Ir para conteúdo

marcelo.sobata

Membros
  • Total de itens

    28
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

8 Neutra

Sobre marcelo.sobata

  • Data de Nascimento 16-07-1994
  1. Oi, pessoas! Tudo bem? Estou indo fazer Bolívia, Chile e Peru em Janeiro de 2018. Iniciaremos em Santa Cruz, iremos de avião para Sucre e depois de ônibus para Uyuni. Já compramos o aéreo entre Sta Cruz e Sucre, e estamos querendo já garantir o ônibus Sucre - Uyuni. Vimos alguns relatos que citam o site Ticketsbolivia.com.bo, mas não achei muito confiável. Alguem aí já usou esse site pra comprar trechos de ônibus? Se não, é de boas chegar em Sucre de manhã e correr pra comprar passagen pra Uyuni partindo no mesmo dia? Obrigado!
  2. Dia 3: Visconde de Mauá - Maringá Acordamos mais tarde, tomamos café da manhã e fizemos check out da Pousada. Impressões sobre a Pousada das Acerolas: a localização não é muito boa, sempre que íamos ao centro de Penedo tínhamos que ir de carro. O quarto não é muito espaçoso, é consideravelmente limpo mas um pouco mal cuidado (parede descascando, vidro da janela trincado, etc) Saindo de Penedo, pegamos a estrada sentido Visconde de Mauá. O caminho é uma serra super sinuosa, mas com paisagens bem legais. Paramos na entrada da cidade e pegamos um mapinha. De Visconde, pegamos um caminho sentido Maringá (uma vilazinha cortada por um rio. De um lado é RJ, do outro, MG). Maringá (tanto RJ quanto MG) é uma vila bem simpática, oferece bastante atividades ao ar livre (corredeiras, cachoeiras, trilhas, etc). Fomos para uma cachoeira que eu não lembro o nome (caso eu lembre do nome eu posto aqui) É a mais próxima da vila e não é cobrado entrada, apenas estacionamento ( 5 reais por carro). Apesar da proximidade da cidade e da trilha super curta, a cachoeira é muito limpa e bem cuidada. Almoçamos em um restaurante à beira Rio (o almoço deu uns 30~40 reais por pessoa). Demos uma volta na vila de Maringá (havíamos deixado o carro em um estacionamento no centro, R$ 8,00), compramos algumas coisinhas e fomos embora. Pegamos e mesma serra sinuosa voltando para Penedo e depois, Dutra. Na volta, pegamos bastante transito perto de Arujá (depois do pedágio), Demoramos umas 5 horas para chegar. E assim acaba a viagem para a região as Agulhas Negras
  3. Dia 2: Parque Nacional Itatiaia Acordamos bem cedo, tomamos café da manhã correndo e pegamos a estrada rumo ao parque nacional. Saindo de Penedo, pegamos a Dutra e vimos uma placa "Parque Nacional Itatiaia". Pegamos essa saída e perguntamos se estávamos indo para a parte alta do parque, responderam que sim. Andamos bastante e chegamos na entrada do parque e o segurança disse que estávamos na entrada errada Voltamos para a Dutra, passamos o pedágio e pegamos a saída sentido Engenheiro Passos-Caxambu. Andamos uns 20km até o local conhecido como Garganta do Registro (tem uma plaquinha indicando a entrada para o parque). Começamos uma subida, inicialmente asfaltada, depois de terra até a entrada do parque (acho que essa subida tem uns 15km). Dá pra encarar com carro 1.0 sim, nem sofremos tanto para subir haha A estradinha estava em obras, parte dela já estava asfaltada. Chegamos no parque e estava muito gelado e nublado. O recomendado é ir de bota, calça e camiseta. Na mochila, leve um fleece e um anorak, além de comidas e água (até a base das prateleiras tem umas fontes de água, mas não sei se é potável). Levamos bastões de caminhada e ajudou bastante nas subidas e descidas. Deixamos o carro no estacionamento e fomos até a portaria. Na portaria, pagamos R$ 15,00 por pessoa, preenchemos uma ficha cadastral e recebemos uma braçadeira de