Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

arturmp

Colaboradores
  • Total de itens

    40
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Sobre arturmp

  • Data de Nascimento 26-04-1982

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Salkantay
    Torres del Paine (W)
    Pq. Nacional Itatiaia
    Pq. Nacional Caparaó
    Serra Fina
    Pico Paraná
    Pq. Estadual Cantareira
    Serra dos Órgãos
    Travessia Marins - Itaguaré
    Serra do Lopo
  • Próximo Destino
    Travessia da Serra Fina
  • Meus Relatos de viagem
    http://www.mochileiros.com/caparao-ida-ao-pico-do-tesouro-t97174.html
    http://www.mochileiros.com/serra-do-caparao-pico-da-bandeira-e-pedra-roxa-pelo-lado-capixaba-t116398.html

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. arturmp

    Quem já fez fez os 10 Pontos Culminantes do Brasil?

    bullseye, ql tem desafio na sua opinião? O Agulhas?
  2. arturmp

    Quem já fez fez os 10 Pontos Culminantes do Brasil?

    O cume do Mt Roraima fica na parte Venezuelana (pedra Maverick, bem perto do acesso ao platô). A altura marcada pelo IBGE é a do ponto triplo (fronteira entre Guiana, Brasil e Venezuela) q é o ponto mais alto em territorio brasileiro. Na discussão dos 10 cumes, eu entrei nessa onda em 2013 e fiz 13 dos top 15 do Brasil (faltam Neblina / 31 de março). Eu não concordo em incluir os 4 ombros do Pico da Bandeira entre os cumes (Calçado, sem nome 1, sem nome 2, etc), pq subir neles é quase algo automático quando vc está subindo o Bandeira e indo para o Cristal. Apesar de todos os pontos levantados na discussão (poucos desafios técnicos, mais questão de $$$ e logística), acho algo interessante p/ fazer. Se alguem quiser planejar uma expedição ao Pico da Neblina (Funai, ICMBIO, etc etc), tenho interesse.
  3. arturmp

    Petar

    Oi Luciana, fiz um roteiro parecido com o seu uma semana depois. Vc fez um excelente "manual" para conhecer a região. Fui no sábado 28/11 e conheci o PE da Caverna do Diabo. No dia seguinte, conheci o Núcleo Santada do Petar, fazendo parte da Trilha do Bethary até a Caverna da Água Suja e a caverna de Santana. Abs
  4. arturmp

    Loja " FÍSICA " de equipamento s em SP.

    Das 4 lojas físicas em SP que visitei, achei a Bivak a mais completa.
  5. arturmp

    Isolante Térmico Camp

    Aneke, eu consigo dormir de boa (1,77m, 80 kg). Acho resistente. Dependendo da posição, parte do braço vai ficar de fora, mas os 50 cm de largura são o mínimo "essencial". Enfim, acho que ele compensa pelo pouco peso e espaço ocupado na mochila.
  6. arturmp

    Monte Roraima

    IVA, eu e minha namorada temos interesse em ir no mt roraima no dia 12 de dezembro.
  7. arturmp

    Isolante Térmico Camp

    Fala, Tenho o essential light (que vc precisa encher manualmente) e acho adequado. O conforto é um pouco melhor do que os isolantes EVA, ele é leve e ocupa pouco espaço. Imagino que os auto-infláveis sejam ainda mais confortáveis, mas é um trade-off entre conforto e espaço/peso. Abs
  8. arturmp

