Ir para conteúdo

Roberta Maia

Membros
  • Total de itens

    27
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

Roberta Maia venceu a última vez em Agosto 1 2018

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

10 Boa

Sobre Roberta Maia

  • Data de Nascimento 18-03-1993
  1. Achei os valores que você pagou bem em conta. To aqui planejando minha viagem, lendo vários relatos e essa Tina Tina foi a agência com os melhores valores. Tira uma dúvida, esse Valle de la Luna não incluía o passeio pelo Valle de la muerte? Você acha 4 dias suficientes pro Atacama ou passaria mais dias? To planejando a viagem indo pela Bolívia (Sta Cruz de la Sierra), faria Uyuni primeiro e depois iria pro Atacama.
  2. Ótimo relato!!!! Vou pra Tailândia em mês que vem. Estou louquinha com a organização da viagem.
  3. Sensacional!!! Nunca tinha ouvido falar desse lugar até essa semana, quando vi as fotos da cachoeira no instagram de um fotografo. Fiquei louca para conhecer o lugar, até que vim olhar os relatos de viagens para os EUA aqui no site. Suas dicas vão servir para planejamentos futuros. Valeu
  4. Pra finalizar o relato, vou falar rapidamente das cachoeiras que conheci em Pirenópolis. No dia em que chegamos (sábado), fomos passar a tarde na Cachoeira da Usina Velha. No mapa que entregam no CAT diz que ela fica 3km da cidade, decidimos ir andando. Bom, bem cansativo, pois na estrada tem umas subidas bem íngremes. Cheguei lá morta de cansaço e desconfiando que não era 3 km. A entrada é 20 reais. A cachoeira é até bonita, mas confesso que depois da Chapada dos Veadeiros, não é qualquer queda d'água que vai me surpreender. Uma coisa que eu não curti foi que muita gente vai pra lá e leva aqueles cooler de cerveja e fica enchendo a cara na beira da cachoeira. Pode ser que alguns gostem, mas, apesar de beber, esse não é meu tipo de turismo. Principalmente depois de chegar de Alto Paraíso, onde todo mundo é natureba. Enfim, achei meio farofeiro e acredito que por ser meio ambiente, deveria ser proibido entrar lá com lata de cerveja. Lá na cachoeira conhecemos um casal de Goiânia. Eles foram super gente fina e deram carona pra gente na volta. O rapaz marcou a distancia de lá da cachoeira até a igreja matriz, nossa pousada ficava lá perto. E advinha... a distância deu 6,5 km. Por isso tinha chegado lá na cachoeira morta de cansada No domingo fechamos com um cara pra deixar a gente na reserva do Abade. Entrada 20 reais. A cachoeira é bem longe. Ele cobrou 90 reais (40 reais de ingresso e mais 50 pelo transporte) Chegamos no Abade umas 11h e ficamos até 16:30, a reserva fecha 17h ou 17:30, não lembro extamente ãã2::'> . O local tem uma boa estrutura e oferece 2 tipos de trilha. A de 20 reais e uma de 30 (que é mais longa, com 2km e passa por mais quedas d'água). Fizemos a de 20 reais (são uns 600 metros), que só dá direito a passar por duas cachoeiras. A cachoeira é bem bonita, mas achei muito lotada. Em frente a cachoeira principal, tem pouca área pra galera ficar. Lá só tem uma faixa de areia que não é grande. Achei que ficou muito lotado de gente pra pouco espaço. Eu sei que era um domingo de julho, mas por ser uma reserva e por ter pouco espaço de terra na frente da cachoeira, acho que o dono de lá deveria botar um limite de pessoas. Mas a cachoeira principal, a do abade, é bonita.
  5. Mundo pequeno haahahahu Pô, to sem facebook. Se der pra mandar as fotos pro meu email [email protected] Quando quiser conhecer Belém, manda um alô!
  6. Só lembrando que Alter do Chão só é viável uma visita na época da seca do rio, que ai sim se formam as praias. Diria que esse período vai de agosto à novembro. Em setembro, é super alta temporada lá, pois tem um festival de cultura regional chamado Sairé. A cidade fica cheia de turista. Fui uma vez em Alter do Chão e adorei, fui no feriado do recírio em outubro (sim, sou paraense de Belém) e a região estava linda.
