Ir para conteúdo

raphaelcamposandrade

Membros
  • Total de itens

    34
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

0 Neutra

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Inicialmente venho convidar vocês a acessar meu blog... essa e outras viagens dentro de Minas Gerais estão relatadas lá em HD, com fotos e vídeos, segue o link: https://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/ Bom dia caros amigos, Passando pra relatar um passeio agradável na praia Enseada Azul no espírito santo. Formada pelas praias de Guaibura, Bacutia e Mucumã, Enseada Azul é ponto de encontro dos jovens. A paquera rola solta em meio ao cenário formado por areia branca, águas claras e mansas, morros e costões. Os mergulhadores também marcam presença explorando o cargueiro alemão naufragado em 1942. A 300 metros da orla e a oito metros de profundidade, pode ser apreciado em detalhes, tamanha a transparência da água. As 3 praias são lindas e uma caminhada rápida da pra conhecer os cantinhos desse paraíso. A mais badalada é a da frente da rodovia. O mar é muito azul, os quiosques bem animados e com certeza tem o público mais selecionado e belo das praias do Estado. O espaço da areia é bem curto e quando a maré sobe costuma quase desaparecer toda a praia. O interessante é que as pessoas continuam sentadas nas cadeiras ou batendo um papo mesmo com a água nos pés. A vegetação nativa é semi - árida a tropical com espécies de cactos e bromélias, a terceira praia é mais deserta e na maré baixa da pra ver um lindo jardim submerso de algas, corais e peixes. Localizada a 7 km do Centro é uma excelente opção de turismo.
  2. Inicialmente venho convidar vocês a acessar meu blog... essa e outras viagens estão relatadas lá em HD, com fotos e vídeos, segue o link: https://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/ Itaúnas ou Dunas de Itaúnas é uma pequena vila ao norte do Espírito Santo. Fica próxima à divisa com a Bahia e pertence ao município de Conceição da Barra. Fica a 25 km de Conceição da Barra e a 270 km de Vitória - ES. A Vila de Itaúnas do Espírito Santo é a imagem da tranqüilidade, com uma igrejinha na praça,casas simples, pousadas rústicas, poucos carros e uma comida caseira deliciosa. A Vila mantém as tradições, moradores ainda pescam de canoas feitas de troncos maciços de árvores que chegam a pesar aproximadamente 250 kilos, cozinham tanto em fogões pré-fabricados, quanto em fogões à lenha. Sendo uma agradável vila litorânea, pode-se tomar banho de rio, de mar, e dançar um forró pé-de-serra que já tornou a vila famosa no Brasil inteiro. As praias maravilhosas, de areia dourada, céu limpo e águas mornas e suaves são o cenário desse sonho. Debaixo das areias se esconde uma cidade: a antiga vila de Itaúnas. Os moradores nativos mais antigos ainda se lembram da antiga vila, que foi aos poucos, soterrada pela areia trazida com o vento, e forçou os habitantes a mudar a vila de lugar. Hoje só se pode ver, sobre as dunas que chegam a 30 metros de altura, os telhados das construções mais altas da vila antiga de Itaúnas. O cenário da vila é diferente de tudo que se costuma ver na cidade: estrada de chão, nada de meio-fios, os pedestres, que andam à pé e de roupa de banho, têm sempre a preferência. Nada de carros, nada de axé, nada de funk, nada de rock. Só forró, e forró. Cabelos despenteados, e perfumes do mato. Pulseiras de grãos e brincos de penas. Todas as cores, nenhum cinza. Poeira e grama. Fogueira e capoeira. Sombra de arvores, barraca de palha e areia quente. Não existe um lugar melhor para descansar. Dizem que o tempo, na vila, não existe. Quando cheguei na vila, me senti totalmente alheio a minha rotina e sociedade. Ali estava uma paz envolvente, era de fato uma fuga da realidade contemporânea. Vale destacar a total organização do lugar, sem sujeiras, sem lixos espalhados, o cuidado dos guardas e monitores ambientais. Também foi muito legal ver a convivência harmoniosa dos turistas e dos "hippies" , artesãos e artistas. Todas as pessoas parecem ser ligeiramente alternativas e se entendem, parece que a natureza trás uma paz que ligeiramente aproxima as pessoas. Saindo no vilarejo e atravessando as Dunas para ir de encontro ao mar é uma experiência única. Os olhos se perdem na imensidão de areia e depois de uma caminhada, seca e quente vê-se ao fundo o mar, azul e mágico! É comum ver os turistas dançando forró na areia, fazendo brincadeiras como "roba bandeira" e descontraindo em meio a esse paraíso. A vila é famosa nacionalmente pelo seu forró pé-de-serra, onde promove encontro de forrozeiros do país inteiro. Durante o mês de julho, acontece na vila o Festival Nacional de Forró (FENFIT). Na vila, pode-se ficar desde área de camping, em uma pousada ou até mesmo, alugar uma das casas de um pescador. É bem interessante se sentir realmente próximo a uma vida diferente do nosso cotidiano. Sem dúvidas, Dunas de Itaúnas é um local para se apreciar uma realidade totalmente diferente da nossa rotina!
