Ir para conteúdo

psemple

Membros de Honra
  • Total de itens

    1.221
  • Registro em

  • Última visita

Tudo que psemple postou

  1. Eu não costumo achar que tempo demais seja problema, como o Adriano disse sempre dá para incluir bate-voltas. De Dublin, tem pelo menos 2 bate-voltas que eu acho imperdiveis que são Cliffs of Moher e Giants Causeway. Eu fiquei 4 dias inteiros e acho que faltou tempo, pq eu não fui para Cork/Blarney Castle, Galway, entre outros lugares. Eu já fiquei 8 dias em Porto e foi ótimo para usá-la como base, conheci quase tudo de relevante ao centro-norte de Portugal. É uma sensação muito legal vc estar numa cidade e começar a perceber que já tem um bom conhecimento dela, que consegue andar sem mapas. Mas tem outras cidades que acho que vale esse raciocinio, Liverpool eu passei 2 dias quase completos e não tinha mais muita coisa que eu quisesse ver. Claro que se eu fosse passar mais um dia, daí eu teria feito um bate-volta a Manchester, por exemplo. Por outro lado, essa questão dos bate-voltas sempre tem um lado negativo, vc muitas vezes acaba gastando muito mais tempo (e dinheiro) desnecessariamente.
  2. Vc até vai ter uma economia significativa, mas como o passe de papel não permite os top-ups do oystercard, vc ou vai precisar ter um oyster card avulso ou comprar ticket de papel quando sair da zone do seu passe. O grande problema do travelcard de zona limitada é que se vc for em algum lugar que é zona errada, vc pode receber uma multa significativa, o que no oystercard nunca vai acontecer, pq ele simplesmente vai te cobrar a mais e no máximo seu saldo fica negativo e vc fica impedido de entrar até a próxima recarga. Tipo se vc esquecer de comprar um ticket de papel avulso ou não tiver um oyster válido quando for a Heatrow e tentar desembarcar com seu cartão zones 1-2, começa a tocar desesperadamente e vc vai ser multado. E a multa pode chegar a umas 1000 libras. Eu mesmo já fiz besteira com o oystercard, pq eu saí numa estação de metrô que não tinha catraca sem encontar o oystercard no contato (não sabia que precisava) e daí não tem como vc levar uma multa propriamente dita, mas se vc faz isso ele te cobra o valor mais caro possível, que é umas 7 libras pela viagem. Mas se fosse com o travelcard eu estaria sujeito a essa multa de 1000 libras. Para evitar essa possibilidade de uma multa pesada, eu compraria um travelcard zones 1-6, que vai ser umas 25 libras mais caro que um zone 1-2 e umas 20 libras mais caro que um zone 1-3. Ou a outra opção é ficar paranóico com as zonas, apesar que as atrações turisticas além de zone 3 são raras. Por exemplo, o Kew Gardens é longe do Centro, zone 3 provavelmente. Mas o Royal Air Force museum é zone 4 e é um dos melhores museus de Londres e gratuito ainda,
  3. Eu fiz há uns anos atrás Dublin depois de Edimburgo na Escócia (fui de avião) e depois fui para Franfurt. O voos da Irlanda costumam não ser caro se comprado com antecedência. Com bagagem e tudo eu lembro de ter gasto uns 60 euros. Na verdade, eu acho que vale mais a pena vc usar a Irlanda como um combo da viagem e ir para o lugar mais distante. Para Frankfurt o voo dura 2 horas. Para Roma vai durar umas 3 horas. Ou seja, não faz tanta diferença. Dê preferência na hora de comprar se for um preço semelhante a Ryanair para a Airlingus, que não enche tanto o saco se tiver com bagagem fora do padrão, excesso de peso. Já a ryanair se ultrapassar 100 gramas já estaram te cobrando uma fortuna.
  4. A Ryanair só voa para os aeroportos perifericos de Londres, não voa para LCY e LHR. Esses ônibus da National Express é tipo umas 12 libras até o centro e mais o custo do metrô (umas 3 libras) até onde vc estiver. A não ser que vc marque com antecedência e se o voo atrasar problema seu. Eu voltei recentemente por London Luton (estava na Islandia) e tinha opção do ônibus por 12 libras + 3 libras de metrô, ou trem por umas 17 libras + 3 libras de metrô. Só que como estavamos em 3 pessoas, preferimos economizar tempo e ir de transfer, que saiu 60 libras (20 libras por pessoa). Ou seja, continuo achando que não vale a pena tentar economizar indo para esses aeroportos perifericos.
  5. Eu dei uma pesquisada no google e dá para fazer sim o passe de papel de 7 dias, mas recentemente tem mais burocracia com foto 3x4, ir até o guichê, mostrar passaporte para poder fazer o passe. Daí precisa ver se o tanto de atrações pagas que vc vai querer ir justifica a trabalheira. Eu fui para Londres 2 vezes e devo ter ido no total numas 5 ou 6 atrações pagas. Os museus gratuitos são infinitamente melhores que os pagos.
  6. psemple

