Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

douglasbastos

Colaboradores
  • Total de itens

    15
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

4 Neutra

Sobre douglasbastos

  • Data de Nascimento 25-05-1990

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Ilha do Mel - PR
    Arraial do Cabo - RJ
    Cascavel - PR
    Foz do Iguaçu - PR
    Cambara do Sul - RS
    Guarda do Embau - SC
    Uruguai
    Argentina
    Chile
  • Ocupação
    Servidor Publico
  1. douglasbastos

    Dia 6-10 setembro

    Estou indo para o rio amanhã, fico até dia 12. Fiz reserva no Walk on te beach hostel, em Copacabana. Se Ainda quiZer companhia por lá manda o zap no privado, pretendo conhecer os pontos mais turísticos do rio: Cristo, Pão de Açúcar, pedra do telégrafo, por do sol no Arpoardor, praia de Ipanema, forte de Copacabana , talvez trilha da pedra Gávea.
  2. douglasbastos

    relato Foz do Iguaçu - Dez 2016

    Relato de dezembro de 2016, então muita coisa não me lembro com riqueza de detalhes e muito menos os valores que paguei. Nunca tive interesse em ir pra Foz do Iguaçu, só fui porque vi muita gente falando bem do local e porque eu estava próximo. Depois de ver o quanto aquilo tudo é lindo entendi porque falam tanto do local. Após passar o natal em Cascavel –PR na casa de meu irmão, segui para Foz do Iguaçu de moto. Dia 26/12 – São aproximadamente 140km de cascavel a foz, então resolvi sair tarde de cascavel, chegando em foz por volta de meio dia. Parei para almoçar num restaurante simples e na sequencia segui para o Hostel Poesia ( onde paguei 30 reais a diária com ar condicionado em quarto coletivo com café da manhã.). Após fazer o check in e arrumar as coisas já segui de moto para o parque das Aves. O parque das aves sinceramente não me atraiu tanto. Dei uma volta rápida por la e como ainda tava “cedo” resolvi fazer já as cataratas no mesmo dia. O parque das aves fica ao lado praticamente das cataratas. Paguei a entrada simples que apenas passeia lá dentro. Existe outros “tickets” lá na hora de comprar, como por exemplo o Macuco Safari, mas não fiz. Após ter pago o ticket fui para um pequena fila onde encosta um ônibus de dois andares e leva o pessoal ate as cataratas. Entrei no andar superior do ônibus e desci no penúltimo ponto que ele vai. Quando tive a primeira visão das cataratas fiquei de boca aberta e vi o porque as pessoas tanto elogiam a beleza do local. Aquilo tudo é realmente lindo. Após tirar varias e varias fotos e apreciar toda aquela beleza, subi pelo elevador e aguardei o ônibus para voltar para a entrada do parque. Saindo do parque peguei a moto e segui para um mercado próximo ao Hostel ( 2 quadras) comprei água e comida e fui para o hostel. Comi algo que havia comprado no mercado ( não lembro o que )e dormi cedo. Obs: o Hostel Poesia tem um ótimo atendimento, e fazem umas caipirinhas muito boa. Se você for lá, não deixe de pedir a caipirinha