Ir para conteúdo

Carla_Pacífico

Membros
  • Total de itens

    12
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Olá, mochileiros! Não encontrei muitas informações sobre Maragogi antes de ir, então achei legal deixar um relato com tudo atualizado! Espero que ajude! Qualquer dúvida, é só perguntar! Data da viagem: 16 a 23/11/15 Total da viagem: R$ 2500,00/pessoa – 7 dias (Passagens aéreas, hospedagem, aluguel do carro, passeios e consumo) Dinheiro levado: R$ 1500,00 em espécie + Cartão de crédito/débito Passagens aéreas: Compramos pelo Decolar.com Passagem é sempre cara O mais barato que conseguimos foi R$ 960,00/pessoa (fora as taxas) pela Gol. O total das 2 passagens + taxas foi: R$ 2214,00 Locadora do carro: Rina’s Car (Rinas’s Jato). É uma locadora de Recife. Fizemos muitas cotações com diversas locadoras, mas eles apresentaram um bom preço e atendimento rápido. http://www.locadorarinasjato.com.br/contato Telefones: (81) 98632-5244 Whatsapp / (81) 99658-1696 Tim Dica: Para receber cotações de várias locadoras ao mesmo tempo, você pode entrar no site: http://www.melhoreslocadoras.com.br/ e solicitar. Depois é só ficar de olho no e-mail porque vai receber bastante coisa. Fizemos cotações pelo Decolar.com também, mas os valores estavam altos. Nas locadoras regionais você encontra preços mais baixos, mas como são menos conhecidas é bom pesquisar sobre a empresa antes de fechar a locação. Com a Rinas deu tudo certo e não cobraram nada além do combinado. Recomendamos essa com certeza! Valor da locação: R$ 420,00 para 7 diárias (R$ 60,00 /dia) Taxa de entrega fora do horário comercial: R$ 20,00 (Foi o nosso caso, já que chegamos ao aeroporto durante a noite) Taxa de lavagem: R$ 25,00 (Pago na devolução do carro) E tem a pré-autorização (caução) no valor de R$ 800,00 no cartão (VISA/MASTER/ELO) Pousada: Maragolfinho - http://www.pousadamaragolfinho.com.br/ Fizemos a reserva pelo Booking.com Valor: R$ 830,00 – 7 diárias com café da manhã Foi a mais barata que encontramos com café. E não nos arrependemos da escolha, a pousada é muito boa. A região do centro de Maragogi é bem simples, a rua da pousada é de terra, mas isso não atrapalha a estadia! Ela fica umas 3 ruas acima da orla, mas caminhando dá uns 5 minutinhos no máximo! É só descer a rua ao lado da pousada que logo chega à praia. O quarto é confortável, com ar condicionado, TV, frigobar e um banheiro. O café da manhã é servido das 7h às 9h, cada hóspede tem direito a 1 tapioca. Ele é bem variado e gostoso. Sempre tem frutas fresquinhas! Por enquanto a pousada tem 2 prédios. No prédio novo, que fica do outro lado da rua, é onde tem a piscina que acabamos nem usando! Com aquelas praias maravilhosas, nem dá pra lembrar de piscina...rs Nesse prédio novo tem um pequeno estacionamento para poucos carros. O nosso ficou lá por alguns dias, nesse caso a chave fica na recepção para eles mudarem de lugar se for preciso. Também deixamos o carro na rua vários dias. É bem tranquilo, não tivemos problemas. A pousada é super limpa, sempre tem funcionárias cuidando do espaço. E para limparem o quarto, é só deixar a chave na recepção de manhã e solicitar. Nós ficamos no prédio antigo, que também é super bem cuidado. O wifi funcionou direitinho no computador, mas no celular falhou bastante. A região da pousada não é silenciosa, tem aquele barulho normal de cidade...obras, comércio, músicas nos bares e nas casas... mas isso não atrapalhou nosso descanso. Dormimos muito bem todos os dias! Mas se isso é uma coisa que te incomoda, melhor pesquisar lugares mais afastados do centro! As ruas não são perigosas, mesmo durante a noite dá pra andar bem tranquilo! Sempre tem gente na rua e são todos educados e solícitos. Nós nos sentimos bem à vontade andando por lá. Tem um mercadinho bem na rua de baixo e outro um pouco mais a frente. A praça central onde tem bancos, pizzaria, outro mercado e etc..também é bem perto. Uns 10 minutinhos andando desde a pousada. Ah, o comércio fecha para almoço das 12h às 14h! Mas os restaurantes ficam abertos. Só alguns que abrem a partir das 18h (A pizzaria, por exemplo). Tem um restaurante da pousada também, na orla. A comida é muito gostosa! E lá nós conseguimos pedir meio prato! A comida de todos os restaurantes que provamos é muito boa e bem feita, mas só tem pratos para 2 pessoas, a partir de R$ 60,00 e vem muuuita comida! E no Maragolfinho cada um pediu meio prato e mesmo assim veio bem servido. Fica a dica! Relato de cada dia: 16/11 Saímos de São Paulo às 20:05 e chegamos em Recife às 22:40 (Horário local, lá não tem horário de verão). Falamos com a Rina’s Car pelo whatsapp e assim que saímos do aeroporto, fomos recebidos pelo Sr. Wellington. Ele nos mostrou o carro (Classic, com ar, direção e trava), fez a vistoria com a gente e foi anotando as marcas e riscos. Não tiramos fotos, ele anotou tudo no contrato de locação e não tivemos nenhum problema depois. Eles entregam o carro com o combustível na reserva. O Sr. Wellington nos indicou o caminho, então pegamos o carro e seguimos em direção a Alagoas, às 23:15. Passamos por vários postos de combustível na estrada, mas já estavam fechados! Encontramos um 24h, mas nos informaram que naquele horário fechavam as bombas para atualizar o sistema e voltariam a abastecer depois de 1h. Perguntamos se teria posto 24h mais pra frente, disseram que sim, então seguimos. Paramos em outros 2, que também estavam com as bombas fechadas, aí nos informaram que em Cabo de Santo Agostinho tinha posto 24h também. Ficamos meio inseguros com as saídas da estrada, porque ali não estava tão bem sinalizado. Mas conseguimos encontrar Cabo e um posto aberto! O álcool estava R$ 2,59, conseguimos praticamente encher o tanque com R$ 100,00. Essa quantidade deu pra andar por Maragogi tranquilo e voltar pra Recife! A estrada até Alagoas é boa, estava vazia nesse horário. Mas tem muitos radares, é bom ficar atento! Alguns são de 40km/h. Chegamos a Maragogi 01:30. Aí o problema é que as ruas não têm placas! Rs Tem que seguir pelo GPS. E estava tudo vazio porque já era madrugada. Conseguimos encontrar a pousada e tinha um segurança na recepção. Pelo o que notamos, alguém não avisou que chegaríamos nesse horário (eu já tinha enviado e-mail avisando), então o segurança ficou sem saber o que fazer, coitado. O proprietário da pousada mora na casa ao lado, tivemos que chamá-lo para liberar nossa entrada. Ele confirmou nossa reserva no sistema e logo fez nosso check in. Depois nos levou até o quarto. Nós só arrumamos as coisas e fomos dormir. 17/11 Acordamos e fomos tomar café. Lá, o dono nos informou que iria nos trocar de quarto. Imaginamos que tenha sido pra reparar a falha na comunicação da nossa chegada...rs Porque não tem outro motivo. O primeiro quarto era menor, não tinha janela, só tijolo de vidro por onde entrava a luz, mas achamos bem confortável! Por nós não teria nenhum problema em ficar lá, mas como pediram pra trocar... O outro quarto era maior e tinha até uma varanda! Os dois são no prédio antigo, no mesmo andar. Após o café, levamos nossas coisas ao outro quarto. Fomos até a recepção para perguntar sobre o passeio às Galés. Por e-mail, eles já tinham me informado que o passeio estaria suspenso naquela semana por causa da “maré morta”, como eles chamam. Ela nem baixa, nem sobe muito e esse passeio só pode ser feito com maré baixa (Até 0.6). Mas no Domingo (1 dia antes de irmos embora) eles voltariam a fazer o passeio! Ufa!! Não poderíamos visitar Maragogi e não conhecer as famosas piscinas!rs Fechamos o passeio na pousada mesmo, para hóspedes é R$ 50,00/pessoa (Nos outros lugares seria R$ 65,00/pessoa). Desconto é sempre bom. E além do desconto, você pode pagar o passeio no check out da pousada e passar no cartão. Depois disso fomos passear pela orla pra conhecer. Passamos no Posto de informações turísticas (Fica em frente ao centro de artesanatos) para pegarmos uns mapas e perguntar sobre as praias. Em seguida, paramos para almoçar no restaurante Frutos do mar (Eles também têm agência que faz o passeio às Galés). Experimentamos um peixe ao leite de coco, acompanhado de salada e arroz branco. Comida muito gostosa! Como eu disse, o prato era pra 2 pessoas –mas na verdade, acho que dá pra umas 4 pessoas ...rs – E por conta disso, em cada almoço ou janta você acaba gastando uns R$ 100,00 em média. De lá passamos no mercadinho que fica na rua paralela à da pousada, chama “Pão diário”, é pequeno mas tem de tudo! Gastos: Almoço: R$ 86,90 Mercado: R$ 12,50 18/11 Nesse dia fizemos o que consideramos o melhor passeio de Maragogi: O de buggy! Esse passeio é o seguinte, você tem a opção de ir pelas praias ao norte de Maragogi: Burgalhau, Barra Grande, Antunes, Xaréu, Ponta de Mangue, Dourado e Peroba. Ou pelas praias que ficam ao sul de Maragogi, até o município de Japaratinga: Camacho, São Bento, Japaratinga, Bitingui e Barreiras de Boqueirão. Nós pedimos a opinião do pessoal da pousada, do centro de informações turísticas e até do motorista sobre qual o melhor lado para conhecer... cada um falava uma coisa...rsrs Então decidimos fazer o passeio pelos 2 lados!rs Reservamos esse passeio na pousada, é super rápido porque na hora eles ligam para o motorista e se ele estiver disponível, já pode ir. Para cada litoral (norte ou sul) é cobrado R$ 150/casal. E pra reservar na pousada é preciso deixar R$ 30,00 ou R$ 50,00 de sinal. Nós fizemos com o Branco, muito bacana. Vou deixar o contato dele aqui porque caso queiram, podem entrar em contato direto com ele (pode ser pelo whatsapp). Quando fazemos a reserva pela pousada, ele tem que repassar uma comissão a eles e por isso não dá nem pra tentar negociar um desconto. Mas se agendar direto, talvez consiga diminuir o valor do passeio. Parece que levam até 4 pessoas por buggy! Branco: (82) 99137-2840 (Claro) / (82) 99922-4952 (Tim) Nesse dia tivemos que esperar um pouco porque amanheceu chovendo e um pouco nublado. Mas lá pelas 10h o tempo abriu e saiu um sol de rachar! Aí o Branco foi até a pousada nos buscar. Ele sugeriu começar o passeio pelo litoral sul. Já vou deixar nossa opinião : Os dois lados são diferentes no visual, mas são igualmente lindos! Recomendamos conhecer os dois. Pelo norte, o buggy pode andar mais pela areia e o mar é bem a cara do Caribe...azuuul, azul bem clarinho! Lindo! E pelo sul, o buggy precisa ir mais pela rodovia. Não pode seguir pela areia direto (o que acho super válido se é pra preservar a natureza local) e o mar dessas praias tem um tom mais esverdeado. Mas são lindas do mesmo jeito! Tanto é que a praia que mais gostamos (que até voltamos de carro nos outros dias..rs) fica no litoral sul, em Japaratinga. É a Barreiras de Boqueirão. Achamos essa praia incrível! Super tranquila, vazia, mar calmo e lá tem um restaurante (Bicas) maravilhoso! Pra entrar na praia você passa por dentro dele, onde tem uma escadinha que já sai na areia. E na areia tem umas 3 mesinhas deles. Nós deixamos nossas coisas numa cadeira, ali na areia mesmo e ficamos no mar. É muito tranquilo e seguro. E o melhor fica em frente ao restaurante: Tem uma bica de água que vem de uma montanha atrás da rua, onde os moradores montaram uma estrutura muito legal. Construíram um abrigo e dividiram em Masculino e Feminino, muito legal pra tirar a água salgada do corpo. Dá pra passar vários dias só nessa praia...rs Pra quem gosta de sossego e vai pra relaxar, esse é o lugar. Antes de ir, eu tinha lido algumas reclamações na internet sobre esse passeio, como motorista que não dava muito tempo pra ficar na praia, ou que não parava em todas as praias e etc... Nós não temos absolutamente nada do que reclamar. O Branco foi nos explicando tudo no caminho e nos deixou super à vontade pra tirar fotos e ficar no mar. E outra gente, o legal do passeio de buggy é justamente andar no buggy, né! Rsrs Se você gostar muito de alguma praia (como gostamos da Barreiras de Boqueirão) você pode voltar depois sozinho e ficar o quanto quiser! Mas aproveite o trajeto no buggy! Vale muito a pena. Na praia de São Bento, ele faz uma parada na casa da D. Marlene. Ela é famosa por fazer os tradicionais Bolinhos de goma. São como os sequilhos que comemos em São Paulo, mas um pouquinho mais doce. Lá nós experimentamos os biscoitos e conhecemos as moças que fazem esse “artesanato” ..rs O bom é que você experimenta o biscoito fresquinho. Claro que compramos