Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

valderes

Membros
  • Total de itens

    152
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

27 Excelente

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Peru, Bolívia, Argentina, Chile e Brasil
  • Próximo Destino
    Equador

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. passagem de avião de ida para Santa Cruz e volta por Cusco ou Lima e você simplifica sua viagem...
  2. @Rogerio Sarlo Obrigado pelo relato, bem interessante...estou me preparando para realizar a travessia também!
  3. valderes

    Mendoza

    Gente, estou pensando em visitar Mendoza em julho, é possível visitar as vinícolas fazendo o passeio de bicicleta? Existem rotas de passeios turísticos em Mendoza para se fazer de bike? E se é fácil alugar uma bicicleta na cidade? Vejo muitos relatos onde a pessoa alugou um carro e talz, eu queria fazer um passeio mais econômico e alternativo, quais são as opções na região? Obrigado
  4. Sinto um pouco de falta de dicas sobre visitar os lugares sem carro... é muito relato que começa com aluguei um carro e...(vai no Googlemaps e traça a rota), entendo que são válidos e importantes...mas sinto falta de modo geral na internet quando faço buscas sobre viagens econômicas e/ou dicad, informações sobre como fazer roteiros para quem não tem carro...
  5. Gostei muito do relato, post mais fotos ainda, estou até ficando animado de fazer o mesmo roteiro!
  6. Também tenho a mesma duvida, em 2015 quando fui o real valia muiiito, na patagônia em janeiro já percebi uma grande diferença, mas ouvi comentários de que agora em buenos aires estão bem superfaturados.
  7. @leonardolima90 Uma pergunta pertinente aproveitando que o tópico foi ressuscitado, hoje essa grana ainda seria o suficiente para essa trip?
  8. Nas ferias de 2018 eu e minha esposa fomos conhecer a patagônia, até já comecei o relato aqui, porém ainda não terminei. Mas aqui está a apostila que montei quando planejava o roteiro da viagem com algumas dicas e sugestões, inclusive o roteiro no qual começamos a viagem e que alteravamos conforme a necessidade. Saudações mochileiras ROTEIRO PATAGÔNIA E SANTIAGO resumido.docx
  9. @norma.soto eu fui em janeiro, e tanto em Chalten como em Torres del Paine ventava muito em alguns trechos. Dentro dos bosques venta pouco ou quase nada, o problema são as áreas abertas, como por exemplo no trecho Torres Central x Los Cuernos e Francês: quando se anda na parte próxima aos lagos, que é uma trilha aberta o vento vem com tudo e pode até mesmo derrubar você, vai depender muito das condições climáticas do dia. Mas o principal é que sempre ventava mais forte no período da tarde, a partir de 12 ou 13 horas: então a solução para isso é simples, levante o mais cedo possível e tente começar a trilha lá pelas 5 da manhã, tem a vantagem de ter menos vento e você poder curtir as trilhas sozinhos, que no meu caso não ocorreu porque era muita gente passando o tempo todo... espero poder ter colaborado
  10. Se está com o tempo muito apertado, cogite talvez fazer este trecho de avião, vai gastar um pouco mais na passagem, porém como retorno ganhará praticamente um dia a mais na viagem...
  11. dia 11: 31/12 Ônibus El Calafate x Puerto Natales. Preparar mochila para o circuito W e ceia de ano novo no Hostel. Precisamos nos despedir da Argentina e voltar para o Chile. Este dia foi de preparação para o circuito W, passamos o dia fazendo o checklist do que precisavamos para fazer a trilha, compramos a comida que faltava e tudo mais. O ponto forte do dia foi a ceia de natal do Hostel Refugio Hoshken, organizada pelos funcionários e que foi ótima, conheci um casal de russos e até um Filipino, este Hostel eu recomendo fortemente, organizado, seguro e com bom atendimento. Gastos do dia Passagem 500 ARS Passagem 15000 chp Mercado 14400 chp Helado 1500 chp Rateio da ceia de ano novo 6000 chp Hostel 30 u$
