Ir para conteúdo

Vanessavm

Membros
  • Total de itens

    36
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra
  1. Meu roteiro esta um pouco parecido, mas com mais dias no Atacama. Sera que eh razoavel? SP a Sucre, com conexao em Santa Cruz de la Sierra Dia 1) chegada em Sucre por volta das 11 hrs Dia 2) Sucre e ida a La Paz a noite de aviao Dia 3) La Paz: aclimatacao, centro Dia 4) ida a Copacabana. Pegaro barco das 13:30 pra Isla del Sol e pernoitar la (outra ideia eh ir a Copacabana na noite anterior e dormir la, deixar o mochilao no hotel e partir para Isla del Sol com uma mochila pequena). Ainda estou em duvida qto a melhor forma...agradeco sugestoes Dia 5) isla de la luna, retorno a La Paz Dia 6) La Paz: Chacaltaya e Vale de la Luna Dia 7) La Paz: Tiwanacu e voo noturno para Uyuni Dias 8, 9 e 10: Expedicao Uyuni com deslocamento para o Atacama Dias 11 a 14) Atacama Retorno de Atacama (Calama) a SP. Agradeco pitacos no roteiro. ☺️
  2. Oie, fi o muito feliz que tenha gostado do blog! Eu gastei cerca de EUR 2000 no total, porem, fiquei em hotel e paguei a hospedagem sozinha (estava tudo reservado pois meu amigo me encontraria em Florenca e viajariamos juntos dai em diante, mas ele nao pode ir) e isso acabou encarecendo. Em hostel, ou dividindo hospedagem com alguem, vc consegue gastar bem menos bjs
  3. Dia 16: Visita de primos e muitos passeios por Veneza Esse dia foi muito especial: minha prima que mora em Udine, no norte da Itália e seu namorado, vieram passar o dia comigo em Veneza. Logo cedo, antes de eles chegarem, fui ao Palazzo Ducale, o único museu que conheci em Veneza. Confesso a vocês que foram tantos os museus que conheci na Itália, foi tanto roteiro planejado também que em Veneza eu queria mais é "me deixar levar" - a cidade em si era o grande atrativo, sabem? Cheguei bem cedinho e não havia filas no Museu. Não é permitido tirar fotos lá de dentro, mas vou contar a vocês que adorei o Ducale!! O palácio funcionou como a sede do governo de Estado de Veneza, e hoje em dia expõe os Apartamentos da época, pinturas esculturas originais da Basílica e, o mais impressionante, as prisões onde ficavam os condenados, que depois passariam pela Ponte dos Suspiros para não mais retornar Você encontra mais informações sobre Veneza e o Palácio Ducale aqui:http://wp.me/p5n3Cn-en Quando meus primos chegaram,fomos conhecer a Basílica de San Marco - a visita a Basílica em si é gratuita, mas lá dentro, se você quiser subir ao topo, conhecer os museus, etc., tudo é cobrado a parte. Eu visitei a parte dos Tesouros e subi (meu relato completo no blog aqui: http://wp.me/p5n3Cn-dN A Basílica tem arquitetura bizantina e é realmente muito bonita. Ah, se você estiver com mochila, será direcionado por um funcionário a guardá-la no porta volume. Depois da Basílica, ficamos "batendo perna" por Veneza. A cidade é um grande labirinto e a minha dica maior é: se você gostou de algo, seja uma atração turística, loja, café, não hesite: vá conhecer!! A probabilidade de você não encontrar mais depois é muito grande ...rss. Mas sabe o que é engraçado? É que, apesar de a cidade ser difícil de "se achar", você nunca se perde de fato. Em todos os lugares tem plaquinhas indicando "Per San Marco" e "Per Rialto"e, invariavelmente, você vai acabar chegando em um dos lugares....rs Conhecemos a igreja de San Paolo, de Santa Luzia, andamos pelas ruelas estreitas da cidade mais peculiar que já conheci e chegamos então a Ponte Rialto. A mais linda de Veneza, sem dúvidas! Lá em cima funcionam várias lojas e é abarrotada de turistas (não preciso nem falar, né? rss) O que fiz e achei bacana em Veneza é de deixar-se perder pela cidade mesmo, por mais clichê que isso possa parecer. A cada ruela você pode encontrar uma igreja, um museu, uma lojinha, uma escultura...a cidade é cheia de surpresas Ao final do dia, meus primos foram embora e me bateu uma tristeza: tristeza de me despedir e não ter ideia de quando os veria novamente e além disso, de saber que aquela seria a minha última noite em Veneza e na Itália... Aproveitei nesse dia e comprei o passe de vaporetto para o aeroporto - nesse post aqui eu explico melhor como funciona: http://wp.me/p5n3Cn-cY Dia 17: Hora de voltar pra casa Ok, o título desses posts é de "Roteiro de 16 dias pela Itália" porque o último dia, como foi o dia de partida, não aproveitei muito. Acordei, tomei o café da manhã e fui dar uma volta pela cidade. Eu queria muito conhecer a Igreja Santa Maria della Salutte, me atrapalhei um pouco para chegar até lá (peguei a linha errada do vaporetto) e confesso a vocês que, apesar de bonita, ela mais chama a atenção pelo seu exterior mesmo. A igreja vista do alto do Campanário: Fiquei passeando pela cidade, eu não tinha mais nenhum lugar específico que queria visitar e aproveitei para explorar Veneza sem grandes pretensões. Almocei e voltei ao hotel para pegar minhas malas. Apesar de o meu voo ser apenas a noite, acho que fiquei "traumatizada" com o perrengue que foi chegar a Veneza e não queria passar pelo mesmo ao ir ao aeroporto... O vaporetto sai da Piazza San Marco (a última das 3 estações San Marco, do lado direito quando de costas para a Piazza) e a viagem durou cerca de 1 hora. No meio do caminho, vi o cemitério de Veneza, que é uma ilha onde apenas ele funciona. Bem diferente... Cheguei ao aeroporto tão cedo que nem podia despachar as malas ainda Exageraaada....fiquei sentada, pensando, vendo minhas fotos...essa viagem foi tão especial em minha vida que acho que eu já estava sofrendo de saudades antecipadas Espero que tenha ajudado vocês a planejarem sua viagem,e aproveito para convidá-los a conhecer meu blog, onde postei muitas dicas sobre essa viagem; http://www.ciaoviaggio.com. Qualquer dúvida, é só falarem. Será um prazer ajudar!
  4. Nossa, será que existem desculpas para meu sumiço por aqui? Bom, voltando a minha última cidade italiana, Veneza: depois de almoçar num restaurante próximo ao hotel, fiz um passeio que muitas pessoas indicaram e recomendo também: Pegue o Vaporetto número 1 - ele dá uma volta pelo Grande Canal e assim você já consegue admirar a beleza de Veneza! (Nessa hora eu pensei: "Caramba!! Estou aqui mesmo"rss) Não me lembro ao certo, mas se não me engano, o passeio durou cerca de 1 hora e usei o cartão do vaporetto para pagar - nesse link http://wp.me/p5n3Cn-cY do meu blog eu explico como se locomover em Veneza, como funcionam os vaporettos, etc. Depois de dar a volta pelo vaporetto, decidi subir o Campanário, que fica lá na Piazza São Marco. O frio estava congelante, um vento super forte e eu sem cachecol, pensando:"Nossa, só dei fora hoje, primeiro para chegar ao hotel e agora passando frio aqui na rua"hahahahaha. Demorou um pouco mas subi. O bom é que, milagrosamente, você sobe de elevador, ao contrário da maioria dos lugares que visitei na Itália. A vista é simplesmente imperdível e eu recomendo muito que você visite!! No blog fiz um post compilando lugares que vocês podem querer conhecer em Veneza: http://wp.me/p5n3Cn-en Depois desse dia cansativo, fui comer uma pizza, tomei um spritz aperol, bebida típica lá de Veneza, feita a base de prosecco, aperol e soda e depois, gente, voltei pro hotel, tomei um bom banho e capotei na cama...rs
