Ir para conteúdo

rodriguesariadne

Membros
  • Total de itens

    41
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. @Camila Betterelli Giuliano Camila, vc acha que é melhor já levar rands ou dolar pra trocar lá? Obrigada!
  2. Tá muito bom o seu relato!!! Estou acompanhando! Uma dúvida: Como estava o clima por lá? Estou querendo ir nessa época, mas sempre vejo as pessoas desaconselhando a viajar no mês de outubro por causa das fortes chuvas. Elas atrapalharam vcs em algum momento? Estava vendo passagens do dia 01/10 a 21/10. Obrigada!
  3. Consegui fazer os três sim! Daqui do Brasil eu comprei o trem de MP e a passagem da Amaszonas do trecho Santa Cruz-Sucre!
  4. Oii!!! Olha, eu levei o valor de R$ 4.100,00. Foi o suficiente, mas não foi folgado, não! Tive que economizar em algumas coisas. Cheguei totalmente lisa no Brasil! kkkkk
  5. Oi, Rodrigo!! Valeu, continuarei siim!! Suas informações foram muuuuito valiosas nessa minha viagem, obrigada por compartilhar aqui conosco! E vc era famoso entre os mochileiros, viu? hahaha Todos ligados no seu relato!
  6. Capítulo 2: O-tal-do-badalado-Salar-de-Uyuni! 3º Dia – 03/01/2015 Então, chegamos à cidade de Uyuni às 6h da manhã e de cara foi IMPACTANTE!! Já tinha lido alguns relatos sobre o frio que fazia na cidade, mas eu não imaginava que era tanto assim! Gente, pensem: você cansada da longa viagem de toda a noite e se depara com um frio de -10º? Descemos do ônibus parecendo uns zumbis, eu tremia muito, demorei um tempão pra colocar a luva, aquelas roupas todas não adiantavam de nada! Eu olhava ao redor e via a cara de desespero da pessoas, tudo que precisávamos era nos abrigar! Pior de tudo: enquanto estávamos esperando pra pegar nossas malas no ônibus, havia vaáárias pessoas de agência querendo vender pacotes pra o Salar, entregando folder, querendo fechar negócio. Era impossível manter a simpatia naquele momento, que mané fechar pacote, queremos nos aqueceeeer!!!! Uma mulher de uma das agências disse que havia uma cafeteria e ia nos levar até lá. Pegamos nossas malas pesadas e seguimos, FORAM OS 100 METROS MAIS LONGOS DA MINHA VIDA, perguntava o tempo todo se já estava perto. Chegando lá foi um alívio, havia aquecedor, café da manhã e banheiro (este, pra variar, não era essas coisas toda). Comemos, descansamos um pouco, conhecemos mais alguns brasileiros e, agora sim, fomos procurar agências para fazer o passeio do Salar. Era mais ou menos umas 8h da manhã. A oferta é muito grande, há vários escritórios disponíveis. Eu e muitos brasileiros tínhamos lido o relato de Rodrigo onde ele falou da Esmeralda Tours. Olha, acho que ele poderia cobrar uma comissão pela propaganda que ele vem fazendo, MUITOS brasileiros procuram essa agência porque tinham lido a recomendação dele!! Fomos à Oasis Tours e nos ofereceram o pacote de 3 dias por $b800 incluindo o transfer até San Pedro de Atacama. Então consultamos a Esmeralda e conseguimos o mesmo serviço por $b750 e saco de dormir por mais $b50. Decidimos contratar o serviço. Foram 3 carros, cada um com 6 pessoas. No total foram 15 brasileiros e três franceses. Ah, nas agências há WiFi, caso vc precise usar a internet antes de partir, já que você ficará incomunicável nos próximos dias no meio do deserto! Às 11h chegaram os carros para nos pegar! No meu foi eu, Aline, Tati e os três franceses. Não tivemos nenhum problema com o grupo, os gringos eram super gente fina e o motorista também. A primeira parada é bem pertinho da cidade de Uyuni, que é o Cemitério dos Trens. Não tem muita coisa pra ver, é só pra dar uma olhada e tirar umas fotos. A próxima parada era bem mais distante. Fomos ver o “monumento” do Dakar e tirar a foto clássica com as bandeiras. Nesse lugar já da pra ver a imensidão branca, é realmente incrível, uma vista bem diferente de tudo que já vi Depois fomos almoçar no hotel de sal. Carros de várias agências se reúnem lá e o guia prepara a nossa comida. É simples, mas dá pra