Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

erikete

Membros
  • Total de itens

    31
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Outras informações

  • Meus Relatos de viagem
    Travessia Lençóis Maranhenses Agosto/2016 http://www.mochileiros.com/viewtopic.php?f=766&t=133628

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. erikete

    relato Travessia Lençóis Maranhenses. 24 a 31/8/2016

    Oi Sandro! Sem passagem aérea, pois comprei parte em milhas
  2. Chegou o meu grande dia de fazer o meu primeiro relato de viagem e fazer a minha contribuição ao Mochileiros, depois de tanto pegar dicas e companhias para viajar nesse site, e tantas cobranças de amigos porque tenho um bloquinho de anotações que sempre carrego comigo em toda viagem que faço Realizamos o trekking em apenas 2 pessoas mais o guia. Tentei de todas as formas conseguir mais pessoas para fazer a travessia dos Lençóis Maranhenses em 5 dias, porém não foi possível, mas mesmo assim não quis desistir de seguir meus planos de fazer um dos trekkings mais belos do Brasil, apesar de pouco conhecido pelos brasileiros, a maioria dos caminhantes que encontramos eram estrangeiros, em especial franceses. Preparativos: Contato com guia Grandão (Fagno): (98)99967-7961 Passagens aéreas: Ida GOL com chegada em SLZ às 12:00/Volta TAM com saída de SLZ às 15:14 Hospedagem: http://www.booking.com Levei os seguintes equipamentos e materiais de uso pessoal: 01 Mochila 40 Litros ou menor 01 Havaianas/Papete/Crocs tradicional(furo lateral) 01 Lanterna 02 Camiseta de manga longas dryfit 01 Calça de secagem rápida 01 Toalha de secagem rápida 01 Vestido 01 Protetor Solar 01 Óculos de Sol 01 Repelente contra Insetos 01 Chapéu 01 Camiseta de secagem rápida 01 Short de secagem rápida Bastão de caminhada (com discos para neve) Roupa de banho Roupas íntimas Material de higiene pessoal Lanches para trilha Água Sabão de côco Dia 01 - 24/8 - Bsb > SLZ > Barreirinhas Enfim, chegou o dia tão esperado, estávamos bem ansiosos… Chegamos em SLZ às 12:00. Fomos andando do aeroporto até a avenida principal e pegamos um ônibus coletivo até a Rodoviária de SLZ. Nem eu sabia que era tão perto!!! Já era na próxima parada, mas como o sol estava escaldante, acho que foi a melhor escolha! Compramos passagens na Cisne Branco para o horário das 14:00. Na véspera, até pensei em pegar um transfer para Barreirinhas pela comodidade, porém houve um aumento da tarifa, e resolvemos encarar o ônibus mesmo. Chegamos em Barreirinhas às 18:40. E não achei a viagem tão cansativa como li em outros relatos, mas talvez porque eu seja aquele tipo que é só encostar... sentir o balanço do veículo que dorme…. ...achei foi até confortável...melhor que uma van!!! Pedi ao motorista parar no semáforo das Dunas, que era um ponto próximo à POUSADA JATOBÁ, previamente reservada pelo Booking. A pousada é bem simples e quarto bem abafado, mas para passar uma noite valeu a estadia. Deixamos nossos pertences na pousada, banhamos e fomos dar uma volta na orla de Barreirinhas. Achei bem arrumadinha, com vários bares, escolhemos um e ficamos lá curtindo um pouco. Despesas principais do dia: Ônibus coletivo: R$ 2,90 Cisne Turismo http://www.cisnebrancoturismo.com.br : R$ 53,00. Duração média da viagem: 4h30 Pousada Jatobá: R$ 43,25 25/8 - Dia 02 - >Passeio Rio Preguiças (Vassouras, Farol do Mandacaru e Praia de Caburé)>Atins>Canto de Atins Fizemos o passeio de voadeira do Rio Preguiças pela ECODUNAS, previamente agendado por email, paguei um sinal de 50% como reserva