Ir para conteúdo

Bruno Marinho

Colaboradores
  • Total de itens

    81
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre Bruno Marinho

  • Data de Nascimento 01-10-1978

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Quando voltamos para o cruzeiro no fim do dia fomos conhecer o navio e aproveitar a mordomia a bordo. O cruzeiro teria o seguinte roteiro: 1° dia - embarque em Maurícios 2° dia - navegação 3° dia - navegação 4° dia - Seychelles 5° dia - navegação 6° dia - navegação 7° dia - navegação 8° dia - Maldivas 9° dia - navegação 10° dia - Colombo (Sri Lanka) 11° dia - navegação 12° dia - navegação 13° dia - navegação 14° dia - Pukhet (Tailândia) 15° dia - navegação 16° dia - Singapura 17° dia - navegação 18° dia - navegação 19° dia - Da Nang (Vietnã) 20° dia - navegação 21° dia - Hongkong (desembarcamos aqui em Hongkong, pois queríamos ir a Macau. Contudo, o cruzeiro continuou por mais 3 dias, conforme se segue) 22° dia - navegação 23° dia - navegação 24° dia - Xangai Muitas pessoas podem se assustar com a quantidade de dias em um navio, ou os longos trechos de navegação. Mas nós adoramos e achamos até pouco. Um de nossos sonhos é fazer a volta ao mundo de cruzeiro. Muitos pensam que os dias são monótonos. Já eu, acho que monótono é ter que acordar todos os dias e ir para o trabalho durante 11 meses para conseguir um mês de férias e aí sim, realmente viver. Nossa rotina extenuante no navio é a seguinte: acordar, dar uma caminhada na pista existente no convés. Tomar o café da manhã. Ir para a piscina e depois para a jacuzzi. Depois comer mais alguma fruta e ir para a cabine. Descansar um pouco na cabine. Ler algo ou assistir algum filme. Almoçar. Dormir um pouco depois do almoço. Jogar cartas, ler ou andar mais um pouco. Participar de alguma atividade do navio. Jantar. Assistir algum show ou ouvir música ao vivo em algum dos bares do navio. Sinceramente sentimos muita falta dessa "rotina" quando o cruzeiro acaba!!! E o balanço do mar? Já fizemos duas travessias do Brasil pra Europa, sem balançar nada. Um cruzeiro na Europa, também sem balançar nada. Um cruzeiro para o Sul do Brasil, onde balançou demais (esse foi o primeiro que fizemos), outro no Brasil super tranquilo e um na Amazônia, também sem mexer nada. Esse só ficou mexendo demais em um período de umas 30 horas. Não chegou a dar medo, mas incomodou muito. Nada que pudesse derrubar as pessoas ou fazer cair copos ou talheres das mesas, mas foi um balanço contínuo e por muito tempo, o que deu um pouco de dor de cabeça e só. Depois que passou nem lembramos mais disso. E, como eu disse, não foi nada assustador, só chato mesmo. O navio Neo Romantica, da Costa Cruzeiros era pequeno, em comparação com outros que já fomos, como o Preziosa, da MSC. A comida era muito boa, mas um pouco repetitiva. Parecia que tinham uns três cardápios que se repetiam sempre. Agora vamos seguir com os locais visitados. Seychelles era um lugar que queria conhecer desde 1998, quando li uma matéria sobre o País na revista Terra. As formações rochosas nas praias parecem que foram feitas à mão, de tão bonitas e detalhadas. A natureza levou milhões de anos fazendo um trabalho impecável. Como as ilhas são distantes e o tempo de parada era curto, contratamos uma das excursões do navio, que nos levaria às Ilhas de Praslin e La Digue. Pelas fotos vocês vão verificar que valeu cada centavo gasto na excursão.
