Ir para conteúdo

Meninaflor

Membros
  • Total de itens

    10
  • Registro em

  • Última visita

Sobre Meninaflor

  • Data de Nascimento 14-12-1982

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

Conquistas de Meninaflor

Novo Membro

Novo Membro (1/14)

0

Reputação

  1. Olá queridos, estou aqui para contar minha estadia pelo Estado da Bahia. Não sei ser sucinta. (Desculpa) Preparativos: não pude me preparar com antecedência, como fiz no ano passado quando comprei passagens aéreas para Foz do iguaçu em novembro para viajar em março. Por sorte teve promoção de companhias aéreas no final de semana e comprei para Salvador. Custo total (ida+volta+taxas) R$ 258 reais. Li por alto algumas dicas e fiquei um pouco receosa com tanto comentários sobre assaltos. Acabei não trazendo minha maquina dsrl. Uma pena, pois meu passeio pela capital foi tranquilo. Dia 10 de março: acordei 5:30 da manhã no bairro do Méier, as 6:20 estava na estação do trem para ir até Madureira, onde tem a integração trem -BRT estação manaceia para o Galeão. A viagem do Meier a Madureira durou uns 20 minutos. Cheguei mais ou menos as 8 da manhã no aeroporto com viagem marcada para as 9 da manhã. Tudo transcorreu bem e eu estava em Salvador as 11 horas. Também optei pelo meio mais barato para ir ao bairro da Barra, onde ficava o hotel Porto da Barra- ônibus comum- chamado Aeroporto - Praça se- por R$3,00 . Para pega - lo basta seguir em frente a saída do aeroporto e atravessar o estacionamento. O ônibus em si é uma viagem turística pela orla de Salvador. Aproximando do farol da Barra liguei o GPS do celular e quase passo do ponto... A estadia foi uma promoção do site hotel urbano e nao custou mais de 250 reais por duas diárias - casal. Gostei demais, pela localização, pelo café da manhã, pelo quarto e principalmente pela simpatia dos funcionários. A minha chegada ao Hotel Porto Salvador foi por volta de 13h:40m. Só tive tempo de tomar um banho e ir atrás de comida. Caminhei até o shopping da Barra. E os preços são carinhos, os mesmos cobrados do Rio de Janeiro. Só o refrigerante foi mais em conta R$ 4,40. Nem posso dizer barato, porque o refrigerante é R$ 5,00 no Rio. De barriga cheia fui percorrer a orla. Fui no morro do Cristo, não tinha polícia. Seguindo em frente o farol da Barra lindíssimo, e tinha a roda gigante da Coca Cola, de graça, deu para tirar umas fotos no alto bem legais. Fiquei até o por do sol atrás do farol. E por fim as compras no mercado em frente ao hotel e descansar. Farol da Barra Dia 11 de março: acordei cedo para ir ao centro histórico. O ônibus deixou próximo ao elevador Lacerda, fotos e mais fotos, deu para fazer o passeio tudo a pé pelo centro histórico. Passei pela cruz caída, tem uma estátua de baiana, praça da Se, largo Terreiro de Jesus, igreja e convento São Francisco (R$ 5,00) lindíssima. Largo do Pelourinho entrei na casa de Jorge Amado, quarta feira é grátis, muito legal a casa e a vista para o Pelourinho. Desci até a avenida José Joaquim Seabra, (pegue um mapinha no centro de informações no elevador Lacerda) e fui para o ponto do ônibus com destino a arena da Fonte Nova e o Dique do tororo. Um em frente do outro. Só perguntar, o pessoal da Bahia, em sua maioria costuma ajudar. E por fim peguei o ônibus Lapa - Barra. E encerrei meu dia almo- jantando. Pausa na sorveteira do lado do hotel antes de subir. Elevador Lacerda Cruz caída Igreja São Francisco de Assis Pelourinho visto da casa de Jorge Amado Jorge Amado Não deixei de lembrar da musica Na Baixa do Sapateiro Arena Fonte Nova os orixás no Dique do Tororó Dia 12 de março - após tomar o café no hotel fui para