    Santiago

    Perto de Santiago, neve só em lugar alto. Se quiser em lugar mais baixo só na Patagônia creio e daí precisa pegar avião. E em geral em qualquer lugar as estações de esqui são em lugares altos. Sobre a altura da Montanhas que já vai ser neve depende do quanto nevou e de como está o tempo, pois a neve nos lugares mais baixos vai derretendo se não faz frio. Para o Valle Nevado são 60 curvas de subida. Quando eu fui tinha neve na curva 40, mas não sei dizer quanto já era de altitude. Estive em Santiago há umas 2 semanas e estava bem poluida, se tiver chovido quando vc chegar melhora um pouco.
  7. Em principio o ideal seria vc comprar passagem começando no Peru e voltando para o Brasil pelo Chile. Mas depende muito do seu itinerário, Chile é desde o Atacama até a Patagônia. Tudo depende também muito do tempo que vc tiver (e grana). Se tiver com tempo apertado e grana apertada não dá para pegar um ônibus de dia inteiro do Atacama para Santiago.
  8. Esse 2for1 não sei vale tanto a pena assim, porque o ideal é vc já pegar um oystercard com passe semanal. Daí se vc vai pegando passe diário não vai ter tanta economia assim, pq em 3 dias do passe já é praticamente o preço do oyster de uma semana. Fora que não vale na alta temporada para várias atrações. E dá para conseguir desconto reservando as atrações online (tipo Madame Tousseds + London Eye) pegando desconto. Nesse site aqui tem vários descontos que não são tão complicados quanto o 2for1 (http://www.discount-london.com/'>http://www.discount-london.com/) E se vc vai para outros lugares que não o da zona que vc encheu o seu oystercard, é possível colocar mais saldo, o que no cartão de papel (da promo) não é possível e vc vai ter que gastar mais dinheiro (e tempo) comprando tickets avulsos (e são caros). E tem vários lugares interessantes para ir, tipo Greenwich, Teleférico da emirates que são zone 3...O aeroporto Heatrow é zone 6. O que vale realmente a pena na minha opinião é dar uma olhada nos sites groupon.co.uk, wowcher.co.uk e http://www.discount-london.com Eu paguei por exemplo entrada no museu de filmes (com exposição de carros do James Bond) uns 40% de desconton no groupon. Eu também fiz tours guiados para outras cidades com entrada inclusa das atrações por umas 35-40 libras, que seria praticamente só o preço de entrada das atrações do tour se eu pagasse avulso e fosse por conta própria, fora o custo de transporte...
  9. Para Londres é bem melhor ir de avião. lembrando que ferry tem mais risco de ser cancelado em caso de mal tempo que avião. De ferry você vai demorar pelo menos umas 7 horas e não tem aquela história de achar que vc vai dormir (se for de madrugada) pq vc vai precisar fazer baldiação até Londres e daí vai precisar ficar acordada na estação esperando o(s) trens seguintes. Eu tentaria preferencialmente ver voo para London City (o aeroporto mais central), London Heathrow (o segundo aeroporto mais central, mas o metrô é mais caro), London gatwick (o acesso até que é bom, mas o trem é umas 20 libras) e por último os outros aeroportos. Mesmo que seja mais de 100 reais mais barato pense muito antes de ir para qualquer outro aeroporto.
  10. Eu já discordo um pouco que seja suficiente para tantas cidades,já que várias cidades tem feriado 24,25,26 (feriado boxing day em vários países) ,31 e 01. E os dias estarão escucerendo 4 da tarde. Precisaria pensar um pouco nos dia exatos para saber o que daria para fazer. Fora que essa época é inverno e não dá para planejar só 1 dia inteiro em Bruxelas, com risco de estar nevando e vc nem conseguir andar direito. E se nva interrompe o transporte público. Fora que em geral, costuma ser mais chuvoso no inverno. Ou seja, eu pegara colocaria no mínimo 6 dias em Londres e cortaria parte das cidades.