  3. Inicialmente venho convidar vocês a acessar meu blog... essa e outras viagens dentro de Minas Gerais estão relatadas lá em HD, com fotos e vídeos, segue o link: https://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/ Caros amigos (as), Gostaria de dividir com vocês a boa experiência que tivemos no treking que realizamos na trilha dos escravos (Serra do Cipó- MG) neste sábado (09 de junho de 2014). Localizada na Área de Proteção Ambiental (APA) Morro da Pedreira, a Trilha dos Escravos é um atrativo que leva ao topo da Cachoeira Véu da Noiva e sua respectiva nascente, denominada de Mãe D'água. Sua construção, como o próprio nome diz, foi feita pelos escravos para auxiliar o transporte das riquezas minerais adquiridas na Serra do Espinhaço durante o ciclo do ouro e diamante do século XVIII. A Trilha tem aproximadamente 4 metros de largura e 1.200 metros de comprimento. O caminho é íngreme, com pedras unidas e cercada por uma vegetação de cerrado, de onde se tem uma vista do Morro da Pedreira e da região de Cardeal Mota. Saindo de BH e percore-se cerca de 114 km até a Serra do Cipó, passando pela linha Verde e Lagoa Santa. Chegando a cidade, qualquer pessoa pode informar a localização da trilha, pois é muito conhecida. Logo no início do percurso já se pode perceber o quão seria ingrime a travessia e que vista linda nos reservaria o fim dela. Após o fim da trilha dos escravos, depois de cerca de 1200 metros de subida, começa uma trilha de areia no alto do morro, plana, com uma vista muito bonita e diversas flores. Ao fim dela, cerca de 400 metros encontra-se a Mãe D'água, a nascente, que forma três poços de águas cristalinas e desemboca na cachoeira do véu da noiva. Quem quiser pode se arriscar e continuar a trilha descendo a nascente pelas pedras, mas o caminho é perigoso e escorregadio. Não aconselho quem não saiba nadar bem o fazer, pois no final tem um poço que só é possível atravessar nadando, fora que algumas partes requer bastante mestria em escalar as pedras, um escorregão pode resultar numa queda dentro da água. O primeiro poço é o melhor para relaxar, pois é raso e tem pedras que proporciona que você possa deixar seus pertences perto, comer algo, se hidratar ou fazer um piquenique bem nas margens das cristalinas águas da nascente. O terceiro poço é o melhor para nadar, pois ele é fundo e possui uma pedra que pode ser usada para mergulhos e saltos. Sem dúvidas, a parte mais empolgante é a vista da cachoeira do véu da noiva por cima. Apesar de geladas, as águas da nascente são límpidas e refrescantes, é difícil resistir a um banho refrescante e a um bom gole de água direto da fonte, sem conta ao belíssimo visual, pois pelo chão ser rochoso é possível enxergar o fundo dos poços. Sem dúvidas, essa trilha vale muito a pena e pode ser feita por iniciantes! Vá também desfrutar dessa empolgante aventura. Raphael Andrade
  4. Inicialmente venho convidar vocês a acessar meu blog... essa e outras viagens dentro de Minas Gerais estão relatadas lá em HD, com fotos e vídeos, segue o link: https://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/ Caros amigos (as), Gostaria de dividir com vocês uma boa experiência que tivemos no trekking Cachoeira das Ostras no distrito de Casa Branca. Saindo de BH, pegamos a BR 040 sentido Rio de Janeiro até o Posto Chefão, logo antes do posto já se pode ver uma placa indicando entrada para o Distrito Casa Branca a direita. Chegando no posto você irá virar a direita na primeira rua após o mesmo e seguir até a "Rua 1" pegando depois a avenida Montreal seguindo nela até a entrada de Casa Branca. É bem fácil localizar o distrito, basta seguir as placas. Chegando no distrito nós estacionamos o carro na praça principal, perto de alguns bares, restaurantes e pousadas e seguimos a primeira entrada a esquerda da praça já a pé em busca da trilha. Qualquer pessoa pode informar o caminho para encontrar a trilha, só que é aconselhável a contratação de um guia pois a trilha é bem difícil de ser seguida sem erros até a cachoeira. Seguindo essa rua Alameda Canela de Ema ela termina antes da entrada de um condomínio fechado onde ela encontra seu término viramos a esquerda e seguimos a estrada que logo se transforma em estrada de chão começando a aventura, depois de passar por um bar chamado sol e lua e uma oficina de