Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Caio C Martins

Membros
  • Total de itens

    27
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra
  1. Caio C Martins

    Onde ficar em Amsterdam sozinha?

    Oi! Mesmo viajando só, acredito que não devas ficar tão preocupada por estar em Amsterdam. Tomando os cuidados básicos que tomarias em qualquer cidade nova, não terá problema algum, só alegrias. A cidade é muito bacana, de dia e à noite. Lembro de passear com minha namorada de bike, de madrugada pelo Red Light District, e ser super de boa... Vários grupos de turistas de olhos puxados, altas horas da madruga, perambulando pelas vitrines das mulheres e achando aquilo o máximo. Não lembro o nome do hostel em que ficamos, mas lembro que era grandão, um prédio enorme com uns 15 quartos por andar. Muita gente circulando, fila no café da manhã... Eu prefiro os hostels menores, mas, ainda assim, conhecemos pessoas muito legais e foi tudo ótimo! Bom... Nada que uma boa pesquisa no hostelworld não te indique um lugar bacana! Vai tranquila e aproveita essa cidade única. Ah, e aluga uma bike que vale a pena demais...
  2. Se vão em dois, descole uma barraca para 3 ou 4 pessoas. Ajuda bastante na hora de ajeitar as coisas do lado de dentro sem comprometer o espaço para o cochilo... Em Lençóis não costuma ventar forte, então vocês realmente não precisam comprar uma super barraca. Mas eu também não compraria essas baratinhas de supermercado... Optaria por uma intermediária, que deves encontrar na faixa de R$ 250/400. Eu geralmente levo uma mala/mochila maior para as roupas e as outras coisas e uma mochila (menor) específica para os rolês diários. Pra mim funciona bem assim. Leva um (ou dois!) pares de tênis bons e confortáveis para caminhadas, na Chapada anda-se bastante! Protetor solar, chapéu/boné e repelente. Um colchonete leve para cada um vai muito bem na hora de repor as energias. Disposição, energia, flexibilidade e coração aberto :'>
  3. Caio C Martins

    700 Reais e uma grande vontade...

    Cara, com essa grana fica ruim de passar um tempo no Peru... Não que o país seja caro (tirando os passeios "mais turísticos", não é!), mas você gastaria mais da metade do seu orçamento com as passagens. Se você já resolveu esta questão ou estiver disposto a ir de carona, esqueça o que eu disse! Ainda assim, permita-me um palpite: já que é o teu primeiro mochilão e você mora no RS, por que não escolher um destino mais próximo? Há muitos lugares bonitos no Sul, e, se ainda não conheces, indico a região dos cânyons gaúchos! Acampei em Cambará do Sul/RS há dois anos e passei cinco dias dando rolê pela região, é lindíssima! E acredito que caberia bem no teu orçamento atual. Enfim, é só uma opinião... O mais importante é a coragem em partir! Boas viagens!
  4. Caio C Martins

    AVENTURAR EM UM PAÍS SEM CONHECER LÍNGUA LOCAL

    Se você fala inglês, não deverá ter problemas na Bélgica e em muitos outros países da Europa... Por mais que o inglês não seja o idioma oficial em diversos deles, com a globalização e a consequente "redução das fronteiras", o mundo inteiro está viajando - e por todas as partes do Mundo! E aí, o inglês continua sendo o canal principal de comunicação. Lembro que nessa região de França/Bélgica/Holanda conheci pessoas da Turquia, Malásia, Letônia, Itália, Espanha, Chile... Tudo na base do inglês. E como o pessoal já falou: aprender algumas palavras na língua local também agiliza as coisas. Vai sem medo (e com planejamento), que dará tudo certo :'>
  5. Caio C Martins

    Quatro dias em Amsterdã, um deles em Bruxelas.

