Ir para conteúdo

camilascosta

Membros
  • Total de itens

    69
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que camilascosta postou

  1. Que relato excelente (e as fotos...!)! Parabéns! Estou pensando em mesclar o roteiro fechado com carro privado da Namaste India Tours (Rajasthan Legacy Tour de 15 noites) com parte da viagem que vocês fizeram. Inicialmente o roteiro seria assim: 1 - Ida 2 - Délhi 3 - Délhi 4 - Délhi – Jhunjhunu 5 - Jhunjhunu – Bikaner 6 - Bikaner 7 - Bikaner - Jaisalmer 8 - Jaisalmer 9 - Jaisalmer – Jodhpur 10 - Jodhpur - Udaipur 11 - Udaipur 12 - Udaipur – Pushkar 13 - Pushkar - Jaipur 14 - Jaipur 15 - Jaipur - Agra 16 - Agra 17 - Agra, Mathura, Vrindavam - Khajuraho 18 - Khajuraho - Varanasi 19 - Varanasi 20 - Varanasi - Amristar 21 - Amristar 22 - Amristar 23 - McLeod Ganj 24 - McLeod Ganj 25 - McLeod Ganj - Rishikeshi 26 - Rishikeshi 27 - Rishikeshi 28 - Rishikeshi – Délhi 29 - Volta Pitacos?
  2. camilascosta

    Anorak

    Gesiel, muito bem colocado, o caminho é esse mesmo. Só queria saber qual é o material mais adequado pra fazer essa cola, e se é fácil achar. Minha mãe precisou colar uma calça impermeável dela que rasgou e usou cola de tecido. Aparentemente ficou ok porém ela não usou de verdade ainda, não sei se a cola é eficiente nesse tipo de tecido. O que acha? Talvez eu aposte na cola de sapateiro mesmo e deixe as ruguinhas pra lá rsrs
  3. camilascosta

    Anorak

    Olhem as fotos. A parte onde mais soltou a cola também está "descosturando" Levei numa costureira que disse que poderia colocar a cola de sapateiro mas que acha que o material "enrugaria". Alguém já tentou isso?
  4. camilascosta

    Anorak

    A Beta AR da Arcteryx está "descosturando" (perdendo a cola) nas laterais que cobrem o elástico Alguém sabe como consertar isso? Que tipo de cola se usa?
  5. A jaqueta da Arc'teryx começou a "descosturar" (perder a cola) nas laterais que envolvem o elástico. Alguém sabe como consertar isso? Que tipo de cola dá pra usar?
  6. Rodrigo, ainda não, mas posso fazer. Em breve posto aqui. Tenho também a planilha que montamos com gastos e contatos desse roteiro. Se quiser posso te enviar por email.
  7. Fui pela Avianca mas já estava com o visto, que providenciei no consulado de Cuba aqui em Salvador. Mesmo que não tenha o consulado na sua cidade, acho que vc consegue adquirir o visto recebendo pelos correios. Tente ligar pra algum consulado pra confirmar.
  8. Priscylla, 70 CUC/pessoa/dia, fora as passagens (avião e ônibus).
  9. camilascosta

    Cusco e Valle Sagrado

    Galera, Acabamos montando o seguinte roteiro para fazer em agosto: Dia 1 - Chegada em Lima às 7:15. Passeio pela cidade. Dia 2 - Passeios em Lima. Dia 3 - Saída às 6:30 de Lima com Cruz del Sur, chegando 10:50 em Ica. Tour privado pelas bodegas ou Cachice com transfer até hotel em Huacachina. Passeio de buggy. Pernoite em Huacachina. Dia 4 - Bate volta Ilhas Ballestas e Reserva Paracas saindo de Huacachina. Cruz del Sur às 21:15 para Nazca, chegando 23:20. Pernoite em Nazca. Dia 5 - Tour privado com sobrevoo sobre as linhas de Nazca, aquedutos Cantayoc, cemitério Chauchila e pirâmides Cahuachi. Cruz del Sur às 22:00 para Arequipa. Dia 6 - Chegada em Arequipa às 7:30. Passeio pela cidade. Dia 7 - Tour de 1 dia pelo Vale del Colca. Pernoite em Arequipa. Dia 8 - Cruz del Sur às 8:00 chegando às 14:30 em Puno. Passeio privado para Sillustani (porque os horários dos tours regulares começam mais cedo). Pernoite em Puno. Dia 9 - Passeio de dia inteiro Uros + Taquille. Cruz del Sur às 22h para Cuzco. Dia 10 - Chegada em Cuzco às 4:30. Passeio pela cidade. Dia 11 - "City tour" privado. Dia 12 - Valle Sagrado Sul. Dia 13 - Valle Sagrado. Dia 14 - Tour salineras de Maras e ruínas Moray privado, nos deixando em Ollantaytambo para pegarmos trem às 15:37 para Águas Calientes. Pernoite em Águas Calientes. Dia 15 - Subida no primeiro ônibus para Machu Picchu. Trem de 16:43 para Cuzco, chegando às 20:23. Pernoite em Cuzco. Dia 16 - Voo de Cuzco às 5:25 para Brasil. Pitacos? Tem como distribuir melhor os dias? Alguém recomenda com quem fazer os tours privados em Cuzco? E nas outras cidades?
  10. Oi, galera! Vamos ao Peru em agosto/2015. Depois de muito ler os relatos daqui do fórum, montamos o seguinte roteiro: Dia 1 - Chegada em Lima às 7:15. Passeio pela cidade. Dia 2 - Passeios em Lima. Dia 3 - Saída às 6:30 de Lima com Cruz del Sur, chegando 10:50 em Ica. Tour privado pelas bodegas ou Cachice com transfer até hotel em Huacachina. Passeio de buggy. Pernoite em Huacachina. Dia 4 - Bate volta Ilhas Ballestas e Reserva Paracas saindo de Huacachina. Cruz del Sur às 21:15 para Nazca, chegando 23:20. Pernoite em Nazca. Dia 5 - Tour privado com sobrevoo sobre as linhas de Nazca, aquedutos Cantayoc, cemitério Chauchila e pirâmides Cahuachi. Cruz del Sur às 22:00 para Arequipa. Dia 6 - Chegada em Arequipa às 7:30. Passeio pela cidade. Dia 7 - Tour de 1 dia pelo Vale del Colca. Pernoite em Arequipa. Dia 8 - Cruz del Sur às 8:00 chegando às 14:30 em Puno. Passeio privado para Sillustani (porque os horários dos tours regulares começam mais cedo). Pernoite em Puno. Dia 9 - Passeio de dia inteiro Uros + Taquille. Cruz del Sur às 22h para Cuzco. Dia 10 - Chegada em Cuzco às 4:30. Passeio pela cidade. Dia 11 - "City tour" privado. Dia 12 - Valle Sagrado Sul. Dia 13 - Valle Sagrado. Dia 14 - Tour salineras de Maras e ruínas Moray privado, nos deixando em Ollantaytambo para pegarmos trem às 15:37 para Águas Calientes. Pernoite em Águas Calientes. Dia 15 - Subida no primeiro ônibus para Machu Picchu. Trem de 16:43 para Cuzco, chegando às 20:23. Pernoite em Cuzco. Dia 16 - Voo de Cuzco às 5:25 para Brasil. Pitacos? Tem como distribuir melhor os dias? Alguém recomenda com quem fazer os tours privados em Cuzco? E nas outras cidades?
  11. Rafael, a Viazul faz Habana - Playa Giron, saindo 7h e chegando 10h30, 13 dólares. Olha lá no site. Esse ponto da Playa Giron fica próximo ao museu, a várias casas particulares, ao hotel e a uma praia que achamos bem sem graça. Mas acredito que deve ser fácil se locomover por lá pra chegar em pontos mais bonitos de praia (inclusive daquele próximo a Cueva de los peces). Pagamos entre 50 e 60 CUC pelo dia inteiro de Cienfuegos a Giron e redondezas. Fomos com Quico.
  12. camilascosta