reparo de veículos. A partir deste momento o contato com a natureza já é abundante, podendo ser vistas diversas plantas do cerrado, topografia de morros, fauna e flora típicas da região mineira. Vale frisar que o sol é muito intenso, pois não tem sombreamento de árvores sendo ideal que a trilha seja feita o mais longe possível de meio dia e sempre com protetor solar e equipamento adequado. Depois de seguir essa estrada de terra ela a cada passo se tornou mais estreita, até que no pé do morro ela se duplifica, devendo ser seguida para a esquerda, onde ela continua subindo morro acima. Nós nos perdemos andamos muito para o outro lado no meio do mato até descobrirmos que estávamos errados graças a dois trilheiros que encontramos também perdidos João e Matheus, eles estavam acompanhados por seu cachorrinho Scoob que já estava exausto e teve que ser carregado. Os três se juntaram a nossa turma e voltamos todo o caminho que erramos até o pé do morro A subida morro acima é complicada, sendo muito pesada e irregular, em alguns pontos é necessário a ajuda das mãos. O Scoob foi carregado praticamente todo percurso. Chegando no topo do morro achamos mais algumas pessoas perdidas e um casal que nos informou que deveria agora descer o morro através das pedras. A partir dali já dava para notar a presença da água. A descida é extremamente forte e perigosa, devendo ser feita com bota ou calçado adequado e com bastante cautela. O scoob novamente continuou no colo e tivemos um pouco de problema para transportá-lo junto com a água e as mochilas. Depois dessa forte descida já ouvimos o barulho da cachoeira e logo a frente nos deparamos com a maravilhosa queda d´água. As águas são claras, límpidas e extremamente frias, depois de toda caminhada exaustiva ainda tivemos dificuldade para entrar e suportar a temperatura. As pedras são curves e tem um aspecto muito singular, sendo o paredão do fundo ligeiramente marrom em contraste com o fundo dos poços que é verde cor esmeralda. Subindo um pouco contra a corrente pelas pedras se encontra um poço lindo, bom para repouso e banho, fundo de águas límpidas com uma bela queda de água e a possibilidade salto para os mais aventureiros, pela sua fundura e uma pedra que por si só já aduz a idéia de um trampolim. O local é muito bonito e sem dúvida apesar de pesada a caminhada se torna extremamente gratificante! Na volta a decida íngreme se torna uma árdua subida que em alguns pontos é praticamente uma escalada, mas chegando de novo no topo do morro tivemos a vista de o início de um por do sol dourado e brilhante, onde o sol reluzia nas folhas do cerrado, criando uma sensação de vertigem em meio o emaranho de tons de laranja em degradé com o verde da flora. * Distância da trilha: Nível médio * Localização da cachoeira: Nível difícil * Topografia: Nível regular / difícil Raphael Andrade "Uma vida sem desafios não vale a pena ser vivida." Sócrates
  5. Inicialmente venho convidar vocês a acessar meu blog... essa e outras viagens dentro de Minas Gerais estão relatadas lá em HD, com fotos e vídeos, segue o link: https://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/ Situada em apenas 25km do centro de Belo Horizonte encontramos um dos ângulos mais deslumbrantes da geografia mineira. Com uma extensão de 70 km, a Serra da Moeda se destaca por toda sua beleza e condições favoráveis para a prática de voo livre. A cordilheira, tem aproximadamente 1.500 metros de altitude e possui uma rampa natural que atrai pilotos de parapente e asa-delta de diversos lugares do mundo. Além de também atrair turistas que visam contemplar a beleza natural e trilhas ecológicas. Estudiosos afirmam que o nome Serra da Moeda está ligada ao registro histórico de que a região teria abrigado a primeira fábrica clandestina de dinheiro no Brasil, ainda nos tempos da colônia. Saindo de Belo Horizonte pegando a BR 040, deve-se seguir cerca de 25 km e virar em um acesso a direita depois de uma placa escrito (Inhotim), é bem próximo a Lagoa dos Ingleses, assim que a avistar é só ficar atento para entrar a direita. Logo quando se chega, tem a estacionamento para os veículos, onde a vista já é exuberante, sendo até um local legal para refletir ou namorar. Seguindo a pé a poucos metros você encontra o restaurante Topo do Mundo, com um excelente ambiente e cardápios a