  5. Oi, pessoal, tudo bem?? Desculpem o sumiço! Espero que estejam gostando do meu relato, coloquei mais detalhes no blog também (www.ciaoviaggio.com), de modo a ajudar...mas qualquer dúvida, é só falarem.. Chegaremos agora a minha última cidade na Itália: Veneza!! Poxa vida, quando eu acabar esse relato, sentirei saudades...rs...vamos lá? Dia 14: Chegada em Veneza Acordei (ainda em Florença), tomei meu último café da manhã na cidade (hajaaa croissant e capuccino...risos) e pedi um táxi para me levar a estação. Daria tranquilamente para ir a pé, não fosse a minha mala de rodinhas e as ruas meio desniveladas. Para quem for de mochila, é mais fácil Cheguei a estação com antecedência e a viagem Florença - Veneza durou 2 horas. Atenção aqui: Existem 2 estações de trem em Veneza - a primeira é Veneza Mestre, a parte continental e, depois, Veneza Sta Lucia, que é a Veneza turística que conhecemos. Você terá que descer, obviamente, onde reservou o hotel...hehehehe. Apesar de uma amiga me "indicar fortemente" ficar em Mestre, pelo perrengue que seria Veneza, eu educadamente ignorei hahahahah eu queria ficar na Veneza das águas, e já me animei quando o trem partiu de Veneza Mestre pra Veneza Sta Lucia, pois tem uma parte que você vê água dos 2 lados...o vagão todo se empolgou Era um domingo de Páscoa e logo que desembarquei do trem percebi que teria que descer uma escadaria com o meu "combo:"mala de rodinha, bolsa pequena, mochila no ombro e uma mochilinha junto da mala...hahahahaha...e, pra piorar....chuva!!! Não tem nada que me irrite mais em viagem do que chuva, gente!! Diveros indianos berrando querendo me vender guarda-chuva, enquanto eu tentava achar o meu...lógico que ninguém me ajudou a descer as escadas, e eu sou uma atrapalhada que só..rs. Quando finalmente desci, já fui direto a bilheteria dos vaporettos (descendo as escadas, lado esquerdo - é grande, não tem como não ver). Os bilhetes dos vaporetos são super caros e se você vai usar todos os dias, compensa comprar pelo número de dias que ficará na cidade - comprei para 2 dias + mapa. O vaporetto estava super cheio, fui em pé o caminho todo e parecia que NUNCA chegava a Piazza San Marco...eis queee....finalmente cheguei! Eu queria chegar logo ao hotel para me livrar das malas e curtir a cidade - reservei um hotel perto da Piazza San Marco (Hotel San Gallo) e pedi a eles via e-mail que me indicassem a melhor forma de chegar até lá. Eles me responderam com indicações bacanas e, olhando o mapa, assim, NÃO TERIA COMO ERRAR!!! Bastava cruzar a Piazza e entrar numa das ruelas. Minha gente!!! Até hoje eu devo ter créditos dos meus pecados hahahahahaa Todas as pontes em Veneza tem escadas, e eu precisava passar por 2 para chegar a Piazza San Marco (e olhe que a estação que desci era a Piazza San Marco!). A cidade estava lotada, afinal, era Páscoa e eu, toda descoordenada com guarda-chuva, malas e...ESCADAS!! Desencanei do guarda-chuva e a garoa chata passou a dar uma trégua também. Depois de muito sacrifício, cheguei a Piazza San Marco...alguns trechos de piso mais desnivelados realmente não ajudam muito aos viajantes de malas com rodinhas, mas eu só pensava "tô quase chegando, quase chegando". Aí entrei na ruela que eu acreditei ser a do hotel...e me deparo com o que, meu povo?? Mais uma ponte com escadas (óbvio!!) Cheguei ao outro lado e...cadê hotel?? Gente...nesse dia fazia muito frio, mas eu já estava pingando de suor !! A minha vontade, sem brincadeira, era de