    Cusco e Valle Sagrado

    Pedrada, acho que a volta é no resgate rsrs Quanto a Ollanta: como é o tempo que os tours ficam por lá? Chegam a passar por todas as ruínas interessantes? Estamos pensando em só conhecer Ollanta pelo tour mas pelo visto é muitointeressante pra isso.
  13. Opa, não tinha visto ainda que esse relato tinha virado um tópico! Aqui vão algumas fotos, galera! Alexandre, ficamos numa média de 70 CUC/pessoa lá, sendo que já havíamos comprado nossas passagens da Viazul daqui do Brasil. Mas lembrando que isso depende demais dos hábitos de cada um...
  14. camilascosta

    Cusco e Valle Sagrado

    Galera, alguém já fez Moray/Maras de bicicleta? Vi aqui: http://www.machupicchuperu.net/biking-por-maras-moray-salineras-1-dia por 55 USD/pessoa. Queria saber se há outras agências ofertando esse passeio, quanto custa mais ou menos contratando por lá, se o caminho é muito puxado...
  15. camilascosta

    Arequipa

    Alguém tem experiência recente em Arequipa com o passeio ao Colca em um dia? Sendo um tour tão "corrido", gostaríamos de já ter noção das agências que oferecem um bom serviço, bom guia...
  16. Rafael, Legal seu roteiro. Só uma pergunta: vc já tem noção do que vai fazer em cada dia em cada local, e em quais dias vc vai fazer os deslocamentos? Tenta já rascunhar isso, pq assim vc consegue ajustar melhor as noites que vai passar em cada cidade. Lembre que os dias com deslocamento tem muitas "horas" perdidas. Os táxis particulares (ou carros alugados) otimizam isso pq vc pode aproveitar o caminho para fazer algumas paradas e conhecer alguns lugares. Pelo que a maioria relata por aqui, Santa Clara, por exemplo, não tem muitos atrativos. Nós passamos uma manhã inteira lá e foi realmente suficiente pra conhecer tudo com calma (Memorial, Museu Che, Trem Blindado, centro, visita guiada no Teatro). Nosso esquema Cienfuegos - Santa Clara - El Nicho - Trinidad no táxi particular com Quico acho que foi ótimo. Se vc ainda quiser conhecer Girón, sugiro fazer Havana - Cienfuegos - Trinidad (com dia inteiro saindo de Cienfuegos para Girón e no dia de ir para Trinidad desviando o caminho para Santa Clara em táxi). Quanto a Baracoa antes ou depois de Santiago acho que não tem muito problema, afinal vc passa por Santiago na ida a Baracoa mas também na volta. Quanto ao dinheiro, depende muito dos seus hábitos, claro. Nós ficamos com uma conta de mais ou menos 70 CUC/dia para cada, sendo que já havíamos comprado as passagens da Viazul daqui e procuramos almoçar e jantar sempre em locais baratos, comendo mais massas e às vezes dividindo pratos (comemos pouco), sem tomar bebida alcóolica. Sugiro que monte uma planilha com gastos mais ou menos "certos": hospedagem, deslocamentos, mergulhos, passeios.
  17. Oi, galera! Alguém com informações mais recentes sobre essa trilha curta? Cheguei a tentar fazer uma cotação com a agência Fabulous Tours mas me disseram que os ingressos para o mês de setembro/15 já estão esgotados... Estou arrasada! Há agências peruanas que ficam com "estoque" de ingresso pra poder vender em pacotes? Valeu!!!
  18. Galera, Queria fazer a trilha curta (2d/1n) em setembro/15 mas uma agência (Fabulous Tour) me respondeu dizendo que já está esgotada para todo mês de setembro... Alguém conhece alguma agência que tenha os ingressos em "estoque"? Estou arrasada de não poder fazer nem esse trechinho da trilha.
  19. Valeu, Daniel. A gente já queria chegar lá tendo noção de quais agências valem a pena, tanto pra não perder muito tempo procurando informações em várias, como também pra evitar acabar fechando com qualquer uma e ter uma experiência ruim.
  20. Oi, galera! Tô vendo que a maioria aqui fez o passeio de 2 ou 3 dias... Nós queremos fazê-lo em apenas 1 dia. Alguém que fez assim indica uma boa agência? Valeu!!!
  21. Rafael, Desculpe a demora em responder. 1) Acho que os 100 euros/dia que Pedrada falou deve dar. Mas leve também seus cartões desbloqueados para uso e saque, para emergências ou algum "luxo" a mais que você queira se dar. hehe 2) Em Girón havia vida marinha mas não tanta como acho que haveria nos outros lugares que havíamos planejado de ir. Ancón é super perto de Trinidad, que tem vários outros atrativos, então acho que vale incluir. Camaguey, a depender do seu roteiro, pode ficar fora de caminho. Além do mais, Santa Lucia não está tão perto. Veja se você tem mesmo interesse de ir para Camaguey. Há outros pontos de mergulho mais reconhecidos (Maria la Gorda, Isla de la Juventud, Jardines de la Reina), que nós não incluímos no nosso roteiro porque não casava com o que queríamos conhecer "em terra", ou porque era muito caro pra chegar no lugar (caso das ilhas). 3) Segue telefone de Boris, motorista que nos levou a Viñales: (537) 8335380, e aqui está o contato de Ana, a dona da casa que aluga quartos em Havana e que nos indicou ele: [email protected] Já relatamos pra ela a parte "chata" que ocorreu com a gente, pra que se evite que ocorra com outros. Não temos o contato direto de Quico, mas de quem nos recomendou ele: Martha Peña (+53 43 525477), cuja casa em Cienfuegos reservamos por meio do bbinnvinales.com. Por sinal, usamos este site e o cubaaccomodation.com para reservar as casas e deu tudo certo. Gostamos mais do atendimento do bbinnvinales.com. 4) Esses trechos fizemos de Viazul. Como eu disse no outro post, acho que o tempo que passamos em cada cidade foi legal. Com um dia a mais em Trinidad, teríamso feito um passeio a Topes de Collantes, com outro dia a mais em Baracoa teríamos subido o Yunque, com mais dias em Havana poderíamos ter desbravado bem mais a cidade. Monta seu roteiro já pensando no que vai fazer em cada dia, pra decidir por uma ou outra coisa. Depois posta aqui pra gente dar os "pitacos" também!