la carte é uma ótima opção de turismo gastronômico, ou até mesmo para os moradores de Belo Horizonte uma fuga do clima metropolitano para seus encontros ou confraternizações. O preço é só um pouco mais caro que os restaurantes da região, porém sem dúvida vale muito a pena pela beleza do local. Depois do restaurante se encontra a rampa natural, onde os praticantes de voo livre se dedicam aos seus esportes. Chega a ser até soberba a beleza das cores dos parapentes misturados à vista magnífica. Caso ache legal, pode-se fazer trilhas seguindo à frente que passam pelas serras. A vista não tem preço. Não se esqueça de levar apenas protetor solar, pois não existem árvores ou qualquer proteção na caminhada. Vale destacar o por do sol do lugar, foi um dos mais bonitos que tive o prazer de contemplar, os raios refletem no serrado e nas nuvens tomando um aspecto extremamente dourado. Certamente o passeio é extremamente prazeroso para qualquer idade! Raphael Andrade
  6. Inicialmente venho convidar vocês a acessar meu blog... essa e outras viagens dentro de Minas Gerais estão relatadas lá em HD, com fotos e vídeos, segue o link: https://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/ Caros amigos,Estive no Resort Águas do Treme em Inhaúma / MG.Localizado à 83 kms de Belo Horizonte e 20 kms de Lagoa Santa, é de muito fácil acesso.Para chegar, saindo de BH deve-se seguir pela BR 040, depois da entrada de Sete Lagoas, (após o poste do Polícia Federal), siga 4 kms e entre para Inhaúma (acesso no km 466). Depois, basta seguir as placas indicadoras.O Resort é realmente muito bonito, decorado com peças de arte moderna e antiquariado brasileiro.Possui piscina de 1200m² e sauna panorâmica. A beleza do lugar é exuberante com suas suaves colinas, lagoa de 60 hectares e mata nativa. O hotel oferece visitação a sua igreja histórica e um passeio de trenzinho.O local possui excelentes acomodações para relaxar, com sofás, cadeiras e mesas com vista para a lagoa e para a piscina.A piscina tem 1.200m² com uma decoração fantástica, misturando pantas, rochas e cascatas. A única coisa que deixa a desejar é a fundura que é bem rasa até na sua parte mais funda. Mas em contraponto as crianças ficam extremamente seguras contra afogamentos, devendo tomar apenas cuidados com as rochas (que pelo menos não são escorregadias) que tem envolta de toda piscina. O restaurante é perfeito, servindo almoço e sobremesa por R$ 55,00 por pessoa (preço do final de semana), onde você pode comer à vontade. (Bebida não inclusa).O atendimento é muito bom, todos os funcionários o tratam como "Senhor" e dispendem uma excelente educação e bom trato.Tudo que se consome dentro do Resort é gravado em um número que você tem na pulseira e no final do passeio eles fazem a somatória. É cobrado 10% sobre todo consumido, inclusive sua entrada ( R$ 45,00 o preço da entrada nos finais de semana R$ 35,00 nos meios de semana de quarta a sexta). O Resort oferece também serviço de Hotelaria e Spa.Sem dúvida o passeio vale muito a pena Raphael Andrade "A liberdade é o oxigênio da alma". Woody Allen
  7. Inicialmente venho convidar vocês a acessar meu blog... essa e outras viagens dentro de Minas Gerais estão relatadas lá em HD, com fotos e vídeos, segue o link: https://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/ Olá caros(as) amigos (as), Esse final de semana dei um passeio no Distrito de Casa Branca em Brumadinho Minas Gerais. PARQUE ROLA MOÇA Inicialmente visitamos o Parque Estadual Serra do Rola Moça que é uma das mais importantes áreas verdes do Estado. Situado na região metropolitana de Belo Horizonte, é o terceiro maior parque em área urbana do país e abriga alguns dos mananciais que abastecem a capital. Os 3.941,09 hectares do Parque Estadual da Serra do Rola-Moça são habitat natural de espécies da fauna ameaçadas de extinção como a onça parda, a jaguatirica, lobo-guará, o gato-do-mato, o macuco e o veado campeiro. O Parque está situado numa zona de transição de Cerrado para Mata Atlântica, rico em campos ferruginosos e de altitude. A vegetação diversificada proporciona ao Parque um colorido especial e um relevo peculiar, sendo encontradas espécies como orquídeas, bromélias, candeias, jacarandá, cedro, jequitibá, arnica e a canela-de-ema, que se tornou o símbolo do Parque. Recentemente descrito