do passeio, sendo emitido um voucher. Eu escolhi essa agência, em especial, pois era a única que encontrei que não cobrava um adicional a mais para deixar em Atins, pois o passeio em si acabava em Caburé. As demais já diziam que tínhamos que pagar uma outra voadeira para nos deixar em Atins, onde o guia nos aguardava. No dia e horário combinado, às 8:15, chegou um rapaz na pousada com uma toyota, porém teve um inconveniente de que ele queria nos cobrar de novo o valor antecipado, pois assim estava escrito num papel que ele carregava, como fui precavida mostrei o comprovante de depósito efetuado anteriormente. UFA!!! Imagina ter que pagar de novo! Afe!!! Nesse passeio, que engloba Vassouras, Farol do Mandacaru e Praia de Caburé, já deu pra sentir um pouco de como seria a travessia, pois conhecemos os Pequenos Lençóis….muito sol e areiaaaaa…. Também no dia e horário combinado, às 14h, o FAGNO, conhecido na região como GRANDÃO, nos aguardava no caís de Atins e nos levou até Canto de Atins, sem nenhum custo adicional. Fiquei um pouco receosa de chegar no ponto de encontro e não ver o guia, pois o único contato que tive com ele foi pelo whatsapp, indicado aqui no site do Mochileiros. O Grandão é uma pessoa super humilde que já está no ramo do trekking há 10 anos, conhece um bocado de gente na região, super atencioso e solicito, reservou todas as nossas estadias, refeições e o nosso transfer final em Santo Amaro antecipadamente. Por isso, confiem gente!!! O Grandão é gente boa!!! Amei ele como guia!!! Como o sol estava muito quente, Grandão nos levou até a barraca da Isabel onde esperamos até às 16:00. Chegamos às 17:30 em Canto de Atins. Percorremos 7 km, em 1h30. Nossa primeira pernoite, antes do início do trekking, foi na POUSADA e RESTAURANTE DA LUZIA, reservado pelo guia, e experimentamos o famoso camarão à moda da casa, não consideramos a última coca-cola do deserto, como alguns posts comentam, mas valeu experimentar. Nesse dia também, experimentamos a tiquira com côco (bebida típica do Maranhão, à base de mandioca) MARAVILHOSOOOOO!!! Parece um licor de côco! Empolgados resolvemos comprar um! Acredito que foi a bebida mais valiosa que comprei na minha vida, pois tive que carregá-la em toda travessia!!! Despesas principais do dia: ECODUNAS http://www.ecodunas.tur.br: R$ 80/pessoa Guia Fagno (Grandão): (+55)(98) 99967-7961 wpp: R$ 850/2 pessoas (5 dias e 4 noites) Almoço (Caburé): R$ 20 Pousada Luzia: Jantar(camarão): R$ 30 Durmida (quarto casal): R$ 80/casal, com opcional de rede por R$ 30 Dia 03 - 26/8 - Canto de Atins>Baixa Grande - 26 km em 9h Hoje, iniciamos, de fato, o esperado trekking dos Lençóis Maranhenses!!! 5 dias e 4 noites, por 70km, nos aguardem!!! Partimos às 2:30 da madrugada de Canto de Atins. Tomamos um café da manhã bem simples, biscoitos cream cracker, margarina, bananas, café e leite em pó (reparamos que aqui é bem comum o leite em pó, em todo lugar que dormímos tinha). Levamos 3 litros de água para nós dois, o que achamos pouco porque na 1h final da caminhada, já não tinha mais, ficamos com sede, com o sol castingando...Também nos ofereceram na pousada irmos de quadriciclo nos primeiros 9 km, mas descartamos a ideia, pois queríamos gastar mesmo as nossas canelas!!! Fizemos 4 paradas no meio do caminho: 2 paradas em casas de pescador (na 1ª parada, tinha 2 pescadores na casa; na 2ª parada, estava abandonada, mas ficamos lá para ver o nascer do sol); 3ª parada, nas dunas, onde pudemos sentir, os ventos fortes com rajadas de areia, batendo e entrando areia