identificação (no final, vc devolve essa braçadeira e assina a saída do parque). Começamos a trilha sentido Abrigo Rebouças, bem tranquilo. A distância da entrada do parque até o abrigo é de 3km, aproximadamente. No final desse caminho, é possível ver o Abrigo Rebouças à esquerda e uma placa com as direções de cada trilha. Nesse ponto dá para ver o pico dos agulhas negras (em um dia sem neblina, né haha) Demos uma parada no Abrigo Rebouças e pegamos a trilha sentido Prateleiras. O caminho fica mais acidentado, mas fica mais bonito. Ao lado da trilha, corre um riozinho que rende belas fotos também. A trilha vai ficando mais acidentada e começa a subir. Nesse ponto, é possível ver o pico Prateleiras já, assim como as agulhas negras do outro lado. Fomos nos aproximando das Prateleiras, mas o tempo ficou bem fechado e começou a trovejar bastante lá embaixo. Demos uma parada e resolvemos não ir até a base, mas sim voltar para o abrigo para tentar fugir da chuva/raios. Mesmo não chegando até a base, dá pra ter uma boa impressão sobre a grandiosidade do local! Voltamos para o abrigo rebouças e começou a chover mais forte. Depois de um tempo, bastante gente chegou até o abrigo esperando a chuva passar. Acabamos indo até a portaria, mesmo na chuva. Devolvemos a braçadeira e voltamos para Penedo, embaixo de chuva. Chegamos em Penedo, fomos para a pousada tomar banho e dar uma descansada. Jantamos em um food truck e ficamos andando pela cidade, à noite. Em resumo, a impressão que tivemos sobre o Parque é muito positiva! As trilhas são muito bem sinalizadas e estão bem demarcadas. O abrigo estava muito bem cuidado, inclusive os banheiros. Na trilha, encontramos alguns voluntários dos Anjos da Montanha e alguns seguranças do parque também. O único ponto negativo é que o acesso à entrada do parque é bem mal sinalizado.
  4. Dia 1: Penedo Saímos de SP umas 08:30, sexta feira do feriado. Só pegamos um pouco de trânsito perto de SJC e Taubaté. Na Dutra, passamos por vários pedágios. Mais perto de SP custa uns R$ 5,00 cada. Os mais próximos de Itatiaia (são dois, se eu não me engano), R$ 12,70 (existe um pedágio exatamente entre as cidades de Itatiaia e Penedo ) Como ficamos em Penedo, quando fomos para a parte alta do parque, tivemos que pagar esse pedágio na ida do parque e na volta (totalizando R$ 25,40 em pedágio) Dica: caso você pretenda ir para a parte Alta do parque, não fique em Penedo (por causa do pedágio no meio do caminho). Acho que a cidade mais próxima da entrada do parque é Itamonte. Caso vc queira ir para a parte Baixa do parque, fique em Penedo (a entrada para a parte baixa é antes do pedágio :'> ) Chegamos em Penedo na hora do almoço, mais ou menos. Achamos que a cidade lembra bastante Campos do Jordão/Monte Verde, mas com um sotaque carioca É bem turística, tem várias lojinhas de doces mineiros, artesanato, etc etc etc. Almoçamos um PF com espetinho (mais ou menos R$ 20,00) em uma galeriazinha a céu aberto. Demos uma volta pelo centrinho e tomamos um sorvete no Finlandês. É um lugar bem arrumado, mas muito caro (três bolas saíram por R$ 30,00 ). Todo mundo estava reclamando do preço haha Depois, tentamos fechar algum guia para subir o Prateleiras, no dia seguinte. Entramos em contato com o Gute Aventura (ou algo parecido) e o preço era de R$ 220,00 por pessoa Tentamos entrar em contato com outros guias/agências, mas não encontramos guias disponíveis. Resolvemos ir por conta própria até a base das Prateleiras. Jantamos uma pizza na Pizza da Vila, recomendo! :'> O ambiente é muito bom e não é muito caro. Voltamos para a pousada, preparamos as coisas para o dia seguintes e fomos dormir.