  22. Galera, nossa viagem correu super bem!! Obrigada a todos que compartilharam suas experiências aqui! Segue abaixo mais ou menos o resumo da nossa: Dia 1: Chegada em Havana às 16h - Ficamos na Ventilada, que adoramos! Li alguns relatos mais recentes pelo fórum de pessoas que acharam os donos meio interesseiros. Não tivemos essa impressão. Eles não chegaram a nos oferecer nada nem a indicar ninguém para passeios. Das casas que ficamos, foi a que menos parecia uma agência de turismo (não que funcionar como uma agência de turismo em Cuba seja necessariamente ruim. É uma mão na roda, às vezes). Num dia que achamos que precisaríamos ir ao bairro de Miramar para resolver um problema com a reserva de um passeio de mergulho, Ariel se ofereceu a ir com a gente (ele tb precisava ir naquela semana a Miramar), em uma "máquina", para que pudéssemos pagar algo em torno de 20 monedas nacionales, em vez dos vários CUCs que nos cobrariam em qualquer taxi por sermos turistas. Pelo que nos chegaram a cobrar nos dias seguintes em trechos bem menores, isso me pareceu muito honesto. Bom, mas como chegamos à noite na casa, passando por ruas que ainda estão em obras de pavimentação e infraestrutura, ficamos com uma primeira impressão "mais ou menos" da Habana Vieja, tivemos receio de sair andando pela cidade e resolvemos jantar na casa. Comida legal, mas preferiríamos mesmo ter tido mais coragem e aproveitado uma noite a mais na Habana Vieja, que, podem confiar, é segura e maravilhosa. Ao andar pelo bairro no dia seguinte, nos sentimos bem bestas por ter tido aquele receio. Eles têm uma estrutura que nos surpreendeu. Mesmo depois de ler tantos relatos, tanta coisa nos pegou de surpresa por lá. Mas foi ótimo assim, descobrir Cuba... Dia 2: Havana: O dia inteiro pela Habana Vieja, suas plazas. Uma das primeiras que conhecemos foi a Plaza Vieja, e, ao andar por ali e subir à torre da Camara Oscura, nos apaixonamos por Havana. Várias crianças correndo, brincando, um clima tão gostoso... No fim da tarde, passeio pelo Malecon... Que saudade daquilo ali! O pôr-do-sol é lindo em Havana (nos vários dias, vimos dali do Malecon e também do Castillo del Morro). Dia 3: Havana: Dia inteiro por Centro-Havana, dando pra conhecer com calma o Museu da Revolução. No fim da tarde, Malecon e então Habana Vieja. Dia 4: Havana: Fizemos um bate-volta a Viñales, com um taxista particular que já havíamos reservado desde o Brasil, por meio de outra casa particular (citada pelo blog 1000dias como uma casa-agência). Havíamos solicitado fazer um passeio passando pelo Valle, mural da Pré-História, Cueva San Miguel, Cueva del Índio e Cueva San Tomás. A dona da casa disse que entrou em contato com o taxista e que estava tudo confirmado, que daria tempo tranquilo de fazermos tudo em um dia. Havíamos pesquisado também o tour da Cubatur, só que este não incluia a Cueva San Tomás. Como o preço do taxista era menor, e teríamos mais flexibilidade e privacidade com ele, decidimos fazer a reserva do taxi. Acabou que não conhecemos a Cueva San Tomás pq o taxista não sabia nem onde ficava (ou pelo menos fingiu isso, já que ele primeiro nos disse que não poderíamos ir a esta Cueva pq teríamos que passar por uma estrada péssima para chegar nela, e, depois de uma pequena discussão em que eu disse que comentaria o fato com a dona da casa que nos indicou ele, horas depois nos disse que havia se enganado e que poderíamos sim ir à Cueva). Acabamos indo depois de todos os passeios, e chegamos uns 30min após o encerramento da bilheteria (ele parecia surpreso com o horário). No fim das contas, o dia foi ótimo, mas não gostamos de ter perdido de conhecer a Cueva San Tomás. Com um planejamento melhor, dá sim pra fazer tudo num dia, e de maneira tranquila! Não nos arrependemos de não ter dormido por lá, mas pensamos que, se não era pra conhecer a San Tomás, talvez tivesse sido melhor contratar a Cubatur. Vale ressaltar que não temos horror absoluto a tours com agências, como alguns têm hehe Acho que há casos e casos. Na viagem, acabamos fazendo dois passeios com ela e achamos ótimas as experiências, sem correrias, mas com organização e guias muito bons. Isso faz a diferença. E, no fim das contas, o preço vale a pena, considerando que as entradas e os (bons!) guias já estão inclusos. Dia 5: Havana (8:15) - Cienfuegos (13:00): Ficamos na casa de Martha Peña. Ótima casa, ótima anfitriã. Passeamos pelo centro histórico