Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

AnaCarolineRamos

Membros
  • Total de itens

    17
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Sobre AnaCarolineRamos

  • Data de Nascimento 13-07-1990
  1. Oi Renato!!! Conheci ele e o Roney no Downhill e depois nos encontramos no Chacaltaya!! Pois é, ele parou de escrever... vou dar um alô ver se ele tá vivo!
  2. Ééé, tinha que ver o povo me filmando quando a Lhama tava me seguindo! Eu não sabia se ria ou chorava! Alimentação bem longe das Lhamas!!! heheh Entãoooo, eu me confundi, DESCULPA! Eles não subiram a Wayna Picchu, até pq pra subir nela tem que comprar a entrada junto com a entrada pro parque! E é um número reduzido!!! Eles subiram outra montanha que tem dentro de Machu Picchu, que agora me fugiu o nome.... disseram que foi bem lindo mas cansativo! Haha bandooo de sedentário!!! Sobre a Trilha Inca também quero voltar daqui uns 2 ou 3 anos pra fazer! =D
  3. 24/06 – Cusco e o começo de Machu Picchu Era dia do Inti Rayme em Cusco, pasmem mas um lugar perto dos rituais do festival custava U$200!! E acho que o Alfredo estava certo quando nos contou algumas coisas lá na Isla! A festa duraria o dia todo, passaria por vários lugares mas o ritual principal aconteceria Scsayhuaman. Nossa ideia era ir, a entrada era livre e você poderia escolher o melhor morrinho pra ver o festival. Acabou que a Gisele voltou de Machu Picchu [pausa: coisa mais linda é o sorriso de alguém que volta de Machu Picchu, suas histórias, sua energia e também sua canseira, mentira a canseira não é linda não!!!] contou que tinha perdido o cartão de crédito e como nossos bancos eram os mesmos e ela conseguiu que algum amigo depositasse uma grana na minha conta e eu saquei pra ela sobreviver e terminar a trip! Nos contou também que a agência que fechamos a ida a Machu Picchu não era tãooo confiável, deixaram ela na mão em Águas Calientes sem transporte pra Cusco, teve que dormir na casa de alguém que a agência arrumou pra ela!!! [ Nota: a Gih já tinha comprado a entrada de Machu Picchu e da Huayna Picchu pela internet, então ela fechou com a agência a ida até a hidrelétrica de carro, foi andando até Águas Calientes dormiu lá, no outro dia subiu andando até Machu Picchu e quando voltou pra Águas Calientes quem disse que a passagem do trem que era pra ela voltar existia???! Ela teve que dormir em Águas Calientes e só conseguiu voltar pra Cusco naquela manhã! Vai a dica do: cuidado com as agências em Cusco!!!] Depois de tentarmos resolver tudo isso fomos almoçar, andar pela cidade, ir no Museu Inka. Como sempre tudo atrasa um pouco (ou as vezes muito) hehehe, um pouco depois do esperado a van passou nos buscar. Já era noite e tinha uma neblina chata.... como todo bom motorista peruano ou boliviano, a cada curva era um Pai-Nosso que eu rezava para AINDA não encontrar Jesus! E as ultrapassagens então?! Aí eu só fechava o olho e mentalizava “Quero conhecer Machu Picchu antes de morrer!” Só quem já passou por isso sabe que agora a gente ri, mas na hora meu amigo.... é desesperador! Salvos em Ollantaytambo fomos esperar nosso trem rumo a Águas Calientes! Outra coisa importante, a agência te vende o vagão MIL ESTRELAS do trem! Aquele com serviço de bordo, ar quente, teto solar... aquele mesmo que custa o dobro, triplo, quádruplo do que você teria pago sozinho pela internet ou na agência da Peru Rail em Cusco. [Nota: sim amigo, você consegue e pode fazer todas essas compras sozinho! Chegando em Cusco você só se preocupa com fechar o transporte até Ollantaytambo e também aconselho a reservar um hostel em Águas Calientes antes de chegar lá!] Aproveitando o luxo da nossa viagem até Ollantaytambo, escrevendo meus devaneios no meu diário de viagem, até tentei visualizar a vista linda que deve ser esta viagem mas como estava noite, escuto, decidi tomar meu chazinho de Coca e mentalizar o grande sonho de conhecer Machu Picchu! Chegamos em Águas Calientes tarde, não tinha mais restaurante aberto encontramos um mercadinho e compramos nosso kit sobrevivência para Machu Picchu! Voltamos para o hostel estranho dormir! 25/06 – Machu Picchu, a realização de um sonho! Me lembro que fomos dormir tarde e eu quase nem dormi.... 4 meninos e muito ronco! Acordamos cedo para encontrar com o cara da agência e pegar nossos boletos para entrar em Machu Picchu e também resolver a questão do ônibus que segundo o cara não estava incluso! Santas Agências e seus rolos!!! Problemas resolvidos, entrada na mãos e ticket do bus! Agora era curtir a “Cidade Perdida”! Machu Picchu se assemelha muito a Curitiba em relação ao tempo: chuva, sol, frio, calor, as quatro estações no mesmo dia! ãã2::'> Encontramos o guia na entrada de Machu Picchu por volta das 6:30/7:00 da matina. Grupo reunido, entramos no Parque e fomos orientados por 1:30 pelo guia! Ou através de estudos pela internet e livros ou através de guia é importante que você saiba a história do local! Se você não souber ou não tiver interesse será somente “A cidade perdida feita de pedras”! Só que não é bem assim né... A primeira impressão foi: não acredito que eu tô aqui!!! Aquela ansiedade momentânea, vontade de sair correndo por Machu Picchu!!!! Bom, não tenho muito o que falar! Só quem foi lá sabe a energia louca, a sensação de alegria, felicidade por estar lá! Pra quem ainda não foi: aproveitem o máximo que puderem! Sobre a estrutura: é boa e você tem que pagar por tudo também! Banheiro, guarda-volume, lanchonete (nem cheguei perto!)