Ir para conteúdo

ccampanha

Membros
  • Total de itens

    11
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Eu vou chegar em Brasília de avião as 11:30 da manhã pra ir pra Chapada, São Jorge... alguém sabe se tem algum ônibus que vá pra rodoviária? Chegando na rodoviária como eu faço pra ir pra São Jorge? Abraços, Cristiana
  2. Oi Mapaes, Acabei não inda pra Choroni, mas cheguei em Maracay pela manhã (vindo de Mérida) e pensei no assunto (depois resolvi seguir como planejava pra Puerto La Cruz e visitar Margarita). Perguntei sobre a viagem e me disseram na rodoviária que levava 2,5 horas pra chegar lá, não sei se é esse tempo mesmo (o Fanabus que é de lá deve saber) e se vale a pena viajar 5 horas no mesmo dia (dizem que a estrada tem muitas curvas e que não tem transporte depois das 5 da tarde). Quanto a Morrocoy, como a cidade de Valência é grande eu imagino que você ache hospedagem mais barata em Chichiriviche ou Tucacas (eu dormi uma noite em Valência e paguei + caro, mas cheguei de noite não pesquisei muito, imagino que Maracay também seja mais caro que Choroni)... pra ir de Valência até esses lugares, leva +/- 2 horas em uma estrada bem tranquila (dá pra voltar a qualquer hora), não é tão longe. Saindo de Chichiriviche eu gostei mais do Cayo Pescador e Sombrero (paguei 15.000 bolívares por um passeio por 3 cayos, parando no sombrero de tarde). Ouvi dizer que saindo de Tucacas dá pra ir em cayos mais bonitos, mas quase todo mundo gosta de dormir em Chichiriviche. Abraços, Cristiana.
  3. Só pra encerrar o assunto... depois que me organizar da volta da viagem vou seguir a sugestão de todos, e escrever uma carta pras embaixadas. Também vou contar esta história em outros sites pra alertar outras mulheres viajando sozinha como eu. Felizmente o trauma já passou, como disse, já ri bastante desta história, vou poder contar pros meus netos (mas espero que seja a última vez que aconteça). Vou colocar minhas anotações sobre a Venezuela aí no forum pra outros viajantes (apesar de como disse, não recomendar muito para meninas), anotei preços e nomes de tudo, pelo menos pra mim todas as informações que li foram úteis... Só é triste que eu não pretendo voltar ao país nem a outros da "rota de tráfico" (e eu só descobri no último dia que a Venezuela fazia parte desta rota) apesar de saber das belezas naturais e do povo maravilhoso que existe naqueles lados.
  4. Oi Bruno, Me corrigindo, você tem razão não vamos generalizar... nem todos os policiais daqui são desta forma, infelizmente tem bastante corrupção mas não é a maioria... como você, também gosto de conhecer outros lugares mas também não troco o Brasil por país nenhum, nem a nossa natureza, nem o povo... olhando de fora o meu amor pelo meu país sempre ficou ainda maior. Abraços, Cristiana.
  5. Oi pessoal, Até gostaria de fazer alguma coisa pra reduzir este tipo de coisa, mas eu imagino que a resposta que vou receber dos consulados, vai ser a mesma que a polícia federal daqui disse quando minha tia ligou tentando me socorrer: "Este é um procedimento normal, as pessoas inocentes são liberadas, não tem problema". Na verdade como disse "Ever" eles não fizeram nenhuma violência (fora a revista que é muito exagerada e humilhante), sempre me mandaram guardar meus valores, deixaram uma mulher me acompanhando todo o tempo e no final me liberaram a tempo de pegar o voo... talvez se fosse alguma prisão na rua, onde não se tem muito controle a coisa fosse pior (ao menos no Brasil sabemos como funciona, no mínimo teria de dar algum dinheiro) mas no aeroporto, onde as coisas são mais controladas, ao menos comigo foram honestos. Vou pensar sobre as cartas, mesmo sabendo que é um pouco inútil, de repente mando alguma coisa pro jornal de lá e faço um barulho um pouco maior... de qualquer forma vou divulgar a história em outros sites, pra pelo menos outras mulheres sozinhas e "viajadas", se prepararem melhor no aeroporto, ou escolherem outro país fora da rota de drogas... no Brasil eu nunca ouvi dizer uma história destas e na Europa passei por muitas fronteiras (o que me tornou suspeita na Venezuela) e também nunca tive problemas. Fanabus, como a maioria dos brasileiros, estava hablando "portunhol"... por sorte, no final da viagem, depois de 20 dias, já estava com um vocabulário melhor e até preparada pra conversar com as pessoas de Caracas (no final da viagem as pessoas até perguntavam onde eu tinha aprendido espanhol)... na minha chegada foi muito difícil me comunicar, eu não entendia um espanhol tão rápido e o meu portunhol também não era entendido, até nossa pronuncia do inglês era diferente... eu vi que você é da Venezuela, saiba que apesar da ignorancia da polícia não tenho nada contra o povo, conheci também pessoas maravilhosas do teu país... infelizmente aqui no Brasil também existe uma minoria que podem deixar uma péssima impressão no turista, fico muito triste quando conheço pesssoas que foram roubadas aqui no Rio. Abraços, Cristiana