  11. Dois dias na ida é na verdade um dia, pq vc chega cansado e mal consegue fazer alguma coisa. No segundo ideia é inteiro. No terceiro dia vc perderá metade do dia se locomovendo. Supondo que vc pegue um voo 4 da tarde, vc terá que ter saído do lugar que vc estiver hospedado entre meio dia e uma tarde. Na verdade se vc não tiver comprado ainda a passagem, seria melhor comprar chegando por Londres e voltando por outra cidade para vc nao perder um tempão de deslocamento, fora que Londres para sair a taxa de embarque é bem mais cara e os aeroportos (exceto London Heathrow e London City) são ou longes e/ou custam caro para chegar. Eu fui recentemente para londres, aonde tenho parentes e fui e voltei por lá. Mas pelo fato de que eu fui com milhas eu não tinha suficiente para ir pela TAM para Paris e trem é relativamente barato e rápido.
  12. O seu roteiro é um tanto complicado, várias cidades são distantes e várias cidades são mal conectadas. Londrina é uma cidade que não tem tanto voo assim para Sâo Paulo. Atenas e Berlim são cidades com relativamente poucos voos para as outras cidades da Europa se comparado com os grandes hubs da Europa como Frankfurt, Paris, Amsterdam, Londres... Assim, é bem provável que um voo Londrina para Berlim ou Atenas demore umas 30 horas ou vc teria que pagar bem mais perto para deixar as conexões mais curtas. E se vc comprar voo com várias companhias diferentes é arriscado, pq se uma atrasa vc perde o voo da seguinte sem direito a ressarcimento (daí só com aquela história de pequenas causas, etc.). O que eu faria é entrar no kayak.com ou skyscanner.com na opção múltiplos destinos e vê as opções de voo. Tome cuidado com agência como Expedia e Edreams, pois por mais que sejam confiáveis, muitas vezes elas vendem voos independentes. Eventualmente pode ser que valha a pena vc ver voos para Frankfurt e colocar na ponta do lápis o custo de trem, etc.
  13. Em primeiro lugar seria melhor vc olhar a opção multiplos destinos chegando por Paris e ir embora por Londres, daí vc economiza um trem e principalmente tempo. Sobre o preço do trem de Londres a paris, só a ida, o mais barato reservando alguns meses antes até uns meses atrás era 43 euros pela sncf.com. Mas em cima da hora passa a 200 euros, enfim depende da data antecedência que vc reservar. Hostels tem um monte de opção. Em Paris, eu fiquei no Generator perto da Gare du nord, que é a estação de trem que vai/volta de Paris/Londres. Ele é bom , mas bem caro. Mas todos os hostels tops são caros. Uma pessoa me disse que dividindo o quarto duplo estava pagando quase a mesma coisa que eu num Ibis na mesma região. Então, hostel nem sempre é mais barato que hotel. Em Londres é mais fácil economizar, pq tem atração gratuita pra caramba. Tem coisas caras opcionais tipo a London Eye, Madame Tousseds. Já Paris pouca coisa é grátis, o que dá para economizar é tentar escolher os mirantes que vc vai, do tipo não precisa ir no Arco do Triunfo, Torre Eiffel, Sacre Cour, cada um já sai carinho. Museus o mesmo. Enfim, aproveite bem as atrações que for e não tente ir em todas as atrações da cidade. Outra coisa se vc se hospeda em regiões menos turisticas tem chance de os restaurantes sejam mais baratos. Por exemplo, em Londres os pubs da região de Canary Wharf (centro financeiro) são mais baratos que os pubs perto do British Museum, que é uma região mais turistica.
