Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

silvio alpendre

Membros
  • Total de itens

    11
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Muito bom. Penso que Cuba seja um destino pouco explorado pelo brasileiros. Estamos retornando nesse mês para mergulhar nos Jardins de la reina.
  2. Se você vai a Cuba evidentemente que irá a Havana e passará aí alguns dias. Para mergulhar sem certificação sugiro a Baia do Porcos, especificamente Playa Larga. O preço do mergulho, uma imersão) para iniciante: 35 CUC (equivalente a 35 euros). Nesse preço está incluído todo o equipamento. O mergulho sai da praia entre Playa Larga e Giron. Foi aí que me encantei e fiz a minha certificação e não parei de mergulhar. Em Cuba já mergulhei em outros dois pontos. Um deles não me agradou, próximo de Havana, o outro, Maria La Gorda, em ambos pode-se mergulhar sem certificação, mas o deslocamento para Maria La Gorda é grande e guarde esse destino para quando você tiver mais experiência. O lugar é fantástico. Penso que em todos os centros de mergulhos de Cuba existe a possibilidade de mergulhar sem certificação e que o preço não seja muito diferente do praticado em Playa Larga. Estando em Playa Larga de um pulo em Giron. Playa Larga vai além da praia, existe um reserva muito interessante. Sobre Santiago de Cuba. Quando nós fomos o calor era insano o que prejudicou as caminhadas pela cidade. Não conseguimos mergulhar, todas as atividades de barco ficaram suspensas por quatro dias por conta das festividades de aniversário da cidade, não vimos, na cidade, nada agradável e de diferente em relação às outras que já havíamos passado (Santa Clara, Trindade, Camagüey, Cienfuegos e Havana). Em Santiago a abordagem aos turistas é muito maior que a que há em Havana. Cansa. Nossa viagem foi toda de carro. Espero ter ajudado. Bosa viagem
  3. silvio alpendre

    CHAPADA DIAMANTINA - SERRA DA CAPIVARA

    Estive na Chapada sem carro e o que posso lhe adiantar é que sem carro fica difícil para conhecer as atraçoes do lugar. Se vocês querem conhecer alguns pontos de interesse sugiro contratar um guia, e cuidado para não cair em nenhuma furada com guia barato. Vi isso acontecer no meio do Vale do Pati. Uma Canadense e uma Pernambucana sofrendo com guia barato, mas despreparado. A nossa guia, sem cobrar absolutamente nada, resgatou as duas do cara e ainda deu a maior comida no babaca. Sugiro a http://www.terrachapada.com.br/terra-chapada. O proprietário é uma figura e a equipe é super profissional. Minhas sobrinhas passearam com eles no mês passado. Amaram. Tudo deu certo. Sem querer ser pé-frio mas acho muito difícil arrumar uma carona direta Chapada x Piauí. Sucesso.
  4. Pessoal, Relatei aqui a minha primeira viagem para Cuba que aconteceu em março de 2013. Retornei em julho de 2015. Todas as informações do primeiro relato continuam valendo, mas agora quero destacar outros pontos que conheci e complementar uma informação. Se você puder evitar os meses de julho e agosto faça-o. O calor é inclemente e nesse período sugiro que faça reservas antecipadamente. Existem vários sites em que é possível fazê-lo. Aluguel de carro também sugiro que faça a reserva desde o Brasil. Assim você garante a categoria desejada e o local de retirada mais apropriada. Também pode ser feito pela internet. Para quem quer aprender a mergulhar sugiro ir para Playa Larga e entrar em contato com o Francis ([email protected]) fone: 5352815085. A certificação é pela SSI. Faça o contato desde o Brasil para garantir que ele estará por lá ou que designe alguém para dar o curso. A recomendação de hospedagem está na outra postagem. Valores: Curso open: 365 CUC / CURSO ADVANCE 300 CUC, com 8 imersões. Com todo o equipamento incluído, ou seja, você não precisa levar e nem alugar. O preço é esse e ponto. Confirme tudo por email antes de embarcar. Depois de ser aprovado no curso ele lhe entregará um papel que permitirá a você mergulhar até a chegada da certificação. Então vá para o hotel Centro Internacional de Buceo Maria La Gorda (reserve pela internet). Lugar lindo. Mertgulhos espetaculares. Nesse lugar não há nada a fazer a não ser mergulhar e contemplar o mar. Tudo bastante econômico. Nesse ano fui conhecer Santiago de Cuba. Caso você não tenha tempo de sobra, elimine essa cidade. Escrevo o que venho dizendo aos meus amigos. Vá conhecer Cuba antes que acabe. É isso e boa viagem.
  5. silvio alpendre