o ponto de ônibus em frente ao hospital espanhol, lá peguei ônibus em direção a marechal rondon . Pedi para o motorista me avisar quando chegasse ao terminal são Joaquim, de onde partem os ferry boats. Paguei R$ 3,95 itaparica (Bom Despacho). Lá em Bom despacho, no terminal, paguei R$ 19,00 em um ônibus para Valença. O ônibus passa em frente ao atracadouro, só pedir para o motorista avisar. E de lá paguei R $ 9,00 em uma embarcacao convencional (ela irá parar primeiro em Gamboa antes de seguir para Morro de São Paulo). Fiz chek in no Hotel Morro de Sao paulo, e logo fui ao mercado da ilha , cuidado com os preços surreais. Pão de forma por R $ 10,50. ABSURDO. E para finalizar dei uma relaxada na piscina do hotel olhando para o céu estrelado da ilha. Gostei do hotel, mas o acesso aos quartos e praticamente uma ginástica. São muitas escadas... Ferry boat Itaparica(Bom Despacho)- Salvador (r$3,95) Caminho do ônibus de Bom Despacho para Valença Parada do onibus de Valença nessa pracinha. Só seguir em frente que chega ao ferry boat Chegada ao Morro de São Paulo Dia 13 de março- Tomei um café reforçado e planejei a ida a Gamboa a pé. Só que a maré estava cheia para ir pela orla, resolvi arriscar ir pela trilha. E foi uma muito bom. Comparei a trilha da Ilha Grande. Parece muito. Parei em uma praia deserta e tirei viárias fotos. Depois retornei a caminhada e cheguei na famosa praia da argila. Onde você se lambuza todo.Lá um barqueiro chamado Augusto ofereceu um passeio até o banco de areia. Com parada no centro de Gamboa para o almoço, e retorno para o morro de Sao Paulo. Por R$ 10,00. Como ia pagar 5 reais de barco mesmo para voltar, resolvi aceitar o passeio por mais 5 reais. E valeu super a pena.o único problema foi que aceitei aquelas indicações de restaurantes e saiu caro, por ser na beira da praia. Mas não deixou de ser delicioso. Uma moqueca por 48,00 duas pessoas + refri + 10% já viu, né? Chorei Trilha para Gamboa Olha a cor da água cartão postal- Praia do Porto de Cima Praia da Argila - Gamboa Banco de areia (onde, segundo o barqueiro, Carla Perez pousou para a revista masculina) dia 14 de março - Fui conhecer a primeira e segunda praia. Particularmente eu não gostei, elas são muito movimentadas. Procurei uma sombra na divisa com a terceira praia e tinha um pessoal fumando tudo o que se possa imaginar. (Detesto). Almocei por la mesmo, no lugar chamado Prato Bom, escondido na Rua Nova atras da beira mar. Com PF por 15 reais. A beira mar é surreal (ou sou pobre mesmo). A comida é simples. Depois do almoço fiz a caminhada até o farol da Ilha e o mirante da Tiroleza para ver o por do sol. Para quem tiver coragem de pular custa R$ 40,00. Vista da segunda praia Farol da Ilha Tiroleza dia 15 de março- acordei cedo e parti para quarta praia. Por que segundo relatos a maré esta mais baixa e dá para ver as piscinas naturais e os peixinhos. Foi uma boa caminhada do centro, mas valeu a pena. A melhor praia de morro de Sao Paulo. Encontrei uma sombrinha boa de uma amendoeira que tinha um balanço para as crianças de plantão. Na volta almoçamos no Tempeiro Caseiro, na praça Aureliano, também um restaurante mais em conta e de muito boa a comida. Passei o restante dos dias na Ilha almoçando lá. E depois do almoço fomos conhecer o forte. Peixinhos balanço Forte vou pular para do dia 18 de março para não ser repetitiva- - Vamos a odisseia da minha volta: tentei fazer o mesmo percurso, comprei passagem para Valença com saída as 11h:30m o barco foi cheio ate Gamboa, onde um pessoal desceu, e seguimos, mas percebi que ele não estava indo para Valença...beleza, vai parar em Curral e seguir para