pela geologia, o Campo Ferruginoso é muito raro, sendo encontrado apenas em Minas Gerais, no quadrilátero ferrífero, e em Carajás, no Estado do Pará. O Parque abriga seis importantes mananciais de água - Taboões, Rola-Moça, Bálsamo, Barreiro, Mutuca e Catarina - declarados pelo Governo Estadual como Áreas de Proteção Especial. Eles garantem a qualidade dos recursos hídricos que abastecem parte da população da região metropolitana de Belo Horizonte. Para assegurar a proteção destes mananciais, esta área não está aberta à visitação pública. COMO CHEGAR: Saindo de Belo Horizonte, pegar a BR- 040 no sentido Rio de Janeiro. Entrar à direita no Posto Chefão, segunda rua à direita (Montreal), no bairro Jardim Canadá. Prosseguir até a portaria principal do parque. A distância do Posto Chefão ao parque é de cerca de 3 km, em estrada de terra. DISTRITO CASA BRANCA - MG Chegando no Distrito Casa Branca ficamos encantados com o ar bucólico e tranquilo do povoado. Com diversas pousadas e restaurantes o local é extremamente bom para descansar. Destacamos como referência gastronômica, o restaurante abóboras que oferece um cardápio diferenciado com uma decoração bem peculiar. No fundo do restaurante tem um riachinho e umas redes, após o almoço, pode-se descansar na rede e curtir a natureza. O ponto fraco é o preço, pois o almoço custa 46,00 por pessoa. Ainda no turismo gastronômico destacamos o restaurante Babá Empório & Restaurante, que com uma decoração bonita e simples, encanta. Almoçamos em uma varanda perto das árvores junto com miquinhos, que vinham pegar comidas nas nossas mãos.O preço é bem acessível o PF gira em torno de 19 reais e o prato executivo 24 reais. Temos ainda o Verde Folhas que além de oferecer um bom restaurante, oferece opções de entretenimento como arborismo, tirolesa, rapel, trapelouco e escalada. Além de também sem uma pousada com excelentes acomodações. De fato, foi um excelente passeio, muito indicado para moradores e visitantes de Belo Horizonte e região metropolitana, pois pode-se conhecer todos os atrativos sem a necessidade de pernoitar no distrito
  8. Inicialmente venho convidar vocês a acessar meu blog... essa e outras viagens dentro de Minas Gerais estão relatadas lá em HD, com fotos e vídeos, segue o link: https://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/ Olá caros amigos, Venho relatar pra vocês um excelente passeio que fizemos de motocicleta no pequeno município de Piedade de Paraopeba, próxima a BH, (cerca de 47 km de distância).Partimos de Belo Horizonte pela BR 040 sentido Rio de Janeiro. Logo na entrada de Piedade do Paraopeba já sentimos o ar bucólico e calmo da cidade.Seguindo o fluxo da estrada, no finalzinho do povoado tem-se uma rotatória, seguimos a esquerda sentido povoado dos Marques em busca da "Cachoeira dos Marques".Após andar cerca de 7 kms nessa estrada, seguindo apenas reto, chegamos no vilarejo dos Marques. Nos informaram que para chegar na cachoeira devíamos passar por uma cerca e descer (cerca de 100 metros para dentro do terreno), assim que avistássemos uma placa vermelha escrita "área imprópria para banho.Foi relativamente fácil de achar, paramos a moto embaixo da placa e passamos pela cerca descendo sentido a cachoeira. A cachoeira tem uma queda baixa mas muito bonita, formando um belo poço em uma clareira. Bom para refrescar e curtir o belo visual do local.Seguindo viagem, continuamos sentido o povoado de "Aranha". O povoado se encontra cerca de 10 kms do povoado dos "Marques", seguimos em busca de uma praia doce conhecida como Toca, margem do Rio Paraopeba.Chegando no local a beleza é encantadora, com uma cachoeira muito forte e uma grande faixa de areia, é uma bela vista. No local, tem um bar do outro lado do rio chamado Toca do Beto, com excelente cardápio, servindo porções tópicas de peixes, fritas, mandioca e opções de almoços.Para acessar o bar basta chegar em uma tenda na praia que o barco vem buscar o cliente. O único acesso é pelo barco, uma vez que é extremamente perigoso atravessar a nado ou pela cachoeira.Na volta, não passamos por dentro de Piedade do Paraopeba, seguimos por outra estrada partindo do povoado dos Marques até a 040, chegando no pista de voo livre do topo do mundo. Terminamos a tarde vendo os aventureiros saltando de parapente.Decerto foi um excelente passeio.