bater na porta do primeiro hotel e fazer check in hahahahahaha...aí pensei: "Não, não dá pra fazer #aloka aqui nessa cidade complicada procurando hotel...e liguei pro Hotel San Gallo. Falei (em inglês) onde estava e perguntei o que fazer. O rapaz que atendeu falou pra eu voltar pela ponte e entrar na próxima rua. Foi o que fiz, mas óbvio que com dificuldade....ahahahahahaha Entrei na outra rua, subi a bendita ponte (já estava odiando Veneza naquele momento hahahahaha) e finalmente cheguei a porta do hotel...qdo vejo uma baita escadaria (eu não achei hotel com elevador!). Tentei um ou dois degraus, vi que não ia rolar...eu queria chorar hahahahahah. Liguei de novo pra eles e o rapaz prontamente desceu pra me ajudar! Eu devia estar "a cara da derrota"de tanto cansaço...hahahahaha...o meu quarto já estava liberado: era minúsculooo, mas uma gracinha: limpo, aconchegante, banheiro moderno. Tudo o que eu queria era tomar um banho e deitar mas, do jeito que eu estava podre, se fizesse isso, não levantaria mais. Joguei uma água no rosto, descansei um pouquinho e meu estômago também já estava me avisando que era hora do almoço....hehehehe Aí, na saída do hotel, resolvi caminhar pelo lado oposto de onde eu cheguei...e adivinem?? saí exatamente onde eu tinha "me perdido"...ou seja, subi e desci a ponte a toa!!! Não era mais fácil (óbvio) o cara ter me dito: Basta virar a sua direita e esquerda ao inves de:"Suba a ponte de volta, entre na outra rua pra subir a outra ponte.."? Meu DEEEUUUS...hahahahaha...só comigo essas coisas! Bom, passada a minha indignação, decidi procurar um lugar para almoçar. Eu até cheguei a pedir umas indicações de restaurante no hotel, mas desencanei...Veneza é um labirinto e eu definitivamente não estava no pique de sair a caça de um restaurante. Comi um espaguette a carbonara perto do hotel e, não sei se pela minha fome, mas adorei! Agora siiim, estava pronta para turistar!! Continua...
  6. Dia 13: San Gimignano e Siena - continuação Voltei ao mesmo ponto de ônibus de onde desci em San Gimignano rumo a Poggibonsi. Lá, comprei o bilhete de trem a Siena. Sinceramente não sei dizer se essa é a forma mais fácil, mas foi o que encontrei enquanto pesquisava. Foi nesse momento que percebi que realmente é complicado conciliar as duas cidades sem carro, vejam só: de manhã cedo, peguei o trem + ônibus, curti SG, voltei a pegar o ônibus, depois trem...e ai? E aí que o centro histórico de Siena é meio afastado da estação de trem. Eu planejo todos esses detalhes logísticos em minhas viagens mas nesse eu vacilei. Cheguei na estação, comprei o bilhete do ônibus que me levaria ao centro histórico. Acho que eu devia imaginar que era tão simples como de Poggibonsi a SG, mas não...quando comprei o bilhete na tabaqueria, me informaram que eu deveria atravessar a rua, entrar no shopping porque era lá que saiam os ônibus. Foi o que fiz, e andei como uma barata tonta não achava esse raio de terminal de ônibus ou sei lá o que de jeito nenhum...já estava ficando estressada com isso tudo. Aí, sei lá como, acabei descendo (acho que de elevador) e vi um ponto de taxi e um ônibus passando...pensei: deve ser por aqui, mas...que ônibus eu pego? Eis que avisto uma menina com mochilão nas costas e fui perguntar. Era uma chinesa mais bem preparada do que eu, que tinha o número do ônibus certo...hehehehehe...quando o bus chegou subimos, tinha um casal de chineses lá dentro e ela começou a conversar com eles (Tecla SAP, porfa?? rs ) para se certificar de que desceríamos no lugar certo. Finalmente cheguei a tão famosa Siena!! A