  5. Olá Pessoas! Irei fazer o relato da minha trip para Penedo, RJ! Fomos no feriado da Páscoa e ficamos três dias por lá. Dia 1: Penedo Dia 2: Parque Nacional Itatiaia Dia 3: Visconde de Mauá + Maringá Ficamos hospedados na Pousada das Acerolas. Para 2 dias, o total foi R$ 384,00 por casal.
  6. DIA 1: PORTO ALEGRE + SAÍDA PARA MVD Bom, meu voo saia de Congonhas 11:20. Como eu moro em Guarulhos, eu fui até o aeroporto de Cumbica e peguei o ônibus da GOL para Congonhas, cheguei lá 9:30. Fiquei um tempo esperando o voo e comprei um cookie pra comer durante o voo... (cookie Mr Cheney: R$4,75) O voo teve bastante turbulência, mas foi pontual. Cheguei em Porto Alegre mais ou menos 13:20, com tempo chuvoso. Como os meus tios chegariam em Porto Alegre as 17:00 só, eu resolvi que ia sair pra almoçar e conhecer um pouco da cidade. Deixei a minha mochilona no locker do aeroporto (R$15,00 por 24 horas). O locker funciona assim: vc paga para a mulher que fica no balcão e ela te dá uma chave. No meu caso, eu precisei do armário menor (apesar da minha mochila de 50lts cheia, coube e sobrou espaço). Esse locker fica na parte de fora do aeroporto, só perguntar. Peguei o aeromóvel entre as estações Salgado Filho e Aeroporto (R$1,70). Esse trenzinho é super moderno, faz conexão entre o aeroporto e o trem lá de POA. Desci e fiz baldeação sentido Mercado. Os trens de lá são bem velhos e barulhentos... O mercado de lá não é muito diferente do nosso Mercadão aqui de São Paulo. Como era segunda, tinha algumas barracas fechadas... Almocei numa lanchonete ao lado do Mercado (x calabresa + coca = R$16,50). Dei umas voltas e achei que as redondezas lá do mercado são quase iguais as do Mercadão. Tudo com cara de meio abandonado, largado... Depois de andar um pouco, parei pra tomar um café no Café do Mercado (R$3,50). Café horrível , não recomendo muito... Voltei para o aeroporto e encontrei com os meus tios. Ficamos lá vendo o tempo passar e fomos jantar no Viena. Depois, fomos para a Rodoviária esperar o ônibus da EGA. A Rodoviária de Porto Alegre é bem feinha, o Tietê é bem mais bonito e moderno... Fomos até o guichê da EGA arrumar alguns dados que o cara aqui de SP escreveu errado (vale lembrar que na hora da compra das passagens, vc precisa de todos os dados dos passageiros. Como é uma viagem internacional, o cara da empresa preenche e já te dá os bilhetes com os dados marcados). O ônibus da EGA é bem moderno. Tem dois andares, o primeiro é leito e o segundo, semi leito. Foi servido jantar e deram cobertor. A temperatura externa, mais ou menos perto da fronteira, chegou nos -3°C Saímos pontualmente as 22:00.
