Ir para conteúdo

Capitão-Mor

Membros
  • Total de itens

    15
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Não me recordo de ter faltado ao respeito a qualquer impressão pessoal. Confesso que não sabia que não se podia comentar outros relatos pessoais, peço desculpa pelo meu enorme erro. Só pretendia dizer que o castelo, arruinado ou não, muralhas ou não, tem muito mais do que parece. Mas pronto. Cada um fique com a sua opinião pessoal. Também não procuro romance e muito menos discutir história. Foi do entusiasmo, peço desculpa outra vez pelo meu enorme erro. Vou tentar não repetir. Confesso é que tenho mais dificuldade em entender o argumento que não posso criticar os franceses no que fiz
  2. "Portugal é quase tudo feio". Depois disto, acho que já li tudo na vida. Tenho que dizer alguma coisa em relação ao ter dito que é "cara de pau" eles "venderem" o Castelo dos Mouros e Castelo de Sao jorge como castelos, mas "na verdade são ruínas meia boca". Ruínas ou não ruínas, muralhas ou não muralhas, não deixam de ser Castelos ou construções defensivas, zona de refúgio para as populações e que se perde no tempo. Sempre o foram, e não é por estarem arruinados, na sua perspetiva, que o deixam de o ser. Não há aqui venda nenhuma, isso até é um pouco ofensivo. A zona do Castel
  3. [quote name='"PedrodePortugal" Também não consegui ir até ao centro da praça onde se encontra a estátua de D. José I porque o homem e seu cavalo estavam rodeados de produtos agrícolas devido a uma feira que iria acontecer no dia seguinte. Então tinhamos o rei em cima do cavalo rodeado de repolhos' date=' couves, palha e sei lá mais o quê[/b']... Como vários tipos de gado, galináceos, coelhos, rebanhos... É a Quinta Agrícola, uma espécie de recriação de exploração agrícola na cidade, que faz parte do "Mega-Picnic" (que normalmente inclui um concerto do Tony Carreira e outras at
  4. Pode subir, sim. O arco também foi todo recuperado. Custa 2,5 Euros, sendo que as crianças até aos 5 anos não pagam, e está aberto a visitas entre as 9h e as 19h. A subida é por um elevador, até ao 1º piso, onde está a sala do relógio, agora a dar horas certas. Depois é preciso subir umas escadas em caracol para chegar lá acima. Só podem subir 35 pessoas de cada vez, por questões de proteção civil.
  5. Para quem estiver interessado, há uma nova vista sobre Lisboa, acabadinha de inaugurar: O Miradouro (mirante ) do Arco da Rua Augusta. Com vista para o rio e para a Baixa a 360º. Também se podem ver as esculturas do arco. E o relógio do Arco também foi arranjado. A estátua de D. José também já foi reinagurada depois do restauro. in idealista.pt
  6. Caro Marcos Pereira, longe de mim querer que você seja politicamente correto e não estou a cobrar nada em relação ao turista. É óbvio que eu acho que o turista deve ser bem tratado. Também não gosto nada de sorrisos falsos e gente que gosta de agradar a todos. Não é isso que está em causa. Só me incomodou porque comecei a ler e você escreveu "sotaque horrível" e pareceu preconceito, tal como o que disse sobre Roma, e depois falou de superioridade alemã, pareceu que estava a dizer que o norte da Europa era bom e superior e o sul era mau e inferior... Já se sabe há mais de 50 anos que a sup
  7. Txi, é tudo mau. O sotaque é horrível, não tomam banho, não há funcionários, a vista é fraquinha, a máquina de bilhetes não funciona, a comida de shopping não presta, a tartaruga é sacana, o atendimento é horrível, o castelo não é castelo, o português de lá é quase língua diferente... Para que serve ser mochileiro quando se diz "sotaque é horrível"? Pensei que viajar fosse conhecer coisas diferentes de nós, por isso não compreendo essa adjetivação agressiva e este dizer mal de tudo. Essa ideia de dizer que vai ver "mais organização, limpeza, conservação geral e o principal, educ
  8. Gostei do relato... Só não percebi essa obsessão com o Colombo. eheh Disse também que o Metro de Lisboa "pega a cidade quase toda, somente Belém que não tem metro, mas dá para ir a tudo com ele." Olhe que não. Nem de perto. Alguns pontos principais já têm estações, mas a rede ainda tem muito para percorrer para "pegar a cidade toda". Aposto que dentro de 50 anos a rede atual vai ser considerada pequenina. Por exemplo, a zona norte só tem estações no centro, a zona em redor do Monsanto não tem nada, a zona sudeste também não. Neste momento o metro só cobre algun
  9. Sim, se vai visitar em Janeiro cidades tão diferentes como Londres, Zurique, Madri e Lisboa pode contar de certeza com muitas oscilações de temperatura, entre a neve com graus negativos e o sol não muito forte um pouco acima dos dez graus positivos, mais chuva e algum bom tempo misturado com frio.
  10. Que tal começar por uma visita ao sítio oficial da Câmara Municipal? :'> http://www.cm-viladoconde.pt/ Pode encontrar informações básicas das zonas turísticas, um bocadinho da sua História, acessos, agenda cultural, e por aí fora. Quanto ao resto, enfim, é melhor não dizer nada, porque não sei como isto vai estar em 2014.
  11. Esteve em que região do Algarve? É que os turistas se concentram mais em certas áreas do que outras. Duvido que a quebra tenha sido assim tão grave, até porque as estatísticas parciais do Algarve mostram que houve um pequeno crescimento em relação ao ano anterior em ocupação de quartos, esteve perto dos 80% em Julho. E as receitas de estrangeiro até aumentaram um pouco no total do ano.
  12. Dica cultural: Em Portugal, o leitão só se come quente se tiver acabado de sair do forno. De resto, deve ser sempre comido frio, para não estragar o sabor. Reaquecer o leitão é Portanto a senhora estava certa. Aliás, há muita gente que até prefere comer o leitão frio, porque é menos enjoativo. Devia ter pedido parte da costela, que assim já comia alguma coisa... :'>
  13. Vai para aí alguns exageros. Quase todos os termos indicados são calão, não são usados em todas as situações. vigarista, telefonema, peido, meia, injeção, pedreiro, automóvel, entre outras palavras que indicaram, são usadas com o mesmo significado em Portugal. Rebaixas? nunca ouvi falar nisso, é inventado. Também nunca ouvi ninguém usar a palavra "peúga" diariamente a substituir "meia" ou "meias". Devia ser há 50 anos atrás... Também nenhum farmacêutico fala em "pica no cú", seria muito grosseiro. Simplesmente ninguém fala assim, a não ser em termos informais e mesmo assim p
  14. O frio é relativo. Se tortura é vinte graus negativos e tempestades de neve género Moscou então está à vontade, não vai acontecer. O que é exatamente frio para sua esposa? Há dias que rondam entre os 5º e 10º graus positivos mínimos, por isso é aconselhável umas luvas para quem tem má circulação e uma roupa mais quente e\ou para a chuva, mas não é preciso exagerar. As temperaturas mínimas em Lisboa cresceram mais de meio grau (!) nos últimos 35 anos.
×
×
  • Criar Novo...