comer tranquilo: arroz, macarrão, um pedaço de carne e legumes. Pra beber tinha Coca Cola! Após o almoço o guia nos levou pra um lugar mais branco ainda, com uma coloração mais uniforme pra a gente tirar aquelas fotos bem conhecidas! Tiramos váárias fotos, com aqueles dinossauros e bonequinhos que o guia havia nos emprestado! Esse primeiro dia é o único que vamos ver aquele tapetão branco! Seguimos para a Isla Del Pescado, um local com muitos cactos gigantes. Quem quiser subir até o topo, paga 30b. Nós decidimos não subir, tiramos fotos na parte free! Esperamos os gringos chegarem e logo depois o guia nos levou de volta pra o meio do salar novamente para esperar o pôr-do-sol. Era mais ou menos 17h, chegamos lá fazia muuuuuuuito frio! Fiquei observando dentro do carro mesmo e só saí quando o sol começou a se pôr. Apesar da baixa temperatura, é um visual maravilhoso, o céu fica numa cor violeta e a gente fica perplexo com a beleza da natureza!! Saímos de lá umas 18h e fomos passar a primeira noite no “hotel de sal”. Experiência um tanto quanto desesperadora. Entramos no carro e ficamos apreciando a vista perfeita, o céu cada vez mais lindo, todos felizes e conversando. Então começou a escurecer, estávamos no MEIO DO NADA, não havia mais salar, era umas montanhas longe, pedras, areias e uns matos. Meia hora depois perguntei ao motorista: - estamos perto? E ele: - mais uns 40 minutos. Tá ok. Ele começou a cantarolar dentro do carro, perguntava se estávamos bem e sempre ficava olhando pra a francesa que estava ao lado dele. Eu comecei a ficar com medo, imaginando o que poderia acontecer conosco, estávamos sozinhos! Não via os outros dois carros que estavam conosco. E agora? Passados esses 40 minutos perguntei novamente: - Estamos cerca? E ele: -sim, mais umas meia hora. Eu olhava pra Tati, ela com a maior cara de desespero do mundo. Olhava pra Aline e ela com cara de FODEU! Eu já tava desesperada, já pensando em pegar o pau da selfie, atirar na cabeça dele e pegar o carro. Passamos por um carro que estava parado com uns turistas no meio do nada. Segundo José, nosso guia, estava quebrado. Aí uns 15 minutos depois o cara para o carro na escuridão e vai limpar o para-brisas e olhar os pneus. MINHA GENTEEEEEE....HAJA CORAÇÃO!! A gente se falava com os olhos, não sabia o que dizer! Os franceses não demonstravam aflição, estavam normais! Eu sei que ele voltou ao carro e continuou a dirigir....quando foi uns 20 minutos depois ele fez: - Pronto, o hotel de vcs é ali na frente, onde está iluminado. Aí a gente passa por lá e...cadê o hotel? Era apenas um cercado iluminado. LASCOU, PORRAA, FODEEEEUUUUUU, QUERO MINHA CASAA!! Não havia o que fazer naquele momento. Então, mais alguns poucos minutos depois, o carro parou novamente. Mas dessa vez vimos que tinha mais outros dois carros parados também. ERAM OS BRASILEIROS, ESTÁVAMOS SALVOOOSSS!!!! Eu e as meninas descemos do carro para falar com eles sobre o nosso desespero! Na verdade, os dois grupos estavam nos esperando, porque eles só andam juntos, pra não ter o risco de se perderem, o que não é muito difícil de acontecer! A partir daí foram os três carros juntos. Fiquei mais tranquila! E quase 2 horas depois... CHEGAMOOOSS!!! Nossa, fiquei muito aliviada, rezei pra o ano inteiro!! Como sempre, fazia muito frio! Pegamos nossas coisas do carro e entramos pra ver o alojamento. Era simplesmente uma casinha no fim do mundo com 1 banheiro e 8 quartinhos, cada um com duas camas. E uma área com 3 mesas. O chão era de areia...ou sal, não sei! Sei que era muito simples e não havia água quente como foi dito! Infelizmente fomos enganados e passaríamos mais um dia sem banho. :’( O guia serviu nosso jantar e depois fomos nos organizar pra dormir. Não há calefação no local e faz frio! Mas foi suportável! (Também com segunda pele, 2 casacos, edredom e saco de dormir, né possível!!) Primeiro dia, missão cumprida. Já o segundo dia...é cena do próximo capítulo!!!