segunda maior cidade da Toscana tem muito charme e é MUITO maior do que San Gimignano: repleta de turistas, lojas, etc etc...confesso que foi meio que um "baque"....rs. Eu sabia que a cidade era grandinha mas quando a gente pesquisa, lê, parece que não visualizamos a muvuca de gente, né? Segui direto a Piazza del Campo, a famosa onde ocorre o Palio di Siena nos meses de Julho/Agosto: A Piazza tem um astral muito bacana: é o coração da cidade, lá você vê diversos grupos de amigos, casais, famílias, sentados no chão bebendo, comendo, conversando...tem diversos bares e restaurantes ao redor, é muito gostoso. Lá também você encontrará o Palazzo Pubblico (Prefeitura) junto com o Campanário, além da Torre de Mangia (é possível comprar ingressos para subir e ver Siena lá de cima). Logo a frente você verá a Fonte de Gaia...quantos pombos, minha nossa!!! Ai, gente, eu morro de medo que um pombo venha fazer cocô em mim hahahahahahahahahaha então já fico meio que me esquivando deles o tempo todo... Resolvi então seguir para conhecer a Piazza del Duomo e a Catedral mais famosa da cidade - vale a visita, gente!! Assim como em San Gimignano, Siena tem as plaquinhas marrons indicando os pontos turísticos da cidade. Algumas atrações de destaque na cidade são: Pinacoteca Nazionale, Ospedale di Santa Maria della Scala, Basilica di San Domenico. Siena é uma cidade muito importante na Toscana, é bonita, com bastante coisa bacana para conhecer mas...sinceramente? Foi uma das que menos me impressionou na Itália. Mas acho que essa impressão é muito pessoal mesmo, pois sei de muita gente que ama a cidade - acredito que eu idealizava demais e, além disso, eu deixei para conhecer San Gimignano primeiro, o que pode ter colocado Siena realmente em segundo plano. Isso tudo sem contar o fato de que eu estava um pouco cansada, o deslocamento de SG a Siena é meio chatinho e eu não queria chegar muito tarde em Florença. Parei numa lojinha e me indicaram onde ficava o ponto de ônibus pra voltar à estação...assim o fiz, comprei meu bilhete para Florença para passar minha última noite na cidade...no dia seguinte, de manhã, partiria para minha última cidade na Itália: Veneza! Quer saber mais sobre Siena? Venha ver no http://ciaoviaggio.com/category/siena/
  7. Dia 13: San Gimignano e Siena Eu já havia lido muitos relatos dizendo que era meio inviável fazer Siena e San Gimignano no mesmo dia sem carro, mas mesmo assim insisti, pois eu fazia MUITA questão de conhecer as duas cidades e não teria tempo suficiente para dedicar 1 dia a cada uma delas. Acordei super cedo e fui a estação de Florença pegar o trem para Poggibonsi (comprei o bilhete na noite anterior) pois em San Gimignano não há estação de trem. Saí de Florença, desci em Poggibonsi e na tabaqueria da própria estação, comprei o bilhete de ônibus. O ponto de ônibus fica exatamente na saída da pequena estação, tem um painel com o horário de todas as saídas. Quando cheguei, um ônibus tinha acabado de sair então esperei um bocado para chegar o próximo. Você descerá no ponto final do ônibus e bastará atravessar a rua para começar a explorar essa cidade que ganhou meu : Eu nunca tinha ouvido falar nessa cidade até começar a programar a minha viagem a Itália, e, desde então, fui me apaixonando pela cidade...quando entrei por aquela "portinha' rss pensei:"Caramba!! Cheguei aqui!". Eu adoro cidades medievais, gente, talvez por isso a minha empolgação...rs. Fui andando em direção a Piazza della Cisterna, a mais famosinha da cidade. Lá aproveitei para experimentar o famoso gelatto que já ganhou