! Um fato engraçado foi: inventamos de dar uma parada durante a manhã e comer algumas frutas. Não sei de onde apareceu LHAMAS FOMINTAS! Como eu estava com a mochila onde estavam guardadas as comilanças ela ficou me perseguindo! Pessoas de todo o mundo olhando e rindo! Meus quatro companheiros de mochilão tirando sarro.... e foi piada pro resto do dia! Então, se alimentem fora do parque! Curtimos Machu Picchu andando, andando, andando! Depois deitamos sob aquele Sol de 40 graus para curtir mais um pouco aquela energia boa! O Thiago e o Gustavo subiram a Wayna Picchu e eu o Gui e o José começamos a descida até Águas Calientes andando, e vou te falar.... AINDA BEM que subimos de ônibus! Eu realmente não iria aguentar! [Nota: em Janeiro eu comecei a fazer boxe pra sair dessa vida sedentária e também viajar com uma condição física melhor visto a altitude, as caminhadas, etc, etc, etc.... Em fevereiro notei umas manchas estranhas na minha perna (na verdade já tinha notado em Novembro do ano anterior mas né....) e os médicos (sim até hoje ninguém sabe o que é!) mandaram eu parar imediatamente com as atividades físicas!!!! Então, continuo na vida sedentária até hoje...] A descida é muito maneira! Acho bem válido subir de ônibus e descer andando curtindo a vista, o ventinho bom.... Paramos no centrinho de Águas Calientes e fomintos comemos uma pizza! Os meninos foram dormir no banco da praça e eu fui andar e fotografar a cidade! Depois de Cusco e San Pedro do Atacama, Águas Calientes está na minha lista Top cidades da Trip! Ela é muito bonita e bem cuidada! Esperamos o Thiago e o Gustavo voltarem, comemos mais uma pizza e ficamos enrolando pois o nosso trem de volta a Ollantaytambo sairia 22hrs! A volta é aquele misto de alegria, realização e “poxa, foi tudo tão rápido!” então, APROVEITE! Aí a sequência foi: Ollantaytambo, medo com os motoristas peruanos até Cusco e sono dos Deuses Incas!!!
  4. Genteee, mil desculpas!!! Estava em Altamira, Pará trabalhando.... não deu nem cheiro de chegar em Alter do Chão Um dia eu vou lá!!! Por enquanto só trabalho.... 21/06 – Fiesta del Sol, Islas de Los Uros e Cusco Um dia intenso, posso dizer. Acordamos 4 da matina pois o Alfredo (ou seria Alberto?! Sempre trocava o nome dele!), sua esposa e sua filha (que a esposa levava "amarrada" naqueles tecidos bolivianos) passaram 4:30 para irmos juntos até o mirante (ponto mais alto da Isla del Sol) onde seriam feitos rituais da Fiesta del Sol. Bom, a Fiesta del Sol (ou o Inti Raymi) seria como nosso Ano-Novo, como eu já disse. É o início do ano para os Incas. É o festival mais importante do ano, onde homenageiam Inti, o deus Sol. Alfredo nos contou que seria uma “verdadeira Fiesta del Sol”, explicou que em Cusco a festa acontece dia 24/06 (se não estou enganada) e é mais uma festa “pega turista”, que a deles, na Isla del Sol seria o verdadeiro festival e exatamente no dia 21/06 dia do Solstício de Inverno. É neste dia que os Incas, hoje em dia seus descentes, renovam suas energias com os primeiros raios do sol e fazem seus pedidos. Histórias a parte, subimos, subimos, frio, frio, juro que achei que meus dedos iam cair do pé!!! Chegamos umas 5 da matina, algumas fogueiras, Incas tocando suas doces flautas sentei de frente para o lago, as cores do céu iam mudando de cor conforme os minutos passavam. No dia anterior Alfredo pediu para que participássemos deste momento não só como algo turístico, pediu para que pensássemos nas nossas vidas, acontecimentos e com os primeiros raios de sol fizéssemos os nossos pedidos. Assim, naquele tempo, esperando o Sol nascer fiquei realmente refletindo na vida, nos acontecimentos do último ano que foi bem difícil, nas minhas crenças e naquilo que eu realmente queria para minha nova vida. É gente, sou uma pessoa meio espiritual e já que o destino estava me dando essa chance, pq não aproveitar né?! A música ia aumentando, o povo local começava a fazer seus rituais que consistiam em ofertas junto a uma fogueira. Folha de coca, cigarros, etc.... Assim que o Sol foi apontando todos se ajoelharam, estenderam suas mãos e fizeram seus pedidos! Um momento muito bonito e intenso! O Sol nascia, todos celebravam, fogos de artifício, dança, e estava rolando mais um ritual onde um senhor já de idade estava enterrando algumas oferendas e eis que eles matam a Lhamita que estava participando do ritual.... bom, não vou entrar em detalhes!!!! Estava ali observando e refletindo as diferenças culturais, a Lhama