  7. Continuando o relato... Bom, chegamos em BSB pouco antes das 6h. O ônibus para Pirenópolis saía 7:30. Tomamos café lá na rodoviária mesmo. Tinhamos comprado a passagem para Piri no dia que fomos para Alto.A empresa que faz o trajeto não vende a passagem por site, só lá na rodoviária mesmo, custou 28 reais já com a taxa da rodoviária. A viagem de ônibus demora muito, 3h pra fazer 135km. Na volta ele demorou 3h30m, foi tenso. O ônibus para em umas duas cidades no caminho e em uma delas ele demora muito, acho que é taguatinga A cidade de Pirenópolis é muito bem cuidada, com prédios preservados e um centro histórico digno de cidade do interior de Minas. As coisas lá são um pouco caras, pois é uma das cidades que o pessoal de BSB vai para passar os dias livres, mas nada que vá te deixar pobre. Achamos restaurantes com almoço do tipo "como o quanto quiser por 12 reais", comida gostosa e a vontade (lógico que o restaurante era um pouco afastado da área turística, lá no centro comercial, mais frequentado por gente da cidade mesmo) . Aliás, não teve um local se quer em Goiás que eu tenha me alimentado ruim. O povo de lá sabe cozinhar :'> Ficamos em uma pousada chamada Aconchego e o quarto saiu por 100 reais a diária (2 pessoas). Pousada simples, tranquila e, como o nome já diz, super aconchegante. Indico! Reservamos pelo site de Pirenópolis. http://www.pirenopolis.com/pt/Pousada_Aconchego/accm_roomrate Fotos da cidade: obs: as fotos foram tiradas numa segunda 7h da manhã, por isso o centro histórico parece vazio, sem ngm haha Mas no fds que passamos lá, achei a cidade super cheia de turista (era o segundo fds de julho). Não tava super lotada à ponto de ser irritante, mas tinha bastante turista de bsb aproveitando o fds.
  8. Isso mesmo, esqueci de acrescentar isso no fim do relato. Muito mais negócio ir de carro pra lá, pois achei os preços cobrados pelos passeios muito caros. Quando eu voltar, já vai ser com mais gente pra poder dividir a diária e a gasosa. Outra coisa também que esqueci de comentar é como a noite lá é morta, pelo menos durante a semana. Eu imaginei que por ser uma cidade voltada pro turismo e ter uma galera mais jovem e alternativa, fosse fácil ver alguma coisa acontecendo, tipo bar ou restaurante com música ao vivo. Mas a verdade é que da segunda até a sexta (que foi o período que eu fiquei lá) percebi que tudo é muito parado, silêncio. É verdade que sexta até teve mais movimento, mas mesmo assim esse movimento era bem pequeno. Eu pensei que sempre fosse assim lá e comentei com o guia que isso tinha me surpreendido, ele me falou que uns anos atrás teve briga de uma vizinha com um cara que tinha um bar (esqueci o nome do cara), ela sempre chamava a polícia e tal por causa do barulho. Ele disse que desde essa briga, a cidade ficou assim, quase que sem nada de movimento a noite, mas que antes disso era bem legal e tinha movimento.
  9. No último dia em Alto Paraíso, fomos para as duas cachoeiras mais próximas. De manhã fomos para a dos Cristais (entrada 10 reais), ela fica uns 8 km de alto, na estrada no sentido de quem ta indo para Cavalcante. Conseguimos uma carona quando estávamos saindo da pousada, o que nos poupou de fazer esse percurso à pé. Bom, vc pode pensar que é muito 16 km (ida e voolta), mas tem gente que faz à pé ou de bike (tem 2 lugares em Alto que você pode alugar bicicleta) e para passar o dia lá, nem fica tão cansativo. Nós iamos só para a dos Cristais e passar o dia lá, mas como conseguimos a carona, resolvemos voltar na hora do almoço e depois ir para loquinhas. A trilha lá dentro é de fácil acesso e são uns 400metros até a última queda de água. Foi a primeira cachoeira que vi crianças em Alto, a segunda que vi crianças foi nas loquinhas. São uns 7 poços, as quedas são pequenas, exceto a última que tem um tamanho bom e é bem bonita Nos cristais ficamos aproximadamente 3h. Saímos de lá com a carona umas 11:20 e paramos em Alto Paraíso para almoçar no restaurante do Goiano, comida caseira, simples, gostosa e barata (vende-se no kilo e é frequentado mais por moradores do que por turistas). Logo após o almoço já fomos para as loquinhas. 