  7. Oi, dani! Claro, ajudo sim! Olha, seu cartão é da CAIXA? Se for, vc não vai conseguir, pq não tem um tal de "Verified by Visa". Comigo aconteceu isso também, mesmo sendo internacional! Tem que ver de qual banco ele é.
  8. Lilian, olha, quando eu fui tava assim: 1 real comprava 0,85 soles...no máximo achei por 0,87!
  9. Tatiii, minha parceirona de viagem!!! Vou precisar de sua ajuda sim, fazer isso aqui não é fácil! Saudades!!! AJUDA!! Como faz pra dar o upload em várias fotos de uma vez?? Só consigo colocar uma por uma!
  10. Capítulo 1: Chegada à Santa Cruz de La Sierra, as primeiras impressões, e a cidade de Sucre. 1º dia : 01/08/15 Bom, finalmente chegou o tão sonhado dia da viagem! Meu voo saiu de Recife às 6:30 da manhã rumo a São Paulo. Cheguei na cidade e fui direto fazer a conexão para Santa Cruz de La Sierra. Fui tudo muito rápido deu nem tempo de encher o bucho antes de partir de novo. Eu e Tati finalmente nos conhecemos e partimos juntas. Estávamos com muita expectativas, ansiedade estava nos definindo naquele momento! Chegamos em Santa Cruz às 14:00, passamos na looooonga fila da imigração e pronto, estávamos livres, começou a viagem!!! Encontramos Aline, a outra parceira que foi no voo da TAM, e fomos matar nossa fome! Gente, lá no aeroporto é muito caro, se quiserem economizar levem lanchinho! Eu tomei uma água e comi um sanduíche no Myway (acho que o nome é esse, é uma imitação do Subway) e paguei 50 bolivianos chorando!!! Cambiamos dinheiro por lá pra pagar o táxi. Estava 1 real para 1,85 bolivianos (inclusive agora dia 28/8/15 também estava esse mesmo valor). Primeiro alerta de que os planos nem sempre poderiam dar certo: uns dias antes da viagem, um amigo meu que tinha começado uma semana antes que eu, Kennedy, havia me dito que a estrada que liga Sucre à Uyuni estava bloqueada e as pessoas não estavam conseguindo ir até o Salar. E AGORAAA? Entro nos jornais bolivianos e realmente, muitos protestos, bloqueio, o diabo a quatro. Todos já estavam sabendo disso, mas as noticias lá não são muito divulgadas, a comunicação e muito ruim, não da pra saber o que está acontecendo em tempo real. Teríamos que ir para Sucre e a partir de lá seja o que Deus quiser. Os planos eram de ir direto à Sucre, entretanto, havíamos checado que não havia vôo disponível para esta data, nem pela Amaszonas e nem pela boliviana TAM. Compramos no site da Amaszonas, ainda no Brasil, para o dia 02/8/15, ou seja, a solução foi fazer uma reserva no Jodanga Hostel e partir no outro dia. O taxi custou 60 bolivianos até lá. Nossa, que hostel FODA! Muito arrumado, WiFi funcionando bem e café da manhã M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O, o melhor de todos os hostels! Achei um pouco caro, custou 80 bolivianos, mas como era a e única noite, vamos abrir as portas da felicidade! Rsrsrs Chegamos lá no meio da tarde, deixamos nossas coisas, tomamos um banho e fomos ao centro para conhecer e trocar dinheiro. Lá foi a melhor cotação da Bolívia, troquem tudo lá no centro de Santa Cruz, numa rua pertinho da praça, único lugar que vi que estava 1 real para 2,02 bolivianos. A cidade é bem