  7. Boa noite, galera ! Eu tinha planejado pra essa trip ser em Julho, mas aconteceram algumas coisas na minha faculdade e acabou ficando pra Agosto. Bom, vamos ao relato. Eu dei uma procurada aqui no mochileiros informações e dicas sobre MVD e CDS, e achei algumas coisas que foram úteis durante a viagem. Portanto, cá estou eu retribuindo o favor Vou dividir o relato da seguinte maneira: primeiro eu vou falar sobre as passagens, preços, hotel, etc etc. Depois, faço dia por dia. A princípio eu iria sozinho, mas chamei meus tios e eles toparam A viagem foi de segunda feira (4 ago) ao sábado, dia 9. TRAJETO Eu saí de SP e fui para Porto Alegre. De POA, eu peguei um bus até Montevideo. Na volta, foi a mesma coisa. Por que eu optei fazer SP-POA-MVD ao invés de SP-MVD, direto? Pq meus pais tinham um compromisso em Porto Alegre no final de semana que eu iria para Montevideo. Então, acabei indo para MVD e na volta, encontrei meus pais em Porto Alegre. PASSAGENS O trecho aéreo eu fiz pela GOL. Comprei as passagens no site de leilão deles (milanexpress.com.br) e funcionou direitinho. (caso alguem queira informações sobre como funciona, etc etc, me manda uma msg no face) Ida e volta GRU-POA foi R$255,00 com taxas. O trecho POA-MVD eu fiz pela EGA. Existem duas empresas que fazem esse trajeto: EGA e TTL. Eu optei pela EGA pois eles têm guichê na rodoviária Tietê, em SP. Comprei as passagens aqui mesmo. Ida e volta POA-MVD saiu por mais ou menos R$340,00. Somando tudo, dá mais ou menos R$600,00. Talvez um voo direto sairia mais em conta, mas como iria encontrar meus pais em Porto Alegre, optei por fazer uma "escala" em POA.. hahah HOSPEDAGEM Como, inicialmente, eu faria essa trip sozinho, dei uma olhada em alguns hostels e o que me pareceu mais interessante foi o Caballo Loco. Mas como meus tios foram, acabei optando por um hotel mesmo. O hotel escolhido foi o AK Design Hotel. Muito bom, aliás. Falarei dele adiante. A hospedagem para quatro dias saiu por U$80,00 cada pessoa. Os três, U$240,00. CÂMBIO Eu troquei 30 reais em pesos uruguaios no aeroporto de Porto Alegre. A cotação não estava muito boa, mas eu precisava ter um pouco de dinheiro vivo quando chegasse em Montevideo. (R$1 = UY7,47) Nas ruas de lá, o câmbio estava por mais ou menos R$1,00 = UY9,40. Alguns restaurantes aceitam pagamento em Reais, e costuma ser vantajoso. No Mercado del Puerto, aceitaram R$1,00 = UY10,00 O melhor câmbio foi perto do teatro Solis, por 9,50. Qualquer canto lá eles trocam câmbio... Bom, a divisão dos dias será a seguinte: DIA 1: 04.08, seg - Chegada em POA, partida para MVD DIA 2: 05.08, ter - Chegada em MVD, city tour DIA 3: 06.08, qua - Colônia del Sacramento DIA 4: 07.08, qui - Estádio Centenário + arredores DIA 5: 08.08, sex - MVD, partida para POA. DIA 6: 09.08, sáb - Chegada em POA, partida para SP. Por enquanto é só, farei os relatos dia a dia e mando aqui Até !
  8. DIA 9: TREM ATÉ SAN JOSE DIRIDON (perto de San Francisco) Eu tinha planejado acordar 7:00, arrumar tudo e passar as fotos para o HD externo. Acordei 8:00, tomei café correndo e peguei o bus para a Union Station. (bus: 2 dolares) Cheguei na Union Station e o tempo de despachar a bagagem já tinha terminado, então acabei deixando as coisas dentro do trem mesmo (tem umas prateleras que eles usam como bagageiro) A viagem de Los Angeles para San Francisco é bem parecida com a que liga San Diego e LA, pois vai beirando a praia. Muito bonito.. No trem, eu fiquei mais tempo no vagão café (não lembro o nome), pq tem umas janelas gigantes e mesinhas.. Nesse tempo, eu assisti alguns filmes no tablet e atualizei meu diário de viagem A previsão é chegar em San Jose 20:10. Almocei um pringles e uma pepsi (lembra da história de só comer porcaria no trem? Então.) Cheguei em San Jose Diridon umas 20:30, e uns conhecidos da minha prima foram me buscar. Jantamos num japonês em Santa Clara, mas meu estômago estava muito ruim. Foram praticamente dois dias só comendo pringles e hamburguer.. A minha prima estava trabalhando para uma empresa em Santa Clara, por isso ela estava hospedada no Marriot Santa Clara Chegamos no hotel, tomei banho e fui dormir, ainda com o estômago podre.