tadinha, a crença, a humanidade, Deus, a Lhama.... Alguns minutos depois vi que o Gui não estava passando bem e decidimos descer, tomar café e descer para pegar o barco das 10:30 para voltar a Copacabana!!! A descida foi bem melhor que a subida CLARO hehehehe Chegamos, almoçamos (acho que foi uma Truta das boas!!!) e fomos pegar o bus para Puno. O bus saiu 13:30 e logo parou para carimbarmos a saída da Bolívia [LEMBRE-SE SEMPRE DE GUARDAR TODOS OS PAPÉIS DA ENTRADA, SENÃO NA SAÍDA VOCÊ TÁ FRITO AMIGO!!!] e a entrada no Peru!! Não lembro direito quanto tempo leva, levando em conta que voltaríamos uma hora no relógio acho que leva umas 3 horas de viagem... Chegando na rodoviária de Puno o tempo fechou, o sol desapareceu, o tempo ficou feio, feio, feio..... Procuramos a Titicacas Tours para resolver o passeio até a Isla de Los Uros que já estava comprada. Mesmo com o tempo cabuloso, raios e trovões tomamos a van que nos levou até o barco! Pensa no vento e no medo da pessoa!! O guia era bem querido e nos explicou várias curiosidades sobre as Islas feitas de totora, os seus habitantes, como se mantinham, aquela pressão psicológica para comprarmos seus artesanatos.... Claro que como o tempo estava de dar medo eles cortaram o passeio pela metade!! Hahaha Chegando na primeira Isla o guia e um dos nativos nos demonstraram como as Islas são feitas, as casas, como dormem, cozinham, sobrevivem e aí nos cobraram mais 10 soles (se você for na parte da manhã pagará 15 soles) para andarmos na BMW, ou melhor no barco feito por eles de totora! Claro que vale a pena, não estou reclamando! Hehehehe O barco de totora, ou a BMW, nos levou até a Isla Capital, uma isla maior com hotel (sim se você quiser pode dormir lá!), marcadinho, café, e também a barraca que você pode pagar 5 soles e carimbar no seu passaporte que você esteve na Isla Flotantes Los Uros! Apressados pelo guia, com medo da chuva, zarpamos para o barco e voltamos para Puno! Bom, pelo pouco percebi que não há necessidade de passar mais tempo em Puno. Não há muita coisa para ver e ela não é muito amigável... achei meio estranha! Impressões minhas ok????!!! Voltamos para a rodoviária e ficamos esperando umas duas horas até nosso bonde pra Cusco sair! Nesse tempo aproveitei pra entrar na net, dizer pra família que estávamos vivos e pesquisar a questão X do roteiro: MACHU PICCHU! [Mas essa eu deixo pra depois]. Não adiantou muito pq, qnt eu mais pesquisava, mais informações divergentes eu achava! Hehehe Então pensei: quando eu chegar lá eu penso! O bonde era da Transzela, só amor gente! Indico demais! Tem chazinho, coberto, filminho! Dramim e, apaguei! 22/06 – Cusco, minha segunda cidade paixão! Saímos de Puno 21:30 e chegamos em Cusco 4 da matina! Você desce do ônibus e vem aquele mar de taxista! Como sempre sai até pra fora para procurar um que fizesse um preço mais camarada, perguntei pra um cara e ele falou “15 soles”. Partiu Loki, Loki, Loki.... O taxista andou, andou, andou, eu já estava ficando com medo... pensando no que fazer se alguma coisa acontecesse!!! Sobe, sobe, sobe e UFA! Chegou no Loki, quando dei os 15 soles ele vira e fala: 15 POR PERSONA! O QUEEEEEEEEEEEEEE????? Chinguei o cara de tudo que é coisa, em português é claro! O Gui mandou eu pagar logo e parar de chorar! Fica a dica: pergunte sempre se é para os dois, três, quatro... Assim que descemos do carro encontramos o Thiago, José e Gustavo numa manguaça só voltando da noite cusqueña! Hahaha!! Ficamos conversando e nos contaram que o Marcelo teve que voltar pro Brasil devido ao mal de altitude, em La Paz ele já havia ido ao hospital duas vezes e não tinha oxigênio e remédio que faziam o menino melhorar! Como ele ficou com medo de acontecer algum problema maior de saúde resolver abandonar a trip e voltar pra casa! Triste mas prudente, não é?! Já havíamos feito a reserva no Loki de La Paz e estávamos todos no mesmo quarto... nesse tempo conhecemos o Carlos de São Paulo que estava fazendo uma trip somente pelo Peru, e como nosso quarto tinha uma cama livre ele ficou com a gente... Todos instalados, capotei!!! Acordamos, tomamos café, ficamos lagarteando no sol de Cusco e decidindo o que fazer.... Papo vai, papo vem, todos já estavam acordados resolvemos sair andar na cidade e encontrar uma agência para ver os preços de alguns passeios e decidir sobre como iríamos a Machu Picchu! Gente, sem brincadeira, isso é cansativo, exaustivo, cada agência que vc entra eles falam que as passagens de trem estão acabando, que você não vai conseguir chegar, que não vai conseguir a entrada pra Machu Picchu, etc, etc, etc... Quando eu planejava a viagem tinha visto a opção de irmos de Cusco até Santa Tereza de van, depois de Santa Tereza até a hidroelétrica de táxi (acho que era issoooo) e da hidroelétrica até Águas Calientes caminhando (umas duas horas de caminhada!). Achei essa opção boa, barata e bonita pelas fotos que tinha visto em alguns relatos por aqui. Só que quando você chega na agência e fala