Ir para conteúdo

psemple

Membros de Honra
  • Total de itens

    1.221
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que psemple postou

  1. Uma ideia é passar por Bruxelas no meio do caminho. Daí dá para ser só 1 a 3 dias, dependendo do que você quiser conhecer. Outra opção se vc vai mais pro norte da inglaterra é pegar avião de paris, porque trem lá dentro é bem carinho. Trem vai valer mais a pena financeiramente se for Paris-Londres mesmo. Se for Paris-Liverpool ou manchester, acho que avião vai ser mais barato. Eu conheço bem a inglaterra, mas tem inúmeras opções de cidades. Fora de londres, a minhas preferidas são York e Windsor (pelo Castelo). Tudo depende de interesses, Manchester (futebol), Liverpool (Beatles), castelos (tem inúmeros) Particularmente, eu acho Edimburgo na Escócia mais interessante que as cidades do interior da Inglaterra. Nesse caso, valeria avião de Paris para lá e depois ir de trem ou avião para Londres.
  2. Acredito que não vai ter problema se ela manteve o nome do meio tipo "Maria da Silva" para "Maria da Silva Vargas". Por erro do sistema já fizeram umas besteiras de juntas o primeiro nome com parte do nome do meio e não teve problema nenhum. Pode dar dor cabeça só se realmente ela suprimiu o último nome de solteira e está com nome do marido, daí não sei como fazer...
  3. Acabei de voltar de viagem da Suíca. FIquei hospedado 7 noites (8 dias) em Thun (perto de Berna). Comprei o Swiss Pass de 8 dias por 398 francos e foi a melhor coisa que fiz. Por vários motivos: Flexibilidade: é difícil saber quanto tempo vai durar os passeios (existem filas enormes em alguns passeios à la parques da Disneyland), alguns passeios na altitude você não vai ficar muito bem e pode querer mudar seus planos e o tempo é extremamente imprevisível. Com o passe, você pode se deslocar para o lugar na suiça onde o tempo for estar melhor e varia muito ao redor do país. Há 50% de desconto na maioria dos teleféricos. A parte não inclusa pelo Swiss Pass, o Jungfrau teve 25% de desconto, ou equivalente a cerca de 40 francos de desconto. Quase todos os museus e castelos são gratuitos. O castelo de Chillon custa 29 francos a entrada avulsa, por exemplo. Transporte público local não é barato. Um passe de tram avulso as vezes é coisa de 5 francos suiços. O Jungfrau eu tive que esperar até o último dia viável para ir quando o tempo estava parcialmente nublado. O meu roteiro resumido foi o seguinte: Dia 1: Voo para Genebra, trem para Lausanne e bate-volta em Evian na França (de barco com 30 minutos de duração) --> esse dia estava super ensolarado, bem bonito. Dia 2: Lucerne (era o lugar na Suiça que tempo ia estar melhor) e monte Pilatus. --> tempo estava bom só nessa parte do país Dia 3: Klein Matterhorn --> tempo ótimo nesse parte do país, mas na maioria do país estava ruim Dia 4: Cataratas do Reno e Zurich (Uetliberg) --> tempo feio no país todo, melhorou um pouco no final da tarde. dia 5: Vaduz, liechtenstein --> tempo feio em todo país. Esse era meu plano de backup para um dia de tempo ruim para adicionar mais um país na lista dos que conheci. Dia 6: Castelo de Chillon e Castelo de Oberhafen --> tempo bem feio em todo país. Dia 7: Região de Jungfraujoch --> tempo estava ruim na maioria do país e relativamente bom nessa região pela parte da manhã. Altitude me deu certo mal estar (muita sonolência e enjoo) e por isso não deu para fazer mais nada durante o resto do dia. Dia 8: Passeio por Basel e voo pelo aeroporto de Basel --> tempo estava ótimo Em resumo, se meu roteiro fosse fixo por cidade eu teria passado muita raiva de pagar caro nos teleféricos por só ver nuvens. Mas com a flexibilidade do roteiro deu para adaptar. E quando o tempo estava médio, dava para escolher montanhas mais baixas (monte pilatus, por exemplo). Em princípio, gostaria de ter feito mais passeios para montanhas / teleféricos. Mas não deu por conta das condições de tempo. O conselho principal é: olhe a previsão do tempo em: http://meteonews.ch/en/Weather_Map/CCH/Switzerland e Olhe as webcams do lugar que você vai em tempo real. E claro que o tempo pode mudar em poucos minutos. Um fator importante no planejamento é que montanha costuma ter tempo bom na parte manhã e tarde nublada. Quanto mais alta a montanha, mais arriscado de ter baixa visibilidade.