  12. dia 7: 27/12 El Chalten: Laguna Torre, Mirador Cerro Torre e Sendero Laguna Torre a El Chalten Acordamos bem cedo, desayunamos e já corremos para desmontar a barraca e preparar as mochilas. Assim que terminamos tudo fizemos uma pequena caminhada até a Laguna Torre, mas ventava muito forte, mais de 60kmh com certeza e avaliamos que nao valeria a pena seguir até o mirador Maestri. Voltamos ao camping onde estava todo o nosso material empacotado, colocamos as cargueiras nas costas e seguimos rumo a El Chaltén novamente. Refizemos um pedaço da trilha do dia anterior até a bifurcação, de lá continuamos descendo até o Mirador Cerro Torre, descansamos um pouco por lá, almoçamos uma lata de salada de atum com batatas cada um, tiramos algumas fotos e continuamos a descer. Ainda bem que era só descida. Por sorte encontramos um francês tirando fotos de um carpintero gigante, aproveitei para fazer algumas fotos também pois é uma ave simbolo do parque. Ao final da tarde chegamos na parte alta de El Chalten, aproveitei o wifi do hostel que me hospedei no primeiro dia lá para procurar hospedagem, mas como os valores estavam muito alto e não queríamos sair procurando porta a porta ficamos no Camping La Torcida que fica em frente ao final da trilha e que cobram 150 pesos por diária. Aproveitei para fazer um lanche assim que chegamos e tomar um café. E à noite para comemorar o fim do circuito fomos ao Restaurante para que eu pudesse saborear um prato típico: o cordeiro patagônico. Gastos do dia Empanadas e café lá Haydée 170 ARS Fármacia 40 ARS Medialluna 50 ARS Restaurante tacho negro 600 ARS dia 8: 28/12 El Chalten: Mirador dos Condores e Mirador de las Aguillas Ventava muito na parte alta da cidade e entrou muito poeira na Barraca, foi alo bem sinistro, e deu bastante trabalho para limpar, não chegamos a passar frio, mas foi muito chato ter que ficar limpando o tempo todo a barraca porque tinha mais sujeira dentro dela do que de fora. fizemos o desayuno em uma padaria do caminho e seguimos em direção a mais dois miradores neste dia: o Mirador dos Condores e Mirador de las Aguillas, a trilha para eles não é difícil porém o vento contra na hora de voltar atrapalhou um pouco. O Trecho até o Mirador de los condores possui várias placas explicativas, logo recomendo muito para quem for fazer com crianças!! A visão no Mirador de las Aguillas é muito bacana e vale a pena tirar um cochilo por lá. Precisaríamos ir embora de El Chalten no dia seguinte e já estávamos cansados de tanto andar, por isso desistimos de ir conhecer o Chorillo del Salto neste dia e voltamos mais cedo para o camping. Outro motivo era que o vento depois das 14h era algo sinistro e estava para derrubar qualquer cidadão! Gastos do dia Mercado 50 ARS Panaderia que rika 270 ARS Panaderia Haydée 60 ARS Camping 600 ARS dia 9: 29/12 Ônibus El Chalten x El Calafate. E passeio nas passarelas do Perito Moreno Pagamos o camping na noite anterior para que nesta sexta pudêssemos pegar o ônibus as 7h30 da manhã despreocupados. Levantamos de madrugada, desfizemos a barraca, estava chovendo um pouco e isso atrasou a gente, porque não é bom guardar a barraca toda molhada. Chegamos em El Calafate, fomos direto para o Hostel guardar nossa bagagem e se preparar para ir ao Perito Moreno logo depois. Estavamos com reserva no Camping El Viejo Ovejero, e assim que chegamos descobri que minha mochila que