    Trekking 2 guepardo, azteq minipac, ou nepal

    Fala Edson, importante saber que a nepal nova pesa mais do que esse 1.950 kg. Eles trocaram os espeques por uns mais resistentes e pesados, aumentando o peso total pra uns 2.3 kg. Abs
  9. Em minha terceira visita à Serra do Caparaó, queria chegar ao cume da Pedra Roxa (13º ponto culminante do Brasil com 2.649 mt segundo o IBGE) e conhecer a trilha ao Pico da Bandeira pelo lado Capixaba. Nas visitas anteriores, entrei pelo lado mineiro e conheci os demais cumes oficiais do parque (Bandeira, Cristal, Morro de Cruz do Negro, Tesouro e Tesourinho). Os locais se referem a um ombro do Bandeira como “pico do calçado”, mas acho que não faz sentido contabilizá-lo como um cume separado. Apesar de ser muito longe de SP, o Caparaó fornece visuais fantásticos e experiências diferentes das serras mais próximas, de modo que vale uma ou mais visitas. Por experiências diferentes me refiro ao tipo de terreno/montanha quanto o tipo de trilha. No terreno, há longos trechos de terrenos rochosos que podem ser percorridos sem trilha específica (e praticamente sem necessidade de escalaminhada) e o formato atípico do Pico do Cristal. Há trilhas muito demarcadas e utilizadas (todos os acessos ao pico da Bandeira), trilhas antigas e pouco usadas (o acesso ao Tesouro) e cumes sem trilha específica (caso da Pedra Roxa). Ida Saí de carro de Sampa na 4ª-feira à noite (24/jun), pernoitei em Volta Redonda e cheguei na entrada capixaba do parque, portaria de Pedra Menina, por volta das 14:00 do dia seguinte. Havia reservado uma vaga no acampamento Casa Queimada, mas fora dos finais de semana e feriados não é necessário. Em todas as vezes que visitei o parque em jun/jul fora do fds, havia no máximo 30 pessoas e dessa vez eu era o único visitante do lado capixaba. Os funcionários do parque passam algumas recomendações e entregam uma folha com regras/dicas. Parece menos restritivo do que o controle do Itatiaia: você assina o registro de entrada e segue em frente, sem ter que declarar explicitamente o destino (embora fique implícito que vc vai visitar apenas as atrações “normais” do parque, sem acessar os picos “esquecidos”). O lado capixaba Uma coisa interessante do lado capixaba é que os dois acampamentos podem ser acessados com carro de passeio. O primeiro acampamento é o Macieira, de onde saem trilhas curtas para duas cachoeiras (Sete Pilões – 200 m e Aurélio – 1km). Cuidado ao estacionar para não quebrar as tocas dos tatus que ficam na entrada do acampamento. Seguindo a estrada, há mais uma cachoeira (200 mt de trilha) um pouco à frente. Avançando, há um mirante um pouco antes do acampamento Casa Queimada. A estrada termina no acampamento Casa Queimada, que dispõe de bom espaço para barracas, banheiros completos e mesas. Há uma casa, mas não sei quais as regras para utilização. Passado o por do sol, li um pouco, jantei e fui dormir, sem mais ninguém no acampamento e MUITO frio . A subida ao Pico da Bandeira Acordei as 3:30 da manhã, disposto a pegar o nascer do sol no Pico do Calçado (já havia visto do Bandeira e queria um ângulo diferente). Com o frio, demorei mais do que o normal para tomar o desjejum e guardar o equipamento. Desta vez, optei por organizar tudo (exceto a barraca) e guardar no carro, o que me tomou tempo. Nas últimas visitas ao parque, deixei a mochila dentro da barraca, mas preferi não arriscar. Deixando a barraca, queria poupar tempo e deixa-la secando com o sol da manhã (ledo engano, como descrito mais pra frente...). Com a mochila de ataque e bem agasalhado, iniciei a subida as 4:25. O caminho pelo lado capixaba é maior do que o pelo Bandeira a partir do Terreirão, O ganho de altitude é 707 m vs 490 m do lado mineiro. Contudo, o visual é melhor. A caminhada é mais aberta, permitindo a observação das cidades na parte baixa e do Pico do Cristal. Um pouco antes do Pico do Calçado, é possível ver o Bandeira de um dos melhores ângulos e o Cristal. Do lado mineiro, vc sobe sem uma visualização clara do Bandeira e com pouca vista de fora da Serra. O tempo aberto deixou o visual fantástico. O céu começou a clarear um pouco antes de eu atingir o ponto em que podia visualizar o Bandeira (+ seus 4 ombros) e o Cristal. O sol nasceu as 6:21, quando eu estava no Calçado (quem quiser chegar ao Bandeira precisa andar rápido ou sair mais cedo do acampamento). A partir dali, a caminha ao cume do Bandeira é tranquila (+ uns 15/20 minutos). Cheguei as 6:47, o céu estava aberto e conheci um pessoal que havia subido durante a noite pelo lado mineiro. Distancia Casa Queimada - Bandeira – (um sentido): h: 4.39 km, a/p: 707m -142m Subindo a Pedra Roxa A Pedra Roxa é um pico que fica “escondido” pelo Bandeira ao longo das trilhas de acesso... podendo ser observado em alguns pontos da trilha pelo lado mineiro. Está a pouco mais de 1 km à Leste do cume, sendo o pico reconhecido pelo IBGE mais próximo do Bandeira. Pelo que entendo, há dois acessos. O mais fácil (acesso principal) é a partir do cume do Bandeira, descendo a crista à leste da Cruz. Outro caminho (alternativo) é circulando o Bandeira pelo norte no acesso mineiro. Dado o grau de declividade que existe entre a trilha capixaba e a Pedra Roxa, não acho que exista uma rota viável pelo outro lado... No ano passado, eu procurei o tal acesso alternativo circulando o Bandeira por cima, saindo do acesso mineiro, e só vi vara-mato... dessa vez queria garantia de sucesso e fui pelo acesso mais simples. Achei várias descrições dessa rota na internet, mas nenhum tracklog. Apesar de não ter trilha demarcada, o acesso principal é simples, sem escalaminhada ou vara-mato pesado. Isto gera uma boa dica de orientação, se a escalaminhada/desescalaminhada está íngreme ou se o vara mato está muito pesado, é hora de reavaliar a rota... Partindo do cume, a descida pela crista leva ao colo entre as montanhas (altitude 2530 mt). A partir dali, basta subir até o cume, preferencialmente circulando no sentido horário. Se subir em linha reta (a partir de um eixo imaginário entre os dois cumes) a subida fica muito inclinada. Saí do cume do Bandeira as 7:05, chegando no colo as 8:30 e no cume as 8:55. Enfim, eu havia conquistado a última das seis montanhas “oficiais” do Caparaó O cume é marcado por um conjunto de pedras e não possui livro de registros (algo comum a todas as montanhas do Caparaó). Eu estava ansioso para visualizar e fotografar o resto da serra a partir da Pedra Roxa, que é “deslocada” à leste de um eixo Norte – Sul que liga as demais montanhas (de cima pra Baixo: Tesouro, Tesourinho, Cruz do Negro, Bandeira e Cristal). Mas a natureza foi caprichosa e trouxe nuvens bem no momento em que eu atingi o cume. Após 30 minutos percebi que o período de céu aberto havia acabado e havia chegado de começar a caminhada de volta pro acampamento... Distancia Bandeira – Pedra Roxa (ida): h: 1.56 km, a/p: +130 -306m A volta Como normalmente ocorre nos trechos sem trilhas, a rota da volta entre a Pedra Roxa e o Bandeira foi bem melhor do que a da ida. Quem quiser o tracklog, pode entrar em contato. Uma coisa legal do colo entre as montanhas é o visual do Bandeira. Acho que é o melhor ângulo para observar a magnitude da 3ª maior montanha do Brasil (a maior 100% em território brasileiro). De resto, voltei pelo mesmo caminho, chegando no acampamento as 13:35. Fui surpreendido por uma forte chuva nos últimos 4 km. A trilha é tranquila e a chuva exige apenas um cuidado extra, sem oferecer dificuldades sérias. Distância percorrida (bate e volta completo): h: 12.24 km a/p: +1339 m -1339 m Em suma, a Serra do Caparaó oferece diversas oportunidades de hiking e trekking para diferentes tipos de preparo físico e experiência. Certamente vale a(s) visita(s).
  10. arturmp