  2. Prosseguindo com os relatos... No dia seguinte pegamos o voo em direção a Maurícios. Demos uma sorte absurda, pois fizeram uma promoção para a classe executiva para esse voo, que foi no avião A-380. Pagamos somente mais U$ 300,00 para o upgrade (depois fomos tentar fazer o upgrade nos trechos entre Xangai e Dubai e entre Dubai e Rio, mas aí não foi possível, já que custavam U$ 5.000 e U$ 4.000 respectivamente). O voo foi uma atração à parte. Muito conforto em todos os sentidos. Tenho quase 1,90m e consegui ficar deitado em encostar os pés na poltrona da frente. Comida excelente o tempo todo e ainda tinha um bar no final do avião, onde eram servidos drinks e aperitivos. O voo transcorreu sem problemas e chegamos em Maurícios, com clima tropical, mas um calor bem suportável. De lá pegamos um taxi e fomos nos hospedar no hotel, que fica na beira da praia, que tem um mar com várias tonalidades de azul. A vista da varanda era realmente espetacular. Ali, ficamos somente da manhã deste dia até a noite do dia seguinte. Fizemos um city tour em cada dia. No primeiro dia andamos mais perto do hotel e no centro da ilha. Visitamos algumas fábricas de barcos em miniatura, fomos ver a "Torre Eiffel" de Maurícios e outras atrações pela cidade, além de aproveitar a praia do hotel. No segundo dia ficamos na praia e fizemos um passeio de barco com mergulho de snorkel, almoçamos e fomos para o navio onde fizemos o checkin. Mas como o navio só zarparia à noite, saímos e fizemos o segundo city tour, só que agora na capital, Port Louis.
  3. O visto é tirando pelo site da Emirates, mas não é gratuito. Pelo menos quando eu comprei a passagem não era gratuito. Pouco depois surgiu uma promoção de vistos grátis, mas eu não fui contemplado, então tive que pagar mesmo. rsrs
  4. Depois de algum tempo afastado aqui do Mochileiros, voltamos agora com as dicas desse roteiro que acabamos de fazer. Foram 32 dias de viagem por locais muito exóticos, pelo menos para nós, brasileiros. Fomos para Dubai e de lá voamos para as Ilhas Maurício, onde embarcamos em um cruzeiro que passou por Seicheles, Maldivas, Sri Lanka, Tailândia, Cingapura, Vietnã e Hong Kong, onde desembarcamos (o cruzeiro seguiu até Shanghai, mas preferimos descer em Hong Kong), depois fomos de ferry boat até Macau, pegamos um avião até Shanghai e, já retornando ao Brasil, fizemos uma parada em Dubai e voltamos para casa. Vou fazer um relato detalhado de todos os lugares, com algumas fotos para ilustrar melhor a nossa aventura. 1. Dubai A nossa ida para Dubai foi precedida de uma grande dificuldade para conseguir pagar a taxa do visto de turista. Primeiro por causa das datas de antecedência, pois o site nos direcionava para um visto com múltiplas entradas, que custa quase U$ 500,00. Depois desse susto inicial, verificamos que seria ideal pegar dois vistos de 96 horas, que sairia MUITO mais barato, aproximadamente U$ 75,00 cada. Depois disso, nenhum dos meus cartões de crédito foi aceito. Liguei para o cartão e eles informaram que não seria possível realizar o pagamento por questões técnicas. Pedi ao meu irmão e consegui pagar como dele, do Banco do Brasil. Os meus que não foram aceitos são da Caixa Econômica e American Express. Metade do problema foi resolvido, pois o visto da segunda passagem só poderia ser tirado com menos de 30 dias de antecedência. Com isso, teve que ser tirado durante a viagem. Mas blz, conseguimos fazer tudo. Agora vamos a Dubai!!! O voo foi muito tranquilo. Eu tinha uma grande preocupação de como seria ficar 14 horas dentro de um avião, mas foi muito menos chato do que eu imaginava. A variedade de bons filmes no sistema de entretenimento da Emirates ajudou muito a passar o tempo. A comida servida foi boa em quantidade e qualidade. Chegamos em Dubai à noite e ficamos impressionados com o aeroporto, pela sua grandiosidade. Passamos tranquilamente pela imigração e pegamos um taxi para o hotel. Muito fácil a comunicação em inglês com eles. Parece que todos falam inglês. Ficamos hospedados no Ibis, que tem praticamente o mesmo padrão em todo o mundo, mas com uma grande vantagem, o café da manhã, que estava ótimo!!! Muita variedade de comidas, tanto árabes, como de outros lugares do mundo. Pela manhã saímos logo cedo em um ônibus grátis que passa no hotel, com direção ao Dubai Mall. Lá visitamos o Shopping, que é o maior do mundo e fomos no Burj al Kalifa, que é o maior prédio do mundo. Tudo realmente impressionante e com preços muito acessíveis. Depois fomos até a ilha em formato de palmeira, a Jumeirah, onde almoçamos no hotel Atlantis e demos uma volta para ver a grandiosidade do lugar. Após isso, fomos ao Mall of the Emirates, onde existe uma pista de esqui na neva, gigante, no meio do shopping. Depois voltamos para o hotel para descansar para o voo para Maurícios. Em breve seguiremos com os relatos da viagem!