arrumadinha, até que me surpreendeu! A praça é bem movimentada, fica cheia de gente no fim da tarde. Trocamos dinheiro, circulamos nas redondezas, jantamos e voltamos pra o hostel. Nesse dia não teve barbecue por lá, conversamos um pouco e fomos dormir! Dia 02/8/15 Acordamos cedo, pois tínhamos que pegar o voo da Amaszonas às 10h da manhã lá no Aeroporto de Viru-viru, o mesmo que viemos do Brasil. Tomamos o café da manhã perfeito do hostel e seguimos viagem. O avião é bem pequenininho e é bem rápido; 30 minutos e já estávamos na cidade de Sucre. Estávamos bem ansiosos para saber se realmente a estrada rumo a Uyuni havia sido liberada. Pegamos um táxi até a rodoviária para tentar comprar logo a passagem pra Uyuni. Não lembro quanto deu, mas foi entre 20 e 25 bolivianos. Chegando lá corremos procurando a empresa 6 de Octubre, a única que faz o trajeto direto Sucre-Uyuni, sem parar em Potosí. Agora éramos em 8 pessoas, conhecemos no Jodanga um grupo de 5 amigos de SP que foram no mesmo voo que nós. Para nossa alegria, A ESTRADA TINHA SIDO LIBERADA, UFAAAAAA!!! E o preço? 100 bolivianos! Uma das meninas começou a pechinchar, disse que o taxista falou que era mais barato, que éramos em oito pessoas...então eles baixaram para 80B!! E quando ele foi consultar a quantidade de vagas disponíveis do ônibus num caderninho foi uma aflição: 1, 2,3,4,5...6...7......8! YEAHHHH, exatamente oito poltronas vagas! Aliviados, fomos deixar nossas malas guardadas num espaço que há lá na rodoviária. Pagamos $b 3. (Nem vá pensando que é um lugar arrumado, com locker, é um espaço com várias estantes e você larga lá sua mochila, segura na mão de Deus e vai!). Deixamos a cargueira e ficamos apenas com a mochila menor com as coisas de maior valor. Já era mais ou menos meio-dia, saímos de lá e fomos conhecer a cidade. Sucre é uma cidade bem turística, cheia de construções antigas e belos casarões estilo colonial. Estava fazendo sol!! Ficamos perambulando pelas ruas, fomos comprar luvas e gorros para o frio do salar e tiramos muitas fotos. Nos separamos dos 5 amigos e ficamos descansando na Plaza 25 de Mayo. A cidade é um pouco alta e Aline já sentiu alguns sintomas da altitude. Depois fomos a uma pizzaria, a Pizzeria Napolitana, lá na própria praça mesmo. Conversamos, descansamos, usamos o WiFi pra falar com os amigos e nos despedir, já que passaríamos 3 dias sem comunicação. Depois andamos mais um pouco na cidade e voltamos para a praça (é, amigos, quem não tem um teto dorme na praça mesmo!). Fomos procurar lugar para cambiar dinheiro, mas como era um domingo, não havia casas de câmbio aberta. Já era umas 18:00 e teríamos que estar lá até as 19:00 para pegarmos as mochilas. Pegamos um busão (pagamos 3 bolivianos) e voltamos para a rodoviária, pegamos nossas malas e ficamos aguardando nosso ônibus, marcado para saída às 20:30. O lugar é bem bagunçado, muita gente, muitos mochileiros e muito movimentado. Reencontramos os amigos de SP, reconhecemos um cara que vimos no voo do Brasil à Santa Cruz, Rodrigo, e encontrei um casal de Recife, que fomos a viagem quase toda juntos, Wanderson e Dani. Sentamos nas cadeiras