    Rio x Uruguai de carro

    A resposta do beier está perfeita. Eu acrescento os seguintes detalhes que considero fundamentais para viagens de longa distância que são: - seguro do carro. Que não pode ter limite de quilometragem e deve atender o Mercosul - seguro carta-verde. Por mais que lhe digam que o seguro do seu carro, por atender países do Mercosul, dispensa a Carta-Verde não acredite nisso. Um amigo acreditou e perdeu um dia na Argentina, pagou multa e teve que fazer o seguro. - tenha mais de um meio de pagamento. Cheques (Brasil), Reais, Dólares ou Euros e cartão de crédito. - revisão no veículo. A qual deve ser feita pelo menos 20 dias antes do início da viagem (por vezes uma revisão pode provocar um defeito logo após a sua realização).
  6. Para ir de carro para a Patagônia Argentina 20 dias é pouco. Você pode até ir, mas vai gastar muito e sem desfrutar. Para esse destino o verão é a melhor época. Minha sugestão: vá para o Norte da Argentina. O seu tempo está sob medida para esse destino. A região a conhecer está ao norte de Salta. O lugares são fantásticos e tem muita informação na internet sobre esse roteiro e no mochileiros tem pelo menos a minha experiência. argentina-norte-salta-e-jujuy-t91678.html.
  7. silvio alpendre

    relato Argentina - Norte Salta e Jujuy

    Nestinho, muito embora no inicio do seu texto você faz referência ao Diego, vou responder à sua dúvida, afinal a pergunta acabou vindo para a minha divulgação. Com autonomia de apenas 400 km você de fato deve ficar receoso, entretanto devemos levar em conta que esses caminhos também são feitos por motociclistas cujas muitas de suas motos possuem autonomia inferior a 400 km. O importante é seguir sem perder nenhuma oportunidade de abastecer e sempre perguntar a que distância está o próximo posto de gasolina. Comento que quando retornávamos do Ushuaia, isso em 2012, precisamos sair da Ruta 40 e andar 65 km somente para abastecer o carro e retornar os mesmos 65 km, pois ninguém sabia se em lugarejo chamado Caracolles, que contava com um posto de gasolina, possuía ou não o combustível. Ao final Caracolles não tinha gasolina e por lá ficaram dois motoqueiros esperando alguém que tivesse sobra e que pudesse tirar a gasolina. Nós até oferecemos mas os carros brasileiros possuem uma tela que não permite a entrada de mangueira no tanque. É isso, se for, boa viagem e não recomendo andar com galão extra de gasolina, muito embora alguns o façam.
  8. silvio alpendre