Valença. Desce o restante em Curral e fica eu, meu namorado e uma senhora sentada. O rapaz saca um papelzinho azul e pede para a gente descer e pegar ônibus. OI? Com esse papelzinho vocês não pagam. Ok, ok...pegamos o tal onibus que dizia ser Atracadouro, saltamos na pracinha antes do atracadouro e esperei o onibus para ir para a Rodoviaria de Valença. Assim que chegou a viação indo para Itacaré, fiz sinal. Ele parou e me deu carona até a rodoviária. La peguei o onibus para Bom despacho em Itaparica. E em Itaparica segui direto para o ferry boat, sem almoçar. La no ferry comprei uma coxinha. Chegamos 17h em Salvador. Se arrependimento matasse tinha vindo de catamarã direto, por que acabei passando mal mesmo fazendo o outro percurso....Segui para a praça da Sé e quem tá saindo do ponto?...o ônibus para o aeroporto. Bom 17h:30 chega outro. Vai dar tempo...o voo é 20:23. As 19h:00m estou em Itapuã, próximo ao aeroporto e o ônibus pára.Isso mesmo... Pára... esperei um pouco e resolvi saltar e pegar um táxi, cheguei as 20:00 e não deixaram embarcar. Fiquei sabendo que os moradores estavam protestando na rua e fecharam o transito. Por mais que argumentasse pedindo uma remarcação, os atendentes da TAM não quiseram me ajudar. Juntei a mais duas pessoas na mesma situação e corremos no aeroporto, na Anac, no balcão de informações...por que o avião ainda não tinha decolado. E uma da Tam especialmente debochou da gente. Como se a gente tivesse inventando a história. Queriam cobrar 5 vezes o valor da passagem paga para remarcar. A solução que encontrei foi comprar pela internet, por outra compania, "mais barato" e voltar. Assim termino os dias de paz com uma péssima impressão de Itapuã e das atendentes da Tam de Salvador. A violência por lá realmente é presente. Não irei passar uma tarde em Itapuã na minha próxima viagem e nem aconselho aos demais. Quer ver a situação?http://g1.globo.com/bahia/noticia/2015/03/grupo-interrompe-transito-em-protesto-contra-morte-de-jovem-em-itapua.html
  2. Raquel tá ficando muito bom o relato. Cada foto sua eu ia lembrando desse passeio maravilhoso. Dá vontade de voltar, mas é tanto lugar novo para conhecer que fico no dilema...rs
  3. Ah, não esqueça que mesmo que a loja aceite em reais, pague em dinheiro vivo. Se passar o cartão vai ser cobrado o IOF de 6,38 % sobre o valor. Isso é, se passar . Por que antes tem que habilitar o cartão para compras no exterior. Eu tinha uma pochete de pano(kkkk) por debaixo da blusa imperceptível para esconder o dinheiro.
  4. Raquel eu tive prejuízo levando dólar, por que ele baixou consideravelmente durante a semana. E no Paraguai os preços dos produtos estão em dólar, mas eles aceitam reais em praticamente todas as lojas. Basta fazer a conversão do dia. Esse site, por exemplo, diz no topo http://www2.megaeletronicos.com/v3/br/ quanto custa cada dólar em reais. Guaranis (que é a moeda deles) só nas lojas no final da rua principal. Praticamente inexiste produtos marcados em guaranis. Aqui no Brasil ainda pagamos iof e a taxa bancária. Só se no Paraguai o dólar estiver muito caro, vale a pena comprar no Brasil. O que não é o caso nos dias de hoje. Esqueça os dólares. Agora o peso argentino tem que ter de qualquer maneira. Os Argentinos não aceitam reais no parque deles. Para almoçar em Puerto Iguazu o restaurante COLOR aceita reais, mas não sei se em todos os lugares aceita. Troca seus reais por pesos no shopping de Foz. Eu troquei na rua, por que estava praticamente na Argentina e sem pesos para pagar a passagem e o ingresso do Parque. Não fui até o ponto final do ônibus por que se não iria demorar ainda mais procurando uma casa de cambio. E o parque da Argentina é muito grande tem que ter bastante tempo para aproveitar o dia , é melhor ir prevenida trocando no shopping um dia antes. Pelo menos 115 (parque) + 35x2 (passsagem). Boa viagem