tinha deixado no guardavolumes deles havia sido roubada, mas como eles não se responsabilizam por bens deixados lá não valia a pena me estressar pela minha mochila velha vazia. Ponto negativo para eles. Voltamos para a rodoviária e pegamos o ônibus para conhecer o Glaciar. Não fizemos o minitrekking porque considero absurdo pagar 700 reais naquele passeio (por mais sensacional e inesquecível que deva ser), não vou deixar de comer para ir em apenas um passeio (a viagem dura mais de 30 dias). O clima chuvoso e a temperatura fria não nos atrapalhou e andamos por quase todos os circuitos disponíveis nas passarelas. A maior parte das pessoas se concentra no inicio das passarelas, mas no resto é tranquilo para andar e com quase ninguém para atrapalhar as suas fotos. Na volta ao Hostel mais pontos negativos: não tinha desconto se pagasse em dólares e o preço era até mais caro do que o esperado, as camas do Hostel são treliches e mesmo que você tenha reservado com 6 meses de antecedencia, vc tem que pegar as que sobram pq eles não reservam suas camas, tudo bem até aí não tem problemas. Mas as treliches são muito inseguras, sem proteção e sem escada para subir, naquela noite acho que uma criança caiu dela, por sorte não se machucou. Panaderia que rika 100 ARS Mercado 82 ARS Lanche 250 ARS Mercado 222 ARS Perito Moreno parque 1000 ARS (500 cada um, não tem desconto mercosul mais) Hostel ~750 ARS dia 10: 30/12 El Calafate: Passeio pelo centro e Laguna Nimez Era meio que um dia livre para conhecer o centro da cidade e aproveitando enquanto caminhávamos encontramos a Laguna Nimez, que é um ótimo centro de observação de pássaros. Muita gente no facebook havia recomendado a entrar sem pagar porque a fiscalização não é tão forte, mas vendo como tomam conta do lugar corretamente não há porque não pagar. O parque é cercado, as trilhas são suspensas na maior parte para evitar degradação e não é possivel se aproximar muito da maior parte dos animais. Enquanto algumas pessoas faziam todo o circuito em 30 ou 40 minutos, eu e minha esposa gastamos mais de 2 ou 3 horas para admirar todo o cenário. Aproveitamos o dia para lavar a roupa suja acumulada, comer uns sorvetes artesanais e comprar algumas lembrancinhas da Argentina, apesar de que só deu p compra marcador de livros: uma camisa com o nome da cidade custava até 150 reais, o kilo do chocolate artesanal ultrapassava os 200 ou 300 reais, parece até uma piada esses preços (só para europeu que ganha em Euro). O cassino vale a pena, com dez pesos argentinos você consegue jogar um tempão e ainda tem musica ao vivo. Gastos do dia Laguna Nimez 20u$ Lavanderia 200 ARS Panaderia 165 ARS Heladeria acuarela 105 ARS Lá anônima 388 ARS Casino 45 ARS Marcador de livro 120 ARS Taja terminal 20 ARS
  13. Olha, fiz o W em janeiro deste ano. Só peguei chuva no penultimo dia. A estrada de Puerto natales até estava ok na minha opinião. Por ser janeiro e o clima estar melhor fui com o equipamento que eu já tinha, inclusive um saco de dormir da Nautika Micron (+5ºC) que é bem simples e não recomendado para lá. Mas era janeiro né. O W é bem mais simples que o O, se uma pessoa tiver feito a Travessia Petrópolis-Teresopolis no Rio de Janeiro ela vai tirar de letra o circuito W. Alguns trechos são longos, e a tarde geralmente venta muito nas trilhas, esse sim é um problema: andar com uma cargueira pesada e ter ventos laterais de mais de 50km/h é perigoso.Mas se começar a andar bem cedinho tipo às 6 da manhã já estar camihando faz com que vc evite essas situações. Como opção ao camping Italiano existe o camping frances que se localiza há uns 3 kms de distancia deste.
×
×
  • Criar Novo...