  9. Inicialmente venho convidar vocês a acessar meu blog... essa e outras viagens dentro de Minas Gerais estão relatadas lá em HD, com fotos e vídeos, segue o link: https://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/ Olá Amigos! Venho apresentar a vocês mais uma maravilha bem próxima da nossa capital mineira, a Cachoeira do Paiolinho! Essa beleza fica em Moeda, a 60 km de Belo Horizonte. O acesso é pela BR 040 sentido Rio de Janeiro, basta acessar a via e observar as placas que indicarão a entrada. Vale frisar, que saindo da BR 040 quando pegamos o acesso pra moeda, passamos por diversos mirantes, e vale a pena dar uma pequena parada para apreciar a vista. Chegando na cidade de Moeda, já nos sentimos contemplados pela calma e beleza do lugar. Com a típica cara de "cidadezinha" mineira pode-se encontrar belos restaurantes e pousadas. Diversas pessoas praticam esportes como Trekking, trilhas de Bike e até voo livre na serra da moeda. Seguindo pela cachoeira, partindo do centro é necessário perguntar a algum morador para indicar a estrada. É necessário pegar uma estrada de terra de aproximadamente 6 km até uma porteira. A cachoeira tem cerca de 7 metros de queda e se encontra em uma propriedade particular. Para visitação é necessário pagar uma taxa para entrar. É possível também acampar, pois o local possui área de camping e restaurante. A estrutura é bem simples, mas possibilita um excelente contato com a natureza para aqueles que gostam! O local possui diversos poços e é possível ir subindo pelas pedras e descobrindo novas quedas e novos braços. Infelizmente não é um local totalmente calmo, ficando as vezes muito cheio final de semana. Porém é sem dúvida uma ótima opção de aventura para quem quer fugir da rotina perto da nossa capital. Então o que estamos esperando? Vamos programar uma visita imediatamente! Telefone do camping: (31) 9 8462 - 7660 facebook da cachoeira paiolinho clique aqui
  10. Inicialmente venho convidar vocês a acessar meu blog... essa e outras viagens dentro de Minas Gerais estão relatadas lá em HD, com fotos e vídeos, segue o link: https://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/ Olá meus amigos! Esse final de semana tive o prazer de fazer um passeio de motocicleta em São Sebastião das Águas Claras, mais conhecido como Macacos em Minas Gerais.Macacos é um pequeno e agradável distrito, localizado a 25 kilometros de Belo Horizonte , que vem conquistando mineiros e turistas de outros estados que buscam um ambiente tranquilo para descansar e sair da rotina.Para chegar em macacos basta pegar a BR 040 / 356 e após alguns Kilômetros você verá placas indicando o acesso à São Sebastião das Águas Claras. Chegando em macacos paramos bem no centro do vilarejo para nos alimentar e foi uma experiência excelente.Nos bares tinham vários motociclistas, a maioria de meia e terceira idade de Harley Davidson. Alguns senhores montados naquelas imensas Big Trails BMW. Pelo visto parece que macacos desperta esse espírito aventureiro e atrai pessoas do gênero . Também encontrei muitos esportistas que praticavam trilhas de bicicleta e de moto, além de diversos casais de todas as idades.Do centro partimos sentido a cachoeira que se localiza próximo ao urangotango´s bar. É muito perto da entrada da cidade, cerca de 2 kilometros em um estrada basicamente reta, tendo uam bifurcação apenas na escola, onde deve se pegar a esquerda para chegar na cachoeira.A estrada termina em um riacho onde no nosso caso abandonamos a motocicleta e seguimos a pé.A trilha é muito simples e pequena, cerca de 10 a 15 minutos andando tranquilamente.O único problema é que ela não é muito bem demarcada. Recomendo que espere alguém que conheça para ir junto, já que o fluxo de pessoas é muito grande buscando o local, de 5 em 5 minutos passava alguem que estava a caminho.Porém é bem possível encontrar sem ajuda, nós mesmos encontramos sozinho.O poço é pequeno e raso, com uma queda de água de aproximadamente 3 metros.Ocorre que o local é muito agradável e bonito, sendo impossível nadar, mas muito bom para se refrescar e tomar uma ducha natural. Quando voltamos para o arraial, cerca de 14 horas já estava lotado, com muitos jovens, shows, e muito movimento. Foi excelente.Onde se hospedar em macacosAcredite, apesar de pequeno, Macacos tem inúmeras opções de hospedagens, tem pousada em tudo quanto é canto e de tudo quanto é jeito, das mais simples às mais luxuosas. Eu já fiquei na Vilarejo Plus que é excelente, inclusive tem uma matéria completa dela neste mesmo blog.Link da matéria sobra a pousada O que fazer em MacacosVisitar a Capela de São SebastiãoA Capela de São Sebastião foi erguida em meados do século XVIII no centro do Arraial de Macacos. No interior da capela, um singelo acervo com destaque para o Altar-Mor e as diversas imagens em madeira. Em frente a capela há um grande cruzeiro de madeira.A capela foi completamente restaurada no ano de 1988, preservando suas características originais. A Capela de São Sebastião é tombada pelo Conselho Consultivo Municipal do Patrimônio Histórico de Nova Lima. Fazer o passeio de quadricicloA atração mais radical de Macacos é o passeio de quadriciclo, que percorre boa parte do arraial e leva os turistas a uma aventura em meio a mata nativa que emoldura o arraial. Em alguns trechos do passeio, é necessário passar por dentro de riachos, deixando o passeio ainda mais radical.O passeio dura cerca de 1h30 e deve ser agendado com alguns dias de antecedência, para não correr o risco de ficar sem. Conhecer a feira livre de MacacosA feira livre acontece todos os sábados, a partir da 10h no centro do arraial de Macacos.Comprar artesanatoTem algumas boas opções pelo arraial. Eu conheci a loja Tiquim de Tudo, que fica no centrinho da vila, alguns metros acima da igreja. A loja tem artesanatos, lembrancinhas, óculos, chinelos e faz até recarga de créditos no celular. Realmente a loja tem “um tiquim de tudo”.Curtir a grande variedade gastronômicaA gastronomia é um dos pontos fortes de Macacos e há vários restaurantes espalhados pelo arraial, dos mais simples aos mais sofisticados, tem restaurante pra tudo quanto é gosto.Segue um pequeno vídeo feito por mim: Macacos é uma excelente opção para sair da rotina.Encontro você lá!Aloha!
