Ir para conteúdo

leofardin

Colaboradores
  • Total de itens

    20
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre leofardin

  • Data de Nascimento 10-04-1995

Bio

  • Ocupação
    Estudante de biologia
  1. Show, valeu pelas dicas. : ) Quanto à aquele problema do tempo, com até dez dias de antecedência, dá pra desmarcar os ingresso de entrada e a PARNASO te reembolsa o valor gasto.Felizmente assim não perco o dinheiro. E realmente espero não me perder, por isso que estou pegando tudo de informação sobre caminho da travessia. Abraço
  2. Fala Augusto, Não conhece ninguém que já fez a travessia, e o pessoal com quem eu vou também nunca fizeram. Mas todo lugar que eu leio sobre, diz que é uma das melhores(se não a melhor) travessia do Brasil, e pelas fotos do lugar é incrível mesmo ! Eu to esperto, com a questão das chuvas e dependendo de como estiver a previsão do tempo, talvez tenha que remarcar pra outra data. Quanto à neblina, depois que ela baixar demora muito pra ela se dissipar( é esse o termo certo ? haha) ou é relativo? se no meio da travessia for pego de surpresa me recomenda montar acampamento logo ou continuar se ainda tiver um pouco de visão?(sou meio que iniciante ainda). valeu, e abraço.
  3. Pô augusto, vou fazer a travessia agora em novembro e as suas informações ajudaram muito, rápido, claro e objetivo. Valeu !!!
  4. Eai nilton, td bem? Tenso isso em, ainda mais na situação que você estava, se a suçuarana te pegasse acho ela ia ter um jantarzinho à luz de velas ...brincadeira. já passei por algo mais ou menos parecido na mata só que era de dia e era um cachorro (daqueles bravos de caça) e que tava latindo e correndo na minha direção, quando percebi já estava de facão na mão pronto pra me defender, felizmente pra ambos, ele passou direto. Essas situações causam uma tensão incrível misturado com uma descarga de adrenalina que te deixa atento a tudo, ainda mais no escuro não se enxergando nada. Nessas horas não têm muito o que fazer, é manter a calma e seguir em frente. Já ouvi dizer que fazer barulhos, tipo de algum bicho bem grande, pode afugentar uma onça, talvez eu tentasse fazer isso(se não acabasse piorando minha situação) E tá aí um novo lugar que entrou pra minha lista de lugares - Serra do Quilombo. E que bom que você não desistiu das matas
  5. se estiver andandor por regiao com capim meio alto, andar "chutanto" o capim para fazer barulho, isso ajuda à afasta - las.
  6. Comprei a Crampon tech 77 da trilhas e rumos e gostei bastante do que vi, e com preço aceitável pra você, achei a minha por RS 300,00 na minha cidade, infelizmente ainda não tive chance de usar ela ainda mas vou fazer um teste com ela no pico da bandeira.
  7. Será que as vezes não dá vontade de parar e sussegar em um canto por um tempo (bem curtinho) ? Sei lá, mas te todo o modo já decidi que um dia vou tirar um ano, aquele ano sabático, e ficar apenas mochilando, aí eu descubro e vejo no que que dá. Enquanto esse ano não chega, fico aqui sonhando e viajando tanto nos vários blogs sobre isso quanto na vida real. ha ha valeu !!! OBS: gostei do blog show!!!
  8. Oi, Há alguns dias atrás, eu mais quatro amigos, decidimos subir a pedra dos dois olhos em vitória ES. Às 05:40, o celular despertou e num salto já levantei da cama e comecei a me apronta. 07:00 hs era o horário combinado para nos encontrarmos no terminal. Quando cheguei logo vi um dos "aventureiros" do nosso grupo, Sandoval. Logo depois chegaram mais dois Drew e seu amigo que até então não conhecia, Jonas. Pegamos um ônibus, e fomos em rumo ao nosso destino. Saltamos perto de um posto onde nos encontramos com o último soldado do pelotão, Fagner. Dalí partimos para a pedra. Dias antes tínhamos procurado um caminho no google maps por onde subir, e encontramos um possível caminho. Entramos numa construção e de lá conseguimos achar uma trilha que levava à parte descampada ( bem num estilo porra loca). A parte descampada era linda, realmente me surpreendi, não só com esse pedaço mas com todo o lugar. Após algum tempo de distração, continuamos nossa investida em rumo ao topo da pedra. Encontramos um caminho e seguimos por ele. Chegou em um ponto, onde a trilha acabava( em cima de uma pedra) Naquele ponto não sabíamos por onde chegar ao topo. Resolvemos descansar e comer alguma coisa. Enquanto conversávamos, ouvimos barulho de pessoas gritando, ficamos atentos, e prestando um pouco de atenção na conversa, entendemos que eram pessoas armadas que subiam. Nesse momento ficamos um pouco tensos, uns mais outros menos, e pensávamos no que