  6. Oi pessoal, Valeu pela força, agora estou brincando muito com meus amigos sobre o assunto, como é comum no carioca, tá todo mundo me sacaneando muito (inclusive eu mesma), mas na hora foi terrível... mesmo sabendo que era inocente, não sabia qual era a intenção deles... nunca fui suspeita de nada, o único interrogatório que passei foi o padrão no aeroporto de Londres, pra tentar descobrir se eu ficaria lá a trabalho, mas fui liberada só com a minha palavra (tive que falar sobre o meu trabalho, mas nem mostrei comprovantes, só a passagem de volta)... pelo menos aqui no Brasil, se fala que é possível a polícia colocar alguma coisa e te acusar injustamente, fiquei com muito medo que acontecesse isso comigo na Venezuela. Como estava com um telefone GSM liguei pra minha tia (ao menos não impediram) pra avisar que eu estava no carro de policiais da Venezuela, indo pro Raio X pra ser investigada, pelo menos se eu não chegasse no aeroporto alguém estava sabendo o que aconteceu. A minha tia logo ligou pra polícia federal daqui, que falou pra ela se tranquilizar, que isso era um procedimento normal, que não poderia fazer nada, e que eu seria liberada depois do Raio X, quando descobrissem que eu não tinha nada no meu corpo... felizmente as coisas aconteceram assim, fui liberada sem nenhum pedido de desculpa, afinal, o que uma mulher sozinha vai fazer na Venezuela! Não vou buscar fazer uma reclamação formal, porque como eles disseram este é o trabalho deles, infelizmente eles tem o "direito" de investigar quem quiser, e no fim não fizeram nada ilegal que poderiam fazer como roubo, assédio, colocar coisas em minha bagagem etc... A única coisa que posso fazer, é alertar outras mulheres que viajam sozinhas como eu, a pensar 2 vezes ou tomar muito cuidado no aeroporto da Venezuela, já que o que aconteceu foi por puro preconceito. Se outra mulher resolver se aventurar por lá sozinha como eu, aconselho levar algum nome e endereço da Venezuela pra dar, dizer que vai visitar um parente etc, já que pra eles, o país deles não tem belezas o suficiente pra uma mulher solteira se aventurar por lá. Vou continuar minha vida de viajante, sozinha ou acompanhada, mas com certeza voi evitar por um bom tempo países da rota de tráfico como Bolívia, Colombia, Venezuela (que eu nem sabia que tinha tanto tráfico assim)... Um abraço a todos! Cristiana
  7. Vou abrir um novo tópico, sem a intenção de aconselhar ou não a visita a um país, mas quero dividir a minha experiência, e deixar as pessoas preparadas para o que pode acontecer. Gosto muito de viajar, conhecer novos lugares, culturas, mesmo quando o lugar não é muito conhecido, ou famoso... se o lugar me interessa e meu orçamento (e sacrificios financeiros) permitem, já faço meu planejamento, independente de ter ou não companhia para seguir minha rota (aliás, pra outros países sempre viajei sozinha). Desta vez resolvi ir a Venezuela, apesar de tantos avisos sobre a falta de segurança no país. Na verdade, exceto por alguns motoristas malucos em estradas perigosas, não observei nenhum perigo no país... ao contrario do Brasil onde nas grandes cidades existem milhares de pivetes na rua, ali não vi nada, nem mesmo em Caracas (ao menos no bairro onde passei, Altamira, parecia ser extremamente seguro). Ao final de uma viagem tranquila, descobri que na Venezuela, a pessoa considerada suspeita era eu. Antes de fazer o check-in para voltar pro Brasil, dois homens da policia federal analisaram meu passaporte, que tem carimbo de vários países da Europa, e com uma cara muito feia começaram a comentar os lugares que tinha ido. Depois me perguntaram o que fui fazer na Venezuela, quem eu conhecia lá, o que eu estava fazendo lá sozinha, qual o meu emprego, salário, e o que fui fazer em Amsterdam, Paris, Praga, etc, etc e me levaram para uma sala da polícia federal no aeroporto. Lá toda a minha