Ir para conteúdo

daninascimento

Membros
  • Total de itens

    11
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Olá povo. Passaremos, eu e marido, uns dias no Chile. Do dia 18/05 a 02/06. Como iremos passar um tempo considerável, utilizaremos vários tipos de pagamento: espécie, débito e crédito. E com o dólar baixando fica melhor ainda. Como está a cotação do real e do dólar?
  2. daninascimento

    Santiago

    Eu e marido, em maio, pela TAM, ida e volta = 40 mil pontos. Taxas, aproximadamente 400 reais.
  3. Amiga, estamos quase no mesmo barco. A ideia é viajar em maio, marido e eu, mas fazer Bolívia e Peru. Sairíamos daqui de Recife para La Paz. Massss e o dólar? Está nas alturas. Tô mega dividida, uma parte de mim quer viajar loucamente, mas outra tá percebendo que não é o momento. Dá para viajar só com real?
  4. Povo, estou pensando seriamente em não viajar mais. Não tenho dólares guardados e comprá-los agora está muito caro!
  5. Também estou indo para esse congresso em Floripa. Mas vi que há um hostel na Praia do Santinho, o Santinho Hostel. Alguém sabe me dizer como é o deslocamento pelas bandas da Praia do Santinho. Estarei sozinha! Valeu mesmo
  6. O Relato está um pouco atrasado, mas vamos lá. Partimos eu, meu marido e minha mãe rumo a Fernando de Noronha para curtir a ressaca do Carnaval. Moramos em Recife, assim pegamos o voo na quarta-feira de cinza. Para aqueles que não pagaram a taxa de preservação pela internet, os comissários no avião entregam um folheto que você preenche, assim já adianta um pouco na hora de realizar o pagamento que pode ser pago à vista ou pelo cartão. A pousada ficou de nos pegar no aeroporto, esquema bem comum lá. Ficamos na Pousada Leão Marinho, localizada na Floresta Nova. Acho importante esclarecer o seguinte: o esquema de Noronha, para nós pobres mortais, é bem simples, pousadas limpas, mas sem luxos, café da manhã honesto, mas nada extraordinário. Nossa programação foi: Na quarta, um breve reconhecimento da área, então fomos até a Praia do Meio que fica pertinho e é bem acessível.Voltamos e comemos no Flamboyant. Bem legal, preço honesto e comida boa. Voltamos e fechamos com o pessoal da pousada o Tour a Ilha. Na quinta, bem cedo saímos em direção à praça Flamboyant para fazermos nossa carteira para entrarmos no parque( R$ 75,00 por pessoa). Fizemos o passeio numa 4x4. Acho interessante esse passeio porque ele dá uma noção legal de Noronha. Assim você fica um pouquinho em cada lugar e depois pode voltar com mais tempo depois. Esse passeio é o dia todo, então você vai sair cedinho e voltar lá pras 19. Na sexta, sábado e domingo, alugamos um bugue e voltamos às praias que mais gostamos e aquelas que o passeio não descer até lá, como Sancho, Conceição, Boldró, Sueste, Porto, Ponta de Caracas, Leão, Mirante Dois Irmãos, Cacimba do Padre. No domingo meu marido foi mergulhar e adorou. Dicas: Levem protetor solar, muito. Somos de uma cidade quente e com sol, mas em Noronha é diferente. O sol queima mesmo e como tem muito vento sente-se pouco; Roupas leves, chapéus, óculos de sol. Cuidado com roupas claras, porque os caminhos são de estrada de barro e pedra, sobe aquela poeira e nunca mais sai da roupa. Até agora minha blusa está manchada. Leve mochila, pois haverá momentos em que as mãos deverão ficar livres. Levamos comida do continente, pois já sabíamos que lá era caro. Então levamos algumas frutas, água, sucos, biscoitos, barra de cereal. Levamos também nossa bolsa térmica. Nosso esquema lá foi bem farofeiro. Nos dias em que ficamos com o bugue, passávamos no Mercadinho Breakfeast, que fica numa ruazinha na praça principal na Vila dos Remédios, abastecíamos a bolsa com cerveja, gelo e água e pegávamos a estrada. Na praia estendíamos uma canga e tudo certo. Fizemos isso e foi muito bom, porque há praias que não tem absolutamente nada e ninguém. Fomos no Sancho depois das 15 horas e havia apenas 5 pessoas na praia. Bom demais!!!! Por outro lado, nas praias em que há alguma estrutura, como a da Conceição, um cerveja heineken é 10 reais e um suco de lata é 7. No mercadinho comprávamos por 5 reais e ainda no cartão de crédito. Dá pra dar uma economizada na alimentação também. Almoçamos na Marmita do Valdênio por 20 reais o prato feito. Como sabia que vinha muito, deu para eu e minha mãe o almoço. Também tem um barzinho/sorveteria/lanchonete/farmácia na frente da praça que vende sopa e cuscuz com preços bem legais e são gostosos. Há também o Empório São Miguel na praça Flamboyant com self-service a preço legal. Quem não quiser alugar um bugue (pagamos 120 a diária, fora a gasolina) dá para andar no ônibus da ilha que é 3,50 a passagem ou ainda pegar um carona que também é bem comum por lá( nós mesmos demos carona). Quem puder fazer o mergulho faça. Meu marido fez pela Atlantis Divers e adorou. Eu não fiz porque estava gripada. Enfim Noronha é lindaaaaa!!!! Vale muito a pena conhecer, mas é um lugar caro. Se você gosta de viagens confortáveis na qual você faz compras ao final, Noronha não é o lugar! Vá com disposição para andar muito, pegar sol, sentir calor, ver paisagens lindas e deslumbrantes, mar com um azul fantástico, cristalino e areias limpíssimas. E leve uma máquina legal.