3 km de estrada. Fizemos à pé e foi tranquilo, só é chato na hora que passa carro que levanta a poeira, pois é estrada de terra. A entrada nas loquinhas é 20 reais. A trilha é bem cuidada, na verdade não é nem trilha, mas uma ponte de madeira que segue por toda a área até os poços. São vários poços para banho, mas como fomos na época da seca, só alguns davam para tomar banho. Achei loquinhas lindo demais, não tem cachoeira, mas é de uma beleza ímpar. A água é super verde e cristalina, além do que os poços ficam cercados por mata, o que torna ainda mais bonito. Saímos de loquinhas umas 17h. Super curti o local. Bom, os dois locais que visitamos no último dia em Alto Paraíso são mais relax e tranquilos. As trilhas são super de boa, para qualquer pessoa fazer, inclusive crianças. Acho que são passeios para descansar, quem acabou de chegar em Alto, dá pra passar uma tarde em um dos dois lugares só pra esfriar a cabeça da estrada. Não indico "perder" um dia nelas se você tiver tempo pra ir fazer Couros, Macaquinhos ou algo do tipo. Acho que são lugares pra você "encaixar" no seu roteiro. Vai viajar de tarde? Ai passa a manhã em um desses lugares só pra não perder o tempo da manhã na cidade sem fazer nada. São locais muito bacanas e que vale a pena conhecer, mas acho que são lugares que não devem ser prioridade na sua ida à Chapada dos Veadeiros, tem cachoeiras muito mais lindas, como disse, vale a pena ir se você tiver uma manhã ou tarde sobrando. Fizemos esse passeio pq quando saímos de manhã para os Cristais nós fizemos o check out na pousada e deixamos a mochila guardada lá num quarto. Conversamos com o Fagner e ele deixou tomarmos banho de noite quando retornassemos, mesmo tendo acabado a nossa diária. De noite, após o banho, fomos jantar e bater perna na cidade. Depois pegamos a mochila e fomos pra rodoviária. Nosso ônibus pra Brasilia saiu de madrugada, 2h da manhã. Adorei a Chapada, pretendo voltar em breve pra conhecer São Jorge e o festival de cultura, assim como aproveitar para ir nas outras cachoeiras que não fui, tipo Almécegas, Saltos I e II... São muitos lugares pra ir, impossível conhecer tudo de uma só vez.
  10. Na quinta-feira fizemos o passeio do Vale do Macaquinho. É um complexo com várias cachoeiras e alguns poços. Saímos mais uma vez às 9h de Alto Paraíso. O passeio custou 90 reais. A entrada no complexo é 20 reais. Macaquinhos é muito longe. 43km no total. 15 km de Asfalto no sentido Alto-BSB (entrada na esquerda) e mais 23 km de terra. Estrada de terra é pesada, não sei nem como a kombi aguentou até o fim, a bichinha é guerreira! Já chegando no complexo tem a pior parte da estrada, por isso alguns carros (a maioria 1.0) são deixados alí, uns 400mts antes da entrada, justamente pra não passar por esse trecho complicado. Sobre a trilha eu diria que ela é de grau médio, mas precisa de cuidado em algumas partes. Não precisa de guia, pois ela é super bem sinalizada. A família que é dona da propriedade cuida direito da trilha, faz valer os 20 reais da entrada. Lá também tem camping, mas não sei dizer como é a estrutura. Quem fica no camping não precisa pagar os 20 reais de entrada no Vale. O site: http://macaquinhos.com/ A trilha, na minha opinião, é a mais bonita da chapada. Nem parece que você está no meio do cerrado. Muitas árvores, inclusive umas já avermelhadas, lembrando florestas temperados, em países como o Canadá, por exemplo. O visual da trilha é deslumbrante, o mais bonito! As quedas são sensacionais!!!!! Passeio que eu super recomendo. Na cachoeira da caverna, do lado direito, tem uma pedra que dá pra subir e pular lá de cima. Não é um pulo da mesma altura que nem o poço do jump, mas deve ter uns 4m e vale a pena! Passeio imperdível, se você está de carro é melhor ainda, pois não precisa de guia. Eu não estava esperando muito e acabei me surpreendendo. Não tem restaurante por perto, por isso o guia tinha avisado pra levarmos frutas e algum lanche, pois só comeríamos bem em Alto Paraíso. Chegamos em alto, uma 18h.