e pelo bairro de Punta Gorda, onde vimos o pôr-do-sol... Lindo! Dia 6: Cienfuegos: Contratamos um taxista particular, chamado Quico (ótimo!!!), para este dia e o próximo, recomendado por Martha. Neste dia, fizemos um roteiro até a Playa Girón, passando pela reserva de Guamá, onde tem os crocodilos (bonito passeio, com uma estrutura bem pra "turista", mas não é essencial). O ponto alto do dia certamente foi Girón... impressionante! Fiz o mergulho de cilindro na praia que fica do outro lado da Cueva de los Peces... que lugar, que mar, que azul! Basta descer uns degraus nas pedras (a praia não tem faixa de areia) e o mergulho já começa... Achei mais impressionante que a própria Cueva (onde só fiz snorkeling). Foi o mais "Caribe" que conhecemos em toda a ilha. Lindo! Dia 7: Cienfuegos - Santa Clara - Nicho - Trinidad: Saímos cedo de Cienfuegos rumo a Santa Clara. Conhecemos o memorial, o museu de Che e o museu do Trem Blindado com bastante calma. Acho que conhecer esses museus faz parte do passeio por Cuba, pra ver como é a forma que eles tratam da própria história... e que tiremos nossas próprias conclusões. Ainda passeamos pelo centro da cidade, por onde almoçamos. De lá, fomos ao rancho del Nicho... mais um lugar espetacular! As águas cristalinas super geladas, mas deliciosas para banho! Ficamos a tarde por lá, curtindo cada poça, até que no fim do dia fomos pra Trinidad. Achei esse roteiro super otimizado, com tempo suficiente pra não só conhecer como curtir cada lugar. Em Trinidad ainda deu tempo de curtir o fim do dia e a noite. Por sinal, passamos nossas 3 noites de forma incrível lá, entre as Casas de la Música e de la Trova. Ficamos no Hostal Las Margaritas. De todas as casas que ficamos, foi a que mais parecia "profissional". Linda casa, ótimo quarto, parecendo realmente uma pousada (o que pode ser bom ou ruim para um ou para outro). Dia 8: Trinidad: Fomos cedo à Playa Ancon pra mergulharmos, mas acabou não dando certo (havíamos reservado batismos pq ainda não temos a certificação, mas só havia um instrutor no centro que nos disse que naquele dia não poderia fazer batismo). Fomos então curtir a praia e lá decidimos fazer um passeio de barco para snorkeling nos arrecifes. Voltamos no fim da manhã pra Trinidad e passamos o resto do dia visitando os museus e passeando pela cidade, que é muito muito muito agradável. Dia 9: Trinidad: Fizemos o passeio de trem ao Valle de los Ingenios (a forma mais barata de conhecer o vale). É um passeio super calmo, bonito, mas bem montado pra "turista" tb. Voltamos no início da tarde pra Trinidad e continuamos passeando por lá. Vale a pena conhecer as torres de onde se pode ver a paisagem do alto... a vista das montanhas, da cidade e do mar é linda! Uma coisa interessante: no Museu da Luta contra os Bandidos, há uma salinha que meio que representa a visão dos "bandidos" (contra-revolucionários) na história... São exibidos uns folhetos em que eles declaravam que a guerra não era contra os soldados revolucionários, mas contra a pessoa de Fidel, que teria vendido a revolução ao comunismo e que precisava ser morto... Achei curioso isso exposto lá. Dia 10: Trinidad (08:00) - Camaguey (12:40): Passamos a tarde passeando por Camaguey, por suas várias pracinhas e calles peatonales. Ficamos na casa Los Vitrales. Bem bonita e bem localizada. Rafael, o dono, é arquiteto e foi super gentil na nossa chegada, dando dicas da cidade. Dia 11: Camaguey: Fomos à Playa Santa Lucia pra mergulhar, mas o tempo tava ruim e cancelaram todas as atividades no mar neste dia. A playa de La Boca é ainda mais bonita, mas acabamos curtindo só a areia mesmo. Nos arriscamos deixando apenas um dia pra poder conhecer essas praias, e demos azar. Acabamos voltando cedo e passamos o resto da tarde em Camaguey. À noite fomos ao teatro ver um "stand-up comedy", o que foi uma experiência diferente. Éramos os únicos turistas. Achamos curioso que o ator tenha feito algumas piadas sobre política... Imaginávamos que o assunto fosse mais fechado, sem espaço para humor, mas olha a surpresa... Dia 12: Camaguey (6:30) - Santiago (12:20): Com alguns relatos, esperávamos pouco de Santiago, mas a verdade é que gostamos muito da cidade! Ela não é tão pequena quanto as outras do interior, mas tb é tranquila. Adoramos a Casa de la Trova, embora nesta primeira noite um "jinetero" tenha se aproximado com um papo esquisito, o que acabou nos fazendo voltar pra casa mais cedo. Ficamos na Casa Nivia Melendez, que não gostamos muito pelo café da manhã e pelo acesso ao quarto (por uma escadaria nada acessível). Os donos super gentis, mas acabamos decidindo não voltar para esta casa na nossa volta a Santiago depois de Baracoa. Dia 13: Santiago: Fizemos o passeio privado da Sierra Maestra com a Cubatur e adoramos! O motorista e o guia foram ótimos, conversavam sobre tudo. O valor foi meio salgado (103 CUC por pessoa) mas valeu muito a pena... Dia 14: Santiago: Fomos com um taxista particular à Gran Piedra (vista linda!) e ao Castillo del Morro (vista mais linda ainda!!). Aproveitamos bastante o Castillo (vale a pena