diversos prêmios (e certamente a fama é merecida!). Fiquei um tempo lá passeando pela Piazza e depois decidi fazer a Passeggiatta delle Mura: Ai, para tudo, gente!! Você começa por um tunelzinho, depois vai seguindo a trilha com aquela linda vegetação toscana...aquele ar puro, aquela paisagem maravilhosa em meio a cidade murada me fez querer ficar lá por muuuito tempo! Como não morrer de amores? Fui seguindo sem rumo, vi essa igrejinha linda aí abaixo (infelizmente não me lembro o nome) e aproveitei para descansar um pouco os pés. Depois disso, resolvi seguir para a Piazza del Duomo - lá fica a Torre Grossa, e, se você tiver disposição, pode subí-la. A vista deve ser belíssima, mas como já comentei acho que uma dezena de vezes nesse relato, #traumatizei com a basílica de San Pedro e não quis subir mais NADA na Itália hahahahaha Vou confessar a vocês: está difícil de selecionar as fotos para esse relato! Não quero cansar vocês também...rs Aí você me pergunta: Ok, o que mais tem para ser feito em San Gimignano? San Gimignano é daquelas cidades que o simples fato de caminhar pela cidade já é um baita de um passeio. Mapas? Pra que? Ande sem rumo, a cidade é minúscula. Explore a Passegiata delle Mura, as piazzas, os pequenos detalhes, como moradias locais, restaurantes...eu decidi conhecer o Museu da Tortura, mas, sinceramente, achei bem bobinho, sabe? E você os encontra também em outras cidades da Toscana. Almocei por lá, infelizmente não me lembro o nome do restaurante, mas pedi uma massa deliciosa com sálvia (amo!) e o vinho da casa. Achei interessante que uma cliente levou um cachorrinho no restaurante, parece que isso é meio normal em alguns lugares da Europa, né? Eu teria ficado o dia todo em San Gimignano, de buenas, mas precisava seguir para Siena, né? Sabe aquelas cidadezinhas que você vai embora, olha pra trás já com saudades e diz a você mesma (o) que um dia ainda vai voltar? Pois é... Para quem tiver interesse por essa cidade, venha ver o post no meu blog: http://ciaoviaggio.com/category/san-gimignano/ Continua...
  8. Oi, Victor, fiquei feliz que esta gostando!! A Italia eh realmente demais,ne?? Um pais que nao da pra explorar numa viagem so...
  9. Oi, Neuza, td bem?? Eu amei demais Florenca e San Gimignano!! Voltaria qtas vezes pudesse... Ja Pisa eu curti, mas acho que uma vez na vida ja basta, sabe?rss
  10. Dia 12: Pisa e Luca Fiquei louca da vida comigo mesma por ter "simplesmente" esquecido de ir a Piazzale Michelangelo e decidi fazer ALOKA ....rs! Acordei mais cedo, pedi um táxi no hotel para me levar até lá...(o ideal teria sido mesmo ir no final da tarde, ver o por do sol, mas eu não queria arriscar pois poderia chegar tarde de Luca!). Uma garoa fininha começou a cair, mas ignorei e fiquei lá admirada com aquela vista linda, tirando várias selfies...hahahahaha A Piazzale Michelangelo é uma praça que fica num ponto super alto de Florença, de forma que você consegue ver praticamente a cidade toda lá de cima: Ponte Vecchio, Duomo, etc...é um passeio mais do que recomendado! De lá, chamei um taxi (eu tinha um cartão de uma central de táxis) para me levar a estação de trem, que é longe. Eu já havia comprado o bilhete para Pisa na tarde anterior, quando fui levar a minha prima - você adquire nas próprias maquininhas, tem muitas opções de horários e são baratinhos. O trem que faz o trajeto Florença - Pisa Central é o regional, e você precisa validar o ticket nas maquininhas que ficam na estação. Desci em Pisa Central e na tabaqueria da própria estação comprei o bilhete de ônibus (pode perguntar lá