de maracujá com mel. Dia 27/12 – Acordei por volta de 8:30 tomei o café servido no hostel e fui buscar umas bugigangas no PY. Comprei umas tralhas la e retornei para o hostel por volta de meio dia. Fiz um almoço rápido e após isso segui para a usina de Itaipu. Chegando na usina o valor para estacionar a moto era 25 reais, o mesmo valor para os carros. Tentei argumentar com o funcionário da guarita da entrada que a moto não ocupa o mesmo espaço de um carro, ele falo que o valor era o mesmo, ai aleguei que deixaria minha moto na vaga de um carro e ele falou que havia local especifico para a moto, aleguei novamente que se eu pagasse o valor de um carro, eu deixaria a moto na vaga de um carro e não apertada com outras motos ele falou que não poderia, fiz a volta e deixei na rua em frente. Ao chegar pra comprar o ticket tem varias opções , assim como nas cataratas, comprei um lá que estava na promoção que fazia a parte externa da Usina e uma volta de barco ( sinceramente me arrependi, pois do barco não teve nada extraordinário). Após o passeio retornei ao hostel já no fim da tarde, preparei a janta, tomei umas bera no hostel, mais umas caipiras e fui dormir. Dia 28/12 – Minha intenção era conhecer as cataratas do lado argentino. Me falaram que teria que ir cedo pra aproveitar bem. Me enrolei e resolvi ir na hora do almoço. Como a moto tava no nome de meu irmão, eu não poderia cruzar para Argentina com ela, então fui de ônibus. Pequei um ônibus coletivo que cruza para argentina, não lembro quanto paguei, só lembro que fiquei de 12:35 até 14:40 esperando o ônibus. Não sei se aconteceu algo mas achei bem demorado. Na ida tava um transito intenso pra cruzar para argentina o que atrasou ainda mais. Resumindo, cheguei muito tarde nas cataratas argentinas e não consegui fazer todo o parque, pegando o trem e indo direto ao ultimo ponto ( garganta do diabo). O lado argentino, mesmo só tendo visitado a garganta do diabo e não o parque inteiro, me encantou muito mais que o lado brasileiro. Após tirar fotos e apreciar o local retornei para o Brasil. Cheguei no hostel de noite, peguei a moto, fui até uma churrascaria ( não me lembro o nome), comi até cansar e voltei pro hostel dormir. Obs: para entrar no parque argentino só consegue pagando em pesos argentinos. Existe uma casa de cambio na entrada do parque mas as cotações em foz são melhores, então aconselho já trocar o dinheiro em foz. Dia 29/12 – Era o dia de ir embora, aproveitei a manhã e fui ate o Paraguai novamente para comprar mais umas muambas haha. Após isso voltei ao hostel, arrumei as tralha, fiz o check out e fui rumo a cascavel. Só parei no caminho para fazer um lanche e cheguei em cascavel por volta de 14:30 finalizando a viagem. Como tinha a moto para me deslocar em foz, foi tudo muito fácil. Não sei como é andando só de ônibus lá, como disse peguei o ônibus só uma vez para ir para argentina e foi horrível pela demora.
  3. douglasbastos