  14. Em primeiro lugar viagem com tanta gente não costuma dar certo. Se vcs forem fazer as coisas juntos, vai precisar ter um "ditador" que estabeleça os horários, atividades, aonde vão comer, que hora acordar. E esse ditador pode acabar abalado com a relação com o resto da família. A outra opção é meio que cada um por si, o que pode gerar desentendimentos ou vcs pagam guia para ditar o grupo. Esse tipo de viagem é muito diferente de levar a família toda para um hotel fazenda ou praia. Imagina vc falar para sua tia que não vai ter tempo de ir para o Palácio de Versalhes ou dizer para seu primo que ele vai ter que acordar 7:00 da manhã para passear em Paris, mesmo com ele tendo ido para a balada. Eu tentaria fazer a passagem chegando na Europa por Dublin e indo embora por outra cidade, como Londres e Amsterdam. Daí daria para fazer: curitiba - dublin - londres - paris - amsterdam - curitiba. Desses trechos só de dublin iria de avião e o resto de trem.
  15. Agora eu me lembrei de ter conversado com um cara que já havia ido para aurora boreal na Noruega e na Islândia. Ele disse que é a mesma coisa em termos de potencial. O que ele disse é que Reykjavik tem infinitamente mais coisas para fazer que Tromso. E que se vc fosse para Tromso e não visse a aurora Boreal que ficaria desapontado, mas estando em Reykjavik vc já teria visto tanta coisa legal (geysers, vulcões, glaciares, etc.) que não sairia tão desapontado assim.
  16. Eu fiquei lá 6 dias (5 dias completos). Eu fui por Paris e voltei por Londres. Eu levei bagagem de 20kg e saiu tipo uns 120 Euros com bagagem inclusa a ida e uns 90 euros a volta. Mais ou menos em linha com o que a gente paga sem super promo numa passagem de São Paulo para o nordeste. Eu fui de Transavia (low cost francesa) e voltei de Easyjet. A low cost mais forte de lá é a WOW. A Norwegian tem alguns destinos também. A Icelandair é a companhia mais tradicional (normalmente mais cara). Se quiser dar uma pesquisada para ter ideia de custo, eu usei as seguintes agências para passios de dia todo: http://www.geoiceland.com (essa que fiz quase todos os passeios pq eles davam desconto se fizesse vários com eles) http://www.igtours.is/ http://timetours.is/ A companhia que faz os trajetos de ônibus ponto a ponto é. Mas é besteira porque vc pagaria um ônibus cobra quase o preço de um tour que te leva em um monte de lugares e ainda vai ficar no meio do nada. Vale a pena mais para quem vai acampar, fazer trilhas... https://www.re.is/ Sobre a Aurora eu realmente não sei aonde que é melhor, o que eu sei é que tem que ir para longe de Reykjavik para vê-la pelo que os locais falaram, porque precisa ser local despovoado sem luzes. Mas como a densidade populacional da Islândia é bem pequena não precisa ir tão longe assim (uns 300.000 pessoas num país do tamanho dos estados de Rio de Janeiro e Espirito Santo juntos). Mas os passeios partem da capital. Eu fiz basicamente os seguintes passeios: Dia 1: free walking tour em Reykjavik (http://www.freewalkingtour.is/) Dia 2: Golden Circle (http://www.geoiceland.com/geoiceland-golden-circle.html) Dia 3: SOuth Coast (http://www.geoiceland.com/geoiceland-south-coast.html) DIa 4:Blue Lagoon & Reykjanes (http://www.geoiceland.com/geoiceland-reykjanes---blue-lagoon.html) DIa 5: Snæfellsnes - http://www.igtours.is/eng/catalog/tour16.html
  17. Se me permite uma sugestão dá uma pesquisada na Islândia. Os voos não são nada absurdo de caros indo para lá indo de muitos lugares da Europa. E o custo de vida me pareceu parelho com cidades da Europa como Londres, Paris. Alimentação é mais caro e acomodação mais barato. Mas não chega a ser caro como Noruega, Suiça. E as paisagens são sensacionais. Em termos de paisagem, acho que foi o lugar que mais gostei no mundo e olha que já fui para Patagônia Argentina e Nova Zelândia. Eu não cheguei a fazer porque fui no verão, mas um passeio para Aurora Boreal na Islândia custa o equivalente a uns 55 Euros saindo de Reyjavik. Os passeios de 1 dia em geral são por aí também dependendo, entre 50 e 70 Euros em geral. Eu acabei desistindo de incluir Noruega no roteiro justamente por ser cara e fui para Islândia e não me arrependi nenhum pouco. Enfim, só uma dica que pode combinar com seu roteiro sem encarecer tanto.
  18. psemple