    Realmente, saber se você gostará da cidade, é impossível. É algo um tanto pessoal, mas vamos lá: Eu gostei bastante de Bruxelas, fiquei por lá uns bons dias (coisa que quase ninguém faria) e deu pra conhecer bem a cidade. Bruxelas é legal de sair a pé, a cidade é relativamente pequena, você vai descobrindo os cantinhos, olhando as pessoas e percebendo a forte influência do povo árabe, apreciando a arquitetura gótica... E, claro, tem a Grand Place! Umas das praças mais belas do mundo e que honra seu título, sem dúvida! Um outro dia nós alugamos bicicletas e fomos conhecer o Parlamento Europeu, outro passeio fantástico. E tem também o Mannequin Piss... E o Tim Tim. E muuuitas opções de cerveja boa e barata, a Bélgica se intitula o país da cerveja, e não é por menos: a variedade de rótulos é absurda. Enfim, depende do gosto de cada um, eu particularmente simpatizei muito com Bruxelas e com a Bélgica de maneira geral.
  6. Realmente, há muito o que conhecer na região citada... Londres por si só já tem bastante coisa pra fazer/conhecer, a cidade é grandona! O bom é que o transporte funciona, seja metrô ou pedalando - lá o ciclista faz parte do tráfego e é bem mais respeitado, experiência própria. Além de ser uma delícia rodar Londres de bike :'> Na Escócia, Edimburgo é imperdível: torres, monumentos, castelos, cultura presente nas ruas... A parte histórica da cidade é fantástica! E dá pra fazer tudo da melhor maneira para quem quer realmente respirar o ar local: caminhando. Acredito que Glasgow também valha a pena conhecer, apesar de ser uma "cidade grande comum". Não fui às Highlands nem ao Lago Ness, mas dê uma pesquisada, é um passeio clássico por lá. Você não especificou a duração da viagem, mas se tiverem uma margem boa, vale a pena dar uma esticada e conhecer a Rep. da Irlanda (Dublin e interior), Irlanda do Norte ou País de Gales, todos países menores, mas bem diferentes da Inglaterra. Há voos baratos entre esses países do Reino Unido e Irlanda, e também trens e ferry boat. Só há uma coisa certa, como lembrou o amigo lá cima: vocês vão pegar bastante frio e tempo instável, pra quem gosta desse clima é um prato cheio Um abraço e boas pesquisas
  7. Caio C Martins

    Mochilão de 3 meses na Europa fazendo imigração em Madrid

    Eu também discordo da atual política para turistas de fora da Comunidade Europeia, sobretudo nesses itens que você citou: quantia mínima em espécie, permanência de até 90 dias e comprovantes de estadia/passagem de volta. No entanto, sou obrigado a concordar que eles têm seus motivos, pelos acontecimentos passados e até recentes... Teoricamente, se vocês derem azar na Imigração (e isso pode ser regido pelo humor do dia do/a funcionário/a ou, pior, por outros motivos obscuros), podem ser mandados de volta. Seria importante, sim, ter alguns comprovantes de estadia em hostels - ao menos para delinear o percurso de vocês, mas entendo perfeitamente essa vontade de viajar mais livremente e sem roteiro definido :'> Eu já soube de histórias as mais diversas sobre essa passagem pela imigração europeia, inclusive de pessoas que entraram tranquilamente sem esses "requisitos" tão falados atualmente. Ou seja, o risco é iminente, mas, ainda assim, continua sendo "só um risco" Também pode ser bacana saber opiniões de pessoas que estiveram por lá recentemente, a minha viagem foi no 1o semestre/2013. Desculpe não poder ajudar mais... Abraços.
  8. Caio C Martins

    Chapada dos Veadeiros

    Agendamento prévio talvez seja interessante de fazer só a pousada/camping. O resto é tranquilo de resolver na hora... Vai da inspiração do dia! E lembre-se: os lugares mais fáceis de chegar são sempre os mais cheios de gente Se quiser menos muvuca, escolha alguns dias pra fazer trilhas mais roots... A recompensa virá! Abraços, bom carnaval na Chapada!
  9. Caio C Martins