    Caminho do Itupava

    Essa é a segunda vez que faço o Caminho do Itupava nesse ano. A primeira vez foi no mês de abril e agora dia 22/07 resolvi fazer o percurso novamente. Fomos de carro até o posto do IAP em borda do campo. Deixamos nossos dados com o funcionário do IAP e começamos a trilha exatamente as 9:00. A intenção era descer pela trilha até a Casa do Ipiranga, continuar pela trilha até o cadeado e continuar pela trilha até um descampado que tem cerca de 1h e pouco de caminhada apos o cadeado. La nesse descampado acampar e, no outro dia, caminhar até o posto do IAP e pedir um taxi para a rodoviaria. Tudo certo começamos a caminhada. A trilha é bem demarcada e fácil porem, cansativa. Caminhamos tranquilamente chegando ate a Casa do Ipiranga as 11:40. Esse percurso até o Ipiranga possui muita gente nos fds. nós cruzamos um grupo de umas 8 pessoas com muita bagagem, violao, sacos pendurados nas costas tanto que tinha um cara com um saco gigante cheio de tralha, pendurado nas costas por um fiozinho de varal ( imagina a dor que ficou no ombro). Na Casa do Ipiranga é o local que possui mais lixo, por mais que tenha um local do lado do trilho de trem que o pessoal costuma deixar os lixos, ha lixo espalhado pelo local. Ali na Casa do Ipiranga é onde a maioria do pessoal acampa, mas é tipo um pessoal mais largado, na maioria usuários de alcool e outras drogas ( não generalizando e sim, eu levo alcool pra beber também). Apos ficar um tempo na casa do Ipiranga e na cachoeira que tem ali do lado, comemos e resolvemos seguir a caminhada. Ai veio a mudança, já fizemos a trilha em abril e havia a curiosidade de fazer o percurso pelos trilhos do trem ( o que é PROIBIDO mas muita gente faz) Aproveitamos que havia um grupo grande fazendo pelos trilhos e fomos logo atras deles. Sinceramente pelos trilhos é bem mais fácil e bem mais bonito do que pela trilha. O primeiro local de parada foi na antiga usina, local muito lindo. Paramos la tiramos umas fotos, descansamos um pouco e seguimos pelos trilhos até Nossa Senhora do Cadeado. La paramos de novo pra descansar. Trocamos ideia com um cara que era quase o guia de todos la, tinha muito conhecimento de todo o itupava. Ele perguntou se iriamos continuar pelo trilho ou se iriamos descer pela trilha apos o cadeado pois ele iria pela trilha. Falamos que iriamos pela trilha pois iriamos acampar na clareira que havia depois de um rio ( nao lembro o nome) que dava 1h de caminhada do cadeado. Ele comentou que havia o camping do marumbi mas que so com reserva, mas que se nao tivesse cheio era capaz de conseguirmos vaga. Arriscamos ir para o camping , mas ai continuamos pelos trilho, o rapaz la nos orientou que era o percurso mais perigoso dos trilhos por causa da maior ponte que ha no caminho. Mas com atenção, da pra fazer tranquilo. Fomos caminhando pelos trilho, ai apos algumas pontes e tuneis chegamos ao Camping Marumbi as 15:45, conversamos com um funcionário da administração la e ele só anotou os nomes e liberou a entrada ao camping. No camping contei 3 barracas alem das nossas ( que também eram 3) e de noite chegou apenas mais uma mulher. O camping é TOP, tem banheiros masculinos e femininos, água potável nas torneiras, mesas para se alimentar, luzes nessas mesas e o melhor de tudo, BANHO QUENTE. Sem conta a vista, você acampa ali no pé do Conjunto Marumbi! Montamos acampamento, tomamos banho quentinhos, e fomos jantar. Ja estava escuro quando jantamos. Fomos dormir 20:40. Tirando o barulho do trem que passa ali do lado e parece que esta dentro da barraca, a noite é tranquila. Acordamos por volta de 8:00. Tomamos cafe da manhã , levantamos acampamento e continuamos a caminhada até o posto do IAP para dar baixa. ( aqui é so 800m de trilha até a estação Hugo Lange e depois 4,5km de caminhada pela rua até o posto do IAP. Chegando no IAP assinamos o livro la pra dar baixa e continuamos. Cerca de 0,5 - 1 km