dessa opção eles te contam que vai demorar, que tem que ver se tem carro pra ir, que isso, aquilo, aquilo outro.... mochileiros de primeira viagem decidimos então fechar o pacote que incluía: Van até Ollantaytambo, trem até Águas Calientes, uma estadia no hostel com café da manhã, ônibus para ir até Machu Picchu, entrada em Machu Picchu, e a volta a Cusco. Procuramos várias agências, duvidosas e não duvidosas e o preço não variava muito: U$ 200,00! Como os meninos tinham conhecido uma brasileira (Gih querida) que fechou com a agência Peru Coca Travel que fica ao lado do Loki, resolvemos também fechar com eles! Com aquela dor no bolso, aquela vontade de sair e pesquisar melhor uma outra forma possível mas ao mesmo tempo com o calendário apertado decidimos fechar com eles mesmo e deixar pra chorar depois... Fechamos também o passeio para Pisac, Ollantaytambo e Chinchero por 70 soles. #ciladaBino Passeios fechados fomos andar pela cidade. Eu gostei muito de Cusco, é uma cidade muito bonita a história muito rica de um povo que também sofreu nas mãos dos colonizadores. Porém é uma cidade bem mais rica que La Paz, vê-se logo que chega: carros, casas, pessoas, comércio. O preço também aumenta é claro, em vista de La Paz e 1 dólar para 6,90 bls, em Cusco 1 dólar conseguíamos trocar por 2,50 soles as vezes com muita sorte 2,90. Depois de passar pela Plaza de Armas, Iglesias, os meninos estavam com muita gripe, tosse, febre, passamos na farmácia compramos alguns remédios e voltamos pro hostel descansar. De noite saímos comer pizza, ao lado do Loki fica uma pizzaria MARAVILHOSA, se não me engano o nome era El Tabuco. Foi aí que tomei uma maravilhosa Chica Morada, o famoso suco de milho roxo! Depois fomos curtir o bar do Loki, umas cusqueñas em temperatura ambiente e resolvi ir dormir com as galinhas. Os meninos estavam quebrados de gripo, mas bebendo sempre! 23/06 – O passeio pega turista! Dos meninos, não sei quem acordou pior: Gui, Gustavo, Thiago e José. Acho que a ordem foi essa! O Gui resolver ficar no hostel dormindo mas quando estávamos terminando o café pra encontrar a guia ele apareceu, ressuscitou, tomou café e resolveu ir também para o dia mais viagem de terceira idade que tivemos! O passeio aos Vales Sagrados se resumiu em: ônibus com guia chato, que apelidamos de DATENA (não tenho foto ) e poucos mochileiros, parada a cada 30 minutos em algum povoado que te ensinava a: reconhecer prata verdadeira, reconhecer lã de alpaca verdadeira, tentar te vender todos os artigos possíveis! A nossa primeira parada legal foi em Pisac e tivemos somente uma horinha para desbravar as lindas construções incas! Andamos, conversamos, nos divertimos, a imaginação dos meninos foi até a Lua, Marte, Jupiter, Netuno, conversaram com os deuses Incas, voltaram e o guia já estava nos chamando de BOLUDOS pq não voltávamos ao bus para continuar o passeio! Paramos para almoçar no único buffet livre que havia, a comida era boa a sobremesa MARAVILHOSA. Inca Cola, Inca Cola, Inca Cola <3 Depois mais algumas horas no bonde paramos em Ollantaytambo, o guia QUERIDO nos explicou algumas histórias e curiosidades do local e tivemos um bom tempo para caminhar q conhecer este vale. Olhas as pedras que se encaixavam perfeitamente e dar asas a sua imaginação.... Já estava ficando tarde e a última parada foi o Mosteiro de Chinchero, juro uma igreja que dá dó, caindo aos pedaços! Ela tem muito ouro INSHALÁ! Claro que não pode tirar foto e fica um guardinha apitando caso veja alguém fazendo isto! É uma Igreja, como sempre construída sobre as bases dos locais sagrados dos Incas e muito mal conservada! Tristeza novamente! Voltamos para Cusco, bate cartão outra vez no El Tabuco, bate cartão outra vez no bar do Loki, Loki, Loki.... os meninos não estavam muito animados e fomos todos dormir! Sobre este passeio nos Vales Sagrados, se você tem um tempinho a mais em Cusco eu indico que você compre o boleto turístico para dois dias e visite de táxi com calma estes lugares. Tenta descolar mais alguém pra rachar o táxi e também pra ter companhia! Esses passeios com agência param muito nesses lugares de compra, que pra maior parte dos mochileiros não vale a pena.... Fiquei triste de não conseguir visitar Moray, fica pra próxima!!!
  5. Obrigada!!!! Pois é, resolvi pegar um ônibus bemmm cedo pra não dar zica! hahaha A Serra do Cafezal é triste! hehehe Faça do downhill simmmm, é MUITO bom! Tenho histórias boas dele, me rendeu uma mudança de vida BEM GRANDE! Hahaha Ela ainda vai aparecer no relato =D
  6. Pois é Carla, infelizmente Sucre não deu dessa vez! Mas ainda volto pra ir a Sucre e Potosi!!! A Bolívia é linda! Tive uma queda por ela! hehehe Falo e sempre irei falar bem! Você mora no Brasil??
  7. Noooosssaaaa, ano novo em Cusco deve ser TUDO DE BOM! Sério, fiquei morrendo de vontade de trabalhar no bar do Loki só pra ficar mais tempo por lá Ainda vou voltar só pra fazer um mochilão pelo Peru! E claro uma semana em Cusco! hehehehe Aproveite!!!