bagagem foi revistada, todos os bolsos... a mala foi furada com uma agulha pra ver se tinha pó no forro, tive que tirar a minha roupa, foram verificados todos os "buracos" do meu corpo, e depois de tudo eles ainda tinham certeza de que eu tinha alguma coisa. Pra polícia do aeroporto de Caracas, uma mulher da América Latina, que viaja sozinha pelo país e ja visitou varios outros países, inclusive a Holanda, com certeza é uma traficante internacional... mesmo eu estando claramente de férias, com máscara e sapatos de mergulho ainda molhados da minha volta de Los Roques, fotos de praia, queimada de sol, mostrando comprovante de trabalho que estava por acaso na minha bolsa, ainda assim eles não tinham nenhuma dúvida da minha culpa... Então com a certeza de que seria encontrada alguma coisa fui levada até um hospital, passando no carro da polícia por todas aquelas favelas no caminho do aeroporto pra Caracas (com 2 policiais armados e com algemas pra me prender), pra fazer um Raio-X e encontrar a droga escondida no meu corpo!!! Felizmente pelo menos foram honestos... após o raio X, quando não encontraram nada me liberaram, não tentaram roubar nada (mas por sorte eu também não tinha quase nada na bolsa) e sempre colocaram uma mulher me acompanhando, mas o susto que eu passei, sendo revistada, interrogada, sem saber se eles me liberariam ou não após descobrirem que eu não carregava nada ilegal foi terrível. Eu estava planejando algum dia voltar no país, que é muito bonito, tem a maior parte do povo muito simpatica (e uma pequena parte extremamente grosseira)... gostaria de ver melhor Los Roques e visitar lugares que não tive tempo de ir, mas tenho pavor de pensar em passar novamente por um constrangimento deste tipo. Eu sei que milhares de pessoas passam por lá todos os dias, sem sofrer este tipo de humilhação, mas infelizmente o preconceito que nós latino americanos temos com as pessoas dos países pobres como a gente é muito grande, eu imagino que uma européia ou americana que tem o passaporte mais carimbado do que o meu não deve passar por isso, mesmo viajando sozinha na Venezuela. Em outras férias pretendo conhecer a Argentina e Chile, mas infelizmente, vou pensar muito seriamente antes de voltar a outros países menos visitados da América do Sul... tenho muitos lugares pra visitar, inclusive no Brasil que é maravilhoso, não preciso ir pra um lugar onde uma viajante sozinha seja suspeita de trafico de drogas.
  8. Ola "GAMM", Estou aqui na regiao de Mochima, estava em Santa fe e retornei para Puerto La Cruz pra conhecer outras ilhas... em Santa Fe estava em uma pousada simples, mas limpinha, quarto bem grande, com banheiro, armario, etc, Santa Fe Playa Resort, o quarto mas barato era 35.000 bolivares. Nao aconselho muito ficar nesta pousada, se voce estiver sozinho como eu... diferente das outras pousadas esta nao tem nenhuma area comum para os hospedes é mais para casal mesmo. Chegando na praia em Santa Fe (tem um onibus que sai de Puerto La Cruz) tem diversas pousadas, acho que a maioria mais barata da que eu fiquei, eu iria para Bahia del Mar, que parece muito boa, mas estava cheia. Um tour para ilhas saindo de Santa Fé está 15.000 bolivares, mas só vi 2 tipos de tours (tambem dá pra ir em outras prais de carro, que dizem que sao bonitas) por isso nao fiquei muito tempo. Agora estou em Puerto La Cruz que parece Copacabana ou Ipanema, estou em um hotel na praia, Hotel Gaeta, 58.000 sem o desayuno e 64.000 com Desayuno, os passeios daqui acho que sao mais caros, vou ver agora. Daqui vou pegar um Ferry para Margarita, os preços voce pode consultar no site www.conferry.com. Abracos, Cristiana
  9. Oi Games, se você for ficar uns 4 dias em Merida acho que não tem problema reservar na hora, mas so vai se for de manha, eu fui as 2h da tarde (só conseguiria reservar de manhã se fosse pra dali a muitos dias) e só tinha vista na 1a. estação, o resto era só nuvem... de tarde tambem todo mundo esta descendo, fica a maior fila... eu tinha onibus as 8:00 da noite e só pude ir em 3 estações pra não perder o onibus... o dolar eu cambiei em Caracas por 2300,00 bolivares e em Merida (na Colibri, posada Casa Suiza) por 2350,00. Walter a net aqui esta por volta de 1000 bolivares a hora, nada mal... hoje vou pra Santa Fe (em Mochima) depois faço a comparacao entre os dois. Depois vou dar uma passada em Margarita e Los Roques... agora é so praia!! Abracos, Cristiana.