  5. Seu relato fez com que eu matasse a saudade dessa linda cidade . Estive em 2011 e quero um dia retornar. Obrigada.
  6. Quinto dia. Reservei a manhã para o templo budista. É muito bonito, um lugar de calma e paz. Vale a pena. Ônibus 103. Não se cobra a entrada, mas tem uma caixinha de contribuição que fiz questão de contribuir. Como estava ainda cedo, voltamos para o TU e de lá pegamos o ônibus para a Usina de Itaipu linha 102. Sei que muita gente gosta, eu particularmente achei muito caro. Ingresso para o circuito especial : R$ 64 Para guarda uma bolsa pequena: R$ 8 Achei os preços um absurdo, ainda mais cobrando para guardar uma bolsa. Voltei para o TU e de novo e parti para o Shopping almoçar no Máfia di Pasta Sexto dia Dia de voltar, mas não sem antes de ir ao Paraguai . Dessa vez peguei o ônibus 103 no TU e andei a ponte a pé. Fui comprar as caixinhas de alfajor para dar de presente na Pascoa. O site Compras Paraguai diz onde você pode encontrar preços mais baratos. Aproveitei e comprei a minha case para a máquina por 18 dolares. Conversão no dia: 2,40 Por isso me arrependi de comprar os dólares no Brasil. Lá se aceita reais em quase todas as lojas e o dólar caiu bastante durante a semana. Almoçamos e nos despedimos do Supermercado Muffato. Para voltar para o aeroporto, peguei o ônibus no terminal linha 120. No aeroporto, vi a polícia federal revirando as malas de um casal. A minha mala passou no raio x, mas não precisou abrir. Se liguem na cota dos 300 dolares para não ter problemas. Espero ter ajudado.
  7. Quarto dia Cataratas da Argentina Entrar na Argentina foi um processo mais rigoroso que no Paraguai. Todo mundo tem que descer do ônibus. A identidade é scaneada ou o passaporte é carimbado. Ela ainda pergunta o que você vai fazer lá e depois seus pertences passam em um raio x. Dessa vez deixei para cambiar lá. Troquei com uma pessoa 350 pesos por 100 reais ou 0,28 cada peso para poder pagar a passagem. O motorista deixou em um ponto mais perto das Cataratas e de onde o ônibus das cataratas iria passar. Não precisei ir até o ponto final. Ia pegar o ônibus, mas um taxista me convenceu que chegaríamos mais rápido e ele faria o mesmo preço do ônibus. E de fato , ele cobrou 35 pesos de cada um. Chegamos bem rápido. O ingresso para turista do mercosul custa 115 pesos. Logo na entrada do Parque tem uma trilha de 600 metros para quem quer ir para as trilhas inferior ou superior. Aconselho a quem esta cansada que não faça a trilha. Pegue o trem na estação central bem em frente. O Parque Argentino é muito grande. Se soubesse teria deixado para ir outro dia, pois estava cansada do outro dia ainda. E como sou persistente fui a todo o trajeto, mesmo cansada. A primeira visita foi a Garganta Del Diablo, que foi feita de trem. Impressiona o tamanho. Chega a assustar. No caminha da trilha você vê um pássaro super bonito. Peguei o trem de volta e fui fazer o circuito superior. Encontrei jacaré no rio, bem abaixo da ponte. Um enorme peixe. Macacos nas matas, quatis por todo canto e borboletas. Muitas delas. Todos os animais em seu estado natural, soltos na natureza. Lindo! Não parei para almoçar, já emendei com o circuito inferior que é lindíssimo. Nesse você toma um banho igual no lado brasileiro. Já estava até sentindo falta de me molhar. Tanta água e calor e nada de me molhar. Cansada e com fome fomos embora pegando dessa vez o ônibus para Puerto Iguazu. O