  8. Isabelli, usei uma Nikon D3200, lente original 18-55! As vezes sentia a falta de uma lente mais "potente" mas essa quebrou o galho! hehehe =D As fotos ficaram ótimas. Tô com essa lente do kit tb e uma 50mm... Arrumando desculpa pra comprar outra Lentes, sempre nos fazendo sofrer! hehehe.... Mas nem leve a 50mm, conheci uma guria que levou SÓ a 50mm e tava sofrendo hehehe!!! Vou postar mais fotos no flickr e depois mando o link ;D
  9. Oiee!! Fiz: La Paz - Copacabana - Isla del Sol - Copacabana - Puno. Comprei as passagens de Copacabana pra Puno na Titicacas Tour, qnd vc entra no bus eles já te dão os papéis para a entrada no Peru. O bus te deixa na migração e te espera já do outro lado da fronteira. É bemmm tranquilo. Vc faz a saída da Bolívia, atravessa a rua e já faz a entrada no Peru. =)
  10. Isabelli, usei uma Nikon D3200, lente original 18-55! As vezes sentia a falta de uma lente mais "potente" mas essa quebrou o galho! hehehe Galera, o destino me trouxe pro Pará! Aleluia que a internet aqui é boaaa!!! Hoje ainda coloco mais uma parte do relato! =D
  11. Fico feliz por estarem acompanhando!!!! Estou com todo o relato em word, como estou viajando a trabalho estou com dificuldade de tempo e internet do hotel que é ruim! Vou tentar postar mais uma parte hoje de noite e segunda-feira o grande final! =D EvertonDLIgo, se tiver alguma dúvida ou precisar de dica dá um grito por mensagem que eu respondo!!! ;D
  12. Nogy!!! Adorei seu relato!!! Sério, demais!!! Ri até doer a barriga! Olhe, ainda bem que vocês começaram pelo WR certo! Eu comecei a trip por La Paz e os três primeiros dias fora no WR! Três dias intensos de banhos gelados e quarto nojentinho! heheheeh Mas achei a estrutura deles muito boa! Só que optei por ficar no Loki nas outras cidades e depois qnd voltei a La Paz! E fiquei presa por 3 dias no Uyuni!! Hahah com direito a hotel estranho com mulheres chorando, homens gritando, camas balançando!!! O que fica são as histórias e o aprendizado! Parabéns pela trip e pelo relato, dá vontade de fazer o mochilão de novo! Hehehe
  13. 18/06 – A Estrada da Morte! Sim, eu estava super animada por isso, eu amo bike e as fotos dos amigos que já haviam feito esta loucura me deixou com a expectativa lá no alto! Saímos cedo e a van da empresa foi nos buscar no hostel! Na van conhecemos o Plínio, um paraibano super gente boa que ia fazer a descida pela segunda vez! Conversamos bastante até que os 4 israelenses que também estavam na van nos mandaram ficar quieto! LEGAL! Chegando no local onde tomaríamos café e começaríamos a descida conhecemos mais quatro mineiros (aí começa a longa e divertida amizade que rendeu a viagem inteira!) o Marcelo, Gustavo, José e o Thiago (ai ai ai!) e dois paulistas o Roney e o Erik Sim, meninas... era eu a única brasileira mulher, guerreira e Curitibana! Com orgulho! Café tomado, equipamento colocado, bikes testadas e VAMOS NESSA! Os primeiros kms são em asfalto e é muito bom pra pegar aquela velocidade! A paisagem é animal! Linda, as curvas da estrada, montanhas com gelo e o FRIO! Minhas pernas tremiam, meus dedos estavam congelando e ainda era o começo.... Temos uma história triste nesse dia... alguns minutos depois que começamos a descida, ainda no asfalto uma pessoa do grupo de outra agência sofreu um acidente fatal! Segundo informações foi um guia que sofreu o acidente.... bateu de frente com um carro que estava subindo! Porém se foi um guia ou não, não importa... foi triste, triste, triste! Ficamos abalados e eu comecei a frear mais e ir mais devagar! Chegando na estrada de pedra, na Estrada da Morte MESMO começa a adrenalina... temos que andar colados no abismo... a mão dói de tanto frear e no dia que fizemos o passeio tinha MUITA neblina e barro.... e frio! Paramos algumas vezes para descansar, comer, tomar água... O passeio dura o dia inteiro.... a descida começa umas 9:00 e termina perto das 13:00. Paramos em um “bar” começamos a beber Judas (a melhor cerveja da viagem)! Judas vai, Judas vem.... vira, vira, vira! Interagimos com os israelenses que eram super engraçados.... Fomos almoçar todos já MUITO alegres... até os nossos guias! Hehehe Acho que este foi o dia mais divertido da viagem! Era nele que a viagem realmente estava começando por motivos de: vocês entenderão! Hehe Hora de ir embora... e essa parte demora viu! Chegamos em La Paz umas 20:00, como já estávamos todos misturados nas vans e perdemos alguns dos mineiros fomos eu, Gui, Gustavo e José jantar “churrasco” por 12bls! Carne e comida boa! Era tudo que precisávamos.... Voltamos para o hostel tomar banho e arrumar as coisas para o passeio do outro dia e depois fomos ao Loki, hostel onde os outros mineiros estavam para tomar umas cervejinhas e curtir o bar! Era dia de despedida pq eu e o Gui iríamos para Copacabana no dia seguinte... Fiquei lá até umas 2:00 da manhã, voltei pro Wild bem “alegre” e capotei.... 19/06 – Dia de Chacaltaya, Valle de la Luna e a mudança dos nossos planos! Acordei cedo, com aquelaaa dor de cabeça do álcool do dia anterior.... era dia de água e altitude! ãã2::'> ãã2::'> Fomos fazer o check out eeee não havíamos trocado dinheiro! Era feriado e não tinha casa de câmbio aberta aquela hora da matina! Conseguimos trocar dinheiro no hostel da frente do Wild, foi um câmbio horrível e tomamos na cara! Mas né, já foi, já era, sem stress! Guardamos nossas mochilas no hostel e ficamos esperando o pessoal nos buscar no hostel. Para nossa alegria o Roney e o Erik também foram juntos neste passeio! Pensa num visual lindo, pensa nos penhascos até chegar a base do Chacaltaya!!! Achei que aquela van ia capotar a qualquer momento e adeus Terra! Altitude batendo forte na cabeça, chegamos a 5.000m e temos que completar o resto andando! Ou pra mim: camelando! Eu atrasei o passeio da galera pq eu ia me arrastando! O guia nos mandou subir o primeiro cume e eu na inocência achei que “ok, até ali!”