uns pacotinhos pra trazer pra SP! Na praia Barreiras de Boqueirão, tomamos uma cerveja no restaurante Bicas. E na praia de Peroba, como a maré estava bem baixinha, o buggy entrou praticamente no meio do mar. Lá conseguimos ir andando até uma barreira de corais. Depois tomamos uma água de coco e fomos parar pra almoçar na praia de Burgalhau, num restaurante bem gostoso também. Lá almoçamos frango à parmegiana com arroz e fritas. Muito bom! E ao lado desse restaurante tem um chuveiro para tirar a areia e o sal do corpo. Gastos: Cerveja (Bicas): R$ 10,00 Bolinho de goma: -3 pacotes com recheados: R$ 18,00 -3 pacotes com simples: R$ 15,00 Água de coco: R$ 4,00 Almoço: R$ 74,80 Passeio de buggy (Litoral norte e sul): R$ 300,00 – Pagamos em espécie, diretamente ao Branco 19/11 Como disse, gostamos tanto da praia da Bica que voltamos com o carro e passamos um tempo lá! Foi bom para conhecer melhor o caminho. No restaurante Bicas pedimos cerveja, água e uma porção de mandioca frita com molho rosé. De volta a Maragogi, passamos no mercadinho de novo. E jantamos num outro restaurante, próximo à pousada, mas na orla. Chama Maragaço! Muito bom também! Rs Pedimos peixe empanado com arroz, salada e legumes na manteiga + fritas, até nos arrependemos de ter pedido as fritas de tanta comida que veio. Quando estiverem com fome, não se empolguem!rs Peçam 1 prato só e esperem, porque vem comida para um batalhão...rs Gastos: Restaurante Bicas: R$ 25,30 Mercado: R$ 9,50 Janta: R$ 106, 50 20/11 No dia anterior, o Branco nos contou sobre o “passeio de orla”, que não conhecíamos. Esse passeio é o seguinte: Você vai numa lancha, que sai da praia de Maragogi com até 10 pessoas, vai até a praia de Barra Grande e lá você desce da lancha e fica no meio do mar (com maré baixa). Todos os barcos vão para o mesmo lugar e lá tem “bares flutuantes”, são barquinhos onde vendem bebidas e até churrasco! O passeio tem em média 2h e você fica +/- 1h40 no mar. Reservamos o passeio na pousada também, é R$ 65,00/pessoa. O passeio é legal, a vista do mar é incrível, mas é dispensável. Ainda mais para quem enjoa em barco, como eu! Tive que ficar o tempo todo do passeio dentro da água, porque se eu ficar na lancha enquanto ela está parada passo mal. Tanto é que a maioria que voltou pra lancha antes do fim do passeio, ficou enjoado também...rs Fora isso, com essa história de comida e bebida nos barcos, sempre tem um ser que joga lixo na água. Então imaginem como estará a praia daqui a um tempo... Depois desse passeio, fomos almoçar no restaurante Maragolfinho. Pedimos ½ risoto de camarão e ½ moqueca de peixe com arroz e pirão + cerveja. Tudo muito gostoso! E no caminho até a pousada, passamos no mercado. Gastos: Passeio de orla: R$ 130,00 – Pagamos em espécie, na pousada. Almoço: R$ 94,00 Mercado: R$ 4,00 21/11 Fomos de novo à praia Barreiras de Boqueirão! E ficamos no Bicas restaurante. Lá pedimos uma porção do peixe frito que a recepcionista da pousada nos indicou: Agulha + 1 porção de mandioca frita+ cerveja+refri e água de coco. Em Maragogi passamos no mercado e depois almoçamos em outro restaurante da orla, chama Delícias do mar. Pedimos uma pizza, pra variar um pouco. Nossa vontade era ir até a pizzaria do centro, que pareceu ser muito boa, mas só abriria às 18h e estávamos com fome. Como pizza não era a especialidade do restaurante, ela não estava tão boa quanto esperávamos, mas tudo bem. Gastos: Bicas: R$ 60,50 Mercado: R$ 7,00 Delícias do mar: R$ 44,00 22/11 Dia do passeio às Galés e mergulho com cilindro! Acordamos cedo e chegamos ao restaurante Maragolfinho às 6h. Fomos caminhando da pousada até o restaurante. E quando chegamos, vimos que muitos turistas foram trazidos de carro pela agencia ou pousada onde agendaram o passeio. Então a dica é: Ao fazer a reserva, perguntar se fazem o transporte até o local de partida do barco. Eles serviram um café da manhã simples a todos que fariam o passeio. Saímos do restaurante e entramos no catamarã umas 7:20 acho. No caminho, os instrutores vão explicando como será o passeio, oferecendo as fotos e anotando quem irá fazer o mergulho com cilindro. O trajeto da praia até as Galés deu uns 20 minutos. O mergulho com cilindro é pago diretamente aos instrutores no catamarã, é R$ 100,00/pessoa e dá direito a 1 cd com fotos. Tínhamos visto na tábua que a maré estaria a 0,4 de manhã, mas acho que como a lua ainda estava crescente, a maré ainda estava “morta” porque quando chegamos às Galés a água estava na altura do peito (e muito gelada)! Nas fotos que vimos das piscinas antes de ir, a água estava na altura do joelho das pessoas e os corais aparecendo fora da água. Ou seja, quando fomos, as piscinas não se formaram. Por isso é muito importante planejar a viagem à Maragogi de acordo com a maré. Quanto mais baixa ela estiver, melhor. Os passeios são feitos com a maré até 0,6. A lua também influencia bastante, porque durante a lua cheia e nova, a maré baixa muito mais e o limite máximo também aumenta. Uma das opções é acompanhar pelo site da marinha: http://www.mar.mil.br/dhn/chm/box-previsao-mare/tabuas/30725Nov2015.htm Outra dica, os instrutores nos disseram que dá pra andar descalço na parte das piscinas. Antes de ir, vimos muitas pessoas falando para usar chinelo ou algo que protegesse os pés ao pisar em ouriços. Por isso, compramos uma sapatilha aquática numa loja de artigos de pesca e mergulho. Ela é bem confortável, mas nas piscinas de Maragogi não é necessário. Ouvimos dizer que em Porto de Galinhas é bom usar, porque lá corre o risco de machucar o pé mesmo. Voltando ao relato, quando entramos no mar, esperamos para fazer o teste de respiração com o cilindro pra ver se conseguiríamos fazer o mergulho. Um tempo depois, o instrutor veio e fizemos o teste. Foi nossa primeira experiência de mergulho, então estranhamos um pouco no começo, deu um pouco de falta de ar, mas depois passou. Logo após o teste, o mergulho já começa. O instrutor vai te guiando pelos corais e mostrando os peixes. Nessa hora tem que ficar com as pernas paradas e os braços junto ao corpo, para não bater em nenhum coral. Dá pra ver vários tipos de peixes, é bem legal. O ruim é que a água não estava cristalina por causa da maré alta. Mas a experiência é muito bacana! Depois de uns 10 minutos, o fotógrafo aparece pra tirar as fotos, em seguida o instrutor te guia de volta ao ponto inicial. Tudo isso dá uns 20 minutos +/-. No tempo restante de passeio você pode nadar por conta (na região permitida) ou voltar ao catamarã. Você pode levar seu snorkel e se não tiver, pode alugar com os instrutores, é R$ 10,00 cada. Em questão de minutos que ficamos no mar, a maré subiu ainda mais e começou a não dar pé. Voltamos ao catamarã, que logo saiu de volta à praia. No restaurante Maragolfinho, pegamos o cd de fotos com o instrutor e voltamos à pousada. Lá, o proprietário nos informou que o café da manhã ainda estava sendo servido para o pessoal que saiu cedo para o passeio. Na parte da tarde, voltamos ao restaurante Maragaço, que é bem próximo à pousada e almoçamos. Pedimos frango à parmegiana com arroz, fritas e legumes na manteiga. Comemos demais de novo...rs Gastos: Mergulho com cilindro: R$ 200,00 Almoço: R$ 105,00 23/11 É hora de dar tchau... Tomamos café na pousada e fizemos o check out um pouco antes das 12h. Como voltaríamos para Recife de carro, aproveitamos para conhecer a Praia dos carneiros e Muro Alto, que tanto falam. Primeiro passamos pela praia dos carneiros. Eu tinha ouvido falar que tem uma área publica dessa praia, mas vimos que não tem. É tudo particular. Na estrada tem várias placas indicando restaurantes com quiosques na beira da praia, mas todos eles cobram a entrada + consumo. Acabamos entrando no caminho do Bora Bora. Na portaria, nos informaram que é R$ 30,00/carro só pra entrar. Aí explicamos que pensamos em entrar só pra conhecer, já que estávamos voltando pra Recife e por isso não compensava gastar os 30 reais. Já estávamos nos preparando pra voltar, quando o porteiro falou que a gente poderia entrar sem pagar. A estrutura deles é realmente muito boa, com redes, vários restaurantes, banheiros e até armários para guardar os pertences. Mas não gostamos da praia. Pelo menos aquele espaço que fica todo tomado por mesas do restaurante na areia. Demos uma volta pra conhecer e já saímos. No caminho pegamos a saída para Muro Alto. Essa praia foi difícil de achar também porque você entra numa área de condomínios gigantes e não tem nenhuma placa indicando a entrada pública para a praia. Depois de um bom tempo, chegamos ao fim dessa “rua” e à direita deu pra ver vários carros estacionados e umas barraquinhas de comida na praia. Também não gostamos dessa. Nem tem espaço pra andar pela areia porque encheram de mesas. E a beleza dessas praias nem se compara com as praias de Maragogi e Japaratinga. Que além de bonitas, são tranquilas e vazias. Logo voltamos ao carro e seguimos até Recife. Fomos conversando com o pessoal da locadora pelo whatsapp para combinar a devolução do carro. Chegamos ao aeroporto umas 16h, encontramos o Sr. Wellington no portão de embarque, onde acertamos a taxa de lavagem e devolvemos o carro. Almoçamos no restaurante Frango assado, dentro do aeroporto. Gastos: Check out pousada (Passeio Galés+consumo+diárias): R$ 934,00 Taxa de lavagem: R$ 25,00 Almoço: R$ 104,00
  2. Muito bom o seu relato!!! Parabéns!! Também gosto de relatos nesse estilo, acho mais fácil de ler e pegar informações! To sempre acompanhando posts sobre Cambará, tenho muita vontade de conhecer e vendo o relato de vocês deu vontade de ir o quanto antes!! rsrs
  3. Parabéns pelo relato e pelo vídeo!! As fotos ficaram lindas! Realmente você teve muita sorte com o tempo!! Eu peguei MUITO vento, principalmente em TDP! Mas mesmo assim, vale a pena ver de perto todas essas paisagens tão lindas!!
  4. Oi Keka! Muito obrigada!! Realmente já dá saudade de ver tudo aquilo de novo!! Quem sabe um dia eu volto para fazer o "O"!! (Sonho meu!!rsrs)
  5. Oi, Cristiani! Obrigada!!! Com certeza você irá adorar da mesma maneira, cada cidade tem seu encanto e impressiona bastante!! Em TDP você pretende fazer o W ou o O? Eu fiz o W e referente ao local de início, a sensação que eu tive é que tem muita subida e descida independente do sentido que você siga... rs Então pra mim o que ajuda a escolher é o tempo mesmo...tanto por conseguir ver as paisagens com clareza, quanto por segurança no trajeto! Isso vai depender da época que você for. Eu fui no verão e peguei dias lindos, o maior problema foi o vento... mas consegui ter uma visão muito boa de cada mirante! O parque todo é lindo de ver, mas os pontos que mais me impressionaram foram: O mirador britânico e as torres. Nesse caso achei legal ter começado pelo mirante Grey... onde você vê o glaciar... e depois ter me impressionado ainda mais com os outros mirantes. Fechar o circuito vendo as torres é maravilhoso!! Essa é a minha preferência em relação ao sentido do circuito... Quanto ao tempo, fique de olho na previsão do tempo.. http://www.tempo.pt/torres-del-paine.htm se for numa época de tempo fechado e quando chegar lá o dia estiver bonito, aproveite para começar pelas torres!! É uma visão que vale muito a pena!! E como a subida é cheia de pedras e lá é muito alto, acho melhor e mais seguro subir com tempo bom! Isso vale para o mirador britânico também!! Eu sei que tem gente que sobe até durante a madrugada, no escuro..maaas como eu sou menos corajosa e meu preparo físico não permite tantas extravagâncias...rsrs acho melhor ir tranquilamente e com segurança...rsrs Sobre a mala... realmente ela fica pesada, não tem jeito... Você irá acampar ou ficar em refúgio? Se for acampar, tente levar menos roupa possível... para não ocupar tanto espaço e quanto à comida, leve o que realmente acha que vai consumir todos os dias, para evitar peso em excesso... Aqui no site tem vários relatos onde o pessoal cita o que é indicado levar, vale a pena dar uma olhada! Nós levamos macarrão e arroz instantâneos, leite em pó (que acabamos jogando fora porque a embalagem abriu na mala!!rs), suco em pó, barrinhas de proteína e cereal e amendoins com frutas secas para comer durante o caminho..Acabamos voltando com algumas embalagens de macarrão ainda!rs Se ficar em refúgio, é claro que ficará mais leve porque não terá barraca, muita comida e etc... Espero ter ajudado!