  9. DIA 8: TREM: FLAGSTAFF - LOS ANGELES Bom, peguei o trem de madrugada e cheguei na Union Station umas 15:30. (pausa para a paisagem no trem: fim da pausa) Como eu já conhecia a Union Station, em Los Angeles, peguei o bus até Santa Monica (US 2,00), e fiquei no mesmo hostel que antes: Hostelling International Santa Monica; recomendo fortemente ! (mas é caro) (mas é bom) ãã2::'> Como eu cheguei lá já era de tarde, só falei com meus pais e minha namorada pelo Skype e acabei jantando no hostel mesmo: All you can eat burguer ! (lembra que eu falei pra ter cuidado com alimentação em viagens longas de trem? Então, me arrependo profundamente de ter comido esses burguers). Por U$ 5,50 vc pode comer quantos hamburgueres quiser, acompanha salada, batatinha, suco, etc etc Acabei comendo isso pq achei barato haha, e as ruas perto do hostel só tem lugar carinho... (menos mc e subway) Depois da janta fui dar uma última volta pela 3rd Street Promenade (foi um dos lugares que eu mais gostei em LA, o clima de lá é muito legal). Voltei pro hostel e dormi. Algumas coisas que eu tinha planejado para o dia seguinte: Eu iria dividir um quarto num hotel com uma prima minha, que estava em Santa Clara (perto de SF, é na região do vale do silicio) Para ir até esse hotel, eu iria descer em San Jose Diridon e encontrar umas amigas dela (San Jose é algumas estações antes de SF)
  10. Voltando ao relato DIA 7: SEDONA Como no dia anterior eu tive bastante tempo livre, dei uma procurada na internet sobre o que eu poderia fazer em Flagstaff, sem ser o Grand Canyon Acabei reservando um tour para Sedona com a Great Adventures, o pacote saiu por U$ 92,50. Acordei cedo, por volta das 7:30, arrumei a mochila pra levar no dia e fui tomar café. Comi torrada com manteiga e chá, e percebi que estava nevando O pior foi que eu demorei um tempão até perceber que a camada branca em cima das coisas lá fora era neve, pq tinha acabado de acordar haha O cara do tour passou pontualmente as 9:00, paramos em mais alguns hotéis e pousadas e seguimos para Sedona. O passeio é algo beem superficial, típico CVC: vc fica sentado numa van e o cara vai passando pelos lugares mais interessantes, com umas três paradas pra fotos. Achei muito superficial, principalmente pelo preço.. Não sei se com alguma outra agência é melhor, mas não recomendo Sedona com a Great Adventures. Algumas fotos: Teve uma pausa pro almoço e acabei comendo um hamburguer, mas não lembro o preço. Ah, Sedona é um pouco menor do que Flagstaff, mas tem McDonalds, BK e Starbucks.. Depois do almoço, fiquei no ponto de encontro esperando o cara da van passar e me deixar no hostel, pq à noite eu iria pegar um trem para Los Angeles (conexão) para chegar em San Francisco. O cara ficou de passar as 15:45, mas acabou se atrasando e chegou só 16:45. Cheguei no hostel, arrumei tudo e saí para comer alguma coisa. Aqui vale uma observação muito importante sobre viagens longas de trem: A minha viagem de trem seria muito longa: Flagstaff - Los Angeles: mais ou menos dez horas; Los Angeles - San Francisco: mais ou menos nove horas (não lembro exatamente, mas no site da Amtrak dá pra ver os horários direitinho). No total, fiquei praticamente 20 horas no trem. E aqui a observação: cuidado com a alimentação. No trem, a não ser que vc reserve jantar, não tem muita opção de comidas: só