  4. O frio tende a ser bem suportável no verão. Eu fui em junho, fazia uns 4-6 graus de noite e uns 8-10 graus durante o dia. Para esse frio, segunda pele na perna as vezes vc passa muito calor enquanto está se locomovendo. Há quem goste e outros não. Em geral, vc pode usar uma camiseta + segunda pele (blusa) + casaco pesado + luva + meia de lã. Vc não precisa mais de um casaco. Recomendo levar gorro com proteção no ouvido (ou casaco com capuz), pois em alguns lugares venta demais. A decathlon.com.br vende roupas a preços razoáveis de inverno. Algo assim é uma ideia: http://www.decathlon.com.br/trilha-e-trekking/roupas-masculinas-de-trilha-e-trekking/camada-3-jaquetas-impermeaveis-e-quentes/jaqueta-rainwarm-100-homem-castanho?skuId=361453
  5. Toma cuidado tbem com o tipo de hospedagem que vc vai pegar. Eu já tive a brilhante ideia de achar que me hospedar em Paris perto do metro e da estação de trem internacional era bom o suficiente. O problema é que eu estava hospedado em um extremo da cidade e o meu objetivo era ir assistir jogos de tênis em Roland Garros, que era em outro extremo da cidade. Daí acabava perdendo mais de 1 hora para ir e mais de uma hora para voltar.
  6. Valor exato que vc vai gastar mesmo para Cerveja é complicado. Em qq cidade da Europa, dependendo da onde vc estiver, se for a região mais badalada, um pint de cerveja pode ser 5 euros. Multiplica isso por 7, já são 35 euros se vc ficar um tempinho bebendo. Bares e baladas o gasto é impossível de prever pq o ceu é o limite. Vc vai em alta temporada, o que tbem encarecerá possivelmente a hospedagem. Eu vou para Amsterdam na Páscoa, que acho que é até mais alta temporada que Julho, e hostel top (Generator, Flying Pig) bem localizado na época que eu vou está na custando incríveis 60-75 euros por dia em quarto compartilhado por pessoa. Eu até acabei abandonando a ideia de fiscar em hostel em Amsterdam e resolvi ficar em AirBNB em quarto privado, pq o preço estava quase o mesmo de quarto compartilhado.
  7. Uma das coisas principais que talvez ajudem a definir o roteiro é aonde vc achar passagem barata. Julho é sempre complicado, mas tem que tentar. Portugal e Espanha acho mais fácil de fazer trips mais econômicas pelo custo de vida dos países. Cidades muito turísticas de praia o preço fica bem mais caro em alta temporada, como no Brasil. Cidades que não são de praia como Lisboa e Madrid, tendem a não ser tão mais caras em alta temporada. Já se vc for para o Algarve, Barcelona ou para Ibiza, tende a gastar mais de hospedagem, por exemplo.