chegamos até uma casa onde tem o sr ( nao lembro o nome) que leva o pessoal para morretes por 10 reais por pessoa. Se for muita gente ele leva de kombi, como estávamos em 4 ele nos levou de uno. Chegamos na rodoviária 12:15 e pegamos o onibus para curitiba 12:45. Obs: Animais que vimos: Uma cobra pequena, uns 10 cm, mas parecia um filhote, saindo dos trilho e macacos, cruzamos com 3 grupos de macacos, eles tem medo da gente, você ve eles longe e quando vai se aproximando eles fogem. Um esquilo na nossa senhora do cadeado e um outro bicho que cruzou os trilhos próximo a estação Hugo Lange que não conseguimos identificar, mas parecia um gamba. Obs 2 : acampar no caminho do itupava é proibido, andar pelos trilhos também, não acampei no caminho mas andei pelos trilho. Podem me julgar!
  4. De ultima hora surgiu a ideia de ir pra Cambará do Sul para conhecer os Cânions. Isso foi após ver a previsão do tempo e procurar um lugar interessante para passar o fds e verificar que não choveria no fds na região. Na quarta feira a noite fiz a reserva pelo booking para me hospedar no Hostel Cape Town sendo 2 diarias a R$ 40,00 cada. A ideia era na sexta de manha pegar a moto e ir de Curitiba até cambara, no sábado visitar o Cânion Fortaleza / Cânion Itaimbezinho e no domingo retornar para Curitiba. A moto utilizada para a viagem foi uma Yamaha Tenere 250. Ahhhh Teve tombo ãã2::'> 1º Dia - Curitiba - Cambará do Sul As 06:30 sai de Curitiba e percorri 604 km até Cambará pela BR 101 só parando pra tomar café as 09:00 e almoçar 12:30. Asfalto bom, viagem tranquila até chegar em Praia Grande - SC onde entrei numa estrada de terra até Cambará. ( estrada com trechos bem ruins, mas vi bastante carros baixos) As 15:30 cheguei ao hostel, conheci o Gustavo ( dono do hostel), arrumei as coisas e sai dar uma volta na cidade. A cidade é um ovo, da pra conhecer tudo apé. Sinceramente a não vi nada de mais na cidade, é uma cidade pequena como qualquer outra. Tomei um café no final da tarde na Padaria e Confeitaria Dois Irmão, onde comi um misto quente, um pedaço de bolo e tomei um cafe c leite - R$ 12,00. Aproveite e comprei 3 pães e uma bandeja de presunto - R$ 5,00. De frente com a panificadora tem um mercado que não me recordo o nome, comprei 2 águas, um suco e 3 bananas R$ 9,00. Voltei aos hostel peguei umas informações com o Gustavo, que me informou muito bem sobre os passeios e, de noite, sai para comer algo. Parei numa lanchonete e pastelaria que não me recordo o nome mas era de frente ao Pub de Perau. Uma porção de batata frita e uma garrafa 1L de cerveja Polar - R$ 24,00. Voltei ao hostel, conheci o único hospede que la estava alem de mim, o José, um carioca que mora em Niterói e que no outro dia já foi embora. Conversei um pouco com José e fui dormir. 2º Dia - Conhecer Cânion Fortaleza - Cair um pacote com a moto - Conhecer Cânion Itaimbezinho Acordei 07:00 arrumei a mochila com meus lanches ( Pao c presunto, bananas e aguas) que havia comprado no dia anterior. Comi um pão com presunto, peguei a moto e segui rumo ao Cânion Fortaleza. Para se chegar la é só seguir a Av Getulio Vargas toda a vida, vai acabar o asfalto e começa estrada de chão, ai tem uma porteira pra entrada no parque, não se paga nada nem anotam o nome nem placa do veiculo, apenas conversei com o funcionário que tava ali e segui em frente. Mais uns minutos e chego em uma placa escrito Trilha Pedra do Segredo. Estacionei a moto e segui pela trilha. Comecei a trilha do tigre preto as 08:30 caminhei um pouco, trilha facil, cheguei a cachoeira do Tigre Preto, lugar muito lindo. Tirei algumas fotos e continuei a trilha até chegar a Pedra do Segredo. A pedra vista na pedra do segredo também é muito linda. Tirei mais algumas fotos e retornei para onde havia deixado a moto. Essa primeira parte durou 1h e montei na moto exatamente as 09:30. Segui pela estrada de chão por mais uns 2km e cheguei ao estacionamento do