lanche, salgadinho, etc. E o pior é que o lanche é tipo Hot Pocket: a mulher só esquenta no microondas o hamburguer e pronto ! Quando eu cheguei em San Francisco, acabei passando mal por que só comi porcaria por praticamente dois dias inteiros (nos próximos dias vou explicar melhor) Então, cuidado com a alimentação nessas longas viagens ferroviárias Enfim: jantei numa lanchonetezinha (Flagstaff não tem muita opção de restaurantes..), comi steak e purê de batatas com salada e uma pepsi, 13 dólares. Voltei pro hostel e fui para a rodoviária (duas quadras, mais ou menos). Chegando na rodoviária, recebi a notícia de que um trem descarrilhou em Albuquerque (New Mexico), e atrasou em cinco horas o meu trem (afetou os trilhos dos dois sentidos). Era pro trem passar em Flagstaff as 9:00pm, mas acabou passando 3:00am. Nesse tempo, deixei minhas coisas com os funcionários lá da Amtrak e voltei pro hostel. Me deixaram ficar no sofá do lobby Outro fato engraçado: as ruas de Flagstaff (não sei se mais cidades do Arizona também fazem isso) são muito pouco iluminadas ! é muito escuro, os postes são bem espaçados.. Segundo o cara da van, eles fazem isso para não atrapalhar os observatórios que tem por la.. Enfim: voltei para a rodoviária e peguei o trem as três da madrugada, com menos quatro graus celsius Meus planos eram: chegar em LA no dia seguinte à tarde, dormir uma noite em LA e domingo ir para San Francisco. (que dia longo!)
  11. Oi gente! Desculpe a demora pra atualizar esse post, estou meio ocupado estudando Ainda falta o final de Flagstaff e Sedona, e San Francisco Muito obrigado pelos elogios, vou continuar o relato quando tiver mais tempo! Até
  12. Opa, obrigado Infelizmente não consegui ir ao grand canyon, mas tá na lista dos lugares para visitar antes de morrer hahah
  13. DIA 6: FLAGSTAFF, GRAND CANYON FECHADO Depois de amanhecer, fui andando até o hostel (fica a duas quadras da estação de trem) Sobre o hostel: GRAND CANYON INTERNATIONAL HOSTEL Diária: 25,00, quarto compartilhado (duas beliches) com café da manhã. Gostei bastante, achei o clima mais familiar do que o hostel de San Diego. Os staffs são bem atenciosos e tem calefação. Pelo que eu vi, também tem quartos privativos tipo chalézinhos, na parte de fora. Cheguei na porta do hostel umas 7:00 e não tinha ninguem na recepção Fiquei fora esperando e enfim apareceu um cara pra abrir a porta pra mim Como era baixa temporada (e o Grand Canyon estava fechado, vou explicar mais tarde), fiz check in umas 8:00. Sobre o Grand Canyon estar fechado: como eu tenho muita sorte, viajei bem na época do shutdown do governo americano, no final de 2013. Foi na época que eles fecharam TODOS os parques nacionais, TODAS as atrações turísticas e tudo mais Mas a pior parte: como eu ia bem nessa época, havia rumores de que o parque nacional do grand canyon estivesse aberto. Então, mandei um email para o All Star Canyon Tours perguntando sobre a situação do parque e a moça disse que ESTAVA ABERTO! Acreditei nela No hostel, perguntei sobre o Grand Canyon e o cara disse que estava fechado, liguei no All Star Canyon Tours, falei com essa mesma mulher que me respondeu o email e ela disse que havia se confundido Resumo: havia andado umas dez horas de trem e gasto 100 dólares em passagem pra não ver o grand canyon (sim, assumo culpa por ter confiado na mulher dessa