  11. Olá meus caros amigos,Gostaria de relatar a vocês um grande passeio que fiz com minha noiva em no distrito de Tabuleiro, em Conceição de Mato Dentro/ MG. Inicialmente venho convidar vocês a acessar meu blog... essa e outras viagens dentro de Minas Gerais estão relatadas lá em HD com fotos e vídeos, segue o link: https://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/ Tabuleiro fica cerca de 180 km da capital de Minas Gerais, sendo o tempo estimado de viagem de 3 horas e 50 minutos, via MG-010. O local é incrivelmente bonito e preservado.É um vilarejo bem pequeno e acolhedor, com ruas estreitas e bastante natureza. É uma ótima opção para quem busca descanso e interação com a natureza. Logo no dia que chegamos já fomos direto ao local conhecido como "Poço do Val", é bem próximo do centro do povoado, de onde eu fiquei hospedado era cerca de 5 minutos apenas de caminhada. Forma-se um poço bem limpo e grande, sendo o local bem apreciado pelas pessaos principalemente por estar bem próximo não carecendo de deslocar-se para se refrescar e ficar em contato com a natureza. No outro dia fomos para a cachoeira do tabuleiro que se encontra dentro do Parque Estadual Serra do Intendente criado pelo Decreto sem número de 29 de março de 2007.Localização: Tabuleiro, Conceição do Mato Dentro, Minas Gerais.Estrada: 22km de automóvel, partindo do centro do município.Trilha: ≅ 2,5km | Média/Pesada | A pé Características: Local impressionante, Tarifa na entrada O parque possui uma estrutura bacana, um estacionamento médio e banheiro com chuveiro quente. Lá o celular não pega bem, oscila bastante todas as operadoras. Pagamos uma taxa de R$ 10 reais por pessoa.Considerei a trilha bem pesada, pois o início dela é extremamente íngrime e requer um bom esforço físico para alcançar o fim, porém é extremamente gratificante quando se chega na cachoeira. O poço é bem grande cerca de 100 metros de ponta a ponta, é a cachoeira mais alta de Minas Gerais e a terceira maior do Brasil. São 273 metros de queda livre formada a partir de um paredão de beleza monumental. Na parte alta da cachoeira existem outras quedas e lagos e, na parte de baixo, existe um grande poço ladeado por imensos blocos de pedra, com 18 metros de profundidade. No outro dia devido ao cançasso fomos a um local conhecido como "Poço Pari":Localização: Tabuleiro, Conceição do Mato Dentro, Minas GeraisEstrada: 750m de automóvel, partindo do Centro do Distrito TabuleiroTrilha: +200m | Leve | A pé, bikeCaracterísticas: Poço grande, familiar, simples acesso Local extremamente gostoso, familiar e bonito. A trilha é bem leve apenas 200 metros, estruturada com corrimão em bambu e escadas feitas na terra. Neste mesmo local funciona um camping com diária no valor de R$20,00 por pessoa.Chegando lá nos deparamos com um poço maravilhoso, uma piscina redonda toda cercada de grandes pedras e uma pequena praia com cascalhos em sua beira.É ótimo para famílias e idosos, devido ao fácil acesso e beleza garantida.Foi um ótimo passeio! Se você procura um local com uma grande beleza natural e com paz e tranquilidade garantida, você deve conhecer Tabuleiro!