    Chapada dos Veadeiros

    Oi Aldair, Uma consideração sobre o planejamento para o 2º dia: é possível, sim, de fazer as quatro cachoeiras em um mesmo dia, mas você vai aproveitar muito pouco em cada uma delas (tipo "conhecer" 10 países da Europa em 20 dias...). Já que você pretende fazer as duas trilhas do Parque Nacional, que são longas, eu deixaria o segundo dia mais "folgado" e curtiria com mais tempo. Mas vai do perfil de cada viajante, claro :'> As Almécegas I e II são muito lindas, uma completamente diferente da outra, vale a pena demais! (Dica: conheça primeiro a II, por ser mais puxada). O Vale da Lua é único por sua formação rochosa, e o Raizama também é único por seu poder! Eu também gostei muito da Anjos e Arcanjos (duas, nível médio), Morada do Sol (médio), Loquinhas e Violeta (fáceis) e Poço Encantado (bem fácil), porém essa última em outra direção. É tanta coisa bonita que fica difícil escolher... A única certeza é que tudo o que resolver conhecer será bonito e vc vai querer voltar lá pra conhecer mais! Boa viagem, Caio
  10. Caio C Martins

    Chapada dos Veadeiros

    Olá, Sônia! A Chapada é muito bonita, vale a pena mesmo! Os passeios por lá invariavelmente incluem um trecho de carro (ou moto, ônibus, etc) e uma parte caminhando. O bom é que tem cachoeiras pra todos os gostos, algumas bem perto e outras que exigem uma boa pernada. Acredito que você conseguirá aproveitar a cachoeira São Bento (linda, com um poço enorme), as trilhas das Loquinhas e Violeta (trilha inteira com estrutura de deck, e vários pocinhos de águas cristalinas!), o Poço Encantado (lindíssimo e caminhada super tranquila) e a cachoeira dos Cristais (tudo pequenino, e é o local com mais infraestrutura, o que pode ser bom e ruim... Tem um bar/restaurante onde pode-se comer um pastel e tomar uma cerveja, porém no dia que fomos o som muito alto destoou do ambiente...). E concordo com o camarada acima, acho que também dá pra conhecer o Vale da Lua, lugar de formação rochosa belíssima! É só descer devagarinho Além dos passeios de cachoeiras, curtir um tempo nas cidadezinhas também é muito gostoso! Seja de dia ou à noite, Alto Paraíso e São Jorge são acolhedoras e têm uma energia muito leve... Enfim, se tiveres a oportunidade de conhecer a Chapada dos Veadeiros, vai sem medo e aproveita! Abraço, Caio
  11. Caio C Martins