agencia que faz tour no GC ) Como o Grand Canyon estava fechado, reservei Sedona para o dia seguinte (cidade vizinha, onde tem várias montanhas vermelhas etc) com a Great Adventures, mas não recomendo Mais tarde eu explico.. E ainda era muito cedo (umas 9:00), e eu estava numa cidade no meio do arizona sem saber o que fazer Aluguei uma bike e rodei a cidade inteira umas quatro vezes. Voltei pro hostel, lavei roupa, arrumei toda a mochila que estava bagunçada e ainda nem tinha dado 14:00 Saí com a bike pra comprar algo pra comer e acabei pegando pizza (5,90). O pedaço era gigante, e acabei almoçando e jantando a mesma coisa À tarde eu fiquei andando de bike (lá venta muito, mas muito mesmo ) Voltei pro hostel, esquentei a pizza e desmaiei (meu dia tinha começado muito cedo, 4:30 da manhã e eu não tinha dormido muito no trem).. Esse dia não teve fotos pq fiquei com um mal humor muito intenso
  14. DIA 5: PETCO PARK TOUR E IDA PARA FLAGSTAFF No dia anterior, em Gaslamp quarter, eu tinha visto um estádio de baseball e vi que eles faziam tour interno. Acordei umas 8:00, arrumei tudo, tomei café da manhã e fiz check out. Deixei a mochilona no hostel mesmo, free. Saí, peguei o trolley para Gaslamp Quarter e fui direção ao estádio. Aliás, casa do San Diego Padres. A bilheteria ainda estava fechada, então eu fiquei dando voltas nas ruas por perto (bem bonitas ) Paguei 11,00 na entrada pro tour, e a mesma mulher que vendeu o ingresso era a nossa guia. Bem simpática, não lembro o nome dela.. O tour foi feito todo em inglês. Bom, o estádio é gigantesto e super bem estruturado. Nunca vi algo semelhante no Brasil (até 2013, pelo menos). Não sei muito bem como descrevê-lo. Vou deixar o link da página do estádio aqui [linkbox]http://www.petcoparkevents.com/[/linkbox] Almocei outra vez fish and chips e uma porção de arroz, 11 dolares também. Almocei no Tin fish, mesmo lugar do dia anterior (descendo na gaslamp quarter, vc dá de cara com esse restaurante). Voltei pro hostel, peguei as coisas e fui até o Santa Fé Depot, de onde sai o trem da Amtrak O trem era San Diego-Los Angeles e Los Angeles-Flagstaff. Acabou atrasando e, ao invés de eu parar em LA (na union station), eu parei em Fullerton e peguei o trem no caminho já Em Fullerton, anoiteceu e deu uma boa esfriada. A previsão em Flagstaff é de 20 a -2 graus Sobre roupas de frio: estava levando um fleece, segunda pela (parte de baixo e parte de cima) e uma blusa de couro. O trem atrasou uma hora (a viagem Los Angeles-Flagstaff é muito longa, tipo umas 12 horas.. nao lembro exatamente, mas no site da amtrak dá pra ver os horários). Apesar da poltrona ser bem confortável, eu acabei ficando mais no vagão restaurante-bar, pq dava pra usar o tablet com mais privacidade (tem mesas) e aproveitei pra atualizar meu "diário de bordo" (levei um caderninho tipo Moleskine e escrevi todos os dias, passeios, preços e tudo mais No trem eu coloquei as roupas de frio (ia chegar em FG de madrugada, 4:30am). Dormi e a mulher da amtrak me acordou um pouco antes de chegar na estação. Chegamos em Flagstaff-Arizona por volta das 4:30. Estava bem frio, mais ou menos zero grau. Como era noite ainda e eu nao conhecia a cidade, fiquei na estação esperando o sol nascer (tem uma lanchonetezinha que deixa o wi fi ligado 24h, dentro da estação.. Fiquei usando o wi fi free haha).
