Ir para conteúdo

psemple

Membros de Honra
  • Total de itens

    1.221
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que psemple postou

  1. Não tem um país que seja mais barato de ir. Na teoria deveria ser Portugal, porque é o mais perto. Na prática, pode ser qualquer país, não há regra. O jeito é pesquisar em sites como skyscanner.com.br . Daí vc vai testando diversas opções de data e destino (Roma, Londres, Paris, Lisboa, Madrid, Roma, etc.).
  2. O que o Davi falou é a realidade, é tipo encontrar hospedagem para passar o carnaval no Rio de Janeiro. Tudo 4 vezes mais caro que o normal se reservado com antecedência e em cima da hora mal encontra lugar para ficar.
  3. Fica de olho no site http://www.melhoresdestinos.com.br . Muitas vezes saem promoções boas. Mas concordo com que não adianta comprar qualquer passagem para Europa, porque os trechos internos podem ser caros.
  4. Nunca passei ano novo na Europa, mas o óbvio são as cidades grandes. Entre Espanha e Itália, seriam Madrid, Roma e Barcelona. Sendo que não iria para MIlão no ano novo por ser muito frio para ficar ao ar livre ficar vendo queima de fogos.
  5. Tem alguns trechos longe demais, que são viáveis, mas eventualmente seria mais interessante deixar cidades mais próximas. Algumas cidades me parecem pouco tempo, em especial Roma, Munique. Você não precisa entrar e sair pela mesma cidade. Vai fazer ganhar tempo e pode até economizar no deslocamento posterior.
  6. De Lisboa a Madrid de trem eu não recomendo. Só tem um trem por dia que é noturno e leva umas 10 horas. Para a maior parte das pessoas vai ser uma noite de hospedagem economizada e uma noite bem mal dormida no trem. Para esse trecho, eu ainda prefiro avião, mesmo com as taxas de bagagem. Dependendo da data do voo, com uns 50 euros, vc já acha voo com bagagem despachada de 20 kg e mais 10 kg de mão.
  7. Eu não vejo vantagem em pegar ferry de liverpool para Dublin. Tem que fazer 2 baldeações de trem, porque o trem não vai direto e vc vai ter que ir para o Porto de Dublin de ônibus, que é quase o mesmo tempo para chegar no centro que o aeroporto. Liverpool mesmo eu não vi tanta coisa para fazer, só para quem é muito fã de Beatles, é disso que a cidade vive. Em principio, eu deixaria mais tempo para Londres e deixaria mais tempo para poder fazer bate-voltas para cidades nos arredores. Em Dublin também tem muitos bate-voltas bacanas para fazer, em especial Giants Causeway e CLiffs of Moher. Se vc achar que convém, existem voos diretos de Dublin para Birmingham. Daí vc pode pode fazer um bate-volta para Liverpool de Birmingham se vc achar que convém.
  8. Diego, se vc faz questão de voo sem conexão, poderia ser TAM entrando por Milão e saindo por Paris. Madrid seria outra ideia pq a TAM tbém voa direto para madrid, mas aí vc teria que ter interesse na cidade, pq só para chegar em barcelona não vale normalmente. O que o Adriano falou sobre voo com conexão é verdade, mas as vezes a TAM faz umas promoções legais para Europa. Ano passado aproveitei uma dessas para entrar por Londres e ir embora por Frankfurt. Das cidades do seu roteiro, acho que só não seria legal entrar por Paris e sair por Amsterdam, de resto, vc pode escolher por preço pq mesmo em tempo vai fazer pouca diferença. Como todos os trechos seriam de avião (ou trem TGV longo), exceto deixar paris e amsterdam juntas, qualquer ordem dá quase na mesma.
  9. Valeu pela ajuda. Deu para perceber que não é tão caótico quanto eu imaginava. Me parece uma opção boa para ir de SP, considerando que tem voo do aeroporto de Congonhas.
  10. Se vc quer passear tente agendar com muita antecedência passagem aérea e de ônibus e veja com a escola a existência de feriados. Passagem de ônibus dá para achar por 1 dólar (NZD) + taxa de reserva tanto na intercity, quanto nakedbus. Voos por exemplo eu peguei um trecho queenstown wellington por 100 nzd. Em cima da hora era uns 400 nzd.