  12. Olá Amigos, Gostaria de compartilhar uma ótima experiência que tivemos neste final de semana, uma pequena viagem que fizemos para Rio Acima, um município de Minas Gerais de pouco mais de 8.000 habitantes com muita história e belezas naturais. Inicialmente, informo que esse post está no nosso blog melhor comentado e com mais imagens em HD, porque aqui ainda temos uma limitação de espaço.. então quem quiser ver ele de forma melhor vá no http://leoesdamontanhamg.blogspot.com.br/search/label/Rio%20Acima%20%28MG%29%20-%20Cachoeira%20do%20%C3%8Dndio%20e%20Cachoeira%20de%20Viana Também fizemos um vídeo que mostra bem as belezas do lugar: O Acesso é muito fácil pois depois de Nova Lima seguindo a MG 030 tem diversas placas sendo impossível não encontrar. Assim que chegamos pudemos notar que o local é muito calmo e muito convidativo. Apesar de pequeno, pode-se notar uma boa estrutura para o atendimento à turistas com várias padarias, locais para almoçar e lojinhas de lembranças. Nós estávamos mais interessados em procurar cachoeiras e belezas naturais, por isso logo que chegamos, após passar a ponte da entrada da cidade paramos e perguntamos pela cachoeira do índio, a primeira pessoa que questionamos já nós disse com exatidão que viraríamos a esquerda do lado da famosa estação da maria fumaça e seguiríamos ali até uma estrada de terra. O acesso é relativamente difícil porém todas as pessoas conhecem, então é muito difícil de você se perder. Depois de alguns kms na estrada de terra passamos por um vilarejo ( neste ponto erramos, a estrada se bifurca sendo o lado esquerdo caminho para a cachoeira e o lado direito a entrada do vilarejo), e depois de pouco tempo já podíamos a vistar de longe a queda d´água no alto das montanhas. Após uma porteira que estava do lado direito da estrada, conforme os moradores nos informaram, do lado esquerdo da estrada logo a frente foi aberto uma passagem na cerca para acesso à cachoeira do Índio. Ali adentramos com o carro, o deixamos lá e depois de poucos metros e começamos a trilha a pé. Tendo a visão da cachoeira encima da pedra, seguimos intuitivamente até o seu leito, e a partir daí seguimos pelas pedras e contra o curso d´água até a mesma. Logo quando avistamos a cachoeira foi indescritível a sensação. É uma queda enorme formando braços gigantes de água, o paredão é muito bonito, com cores cinzas misturadas com o verde das plantas e dos musgos. Aquela vista foi simplesmente fantástica. Logo ali forma-se um poço, não tão fundo mais ideal para quem gosta de se refrescar. Ficamos encantados com a beleza dessa cachoeira. Desequipamos e ficamos ali descansando e apreciando a vista. Depois voltamos pela trilha e seguimos para a cachoeira do Viana, voltamos na estrada principal, seguimos alguns kms para frente e vimos uma entrada também a esquerda. Não existe qualquer sinalização, é necessário perguntar para alguém ou ir intuitivamente levando em conta que você pode ver a cachoeira alguns km antes. A entrada é bem esburacada, e segue para uma estrada feita aparentemente por jipes. Nós estávamos no meu carro que é baixo, um Kia Cerato, então tivemos muita dificuldade de passar pela trilha, até que tivemos que abandona-lo e seguir a pé, pois tinham muitos buracos e só um veículo com uma suspensão mais adequada poderia continuar. Depois de uma leve caminhada achamos a cachoeira do Viana, que é uma queda muito menor e tem uma ponte logo a frente. Vários trilheiros de bike e moto param ali para se refrescar. Após apreciarmos a cachoeira e a ótima vista da ponte que tem logo na frente da mesma que serve de mirante para a beleza geográfica do lugar voltamos para a cidade. Lá nós vimos a Maria Fumaça que é realmente muito bonita, tendo os horários para os passeios que duram 55 minutos, percorrendo 7 kms e custando R$15,00. E depois ela fica estacionada para quem quiser fotografar e apreciar. Muito satisfeitos voltamos para a casa com muita vontade de voltar para conhecer a cachoeira Chica Dona que não tivemos o prazer de apreciar.
  13. Eu tenho uma barraca igual a sua... ela aguentou o regasso???
  14. Fala pessoal, eu tenho um blog só de viagens que fazemos por MG... A última foi em Rio Acima, lá tem um passeio de Maria Fumaça e belíssimas cachoeiras.. olha só o vídeo que fizemos Acessem também nosso blog que lá explica tudo e tem diversos passeios bem legais por Minas. http://leoesdamontanhamg.blogspot.com
  15. Fala pessoal, eu tenho um blog só de viagens que fazemos por MG... A última foi em Rio Acima, lá tem um passeio de Maria Fumaça e belíssimas cachoeiras.. olha só o vídeo que fizemos Acessem também nosso blog que lá explica tudo e tem diversos passeios bem legais por Minas. http://leoesdamontanhamg.blogspot.com
×
×
  • Criar Novo...