! Pensa, que a cada 5 passos vc tem que parar e o ar não vem... e eu mentalizando o topo! Erik e Roney me dando forças... nessas horas que você percebe quão boa são as pessoas! Você mal conhece e elas estão lá te falando “vamossss, vai desisti???” Respirei fundo, o ar não veio, mas vamos em frente! Chegando no topo descubro que: aquele era o PRIMEIRO CUME! Ainda tínhamos que subir MAIS.... Eu comecei a chorar, sério... Desisti e falei: vou ficar aqui sentada até todo mundo voltar! Olhei pro além, pro infinito e “você veio até aqui pra desistir mesmo?” Gritei pro Roney, que estava tremendo de frio, pra me esperar e camelando de novo fui devagar e sempre até os 5.430m de altitude! Foi lindo! Eu realmente não tenho muitas palavras pra descrever esse dia e este lugar! Acredito em Deus e aquela foi a forma mais linda e significante de me sentir ligada a Ele! Descemos, todos estavam me esperando já na van para ir para o Valle de la Luna hehe! Tomei um chá de Coca pra recuperar, e acabei apagando na van achando que ia passar mal a qualquer hora!!! ::essa:: Passamos por La Paz pois algumas pessoas não iriam para o Valle e paramos para almoçar. Eu fiquei lá morrendo na van enquanto o povo almoçava... a dor de cabeça não passava... e acho na verdade que tudo isso era falta de água! O Gui comprou um Gatorade, eu tomei e comecei a tomar muita água e fui melhorando.... até pq o Valle de la Luna é andar, andar, andar e ver as rochas(?!). Algumas histórias do guia e eu não achei esse passeio muito legal... É interessante pq eu nunca vi nada parecido aqui no Brasil mas não achei muito legal não.... A ideia era voltar pro hostel pegar nossas mochilas e ir para o Cemitério para pegar o ônibus para Copacabana. Os ônibus saem a cada meia hora só que havia lido em algum lugar que só tinha ônibus até 18:30. Chegamos lá 18:30 o Gui disse: OLHA O ÔNIBUS! Eu não entendi, peguei as mochilas na maior calma do mundo e o ônibus? FOI PRA COPACABANA SEM A GENTE! Nas placas havia sim ônibus até as 20:00 mas como era feriado é claro que ficamos lá esperando, esperando, esperando e quando começou a escurecer decidimos descer e procurar um lugar pra dormir.... Resolvemos ir andando mas NÃO FAÇA ISSO! É longe, nos perdemos, entramos em umas ruas tipo a 25 de Março em SP, ou seja, muitos bolivianos nos olhando com uma cara estranha, aquele labirinto não tinha fim, eu fiquei com medo. Chegamos no centro e decidimos ir pro Loki e encontrar os mineiros que conhecemos na Estrada da Morte. O Loki não tinha mais quarto! Que legal! Ficamos no quarto dos meninos e o Gui foi procurar algum lugar perto e barato pra gente dormir pq iríamos sair super cedo no outro dia.... Conseguimos um albergue de um casal boliviano MUITO gente, a Sofia e o Ramon, por 30bls a noite! O casal era muito querido e ficou preocupado pq saímos e estávamos demorando pra voltar... Eles nos mostraram o mapa de Copacabana e da Isla del Sol e tinham muito orgulho de morar em La Paz! Voltamos pro Loki ficar com os mineiros mais um pouco, tomar umas cervejas e no meio da conversa decidimos nos encontrar em Cusco no dia 22/06! Aí começava: amizade, histórias, trip e uma vida nova quando voltei pro Brasil! 20/06 – Copacabana e Isla del Sol no dia certo! O fato de algumas coisas planejadas não darem certo antes da viagem me deixaram irritada! Não gosto quando algo sai fora do planejado, mas aprendi que o destino ele gosta de tomar o rumo da vida as vezes... Se não tivéssemos perdido o ônibus no dia anterior não teríamos os mineiros com a gente e não teríamos a surpresa da Fiesta del Sol quando chegamos na Isla del Sol... Bom, pegamos o ônibus para Copacabana ás 7:00 e chegamos em Copacabana umas 11:00, pagamos 15bls pela passagem mais 2bls para atravessar o estreito. Chegando em Copacabana olhamos algumas agências para comprar as passagens de barco até a Isla del Sol e acabamos entrando na Titicaca Tours e fechando: - Ida para Isla del Sol: 25bls - Copacabana – Puno: 25bls - Passeio na Isla de los Uros: 50bls - Puno – Cusco: 70bls Passeios e próximos passagens compradas fomos almoçar e esperar nosso barco para a Isla mais linda deste mundo! De Copacabana até Isla del Sol demora aproximadamente 1:30, chegamos a Isla 15:00 e logo no trapiche fomos abordados por um guia nos perguntando se tínhamos hostel e se queríamos participar da Fista del Sol. Fiquei com receio mas acabei aceitando a ideia, o Alfredo, guia que nos abordou, era muito gente boa! Graças as Deuses Incas ele apareceu viu... pq ele nos levou no topo da Isla e eu não estava conseguindo carregar minha mochila!! O Gui estava levando as duas, eu parando a cada 5 degraus e o Alfredo pegou minha mochila e levou ela Na subida ele foi nos contando algumas histórias da Isla, os incas e a colonização espanhola, nos contou sobre a sua vida e a Fiesta del Sol que aconteceria no próximo dia. A Fista del Sol na Isla del Sol acontece no solstício de inverno, é como o nosso ano novo só que claro, com muito mais significado e simbologia! Combinamos de ir com o Alfredo ele passaria no hostel ás 4:30 da matina! Demos uma volta pela Isla, vimos o lindo pôr do sol e voltamos para o hostel dormir! [Até o final da semana sai o meio e o final da trip! Prometo!]