mesmo que eles te informam o ônibus que faz o trajeto. Eu peguei o LAM Rossa e desci na Parada Via Cameo/Piazza Camin). A Piazza dei Miracoli, onde fica a Torre, é uma graça: gramado super bem cuidado, limpa, tem uma igreja, o Batistério e a Torre de Pisa propriamente dita. Gente: a Torre é muitoooo mais torta do que eu imaginava (e menor também!), eu adorei! Estava viajando sozinha e logo uma menina chinesa perguntou se eu não podia tirar fotos dela, e ela poderia tirar fotos minhas também. Topei, afinal, ir a Pisa e não tirar aquelas fotos "mico"empurrando a torre é meio impossível, né?? hahahahaha Quem tiver interesse pode subir a Torre, mas o número de pessoas é bem limitado, assim como o tempo de permanência lá em cima - você pode verificar a compra de ingressos e horários nesse site: http://www.opapisa.it Nesse dia chovia DEMAIS, gente...aquela garoazinha boba lá de Florença foi só um indício...eu só me livrava do guarda chuva pra tirar fotos e, como eu ainda iria a Luca, cidade em que eu faria tudo ao ar livre, acabei nem indo conhecer a igreja de Pisa mas, pelo que vi em fotos,é muito parecida com algumas de Florença. Aproveitei a "carona"de minha colega chinesa até a estação - ela voltaria a Florença e eu iria a cidade murada de Luca Quem tiver mais interesse sobre Pisa, bem como sites referentes a cidade, tenho um post no meu blog: http://ciaoviaggio.com/category/pisa/ Voltei a estação de Pisa e lá comprei o bilhete para Luca que, para a minha sorte, sairia em poucos minutos. Correriaaaaaaa até a plataforma...rs A viagem é rapidinha e mal vi o tempo passar...só lamentava a chuva caindo lá fora esse definitivamente era um dia de museu, lugar fechado....mas faz parte, né? Chegando em Luca, basta atravessar a rua da estação que você logo verá a cidade murada! Você entra por um túnel, aí segue reto e já verá a parte de trás do Duomo di San Martino, a Catedral de Luca. Entrei para conhecer, existe também um museu mas não fui, e lá fui seguindo meio que sem rumo pelas ruelas. Eu fico imaginando como deve ser bacana passear por lá num dia de sol: as ruelas são estreitas, é um labirinto, e a cada virada, uma Torre, um café bacana, uma lojinha de souvenir...muitas pessoas aproveitam para alugar uma bicicleta e dar a volta na cidade murada, mas, com a chuva chata que estava, ninguém se aventurava a isso, aliás, a cidade nem estava muito animada Parei para almoçar e me "secar"um pouco....rs...depois, segui a Piazza dell’Anfiteatro, que serviu como um Anfiteatro no século II e hoje conta com muitos restaurantes e lojinhas! Fui seguindo aleatoriamente pelas ruelas. Luca conta com umas torres bem interessantes, como a Torre do Relógio, a mais alta da cidade e que permite visitação (eu não subi, #trauma da Basílica de San Pedro hahahahahaha mas a vista deve ser linda! Se eu voltar um dia a Luca, quero subir!) e a minha preferida, a Torre Guinigi, que tem uma árvore em seu topo. Luca é uma daquelas cidades em que você esquece o mapa e se deixa levar pela sua intuição, sabe? Dá pra ficar desde 1 hora batendo perna, até o dia inteiro...rs...o tempo infelizmente não me ajudou em nada, então voltei a Florença antes do entardecer (comprei o bilhete na hora na estação, bem tranquilo também). Se quiserem saber um pouco mais sobre as atrações de Luca, tem post aqui: http://ciaoviaggio.com/category/lucca/ Espero que estejam gostando do meu relato, qualquer dúvida é só falar
  11. Oi, Neuza, que bom que esta gostando. Fico super feliz em ajudar outros viajantes vou tentar agilizar o relato nesse final de semana !! Abracos.