  6. Oi, "prividal"! Obrigada!!! Hahahahaha Mas deu pra ver o quanto cansamos também, né?! rsrsrs Em El Chaltén tem muitas outras trilhas pra fazer, só fizemos 2 porque estávamos bem cansados de Torres Del Paine ainda...rs A Patagônia faz muito bem mesmo!!rs Mas acredito que seja melhor ir no verão, para não pegar taaanto frio e para aproveitar melhor os dias que são mais longos.. A passagem realmente é cara... eu olhava o Decolar todos os dias para ver se aparecia alguma promoção.. e como eu disse, a mais barata foi pela Turkish Airlines. Quando não tinha passagem deles, eu nem olhava porque as outras são MUITO mais caras! Vai pesquisando todos os dias que uma hora o valor diminui! Quanto ao valor total, é difícil passar com exatidão porque são muitos fatores envolvidos... no nosso caso, acho que ficou uns 5 mil pra cada um em média! Mas tudo vai depender do seu roteiro e também do que você vai precisar gastar antes de ir (passagens, roupas, equipamentos e etc...) Sobre os passeios e hospedagem, aqui no relato tem todos os valores...se você for seguir o mesmo roteiro já dá pra somar e ter uma idéia!
  7. Fer, muito obrigada!!! )) Dá trabalho, mas é uma delícia ficar relembrando essa viagem...dá vontade de voltar mesmo!! Quem sabe um dia, né....rsrsrs Bjão
  8. 02/12/2013 EL CHALTÉN TRILHA – CHORRILLO DEL SALTO Nesse dia acordamos e tomamos café no hostel. O café deles é bem gostoso! Antes de tudo, fomos até a agência novamente para comprar nossas passagens...rs A internet tinha voltado!!rs Compramos a passagem de ônibus de El Chaltén até o aeroporto de El Calafate, foi o mesmo valor que pagamos na ida à Chaltén (200 pesos/ pessoa). A passagem de avião de El Calafate à Buenos Aires foi 1.840,00 pesos/pessoa (Passagem + taxas). Aí o pagamento teve que ser em cartão, pois não tínhamos o suficiente em dinheiro. Com as passagens em mãos, decidimos tentar fazer a menor trilha, pra começar...rs A Chorrillo Del Salto é uma cachoeira bem próxima à cidade! É mais ou menos 1 hora caminhando do hostel até lá. Foi meio confuso para achar o caminho dessa trilha... no começo estávamos seguindo sentido Fitz Roy! Na verdade tem que seguir pela estrada na lateral direita da cidade... ao lado do rio de las vueltas. Quando pegamos a estrada, logo começamos a ver algumas pessoas voltando da trilha. Nós estranhamos na primeira vez que pegamos a estrada, porque passaram vários carros e caminhões e parecia que não tinha espaço para pedestre andar ali......rs Ficamos com receio de estarmos andando no lugar errado...rs Mas perguntamos e era por ali mesmo! Depois de um tempo na estrada, tem algumas placas indicando para entrar à esquerda, num bosque onde você segue por mais uns minutinhos e logo mais a frente encontra a cachoeira! Ela é bem pequena... com algumas pedras grandes no meio da água, onde dá pra passar de um lado a outro. Mas é bem bonita!! Ficamos um pouco lá, tiramos fotos e voltamos... Passeamos mais um pouco pela cidade e depois ficamos no hostel. O cansaço veio com tudo!!rs 03/12/2013 EL CHALTÉN TRILHA – LAGUNA TORRE Acordamos até que cedo nesse dia, apesar do cansaço... Tomamos café e decidimos ir até a Laguna Torre com a Cindy! Essa trilha é mais longa, no mapa diz que são 3h só de ida... mas acho que levamos mais que isso...rs, pois, andamos bem devagar. A trilha é muito bonita!! É bem alta... logo no começo dela, dá pra ver toda a cidade de cima...é uma vista bem legal!! A partir daí, é uma subida atrás da outra...mas nada muito difícil....só longe!rs Depois de 1h mais ou menos, se chega ao mirante dos cerros Solo, Torre e mais alguns... e a trilha continua... As cores dos rios são muito bonitas lá também....lembra as cores de Torres Del Paine.. E a água do parque também é potável!! Levamos nossas garrafinhas para encher no decorrer da trilha. O tempo nesse dia ficou bom na maior parte do tempo! Do mirante em diante, levamos umas 2h e pouco até chegar à Laguna! Lá venta bastante (Esse vento nos persegue!!rs), mas tem umas pedras grandes onde dá pra se proteger, sentar e comer alguma coisa, enquanto oberva a laguna. A volta dela é bem cansativa, mas pela distância que se percorre, não pela dificuldade da trilha! Uma coisa que irritou a gente foi a quantidade de moscas grandes!! Elas são muito chatas, tem que ficar batendo nelas o tempo inteiro pra ver se vão embora...rs E olha que usamos repelente!!! Tirando isso foi uma trilha super agradável! Foi o que conseguimos fazer e já ficamos bem felizes por isso!! rs De volta à cidade, paramos novamente no restaurante Ahonikenk...rs Mas dessa vez, cada um pediu um prato diferente. Eu pedi um filé com batata frita.. o prato é enorme!!! Muito bom também, mas a pizza ficou na memória, de tão boa...rsrs À noite ficamos no hostel ajeitando as coisas, pois, no dia seguinte iríamos embora... Estávamos sem condições de fazer qualquer outra trilha...rs 04/12/2012 EL CHALTÉN – EL CALAFATE (AEROPORTO) – BUENOS AIRES Nesse dia, fomos ao mercadinho próximo de manhã para comprar algumas coisas para comer durante a viagem. As coisas em El Chaltén são mais caras e tem pouquíssima variedade! Depois fomos arrumar as coisas e fazer o check out no hostel. Às 12h fomos à rodoviária aguardar o ônibus! Uma coisa que achamos estranho é que na hora de embarcar no ônibus, o pessoal da rodoviária estava cobrando uma taxa de embarque! Até então eu não tinha visto ninguém comentando sobre isso aqui... A taxa é baixa: $ 5! E eles te dão um canhoto de um talão ao efetuar o pagamento. Achamos estranho, mais uma taxa!! Mas pagamos... Como nós iríamos até o aeroporto só, avisamos o motorista ao embarcar, para que ele parasse lá. A viagem foi tranquila, nada de diferente. Estava um dia muito bonito! Chegamos ao aeroporto bem antes do nosso voo (Que estava marcado para as 19h55). Ficamos esperando enquanto isso e quando estava próximo do horário do check in, fomos até o guichê da taxa de embarque!! Além da taxa da passagem que você paga quando compra a passagem, também é preciso pagar essa taxa de embarque no aeroporto (38 pesos / pessoa). Somente após o pagamento da taxa o embarque está liberado! Nós fomos com a Aerolíneas Argentinas novamente. Pousamos em Buenos Aires por voltas das 23h, no aeroparque J. Newbery. Nosso plano era parar em Buenos Aires somente como escala para Puerto Iguazu, mas o Du tem um primo que mora lá, que foi super gentil e nos deixou passar o dia na casa dele. Assim conseguimos descansar e conhecer um pouco de Buenos Aires com ele! 05/12/2013 BUENOS AIRES Como eu disse não estava nos nossos planos passar 1 dia em Buenos Aires, então não tenho muitas informações de lá! Quando estávamos montando nosso roteiro, a ideia para esse trecho era: Puerto Madryn – Buenos Aires (como escala) – Uruguai. Em Puerto Madryn nosso maior interesse era ver as baleias, mas vimos que em Dezembro elas não estão mais lá. Nesse site tem o calendário da fauna: http://madryn.travel/calendario-de-fauna/ Nele consta que em Dezembro ainda é possível vê-las, mas li vários relatos de pessoas informando que é melhor ir até Outubro, se for essa a intenção! Devido a isso alteramos nosso roteiro e tiramos Puerto Madryn. Além disso, ficaria meio “fora de mão” tanto passar lá, quanto ir ao Uruguai. Pois precisaríamos ir até Buenos Aires, depois ao Uruguai de barco e voltar para Buenos Aires onde pegaríamos um avião para Puerto Iguazu!! Fora o gasto, que seria maior ainda... No fim das contas, passamos só em Buenos Aires e de lá fomos para Puerto Iguazu. O Uruguai ficou para uma próxima oportunidade! Para quem está planejando viajar para Buenos Aires e ficar um tempo por lá, é legal ver um tópico específico com relato de quem passou mais dias, pois assim encontrará mais detalhes que podem ajudar no seu roteiro!! Como nós ficamos só 1 dia na cidade, vou apenas contar por onde passamos.. No começo do dia o primo do Du nos levou até Luján, uma cidade próxima que faz parte da província de Buenos Aires. Lá tem o famoso zoológico, onde é possível entrar nas jaulas dos animais.. Nós não fomos ao zoológico, mas visitamos a basílica de Luján! É muito bonita!! Voltando à Buenos Aires, pegamos o metrô e fomos até a Av. Corrientes, onde fica o Obelisco e paramos para almoçar numa pizzaria tradicional da cidade, o nome dela é Güerrin e foi fundada em 1932!!! Vale a pena passar lá, a pizza é muito gostosa!!! Após o almoço fomos até uma agência de turismo indicada pelo primo do Du, chama-se Alfer Tur (Rua Uruguay, 485). Compramos nossa passagem de avião até Puerto Iguazu para o dia seguinte, de manhã. Fizemos o pagamento com cartão de crédito, com a conversão a passagem ficou R$ 450,00/pessoa. Depois fomos andando até a Plaza de Mayo, onde fica a Casa Rosada. Estava rolando uma manifestação lá em frente...e em vários outros pontos da cidade também. Passamos rapidamente pela Rua Florida, lá tem um calçadão com várias lojinhas que lembram a 25 de Março de São Paulo... tem lojas e barraquinhas de tudo e várias pessoas oferecendo câmbio!! Uma delas era um brasileiro, inclusive!rs Andamos bastante nesse dia... passamos pelo bairro Palermo, onde tem vários bares e restaurantes. Depois fomos até La Boca, conhecemos o Caminito...rua muito linda por sinal, com todas as casinhas coloridas! E de lá fomos até San Telmo, um bairro muito charmoso.. onde tem a estátua da fofa da Mafalda!! *-* Fiquei tão feliz por ter conseguido tirar uma foto com ela!!rs O dia rendeu!!! Apesar do pouco tempo que tivemos, deu pra ver bastante coisa pra quem não ia nem sair do aeroporto...rs 06/12/2013 BUENOS AIRES – PUERTO IGUAZU Nesse dia acordamos super cedo, pois nosso voo estava marcado para as 07h20!! São 2h de viagem até Puerto Iguazu. O voo foi bem tranquilo... O aeroporto de Puerto Iguazu é bem pequeno... ao chegar você sente a diferença de temperatura, em Buenos Aires estava bem quente já...mas lá é mais abafado e úmido. Logo após pegarmos nossas malas, vimos um quiosque de táxi dentro do aeroporto mesmo... é o primeiro que você vê no portão de desembarque e ele é caríssimoooo!!! Aí seguimos até a saída do aeroporto para procurarmos outros meios de transporte lá fora...rs Mas bem na saída vimos um quiosque de ônibus até Puerto Iguazu!! Fiquei escutando o rapaz anunciar a “promoção” deles...rs e fiquei até desconfiada quando ele falou o valor da passagem, que era MUITO mais barata que a do táxi!! Tenho até o ticket deles aqui, a passagem é só 40 pesos/pessoa e é num ônibus confortável, além de caber toda a bagagem!rs Quem for pra lá, passe reto pelo quiosque do táxi...e pegue esse ônibus! É bem mais barato e a rodoviária é bem no centrinho da cidade! Quando desembarcamos, fomos procurar um hostel para passar aquela noite. E bem em frente à rodoviária, tem um hostel Marcopolo Inn http://www.booking.com/hotel/ar/marcopolo-inn-iguazu.pt-br.html#availability_target !! Da mesma rede do hostel que ficamos em El Calafate!rs Quando fui atravessar a rua, um rapaz me entregou um folder de outro hostel...mas esse só tinha quarto privado para casal e era super caro! Fomos até o Marcopolo para verificar o valor, não me lembro exatamente, mas acho que a diária deles é 80 pesos/ pessoa, no quarto com 6 camas, café da manhã incluso... lá também tem piscina, wifi, computadores e cozinha para os hóspedes usarem. Esse hostel é bem espaçoso... parece um sítio...rs Depois de passar lá, fui até um outro hostel próximo para conferir o valor...e era bem mais caro!! Ficamos no Marcopolo mesmo.. Não foi possível fazer o check in quando chegamos, pois ainda tinha gente no quarto...mas eles têm um quarto para deixar as malas durante esse tempo. Deixamos nossa diária paga, guardamos nossas malas no quartinho e aproveitamos para irmos até o parque das cataratas! Na rodoviária tem o guichê da empresa Rio Uruguay, lá nós compramos a passagem do ônibus que leva até o parque, o valor é 35 pesos/pessoa. Compramos a ida e a volta, o ônibus tem os horários de saída já definidos tanto para ir até o parque, quanto para voltar. É só aguardar a próxima saída na fila... Ficamos aguardando na plataforma da rodoviária, o próximo ônibus