    Santiago

    Existem duas opções, uma é o jeito barato que é indo de ponto a ponto. Tipo vc vai de Santiago a Valparaiso de ônibus e de Valparaiso a Santiago de ônibus num só dia. A vantagem desse esquema é a liberdade e o preço. A desvantagem é que vc tem que pesquisar antes (que pode ser uma atividade prazerosa) no que vai e também descobrir como se locomover na cidade. Tem um monte de blogs que mostram as experiências das pessoas fazendo isso, só digitar no google. Normalmente é tranquilo. A outra opção é pegar as agências de viagem e fazer no ritmo delas e ir nas coisas que eles querem. Com pouco tempo as vezes é melhor porque vc vai ver mais de uma cidade num só dia. Eu fiz o passeio Valle Nevado + Farellones com a Turistour (www.turistour.cl) e o passeio da Rota Neruda (Isla Negra, Algarrobo e Vinícula no Vale de Casablanca) também com a Touristor e gostei de ambos. Por outro lado uma pessoa do meu hostel fez o passeio de valparaido e vina del mar por outra agencia famosa (touristik) e disse que foi uma porcaria, que passaram muito rápido por tudo e ficaram um tempão no casino. Outra desvantagem dos passeios com grupo é que eles sempre te jogam em restaurantes caros, apesar que eram muito bons os que nos levaram. Enfim, é uma questão de conciliar tempo com várias atividades, dinheiro, vontade de fazer sozinho, comodidade de fazer em grupo. O que eu acho que não vale nem um pouco é ir em grupo para uma só vinicula (concha e toro por exemplo). Daí o grupo não vai ter vantagem alguma e vai ser muito mais caro.
  19. Nesses outros países (Reino Unido e Irlanda) não há exigencia de seguros e portanto não vá valor mínimo. Lembrando que as regras são diferentes se a pessoa for estudar ou trabalhar.
  20. Agora também não tem mais trem direto de Bruges para Paris (não achei pelo menos no Thalys), nem Amsterdam, mas as conexões são curtas, não vejo grande drama. Claro que seria mais cômodo não ter que fazer baldiação. De Bruges a Paris tem trem com duração a partir de 2h30. Já de Amsterdam a Bruges tem trem com duração a partir de 2h50. Considerando isso, acho que vale mais a pena fazer Bruges primeiro.
  21. Além de tudo que o Adriano falou e que eu concordo inteiramente. Vc já está ficando em cima da hora para comprar voos com companhia low cost a preços acessíveis. Low cost normalmente é quanto antes mais barato e já falta menos de 2 meses para a viagem. Uma opção que as vezes funciona é vc adicionar cidades nada a ver com o roteiro de forma a ser uma conexão e aproveitar uns dias lá, pelo menos vc evita conexões gigantes. Tipo o que pode valer a pena passar por Amsterdam, Londres, Roma, etc. Enfim precisa quebrar um pouco a cabeça é um roteiro complicado...
  22. Acho que o roteiro tá viável no geral. Algumas mudanças que eu faria. tiraria 1 dia de Bruxelas, dai dormiria duas noites em bruges, no primeiro dia é o da chegada de noite vindo de amsterdam, o segundo dia é o dia completo em Bruges. O terceiro dia vc vai de bruges a Paris passando por Bruxelas, daí se vc chegar tipo 9/10 da manhã em Bruxelas fica até umas 18/19 horas em Bruxelas e parte para Paris na sequencia. Nesse caso vc deixaria a mala num locker na estação em Bruxelas. EU acho essa opção que eu citei antes boa pq vc não vai precisar ficar mudando tanto de hostel/hotel. Eventualmente se vc realmente achar importante 2 dias inteitos em Bruxelas, daí Bruges eu faria como bate-volta de Bruxelas. Daí tiraria também um dia de Amsterdam e jogaria para um dia a mais em Budapeste e tiraria um dia de Bruxelas e jogaria para Paris. Em Paris com 4 dias é complicado vc ir ao Palácio de Versalhes, com 5 dias já fica mais viável. E se vc gosta de castelos é um que não pode faltar.
  23. Eu acho que está ok, claro que tem 1000 possibilidades em cada roteiro. Eu faria Santiago/Atacama de avião pq é quase 1 dia de viagem. Dá uma simulada em http://www.kayak.com.br/flights?mc=y que as vezes ele dá alguma ideia de como ir mais barato.Ou pode ser que direto na TAM seja mais barato mesmo. Santiago em si não precisa de muito tempo, mas depende dos seus interesses, valle nevado, vinículas, vina del mar, valparaiso. Já cusco tem bastante gente que fica mais tempo, mas enfim há N opções de itinerários. Eu acho também que seria melhor fazer Rio / Buenos Aires / Montevideo e de montevideo voar para Santiago. Ou Rio/Montevido/buenos aires e de buenos aires voar para santiago.
  24. psemple