explorar ele todo. É impressionante) e almoçamos já no início da tarde no restaurante ali próximo, que tem um pescado empanado maravilhoso! Aquele almoço vale a pena, tava muito gostoso mesmo! Imaginamos que o por do sol ali devia ser lindo, mas preferimos voltar mais cedo para Santiago, pra ainda passear por lá. Dia 15: Santiago (07:45) - Baracoa (12:35): Por alguns relatos que já li, imagino que Baracoa tenha se transformado um pouco nos últimos anos/meses. O centrinho tá todo arrumadinho, com cara e clima tranquilo das zonas "peatonales" das demais cidades, sem ares de estar parada no tempo. Acredito que tenha passado por uma "revitalização" recente. A Casa de la Musica é ótima! Dia 16: Baracoa: Contratamos um taxista particular para ir a Yumuri e à Playa Manglito. Não gostamos muito do rapaz, que não falava absolutamente nada sobre os locais por onde passávamos. Em Yumuri, convidou um indivíduo que tava na estrada pra entrar no carro, dizendo que era um dos guias do local, que seria bom fecharmos logo com ele ali pq nas proximidades dos barcos teriam muitos cubanos nos abordando... O tal indivíduo mostrou até crachá, e, conversa-vai-conversa-vem, acabamos fechando com ele mesmo. Quando chegamos no local pra pegar o barco, não havia ninguém pra nos abordar! O pior é que o tal do "guia" era bem ruinzinho, não conhecia nada, só falava abobrinha, pedindo coisas... Enfim, decidimos que no dia seguinte tentaríamos fechar um passeio com a Cubatur, já que gostamos tanto da experiência na Sierra Maestra. Fizemos certo! Dia 17: Baracoa: Fizemos o passeio pelo Parque Humboldt com a Cubatur e foi ótimo! O guia era biólogo, muito bom e gentil ao mostrar e explicar tudo que víamos pela frente. Dessa vez o passeio não foi só para nós dois. O grupo era formado por mais 6 pessoas, e era uma turma divertida, de alemães e franceses. No fim da trilha, há uma cachoeira onde dá pra saltar ou apenas se banhar... Delicioso! O passeio terminou com um banho super gostoso na Playa Manguana, que é linda, linda, parecendo uma piscina de tão transparente que é a água. Dia super agradável, em tour organizado, mas de novo sem correria e com um guia muito bem capacitado. Aprovamos 100% a Cubatur. Dia 18: Baracoa (14:15) - Santiago (19:15): Só deu pra curtir a noite em Santiago, de novo na Casa de la Trova. Vimos a apresentação de um grupo que já havíamos visto ali mesmo, Sol & Son. Eles são ótimos! Fizemos amizade e acabamos puxando um pic nic com eles e outras pessoas da plateia, durante o show mesmo. Essa noite foi tão especial... Só sentimos pq acabamos não comprando o CD deles (se alguém aceitar encomenda...! rsrs). Essa noite ficamos na Casa Villa Maria del Carmen. Gostamos mais daqui do que da primeira casa que estivemos em Santiago! Dia 19: Santiago (18:45): Voltamos a passear pela cidade, suas plazas, seus museus. Fizemos o pernoite no ônibus rumo a Havana. Dia 20: Chegada em Havana às 07:20: Voltamos à Ventilada (foi tão bom reencontrar nossos primeiros anfitriões depois de tanto passear pela ilha!) e fomos andar pela região de Vedado. No fim da tarde, voltamos à Habana Vieja e fomos ver pela segunda vez o pôr-do-sol no Castillo, já melancólicos... Dia 21: Havana: fomos a Miramar pegar a devolução dos mergulhos que não fizemos e logo voltamos a Habana Vieja pra "nos despedir" e comprar umas lembrancinhas. Partida de Havana às 15:50 rumo ao Brasil. Bom, é verdade que sempre fica uma vontade de ficar mais nos lugares, de explorar mais a região, mas, no fim das contas, achei que o tempo que tivemos em cada cidade foi legal, equilibrado. De mais diferente dos demais participantes daqui, fica minha opinião sobre a Cubatur... pelo menos nos dois passeios que fizemos com eles (Sierra Maestra e Parque Humboldt), ficamos super satisfeitos! Sobre a impressão geral da ilha: INESQUECÍVEL! Aqui, só tenho que concordar com o que os demais falaram... É um lugar realmente especial, com pessoas realmente incríveis e repleto de musicalidade... Nós somos baianos e eu tive a impressão que a "alma" que tem Salvador é a "alma" que também tem Cuba.
  23. Dallacquao, 1) Acredito que Santiago seja a mais interessante no 26/07 mesmo, pq, além de tudo, essa data cai no carnaval, sendo que Santiago é a cidade com maior tradição da festa em Cuba. 2) Achamos mais interessante e econômico contratar taxis particulares... Pra dirigir fora do país, você precisa emitir uma PID (Permissão Internacional para Dirigir) no DETRAN, que terá o mesmo prazo de validade da sua CNH (se a CNH estiver por vencer, melhor renová-la antes de solicitar a PID). Não é necessário fazer nenhum exame para tirar a PID. Usamos tb a Viazul e não tivemos o que reclamar do serviço deles. 