  15. DIA 4: OLD TOWN SAN DIEGO, SAN DIEGO DOWNTOWN, USS MIDWAY MUSEUM. Acordei bem cedo, pois tinha planejado um monte de coisa pra esse dia O café da manhã do hostel era café, panquecas, maple syrup e uma geléia de uva homemade (muito, mas muito boa mesmo esse geléia) Andei até um ponto de trolley (acho que o nome é MTS, algo assim.. dá pra comprar cartão também). A passagem custa 2,50 (caro ! ) O trolley é tipo um bondinho que corre na superfície, tem ar condicionado. O engraçado é que não tem catraca, vc compra o ticket e fica com ele até o fim da viagem. E mal tem fiscalização, dá até pra andar de graça haha Fui até Old Town San Diego, mas era cedo (9:20 mais ou menos), então tava tudo fechado. Fiquei um tempo olhando a paisagem e comecei a andar por lá. Old Town é uma recriação de uma vila mexicana, eu acho, no início da Califórnia. Tem muita coisa legal: azeites, vinhos, taquerias, arte mexicana, cactus, lojas de bebidas, etc etc. Gostei bastante, parece que vc entrou no velho oeste Até o estilo das casas é antigo e a rua é de terra batida, bem legal. Bem turístico também, depois do meio dia, ficou lotado Acontece que eu não sou fã de comida mexicana, e lá só existem restaurantes mexicanos Peguei o trolley e desci na Gaslamp Quarter. Almocei num lugar chamado Tin Fish e comi Fish and Chips (12,00). Gaslamp Quarter é um pedaço meio que histórico de SD, onde a cidade começou a ficar maiorzinha. Tem várias lojas e restaurantes.. Fiquei andando por lá e parei num starbucks pra usar o wifi. Perto da estação Gaslamp Quarter, tem um estádio de baseball imenso, parei lá e vi que eles faziam tour, mas achei melhor deixar para o dia seguinte. Vi que tinha um lugar chamado USS Midway Musem, que é um porta aviões aposentado e que virou museu de aviação militar americana. Fui até lá e paguei 15,00 de entrada (preço de estudante -a moça aceitou a carteirinha da USP ). O preço normal é U$21,00. Vc entra, pega um fone de ouvido e um negócio que parece um celular antigo. Cada peça do museu tem um numero, dai vc poe o numero nesse "celular" e ele te dá explicações A moça que te entrega esse "celular" pergunta qual idioma vc prefere, mas não tem português Acabei pegando em inglês mesmo. O USS Midway Museum tem vários aviões que foram usados em diversas guerras, tem helicópteros e uma loja da lembrancinhas dentro. Gostei bastante, mas vc tem acesso só ao pátio interno e a parte de cima, onde fica a pista de pouso. De resto, é tudo área restrita O engraçado é que em cada gravação, eles explicam o modelo, etc etc, e falam com orgulho que aquele avião X ou helicóptero Y atuou em tal guerra, bombardeou a cidade Z e matou milhares de pessoas Saindo do museu, andei em direção à uma ilhazinha onde tem uma estátua de um casal gigante de beijando e tirei algumas fotos. Andei até encontrar alguma estação do trolley e passei por vários lugares bem luxuosos, com várias iates e tudo mais. Encontrei uma brasileira que disse que San Diego lembra um pouco Rio de Janeiro, mas não sei se concordo com isso Peguei o trolley e desci em Santa Fé Depot (parada da AMTRAK). Comprei minha passagem para Flagstaff para o dia seguinte (U$ 107, sim, caro pra [email protected]@#%[email protected]$%# ) Voltei pro hostel e a janta era macarrão com molho de tomate e almôndegas, estava ótimo ! (estava morrendo de fome, pq depois do almoço não comi mais nada )
×
×
  • Criar Novo...