Cânion Fortaleza. Deixei a moto e segui pela trilha ( na vdd você continua caminhando pela continuação da rua). Quando acaba a rua comeca um trilha e logo vem uma subida, mas nada de impressionar, é bem tranquilo. Conforme você vai subindo vai deslumbrando toda a beleza do lugar. ao termino da subida você chega ao topo do Cânion Fortaleza e te digo: aquele lugar é TOP! Tirei fotos e mais fotos ali. Ja era 10:50 e pensei: vo comer uma lanche agora, desço, pego a moto e vo pro cânion Itaimbezinho sem mesmo almoçar, ai depois volto pra cidade e como algo. Tava tudo certo na minha cabeça mas um tombo de moto mudou os planos hahaaha Desci do fortaleza parando varias vezes pra mais fotos, peguei a moto no estacionamento e segui sentido ao Cânion Itaimbezinho. Para isso retornei ate cambara e na Av Getulio Vargas virei na Rua da Tradição, ai é so seguir por essa via, que vira estrada de chão até chegar na entrada do Cânion Itaimbezinho. Eu estava pilotando rápido, na verdade, rápido até de mais. Os carros a zero por hora na estrada de chão, algumas motos q vi um pouco mais rápido mas ainda sim devagar perto da minha velocidade. Resultado foi que quando chegou num trecho onde a pista estava bem molhada ( um sabão na verdade) a moto simplesmente sai a frente e fui pro chão a uns 50 por hora. Tipo tava barrão mesmo, ralei a barriga e perna esquerda, me sujei inteiro de barro. a moto tem protetor de motor e carenagem, o qual fez a sua função, protegeu a moto mas entortou até encostar na carenagem causando alguns riscos. Depois de analizar os danos, voltei ao hostel, pois não iria ao Cânion tudo cheio de barro. ( o tombo foi a 1 km antes de chegar na entrada do Itaimbezinho No hostel troquei de roupa e resolvi mudar. Primeiro almoçaria e depois iria ao itaimbezinho. Almocei num restaurante na Av Getulio Vargas, em frente ao Pub do Perau ( nao lembro o nome dos lugares que comi, so desse pub do perau haha). Comi bem um prato para uma pessoa e uma cerveja 600ml por 32 reais. voltei pro hostel, peguei a moto e fui para o Itaimbezinho aproximadamente umas 14:30. ( diz que so da pra entrar até as 15h la). Na entrada do Itaimbezinho anotam a placa do seu veiculo, mas não é cobrado nada para entrar no parque. Após passar pela porteira do parque segui mais uns minutos até chegar ao estacionamento. La deixei a moto e segui pela trilha do cotovelo ( a maior). São 3km de caminhada até o fim da trilha, sendo que os 2 primeiros sao em meio ao mato. E o ultimo é beirando o cânion. lugar TOP. Tirei fotos e retornei. Ai fiz a trilha do vertice, que é bem menor, e também tem menos visão do Cânion em si do que no Cotovelo. Tirei mais fotos, retornei ao estacionamento, peguei a moto e voltei ao hostel. Chegando no hostel havia mais dois motociclistas do Rio Grande - RS, não lembro o nome deles, mas eram gente boa, pena que roncaram a noite toda Também tinha a Laís, carioca que , assim como José da noite anterior, morava em Niterói. Sai pra comer e parei no Pub do Perau. Me informaram que la haviam cervejas artesanais otimas. Chegando la fiquei triste em saber que nao tinham nenhuma cerveja artesanal, somente chopp. Pedi um hamburguer artesanal e tomei 2 chopps. Paguei 40 reais em tudo e retornei ao hostel. No hostel conversei bastante com a Laís, e logo fui dormir, era umas 20:00. Acordei qdo os motociclistam chegaram, umas 21:30. Ai nao consegui mais dormir direito, pois o ronco tava forte. Fiquei num dorme e acorda a noite toda até que as 5h eles acordaram, levantaram e logo sairam. 3º Dia: Cambara do Sul - Curitiba Às 06h levantei, terminei de arrumar as coisas, que ja havia agilizado no dia anterior. Me despedi do Gustavo e da Laís, que já estava indo embora também, peguei a moto e retornei para Curitiba pela BR 116. Sai exatamente as 07:30 do hostel e cheguei as 18:30 em minha casa. Fiz paradas muito longas, por isso demorei para chegar em Curitiba.
  5. douglasbastos