  11. Vai dar na mesma, a única vantagem de Euro é que numa emergência é mais fácil de ser aceito por uma loja ou taxista. Lembre-se em cada país antes de ir embora de trocar de volta a moeda local por dólar ou euro, ou torrar o dinheiro com alguma compra. Do contrário, o dinheiro será apenas um souvenir da sua viagem. Por outro lado, se for para vc voltar para o Brasil com alguma moeda, dólar é melhor para guardar para viagens futuras sem destino definido.
  12. Boa parte dessas cidades está com dias demais. Para algumas, talvez seja interessante para adicionar uns bate-voltas. Amsterdam na Holanda é uma cidade candidata a incluir vários bate-voltas: bruxelas, bruges, haia, antuérpia, rotterdam, entre outras. Por outro lado ao invés de fazer bate-voltas na Bélgica, talvez fosse melhor incluir a Bélgica se fosse conhecer mais de uma cidade. Enfim, você precisaria dar uma pesquisada em cada cidade o que tem para fazer para ver se valhe gastar tanto tempo.
  13. Não tem o mínimo sentido você fazer isso. Acho que daria mais de 12 horas fazendo isso, teria que ir de Londres a Paris de trem, de Paris à Milão e de Milão à Roma. Seriam trens caros de companhias diferentes. Mesmo em cima da hora, acho que será mais barato e bem mais rápido de avião. Um voo Londres - Roma dura por volta de 2h30.
  14. Pessoal, Eu estou vendo algumas possibilidade para o carnaval do ano que vem e estou pensando em Floripa. Qual avaliação que quem já passou ou de quem mora faz sobre a infraestrutura para o turismo nessa época: 1) Existe transporte suficiente na cidade para os turistas (ônibus, taxis)? 2) O trânsito fica muito caótico? 3) Os restaurantes e supermercados ficam super cheios, do tipo horas de espera? 4) As praias ficam insuportavelmente cheias de mal de mal ter lugar para andar?
  15. Eu não discordo do Davi, que dá para fazer essas cidades longe dá e a viagem não será ruim, o que eu costumo achar é que vc meio que "queima cartucho". Vou dar um exemplo, vc fez exatamente esse itinerário acima e gostou dos países. Da próxima vez que vc for, vc está interessado em fazer Madrid, Sevilha, Bruxelas, Florença, Veneza, Edimburgo, Munique e Marselha. Dessa vez, você possivelmente vai ter que fazer rotas pouco comuns de avião, ou repetir ("perder tempo") passando por cidades que já passou e que podem lhe custar um bom dinheiro, fora que vc vai ter perdido mais tempo de deslocamento. Outra coisa que eu acho que enriquece é vc ir conhecendo ao longo do território para ver os contrastes, sul de portugal x norte, sul da itália x norte, diversas regiões da Espanha, diversos países de língua inglesa. Eu acho que esse tipo de coisa de você ir conhecendo o país mais a fundo enriquece a experiência da viagem.
  16. Embora dê para conhecer quase todas essas cidades nesse tempo, eu pelo menos sou a favor de tentar fazer um roteiro percorrendo distâncias menores, percorrendo regiões. Exemplo, se você quer voltar para Barcelona, porque não fazer um roteiro de Espanha e Portugal, por exemplo. Você até pode ter gostado muito de Barcelona, mas porquê não tentar alguma outra região para ir para praia, exemplo Ibiza na Espanha, Faro no Algarve em Portugal. Existem muitas outras opções na Espanha, Itália... Enfim, a viagem é sua e vc tem que fazer o que tem vontade.
  17. Fazer viagem para Grécia sem roteiro à priori é loucura. Querendo ou não você vai ter que se virar com os transportes escassos dentro da Grécia.