em todos os orifícios do corpo , o Grandão deitou e ficou todo enrolado na canga dele para descansar um pouco, nós ficamos lá, admirando a paisagem e comendo areia mesmo e; 4ª parada, na lagoa estrela, não entramos, só ficamos admirando e comendo areia Chegamos às 11:30 em Baixa Grande, na casa de D. Loza. Estávamos mortos de calor e cobertos de areia, doidos por um copo de água e um banho!!! O Grandão, pelo contrário, estava todo relaxado, já sentado, esperando calmamente o almoço! Fiquei impressionada com o preparo físico dele!!! No primeiro dia de caminhada, já pude sentir no corpo a caminhada, ganhei 2 belas bolhas no pés, mesmo usando meias, mas acredito que seja a falta de costume de usar crocs e caminhar na areia… Almoçamos peixe tambaqui assado (também tinha como opcional galinha), acompanhados de arroz, macarrão e salada. Uma refeição bem farta, como todas as que comemos. Por causa disso, acho desnecessário levar muitos lanches para trilha, pois quase não comemos as guloseimas. Nesse dia, ficamos bem cansados, depois de comer, capotamos na rede…. eu que nunca tinha dormido em rede, achei que não dormiria direito e tal, mas aprendi a técnica de dormir em rede e AMEIIIII!!! Fiquei super feliz, pois sabia que dali em diante, dormiríamos somente em rede!!! Às 17:00, fomos assistir o pôr do sol nas dunas. Fiquei fascinada com aquele sol próximo às dunas!!! No jantar, pedimos algo mais leve, e comemos manguete, uma espécie de omelete com ovos, tapioca, tomate, cebola, alho, cheiro verde e açafrão, acompanhados de arroz e macarrão Despesas principais do dia: Almoço: R$ 30 Jantar: R$ 20 Rede: R$ 30 Opcional (quadriciclo) R$ 150 a 250 Dia 04 - 27/8 - Baixa Grande>Queimada dos Britos - 8 km em 3h De agora em diante, por causa das bolhas nos pés, fui mais preparada e cobri as regiões mais sensíveis com esparadrapo, e calcei meias. Partímos às 7:00 de Baixa Grande com destino à Queimada. Tomamos um café reforçado com café, leite em pó, tapioca, ovos e frutas. Paramos somente 1 vez na Lagoa Três Marias para tomarmos um banho e relaxar. Na chegada de Queimada, às 10:00, encontramos umas frutas típicas da região, o mirim (parece um mini jamelão) e muito pé de caju. Ficamos na casa de D. Rosa e almoçamos uma galinha caipira maravilhosa, que há muito tempo não comia uma tão boa assim, até hoje me dá água na boca...Uuuhhhhmmmmm!!!!Yayayaya!!! Estava acompanhada de arroz, macarrão, feijão fradinho e salada. Pra variar tiramos uma sonequinha depois. Mais tarde, fomos dar uma volta na região para conhecer, tirar umas fotos e comer um pouco de caju. Às 16:40, fomos ver o pôr do sol nas Dunas, porém não vimos muita coisa, pois as nuvens atrapalharam um pouco. Tomamos banho de caneca, pois não havia chuveiro no local. No jantar, como ainda estávamos muito cheio do almoço e dos cajus kkkkkkkk...pedimos um lanche (tapioca com ovos) Despesas principais do dia: Almoço:R$ 30 Jantar (lanche):R$ 15 Rede: R$ 30 Dia 05 - 28/8 - Queimada dos Britos>Lavado do Sergio - 12 km em 5h Saímos às 6:00 de Queimada. Tomamos um café da manhã simples com café, leite em pó, ovos e cream cracker. Chegamos às 11:00 em Lavado. Tivemos uma parada, próximo a Lavado, um povoado com apenas 3 casas, ainda carente para recepção de turistas, dormimos de forma improvisada na varanda da casa da D. Letícia e Seu Periquito (José), onde ventava muito, e não havia banheiro, tínhamos que fazer nossas necessidades escondidos no matinho. A princípio iríamos para o povoado de Pataca, porém como o guia Grandão não conseguiu falar