  11. No dia seguinte, quarta-feira (08/07), fizemos passeio para a catarata dos Couros, tinhamos acertado com o Fagner na noite anterior. O passeio foi 90 reais e não precisa pagar entrada. Mais uma vez, depois do passeio, fomos almoçar em um restaurante do mesmo estilo, comida caseira à vontade por 25 reais. A trilha para a Catarata dos Couros foi a mais difícil que fiz na Chapada. Quer dizer, até a primeira queda, também conhecida como Muralha, a trilha é muito tranquila, fácil acesso até para crianças. Mas quanto mais longe você for, mais difícil fica a trilha. Muitas pedras, parte muito íngremes e que um descuido pode ter consequências graves (o guia disse que já teve caso de morte lá trilha por causa de queda). No nosso grupo de 10 pessoas, uma menina passou um pouco mal, caiu a pressão dela. Eu fiquei com as pernas arranhadas de subir e descer paredão de pedra. Mas tudo compensa!!!! O guia do passeio foi o Carlão, um rasta gente fina que tem uma kombi (ele também fez o passeio do macaquinho). Pra chegar tem que pegar estrada. Aproximadamente 53 km. Uns 30 de asfalto e mais 23 km de terra. Não é obrigatório guia para os Couros como é em Santa Bárbara, mas acredito que este seja essencial. A estrada é cheia de bifurcações e não é muito bem sinalizada. Já a trilha, apesar de ir pela beira do rio, tem momentos complicados de ter que ficar escalando as pedras, além de que o guia informa onde pode tomar banho, pois algumas áreas são perigosas. Meu conselho é: vá com guia!!!! O passeio é incrível e a revigorante. Sem palavras pra descrever a sensação de ver aquele paredão de com água, sério, inacreditável de linda. Não tem a água azul de Santa Bárbara ou a água verde da Capivara, mas é linda do mesmo jeito. Belezas totalmente diferentes. Uma palavra pra definir Couros: ENERGIA!!!! A trilha foi feita até o fim, paravamos só para tirar foto e depois que chegamos na Almécegas 1000 é que viemos parando para os banhos, ou seja, a última que tomamos banho foi a primeira queda, a muralha. O passeio dura o dia inteiro, paramos pro almoço na estrada era umas 16:30. Saímos de Alto Paraíso 9h da manhã e chegamos umas 18:30. Passeio obrigatório pra fazer por quem estiver em Alto Paraíso.
  12. OBS: Achei os valores dos passeios em Alto Paraíso caro. Tirando a loquinhas (R$20 a entrada) e a dos Cristais (R$10 de entrada) que são perto e dá pra fazer à pé ou de bike, o resto todas precisam de carro. Por mais que seja longe, alguns passeios eu achei muito caro mesmo. Ex: Macaquinhos. São 15km de asfalto(sentido Alto-Bsb) e mais 28km de estrada de terra. É longe, mas o valor cobrado foi 90 reais por pessoa, fomos em uma kombi com 10 pessoas + guia/motorista. O cara faturou 900 reais em um passeio, deve ter gastado nem 150 reais com gasolina e a trilha é super bem sinalizada, nem precisa de guia (mas, ok, ele era motorista tbm e alguém precisava levar). Comparando com uma passeio que fiz em Jericoacoara (e olha que todos falam que Jeri é turismo pra quem tem dinheiro). Um passeio para 7 pessoas da minha família saiu ao todo 250 reais, sendo que as lagoas de lá tbm são longe e tem que ir de 4x4 pois elas são no meio das dunas. Nesse momento me questionei sobre os valores cobrados em Alto Paraíso, diferença de lucro que eles tão tirando é muito grande. Se você for sem carro, se prepare pq você vai gastar!!!!!! Continuando... Na terça, dia 07/07, fizemos o passeio Santa Barbara e Capivara. Como já falei acima o passeio é em média 120 reais pelas agências, algumas até chegam a cobrar 180 reais . Neste dia o universo conspirou e eu consegui um passeio mais em conta. Uma paraibana que tava na pousada Buddys foi até o Fagner pra fechar com ele o passeio pra Santa Barbara pq ela precisava de um guia. Ela tava sozinha e tinha alugado carro em bsb. Logo o Fagner conversou com ela e uniu as pessoas que tavam lá na pousada Jardim da Nova Era e que queriam ir pra cachoeira tbm pra ir no carro dela. Nós só pagaríamos o guia e a coleta da gasolina pro carro dela. Resumindo: o passeio que iria ser 120 reais, saiu por 60 reais!!!!! A