e por lá nos espalhamos: preparação para o Salar, afinal, a previsão era pra chegar às 4h da manhã do dia seguinte. Sabemos que lá faz muito frio. Então abrimos nossas cargueiras, pegamos as roupas frio, e fomos ao baño nos trocar e tomar aquele banho de gato. : LENÇO UMEDECIDO É DE FUNDAMENTAL IMPORTÂNCIA, NÃO ESQUEÇAM DE LEVAR! Vão se acostumando, porque nos próximos dias serão assim! O banheiro é muito ruim, lá não tem papel higiênico em cada cabine. Quando vc paga $1 para ir, eles te dão um pedacinho de papel para você usar. Depois dessa parte chata, voltamos para esperar o ônibus. Às 20h nos dirigimos à fila do ônibus, muitos mochileiros esperando, colocamos as malas no ônibus e entramos a procura de nossas poltronas. O ônibus era razoável, dava para descansar, mas não consegui dormir direito, acho que era ansiedade mesmo! A noite foi longa, acho que o ônibus parou umas duas ou três vezes, subiram algumas pessoas, também fez algumas paradas para ir ao banheiro (os corajosos que saíram do veículo falaram que foram minutos congelantes!!). O ônibus é meio lento e nos atrasamos quanto ao horário previsto. Finalmente, às 6h da manhã CHEGAMOS AO NOSSO DESTINOO. E como foi?? Sem palavras pra descrever, mas isso é assunto para o próximo capítulo!
  11. Rodrigo! Eita, rapaz, que coincidência!!! Meu conterrâneo! hahaha Lucas, que massa, vc vai adorar a experiência! Vou postar agora mais um capítulo!
  12. Salve, galera!!! Estou aqui pra falar dessa viagem tão famosa aqui no fórum! Li tantas dicas, tantas recomendações, me imaginei milhares de vezes naqueles pontos turísticos, tirando aquelas fotos fodásticas...e finalmente aconteceu! E É REALMENTE TUDO ISSO MESMO, É MÁGICOO! (Claro, os perrengues vão acompanhar vocês, nem se preocupem, mas não ofuscará a magia da trip!). Decidi dar a minha contribuição nessa enciclopédia chamada Mochileiros.com!! Li muitos relatos daqui, o último foi o de Rodrigo e ajudou MUITO! Não só a mim, você foi muito citado nessa viagem, cara, és quase uma celebridade!! kkkkk Minha gente, isso aqui é uma verdadeira bíblia!!! Foi nesse site onde eu fiz praticamente todo o meu planejamento, sinto necessidade de continuar mantendo isso vivo! Então, amigos, aguardem porque serão muitas fotos, histórias, gargalhadas e aventuras! A única coisa que vocês não vão curtir é a depressão pós-viagem!! :’( E como tudo começou?! Primeiro, deixa eu me apresentar: meu nome é Ariadne, tenho 25 anos, sou formada em Economia e moro em Olinda, a terra do carnaval melhor do meu Brasil, amigos!!!! Hahahha Já tava com férias marcadas do meu trabalho desde o ano passado e estava a fim de fazer um mochilão, sabe? Que eu pudesse ficar out de tudo, esquecer os problemas da vida e celebrar como se amanhã o mundo fosse acabar! Então pesquisei bastante aqui no site, pensei em vários destinos e acabei decidindo em fazer o clássico Bolívia, Peru e Chile. Motivos? Preço acessível, paisagens estonteantes e diversão garantida. Quero mais o quê? PARTIUUUU!!! Os planos era de ir sozinha mesmo, mas aí vi que algumas pessoas aqui do grupo também estavam interessadas em viajar em agosto. Fizemos um