chegaria em 20 minutos.. Era um ônibus bem velhinho...rs Mas a viagem até o parque é rápida! E o ônibus estaciona bem em frente ao parque. Nós descemos e fomos comprar os ingressos http://www.iguazuargentina.com/que-hacer/informacion-visitante/horarios-y-tarifas/ , para residentes no Mercosul o valor da entrada é 115 pesos/pessoa. Ao entrar no parque, você passa por uma catraca e vira à direita para seguir até uma plataforma de onde sai um trem que vai te levar até as passarelas das cataratas. Essas passarelas estão divididas entre: Passeio superior e inferior, começamos pelo superior. Na entrada de cada passarela tem as placas indicando a direção das quedas. O passeio fica a critério de cada um, é só seguir pelas passarelas... no seu ritmo... Por ser a nossa primeira visita ao parque, nós estávamos com receio de demorar muito em cada queda e não ter tempo de ver tudo... mas no lado argentino dá pra fazer esse passeio tranquilamente e ainda sobra tempo!! Porque só andamos pelas passarelas, não fizemos nenhuma outra trilha que é possível fazer lá... e pelo o que vimos, esses outros passeios são pagos à parte! Nós ainda paramos várias vezes no meio do caminho para ver os bichos que apareciam por lá...rs Tinha bastante macaco e quati! Já ficamos impressionados com a quantidade de água que cai!! É muito bonito de ver! Mas nesse lado do parque você vê as cataratas de cima... já no lado brasileiro, você vê todas as quedas de frente, é ainda mais impressionante! Depois de passarmos por todas as passarelas, seguimos pelo parque até a estação de trem, para voltarmos à entrada. Bem em frente à portaria do parque tem o ponto de ônibus, onde ficamos aguardando. Retornamos ao hostel e guardamos nossas coisas no quarto. Esse quarto é bem simples, mas tem ar condicionado... só que o nosso não estava funcionando!rs Dormimos com porta e janela aberta para dar uma refrescada... Sobre a cidade não tenho muitas informações, pois conhecemos quase nada... Perto do hostel tem um mercadinho beeem simples, lá você encontra o basicão e olhe lá! Acabamos nem comprando nada... fomos comer numa lanchonete que fica ao lado da rodoviária...comemos um lanche rápido mesmo e voltamos para o hostel. 07/12/2013 PUERTO IGUAZU – FOZ DO IGUAÇU Acordamos cedo, tomamos café no hostel....que por sinal é bem completo!! Gostei bastante! Arrumamos nossas coisas, acertamos tudo no hostel e fomos até a rodoviária para comprarmos a passagem para Foz! Compramos no guichê da Crucero Del norte e o valor é 15 pesos/pessoa! Não lembro o tempo de viagem até Foz, nós paramos na imigração para acertar a papelada... Lá até que a fila é bem rápida, mas ficamos por último e não sei se era o sistema ou a menina que me atendeu, mas acabei ficando mais tempo no balcão... o motorista já estava meio apressado esperando a gente...rs Depois disso a viagem seguiu bem... Nós iríamos encontrar nosso amigo que mora em Londrina, por isso conversamos com o motorista e pedimos para ele nos deixar num ponto próximo ao nosso hostel, que fica na rua do parque das cataratas! Se tivéssemos ido até a rodoviária de Foz, nem sei como faríamos pra voltar até o hostel que é meio afastado da cidade... além de ser um gasto a mais com transporte. Conforme combinado, o motorista nos deixou na Av. das Cataratas, ainda distante do hostel, mas era um ponto que não saía da rota dele. Nosso amigo (Daniel) nos buscou nesse ponto e fomos até o hostel. Foi o Daniel quem fez a reserva do hostel antes de ir, o nome do hostel é Iguassu Eco Hostel http://www.iguassuecohostel.com/index.html , ele fica bem ao lado da entrada do parque das cataratas e em frente ao parque das aves!! Vale muito a pena ficar nesse hostel!! A diária é barata, pelo menos no quarto compartilhado pagamos R$ 40,00 se não me engano! O hostel é uma delícia... tem piscina, ar condicionado nos quartos (Que funciona bem!rs), café da manhã bem completo – incluso na diária, eles fazem janta também, mas é preciso reservar antes e pagar à parte! Ele fica no meio da mata do parque...bem relaxante!! Deu vontade de passar mais alguns dias lá... Ficamos num quarto com 8 camas e 2 banheiros!! Ótima estrutura!! O espaço onde é servido o café e onde podemos fazer as refeições, fica ao lado da piscina... e tem sempre uma música ambiente tocando! Nesse dia conhecemos o hostel, deixamos nossas coisas no quarto e fomos ao parque! http://www.cataratasdoiguacu.com.br/portal/ O ingresso lá é R$ 30/pessoa. Compramos os ingressos e entramos num ônibus de turismo, aqueles com 2 andares e sem janelas no andar de cima... e fomos até o começo das passarelas! Já nessa parte dá pra ver as cataratas de frente!! É sensacional!! Achei o caminho mais longo que o do lado argentino.. andamos bastante! E nesse lado tem muitas escadas! Já começamos o passeio descendo algumas..rs Tem vários mirantes no meio do caminho... dá pra tirar fotos bem legais! E novamente ficamos impressionados com a quantidade de águaaa que cai ali!! Depois de passear nas passarelas inferiores, pegamos um elevador que leva até o último piso... pra mim, é onde tem a vista mais bonita!! Ficamos um tempo ali, admirando tudo...e depois fomos embora... pegamos o ônibus de volta à entrada do parque.. Na saída, paramos num restaurante do outro lado da rua (Nesse trecho da rua não tem muitas opções de restaurantes, é fácil encontrar esse...rs). É um restaurante pequeno... serve comida e lanches. Almoçamos lá e fomos ao parque das aves em seguida! http://www.parquedasaves.com.br/pt.html A visita ao parque é rápida... compramos o ingresso na entrada (R$ 20,00/ pessoa) e a partir daí é só seguir o caminho... Tem umas aves lindas!! E dá pra andar entre elas...é bem legal!! Muitas borboletas...araras...tem de tudo!! No fim do passeio podemos tirar foto ao lado de uma cobra e também com uma arara no braço... Comigo não deu muito certo, porque eu estava de boné e foi o menino colocar a arara no meu braço que ela já subiu rapidinho até minha cabeça e arrancou aquele botão que fica em cima do boné!rs Ela foi muito rápida!! Não imaginava que ela ia conseguir arrancar assim tão fácil!! Ela acabou ganhando um brinquedinho novo...rsrs No dia seguinte fomos até Londrina e passamos uns dias na casa do Dani. De lá voltamos para São Paulo de ônibus... E assim acabou nossa aventura!
  9. 22/11/2013 USHUAIA – PUNTA ARENAS Compramos a passagem de ônibus na agencia Tolkar e ficou 550 pesos por pessoa! Tivemos que chegar no porto às 4:30 da manhã, pois, o ônibus sairia às 5h! Por isso pedimos ao pessoal do hostel para adiantar o café da manhã e eles deixaram disponível às 4h! Como já tínhamos arrumado as malas no dia anterior, deu tempo certinho. Um detalhe, fomos com mala de rodinha e levamos a cargueira dentro da mala... se puder já ir de cargueira é melhor, pois, as ruas são ruins pra andar com essas malas....elas ficaram detonadas embaixo! Em Punta Arenas é pior ainda, porque tem várias pedrinhas no chão.... não tem pra onde correr... Essa viagem tem 12h de duração!! ãã2::'> Você dorme, acorda, dorme de novo e ainda está longe!! Primeiro fomos com um ônibus de Ushuaia até Rio Grande, lá trocamos de ônibus e seguimos até o Estreito de Magalhães,onde pegamos a balsa e depois continuamos no ônibus, com destino a Punta Arenas. Pegamos um tempo ótimo!! Ao chegar no Estreito de Magalhães, foi super rápido...a balsa chegou e já embarcamos! Além de tudo, ainda ganhamos o presente de ver golfinhos durante a travessia!! Depois de muito dormir, chegamos em Punta Arenas.... Desembarcamos no centro da cidade... entramos na Comapa para pegar um mapa da cidade e ver onde ficava o hostel que eu já tinha feito reserva. Ficamos no hostel Independencia (Independencia, 374 / http://www.chileaustral.com/independencia/index.html). Fiz a reserva antes de ir, por e-mail com o Eduardo (Dono do hostel). A diária lá é 7.000,00 pesos chilenos, por pessoa. O hostel é a casa dele! Pensem numa casa de homem! Rs É ele quem limpa, prepara o café da manhã (ele fez até ovo mexido para a gente!!!), ele quem cuida das reservas por e-mail....enfim, cuida de tudo!! Super gente boa!! Auxilia na programação da viagem....dá várias dicas....vale a pena ficar lá!! A única coisa ruim é o banheiro, só tem 1 com chuveiro...então a noite foi aquela fila!! Tirando isso, é muito bom!! Eu reservei um dormitório compartilhado, mas ficamos num quarto com 3 camas só... 1 delas de casal, bem grande!! Um menino que conhecemos no hostel em Ushuaia foi pra lá com a gente também e ficou no mesmo quarto, o Nick! Adoramos conhece-lo também! Como chegamos no fim de tarde na cidade, deixamos nossas coisas no hostel, fomos até a rodoviária comprar a passagem para Puerto Natales, depois fomos até um restaurante próximo para jantar e voltamos ao hostel. 23/11/2013 PUNTA ARENAS – PUERTO NATALES No dia seguinte acordamos cedo, pois, antes de ir a Puerto Natales, queríamos dar uma volta pela cidade e talveeeez passar na Zona Franca. Durante o café, o Eduardo comentou que ele vendia os tickets do ônibus de Puerto Natales a Torres Del Paine, então compramos com ele mesmo. É o ticket amarelo da Via Paine (15.000,00 pesos chilenos), ida e volta. No final das contas, acabamos conversando demais e tivemos que sair correndo para não perdermos o ônibus! Fomos a Puerto Natales pela Buses Fernandez (Armando Sanhueza, 745), a passagem é 5.000 pesos chilenos por pessoa. A viagem dura, em média, 3h15! Pegamos o ônibus das 13h. Não me lembro bem da viagem, chegamos na rodoviária de Puerto Natales no final da tarde e pedimos um táxi até o hostel que eu já tinha reservado por e-mail também, o Lili Patagônicos (Arturo Prat, 479 / http://www.lilipatagonicos.com ). Esse hostel é bem bonitinho, mas a cozinha é muito pequena e pouco arejada. Se mais de 1 pessoa cozinhar lá, já fica meio apertado. Os quartos são bem bonitos, camas super confortáveis... Ficamos num dormitório com 5 camas. Tem poucos banheiros pela quantidade de quartos e eles são individuais... mas o chuveiro é bom e quente! O café da manhã também é bom. Eles fazem aluguel de equipamentos e roupas para TDP e pode deixar a bagagem por lá enquanto está no parque, sem pagar nada. Nós deixamos nossas coisas no quarto e fomos conversar com o Felipe (Um brasileiro, que trabalha no hostel!) sobre TDP... ele foi super atencioso e nos passou várias dicas, mas uma das dicas que ele deu e que nós seguimos, não foi muito boa e acabou alterando nosso roteiro no parque e daí por diante...rs Vou falar mais sobre isso no relato de Torres... Nesse dia, demos uma volta pela cidade, aproveitamos para trocar mais dinheiro. A casa que encontramos com a melhor cotação é a “La Hermandad” (Rua Manuel Bulnes, 692). No dia, 1 real valia 210 pesos (a cotação de Puerto Natales é péssima, se puder troque em Punta Arenas). Passamos no mercado Unimarc (Rua Manuel Bulnes, 742) para comprarmos algo para a janta. No hostel, fizemos o aluguel das coisas para acampar em TDP, já que não ficaríamos em refúgios. Segue a lista com os valores por dia de: 01 Barraca para 2 pessoas (Na teoria, porque mal cabia 1 pessoa!!rs) – 4.000,00 02 Sacos de dormir – 2.500,00 cada 02 Isolantes térmicos – 1.000,00 cada 01 Kit de cozinha – 2.000,00 02 Bastões de caminhada (Para o Du se apoiar melhor) – 1.000,00 cada 01 Jaqueta (Porque eu só tinha uma jaqueta muito grossa, que iria me atrapalhar durante a trilha) – 2.500,00 Após o aluguel, separamos o que levaríamos para TDP na cargueira e deixamos o restante nas malas, que ficariam no hostel durante nosso período no parque. Aproveitamos para pagar nossa diária (8.000,00/ pessoa), pois, no dia seguinte o ônibus partiria cedo para TDP. 24/11/2013 PUERTO NATALES – TDP 1º DIA – CIRCUITO W (PAINE GRANDE – GREY – PAINE GRANDE) Acordamos por volta das 6h, tomamos café e já deixamos nossas mochilas separadas. Fomos a pé até a rodoviária, pois, era perto (Uns 10 minutos). O ônibus já estava ligado e quase cheio! Entregamos nossas malas ao motorista e subimos.. o ônibus saiu pontualmente às 7:30!! Na saída da rodoviária, até vimos um menino correndo com a mochila...mas infelizmente ele não