cachoeira é longe, ela fica mais próxima de Cavalcante, mas não acredito que justifique ir se hospedar lá por um dia, pois tem passeios saindo de Alto Paraíso quase sempre e além do mais, Alto tem mais estrutura e é mais bonita que Cavalcante. Isso se você quiser fazer só esse passeio pelas cachoeiras de Cavalcante, mas lembre-se que há outras cachoeiras bonitas por lá também (tem o complexo de cachoeiras do Rio do Prata, São Bartolomeu, candaru, dentre outras.). Tem que pegar estrada rumo à Teresina e depois pra Cavalcante. Alto Paraíso pra Teresina de Goiás são quase 70 km, mais uns 20 km pra chegar em Cavalcante e ela ainda fica 26 km depois de Cavalcante, na comunidade Kalunga, em engenho II. É MUITA ESTRADA. MAS VALE TODO O SACRIFÍCIO! Tem que pagar 20 reais na entrada da comunidade e é obrigatório o guia. Ou você sai de Alto já com um dos guias credenciados ou paga um guia de lá mesmo da comunidade. Como saímos com o guia já de Alto, não sei informar o valor do guia de lá da comunidade. Salvo me engano são quase 6 km de trilha, mas que é tranquilo, a trilha mais fácil que fiz na Chapada. Depois da caminhada você já se vislumbra com o poço na trilha, que é lindo. Mas quando você continua a trilha e chega em Santa Bárbara....Nossa, com certeza vai ser uma das coisas mais lindas que você vai ver na vida. OBS: Eu li em algum blog de viagem que o melhor período para visitar a cachoeira é o da manhã, por causa da incidência dos raios de sol e, a meu ver, realmente é verdade. Saímos de lá da cachoeira quase 14h e os raios de sol já não tavam pegando na água como quando nós chegamos (11:20h), não que a a água fique feia. Isso não, mas o azul não fica tão cristalino. Por isso é mais indicado chegar na cachoeira até meio dia, pra poder ter certeza que vai ter sol e o azul da água vai tá mais claro. Depois retornamos pro carro e fomos rumo à Capivara. Depois de uma boa estrada de terra e uns bons kms (não lembro quanto, sorry ), descemos do carro e começamos a trilha pra cachoeira da Capivara. A trilha é média. Na verdade ela é tranquila, exceto uma parte com bastante pedra, que você tem que ir escalando pra poder continuar a trilha, mas nada de outro mundo. A cachoeira da Capivara é bem bonita. Uma beleza completamente diferente de Santa Bárbara. Água verde. :'> Ficamos na cachoeira até 16h. Gastamos menos tempo nela do que na Santa Barbara. Depois voltamos ao carro rumo à comunidade Kalunga. Almoçamos num restaurante lá da comunidade. Comida caseira, deliciosa. Foi 25 reais por pessoa, comida à vontade. Tinha peixe (sensacional!) e galinha. Antes de irmos pra santa barbara, o guia já tinha nos instruído a fazer a "reserva" do almoço. É sempre bom fazer isso pq vc vai terminar o passeio tarde e se vc não reservar, pode dar o azar de ter parado vários grupos antes de vc e ter terminado a comida. Por isso, após pagar a taxa de 20 reais na entrada da comunidade, é bom já ir pra um dos restaurantes e fazer a reserva para o almoço. Depois do almoço, muita estrada de volta para Alto Paraíso. Chegamos lá já era 19h. Todos exaustos, mas com a sensação de que, mesmo sendo o primeiro dia de cachoeira, já tinha válido a pena ter ido para a Chapada dos Veadeiros. Esse passeio (Santa Bárbara + Capivara) é obrigatório pra quem vai pra Chapada, ta no top 3 dos melhores. provavelmente Santa Bárbara vai ser a cachoeira mais bonita que vc vai ver na vida.
  13. Algumas dicas úteis para alto paraíso: -levar roupa de frio. De noite e de manhã o frio bate. Eu esperava frio, mas não tanto. A temperatura ficava de noite por volta dos 18ºC, mas acho que a sensação térmica ficava em torno de 13 graus ou menos. -Não esquecer que o clima é seco, então levar batom de cacau ou bepantol para passar nos lábios. - Dá pra fazer as trilhas usando um bom tenis (que foi o meu caso), mas o mais indicado é bota. -Sempre levar garrafa de água nas trilhas e protetor solar. Mais umas fotos da cidade Em breve relato com fotos e valores das cachoeiras que fui na Chapada e em Pirenópolis Se tiver algumas dúvidas, é só comentar que vou tentar responder.