  8. Eu fui para Islândia no ano passado (junho, que é já o início da alta temporada) e fiquei somente em Reykjavik num AirBNB, que alugamos. Contratamos tours com empresas locais. Ao contrário de outras cidades, acho os tours bem válidos, os islandeses são super pontuais, não tem trânsito na cidade, então não tem aquela encheção de saco de fazer tour em cidade grande. Recomendo pegar agências menores que usam vans e não ônibus. A recomendação principal é reservar hospedagem o mais rápido possível, porque há poucas opções na Reyjavik. A maioria das pessoas acaba ficando em AIrBNB. Recomendo fortemente ficar no centro, que não tiver carro. Quanto ao número de dias, acho bem viável ficar só em Reykjavik e fazer os tours de lá. A vantagem maior é que vc terá acesso à supermercados, bons restaurantes, lojas, etc. Enquanto no interior há pouquíssimas opções de alimentação, compras, etc. Eu fiquei 6 noites (5 dias inteiros em Reyjavik). A programação foi a seguinte: Dia 0: chegada de noite, de voo vindo de Paris pela Transavia Dia 1: Free Walking tour em Reykjavik (dá caixinha) e passeio na cidade Dia 2: South coast & glacier walk (Geo Iceland) - indo e voltando a Reykjavik Dia 3: Reyjanes & blue lagoon (Geo Iceland) - indo e voltando a Reykjavik Dia 4: Golden Circle (Geo Iceland)- indo e voltando a Reykjavik Dia 5: Snæfellsnes National Park Tour (Time Tours) - indo e voltando a Reykjavik Dia 6: Voo para Londres pela Easyjet Free Walking tour: http://citywalk.is/free-walking-tour-reykjavik/ Geoiceland: www.geoiceland.com Time tours: http://timetours.is/
  9. Acredito que a estação de trem seja no centro. Nesse caso eu pegaria algum hotel nessa região ou talvez no Savassi, Lourdes ou algum bairro não muito longe da rodoviária. Daí pela manhã pegaria o onibus da rodoviaria que vai para o aeroporto: http://www.conexaoaeroporto.com.br/home Eu acredito que consiga achar hotéis bem decentes nessa faixa de preço (até uns 250 reais) e ainda sobraria uns 40 reais para pegar táxi para seus pais não terem que ficar andando. Eu acho que até daria para eles ficarem perto de Confins, mas daí já sai mais caro para se virar de táxi e eles já vão estar cansados para querer fazer mais uma viagem de ônibus convencional atravessando a cidade.
  10. Na minha opinião vc fez errado o roteiro, pois passagem de ônibus na argentina não é barato (fora o tempo perdido) e voo seria bem mais barato se estivesse comprado voo com o destino final, tipo voo até Mendoza. Agora que já está feito o que eu faria é tentar um roteiro passando por outras cidades, tipo Rosário, Cordoba até chegar em Mendoza. Daí eu iria para Santiago do Chile de bus e voltaria para Buenos Aires de avião. Enfim, precisa dar uma pensada.
  11. É bom lembrar que no verão a chance de atraso na alta temporada é bem grande. O meu bus indo de El Calafate para Puerto Natales chegou com mais de 1 hora de atraso pela demora na fronteira no começo de janeiro. Em todas as fronteiras pode acontecer o mesmo na alta temporada, é questão de sorte se um ônibus de excursão passar antes do seu vai atrasar porque tem muito pouco funcionário nas fronteiras terrestres.
  12. Qualquer companhia deixa cancelar pagando as taxas. O que eu faria se vc vai realmente cancelar é esperar e ver se eles mudam o horário. Se eles mudarem o horário do seu voo, daí vc cancelar e receber tudo de volta. Caso contrário, vai ter que pagar a taxa.
  13. Eu consideraria reservar trem de Londres para Paris, vc precisa considerar que as low cost vão para aeroportos longinquos que além de longe, tem locomoção cara e demorada. Se fizer esse trecho de trem tem uma economia e é muito mais rápido. E os outros trechos vc faz de avião. Sobre reservar com tanta ancedência assim bilhete aérea, eu não vejo necessidade, não costuma ser mais barato. Eu, por exemplo, reservei uns 4 meses um voo de Paris para Islândia e vi que o preço chegou a abaixar um pouco. O ideal para reservar passagem de avião é no mínimo uns 5 meses antes a não ser que seja feriado. E eu já fui para Europa no início da alta temporada (junho). Sempre antes de reservar compare o preço da low-cost (easyjet, ryanair, etc.) indo até o final da reserva. Eles não incluem bagagem despachada e a de mão é muito limitada. Normalmente bagagem de 20kg é suficiente para maioria das pessoas e eu recomendo, pq se vc colocar umas gramas a mais da quota é um absurdo (tipo 15 euros por kilo extra). Muitas vezes comparando a low-cost com as tradicionais sai mais caro. Leve em conta que determinados aeroportos são muito mais acessíveis e com transporte mais barato. (exemplo: London City Airport ou Paris Orly). Então as vezes vc gasta mais no avião, mas economiza na locomoção.