conseguiu chegar a tempo e perdeu o ônibus! Fica a dica pra chegar cedo na rodoviária!! Estávamos super ansiosos, mas chega uma hora em que você não aguenta e acaba dormindo... a viagem até o parque não tem nada de interessante... mas quando começa a chegar perto e você vê as torres de longe, a ansiedade volta!!rs A viagem dura umas 2h e pouquinho... o ônibus para na portaria Laguna Amarga para que todos efetuem o pagamento da entrada no parque (18.000,00), recebam o mapa, preencham um formulário de entrada e assistam a um filminho com algumas instruções e regras do parque. De todas as papeladas que você recebe, a única coisa que você vai realmente usar é o mapa! O resto pode guardar... Como nós decidimos começar o W pelo Paine Grande, voltamos ao ônibus para seguir até o Pudeto e lá, pegar o catamarã até o camping. Quem iria começar o W por Las Torres, ficou na Laguna Amarga mesmo. Nesse trecho até o Pudeto, fica todo mundo grudado nas janelas do ônibus porque as paisagens são muito lindas... as cores dos lagos são impressionantes... tudo é bonito! A viagem até lá dura 1h e pouco... chegamos umas 11:30, como o catamarã iria sair às 12h, ficamos com receio de ir até o Salto Grande e perder o horário, então ficamos por ali mesmo... O vento já estava bem forte e congelante...rs Pegamos o pedacinho de trilha até a entrada do catamarã... que também saiu pontualmente. Lá dentro, todos deixam as mochilas num canto... depois que todo mundo entra, aquilo vira uma montanha de mochilas! E as nossas acabaram ficando embaixo de todas...rs Esse trajeto é lindo de ver também!! O céu tinha poucas nuvens, estava sol... mas bem frio... Durante a travessia nós podemos ficar do lado de fora do catamarã, pra ver a paisagem e tirar fotos... o difícil é aguentar o vento gelado e forte, que foi nosso companheiro durante todo o circuito! rs Em determinado momento, eles pedem pra todos entrarem novamente e efetuarem o pagamento (12.000,00). Depois de mais um tempo, chegamos ao Paine Grande! Ao chegar, já pegamos outra fila no caixa do camping. Lá pagamos 1 diária e eles entregaram uma etiqueta adesiva para por na corda da barraca, que informa até quando você ficará naquele camping (de acordo com seu pagamento/diária). Se eu não me engano, pagamos 5.400,00 nesse camping... todos eles são nessa faixa de 4 a 6 mil pesos chilenos, menos o italiano que é gratuito. E os mais caros são os da Fantástico Sur, pelos menos os que fazem parte do circuito W por onde passei. Vocês podem conferir os preços de cada temporada nos sites: http://www.fantasticosur.com/pt/rates/ http://www.verticepatagonia.com/es/precios Após o pagamento, fomos montar a barraca pela primeira vez! rs Até que foi rápido, apesar do vento... mas tivemos que colocar umas pedras grandes em volta para segurar...rs Depois de deixar tudo montado, já partimos rumo ao mirante do glaciar Grey. Acho que essa é a trilha mais tranquila de todo o W! Grande parte desse caminho ainda está queimado, devido ao incêndio que teve no parque.. mas ainda assim, é uma trilha muito bonita! Para quem não sabe, o caminho todo possui marcações para não se perder... ou é um pedaço de madeira colorido, ou tem tinta nas pedras e árvores... dá pra fazer o trajeto sozinho, tranquilamente! Seguimos num ritmo normal, sem pressa... chegamos à Laguna dos patos em 1h +/-... e de lá até o Lago Grey, deu mais 1h20 em média. Lá estava ventando muuuuito forte... de empurrar a gente!! E isso era só o começo do vento...rs A primeira vista do glaciar é impressionante! Ficamos um tempo lá e depois retornamos ao Paine Grande. De todos os campings que ficamos, achei que o Paine Grande é o que tem a melhor estrutura. Tem um espaço grande para as barracas.... tem também um espaço coberto que eles chamam de comedor, onde tem várias mesas, fogão, pia... é um luxo perto dos outros!!rs Lá dá pra ficar bem quentinho e cozinhar a vontade. Como já levamos o kit cozinha, preparamos nossa refeição na mesa mesmo.. com o nosso fogareiro. O banheiro que tem no camping também é super bem estruturado...tem a parte com os vasos sanitários de um lado e a parte com chuveiros do outro (Os chuveiros tem horário de funcionamento). A única coisa ruim, é que fui tomar banho de manhã... estava super frio e um vento gelado... e a porta do banheiro não travava! Além da água do chuveiro não ter esquentado muito..ventou bastante lá dentro! Tirando isso, gostei bastante desse camping! PAINE GRANDE: COMEDOR PAINE GRANDE: BANHEIROS 25/11/2013 2º DIA – CIRCUITO W (PAINE GRANDE – ITALIANO - LOS CUERNOS) Para esse dia, eu tinha planejado ir do Paine Grande até o Italiano, deixar a cargueira lá e subir até o mirador Britânico leve. Depois voltar até o italiano e dormir lá... Poreeeeeeeem, o Felipe do Lili Patagônicos disse que seria melhor irmos até Los Cuernos direto porque assim o último dia seria mais curto (Estaríamos assim, teoricamente mais perto da última perna do W). Esse foi nosso grande erro!! Porque do Paine Grande até o Italiano é tranquilo...e estava um dia lindo...deu até calor...mas o caminho do Italiano até Los Cuernos acabou com a gente!! Principalmente porque estávamos com a cargueira! Demoramos demais para chegar até Los Cuernos...e chegamos acabados lá... Quando chegamos na praia, no lago Nordernskjöld, sentamos um pouco e tiramos as botas para descansar os pés...rs Acho que levamos quase 7h do Paine Grande até Los Cuernos!! A trilha varia bastante... as vezes você anda um tempão por um bosque.... de repente entra numa trilha estreita de terra, com mata fechada em volta...e as subidas e descidas são bem chatinhas...o Du sentiu bastante dor nessas descidas, principalmente quando tinha terra seca...que fazia os pés escorregarem. Os bastões de caminhada deram bastante suporte nessas horas... Chegando no Los Cuernos foi difícil achar um espaço para montar a barraca...o único que sobrou, que era perto do banheiro e do comedor, era num espaço inclinado!!rs E ali era muito aberto...o vento batia sem dó... como não tinha o que fazer, ficamos ali mesmo... Fez muito frio durante a noite...choveu e ventou bastante... e devido à inclinação, ficamos escorregando no saco de dormir...rsrs Foi uma oteeema noite! Eu acho que é menos cansativo ir do Paine Grande até o Italiano, deixar a cargueira lá, subir até o Britânico, voltar e dormir no Italiano. No outro dia, ir até o Chileno pelo atalho e dormir lá. E no último dia subir até o mirante das torres sem cargueira... A estrutura do Los Cuernos não é tão boa... o comedor é bem pequeno...e logo atrás ficam os banheiros...a pia é uma só para o comedor e para os banheiros. Tem só 2 vasos sanitários e 2 chuveiros... é unissex. O chuveiro de lá é bem quente pelo menos!! 26/11/2013 3º DIA – CIRCUITO W (LOS CUERNOS – ITALIANO – BRITÂNICO – ITALIANO - LOS CUERNOS) Acordamos bem cedo nesse dia, deixamos as cargueiras na barraca e seguimos de volta ao Italiano...rs Para subir o Vale do Francês, até o mirador Britânico. O dia estava meio nublado. A trilha até o Italiano a gente já conhecia...mas foi outra coisa andar sem a cargueira! Logo depois de passar o Italiano, a trilha é cheia de pedras grandes... chega uma hora que até cansa andar nessas pedras!! Aí começa uma bela subida pelas pedras....depois entra num bosque... aí eu tive que parar um pouco porque tive uns problemas intestinais...rsrs Senti cólicas super fortes... paramos por um tempo, depois continuamos seguindo. Aí é uma caminhada sem fim.... chegamos num ponto alto onde pensamos ser o mirador! Porque de lá já se tem uma visão completa da paisagem e tinha algumas pessoas comendo por lá... nós paramos um pouco também....e vimos um pouco de gelo caindo na montanha, fazendo um barulho super alto! Ficamos alguns minutos nesse “mirador” e procuramos alguma placa...como não tinha nada...seguimos em frente....tinha uma floresta depois desse espaço aberto... sem placas também, mas como o pessoal que estava comendo acabou seguindo por ali depois, achamos que estávamos no caminho certo... Nessa floresta tinha umas árvores com as marcações do caminho... fomos seguindo... Depois de muuuito andar, encontramos um casal voltando (Que acabamos conhecendo depois... Beverly e Arthur - Super simpáticos e educados!! ) e perguntamos se ainda faltava muito para chegarmos ao Britânico... eles disseram que ainda faltava um bom pedaço e que valia a pena subir até o mirador! Continuamos na trilha...eu estava ansiosa para chegar no Britânico, esperando encontrar um banheiro pra usar! Hãn... foi a decepção do caminho...rsrsrs Chegando no camping Britânico, vimos que não tem nada lá! Só um monte de troncos com a placa do camping! Rsrs O jeito foi correr até um lugar mais reservado no mato.... Continuamos subindo... aí a subida aperta, porque você tem que praticamente “escalar” as pedras enormes até o mirador... e como eu tenho medo de altura, não conseguia ficar em pé ali!!rs Quando chegamos ao mirador, realmente valeu a pena toda a caminhada... o sol saiu...e as montanhas de lá são lindas!!! Parecem de cartão postal...rs Para mim, essa trilha foi a mais cansativa...mas a beleza da paisagem compensa todo o cansaço!!! É maravilhoso! Na volta, acabamos conhecendo uma francesa que mora no Brasil... com a conversa, o caminho até o Italiano pareceu super rápido!!rs A partir daí, tentamos manter nosso ritmo...porque ainda tinha uma longa caminhada até Los Cuernos. Chegamos lá super cansados, afinal de contas, passamos o dia todo andando! (O trecho todo deu 12h!!! Saímos às 7h da manhã e retornamos às 19h!) E pra ajudar, encontramos nossa barraca quebrada!!! Pelo vento forte que batia lá... E quebrou de um jeito que não tinha como a gente arrumar e nem como ficar lá dentro... Outras barracas também quebraram com o vento nesse dia... por isso disse que no Grey foi só o começo... Tivemos que alugar uma barraca no camping... a sorte foi que a barraca que eles tinham, já estava montada e em cima de um tablado de madeira!! A barraca não ficaria molhada com a umidade do solo e também estava muito bem presa...não corria o risco de quebrar ou sair voando com o vento...rs Ainda assim foi difícil dormir... ela mexeu bastante com a ventania e chuva durante a noite! 27/11/2013 4º DIA – CIRCUITO W (LOS CUERNOS - CHILENO) Acordamos bem cedo de novo, arrumamos nossas coisas nas cargueiras e seguimos em direção ao campamento Chileno (Ou até Torres, se o tempo estivesse bom – O planejado era terminar o circuito nesse dia). O dia estava bem chuvoso e frio...encontramos novamente a Beverly e o Arthur saindo do Los Cuernos também e andamos perto durante todo o caminho até o Chileno. As trilhas estavam bem escorregadias de lama... o que nos fez andar mais devagar ainda... O vento nesse dia estava com força total!! Quando a gente escutava o barulho dele de longe, já tinha que parar e abaixar, porque senão ele derrubava os dois! Tanto é que estava formando ondas no lago!! E a água respingava lá em cima, na trilha! Quando chegamos num campo aberto... acho que ali já tínhamos pego o atalho para o Chileno...ou estávamos próximos disso, vimos um Guanaco! Peguei a câmera para filmar e uma rajada de vento (O tal do vento patagônico, não um vento normal...rs) nos pegou desprevenidos e nos empurrou por alguns metros....foi até engraçado na hora, porque não conseguíamos parar de tão forte que era o vento!! Inclusive não consegui nem desligar a camera na hora....ficou o vídeo de lembrança...rs E quando paramos, vimos que o Guanaco ficou imóvel, mesmo com todo o vento...rs Depois disso começamos a subir, até chegarmos no Vale Ascencio... aí eu entrei em pânico!! Porque se o vento já tinha empurrado a gente lá embaixo...fiquei pensando se ele fizesse isso lá em cima!! Andei praticamente agachada na trilha do Vale!rs Além do vento, a trilha estava bem escorregadia... nossa...foi tenso! Cheguei praticamente correndo no Chileno...de tanta vontade de sair do Vale...rsrs Quando chegamos, começou a nevar... e o próprio rapaz do camping disse que é bem raro o tempo ficar daquele jeito, com esse vento forte!! Fica inclusive perigoso esse trecho assim... Que sorte a nossa.....rs Como estávamos sem barraca ainda....tivemos que alugar outra no Chileno. Essa também estava montada num tablado... muito bom!! Arrumei as coisas e abri os sacos de dormir rapidinho...rs Estava extremamente frio lá!! Como não tinha pra onde ir com aquele tempo....acabamos dormindo super cedo! A estrutura do Chileno é boa, mas não tem muito espaço para barracas... O comedor fica numa espécie de galpão..tem algumas mesas e ali mesmo ficam os banheiros. Tem 1 masculino e 1 feminino com vaso sanitário...e tinha 1 chuveiro numa terceira porta. Mas ele é bem bonitinho e fica num lugar muito bacana! 