primeiro restaurante que parei logo que sai da rodoviária foi o COLOR. E digo, foi uma escolha e tanto. Lá pelas 05h00min da tarde não ficar procurando nada. Pedi um bife de chorizo e papas fritas no modo brasileiro. É super delicioso, foram servidos de cortesia pãozinho com uma manteiga deliciosa. Almoço custou 145 pesos refrigerante Seven Up por 20 pesos Ainda com foco nas compras, caminhei procurando supermercados. No primeiro não achei alfajores, ou eu não vi direito, já que dizem que vendem em qualquer lugar. Parei para tomar um helado muito gostoso no meio do caminho. Enfim encontrei outro mercado os meus alfajores e o doce de leite colonial da La sereníssima. A hora não passou, ela voou. Sai correndo para o terminal com medo de perder o último ônibus para o Brasil. As seis e meia ele veio e a volta foi tranquila. O ônibus para novamente na alfandega e entregamos a carteira de identidade novamente. Dica: faça uma programação com intervalo entre as duas cataratas. É muito cansativo. Ônibus para Argentina saem do lado do terminal de Foz: R$ 4 reais
  8. Terceiro dia Esse dia foi reservado para as Cataratas do lado Brasileiro. Eu achei a estrutura ótima, o ônibus te deixa bem perto dos mirantes. Você se molha quando se arrisca a ir a até o final da ponte. Sem palavras para descrever as Cataratas, é realmente lindo. Na saída tem o parque das aves, muito legal também. Você entra nos viveiros das aves e no final ainda pode tirar uma foto com uma arara apoiada em seu braço. Custos entrada de Foz do Iguaçu R$ 29,20 Parque das Aves R$ 20,00 ônibus linha 120 R$ 2,85 Tarde e cansada desci no terminal e lá mesmo peguei o 105, sem precisar pagar outra passagem, que deixou bem em frente ao shopping. Almoço: Máfia di Pasta Várias massas em self service: Excelente preço kg: 37,90
  9. Segundo Dia Eu tinha feito uma programação que furou. Meu plano era ir ao Paraguai no primeiro dia para comprar a minha máquina fotográfica, logo depois do almoço. Li nos fóruns do Orkut - Nikon que o lugar mais confiável era comprar na Montecarlo. Como tem a cota dos 300 dolares, queria compra- la logo e tirar as fotos da minha viagem turística sem entrar na cota. Assim seria de uso pessoal, pois não possuo máquina. Já que a programação mudou, resolvi dar uma volta melhor pela Cidade Del Leste neste segundo dia. Fui na Mega Eletronicos que também é muito falada em confiabilidade e na Casas Nissei. Em ambas não tinha a Nikon d3200. Acabei comprando na Monte Carlo por 500 dolares chorei um pouquinho para o valor da Mega que estava 459, no site, mas não adiantou. É 500 e ponto final. Comprei e testei na hora, até o carregador pedi para testar. Na loja mesmo me desfiz da caixa e dos plásticos e coloquei na minha bolsa pessoal. Rasguei tudo para ninguém reaproveitar. Não duvido da loja, que me pareceu ser muito honesta , mas sim de alguns catadores. Voltei na Mega eletrônicos e comprei o celular Samsung Poket S-5300 por 80 dolares. Eles testaram na minha frente e emitiram nota fiscal. Só teve um problema, nada grave. Foi o idioma do aparelho que não veio português do Brasil. Está funcionando com o português de Portugal. Comprei um protetor Swndown fator 50 por 14,58 reais na farmácia ou 6 dolares. cotação de 2,43 e eles aceitaram em reais. Como meus dólares foram embora na máquina, paguei em reais mesmo. Achei que daria tempo para ir ao templo Budista de tarde, mas novamente não deu. Almoçamos no Muffato e retornamos exaustos para a pousada. O ônibus do Paraguai custou 4 reais, peguei ele em frente ao TU do outro lado da rua. O que eu aprendi? Não pare na rua para pedir qualquer informação de loja de perfume e eletrônicos, eles vão querer ir atrás de você para te vender “mais barato” = "falsificados". São chatos. Até a Mega Eletrônicos tem uma genérica chamada Meca Eletronicos...rs Andava na rua falando o tempo todo: não obrigada. Quando olhava na rua para me situar, com ar de perdida, já vinha alguém perguntando eletrônico? Perfume? O que procura? Mas embora os ambulantes sejam chatos, achei o povo paraguaio muito solícito.