  14. Oi mochileiros!! Este é meu primeiro relato do meu primeiro mochilão! Obrigada ao site Mochileiros.com, aos colaboradores, relatadores e incentivadores! Bom, eu amo viajar e a escolha destes países para o primeiro mochilão foi: 1) O sonho de conhecer Machu Picchu, Atacama e Salar do Uyuni; 2) E claro o custo x benefício x aventura Vou tentar relatar aqui da maneira mais didática possível. Referente aos valores, vou tentar especificar da melhor forma possível. No começo anotava tudo, depois do quinto dia... esqueça! Eu me chamo Ana e sou de Curitiba - PR, viajei com um grande amigo de BH. Nossa viagem aconteceu entre 16/06/2014 a 09/07/2014, confesso, na última semana meu corpo já não correspondia aos meus comandos! Hehehe Roteiro: 15/06 - Curitiba x SP [ônibus pq, época de Copa as passagens de avião estavam UM ABUSO!] 16/06 - SP x Sta Cruz x La Paz 17/06 - La Paz 18/06 - La Paz 19/06 - La Paz [E o primeiro perrengue!] 20/06 - La Paz x Copacabana x Isla del Sol 21/06 - Isla del Sol x Puno x Cusco 22/06 - Cusco 23/06 - Cusco 24/06 - Cusco x Águas Calientes 25/06 - Machu Picchu x Cusco 26/06 - Cusco x Arequipa 27/06 - Arequipa 28/06 - Arequipa x Tacna x Arica x San Pedro do Atacama 29/06 - San Pedro do Atacama 30/06 - San Pedro do Atacama 01/07 - Tour Deserto do Atacama - Salar do Uyuni 02/07 - Tour Deserto do Atacama - Salar do Uyuni 03/07 - Salar do Uyuni x Uyuni 04/07 - Uyuni 05/07 - Uyuni x La Paz 06/07 - La Paz 07/07 - La Paz 08/07 - La Paz 09/07 - La Paz x SP x Curitiba Custo total de viagem: Passagem bus até SP: R$ 75,00 Hostel em SP: R$ 60,00 Passagens aéreas: R$ 1.318,00 Grana utilizada na viagem: R$ 3.136,00 [ Levei U$ 1.500,00 que troquei em Ctba por R$ 2,34. Sobrou U$ 160,00 no final da tripa AMÉM! ] Valor total gasto: R$ 4.589 Passagens: Gente, mochileira de primeira viagem né! Vi um preço bom de SP x Sta. Cruz de La Sierra e em Março/2014 comprei pela Gol a passagem por R$ 756,00. Depois de rever o roteiro, conversar com uma amiga que havia feito Sta. Cruz x La Paz de ônibus decidi ir de avião de Sta. Cruz para La Paz, minha primeira cidade. Então, ACHO, que saí no prejuízo, pq comprei pela BOA (super recomendo) a passagem Sta. Cruz x La Paz por R$ 279,00. Sendo que eu poderia ter comprado as passagens de SP x La Paz diretamente pela BOA, ia sair acho que uns R$ 900,00! Pra aprender! [Dica] Para comprar as passagens pela BOA vc pesquisa as passagens pelo site deles e envia um e-mail para [email protected], eles irão te enviar o valor já em R$ para depósito. Você faz o depósito e envia o comprovante pra eles eee eles te enviam o comprovante da compra para o check in! Simples, fácil e ótimo preço! Recomendo²! Começando a viagem: 15/06 - Curitiba x SP Fui de busão pra SP, de Ctba leva aproximadamente 6 horas! Fui pensando na viagem, nas expectativas, aquela emoção, não acreditando em tudo que estava por vir É que eu sou POUCO ansiosa!!!!! Já havia reservado um hostel em SP, o Green Grass Hostel pela bagatela de R$60,00 Viva a Copa! Mas né, ok! Cheguei por volta das 18hr, encontrei com o Gui que tbm foi de busão de BH x SP, fomos pro hostel de metrô! Super fácil e rápido! Domingão, saímos dar uma volta na Paulista, comer alguma coisa e voltar pro hostel dormir, ou tentar dormir! 16/06 - SP x Sta Cruz x La Paz Acordamos cedo e #partiu Guarulhos! Nosso voo era para as 11:05 de SP mas acabou atrasando e chegou em Sta. Cruz 13:30 (aproximadamente no Brasil 14:30). O voo Sta. Cruz x La Paz seria 15:00, deu certinho o tempo de passarmos pela imigração, nos encontrarmos no caos boliviano e decolarmos para La Paz!!! Ao chegar em El Alto, senti que havia tomado umas boas doses de tequila!!! A tal da altitude começou a me dar as boas vindas, catei o mochilão da esteira, sentei em algum lugar, dei umas respiradas, comecei a rir igual uma idiota. Depois de alguns minutos já me sentia melhor, trocamos o dinheiro pro táxi no aeroporto (aqui vale lembrar: só troque o dinheiro pro táxi, pq o câmbio não é bom e eles ainda te cobram uma taxa!). Na porta do aeroporto ficam os táxis estilo Rio! Caros e não baixam o preço por nada... fomos andando, andando e um sr. boliviano nos abordou juntou mais duas senhoras que também precisavam de um táxi e #partiuLaPaz. Pagamos 15bls cada um, sendo que os taxistas "oficiais" queriam 30bls de cada! Ok, pode ser perigoso? Pode! Pode dar errado, pode! Mas eu juro que sou assim, se eu sinto que tá dando certo eu me jogo mesmo! Chegamos em La Paz, olhos brilhando. O taxista nos deixou na Plaza San Francisco e com o mochilão nas costas fomos procurar um hostel?! NÃO! A gente saiu andando, observando, achando aquele lugar o