    Chapada dos Veadeiros

    Viajantes, Estive na Chapada dos Veadeiros entre os dias 05 e 13 de janeiro/2015, e repasso aqui algumas observações sobre este lugar incrível: * Optamos por ficar em Alto Paraíso, na Pousada do Sol, a qual indico a qualquer pessoa que goste de se hospedar junto à natureza e saiba apreciar as coisas simples da vida. O local é repleto de plantas e paz, as pessoas são acolhedoras e as muitas araras que aparecem por lá todos os dias dão um espetáculo à parte no café da manhã! E que café da manhã... A proprietária, Vazu, é uma querida. E isso não é propaganda, apenas um sincero reconhecimento pelo carinho que tivemos em nossa estadia. *Das três cidades que ficam na área da Chapada, Alto Paraíso é realmente a “maior”, mas confesso que me surpreendi com a Vila de São Jorge: apesar de as ruas serem todas de terra, há um comércio ao lado do outro – restaurantes, campings, pousadas, lanchonetes, enfim, as opções são diversas. A impressão que ficou é que ambas as cidades podem atender a todo tipo de viajante. Não conseguimos conhecer Cavalcanti (dizem que é linda), fica como desculpa pra voltar lá! * As cachoeiras são lindíssimas, pra quem curte este tipo de rolê provavelmente vai conhecer as cachoeiras mais belas da vida! O ruim é que a gente ficou mal acostumado, e agora vai ser difícil encontrar cachoeiras do mesmo nível... Contudo, praticamente todas as cachoeiras encontram-se em propriedades particulares, e as taxas estão variando entre R$ 10 e R$ 20 por pessoa. Nossa filhota de 9 meses não pagou... *Comida tem pra todos os gostos nos comércios da cidade: desde uma tapioca caprichada (ou uma pamonha) de lanche, até uma boa pizza com um vinho à noite. Nós passamos a semana à base de tapioca e açaí :'> Nos passeios que duram o dia inteiro, vale a pena carregar uma fruta e um salgado na mochila! *A estrada que liga Alto Paraíso de Goiás e São Jorge é asfaltada, tem cerca de 36 km e está novinha, é faca na manteiga... Isso é muito bom, porque você vai rodar bastante por ela! Praticamente todas as cachoeiras haverá um trecho de terra após o asfalto, umas de 2km e outras com mais de 15km. Não tivemos dificuldade em nenhuma, é só ir com atenção aos buracos, e, em condições secas, qualquer carro estava passando tranquilamente. *Nós demos sorte com o tempo, pois mesmo sabendo que pegaríamos uma época de chuvas (janeiro), ficamos 8 noites e não pegamos nenhuma gota de chuva. Conversando com o povo por lá, nos disseram que isso é raro, mas nos últimos anos têm acontecido com certa frequência. Penso que ir à Chapada no verão haverá sempre um risco por ser o período típico das chuvas nas regiões sudeste e centro-oeste, mas, mesmo chovendo, o que mais ouvimos é que num mesmo dia pode chover e abrir sol algumas vezes, o que não compromete totalmente o passeio – vai da disposição de cada um/grupo. E, apesar do clichê, vale sempre lembrar: começou a chover na cachoeira, sai da água e procura um local mais alto e protegido, pois os acidentes frutos de “trombas d'água” são reais! * Não vou incorrer no erro de classificar as cachoeiras por beleza/poder, já que isso é um tanto individual, mas posso dizer que na região há cachú pra todos os gostos e idades! O que ajuda bastante é estar motorizado, pois os rolês às vezes estão um pouco distantes e a primeira parte é feita de carro/moto/bike/bus... Não quer dizer que não dá pra conhecer a Chapada sem carro, sempre rola caronas, mas talvez o aproveitamento da viagem seja menor se os dias estiverem contados. O que me veio agora foi isso, qualquer outra coisa que eu puder ajudar, será um prazer. Boas viagens! Caio/Floripa
  12. Caio C Martins

    Arquivo - Paris - Perguntas e Respostas

    ALOliveira, eu estive em Paris em junho/2013 com minha namorada e também tínhamos essa dúvida quanto ao Museum Pass. Como ficaríamoss 8 noites na cidade resolvemos comprar o passe (4 dias/54 euros por pessoa, obrigatoriamente para uso em dias consecutivos, é bom lembrar...), e para nós valeu a pena - com muita intensidade, mas valeu a pena! Como já mencionado, o Museum Pass não dá direito à entrada somente aos museus tradicionais, mas em vários lugares bacanas de Paris, tanto na região central como em atrações localizadas em áreas mais afastadas, como é o caso da Universcience - Cidade da Ciência e Indústria, tem pra todos os gostos. Quanto às filas, elas existem e estão sempre presentes mas com o passe acaba sendo tudo mais ágil sim, porque você chega ao local e já vai se encaminhando para a "fila do Museum Pass", enquanto muita gente acaba enfrentando o tumulto das bilheterias e tal. Para nós, as maiores filas foram na Notre Dame (é fila única, mas vale muito a pena enfrentá-la para subir as torres) e em Versailles (neste dia queríamos dar um tempo da "correria" e ficamos só por conta de Versailles, então foi possível pegar fila e conhecer boa parte do Chateau sem estresse...). Dica: a partir do momento em que você adquire o Paris Museum Pass pode ser que uma certa ansiedade comece a tomar conta, porque a tendência é querer aproveitar ao máximo tudo aquilo que está incluso (e é muita coisa, impossível de se fazer mesmo com o passe de 6 dias) e o passeio pode acabar se tornando meio desgastante. Se vocês optarem pelo passe, uma boa ideia é mapear o que gostariam de conhecer antes de sair de casa, e aí, abusar das caminhadas pela cidade e do sistema de metrô, que funciona que é uma beleza
  13. Caio C Martins

    Duvidas Chapada Diamantina.