3) Infelizmente, nossos planos com mergulho em Ancón e Santa Lucia não deram muito certo. O único local que conseguimos foi onde não havíamos planejado, que foi em Girón. Fizemos base em Cienfuegos e fomos de lá. O lugar é impressionante! Não ouvi falar de mergulho em águas abertas com golfinhos. Sei que perto de Cienfuegos há uma praia chamada Rancho Luna onde há um hotel com esse show de golfinhos, mas em cativeiro. Também não nos animou. Nos disseram que a praia de Rancho Luna é mais bonita do que a de Girón, mas podiam estar comparando as praias que ficam em frente aos hotéis. A praia em frente ao hotel de Girón realmente não é nada demais, mas a água do ponto de onde fazem mergulho, próximo à Cueva de los Peces... linda demais! Além do mais, Girón tem todo o contexto histórico que é interessante, com o museu contando a história da "primeira derrota yankee na América Latina". Vocês devem gostar. 4) Essa quantia seria pra pagar tudo, inclusive deslocamentos e hospedagem? Acho pouco. As coisas não são tão baratas lá para nós turistas. Às vezes é possível pagar com as monedas nacionales (CUP), mas a maioria dos locais (museus, restaurantes etc.) só aceitam que paguemos com CUC. O detalhe é que os preços são compatíveis com o maior público que eles têm no turismo: os europeus. Vi poucos locais aceitando cartão, mesmo os turísticos. Eu levaria mais euros e ainda o cartão de crédito habilitado para compras e saques (há caixas eletrônicos).
  24. Galera, nossa viagem correu super bem!! Obrigada a todos que compartilharam suas experiências aqui! Segue abaixo mais ou menos o resumo da nossa: Dia 1: Chegada em Havana às 16h - Ficamos na Ventilada, que adoramos! Li alguns relatos mais recentes pelo fórum de pessoas que acharam os donos meio interesseiros. Não tivemos essa impressão. Eles não chegaram a nos oferecer nada nem a indicar ninguém para passeios. Das casas que ficamos, foi a que menos parecia uma agência de turismo (não que funcionar como uma agência de turismo em Cuba seja necessariamente ruim. É uma mão na roda, às vezes). Num dia que achamos que precisaríamos ir ao bairro de Miramar para resolver um problema com a reserva de um passeio de mergulho, Ariel se ofereceu a ir com a gente (ele tb precisava ir naquela semana a Miramar), em uma "máquina", para que pudéssemos pagar algo em torno de 20 monedas nacionales, em vez dos vários CUCs que nos cobrariam em qualquer taxi por sermos turistas. Pelo que nos chegaram a cobrar nos dias seguintes em trechos bem menores, isso me pareceu muito honesto. Bom, mas como chegamos à noite na casa, passando por ruas que ainda estão em obras de pavimentação e infraestrutura, ficamos com uma primeira impressão "mais ou menos" da Habana Vieja, tivemos receio de sair andando pela cidade e resolvemos jantar na casa. Comida legal, mas preferiríamos mesmo ter tido mais coragem e aproveitado uma noite a mais na Habana Vieja, que, podem confiar, é segura e maravilhosa. Ao andar pelo bairro no dia seguinte, nos sentimos bem bestas por ter tido aquele receio. Eles têm uma estrutura que nos surpreendeu. Mesmo depois de ler tantos relatos, tanta coisa nos pegou de surpresa por lá. Mas foi ótimo assim, descobrir Cuba... Dia 2: Havana: O dia inteiro pela Habana Vieja, suas plazas. Uma das primeiras que conhecemos foi a Plaza Vieja, e, ao andar por ali e subir à torre da Camara Oscura, nos apaixonamos por Havana. Várias crianças correndo, brincando, um clima tão gostoso... No fim da tarde, passeio pelo Malecon... Que saudade daquilo ali! O pôr-do-sol é lindo em Havana (nos vários dias, vimos dali do Malecon e também do Castillo del Morro). Dia 3: Havana: Dia inteiro por Centro-Havana, dando pra conhecer com calma o Museu da Revolução. No fim da tarde, Malecon e então Habana Vieja. Dia 4: Havana: Fizemos um bate-volta a Viñales, com um taxista particular que já havíamos reservado desde o Brasil, por meio de outra casa particular (citada pelo blog 1000dias como uma casa-agência). Havíamos solicitado fazer um passeio passando pelo Valle, mural da Pré-História, Cueva San Miguel, Cueva del Índio e Cueva San Tomás. A dona da casa disse que entrou em contato com o taxista e que estava tudo confirmado, que daria tempo tranquilo de fazermos tudo em um dia. Havíamos pesquisado também o tour da Cubatur, só que este não incluia a Cueva San Tomás. Como o preço do taxista era menor, e teríamos mais flexibilidade e privacidade com ele, decidimos fazer a reserva do taxi. Acabou que não conhecemos a Cueva San Tomás pq o taxista não sabia nem onde ficava (ou pelo menos fingiu isso, já que ele primeiro nos disse que não poderíamos ir a esta Cueva pq teríamos que passar por uma estrada péssima para chegar nela, e, depois de uma pequena discussão em que eu disse que comentaria o fato com a dona da casa que nos indicou ele, horas depois nos disse que havia se enganado e que poderíamos sim ir à Cueva). Acabamos indo depois de todos os passeios, e chegamos uns 30min após o encerramento da bilheteria (ele parecia surpreso com o horário). No fim das contas, o dia foi ótimo, mas não gostamos de ter perdido de conhecer a Cueva San Tomás. Com um planejamento melhor, dá sim pra fazer tudo num dia, e de maneira tranquila! Não nos arrependemos de não ter dormido por lá, mas pensamos que, se não era pra conhecer a San Tomás, talvez tivesse sido melhor contratar a Cubatur. Vale ressaltar que não temos horror absoluto a tours com agências, como alguns têm hehe Acho que há casos e casos. Na