    Aluguel de Bicicletas em Curitiba (centro) a preço JUSTO?

    bicicleta + Curitiba = Perfeição hahaha eu adoro andar de bike por curitiba, desconheço o valor do aluguel das bikes. Tome cuidado com o tempo, curitiba chove, vc sai pedalar com sol de 30º e meia hora depois fecha o tempo kkkkk
  6. douglasbastos

    Ilha de Superaguí

    TROSKO você disse que gosta de estrada de chão. Por favor me diga que tem um carro bem ALTO, por que a estrada para guaraqueçaba é uma #####
  7. Into the wild =D Te desejo sorte na aventura, se for relatar aqui a sua jornada estarei acompanhando.
  8. douglasbastos

    A namorada ou ou a viagem?

    Quanto ao assunto do tópico é mais difícil quanto parece tomar a decisão entre um e outro. O ideal mesmo seria unir a namorada e a viagem. O problema é você ter espirito aventureiro, enfrenta qualquer tempo, dorme onde der, gosta de trilhas, caminhar bastante, se tiver q ir de avião ou de apé vai do mesmo jeito e a namorada não ter esse mesmo perfil. Minha namorada gosta muito de viajar mas não gosta de camping/ trilhas muito longas/ andar muito apé / entre outras coisas. O que resta é planejar a viagem de um modo que fique bom pros 2.
  9. douglasbastos

    Bombinhas

    Natalhia Realmente janeiro é complicado mas infelizmente é o mês que estarei de férias e é o mês q minha namorada consegue pelo menos folga na segunda feira, dando pra sair daqui na sexta de tarde e voltar na segunda. E em relação a camping, eu consigo me acomodar seja num hotel 5 estrelas, seja numa barraca na beira da praia (em relação ao conforto não ao preço, porque nao tenho grana pra um hotel 5 estrelas hahaha),mas minha namorada já é bem diferente nesse aspecto ai com ela tem q ser uma pousadinha mesmo ou hotel. Pittarello irei dar uma olhada na Pousada que voce indicou, Obrigado
  10. douglasbastos

    Bombinhas

    estou querendo ir para bombinhas no mês de janeiro. O problema é o valor q achei das pousadas e hoteis tudo muito caro. Sei que em alta temporada é caro mesmo, mas é que pegarei ferias em janeiro. Passarei somente um fds indo na sexta feira e voltando na segunda, alguem ai indica um hotel ou pousada boa e que o preço não seja tão alto.Obrigado
  11. douglasbastos

    relato Curitiba e Morretes/PR - 27 a 31 de Março de 2013

    kkkkk praça do cavalo babão é na verdade Praça Garibaldi, e essa Praça 19 de Dezembro aqui em Curitiba chamamos de "Praça do Homem Nu", e ja vi até chamarem de "Praça do Pelado" kkkkk
  12. douglasbastos

    relato Ilha do Mel - PR

    ola gruncosta! Vou ficar te devendo a indicação de uma boa pousada, pois me hospedei na Associação da Vila Militar, então estou por fora dos valores de pousadas la. Enquanto a quantidades de dias. Um fim de semana é suficiente para conhecer toda a ilha =]
  13. douglasbastos