  10. Oi Pessoal, Estou na Venezuela agora, fugindo da chuva em um Ciber Cafe de Merida... Ainda nao fiz muita coisa, apenas fui pra Chichiriviche, no Parque Nacional de Morrocoy, e cheguei em Merida a ontem noite, hoje tive que bater perna pra procurar uma pousada (aqui esta muito cheio por causa das ferias de Setembro na Venezuela)... Para quem for pra Morrocoy, eu fiquei em uma pousada muito boa em Chichiriviche, bem confortavel, oferece passeios de barco, se chama Caribana, paguei 50.000 bolivares, mas comparada com outras que vi, vale a pena... foi otimo tambem pra conhecer pessoas da Venezuela (tinha varias familias viajando la), fiz muitos amigos, recebi convites pra visitar outras cidades, vim de carona pra Merida, eu adorei este contato com as pessoas daqui, pessoas maravilhosas... antes tinha ficado na Villa Gregoria, 35.000 bolivares, o dono e um espanhol simpatico, mas a pousada nao era muito confortavel, valeu pagar um pouco mais... Morrocoy e um lugar otimo pra relaxar as aguas sao bem quentes, o mar e calmo, aguas claras, não tem tantos peixes e corais como Ilha Grande, mas vale a pena... gostei muito do Cayo Pescador e Cayo Sombrero... Pra quem vier pra Merida agora em Setembro, tenta reservar as coisas antes, especialmente o Teleferico (tem um site na internet pra reservar), eu so consegui ticket pra daqui a 3 dias, mesmo assim de tarde (pra ir de manha teria que esperar muito mais dias). Um abraço, Cristiana
  11. Oi Fábio, Eu fui 2 vezes pra Napoli, fiquei no albergue Mergelina da cadeia HI... de Napoli dá pra pegar facilmente um trem até Sorrento, e de lá ônibus pra Positano (a estrada entre as 2 cidades tem um visual maravilhoso, uma dos mais bonitos que já vi, é impressionante, []) e outras cidades da costa Amalfitana... também saindo de Napoli visitei Pompéia e o Vesúvio, é muito fácil também ir de trem (gostei de ter conhecido esses lugares, mas confesso que foi um pouco abaixo da minha expectativa, comparado ao entusiasmo de algumas pessoas)... Imagino que os outros lugares da costa também tenham o visual incrível, gostaria de ter ido em Amalfi, Ravelo, Salerno, mas não tive tempo... eu acho que vale a pena conhecer a região, achei uma das mais bonitas da Itália (em matéria de naureza)... só espero que vendo imagens maravilhosas, a água é super clara, você não fique muito empolgado com mergulho... infelizmente as praias que conheci na Itália são bem frias, não vi nenhuma vida no mar (peixes, corais etc) às vezes se paga pra entrar (ex.: alguns lugares de Capri), a maioria com pedras ao invés de areia, nada comparado ao Brasil, mas vale muito a pena pelo visual! Quando fui pra Capri fiquei em um albergue lá por 2 noites, o Bussola di Hermes (só é um pouquinho difícil encontrar o local, mas acho que não tem outro na ilha) http://www.bugeurope.com/reviews/Italy/Campania/Capri/it080/index.htm ... eu gostei de ter passado a noite lá pois como toda a costa Amalfitana, Capri uma natureza lindíssima, vale a pena andar pela região... caso voce vá por 1 dia, eu sugiro incluir uma caminhada até o Arco Naturale, muito bonito! Na região também passei por Ischia, que é uma ilha que tem um albergue maravilhoso, mas não gostei tanto do lugar, não aconselho, é engraçado, a média de idade dos visitantes em geral é de 80 anos (tem aguas térmicas), a língua falada lá é alemão, ou algo parecido! Quanto a Napoli na 1a vez que fui fiquei muito assustada com a cidade, achei o povo estranho, a região muito pobre, fiquei apavorada com o trânsito e com medo da violência anunciada (eu lí vários sites que falavam horrores!!)... infelizmente, naquela vez só passei pela cidade pra pegar os ferries pra Capri e Ischia e nos dias que fiquei lá fui pra Pompei e Sorrento / Positano, não conheci a cidade... quando voltei já estava mais preparada (dizem que o Rio, minha cidade, é um terror, e eu adoro, e na Europa não vi pivetes como aqui) mas não tive muito tempo de andar na cidade, pois tem muitas cidades pra conhecer em volta. Eu acho que vale a pena reservar uns bons dias pra região, e se possível até conhecer Napoli! Um abraço, Cristiana
×
×
  • Criar Novo...