máximo! As cores, as pessoas, o trânsito LOUCO! Andamos pela Calle Sagarnaga e suas ruas transversais até que o mochilão nas costas pesou e decidimos encontrar o hostel pré-escolhido. Ladeira abaixo, ladeira acima, um mapa (bem torto conforme percebemos depois) comprado, chegamos ao Wild Rover. Não fiz nenhuma reserva de hostel para essa viagem então chegando lá conseguimos um quarto com 8 camas por 64bls. Sobre o hostel, bem... se você curte festa, curtição, ingleses, e não se importa com barulho pra dormir: eu indico! Eu sou sincera a dizer que não curti pelo fato de: dormir com um som alto na cabeça não me agrada! Hehehe ainda mais que na primeira noite a altitude estava me pegando, a dor de cabeça era forte e o enjoo também! Outro ponto negativo é que dos três dias que fiquei lá o saldo de banho quente foi: ZERO! Imagina você chegando cheio de barro no cabelo da Estrada da Morte eeee banho frio, congelante naquele frio que é a Bolívia... pois é! Hoje eu ficaria no Loki, Loki, Loki de olhos fechados! ::otemo:: Jogamos nossas coisas no quarto, tomamos banho e saímos jantar. Como a fome era grande na rua compramos alguns pães por míseros bls para comer enquanto procurávamos um restaurante. Andamos, andamos e resolvemos parar no Sol & Luna. Bom, este restaurante e os outros que tem nesta redondeza são bem turísticos (restaurante Indiano, Italiano, Japonês....) tomamos nossa primeira Paceña jantamos e #ricos gastamos 46bls cada! [No começo, três primeiros dias gastávamos 30 a 40bls em cada refeição depois caiu pra 20, 15 e no fim era: o que tiver mais barato hehehe] Voltamos para o hostel, revi o roteiro e o que faríamos no outro dia e depois tentei dormir... 17/06 – La Paz e os passeios Acordamos tarde visto que a festa no bar do hostel deve ter acabado umas 5 da matina! E só depois disso que realmente apaguei na cama... quando acordei tinha um cara dormindo no beliche do lado com aquelas bolsas de água para mochila de hidratação pendurados no beliche! Hahaha.... Tomamos café e partimos para a Sagarnaga trocar dinheiro e fazer a pesquisa em algumas agências para fechar os passeios para os próximos dias. Conseguimos trocar U$1 por 6,94bls. Almoçamos, conversamos sobre os preços dos passeios e voltamos a X-Treme para fechar: - Downhill na Estrada da Morte: 380,00 bls - Chacaltaya + Valle de la Luna: 70bls + 30bls de entrada (15bls para cada) Depois disso fomos andar por La Paz. Perto da Sagarnaga fica a famosa Calle de Las Brujas, nela as Cholas vendem materiais exóticos como as Lhamas empalhadas. Ouvi dizer que essas Lhamas são fetos abortados e que eles são utilizados em construções, o pedreiro só começa a construir se tiver uma dessas Lhamas enterradas no terreno, doido não?! Depois descemos até a Plaza San Francisco e entramos na Igreja. Para visitar a parte “museu” precisamos pagar 10bls. Não pode tirar foto das salas onde ficam os quadros e a história do local que antigamente foi um Mosteiro dos Freis Capuchinhos. Eles eram os responsáveis pela fabricação do vinho. É um local bem interessante mas bem mal cuidado viu... infiltrações, quadros caindo aos pedaços... triste! Quando estávamos na parte de cima da igreja, onde ficam os sinos (e por favor, não os toquem!) uma guia que estava guiando uns turistas perguntou pro Gui de onde éramos, quando ele falou “Brasil” ela logo nos convidou para participar da visita! Sim, eles amam brasileiros e ganhamos uma visita guiada free! Saindo da igreja voltamos ao hostel assistir o jogo do Brasil pq né, a gente sai da Copa mas a Copa não sai da gente.... escutamos os ingleses falarem mal dos brasileiros, ignoramos e depois saímos para o Mirado Killi Killi... era perto do hostel, fomos andando. Eu quase morri pq né, eu sedentária + altitude + escadas: queria chorar! Hehehe A vista do Mirador é MUITO LINDA! A vontade era ficar lá olhando as luzes da cidade se acender! Voltamos e fomos a Calle Jaén, dizem que é a mais bonita da cidade e realmente: É LINDA! Como era tarde tudo estava fechado museus, lojas, etc... Na Calle Jaén paramos em uma pizzaria para jantar e conversar. Eu não anotei o nome do local mas era muito bonito e com música brasileira boa (sim, pq desde que chegamos só escutávamos Araketu... nada contra quem gosta!). Comi uma pizza com linguiça de Lhama, forte! Foi meu primeiro e único contato com a carne do bichinho tão bonitinho hehehe! Pagamos 45bls pela pizza e bebidas! Voltamos dormir cedo para curtir bem o Downhill na Estrada da Morte no outro dia!!! [Prometo logo logo continuar este relato!]
  15. Hahaha!! Ótimo!! Afinal, acho que o guia queria me matar pq atrasei o passeio de todo mundo!!! Hahahah
×