  12. Dia 11 - Florença No dia anterior, uma prima minha italiana me ligou dizendo que iria passar o dia comigo em Florença eu já a conhecia, ela veio ao Brasil com a mãe em 1996 e trabalha num hotel naquela ilha onde afundou o navio, sabem? Ela chegou no final da tarde e fomos jantar numa pizzaria que o amigo dela indicou, infelizmente não me lembro o nome, mas era super afastada da parte turística de Florença...só tinha italianada lá...rs Fiquei feliz que ela viria me ver, maaas eu já tinha comprado online o ingresso para a Galeria dell'Accademia, onde está exposto o original de David de Michelangelo para as 9 horas e não abriria mão por nadaaa....rsss. Ela decidiu que iria comigo e chegamos bem antes ao Museu, para ela comprar o ingresso dela...Bem, esperamos, chegou meu horário de entrar, ela continuou na fila...entrei no Museu, fiz tudo com calma, aí ela me liga dizendo que mal saiu do lugar sério...fiquei mais de 1 hora lá dentro e NADA de ela chegar...eu já comecei a ficar estressada porque aquele era meu último dia útil para curtir Florença, e tinham muitas outras coisas que eu queria ver....liguei pra ela e NADA...até que saí do Museu e ela estava praticamente no mesmo lugar. Por isso que falo, gente: se você não tem muito tempo ou paciência, vale muito a pena pagar EUR 4 a mais pelo ingresso online...se ficássemos esperando ela entrar, teríamos perdido a manhã inteira, no mínimo! Fiz um post para ajudar vocês a encarar os Museus de Florença sem filas no meu blog http://www.ciaoviaggio.com. Espero que ajude! De lá, fomos conhecer a Basílica della Santissima Annunziatta e depois passeamos bastante...por acaso, vi o Museu de Dante, não entrei, mas que charme aquela rua!! Fomos seguindo rumo a Ponte Vecchio porque eu tinha reserva num restaurante lá perto, o Golden View: o restaurante é bem moderninho e tem uma vista linda para a Ponte Vecchio - se você quiser ir a noite, eu fizer muita questão de "sentar na janelinha" (como eu) recomenda-se reservar. Fomos a Basílica de Santa Croce, que tem uma arquitetura muito parecida com o Duomo, e contempla uns túmulos muito famosos, entre eles do Michelangelo. A Piazza na frente é super bonitinha e no caminho a Basílica tinham várias barraquinhas vendendo souvenir, inclusive de um brasileiro...rsss. A entrada é paga, não me lembro o valor ao certo, mas acho que algo em torno de EUR 5. De lá, era hora de a minha prima voltar...retornamos ao hotel para ela buscar a mala e a acompanhei até a estação. Na volta, fui conhecer o Palazzo Pitti, que é muito bacana!! Comprei o ingresso na hora, tranquilamente, e existem distintos tipos, dependendo do que você quer ver. O mais bacana é a visita a Galeria Palatina e, como eu não teria muito tempo, dispensei o ingresso que dava direito a conhecer o jardim. De lá, tentei conhecer a Capela Brancacci, que dizem ter afrescos lindos, mas já estava fechada #chateei. Fiquei andando "sem rumo"por Florença, revisitando lugares por onde eu já havia passado e descobrindo outras preciosidades: ruelas, cafés, lojinhas...fiz umas comprinhas, voltei ao hotel para tomar banho e me veio o estalo: "Meu Deus!!! Esqueci de ir a Piazzale Michelangelo!!!!" Aguardem cenas dos próximos capítulos...rs Quer saber mais sobre cada um desses pontos turísticos de Florença, bem como sugestão de Roteiro? Tem posts no www.ciaoviaggio.com
×
×
  • Criar Novo...