    Santiago

    Em geral o ideal é pagar tudo com pesos chilenos, exceto hospedagem que tem desconto pagando em dólares. As empresas de turismo em geral aceitam dólares, mas dão uma cotação pior que as casas de câmbio. O mesmo para os táxis, que vão meter a faca no câmbio. Os outros lugares, boa parte não aceita dólares. Tome cuidado com as notas de dólar que pegar(de troco ou em casa de câmbio aqui), só aceite notas em perfeito estado, sem riscos ou rasgos, senão as casas de câmbio de lá não aceitam. Quanto as notas de peso chileno, daí não tem problema,só não volte para o Brasil com notas de peso chileno mal conservadas que as casas daqui não vão querer.
  25. psemple

    Santiago

    Dicas: Câmbio, levem dólares. Para pagar hospedagem com desconto (oficialmente) só em US$ ou cartão de crédito. O câmbio da semana passada quando cheguei era 182 pesos chilenos para 1 real ou 645 pesos chilenos para 1 dólar. Dado que eu comprei dólar aqui a 3.30, levando dólares, 1 real valia 195,5 pesos chilenos fazendo as 2 trocas. Aqui em São Paulo a cotação que eu consegui foi 179 pesos chilenos para 1 real. Para quem for sair de São Paulo, eu comprei dólares e pesos chilenos na cambiobr.com.br (frete grátis). Mas peso chileno não vale a pena, só compre se vc for chegar de noite/madrugada ou de domingo. Outra casa de câmbio de SP (que já utilizei outras vezes) que vende pesos chilenos é a https://www.spmundi.com.br/ Táxi quem for utilizar eu sugiro ir no guichê oficial de taxi aeroporto, pois tem muito taxista pilantra. Daí, eles falam o preço fixo e dão uma ideia no taximetro. Eu peguei no taximetro o taxi indicado pelo guichê, mas chegando no táxi, ele me fez por 19.000 (o preço fixo oficial era 22.000 para região que estava e o hostel havia me oferecido por 20.000). Na volta, tente ver no hostel, me fizeram por 15.000 preço fechado.
×
×
  • Criar Novo...