28/11/2013 5º DIA – CIRCUITO W (CHILENO - TORRES) TDP – PUERTO NATALES Nesse dia madrugamos!! Quando amanheceu, nem parecia que o tempo estava horrível no dia anterior... pois, o céu estava limpo, com sol e sem vento!!! Mudou completamente!! Realmente o tempo lá é bem imprevisível!!rs A trilha do Chileno até a entrada do camping Torres é bem tranquila....grande parte por dentro de um bosque. Quando passa o camping Torres é que o bicho pega...começa uma subida de pedras e você sempre acha que está chegando, mas nunca chega...rsrs E em alguns trechos só dá pra passar 1 pessoa de cada vez...então quando encontrávamos alguém descendo, um de nós tinha que esperar..rs E olha que fomos cedo, mas já tinha bastante gente voltando do mirador... inclusive a Beverly e o Arthur...rs... que encontramos de novo no meio do caminho e aproveitamos pra perguntar se faltava muito até as torres! Quando chega lá em cima...você acha que já está de frente para as Torres, mas não.... ainda faltam muitas pedras...rsrs Lá em cima bateu mais um pouco de vento, mas nem se compara com o dia anterior!! Eu estava com medo de ficar em pé nas pedras, por causa da altura...e acho que o vento tinha me traumatizado também...rs Mas deu pra seguir bem...e mais acima ainda...é preciso contornar mais algumas pedras para finalmente encontrar as torres!!! É uma visão maravilhosa... não dá nem pra acreditar! E quando você chega, começa a pensar em tudo o que andou e passou ate lá!!rsrs Mas vale muuuito a pena!! Ficamos lá em cima, curtindo a paisagem e depois começamos a descer de novo. Para quem tem algum problema nos joelhos já aviso, a descida é bem complicada!! Acaba forçando bastante... o Du que o diga! Chegando no Chileno, já guardamos nossas coisas...pegamos as cargueiras e continuamos na descida... Aí foi engraçado, quando eu estava saindo do Chileno vi uma menininha de uns 8/9 anos chegando toda feliz e saltitante no camping, como se ela estivesse passeando numa rua qualquer!! Rs Tudo bem que o tempo estava lindo, sem vento.... mas lembrei do pânico que senti passando por aquele vale no dia anterior! -.- Demoramos bastante pra chegar até Las Torres, porque fomos bem devagar. Quando chegamos, ficamos esperando um transfer passar para nos levar até a Laguna Amarga. O transfer tem horários certos para passar e como chegamos bem antes do próximo horário, tivemos que esperar um bom tempo lá. Ele custa 2.500,00/pessoa. Ao chegarmos na Laguna Amarga, já tinha um ônibus esperando... o mesmo que tinha nos levado. Hora de dar adeus às Torres!!  Mas além de cansados, saímos felizes por termos conseguido completar o circuito, apesar dos pesares....rsrsrs Chegando em Puerto Natales novamente, na rodoviária fomos comprar a passagem para El Calafate, para o dia seguinte. Só tinha 1 empresa vendendo as passagens, pois, a polícia federal chilena estava em greve!! Então, a fronteira estava fechada. De qualquer maneira, compramos as passagens pela Turismo Zaahj, no valor de 14.000,00 pesos chilenos cada uma. Quanto à hospedagem, tivemos um problema... por conta da mudança no roteiro. Eu tinha feito reserva no Lili Patagônicos para o dia anterior! Como tivemos que passar mais um dia lá no parque, acabamos perdendo a reserva... e o hostel estava lotado. Pegamos nossas malas, arrumamos nossas coisas, fizemos o pagamento do equipamento alugado... e sobre a barraca quebrada, o Felipe descontou o valor dela...afinal de contas, não foi nossa culpa e o esperado era que a barraca fosse resistente ao vento, né...rs O Felipe nos indicou 2 hostels próximos...o primeiro, que não lembro o nome, não tinha vaga.. O segundo tinha... o nome é Yagan house!http://www.yaganhouse.cl/ Sinceramente, se a gente já soubesse desse hostel teríamos ficado lá!! É muito bom!! Ótima estrutura.. grande, tem serviço de lavanderia, cozinha grande e bem equipada, café da manhã muito bom, quartos pequenos mas confortáveis..e vários banheiros (individuais). A única coisa ruim é a escada e o piso na parte dos quartos, são de madeira...e fazia muito barulho quando a gente andava! Não achamos ruim por nós, é que no dia seguinte tivemos que sair bem cedo...e com as malas! O hostel todo escuta quando você passa..rs Ficamos com receio de incomodar o pessoal que estava descansando... Mas em geral, é muito bom!! Super recomendado!! Nesse dia aproveitamos para lavar as roupas que usamos no parque e organizar nossas coisas. 29/11/2013 PUERTO NATALES – EL CALAFATE Acordamos cedo, arrumamos as roupas, tomamos café e chamamos um táxi para nos levar até a rodoviária. O ônibus para El Calafate iria sair às 8h! Ah, um detalhe... em todas as passagens de ônibus que compramos, tinha um número de poltrona marcado, mas na verdade os assentos são livres!! Vimos algumas confusões por causa disso... rs Nós mesmos estranhamos quando vimos que tinha uma senhora sentada no lugar que estava marcado na nossa passagem! Ela disse que os assentos eram livres... aí confirmei com o motorista e realmente, em todos os ônibus que pegamos, não tinha poltrona reservada apesar de ter um número na passagem... Não que isso tenha feito alguma diferença para nós, mas é bom saber! Dentro do ônibus encontramos a Beverly e o Arthur de novo...e mais um monte de gente que tínhamos visto andando pelo parque. Aí você percebe que todo mundo segue praticamente o mesmo roteiro! Depois de um tempo de viagem, chegamos na fronteira... e vimos uma fila de ônibus e carros dos 2 lados! -.- Tivemos que esperar durante algumas horas até liberarem a passagem! E quando nos deixaram passar na imigração, estavam super acelerados...e nosso papel de entrada no Chile estava dentro da mala, que estava no bagageiro! Quando conseguimos passar, o motorista já voltou correndo para o ônibus...rs E finalmente atravessamos para a Argentina!! Essa viagem é meio longa também, dura umas 6h em média... a nossa durou mais por conta da espera na fronteira. Chegamos em El Calafate no começo da noite já...pegamos um táxi até o hostel (O hostel ficava numa rua de terra!), deu 30 pesos argentinos. Eu disse que a alteração do roteiro foi de Puerto Natales em diante, porque acabou alterando todas as reservas que eu tinha feito... Reservei 2 dias no hostel America Del Sur (Puerto Deseado, 153 / http://www.americahostel.com.ar/home_calafate_espanol.html ), chegamos no segundo dia reservado! A reserva foi feita pela internet e esse foi o único hostel que precisamos pagar uma taxa para reservar, mas foi coisa de R$ 6,00. A diária deles é 160 pesos argentinos por pessoa. O hostel é grande, bem estruturado, com muitos quartos, tem um café da manhã muito bom... vale a pena ficar lá. O quarto é bom, tem 4 camas e banheiro (com o espaço do vaso e do chuveiro separados, cada um numa porta diferente) e armário para guardar as malas. Nem ficamos muito tempo no quarto, porque já tinha 2 pessoas dormindo quando chegamos. Tomamos banho em outros banheiros, perto da recepção. Os chuveiros são bons. A única coisa que achei ruim no hostel é a cozinha! Ela é bem pequena e tinha muuuuuita mosca!! Tirando isso, o hostel é bom! Recomendado!! A equipe de atendimento é super atenciosa e rápida!! Nós reservamos o mini trekking no Perito Moreno com eles, mas a empresa que faz o passeio é a Hielo y Aventura http://www.hieloyaventura.com/2010/port_mini-trekking-glaciar-perito-moreno.asp. O mini trekking é 800 pesos + 90 de entrada no parque (Para residentes no Mercosul). Nessa noite, fomos até o mercado para comprar o lanche do dia seguinte, pois a refeição não está inclusa no passeio! No caminho, passamos em frente uma loja de chocolates (Chocolates Del Sol – Av. Libertador, 932/ Locales 10 y 11), paramos para comprar alguns alfajores e lá conseguimos trocar dinheiro numa cotação boa!! Acho que vale mais a pena trocar nessas lojinhas do que em casa de câmbio. Aproveitamos para jantar num restaurante próximo, o La Marca. Achei muito caro e demoraram para servir a comida, mas é um baita prato!!rs 30/11/2013 EL CALAFATE (PERITO MORENO) No dia seguinte, acordamos cedo e arrumamos as malas novamente, pois, não sabíamos se teria vaga no hostel naquela noite, já que não tínhamos mais reserva. Falamos com a recepcionista da manhã, se tinha algum hostel conhecido em El Chaltén, porque eu não tinha conseguido contato com nenhum! Imediatamente ela falou com um pessoal que ela conhecia, do hostel Condor de Los Andes e fez nossa reserva! Efetuamos o pagamento de uma parte da diária para garantir a reserva e o restante pagamos em El Chaltén. Aí perguntamos sobre a passagem de ônibus para El Chaltén e adivinhem.... eles também vendem!! Rsrs A passagem é da Chaltén Travel, nós pagamos lá no hostel mesmo (200 pesos cada) e eles nos deram um voucher para retirar a passagem no guichê da empresa, na rodoviária! Isso facilita bastante!! Deixamos nossas malas lá e o ônibus da Hielo y Aventura veio nos buscar. Fomos os primeiros, então passamos em diversos lugares para pegarem mais pessoas. O glaciar Perito Moreno fica dentro do Parque Nacional Los Glaciares e ao chegar, uma moça entra no ônibus para vender os tickets de entrada. Com os tickets em mãos, seguimos adiante até o porto para irmos de barco (durante uns 30 minutos) até o “refúgio” onde os guias dividem todo o grupo em 2, um para orientações em inglês, outro para espanhol. Nesse refúgio, deixamos nossas bolsas e seguimos caminhando pela margem do lago até um ponto onde os guias colocam os grampões em nossos pés e dão instruções de como se deve andar no glaciar. Nosso grupo seguiu com 2 guias...um fica sempre próximo, explicando sobre o glaciar e nos orientando na caminhada e outro vai na frente, verificando qual caminho devemos seguir já que a cada dia a superfície do glaciar muda. No começo, é um pouco difícil andar por causa dos grampões, mas depois você se acostuma. O glaciar é lindo e impressiona tanto pelo tamanho, quanto pelas formações e fendas profundas que se encontram nele. A caminhada no glaciar dura 1h30, até que paramos para brindar com o gelo que o guia tira do glaciar e comer alfajor! *-* Depois disso, voltamos até a margem do lago para tirarmos os grampões e retornarmos ao refúgio para “almoçar”. Nesse tempo livre, podemos subir numa pedra bem alta que fica bem em frente ao glaciar! A vista é maravilhosa e dá até pra ver um pouco de gelo caindo e fazendo aquele barulhão... Após o lanche, pegamos o barco novamente para irmos até as passarelas. Lá tem diversos caminhos para seguir, um mais curto, outro mais longo.... nós demos algumas voltas para ver o glaciar mais de perto e depois voltamos, pois, estávamos um pouco cansados... (Consequência de TDP!rs) Acho que o mini trekking é a opção ideal de passeio, pois, você consegue andar no glaciar num tempo razoável...ou seja, não se torna um passeio cansativo, vendo a mesma coisa por horas! Acho que no Big Ice deve chegar uma hora que enjoa ficar andando no gelo...porque depois daquele primeiro impacto e depois de já ter visto todas as formações de gelo, não tem muito o que ver. O legal desse passeio também, é que você consegue ver o glaciar de vários ângulos, no trekking , no barco e nas passarelas. Vale muito a pena!! Após o passeio, pegamos o ônibus de volta à cidade! Quando chegamos ao hostel, confirmaram que não tinha vaga para aquela noite. O pessoal foi super prestativo mais uma vez e entrou em contato com os hostels próximos para verificar onde poderíamos ficar. Efetuamos o pagamento da nossa diária e fomos até o outro hostel, que