  18. Em geral o que o pessoal recomenda é no mínimo uns 5 dias em Paris e 5 dias em Londres. Os outros dias vc poderia utilizar por exemplo com Amsterdam e Bruxelas. Esse é o roteiro que faz mais sentido. Edimburgo na Escócia é uma cidade bacana. Dublin na Irlanda é outra possibilidade. Barcelona na Espanha mais uma. Roma na Itália mais uma. Outra opções seria conhecer mais a Inglaterra ou mais o interior da França. Dependendo da cidade que vc for, uma possibilidade é incluir Lisboa por ter voos de quase todo Brasil pela TAP.
  19. Você me parece que está começando errado. Sempre ouço essa história de quer conhecer o máximo de lugares possíveis. Isso porque a cada cidade nova que você incluir, você perde por volta de meio dia no deslocamento. Embora o voo seja 1/2 horas, ir até o aeroporto, check-in/check-out. Ao invés de estar desfrutando a viagem, você estará gastando mais dinheiro e usufruindo aeroportos, estradas, estações de trem, o que não é a parte legal da viagem. Assim sendo, se lugar vc entende como sendo país/cidades, não tenha esse objetivo na sua viagem. A cada cidade que vc for tenha o tempo adequado para ver as atrações principais. Você não vai para Paris só para ver a torre Eiffel, nem para Londres ver o Big Ben. Nessas cidades tem uma infinidade de atrações. Em cada cidade grande, normalmente tem umas 5 cidades próximas que são interessantes de visitar. Assim sendo, o conselho é vc pesquisar cidades que lhe interessem visitar, talvez no máximo 3 cidades para serem o centro do roteiro. Exemplo, Paris, Londres e Roma. Tendo essas cidades definidas vc pode engatar outras no roteiro, tipo amsterdam e bruxelas entre Paris e Londres. Florença e Veneza, junto com Roma. Por exemplo, eu já passei no total mais de 2 meses na Europa entre 3 viagens que fiz e falta conhecer uma infinidade de lugares. Nem Portugal que é um país super pequeno e que eu dediquei mais tempo (umas 2 semanas no total), eu conheci tudo que gostaria.
  20. Você me parece que está começando errado. Sempre ouço essa história de quer conhecer o máximo de lugares possíveis. Isso porque a cada cidade nova que você incluir, você perde por volta de meio dia no deslocamento. Embora o voo seja 1/2 horas, ir até o aeroporto, check-in/check-out. Ao invés de estar desfrutando a viagem, você estará gastando mais dinheiro e usufruindo aeroportos, estradas, estações de trem, o que não é a parte legal da viagem. Assim sendo, se lugar vc entende como sendo país/cidades, não tenha esse objetivo na sua viagem. A cada cidade que vc for tenha o tempo adequado para ver as atrações principais. Você não vai para Paris só para ver a torre Eiffel, nem para Londres ver o Big Ben. Nessas cidades tem uma infinidade de atrações. Em cada cidade grande, normalmente tem umas 5 cidades próximas que são interessantes de visitar. Assim sendo, o conselho é vc pesquisar cidades que lhe interessem visitar, talvez no máximo 3 cidades para serem o centro do roteiro. Exemplo, Paris, Londres e Roma. Tendo essas cidades definidas vc pode engatar outras no roteiro, tipo amsterdam e bruxelas entre Paris e Londres. Florença e Veneza, junto com Roma. Por exemplo, eu já passei no total mais de 2 meses na Europa entre 3 viagens que fiz e falta conhecer uma infinidade de lugares. Nem Portugal que é um país super pequeno e que eu dediquei mais tempo (umas 2 semanas no total), eu conheci tudo que gostaria.