    Fala, Victor! A minha dica sobre a Chapada Diamantina é fazer o rolê do "Marimbus", conhecido como o Pantanal da Chapada... É um passeio que pouca gente faz por lá, dadas as inúmeras "atrações principais" da Chapada, mas pra mim foi uma das melhores experiências que já tive junto à natureza. Cara, é simplesmente demais, tu pegas um barquinho dentro de uma vilazinha e vai descendo o Rio Marimbus com a gurizada nativa (e dá-lhe remada)... O percurso todo é bonito demais, eu nem acreditava no que estava acontecendo comigo naquele momento, foi algo mágico! Chegando "lá", tu vais ganhar de presente uma cachoeira poderosa... Mas nem vou falar mais nada e deixar vocês descobrirem por conta própria, beleza?! Ah, e outro rolê imperdível estando na região da Chapada é ficar uns dias no Vale do Capão, né.. Parada obrigatória em outro pico "fora do mundo" A Chapada Diamantina é demais, vai na fé e no respeito que dá tudo certo :'> Valeu, um abraço
  14. Caio C Martins

    Belgica

    Oi Ana, não sei se já partistes, mas... Amsterdam é realmente muito interessante, vale a pena dar umas voltas com calma e ir descobrindo os cantinhos da cidade... Se vocês animarem, aluguem bikes que o passeio rende bem mais, é possível rodar Amsterdam inteira de bicicleta em uns dois dias, e dá pra alugar bikes por 48h, por exemplo :'> Com estes dias que vc falou, seria possível ficar só em Amsterdam tranquilamente, há muitas coisas legais pra se fazer por lá! Agora, se quiser aproveitar o embalo e conhecer outras cidades, eu sugeriria The Hague (litoral), Delft (cerca de 10km de The Hague, bem pequena e muito bela) ou Utrecht (se não me engano a 3a maior cidade da Holanda, a "parte velha" da cidade achamos interessante). Pelo que ouvimos da boca de holandeses, Roterdam não nos motivou (industrial e feia), mas não posso dar a minha opinião porque não estive lá... Eu e minha namorada adoramos a Bélgica, país pequeno, simples e aconchegante, e conhecemos Bruxelas, Brugges e Gent: a capital é maior e mais barulhenta (mas longe de ser uma cidade grande), e a arquitetura gótica está por todo lugar. As outras duas cidadezinhas são muito charmosas! Em Bruxelas, vale a pena alugar uma bike e dar um rolê por toda cidade (incluindo a "parte europeia", onde se concentra a organização política da União Europeia, um pouco mais afastada do centro). O bom é que Holanda e Bélgica são países bem pequenos, então é possível se deslocar entre as cidades rapidamente de trem Bom, acho que já falei demais e pra variar estou fugindo do tema... Mas qquer dúvida é só perguntar!
  15. Caio C Martins

    Reserva de Albergue

    E aí arturojc... Cara, o mês de julho é um pouco complicado por lá devido a temporada de verão europeia, quando enche de gente e fica tudo mais caro. Dependendo das cidades que vc está pensando em ir, seria muito bom já garantir algumas reservas, como em Paris, Londres e Amsterdam, por exemplo... Porque além de correr o risco de penar bastante pra conseguir vaga, pode ser que tu pagues mais caro reservando na hora. Eu também não sou muito chegado a "amarrar" a viagem tendo que fazer todas as reservas antes de sair do Brasil, mas para Amsterdam, Paris e Edimburgo eu "fui obrigado" a reservar os hostels (viajei em maio/junho deste ano), e estando lá eu vi que em alguns momentos não estava fácil de encontrar lugar legal (custo/benefício) pra ficar, pois já estava iniciando o verão deles e o período de férias escolares. Por outro lado, em cidades menores não tive problemas em procurar hostel e reservar em cima da hora de acordo com o desenrolar da viagem, mas se estiveres pensando mesmo em ir no mês de julho talvez não tenhas muita escapatória e tu vais ter que reservar, porque deve ferver Valeu, abraço!
×