  14. Hotel com milhagem normalmente é fria em termos de custo/benefício. Claro que se vc tem milhas a vencer pode valer a pena, caso contrário melhor usar com passagens locais ou internacionais. Recomendo visitar de passagem quando estiver indo de Porto a Santiago de Compostela que pare em Viana do Castelo, é um dos lugares mais lindos que vi em Portugal. O mais interessante é o Santuário de Santa Luzia, que tem uma vista deslumbrante. Eu acho que vc poderia considerar dormir em Toledo ou nas redondezas, o trânsito de Madrid é ruinzinho para ir voltar de carro. De resto me parece meio loucura andar 7 horas num só dia, mas cada um é cada um, se vc aguenta vai em frente.
  15. psemple

    El Chaltén

    Sempre bom lembrar que é bom limitar o limite de cada um, de nada adianta querer economizar tempo e fazer mais do que seu corpo aguenta e depois ficar com bolhas no pé, de cama, etc. Eu como não estava com preparo fisico tinindo ia intercalando trekkings mais leves, mais pesados, navegações... Além disso, é bom contar com dias de folga para o clima. Eu tive sorte com o tempo em El Chaltén, mas teve gente que me falou que ficou dias quase trancado no hostel pq não valia a pena fazer o trekking para no final não ver quase nada.
  16. Queenstown para Milford Sound são umas 5 horas de viagem, pq parece perto pelo mapa, mas não é. pq precisa contornar as montanhas dando uma volta quase "360 graus" Eu particularmente acho que vale mais a pena pegar excursão do que ficar dirigindo quase 10 horas. Milford Sound o que tem para fazer é um passeio de barco de umas 2 horas e ir desfrutando a paisagem até chegar lá. Ou tem gente que dorme no barco, o que eu não vejo muita vantagem. A outra opção é dormir em Te Anau, que é uma cidadezinha no meio do nada e não tem nada para fazer, fora o fato de ser o lugar mais perto de Milford Sound. O que vc pode fazer seria devolver o carro já no primeiro dia em queenstown, pq em queenstown não precisa muito de carro. Na verdade até tem uns passeios legais nas redondezas, mas boa parte requer que vc tenha um 4x4 e a cidade em si é minúscula. Se quiser dar uma pensada nas opções entre em http://www.jucycruize.co.nz/
  17. Não é tão complicado fazer a conta. Olhem uma casa de câmbio de Santiago (http://www.cambiosantiago.cl/) na cotação que eles compram: 1 usd = 688 pesos 1 real = 171 pesos Aqui em são paulo na casa de câmbio que eu compro está R$ 3,96 por US$ 1,00 (http://www.cambiobr.com.br/). Mas tudo depende da casa de câmbio perto de vc. tanto aqui, quanto no Chile. Ou seja com 2 conversões, dá 174 (ou seja 688/3,96) pesos chilenos por real. Mas óbvio que isso varia a cada minuto. Quando eu fui em Julho valia mais levar dólar também. E depende tanto das casas de cambio daqui e do Chile. E pelo que o pessoal comenta em alta temporada quando os Brasileiros inundam Santiago de reais a cotação piora.
  18. Com a cotação oficial, 1 real vale 182 pesos chilenos. Mas se vc levar real ao invés de dólar deve estar por volta de uns 10% abaixo disso, ou uns 164. Mas se vc trocar por dólar e depois trocar por peso chileno deve te custar uns 4 a 5% mais uns 2%, daí dar 1 real = 169 pesos chilenos.
  19. Um dia para Edimburgo acho muito pouco, só o castelo com umas 4 horas vc visita mais ou menos. Fora a Camara Obscura que é do lado do castelo e vc gasta uma hora e meia mais ou menos e tem vista boa da cidade também. Tem várias outras coisas do lado do castelo, tipo whisky experience. Enfim, só com essa pequena parte da cidade já vai um dia fácil. A Carton Hill eu não fui, mas é grátis. Fica no centro, se não me engano, é de fácil acesso.
  20. Esse forum é mais para dúvidas especificas e não coisas tão gerais. Se você der no google, roteiro Roma 5 dias vão aparecer várias sugestões. Tem vários sites como melhoresdestinos.com.br , viajenaviagem.com.br , tripadvisor.com.br que dão muitas dicas. O viaje na viagem em especial é muito didático. Aqui no mochileiros tem um monte de relatos de visitas a roma que podem ser úteis.