com a dona da casa, resolvemos ir direto para Lavado. Não me arrependo de forma alguma! Foi uma das vistas mais bonitas do trekking, a recepção mais calorosa de todos o lugares que hospedamos, nos oferecia café com biscoitos a todo momento, puxava uma prosa gostosa e ainda nos proporcionou um passeio maravilhoso com seus filhos e seu cãozinho de estimação (Spike) no pôr do sol, onde tiramos muitas fotos lindas. Contato: Periquito: (+55)(98)8742-6753. Realiza serviços como guia e passeios de quadriciclo na região de Santo Amaro. Não fizemos, mas como foram tão simpáticos com a gente que achei por bem divulgar o trabalho deles. Despesas principais do dia: Almoço (galinha caipira com maxixe, arroz, macarrão, feijão) :R$ 30 Jantar (lanche)(tapioca com ovos e cream cracker):R$ 7,50 Rede: R$ 30 Dia 06 - 29/8 - Lavado do Sergio>Betânia - 7 km em 2h Tomamos um café reforçado com café, leite em pó, tapioca, ovos e frutas. Saímos às 7:00 de Lavado e chegamos às 9:00 em Betânia. Esse foi o dia mais tranquilo da travessia, pensamos até mesmo ir para Santo Amaro nesse mesmo dia, mas quando vimos o rio Alegre, ficamos apaixonados, doidos pra curtir, nadar e andar de barco à remo naquele rio assim resolvemos relaxar e aproveitar o local. No almoço, tínhamos como opção: peixe, galinha e cabrito. Resolvemos experimentar o cabrito, acompanhado de arroz, macarrão, feijão e salada. No final do dia, fomos andar de barco no rio Alegre e ver o pôr do sol nas dunas. Dormimos no salão onde estavam as mesas do restaurante da D. Chagas, chamado de Cantinho da Felicidade, empurramos as mesas e penduramos as redes à noite. Despesas principais do dia: Almoço (cabrito): R$ 35, com opcional de peixe e galinha que custava R$30 Jantar (½ porção): R$ 15 Rede: R$ 35 Dia 07 - 30/8 - Betânia>Santo Amaro>SLZ - 10 km em 4h30 Tomamos café, leite em pó, tapioca e frutas no café da manhã. Saímos às 6:00 de Betânia, passamos pela Lagoa das Andorinhas - onde fizemos uma pequena parada - e pela Lagoa das Gaivotas - que estava praticamente seca. Chegamos na entrada de Santo Amaro, chamado de Pau de Leite, em 3h30 . Algo curioso que conheci dessa região foi uma simpatia chamada Pé de Lingerie, onde as mulheres que desejam se casar penduram roupas íntimas nas árvores para conseguirem um marido. Porém caminhamos mais 1h até chegar no centro da cidade, onde ficava o restaurante, local em que a Toyota Bandeirante, à 13:00, iria nos transportar até Sangue e depois pegaríamos uma van até São Luís (previamente reservado pelo Grandão). No restaurante, enquanto aguardávamos o transporte, tomamos uns sucos e comemos um PF (prato feito). E achamos bem curioso porque víamos a todo tempo ovelhas pastando soltas pelo local. Na verdade, durante toda a travessia víamos muitos animais - porcos, cabras, ovelhas, vacas, galinhas - criados de forma solta, às vezes até sozinhos no meio das dunas, próximos aos oásis. Na chegada em São Luis, a van nos deixou na POUSADA MARAMAZON, onde fiz reserva previamente pelo Booking, situada na avenida Litorânea, em frente à praia do Calhau. Escolhi esse local, pois sabia que iriamos chegar bem cansados da travessia, e queria um local aconchegante para relaxar e descansar. É uma pousada aconchegante, localizado num bairro belíssimo, com uma orla bonita com várias opções de bares e restaurantes. Resolvemos não arriscar e não adentramos na praia, pois falaram que as praias de São Luís são poluídas devido ao saneamento básico ruim. Somente apreciamos sua vista. Nós ficamos surpresos com o Maranhão, em especial