  7. Tem caixa eletrônico. Do BB, da CAIXA e do Bradesco. Não ficam juntos. Não sei se tem 24 hs, não lembro de ter visto.
  8. Olá galera!! Passei o último final de semana em Morro de São Paulo. Saímos, marido e eu, na sexta(25-10) e voltamos hoje( 29/10). Contar para vocês um pouquinho da aventura. De cara a Gol resolveu nos boicotar e atrasar nosso voo, que marcado para as 06:25h, só saiu às 08:35 de Recife rumo à Salvador. Beleza, bora lá. De REC para SSA são 60 min. Chegamos em SSA às 09:40. E partimos para a parada de ônibus que fica no aeroporto. Nessa hora, nada de cair na conversa dos taxistas não credenciados. Ou pega um táxi credenciado ou não pega! Pegamos Praça da Sé(R$ 2,80), não tem erro. Ele anda meia Salvador, mas no final da linha, você fica a 500m do Elevador Lacerda. Desceu, lá vai estar o Terminal Marítimo a sua frente. Pronto, compramos a passagem( R$75,50 cada), tomei Dramin( muito) e esperamos o Catamarã das 14 hs. Sinceramente, essa é a parte chata da viagem, o bicho balança e muito, então fui preparada psicologicamente para passar mal, porque fico tonta fácil, ,as duas coisas me ajudaram: o catamarã da ida era do grandão( balança um pouco menos) e tomei muito dramin, a ponto de praticamente desmaiar a viagem toda( quase 3 hs). Chegando lá, você se depara com uma paisagem incrível que te faz esquecer de tudo. Como fomos com mochila e ficamos na vila, não contratamos serviço de táxi (carrinhos de mão, não vi um carro em MSP). Ficamos na Pousada Bizu Beach, confortável, limpa, sem luxos. Percebi que quem quiser um luxo maior terá que ir para as hospedagens da 2ª praia em diante. Na vila, as hospedagens são mais simples. Então, na sexta basicamente chegamos às 17 hs, partimos para um reconhecimento rápido, comemos algo e fomos dormir cedo. No sábado, fizemos o passeio de Volta à Ilha. Muito bom!!! São R$60,00 por pessoa, mas que valem muito à pena. Saímos às 10 hs e só voltamos às 18h. Piscinas naturais, bar do Guido( lagosta ótima), trilha por Boibepa, Rio do Inferno, Canavieiras( ostras) por todos esses lugares passamos. Vale lembrar que é legal levar dinheiro, porque em muitos desses lugares não há pagamento em cartão. De volta à MSP, nos restou descansar um pouco e jantar. No domingo, saímos andando da Vila até o início da 5ª praia. Mais ou menos 2:30 de caminhada, mas também pode-se pegar uma charrete, ou ainda alugar um bike. Preferimos ir a pé. Foi cansativo, mas a vista de um coqueiral sem fim ladeado por um mar ora azul ora verde turquesa compensaram, na volta paramos no Bar da Piscina, no início da 4ª praia, e comemos a moqueca de lagosta com polvo mais sensacional de todos os tempos! Ficamos por ali, esperamos a maré baixar. Fomos às piscinas, alugamos um snorkel( R$ 10,00) e ficamos curtindo. No final da tarde, o rumo foi a Toca do Morcego, local bem badalado para ver o pôr-do-sol. Sinceramente não gostei da toca, para começar pagamos R$ 5/pessoa para entrar, fomos para um mesinha e quando olhamos o cardápio me deparei com uma long neck a R$ 8,00 e um copo de suco pelo mesmo valor. Depois vem aquele batalhão de gente cada um com sua máquina ultra-potente para filmar/fotografar o pôr-do-sol e você que quer só curtir o momento não viu nada! Sem contar no barulho. Pode ser chatice minha, mas penso assim: tirar um fotinha para registrar beleza, mas ver TODO o momento por meio de uma lente? Assim vejo na net! Enfim, ficamos pouco lá, e ainda arrumamos tempo de ir para um mirante de fica mais acima( esse sim, o lugar para ver o pôr-do-sol. Quando digo mais acima, é porque para chegar na Toca é necessário subir uns degraus e para chegar a esse Mirante que fica à esquerda do Farol, subimos muitos, muitos degraus! À noite, subir e descer pela vila. Na segunda, foi leve, ida ao Mirante da Tirolesa e depois um pouco na 2ª praia. Onze horas, fechar a conta na pousada e esperar o Catamarã e meu calvário começou aqui. Esse era menor, logo balançava muito, muito. Nem com todo o Dramin tomado, deixei de enjoar, até marido que normalmente não enjoa, ficou mareado. Foram mais de 3 horas nessa beleza! Acho que quase todo mundo enjoou. Como nosso voo era apenas hoje (29/10) pela manhã, escolhemos ficar no Hostel Laranjeiras, no Pelourinho. Super recomendo, muito bom. Hoje pela manhã foi pegar o ônibus na Praça da Sé e voltar para casa. Foi um ida curtinha, mas valeu muito. Morro é um lugar lindo!!! Daqueles inesquecíveis mesmo.
×
×
  • Criar Novo...