  21. psemple

    Madri

    Eu acho que eles não implicariam com a quantia. Não chega a ser quantia visívil para lavagem de dinheiro. Mas é um risco grande. Imagina se te roubam a caminho do aeroporto no Brasil, ficar tomando conta de mais de 10000 reais em espécie em hostel na hora de tomar banho, hora de dormir... Eu mesmo já tive problema com cartão pré-pago e cartão normal, as vezes eles recusam uma transação do nada. A solução que eu faço é sempre levar vários meios de pagamento, cartão pré-pago, cartão de débito do banco, cartão de crédito. Uma vez fui fazer uma compra no avião e não passou nenhum dos 3 cartões que eu tinha. Daí, a aeromoça fez um pedido manual no cartão de crédito. Problema maior que eu já ouvi com cartão pré-pago é bem raro, é a máquina européia engolir o cartão e não devolver. Mas isso é mais raro que ser assaltado. Já ouvi muito mais história de assalto que de cartão engolido. Mas mesmo assim dependendo do cartão eles te providenciam dentro de algum tempo outro cartão. Outros tipos de problema é bloquear, daí você liga na central e desbloqueia. Já teve vez que eu tentei pagar o hotel com cartão pré-pago e não foi. Daí liguei na central e eles falaram que parte dos hotéis coloca uma reserva de 15% para algum gasto extra (que eles devolvem em até 15 após o check-out). Daí eu não tinha saldo suficiente. Daí simplesmente eu fui no banco e saquei o dinheiro para pagar. Se você não tiver mais de um cartão para levar de reserva, faça mais de um cartão pré-pago (um visa e um mastercard por exemplo). Daí se um não funcionar, você tem outro. Resumindo, a solução não é levar mais dinheiro, mas sim ter vários meios de pagamento à disposição no caso de um problema.
  22. Sobre o dinheiro que é necessário para levar seja sempre conservadora. Uma das coisas que mais encarecem é balada. Nesse caso, o gasto pode ser violento. Contando táxi (transporte pública não funciona tarde na maioria das cidades), não é difícil gastar 50 euros numa noite. O que o Davi falou de 60 euros por dia (sem contar os deslocamentos), mesmo que vc pegue só hostel de 20 euros por dias (para a maioria das cidades é díficil pegar menos que isso), sobrariam 40 euros. Considerando que no mínimo 5 euros já são para transporte (quando é do aeroporto muitas vezes dá até mais), sobram 35 euros. Se vc jantar e almoçar fora mesmo fast food e comprar café da manhã no hostel já vão pelo menos uns 20-25 euros por dia. Entrada de museu não é raro ser tipo 20 euros para museus importantes ou 10 euros para museus pequenos. Enfim, precisa pesquisar bem o roteiro para cada cidade com pouco dinheiro para ver se vale a pena ir. Tem gente que cozinha de noite para economizar. Bagagem é um milagre vc conseguir levar só 10 KG com mala nas dimensões que eles pedem e se virar por um mês inteiro. E só pode 1 bagagem de mão, incluindo bolsa feminina, ou seja se vc levar uma bolsa feminina extra tem que colocar dentro da bagagem de mão. Eu com bagagem de mão masculina para passar um feriado prolongado de calor e levando umas 2 calças, 4 bermudas, 5 camisetas, pijama, havaianas, roupa íntima e itens de primeira necessidade (barbeador, carregador de celular, escova de dentes, protetor solar) e levando apenas calçado no pé já dava uns 9 kg. E a mala não era super pesada, era normal de tecido.
  23. As cidades grandes em geral o ideal é ficar perto de metrô e de preferência áreas bem servidas de supermercado, restaurantes, etc. EM Londres, por exemplo, eu fiquei num Travelodge em Stratford (perto do maior shopping da Europa), que é um lugar menos central, mas próximo do metrô. O acesso dentro da cidade era bem simples via metrô. Tem muita atração espalhada pela cidade. Em Madrid, eu paguei mais para ficar no lugar mais central possível, perto da plaza del Sol. Comparado com ficar perto de outra estação um pouco mais periférica não vi uma super vantagem.
  24. Só lembrando que se vc for mesmo de Paris para Cracóvia de Avião dê preferência para sair por Charles de Gaule ou Orly. A Ryanair tem voos de Paris-Bouvais, mas é trabalhoso e mais caro chegar lá.
  25. Viagem em conta é conhecer melhor menos cidades. Quanto mais cidades você incluir no roteiro, menos vai desfrutar de cada, mais vai se cansar nos deslocamentos. Pense que cada deslocamento significa na média perder meio dia de viagem entre trem/avião/metrô/ônibus/taxi/check-in
×
×
  • Criar Novo...