viagem, acabamos fazendo dois passeios com ela e achamos ótimas as experiências, sem correrias, mas com organização e guias muito bons. Isso faz a diferença. E, no fim das contas, o preço vale a pena, considerando que as entradas e os (bons!) guias já estão inclusos. Dia 5: Havana (8:15) - Cienfuegos (13:00): Ficamos na casa de Martha Peña. Ótima casa, ótima anfitriã. Passeamos pelo centro histórico e pelo bairro de Punta Gorda, onde vimos o pôr-do-sol... Lindo! Dia 6: Cienfuegos: Contratamos um taxista particular, chamado Quico (ótimo!!!), para este dia e o próximo, recomendado por Martha. Neste dia, fizemos um roteiro até a Playa Girón, passando pela reserva de Guamá, onde tem os crocodilos (bonito passeio, com uma estrutura bem pra "turista", mas não é essencial). O ponto alto do dia certamente foi Girón... impressionante! Fiz o mergulho de cilindro na praia que fica do outro lado da Cueva de los Peces... que lugar, que mar, que azul! Basta descer uns degraus nas pedras (a praia não tem faixa de areia) e o mergulho já começa... Achei mais impressionante que a própria Cueva (onde só fiz snorkeling). Foi o mais "Caribe" que conhecemos em toda a ilha. Lindo! Dia 7: Cienfuegos - Santa Clara - Nicho - Trinidad: Saímos cedo de Cienfuegos rumo a Santa Clara. Conhecemos o memorial, o museu de Che e o museu do Trem Blindado com bastante calma. Acho que conhecer esses museus faz parte do passeio por Cuba, pra ver como é a forma que eles tratam da própria história... e que tiremos nossas próprias conclusões. Ainda passeamos pelo centro da cidade, por onde almoçamos. De lá, fomos ao rancho del Nicho... mais um lugar espetacular! As águas cristalinas super geladas, mas deliciosas para banho! Ficamos a tarde por lá, curtindo cada poça, até que no fim do dia fomos pra Trinidad. Achei esse roteiro super otimizado, com tempo suficiente pra não só conhecer como curtir cada lugar. Em Trinidad ainda deu tempo de curtir o fim do dia e a noite. Por sinal, passamos nossas 3 noites de forma incrível lá, entre as Casas de la Música e de la Trova. Ficamos no Hostal Las Margaritas. De todas as casas que ficamos, foi a que mais parecia "profissional". Linda casa, ótimo quarto, parecendo realmente uma pousada (o que pode ser bom ou ruim para um ou para outro). Dia 8: Trinidad: Fomos cedo à Playa Ancon pra mergulharmos, mas acabou não dando certo (havíamos reservado batismos pq ainda não temos a certificação, mas só havia um instrutor no centro que nos disse que naquele dia não poderia fazer batismo). Fomos então curtir a praia e lá decidimos fazer um passeio de barco para snorkeling nos arrecifes. Voltamos no fim da manhã pra Trinidad e passamos o resto do dia visitando os museus e passeando pela cidade, que é muito muito muito agradável. Dia 9: Trinidad: Fizemos o passeio de trem ao Valle de los Ingenios (a forma mais barata de conhecer o vale). É um passeio super calmo, bonito, mas bem montado pra "turista" tb. Voltamos no início da tarde pra Trinidad e continuamos passeando por lá. Vale a pena conhecer as torres de onde se pode ver a paisagem do alto... a vista das montanhas, da cidade e do mar é linda! Uma coisa interessante: no Museu da Luta contra os Bandidos, há uma salinha que meio que representa a visão dos "bandidos" (contra-revolucionários) na história... São exibidos uns folhetos em que eles declaravam que a guerra não era contra os soldados revolucionários, mas contra a pessoa de Fidel, que teria vendido a revolução ao comunismo e que precisava ser morto... Achei curioso isso exposto lá. Dia 10: Trinidad (08:00) - Camaguey (12:40): Passamos a tarde passeando por Camaguey, por suas várias pracinhas e calles peatonales. Ficamos na casa Los Vitrales. Bem bonita e bem localizada. Rafael, o dono, é arquiteto e foi super gentil na nossa chegada, dando dicas da cidade. Dia 11: Camaguey: Fomos à Playa Santa Lucia pra mergulhar, mas o tempo tava ruim e cancelaram todas as atividades no mar neste dia. A playa de La Boca é ainda mais bonita, mas acabamos curtindo só a areia mesmo. Nos arriscamos deixando apenas um dia pra poder conhecer essas praias, e demos azar. Acabamos voltando cedo e passamos o resto da tarde em Camaguey. À noite fomos ao teatro ver um "stand-up comedy", o que foi uma experiência diferente. Éramos os únicos turistas. Achamos curioso que o ator tenha feito algumas piadas sobre política... Imaginávamos que o assunto fosse mais fechado, sem espaço para humor, mas olha a surpresa... Dia 12: Camaguey (6:30) - Santiago (12:20): Com alguns relatos, esperávamos pouco de Santiago, mas a verdade é que gostamos muito da cidade! Ela não é tão pequena quanto as outras do interior, mas tb é tranquila. Adoramos a Casa de la Trova, embora nesta primeira noite um "jinetero" tenha se aproximado com um papo esquisito, o que acabou nos fazendo voltar pra casa mais cedo. Ficamos na Casa Nivia Melendez, que não gostamos muito pelo café da manhã e pelo acesso ao quarto (por uma escadaria nada acessível). Os donos super gentis, mas acabamos decidindo não voltar para esta casa na nossa volta a Santiago depois de Baracoa. Dia 