grupo no whatsapp com várias pessoas e ficamos sempre em contato. Quando foi em março desse ano...COMPRAMOS AS PASSAGEEEEENSSS! Gente, essa é a primeira de muitas felicidades, é a certeza de que seus planos vão virar realidade, é MUITO BOM!!! Pronto, depois disso é se organizar mesmo, ler os relatos, juntar grana, pesquisar preços, enfim! Eu, particularmente, amo essa fase, viajo mesmo, me divirto, me imagino nas foto e leio todas as dicas!! O que comprei/levei? Quanto à mochila: comprei uma Forclaz Easyfit 50L, ela tem uma versão feita pra mulheres, eu adorei ela, não tive problema nenhum. Comprei por R$ 500 na Dechatlon. Mas quanto a isso, acho que as pessoas se preocupam demais com essa questão, eu mesma passava horas e horas comparando as bolsas. Vi de todos os tipos por lá. Todas as marcas, Curtlo, Quechua, Nord e não vi ninguém sofrendo com bolsa, não, todas aguentaram o tranco e com louvor!! Bota: Timberland Flume. Valeu a pena, é bem confortável e nada a reclamar. A galera fala que timberland é ruim, que descola fácil e blá blá blá, mas a minha ta aqui intacta! Fora isso, levei duas blusas segunda pele, uma blusa e dois casacos fleece, um corta vento, uma calça jeans e duas calças segunda pele. Também um short jeans, e algumas blusas leves. Luvas e gorro comprei por lá mesmo. Minha mala deu 9 ou 10kg, não lembro ao certo. Gente, em Uyuni faz MUITO frio, levem roupas que aqueçam de verdade, deixem um pouco dos seus salários na Decathlon, vai valer a pena. E saco de dormir? Não levem, vai ser peso morto!! Só precisei no Salar mesmo, e lá na agência que você for contratar os passeios pode alugar. E vocês nem pensem em economizar nisso, foram os 50 bolivianos mais bem pagos da viagem!! MOEDA E aí, levo dólar ou real?? Vejo muita gente se perguntando quanto a isso. Acho que você tem que fazer as conversões e ver se vale a pena. Neste momento eu acho que não está valendo mesmo, dólar a quase 4,00, que é isso?? Eu mesmo levei tudo em real, na época em que eu estava com dinheiro para cambiar, a cotação já estava muito alta, não era válido. Claro, se você tiver uns dólares guardados vai se dar MUITO bem!! E sim, você consegue trocar real facilmente nas grandes cidades. Vou dizer aqui as cotações que encontrei no mês de agosto: Bolivianos: Em Santa Cruz: 2,02/ Uyuni: 1,85/La Paz 1,80 até 1,92 DICA: TROQUEM TODO SEU DINHEIRO EM SANTA CRUZ, É O MELHOR CÂMBIO, ME ARREPENDI DE NÃO TER FEITO ISSO, FIQUEI TROCANDO AOS POUCOS, DE CIDADE EM CIDADE, E, NESSA BRINCADEIRINHA ACABEI PERDENDO! Soles: Em Arequipa e Cusco: entre 0,85 e 0,87. Não mudou muita coisa entre essas cidades, não vá chegar lá sonhando em 1 pra 1, fui nessa ilusão e me frustrei quando cheguei lá!!!! Pra quem comprou dólar a R$ 3,20, por exemplo, o câmbio lá tava 1 dólar pra s/3,20, ou seja, cotação de 1 para 1, já sairia na vantagem. Pesos Chilenos: 1 real para 170 pesos. No Atacama só havia essa cotação mesmo, é tudo tabelado por lá, pesquisamos, mas infelizmente era o que tinha pra nós! Bom, acho que é isso, agora vamos começar a brincadeira, que não foi leve, não, hein? Cintos afivelados?! Hahahhaha
×
×
  • Criar Novo...