ficava na rua de trás, o Marcopolo Inn http://marcopoloinncalafate.com/index.php/hostel-calafate-english/ . Esse hostel é mais tradicional, ambiente familiar.. alguns quartos ficam na parte externa do hostel, como se fossem casas. Ficamos numa dessas “casas”, num quarto com 8 camas, se não me engano! São 2 camas no andar de baixo, tem também 1 sofá, 1 mesa, 1 banheiro e 1 frigobar! No andar de cima, são outras camas e armários. A estrutura dele é boa, mas é mais velha....dá pra notar que é uma construção antiga e simples! O chuveiro é bom e quente, mas foi o único hostel que não forneceu toalha!! Tem que pagar por cada toalha utilizada...sorte que levamos as nossas...rs Perto da recepção, tem um espaço bem grande com várias mesas, como se fosse um restaurante. Ao lado desse espaço tem a cozinha.... que não agradou tanto...rs Estava tudo bem bagunçado e o fogão não funcionava muito bem...não tinha muitas panelas disponíveis, então se tinha 1 pessoa cozinhando, você ficava praticamente sem ter onde e com o que cozinhar... Acho que foi a única coisa que não gostamos... Nesse dia, já deixamos nossa diária paga (140 pesos/ pessoa) e as coisas arrumadas, para pegarmos o ônibus às 8h no dia seguinte. Passeamos um pouco pela cidade e encontramos uma lojinha linda de alfajores artesanais pertinho do hostel!! Faço questão de comentar sobre essa loja, porque o menino que atendeu a gente nos deixou encantados!!rs A loja é uma casinha de madeira e tem fotos desse menino fazendo os alfajores com a família dele! *-* Muito fofos!! Além dele ser meeega educado!!! Nós pedimos uma caixa com vários sabores, para experimentar (São uma delícia, por sinal)... e mais uma outra para trazer... e ele embalou todas cuidadosamente!! Ficamos realmente encantados com o carinho que ele tem pelo produto e a educação no atendimento!! O nome da loja é Koonek, fica na Coronel Rosales, 28. Se for pra El Calafate, não deixe de passar lá!!! 01/12/2013 EL CALAFATE – EL CHALTÉN Nesse dia acordamos e tomamos café no hostel, que por sinal não é muito bom! É bem fraquinho... Solicitamos um táxi para nos levar até a rodoviária e lá trocamos o voucher fornecido no hostel, por nossas passagens. A viagem até El Chaltén dura umas 3h30 e a estrada é muito bonita. Ao chegar à cidade, o ônibus estaciona no Centro de visitantes, onde fornecem um mapa da cidade e passam algumas instruções. Em seguida, retornamos ao ônibus para seguir até a rodoviária, que é super perto. Ao chegar, perguntamos na própria rodoviária onde ficava o hostel Condor de Los Andes e nos entregaram um mapa mais detalhado da cidade, com todos os hostels, comercio, serviços e um mapinha com indicação das trilhas. Como a cidade é bem pequena, chegamos rápido ao hostel, mas tivemos novamente o problema com as malas na rua de terra! Na verdade, rua de pedrinhas... No hostel, tivemos que aguardar um pouco para fazer o check in. Ainda tinha um pessoal saindo dos quartos e eles precisavam fazer o check out. O hostel é bem aconchegante, nós ficamos num quarto com 6 camas. O banheiro com chuveiro fica dentro dos quartos, mas não tem janela! Na verdade tem uma saída de ar para o quarto mesmo...rs O hostel é bem grande, tem vários quartos, não sei dizer ao certo quantos porque tinham outros corredores com mais quartos, onde não fui. A cozinha não é tão grande, mas tem um tamanho razoável... com 2 fogões, 2 pias e 1 geladeira. É bem equipada, várias pessoas conseguem cozinhar ao mesmo tempo. Ao lado da cozinha tem um espaço bom, com várias mesas. Nosso quarto ficou cheio durante todos os dias que passamos lá, o rodízio de pessoas é grande. Sobre El Chaltén não tenho muito o que falar, pois, chegamos mega cansados e só conseguimos fazer 2 trilhas!rs A cidade é uma gracinha, as casas parecem de boneca! E em pouco tempo você consegue conhecer toda a cidade, de tão pequena...rs Nesse primeiro dia não fizemos nada (nenhuma trilha), só organizamos nossas coisas no hostel e passeamos um pouco. Compramos empanadas na Panaderia “Que Rika” (Av. Güemes, 120). Elas são muito boas, compramos mais vezes lá... mas tem pouca variedade e só no último dia, quando não tinha empanada de queijo, a atendente nos indicou outra loja...no começo da Av. San Martin, não lembro o nome mas é uma maravilha! Tem empanada de tudo quanto é sabor!!rs E tem vários outros salgados e doces...além de ser mais barata que a outra loja! Vale a pena passar lá! Nós paramos para comer no restaurante Ahonikenk (Av. Güemes, 23)....e não sei dizer se a foi a fome que eu estava sentindo, mas comi a melhor pizza da minha vida lá!!rsrs Experimentamos a pizza de cordeiro com queijo... não lembro o preço, mas vale a pena pedir!! E sai mais em conta do que cada um pedir um prato ou uma porção... além da pizza ser maravilhosa!!! No hostel, conhecemos nossa colega de quarto, Cindy! Ah, um detalhe... quando estávamos em El Calafate, um menino que estava no nosso quarto tinha acabado de voltar de El Chaltén e nos alertou sobre o sinal de wifi na cidade...rs Ele disse para fazermos tudo o que precisávamos na internet enquanto ainda estávamos em El Calafate, pois, em El Chaltén o sinal só existia na teoria...rs E realmente, tentamos pegar sinal dentro do hostel, dentro de restaurantes e nada! Então, repasso a dica... se precisarem usar a internet, usem antes de chegar em El Chaltén! Ficamos incomunicáveis lá...rs Tanto é que nesse dia, passamos na agencia da Chaltén travel (Esquina da Av. Güemes com a Lago Del Desierto) para tentarmos comprar nossa passagem de ônibus para El Calafate e talvez o voo para Buenos Aires, mas até a agência estava sem internet!!! Rs Então ele só conseguiu nos mostrar os preços, mas tivemos que voltar no dia seguinte para tentar comprar novamente...rs
  10. Olá mochileiros!! O relato demorou, mas finalmente ficou pronto! Queria muito postar como agradecimento a todas as pessoas que postaram seus relatos e que me ajudaram tanto no planejamento da viagem! Se tiverem qualquer dúvida, estou à disposição!! Afinal de contas, sei que quanto mais a gente pesquisa, mais dúvidas aparecem...rs Muito obrigada Fernanda (fer_liz) e Vitor (VitorFTM) que foram super atenciosos respondendo minhas perguntas !! Espero que minhas informações possam ajudar vocês também! Pra começar, seguem alguns esclarecimentos... *Quanto às roupas, nós levamos nossas roupas normais de frio mesmo! Eu só levei 1 jaqueta impermeável que servia como anorak, por baixo usei blusa de lã ou uma outra tipo fleece que eu já tinha. Mas calça eu tive que comprar em Ushuaia... comprei uma da Salomon, que era aparentemente fina mas o forro dela era tão quente que não precisei usar nenhuma camada por baixo. O Du comprou uma calça em Ushuaia também, um anorak, um fleece e uma segunda pele. Nós gostamos das roupas da loja Montagne (San Martin, 823 – Ushuaia) e da Popper (San Martin, 740 – Ushuaia). Nossas botas nós já tínhamos comprado em Santiago – Chile, aproveitamos a viagem para comprar, pois vimos que lá estava bem mais barato. A marca é Scarpa, modelo Kailash GTX: http://cl.tatoo.ws/catalog/article?id=4196&cid=167. Essa bota é maravilhosa! Nunca machucou nossos pés... nem no começo, tampouco depois de um dia inteiro de trekking em Torres Del Paine! Além de não passar nem uma gota de água mesmo pisando num rio! Ela está aprovadíssima! *Referente ao dinheiro, levamos tudo em Real e fomos trocando em cada lugar, conforme a necessidade. Levamos o dinheiro numa bolsa amarrada na cintura. Essa bolsinha vende na Decathlon: http://www.decathlon.com.br/eletronicos-e-acessorios-37769/mochilas--bolsas-e-malas-37771/acessorios-37789/bolsa-de-cintura-newfeel_30860?chosen=bege . Achamos essa bolsa bem útil, segura e prática! Só no fim da viagem que usamos o cartão de crédito para comprar passagens de avião, o resto foi tudo em dinheiro mesmo. Roteiro: 15/11/2013 – Vôo SP – Buenos Aires (Ezeiza) 16/11/2013 – Vôo Buenos Aires (Ezeiza) – Ushuaia 17/11/2013 – Ushuaia 18/11/2013 – Ushuaia 19/11/2013 – Ushuaia 20/11/2013 – Ushuaia 21/11/2013 – Ushuaia 22/11/2013 – Onibus Ushuaia – Punta Arenas 23/11/2013 – Onibus Punta Arenas – Puerto Natales 24/11/2013 – Puerto Natales – Torres Del Paine 25/11/2013 – Torres Del Paine 26/11/2013 – Torres Del Paine 27/11/2013 – Torres Del Paine 28/11/2013 – Torres Del Paine – Puerto Natales 29/11/2013 – Puerto Natales – El Calafate 30/11/2013 – El Calafate 01/12/2013 – El Calafate – El Chaltén 02/12/2013 – El Chaltén 03/12/2013 – El Chaltén 04/12/2013 – El Chaltén – El Calafate (Aeroporto) – Buenos Aires (Aeroparque J. Newbery) 05/12/2013 – Buenos Aires 06/12/2013 – Buenos Aires (Ezeiza) – Puerto Iguazu 07/12/2013 – Puerto Iguazu – Foz do Iguaçu 08/12/2013 – Foz do Iguaçu – Londrina 12/12/2013 – Londrina – São Paulo Nosso vídeo de USHUAIA: Vídeo do W em Torres Del Paine Fizemos o planejamento da viagem durante uns 8 meses.... eu e meu namorado, Eduardo. A ideia inicial era viajar em Maio/2013, mas tivemos que adiar devido a um problema que ele teve no joelho, ele deslocou a patela 1 semana antes da viagem... Com isso, remarcamos para Novembro/2013. Após pesquisar em sites e agencias de viagens, achamos a primeira passagem mais barata no Decolar.com mesmo! Compramos em Setembro, deu tudo certo! Recebemos o bilhete eletrônico por e-mail e a única alteração que eles fizeram até a data da viagem, foi o horário dos voos... mas não mudou muita coisa. A vantagem de comprar antecipado é o valor, que com certeza será mais baixo. E a desvantagem é que eles sempre farão alguma alteração até a data do voo. Nossa passagem ficou R$ 1200,00/pessoa. De Guarulhos a Buenos Aires fomos pela Turkish Airlines. Por sinal, muito bem recomendada!! Era a passagem mais barata e o atendimento é muito bom! A refeição servida no vôo também foi melhor que as outras companhias. Chegamos em Buenos Aires, no aeroporto de Ezeiza.... até pegarmos as malas já era meia-noite! E o nosso próximo vôo seria às 9:40 da manhã! (Fora que saímos de SP com o horário de verão! Então seria 1h a mais de espera...) Tivemos que esperar dentro do aeroporto mesmo... não tínhamos pesos ainda, levamos reais para trocar em Ushuaia... e quando bateu a fome, conseguimos comer no Mc! Eles aceitam reais e te dão o troco em pesos. Esperamos mais um bom tempo na sala de embarque e finalmente partimos pra Ushuaia, pela Aerolíneas Argentinas. Apesar de ter visto muita reclamação deles aqui, não tive nenhum problema no atendimento. Meu único problema foi com o vôo em si...rs Chegando em Ushuaia, pegamos MUITA turbulência!! O avião mexia pra cima, pra baixo e também de um lado pra outro....aff... no final das contas, acabei passando mal bem durante o pouso! Tirando isso, foi tudo bem...rs Ushuaia 16/11/2013 Chegamos em Ushuaia, umas 13h.... estava chovendo e bem frio já! Pegamos um táxi até o hostel... deu 60 pesos (R$ 20,00 na cotação que pegamos). Até brincamos que 60 pesos é o preço fechado de táxi para turista, pois pra qualquer lugar que te levem, dá 60 pesos!rs Ficamos hospedados no Antarctica Hostel (Antartida Argentina, 270 / antarcticahostel.com ). Foi o melhor hostel que ficamos em toda a viagem!! Fiz a reserva por e-mail e não paguei nada antecipado. A diária deles é 120 pesos por pessoa. A estrutura deles é muito boa e completa! O banheiro é bem grande, com vários chuveiros quentes e uma pia grande também! Isso é bom, pois assim você não pega fila pra tomar banho! Tem até um “varal” pra deixar as roupas secando lá dentro (Para peças pequenas que você lava no banho). Eles possuem serviço de lavanderia... você paga uma taxa por cesto de roupa e eles te devolvem as roupas limpas já secas. A cozinha deles também é muito boa, com 2 fogões, várias mesas, uma bancada grande com 2 pias e 2 geladeiras, onde você pode guardar sua comida. Mesmo com várias pessoas cozinhando, você não fica sem espaço. O quarto também é grande, ficamos no dormitório de 6 camas. Tem armário pra guardar as malas, mas você precisa usar seu cadeado. O café da manhã também foi o melhor, bem completo... muito bom!! E eles podem preparar o café mais cedo caso você tenha que sair de