fazer. Os caras estava vindo em nossa direção, então fomos para o fim da trilha, na pedra. Eles pararam e subiram em algum lugar antes do local em que estávamos. Sem saber o que aconteceu um corajoso homem entre nós, Jonas, foi verificar aonde eles estavam. Ele fez isso entorno de umas cinco vezes indo e voltando, sempre sorrateiro. Enquanto esperávamos encurralados, ficamos conversando sobre várias coisas mais profundas e filosóficas, o que ajudou a diminuir o clima de tensão entre nós. Após quase uma hora de espera sob sol quente, jonas voltou para tentar escutar e não ouviu nada. Ai tomamos uma decisão, ou ficamos aqui por mais um tempo, ou vamos em frente, e mesmo que desemos de cara com eles continuaríamos seguindo em frente. Fizemos a segunda coisa. Todos espertos ao máximo, dessemos a trilha o mais rápido e silenciosamente possível. Saímos da aventura pelo mesmo lugar que entramos, e no fim terminou com todos nós "sobreviventes" num barzinho tomando uma merecida gelada. OBS: Os nomes dos "Aventureiros" forma trocados. No fim dessa aventura, fiquei feliz por ter terminado tudo bem, mas com um pouco de tristeza por não subirmos no cume da pedra dos dois olhos. Tenho vontade de voltar lá e subir no topo. Alguns dos meus amigos não, acham que o risco não vale apena, e fiquei sabendo que ali é lugar muito perigoso, coisa pesada. Não sei se o que ouvi é verdade ou não. De todo modo, comecei a refletir sobre essa aventura, e risco das aventuras que todos nós temos, ainda planejo muito pra mim, quero conhecer o mundo, ver o todo que existe por aí e participar dele. Isso envolve entra em lugares de risco, planejo futuramente depois de bastante experiencia, viajar por lugares de zona de guerra, pobreza e instabilidade social, ver realmente como é mundo, em todos os seus extremos e poder fazer algo por ele. Tenho um pouco de receio em voltar lá, depois do que fiquei sabendo, mas será que vale apena? o quanto vale uma aventura? qual o valor da sua vida? o que uma aventura significa? Apenas sei, que não quero me arrepender do que fiz e não fiz em vida, e não quero deixar de fazer coisas por medo. E ai, o que acham ?
  9. Ha ha show! Ás vezes me pego pensando como seria bom simplesmente pegar minha mochila numa quarta -feira, colocar tudo dentro dela e partir por ai sem rumo, indo aonde desse na ideia. Pena que não tenho grana ainda pra fazer isso Quanto a ideia de viver mochilando, será que é possível? Deve ser complicado pra arrumar dinheiro.
  10. ... um estado de espirito, uma sensação, algo incrível.
  11. "A arte de viajar é desviar - se do primeiro plano" de Connor do filme the art of travel. Ás vezes uma viagem torna-se inesquecível exatamente por que ela não sai como você planejou. Também tem outra que gostei e vi aqui "Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez..." Jean Cocteau
  12. Minha dica de livro é o into the wild, que já foi citado. Quanto aos Filmes tem o into the wild que é fantástico, mostra muito bem o espírito livre de um mochileiro e acho todos deveriam ver. O documentário A lendária Expedição Antártica de Shackleton e The way - camino de santiago(o primeiro é sobre a expedição de Shackleton à antártica e que acabou por se torna o mais impressionante relato de sobrevivência, determinação e liderança; o segundo também vale muito apena assistir, principalmente quem for fazer o camino. E o filme que mais gosto, sempre vejo e nunca enjoo, é The art of travel, filme leve e inspirador.
  13. Ei! E aí cara tudo bem? tenho o mesmo interesse que você, sempre gostei de trekking (mesmo antes de saber o que era já fazia), quando criança vivia andando pela mata que tem lá no sitio da família. Recentemente tenho algo inescapável dentro de mim, uma vontade imensa em ver, conhecer e participar do mundo. Tenho dezoito e assim que terminar a faculdade vou pro meu primeiro mochilão (e mais três amigos). Decidimos faze-lo pela América do sul, ainda não sei por quais países vamos passar mas com certeza será de mais. Acho que o melhor é fazer o primeiro mochilão em países estrangeiros.Outras língua, outras culturas algo novo e desconhecido te aguardando, com certeza é algo maravilhoso e ao mesmo tempo assustador. Não tenha medo, vá com tudo e não se preocupe em passar por perrengues, que na medida certa só deixam a viagem mais interessante! Boa sorte!!! ps : Se fizer o mochilão pelo brasil não deixe de passar pela chapada diamantina.
  14. Cara que emocionante, muito bom seu relato! vou esse ano de 2013 e não vejo a hora de estar lá, vivendo tudo isso !!!
×
×
  • Criar Novo...