  14. Fala galera, vou deixar rápido um relato da minha pequena e incrível viagem pelo Estado de Goiás . Passagens: Sou de Belém e resolvi iniciar a minha viagem por Brasília, visto que tenho uma grande amiga que mora lá e queria matar a saudade. A passagem de avião acabou saindo um pouco cara, pois comprei primeiro a ida e só depois a volta. A intenção no início da viagem era fazer chapada dos veadeiros e depois ir direto para Estreito - MA pra ir para a Chapada das Mesas (Maranhão), Carolina. Depois de ter comprado a ida BEL-BSB pela tam, fui tentar ver o jeito mais viável de fazer o trecho acima e acabou que tudo que achei ficava muito caro ou muiiito cansativo, pq não tem ônibus direto de Alto Paraíso que vá para alguma cidade próxima de Carolina (MA) ou Estreito, nem mesmo Filadélfia (TO). Ai depois de algumas semanas, comprei a volta BSB-BEL. Tudo (ida e volta) saiu R$ 420 reais pela tam. ida: 05/07/2015 volta: 13/07/2015 Tem gente que prefere sair de Goiânia, mas BSB é mais perto de Alto Paraíso. Goiânia é mais perto de Pirenópolis. Transporte Fui e voltei para Alto Paraíso de ônibus pela Real Expresso (http://www.realexpresso.com.br/) É a única empresa que faz o trajeto. O valor foi de 42 reais, comprei pelo site mesmo, mas na hora que você chega na rodoviária tem que pagar uma taxa de utilização da rodoviária que no momento eu não lembro o valor, mas não é nada absurdo. Tem uma alternativa de transporte para a chapada que é o grupo do facebook. Se tiver precisando de carona ou quiser oferecer uma, é só divulgar lá no grupo. A galera paga só uma contribuição pra gasolina, que sai em média 30/35 reais, dependendo do motorista que tá dando a carona solidária. https://pt-br.facebook.com/centraldachapadadosveadeiros/posts/523190777708518 Tem gente que dá sorte e encontra carona pro mesmo dia e horário, mas tem gente que não. Como fiquei com medo de não achar vaga depois no ônibus (SÓ TEM ÔNIBUS ÀS 10H E 21H, perder o de 10h por lotação e ter que ficar esperando até 21h, não rola!!!), preferi não arriscar e já comprei a passagem pelo site (até pq podia tirar no cartão e só pagar depois). Já para Pirenópolis fiz o trajeto bsb-pirenópolis pela empresa Goianésia. A passagem só vende lá na rodoviária e foi 28 reais (já com a "taxa de embarque" pelo uso da rodoviária). Chapada dos Veadeiros A Chapada é rodeada por 3 cidades: Alto Paraíso, São Jorge e Cavalcante. O Parque Nacional da Chapada fica em São Jorge, mas acabei não conhecendo. Em julho rola um festival de música e cultura, todas as pessoas que falei disseram que é bacana, mas ele só começa na segunda quinzena de julho. Fica pra próxima!!! Minha hospedagem foi em Alto Paraíso, na pousada Jardim da Nova Era. Paguei 45 reais em quarto compartilhado, como fui com um tio, saiu 90 reais. Adorei a pousada, super indico, melhor localização. Pode usar a cozinha pra fazer café da manhã e as refeições, o que ajuda na economia. Reservei pelo booking. Lá tem tbm área pra camping e tava 30 reais a diária, a área é boa e tem cozinha e banheiros bacanas só pra quem ta acampando. Dá próxima vez, vou pro camping pra economizar umas dilmas. O cara da pousada tbm faz passeios, o Fagner. Achei os preços mais em conta. Procurei em outras agências de passeios e todos eram mais caros uns 20 reais ou até 60 em alguns. (Ex: o passeio da Cachoeira Santa Barbara com Capivara é em média 120 reais com ele, mas cheguei a ver em outra agência o mesmo passeio saindo por 180 reais. Diferença grande ) . Saí de Brasília segunda de manhã (dia 06/07) 10h e cheguei em Alto Paraíso por volta das 14:30. A viagem demorou muito, pq além das paradas nas rodoviárias de algumas cidades pequenas no caminho (ele para em umas 2 ou 3 rodoviárias, não lembro exatamente), ainda teve parada de meia hora para o almoço. Enfim, cheguei em Alto e já fui atrás da pousada pra guardar a mochila e ir atrás de valores de passeios, além de dar uma volta pela cidade. Não ia dar pra ir em nenhum lugar bacana na própria segunda pq a maioria das cachoeiras por perto (loquinhas e dos Cristais) fecha 17h e as duas são pagas. Então, bora bater perna...
×
×
  • Criar Novo...