madrugada, é só pedir na recepção 1 dia antes! Outra coisa que achei muito legal, é que eles têm serviço médico! Se você precisar de um médico, é só solicitar na recepção e ele vai te atender no hostel mesmo, sem pagar nada! Claro que depende da disponibilidade do médico! Eu por exemplo, solicitei de manhã mas ele só conseguiu vir a noite.. Foi um médico bem atencioso e conseguiu me atender bem....resolveu meu problema!rs Nesse hostel, os quartos ficam numa parte externa, então para ir até a cozinha, banheiros e etc...você precisa passar por esse corredor: Eu não achei ruim, pois nem dá tempo de sentir frio passando ali, mesmo quando está nevando! A única coisa ruim é quando você está com pressa para ir ao banheiro...rs Aí o caminho parece mais longo...Tirando isso, dá pra passar super bem... Nesse dia, só andamos um pouco pela cidade pra comprarmos as roupas que faltavam e trocar dinheiro. Por falar nisso, o lugar que encontramos com a melhor cotação foi uma loja de brinquedos (!!) rs, que eu ACHO que chama “Te Quiero” ... rs...não me lembro bem, mas fica numa esquina no fim da San Martin, lá pelo número 1400, bem perto do mercado La Anonima. Tem vários ursinhos de pelúcia na vitrine. Aproveitamos para passar na Rayen para reservarmos o passeio de 4x4 e a pinguineira. A menina da agencia nos indicou alguns lugares para comer. Acabamos indo ao “Un lugar” (Fica na rua Gob. Deloqui, quase de esquina com a Roca). Lá vende vários salgados...mas não tem mesa pra comer, é só pra retirar! Compramos algumas empanadas e fomos comer no hostel. Eu não gostei das empanadas de lá ... mas pode ser porque eu ainda não estava muito bem do estomago...vale a pena dar uma passada para experimentar, não é caro... apesar de tudo nessa cidade ser muito caro!rs Algumas fotos de Ushuaia: 17/11/2013 GLACIAR MARTIAL Acordamos e fomos ao mercado, para comprar frios, frutas, gatorade.... Tem um mercado La Anonima pertinho do hostel, na rua de cima (Gob. Paz, 190). Depois do café, decidimos ir até o Glaciar Martial. Descemos até o porto, para pegarmos um táxi até lá. Fomos com nossas 2 colegas de quarto (Samantha e Nick) Muito legais!! O táxi novamente deu 60 pesos, até a entrada do glaciar! rs Subimos a pé mesmo, fomos seguindo ao lado do teleférico.. o tempo estava bom, com sol. (Detalhe: Se você sobe a pé, tem que descer a pé também! Pelo teleférico, você tem que comprar bilhete de ida e volta!) Nesse trecho, até a base do glaciar, tem um córrego muito bonito que vai passando ao lado da trilha...tem várias pedras... até que começamos a pegar trechos com gelo. Como foi minha primeira experiência, acabei escorregando um pouquinho...rs Mas dá pra seguir bem... a subida até a base leva de 20 a 30 minutos. Chegando lá, fomos a caminho do mirante da cidade. Lá é bem grande e você consegue ver qual o caminho que todos seguem, então não tem como se perder! Nessa parte tem bastante gelo, subimos em “S” por causa da inclinação da subida. Tem várias placas com recomendações do caminho. Fomos devagar porque a subidinha cansa...rs Mas lá em cima tem uma vista bem legal da cidade e a montanha também é linda!! No meio do caminho, conhecemos um menino de Buenos Aires (Chiqui) que acabou fazendo o resto do passeio com a gente! Ficamos um tempo no mirante, para descansar um pouco.. Ah, como era a primeira vez que eu estava andando no gelo, as meninas quiseram montar um bonequinho de neve!! *-* E ele ficou lá, no meio do caminho... Acho que outras pessoas acabaram tirando fotos com ele também...rs Depois de um tempinho, descemos até a entrada do glaciar (Onde pega o teleférico), para voltarmos à cidade e vimos que não tinha nenhum táxi lá.... esperamos um pouco e nada! Começou a garoar, mas decidimos descer até a cidade a pé, já que não vinha nenhum táxi. Logo no começo da descida, passou um carro 4x4 da agencia Tierra Turismo, ele nos deu carona até a cidade! rs Não fizemos nenhum passeio com essa agencia, porque não conhecíamos, até pegar a carona....rs Mas o motorista era muito legal!! Caso queiram pesquisar os passeios deles: http://www.tierraturismo.com A noite, jantamos com a Nick e a Sam no restaurante Chichos e experimentamos a Merluza negra. A comida é saborosa e o restaurante fica bem próximo ao hostel, na mesma rua, mas perto da San Martin. 18/11/2013 NAVEGAÇÃO NO CANAL DE BEAGLE + TREKKING NA ILHA H Fizemos esse passeio com a empresa Tres Marias http://www.tresmariasweb.com/es/79/isla-h/ , pois, ela é a única que faz o passeio num veleiro (Com até 10 pessoas) pelo canal de Beagle, passando pela Isla Alicia (Onde vemos lobos marinhos e Cormoranes ) e que faz trekking na Isla H. Fiz a reserva por e-mail antes de ir, sem pagar nada antecipado. O passeio custa 500 pesos e lá no porto você paga mais 10 pesos de taxa. Reservamos o passeio das 10h da manhã. O dia estava lindo e a vista da cidade vai ficando cada vez mais linda do oceano. O veleiro balança bastante, então pra quem enjoa como eu, é um pouco ruim só por isso.... mas vale muito a pena fazer esse passeio!!! O guia explicou sobre a flora e a fauna local... e sobre os índios que habitaram a ilha... é tudo muito interessante e a ilha é muito bonita! Enquanto estávamos na ilha, o tempo começou a mudar totalmente e tivemos que vestir as capas de chuva que eles fornecem no veleiro. A volta foi bem legal!! O veleiro vai praticamente deitado na água.. mas tudo sob controle!! Quando voltamos ao porto, a chuva tinha passado e o sol aparecido novamente! Nesse dia, fomos até a agencia Tolkar (Roca, 157) para já comprarmos a passagem de onibus para Punta Arenas. Caso queiram, podem tentar também a agencia COMAPA que fica na Av. San Martin, as duas trabalham com horários e datas diferentes. 19/11/2013 PASSEIO DE 4X4 – LAGOS ESCONDIDO E FAGNANO Esse passeio reservei antes também, por e-mail com a empresa Rayen Aventura http://www.rayenaventura.com/es. Fizemos o pagamento lá na agencia deles, 1 dia antes do passeio. Escolhi o 4x4 sem o Kayak (Porque nunca andei e estava muito frio pra correr o risco de cair na água!rs), ficou 700 pesos por pessoa. O passeio dura o dia todo (Das 08:30 às 17:30), eles te buscam no hostel e te levam de volta. Esse foi o passeio que me causou a maior expectativa! Porém, não tivemos sorte no dia... No outro carro que foi junto com o nosso, tinha um grupo de idosos... então eles fizeram um caminho diferente do que fazem normalmente, para o carro não balançar tanto! Ou seja, acabou com o barato do passeio devido a essa mudança de caminho! No que fizemos não teve nada da aventura que geralmente dizem que tem.... passamos só por uma estrada de terra...com algumas pocinhas de água e pra não dizer que não teve uma passagem mais interessante, quando chegou numa descidinha, eles pediram pra descermos do carro para eles passarem sozinhos! Pois, eles não tinham feito esse caminho ainda, então não sabiam como seria essa descida... O Du falou com o guia e acabou ficando dentro do carro...E mesmo assim não era nada de mais!rs Ou seja, foi mais um passeio na estrada do que qualquer outra coisa... Foi legal quando paramos para ver os lagos... estava um dia lindo, mas bem frio e a vista dos lagos é realmente muito bonita!! No caminho paramos numa estação de ski, que estava fechada por ser verão... então foi uma parada estratégica...caso você queira comprar algo na lanchonete carinha deles...rs Lá dá pra ver os cachorros que puxam trenós no gelo, no inverno A fazenda na qual paramos no fim do passeio para o churrasco, também é legal...tem uma paisagem bonita... O almoço é servido numa casinha dentro da fazenda... eles servem porções de frios, vinho e refrigerante. Depois vem o churrasco ... tudo incluso no valor do passeio! Voltamos meio desanimados pela falta de aventura... mas todo mundo que vai, diz que é bom geralmente.... Infelizmente, no nosso caso não valeu a pena o gasto! 20/11/2013 PARQUE NACIONAL TIERRA DEL FUEGO – SENDA COSTERA Nesse dia compramos no hostel mesmo, o transfer até o parque. Eles solicitam por telefone o transfer que já passa no hostel no horário marcado. Fomos no período da manhã... eles te dão um ticket (da empresa Don Alejo), com o qual você pode pegar qualquer transfer no parque de volta à cidade! (Eles passam em vários horários...) O transfer saiu 150 pesos por pessoa (ida e volta) e a entrada no parque foi 80 pesos por pessoa. Nós paramos na entrada pra efetuar o pagamento e receber o mapa do parque, depois voltamos ao ônibus pra andar mais um pouquinho até a primeira parada, onde é o início da Senda Costera e onde tem o quiosque pra carimbar o passaporte. Se você for fazer outras trilhas, pode ficar no ônibus e seguir adiante. Nós paramos lá mesmo para fazer a Senda Costera....estava nevando muito no dia, mas mesmo assim foi um passeio sensacional! A maior parte do caminho é pela bahia lapataia, mas também andamos muito por dentro do bosque. E isso era o mais legal porque cada vez que a gente saía do bosque, dava de cara com uma paisagem diferente, com cores diferentes... e numa hora estava nevando, depois começava a chover e de repente saía sol! Tinha bastante lama e gelo, escorregava um pouco mas é uma trilha muito legal de fazer!!! Com vistas lindas!! Demoramos bastante pra terminar a trilha... o tempo estimado na placa do parque é de 3h, mas fizemos em 4h e pouco. No fim dela ficamos um pouco confusos, porque não tem nenhuma placa indicando o término... aí perguntamos pra algumas pessoas que estavam lá e a trilha acaba do nada mesmo....rs Ou você segue em frente para fazer as trilhas do setor Lapataia, ou já sai pela direita na estrada para ir até o Centro de visitantes e esperar o transfer, como fizemos! Esse centro de visitantes é bem legal também... tem uma mini exposição sobre os índios Yamanas no andar de cima... e mais acima, você pode sair na sacada e ver o lago! Como estava muuuuito frio lá fora, tiramos algumas fotos e voltamos. Tomamos um chocolate quente (caríssimo ) e esperamos mais um pouco até dar o horário do transfer passar. Mesmo com o tempo ruim vale muito a pena ir até o parque!!! Acho que a neve deixou as paisagens ainda mais bonitas! À noite, perguntamos ao pessoal do hostel onde poderíamos experimentar o cordeiro patagônico e eles nos indicaram o restaurante La Estancia (Fica na Rua Gob. Godoy com a San Martin). Lá é mais caro, mas vale muito a pena!! A comida é deliciosa! É bom chegar cedo pra não ter que esperar por uma mesa, enquanto comíamos o lugar ficou bem movimentado, ao sair vimos que havia fila de espera. 21/11/2013 PINGUINEIRA Compramos esse passeio na Rayen também, pois, ela fez um pacote (com o 4x4) e ficou um pouquinho mais barato. Foi 350 pesos por pessoa e o passeio foi feito pela Piratour, que faz a caminhada na pinguineira da Isla Martillo. Nós chegamos ao porto de manhãzinha e de lá saímos num caminhão adaptado, com a guia. É muito legal!! Primeiro fomos até a Estância Harberton, que é muito bonita e foi o primeiro lugar onde vi gatos na terra do fogo!rsrs Até então só tinha visto aqueles cachorros enoooormes e super bonzinhos que ficam pelas ruas de Ushuaia... Na estância, pegamos um barco até a Isla Martillo, onde os pinguins ficam. É um passeio encantador! São muuuitos pinguins... e você pode andar pertinho deles, seguindo todas as recomendações da guia, claro! A caminhada pela ilha é de 1h... depois retornamos à estância e lá fomos a um museu de aves e mamíferos marinhos da região, bem legal!! Depois disso, voltamos ao “caminhão” a caminho de Ushuaia. E esse trajeto foi mais agitado que o 4x4!! Porque em determinado momento, o caminhão até atravessou um rio!rs Na volta eles param próximo ao porto novamente, então fomos a pé até o hostel... é pertinho e a gente aproveitou pra dar uma olhada na cidade. No meio do caminho paramos para experimentar a Hamburguesa argentina, no restaurante Tante Sara (San Martin, 701). Uma delícia!!!
  11. Carla_Pacífico

    Ushuaia

    Olá!! Obrigada por postar informações atualizadas!! Isso ajuda muito no nosso planejamento!! Mas só a entrada no parque está 270 pesos?? Mesmo para Mercosul?
×
×
  • Criar Novo...