    relato Ilha do Mel - PR

    Ola galera, vou relatar aqui o fim de semana maravilhoso que passei na Ilha do Mel - PR. Dia 24/05 15:00 - sai de Curitiba com minha moto sentido Pontal do Sul. Cheguei em Potal aproximadamente 16:30, e já comprei o ticket (R$ 27,00 Ida e Volta) do barco para Brasilia na ilha. As 17:00 o barco saiu, chegando a ilha por volta de 17:35. Eu tinha reservado uma casa na AVM ( Associação Vila Militar ), mas não tinha a minima noção de onde era. Perguntei a um homem que estava trabalhando de carregador de bagagens, e ele prontamente me orientou para onde era. Cheguei a AVM por volta de 17:50, e fui recebido pelo gestor da associação, que me informou tudo que eu precisava saber. Arrumei minhas coisas na casa, fiz um MIOJO e 21:00 ja estava indo dormir. Dia 25/05 (meu aniversario) - acordei tarde, cerca de 09:00, sai a procura de um lugar para tomar um café da manha, um outro carregador que estava andando ali perto me indicou ir ao Beer House (como disse o cara que me indicou, " Se não servir café la, pelo menos tem cerveja" ). Tomei uma xícara gigante de café, com um misto quente que me custou R$ 10,00. Voltei a casa, coloquei um tenis e partir explorar a Ilha. Comecei pelo Farol, da minha pousada até o farol deu cerca de 10 ~ 15 min. (Todo o percurso na ilha é feito a pé ou de bicicleta que podem ser alugadas). Depois de curtir o visual incrivel do Farol, voltei para pousada, tava mto calor, coloquei um chinelo no lugar do tênis (arrependimento, pois caminhei muito), peguei dinheiro e comprei um protetor solar (a mercados na ilha). Então parti para o forte, aproximadamente uns 4 km, caminhada tranquila, cheguei no forte tirei varias fotos, conversei com um cara que trabalha de guia de informações la. Depois de tirar algumas duvidas sobre o forte, subi para o morro da Baleia (fica em cima do forte), visual lindo la de cima, tirei algumas fotos, curti um pouco e desci. Mais ou menos umas 13:30 voltei até brasilia (+ 4 km de chinelo haha), dessa vez não fui pela praia, fui pela trilha no meio do mato, tava mais para uma rua do que trilha, pela largura da mesma. Cheguei em brasilia em mais ou menos uns 40 min, não estava cansado, mas tava com dor no pé por andar de chinelo. Almocei num restaurante que não me lembro o nome(R$ 25,00). Após o almoço voltei pra pousada, relaxei um pouco e 16:00 fui dar um mergulho na praia do Farol (que era a mais próxima). 17:40 voltei para a pousada tomei um banho, fiquei deitado numa rede até umas 20:00 só curtindo uma música, depois fui até uma outra lanchonete que também não lembro o nome e comi um x-salada no capricho =D (R$ 15,00 com uma coca). Voltei a pousada e cama. Dia 26/05 acordei 08:00, fui até uma outra pousada chamada Pousadinha, e paguei R$ 12,00 para tomar café. (Café, leite, pao, queijo, uns doces la, e um bolo delicioso), tomei um café bem reforçado, voltei a pousada coloquei o tênis (pois sabia que iria andar ), e partir para a gruta de encantadas por volta de 09:20, caminhei um pouco mais de 4 km, passando por visuais incriveis, cheguei a gruta, tirei fotos, fiquei um pouco ali, e fui para o lado do trapiche de encantadas, cheguei la, peguei a praia sentido norte e fui indo (com a intensão de chegar ao trapiche de brasília berando a praia pelo lado contrário que eu tinha ido), erro meu, a maré estava baixa, mas nao tanto, chegou uma hora que tive q tirar o tenis e entrar na água, fui ali meio q pela água, meio q pelo lodo, até chegar em uma parte q tinha pedras e a maré estava subindo, não deu mais pra ir. Comecei a voltar para o trapiche de encantadas, na volta a maré estava subindo e por poucu quase q fico preso em meio a pedras kkkkkkk, na volta achei uma pedra, um pouco alta, q na hora de eu ir , tive q contornar pela água na altura do joelho, quando voltei tava na altura da cintura, tive qu tirar a maquina fotografica e o cel do bolso, aproveitei, senti nessa pedra, fiquei um pouco ali só relaxando, quando vi a maré tinha subido um pouco mais e ali do lado da pedra ja estava um pouco mais fundo, me deixando dar alguns salto da pedra =D . Curti um pouco a água, juntei minhas coisas e voltei ao trapiche de encantandas. Ja era umas 13:30 almocei num restaurante ali (R$ 20,00), e peguei um barco de encantadas para brasília (R$ 8,00). Cheguei novamente em Brasilia, e fui para pousada arrumar minhas coias pois queria voltar a Curitiba antes do anoitecer, pois não gosto de viajar de moto a noite. Arrumei tudo e sai da pousada por cerca de 15:30, peguei o barco para pontal as 16:00, cheguei em Curitiba aproximadamente 18:00. Não gastei muito na ilha, coloquei o valor das refeições, mas é claro gastei com garrafas de água que comprei quando estava caminhando de um lado para outro da ilha, refris. A ilha é linda, vale a pena ir, ainda mais se pegar um tempo aberto igual foi este fim de semana.
×