    relato Argentina - Norte Salta e Jujuy

    Boa viagem e aproveite.
  9. Datas e veículo Data de saída de São Paulo: 26/12/13 Data de chegada em Salta: 28/12/13 Data de chegada em São Paulo: 07/01/14 Pajero TR4 2008/2009 Km total: 6.989 km Combustível: gasolina Ocorrências: nenhuma Estratégia Ida: Dia 1: São Paulo até Puerto Iguazu – 1.000 km Dia 2: Puerto Iguazu até P.Roque Saenz Penha – 800km Dia 3: P.Roque Saenz Penha até Salta – 650km Volta: Dia 1: Tilcara até Joaquim V. Gonzalez – 313 km Dia 2: Joaquim V. Gonzales – Posada – 950 km Dia 3: Posada – Matelandia – 386 km Dia 4: Matelândia – São Paulo – 990 km Preparando a Viagem (documentação) Documentos pessoais: RG recente ou Passaporte com validade superior a 6 meses. Documento do carro: Original, dentro da validade e o proprietário precisa estar entre os ocupantes do veículo. Se você não estiver nessa condição veja as exceções diretamente com algum órgão oficial da Argentina. Seguro do veículo: Carta Verde: Obrigatória. Mesmo que o seu seguro pague todas as despesas em caso de sinistro não vá sem a Carta Verde. O policial Argentino não terá disposição para ler a apólice do seguro do seu carro. O custo não é alto e, portanto não vale a pena correr riscos. Sugiro que não viaje sem seguro e que consulte a sua seguradora, por escrito, se o seu veículo está coberto em caso de sinistro e de necessidade de guincho até a sua cidade de partida no Brasil. Combustível Nesse período paguei de 9 a 12,50 pesos. A Argentina, já faz algum tempo, está com problemas no abastecimento de gasolina, portanto é bastante comum os postos não terem o combustível. Nessa viagem além desse problema ainda encontramos posto sem energia e um com a bomba quebrada, portanto o que se deve fazer é abastecer o carro sempre que encontrar um posto com gasolina, não importando se o nível está baixo ou não. Não recomendo que se leve combustível em galão extra. Pessoalmente acredito ser uma alternativa muito perigosa além de ser uma oportunidade para um policial te multar. Se os Argentinos não andam com esses galões não vejo razão para o turista ter que contar com eles. Fui de carro até o Ushuaia e não precisei de nenhum galão. Policiais na estrada A nossa experiência difere muito de alguns relatos que mostram os policiais em caricaturas de agentes corruptos. Fomos parados algumas vezes mas sempre com cordialidade e após as verificações de praxe éramos dispensados. Dinheiro (Câmbio) e formas de pagamento Cartão de Crédito ou Cartão de Débito: Pouco aceito. Nessa viagem em todos os postos de gasolina o funcionário me avisava, antecipadamente, que o pagamento só poderia ser feito em dinheiro. Além de Pesos sugiro levar alguns Reais e/ou Dólares. Em poucos lugares foi possível pagar em Reais e Dólares num câmbio bastante favorável. Hospedagem Nas cidades em que precisamos dormir sempre foi possível encontrar acomodação e sempre com preços razoáveis. Alimentação Exceção feita a San Antonio de Los Cobres, que por ser dia primeiro, só havia o restaurante de um Hotel funcionando, nas demais cidades as opções eram suficientes e com preços para todos os bolsos. Cidades visitadas Salta, Tafi fel Valle, Cachi, San Antonio de los Cobres, Purmamarca, Tilcara, Humahuaca, La Quiaca, Iruya e San Salvador de Jujuy. Condições das estradas Mais de 90% do que andamos foi em asfalto. Todos os trechos que não eram asfaltados qualquer carro passaria, não havendo necessidade de 4x4 ou de carro alto. Apenas o acesso a Iruya (100km ida e volta) é que tem que ter mais cuidado com carro baixo
  10. Preparando a Viagem (documentação) Li que era necessário um visto. Como moro em São Paulo procurei o Consulado Cubano e tratei desse tema diretamente com eles. Ao final trata-se de um cartão de embarque. Para consegui-lo, no Consulado, foi preciso comprovar a reserva da minha primeira hospedagem na Ilha e mostrar os comprovantes dos bilhetes de embarque. Quando estiver por lá se informe sobre a taxa de saída da Ilha, em março/2013 o valor foi de 25 cuc. Dinheiro (Câmbio) Por enquanto existem duas moedas em Cuba. A do turista é o CUC. Em toda parte é possível fazer o câmbio trocando dólar ou euro. Mas prefira o euro, pois o governo cobra uma taxa de 10% para fazer o câmbio do dólar, somente para o dólar. Então, em março/2013 1 CUC valia 1 dólar. Fui trocar mil dólares e recebi