  5. Boa tarde! A imigração acontece pouco antes de atravessar o Eurotunel. É interessante que leve seus comprovantes sim, pois o procedimento é o normal de imigração. Boa viagem
  6. Bom dia pessoal! Estava com dúvidas a respeito do ônibus entre Calais e Londres, se iria no ferry ou no trem. Fizemos a viagem, que foi bem tranquila. E sanando a dúvida, fomos de trem. Viagem super tranquila. aproximadamente 35 minutos de trem, mas uma demora na imigração. A viagem total ficou por volta de 5 horas. Valeu muito a pena, tendo em vista o preço muito baixo da passagem. Boas viagens
  7. Eu vou pegar o ônibus já em Calais. Pelo site está prevista uma viagem de 4 horas. Planejo pegar o de 14h, chegando em Londres por volta de 18h. De trem seria uma hora. Como vamos em quatro pessoas, de ônibus vai sair 72 Euros para os 4 e de trem 500 Euros. A diferença é absurda. Obrigado pelas dicas!!!
  8. Obrigado! Eu estava pensando em comprar a passagem de trem, mas já está custando 125 Euros por pessoa, enquanto a de ônibus está 18 Euros. Diferença absurda!!!
  9. Alguém aqui já fez o trajeto Calais x Londres pelo Eurolines? Vai pelo ferry ou pelo trem?
  10. Quando eu fui eu troquei cada Real por 1,10 Soles. O melhor câmbio foi na fronteira, em Iñapari, em uma loja bem na frente de onde você vai carimbar o passaporte.
  11. Bom dia a todos! Vou repassar agora os custos aproximados da viagem: Taxi de Rio Branco até Assis Brasil - R$ 300,00 (4 horas de viagem) Taxi de Iñapari (Fronteira com Assis Brasil) até Puerto Maldonado - 130 Soles (3 horas de viagem) Hotel em Puerto Maldonado - Puerto Amazonico, Avenida Leon Velarde n° 1080, 0051. Puerto Maldonado R$211,00 casal e R$144,00 indiv. com café da manhã incluído, wi-fi e estacionamento. Puerto Maldonado x Cusco R$ 842,00 (ida e volta) pela Avianca (acabei pagando caro, pois tive que comprar a passagem muito próximo da viagem, já que o planejamento inicial era ir de carro alugado desde Rio Branco) Hotel em Cusco - Hotel Royal Inka I - Diária de casal US$ 72.20 Vale Sagrado - Em vez de comprarmos o pacote convencional, pagamos um guia que nos levou de carro por todos os locais. Ele nos cobrou 250 Soles pleo dia inteiro de passeio, o que, dividido pelos 3 ficou muito barato. Machu Picchu - 220 Dólares por pessoa (inclui o transporte e as entradas. São umas quatro horas pra ir e outras quatro pra voltar até Cusco. Cusco x Puerto Maldonado de Avianca Puerto Maldonado x Iñapari 130 Soles Assis Brasil x Rio Branco R$ 300,00 Boas viagens!!!