13: Santiago: Fizemos o passeio privado da Sierra Maestra com a Cubatur e adoramos! O motorista e o guia foram ótimos, conversavam sobre tudo. O valor foi meio salgado (103 CUC por pessoa) mas valeu muito a pena... Dia 14: Santiago: Fomos com um taxista particular à Gran Piedra (vista linda!) e ao Castillo del Morro (vista mais linda ainda!!). Aproveitamos bastante o Castillo (vale a pena explorar ele todo. É impressionante) e almoçamos já no início da tarde no restaurante ali próximo, que tem um pescado empanado maravilhoso! Aquele almoço vale a pena, tava muito gostoso mesmo! Imaginamos que o por do sol ali devia ser lindo, mas preferimos voltar mais cedo para Santiago, pra ainda passear por lá. Dia 15: Santiago (07:45) - Baracoa (12:35): Por alguns relatos que já li, imagino que Baracoa tenha se transformado um pouco nos últimos anos/meses. O centrinho tá todo arrumadinho, com cara e clima tranquilo das zonas "peatonales" das demais cidades, sem ares de estar parada no tempo. Acredito que tenha passado por uma "revitalização" recente. A Casa de la Musica é ótima! Dia 16: Baracoa: Contratamos um taxista particular para ir a Yumuri e à Playa Manglito. Não gostamos muito do rapaz, que não falava absolutamente nada sobre os locais por onde passávamos. Em Yumuri, convidou um indivíduo que tava na estrada pra entrar no carro, dizendo que era um dos guias do local, que seria bom fecharmos logo com ele ali pq nas proximidades dos barcos teriam muitos cubanos nos abordando... O tal indivíduo mostrou até crachá, e, conversa-vai-conversa-vem, acabamos fechando com ele mesmo. Quando chegamos no local pra pegar o barco, não havia ninguém pra nos abordar! O pior é que o tal do "guia" era bem ruinzinho, não conhecia nada, só falava abobrinha, pedindo coisas... Enfim, decidimos que no dia seguinte tentaríamos fechar um passeio com a Cubatur, já que gostamos tanto da experiência na Sierra Maestra. Fizemos certo! Dia 17: Baracoa: Fizemos o passeio pelo Parque Humboldt com a Cubatur e foi ótimo! O guia era biólogo, muito bom e gentil ao mostrar e explicar tudo que víamos pela frente. Dessa vez o passeio não foi só para nós dois. O grupo era formado por mais 6 pessoas, e era uma turma divertida, de alemães e franceses. No fim da trilha, há uma cachoeira onde dá pra saltar ou apenas se banhar... Delicioso! O passeio terminou com um banho super gostoso na Playa Manguana, que é linda, linda, parecendo uma piscina de tão transparente que é a água. Dia super agradável, em tour organizado, mas de novo sem correria e com um guia muito bem capacitado. Aprovamos 100% a Cubatur. Dia 18: Baracoa (14:15) - Santiago (19:15): Só deu pra curtir a noite em Santiago, de novo na Casa de la Trova. Vimos a apresentação de um grupo que já havíamos visto ali mesmo, Sol & Son. Eles são ótimos! Fizemos amizade e acabamos puxando um pic nic com eles e outras pessoas da plateia, durante o show mesmo. Essa noite foi tão especial... Só sentimos pq acabamos não comprando o CD deles (se alguém aceitar encomenda...! rsrs). Essa noite ficamos na Casa Villa Maria del Carmen. Gostamos mais daqui do que da primeira casa que estivemos em Santiago! Dia 19: Santiago (18:45): Voltamos a passear pela cidade, suas plazas, seus museus. Fizemos o pernoite no ônibus rumo a Havana. Dia 20: Chegada em Havana às 07:20: Voltamos à Ventilada (foi tão bom reencontrar nossos primeiros anfitriões depois de tanto passear pela ilha!) e fomos andar pela região de Vedado. No fim da tarde, voltamos à Habana Vieja e fomos ver pela segunda vez o pôr-do-sol no Castillo, já melancólicos... Dia 21: Havana: fomos a Miramar pegar a devolução dos mergulhos que não fizemos e logo voltamos a Habana Vieja pra "nos despedir" e comprar umas lembrancinhas. Partida de Havana às 15:50 rumo ao Brasil. Bom, é verdade que sempre fica uma vontade de ficar mais nos lugares, de explorar mais a região, mas, no fim das contas, achei que o tempo que tivemos em cada cidade foi legal, equilibrado. De mais diferente dos demais participantes daqui, fica minha opinião sobre a Cubatur... pelo menos nos dois passeios que fizemos com eles (Sierra Maestra e Parque Humboldt), ficamos super satisfeitos! Sobre a impressão geral da ilha: INESQUECÍVEL! Aqui, só tenho que concordar com o que os demais falaram... É um lugar realmente especial, com pessoas realmente incríveis e repleto de musicalidade... Nós somos baianos e eu tive a impressão que a "alma" que tem Salvador é a "alma" que também tem Cuba.
  25. Valeu, Ze! Estamos pensando em ir de táxi pra Santa Clara, saindo cedo de Cienfuegos. Quando a gente achar que esgotou o tempo lá, pretendemos partir pra Trinidad também de táxi. Já temos a maioria das passagens da Viazul, então parte do roteiro está meio "engessado", mas outra parte ta mais solta ainda, por exemplo essa ida a Santa Clara. Como já temos a passagem de Santiago pra Havana (que, pra nosso azar, deixou de ter a opção com apenas uma parada), não poderemos passar lá na volta To me embalando no show de Bethania com Omara pra entrar no clima da viagem... contando os dias!
×
×
  • Criar Novo...