apenas 900 CUC. A diferença de 100 dólares foi de taxa. Como eu também tinha euros fiz o câmbio com ele e constatei a vantagem do euro sobre o dólar. Em Havana, algumas casas de câmbio, mais conhecidas por CADECA, possuem caixas automáticas para sacar dinheiro. Em uma delas fiz um saque mais econômico do que se tivesse feito o câmbio de dólares. Na fatura do cartão VISA a conversão foi de 1 para 1 e a taxa de serviço foi muito inferior aos 10%. Hospedagem Nós éramos três adultos e ficamos sempre em casa de família (hospedagem domiciliar). Todas aquelas que nos acomodamos possuíam boa infraestrutura, mas também é verdade que encontramos duas ou três que acabamos por recusar. Os proprietários dessas casas, todas autorizadas pelo governo, e não se hospede em nenhuma que não esteja autorizada, possuem uma agenda com outras hospedagens, de forma que quando você bate em uma que esteja lotada o proprietário logo inicia uma busca ligando para outras casas a procura de acomodação. Isso aconteceu várias vezes. Preço: Em Havana e Varadero pagamos 30 CUC, nas demais cidades o valor caiu para 25. O valor é por quarto. Quando estávamos em dois os preços eram os mesmos. Não tivemos dificuldades para arrumar quartos triplos, na verdade nenhuma dificuldade. Nesse preço não está incluído o café da manhã o qual você deve combinar se vai querer ou não. Em todos os lugares pagamos 3 CUC por pessoa. Em algumas hospedagens eles oferecem jantar no valor médio de 9 CUC por pessoa. Sempre confirme os preços antecipadamente. Em Havana recomendamos as seguintes hospedagens: La ventilada (la [email protected]) ou a Lamparilla. Ambos em Havana velha. Mais detalhes podem ser obtidos no Tripadivisor.com.br. Em Playa Larga nos hospedamos duas vezes na “Casa Capelita” ([email protected]), caso você não consiga se hospedar com eles reserve pelo menos um jantar. O cara, conhecido como El Chef, cozinha muito bem, sem contar a simpatia do casal. Aluguel de carro e andar com ele Os carros são novos, o valor do seguro é o mesmo, independentemente do valor /modelo do carro alugado. Os preços não são muito diferentes daqueles praticados por aqui. Aceitam cartão de crédito e não adianta pesquisar preço. Todas são do governo. Em março/2013 o preço da gasolina também era próximo do nosso. Para quem está acostumado com as estradas brasileiras, principalmente as BRs da vida, não terá dificuldades. Em geral as estradas são boas ficando melhores pelo fato de existir pouco tráfego. No seu planejamento não inclua dirigir à noite. Recomendação unânime entre os cubanos. A carona é uma prática comum entre os cubanos. Como estávamos em três demos caronas várias vezes, sempre selecionando. Com isso conhecemos uma médica, duas estudantes, duas agricultoras e algumas pessoas que não soubemos absolutamente nada, pois não abriam a boca. Em Praia Larga ouvimos uma história de um casal francês que teve documentos e dinheiro furtados por outro casal de caronas. Então cuidado e lembre-se que dar carona não é obrigatório. Segurança Quando chegamos em Havana Velha a primeira impressão é forte e assusta. Mas ao final você pode caminhar tranquilamente. Não compre absolutamente nada das pessoas que oferecem produtos na rua. As ofertas vão de charuta a câmbio. O melhor a fazer é seguir as recomendações dos proprietários das hospedagens. Praias Varadero pode ser muito bonita, mas chegamos junto com uma frente fria que simplesmente nos impediu de curtir a praia. Muito vento e frio. Para jantar tínhamos de ir de agasalho. Impossível. Na alta temporada deve ser muito difícil encontras hospedagem domiciliar. Visitamos outras praias e recomendo, para quem gosta de água/mar, procurar próximo dos resorts alguma instalação com equipamentos para recreação no mar. Chegamos a fazer passeios com Hobie-cat e pedalinho com o objetivo de fazer snorkeling longe da orla. Giron e Praia Larga Gostamos muito dessa região. Ótimo para mergulho e snorkeling. Em Playa Larga acabamos por fazer o curso de mergulho autônomo (águas abertas). O mar é imperdível seja de snork ou cilindro. Recomendo muito. Para curtir essa região sugiro hospedar-se em Playa Larga na casa do “El Chefe”. Já falei dele lá prá cima. O curso foi feito na escola que existe em Playa Larga com valor muito abaixo do praticado no Brasil. A certificação é feita pela SSI (alemã). Boa viagem
×