com a patroa, trocando aquela energia; Inesquecível Qualquer coisa estou a disposição Rômulo
  17. GIACOME

    Nobres

    com almoço? dependendo dos passeios...
  18. GIACOME

    Nobres

    Olá Santiagoleila bem, sobre acampamento não tenho muito conhecimento a respeito das possibilidades de Bom Jardim; Não é necessário contratar todos os guias para os passeios; na verdade, quando você paga os passeios eles já contemplam o guia, pois os locais necessitam de profissionais que acompanham; Dica; não deixe de lado o duto do quebó; não fui, mas descobri depois que é interessantíssimo; boa viagem
  19. Valeu Erick resposta balizada vou levar como parâmetro para o planejamento na verdade meu roteiro é sair de Rondônia e passar pelo Peru de moto, até chegar em SPA. O retorno dar-se-á pela Bolívia. Abração
  20. Olá Vicente curti sua opinião de ir alugar um carro também sou adepto da liberdade da condução própria em vez do ônibus (quando possível) pretendo ir SPA em Julho de 2015 mas já estou me preparando cognitivamente rsrs o seu relato foi bacana, pois me permitiu situar as prioridades Um grande abraço Rômulo
  21. Erick muito legal seu relato estou planejando esta viagem para Julho de 2015 e tenho bastante tempo rsrsr quantos dias você indicaria? se eu tivesse apenas três dias completos, quais atrações você me indicaria? cordialmente Rômulo
  22. Sergio sou seu fã e confesso que te invejo rsrsrs você enfrentou a ida ao Machu nos bons e velhos tempos rsrs é uma viagem épica se você tivesse encarado a ida a Puerto Maldonado teria sofrido bastante, pois já estava cansado; hoje são outros quinhentos é apenas uma sombra do que foi a estrada é excelente entre Puerto Maldonado e Cusco; asfalto e milagre da engenharia Quero ir logo para Ushuaia antes que a Carretera Austral perca sua lenda Um grande abraço e quanto vier em Agosto passe em Cacoal quem sabe eu também não vá? abração Rômulo Giacome
  23. Beleza Sergio já vou iniciar a escrita do relato pode contar Cacoal como ponto de apoio; tomaremos uma gelada com certeza; você vai de moto? abraços cordiais
×
×
  • Criar Novo...