  21. Existe sim multa para o travelcard (que é diferente de Oystercard)! Existe sim! As pessoas não leem direito e começam a acusar os outros de escrever coisa errada. E ainda pode ser fichado pela polícia. O travelcard vale para zonas específicas e não tem a possibilidade de vc passar e ir para uma zona que não estava inclusa no seu bilhete e depois se arrepender. Agora claro vai depender do bom senso do fiscal da estação que vc fizer algo errado e ele achar que vc estava tentando burlar o metrô ou era apenas um turista perdido, que não sabia a zona que estava. Não existe multa para o Oystercard como foi dito acima, que pode ficar negativo até a próxima recarga. Mas por outro lado se vc esquecer de passar no validador na hora da saída ele te cobra a tarifa mais cara possível e sim eu já fiz isso, pois nem todas as estações tem catraca e as vezes vc não se lembra. Aqui tem as informações: https://tfl.gov.uk/fares-and-payments/penalties-and-enforcement "Fare evasion is a criminal offence that could lead to a fine of up to £1000 and a criminal record. Remember that your ticket must cover your entire journey and all the zones you're travelling in."
  22. Sobre os trens, em geral sai caro mudar, mas normalmente é possível, depende da regra da tarifa que vc comprar. Sobre bagagem, normalmente não tem restrição, a não ser que esteja levando algo gigante. Sobre ônibus em geral não tem muita restrição, acho que o megabus diz ser algo como 20 kg, mas acho que eles não checam, só vc tiver levando algo gigantesco. Sobre a questão de prender o roteiro, costuma ser melhor vc desperdiçar um ou outro ticket na viagem e re-marcar na hora do que não marcar nada antes. Vc vai gastar bem mais se resolver marcar tudo na hora. Um trem Paris-Londres marcando com antecedência quando fui no último Junho era 43 euros. Se marcar na hora é 180 euros. O que é uma opção é deixar os trechos menores para comprar na hora, que em trens regionais não são tão caros e deixar os trajetos mais longos pré-marcados. Do tipo se vc for para Portugal, vc deixa o voo Madrid - Lisboa marcado e os trechos curtos vai comprando conforme for evoluindo a viagem.
  23. Sobre o esboço da viagem acho que está factível sim, mas 62 Euros por dia me parece pouco, mas depende do quanto que vc vai arrumar de hospedagem "grátis" no couch surfing. Como referência em Paris, e fiquei no hostel Generator e a diária em quarto compartilhado era uns 40 Euros por dia + 7 euros de café da manhã. Outros hostels tops como Saint Christopher era quase a mesma coisa. . 62 euros por dia dá para sobreviver com as despesas dentro da cidade, museus, almoço, jantar, bares eventuais...Mas com certeza se incluir outras coisas como hospedagem e passagens aérea internas/trem acho bem dificil dar.
  24. Pelo que eu já conversei com pessoas que fizeram esses cursos, precisa tomar um cuidado "danado" na hora de fazer curso de inglês. Muita gente vai e só mantém contato com Brasileiro e numa viagem de 15 dias, dá 10 dias de aula (talvez 40 horas de aula, dependendo da escola). Daí a pessoa volta do mesmo jeito que foi, tendo feito vários amigos brasileiros. Ou seja, precisa escolher bem a escola e preferencialmente que seja uma região com pouco Brasileiro, que não é o caso de Dublin. O jeito é pesquisar bem as escolas que funcionam quase sem parar para tentar focar o máximo possível no inglês e aproveitar só o fim de semana para viajar.
  25. Eu nunca ouvi falar de ninguém que fez viagem para Europa com passe de ônibus, mas parece furada. Muito trechos não são caros para ir de trem e vc vai perder tempo a toa na viagem com viagens longas. Fora que a Eurolines não faz os destinos locais, em geral. O passe de trem também me parece furada, tem muita restrição, daí quando vc vai marcar de última hora muitas vezes o trecho que vc precisa não está disponível. No final, caso a caso, entre trem/ônibus/avião parece a melhor alternativa. Por exemplo, de trem ou ônibus de Madrid a Lisboa costuma ser mais que avião e a viagem dura mais de 10 horas.
×
×
  • Criar Novo...