  12. Alguém indica um agência de turismo para comprar um city tour em Casablanca?
  13. A viagem a ser relatada foi feita no carnaval de 2014. Primeiro dia Na verdade, saímos de Manaus, num voo com escala em Porto Velho, com destino a Rio Branco, onde chegamos perto da hora do almoço. Em Rio Branco, um amigo nos buscou no aeroporto e nos levou até onde ficam os táxis lotação que levam até Assis Brasil, na fronteira com o Peru, em uma viagem de 4 horas, que nos custou R$ 300,00. A estrada até Brasiléia está boa, no entanto, de Brasiléia até Assis Brasil existem alguns buracos gigantes na pista. Chegamos em Assis Brasil pouco antes de a alfândega fechar, mas conseguimos fazer todos os trâmites ainda neste dia. Logo na fronteira pegamos um táxi peruano, que nos levaria até Puerto Maldonado. Troquei dólares e Reais por Soles numa tenda bem em frente à alfândega. De lá seguimos até Puerto Maldonado em uma viagem de aproximadamente 3 horas, que nos custou 130 Soles. Chegando lá, fomos para o hotel Puerto Amazonico, onde passamos a noite. Segundo dia Pela manhã passeamos por Puerto Maldonado, apesar de não haver muitas atrações na cidade. Fazia um calor típico da Amazônia. Perto da hora do almoço, pegamos o avião da TACA que nos levou até Cusco. Chegando em Cusco e já começamos a sentir os efeitos da altitude. Não teve jeito, tivemos que tomar o famoso chá de coca, oferecido no hotel. E funciona mesmo! Aliviou bastante os efeitos, pelo menos para mim. O pior era o coração muito acelerado e o cansaço frente ao mínimo esforço. Fomos para o hotel Royal Inca II, que fica bem próximo à Praça D'Armas. Valeu a pena ter pago um pouco mais pelo hotel, pois foi realmente excelente localização e serviços. Nesse primeiro dia escutamos os conselhos de descansar pra ver se o corpo se acostumava à altitude. Mas mesmo assim, fizemos alguns passeios nas redondezas e aproveitamos para ir à Praça D'Armas e ao Qoricancha. De volta ao hotel, pedimos o contato de algum guia que vendesse pacotes para Machu Picchu e Vale Sagrado. Nos indicaram a Sra Juana, de quem disponibilizarei o telefone em breve. Ela nos vendeu o pacote para Machu Picchu, composto de ônibus, saindo do hotel às 04:00h. Foi uma viagem de 1:40h de ônibus, mais 1:40h de trem e mais 0:30h de ônibus para chegar no topo da montanha. Já para o Vale Sagrado ela nos indicou o Sr Hector, de quem também disponibilizarei o telefone. Este guia nos levou em seu próprio automóvel, espaçoso e confortável, para todos os pontos do Vale Sagrado, indo na contramão dos ônibus turísticos e só nos custou pouco mais que o pacote no ônibus. Terceiro dia Cedo, no horário combinado, o Sr Hector foi ao hotel para nos buscar. Seguimos para o passeio pelo Vale Sagrado. Começamos por Chinchero, o local de maior altitude por onde passamos. Lá pudemos ver vários resquícios da civilização Inca e observar como a população local mantém os traços físicos e a cultura indígena. De lá, seguimos para Ollantaytambo, onde existe um templo gigantesco, com centenas de degraus para chegar até sua parte superior. Muito cansativo, mas vale a pela. Depois fomos para Pisac, onde observamos o maior número de terraços onde eram feitas as plantações, nas encostas dos morros, em forma de degrau. Saindo de Pisac, ficamos parados um tempo na estrada, pois estava ocorrendo um desfile de carnaval típico da região. O interessante foi conhecer um pouco da cultura local, mesmo sem planejar. De lá fomos para Tambomachay e Saqsaywaman, onde não pudemos ver muitas coisas, devido ao atraso causado pelo desfile da