    GRUPO DE TRILHAS DE SÃO PAULO

    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx
  11. arturmp

    Barracas CAMP

    Testei a CAMP Minima 2 SL no Caparaó e achei muito boa. http://www.camp.it/en/template01.aspx?codicemenu=1202 A barraca é fácil de montar/desmontar/guardar, apresenta excelente ventilação e parece ter resistência ao vento similar a outros modelos do mesmo formato. Dada a ventilação, ela parece muito boa para evitar condensação interna. A abertura é adequada para evitar entrada de água no espaço interno. O espaço interno é bem grande pra quem está sozinho (meu caso no teste), cabendo com folga a cargueira, equipamentos espalhados e o isolante térmico. Acho que duas pessoas cabem perfeitamente, mas a entrada e saída na barraca da pessoa mais distante da única abertura pode envolver passar por cima da outra. Com duas pessoas, deve ser muito complicado colocar as cargueiras dentro (o que é normal). O comprimento do espaço interno exige algumas observações. O isolante térmico não pode ser muito comprido, pois a barraca tem 2,10 de comprimento. O isolante essential light, tb da Camp, coube perfeitamente. Um pessoa alta (> 1,80m) que usa travesseiro inflavel pode ter dificuldade pra dormir esticada. Eu tenho 1,77m e achei ok. A largura é melhor. Com dois isolantes do essential light (bem fino), ainda sobra algum espaço lateral. Há um recuo em que cabem botas e outros utensílios (mas não uma cargueira). Fotos:
  12. Eu tb estou interessado...
  13. arturmp

    Travessia Marins x Itaguaré

    Pelo menos uma delas tá boa. Na hora de descer, optei por segurar as três que estão lá.
  14. arturmp

    Barracas CAMP

    Adquiri a CAMP Minima 2 SL. Em breve, posto a impressão de um teste real.
  15. arturmp

    Travessia Marins x Itaguaré

    Ae Tiago, o feriado foi bem legal para a travessia! Pôr do sol e nascer do sol épicos no 1o dia... e o 2o dia inteiro com receio de que chovesse forte. Eu fiz no mesmo período (apareço na última foto) e tb não subi o Itaguaré por causa da falta de visibilidade. Parabéns pelo excelente relato... Abs
×