a cidade de São Luís, pois achávamos que a cidade estaria completamente abandonada, mas vimos a orla super bem cuidada, com quiosques padronizados e repleto de restaurantes. Além disso, o dono da pousada, o Rafael, e as recepcionistas falaram de eventos culturais do local, o Boi-bumbá, que acontece no mês de junho, e vários outros pontos turísticos do Maranhão que nunca havíamos falar a respeito, como a Ilha dos Lençóis (que nada tem haver com os Lençóis Maranhenses) e disseram que é um lugar belíssimo pra quem curte ecoturismo. Bom, ficará para uma próxima trip no Maranhão, com gostinho de “quero mais”!!! Despesas principais do dia: PF: R$ 15 Transporte: Toyota Bandeirante (de Santo Amaro a Sangue):R$ 20, à 13:00, com duração de viagem de 2h aproximadamente, pois pegava outros passageiros em outros pontos da cidade. Van (de Sangue a SLZ): R$ 40, com duração de viagem de 3h aproximadamente Pousada Maramazon:R$ 62,50 Dia 08 - 3/8 - SLZ>Bsb O café da manhã da pousada era bem farto, com 3 tipos de bolo (queijo, milho e chocolate), frutas, pães, frios, ovos, tapioca, 2 tipos de suco (caju e acerola), café, leite e chá. Caminhamos um pouco na orla, mas como estávamos com as pernas doloridas, resolvemos voltar à pousada e relaxar nas redes até esperar o horário do check-out. Resolvemos ir de taxi para o aeroporto devido ao cansaço e pegamos nosso vôo de volta pra casa. Despesas principais do dia: Taxi: R$ 50/2 pessoas Lanche:R$ 12,50 MEU PONTO DE VISTA: Acredito que uma travessia de 4 dias já é suficiente para curtir bem os Lençóis, já a de 3 dias acho muito corrido, só se a pessoa já estiver bem condicionada para esse tipo de atividade ou tiver pouco tempo disponível, pois segundo conversas com o guia, ele me afirmou que no 1º e 3º dia anda-se em média 25 km, o que é bem cansativo devido ao caminhar nas dunas e o sol na moleira!!! MELHOR ÉPOCA: De maio a setembro, que coincide com o término das chuvas e por consequência as lagoas estão mais cheias, o que deixa a paisagem mais bonita. Segundo o guia, os meses melhores são maio e junho quando se pega as lagoas cheias e não tem muito turista. Na nossa caminhada no final de agosto, havia poucas lagoas cheias, pois esse ano de 2016 choveu pouco na região, mas isso não tirou a magia e esplendor do lugar. CUSTO TOTAL (com despesas principais)=R$ 1.176,65/pessoa CUSTO REAL ( o que de fato gastamos)= R$ 1.500/pessoa, aproximadamente. CONTATOS DIVERSOS: Transporte(Van): SLZ-Barreirinhas Raimundo pai/Bruno filho R$ 70,00 (98) 9152-9229 wpp Levatur (Jorge) (98)99969 - 4544 celular / 99213-1779 wpp Santo Amaro-SLZ Denilson (98) 98488-6346 wpp Outros guias: Anderson Pinheiro (Nature Adventure): (22)99938-5393 Patricio Zelarayán (Paraíso do Caju) (98) 9162-4036 Raimundo Cleyton (Costa Leste EcoAventura) (98) 8886-1386 Carlos Queimada (98) 8734-0615 Joel (98) 8749-0847 Beziquinho (98) 9609-2199
  3. Oh que bom!!! Até que é pertinho...dá para fazer o percurso a pé bem tranquilo...é bom que já vou conhecendo a cidade! Eu vou agora em julho...me falaram muito bem da cidade e do Festival de inverno. E o hostel? Onde vc guardava sua mala/mochila quando ia passear pela cidade, já que o dormitório é coletivo?
  4. Oi, Nathaly!!! Vou realizar minha primeira viagem sozinha como vc...então me senti bem motivada para realizá-la, apesar de ansiosa. E já reservei minha estadia no Ouro Preto Hostel também, próximo a mina Chico Rei. Assim, queria tirar uma dúvida com vc: como vc foi da rodoviária para o hostel? Dá para fazer o percurso à pé ou é muito longe?
×