carnaval. O ponto forte do passeio foi o guia, que sabia muito da história e pode nos passar várias informações importantes. A noite saímos para comer um ceviche, próximo à Plaza D'Armas e voltamos para o hotel. Quarto dia Esse foi o dia de conhecer Machu Picchu! Saímos do hotel às 4:00 da madruga, para uma viagem longa, mas muito compensadora. O ônibus turístico veio nos buscar no hotel e seguimos no mesmo por aproximadamente 1:40h até Ollantaitambo, onde pegamos o trem para uma viagem de mais 1:40h até Águas Calientes. Durante o percurso de trem pudemos admirar a paisagem composta de montanhas nevadas e rios durante quase todo o trajeto. Em Águas Calientes, pegamos um ônibus até o topo da montanha, em um trajeto de 0:30h que nos deixou na porta de Machu Picchu. O local dispensa comentários. Realmente é impressionante ver a perfeição das construções Incas. Tudo calculado e funcionando até hoje! Mais impressionante ainda é imaginar como eles conseguiram transportar tantas pedras gigantescas sem a ajuda de máquinas. Um guia nos conduziu no local, em uma visita de 2 horas, a meu ver, muito corrida. No final tivemos bastante tempo livre para passear pelo local e tirar várias fotos! Na volta foi a mesma viagem de ida, longa e cansativa, mas aproveitamos pra dormir um pouco. Chegando em Cusco, jantamos alguma coisa e fomos dormir. Quinto dia No último dia em Cusco aproveitamos para passear pela cidade e comprar algumas lembranças (o melhor local para comprar é no Centro de Artesanato), já que nosso voo era perto de meio dia e não teríamos muito o que fazer mesmo. Pegamos o avião em um voo assustador, onde o avião despencou em uma turbulência sem qualquer aviso por parte do piloto. Ainda bem que estávamos com o cinto de segurança e ninguém se machucou. Chegamos em Puerto Maldonado e pegamos logo um táxi para a fronteira com o Brasil. Fizemos o desembaraço na fronteira e seguimos em um táxi brasileiro até Epitaciolândia, onde tivemos uma grande dificuldade para achar um hotel limpo pra dormir. Por sorte encontramos o Vila das Orquídeas, que é excelente! Comemos algo no hotel mesmo e dormimos. Sexto dia No último dia de viagem fomos até Cobija na Bolívia, onde comprei uma câmera fotográfica muito mais barata que no Brasil e seguimos de carro para Rio Branco, onde pegamos o voo de volta para Manaus.
  14. Eu vou no dia 27 de fevereiro. Vou ver como fica o ônibus de Puerto Maldonado a Cusco. Acho que para mim seria a melhor opção. Muito obrigado pelas dicas!!!
  15. Bom dia pessoal Estou planejando uma viagem para Cusco e Machu Picchu, saindo de Rio Branco, com o seguinte roteiro: Dia 1 - chegando em Rio Branco às 12:00h e pegar o carro aludago e partir pra Assis Brasil, pernoitando na fronteira. Dia 2 - Seguir de Assis Brasil até Cusco Dia 3 e 4 - Cusco com uma ida a Machu Picchu Dia 5 Retornar de Cusco a Epitaciolândia e dar uma passada em Cobija, se der tempo Dia 6 - Retornar a Rio Branco e pegar o avião de volta pra Manaus Porém liguei para a locadora de carros e me informaram que não está sendo possível entrar com carros de terceiros no Peru. Somente o proprietário. Aí eu mudaria os planos, mas não sei se dará certo. Pegaria um taxi lotação para Assis Brasil no primeiro dia. E de lá pegaria uma van pra Puerto Maldonado, onde dormiria. Será que dá tempo de fazer isso em apenas uma tarde? No dia seguinte pegaria um ônibus para Cusco. Tem esse ônibus todos os dias??? Ou seria possível alugar um carro em Puerto Maldonado? Está muito corrida a viagem??? Qualquer ajuda é muito bem vinda!!!
×
×
  • Criar Novo...