  10. Preparativos Li muito o site dos mochileiros antes de viajar para não entrar em nenhuma fria. Agora quero apresentar os meus dias em Foz do Iguaçu. Comprei dólares devido as dicas do pessoal que já fez compras no Paraguai. O dólar estava 2,32, mas sabia que em nenhum lugar iria conseguir comprar por esse valor, pois é o valor do dólar comercial, pesquisei no aplicativo do banco central VET onde estaria, em média, mais barato o dólar turismo. Um dos bancos listados foi o Santander(só atende quem for correntista) Na hora da compra ele me informou que iria me vender por 2,45. Aceitei, já que de 2,32 para 2,45 o banco teria o lucro de 13 centavos por nota, mas para minha surpresa foi cobrado além disso uma taxa de 20 reais pela operação mais o IOF. Acabou saindo por 2,48. #chateada Achei mais seguro comprar no Brasil, pois vem com o recibo e tudo, em caso de notas falsas. Depois confesso que me arrependi. Já no segundo dia explico. Comprei a passagem pela gol em uma promoção em novembro do ano passado. Bem baratinho, não deu nem R$ 200 reais. TOTAL DA VIAGEM BRL 179,42 ida +volta + taxa Levei roupas confortáveis e um casaquinho, mas nem precisou. Lá fez muito calor, tal como o Rio de Janeiro. De noite esfria um pouquinho. Se você for na época de verão não precisa de roupa de frio, leve um casaquinho apenas. Primeiro dia Minha saída foi problemática, sai às 06h00min da manhã de casa para estar as 9:30 no Galeão. Peguei um ônibus comum para a rodoviária da Barra, mas peguei um engarrafamento que me fez chegar as 07h30min(o que não levaria nem uma hora se estivesse com trânsito bom.) Como vi o trânsito todo parado desisti do ônibus do aeroporto que sai da Alvorada e tentei um táxi, mas foi difícil, pois sempre passava com passageiro. Desespero, até as 08h00min quando enfim consegui. Peguei a Linha amarela e novamente tudo parado. Tinha feito check in pela internet e precisava somente despachar a mala. Liguei para a gol para cancelar e como tinha feito check in me foi informado que eu deveria pagar uma multa de 100 reais. Minha ideia era cancelar e pagar a diferença em outro voo, mas pagar multa por algo que nem cheguei a embarcar é dose. Antes de desligar o telefone falei com o atendente que iria tentar chegar na hora e desisti de cancelar. Em certa parte da via o motorista conseguiu pegar uma reversível o que me ajudou bastante. Paguei 84 reais sem reclamar (eu reclamo demais dos preços), mas consegui chegar oito minutos antes de fechar o cheque in. Furei a fila, que estava grande, por causa do voo. Partiu às 10 horas e cheguei 12h00min em Foz. Chegando em Foz, fui para o ponto de ônibus pegar o 120 que vai para o TU ( terminal Urbano). Ônibus lotado de turista (gringo) com malas. Cheguei a pousada Iguassu Agape(bem simples/barata , mas com excelente localização) e sai para almoçar . Aproveitei para perguntar sobre o supermercado onde poderia comprar água, biscoito. Para minha surpresa, do lado do terminal tem um supermercado chamado Muffato que tem comida a 20 reais o quilo. Bom, né? Fiz as comprinhas das necessidades e voltei para a pousada para descansar. O que aprendi? A não marcar voo no horário que todo mundo esta indo trabalhar.
×
×
  • Criar Novo...