Ir para conteúdo

Helen Pusch

Colaboradores
  • Total de itens

    186
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

12 Boa

Outras informações

  • Meus Relatos de viagem
    http://www.mochileiros.com/foz-do-iguacu-no-feriadao-de-pascoa-tiradentes-t95710.html
    http://www.mochileiros.com/17-dias-na-italia-jan-fev-2014-t97237.html
    http://www.mochileiros.com/lencois-maranhenses-barreirinhas-e-atins-e-sao-luis-t100487.html
    http://www.mochileiros.com/peninsula-iberica-22-dias-t110449.html
    https://www.mochileiros.com/topic/44327-tail%C3%A2ndia-camboja-amp-vietn%C3%A3-31-dias-surreais/
    https://www.mochileiros.com/topic/60542-m%C3%A9xico-cdmx-puebla-e-oaxaca/
    https://www.mochileiros.com/topic/63227-m%C3%A9xico-m%C3%A9rida-tulum-cozumel-e-playa-del-carmen/
  • Meu Blog
  1. Olá! Concordo com as coisas que o pessoal já mencionou, como por exemplo, achar que é muito tempo só para Budapeste. Fiquei quatro dias lá e a-do-rei a cidade, muito mesmo! Mas esse tempo foi bem apropriado, tendo mais dias eu também combinaria com outra(s) cidade(s). Note que a moeda lá não é euro, e sim florins. A cotação ficava (em agosto desse ano) em torno de 280-300 florins por euro. Ressalto o que já disseram: é muito complicado dizer o quanto vocês vão gastar, mas vou te dar uma ideia do quanto eu gastei. Saquei 100.000 florins para esses quatro dias. Disso, gastei 28.000 com o hostel, que é um gasto que vocês não terão se pegarem Airbnb (pois o pagamento é feito no momento da reserva). Eu e meu marido gostamos de usar Airbnb principalmente por ter cozinha disponível (gostamos de cozinhar e economizamos assim) e muitas vezes fica bem mais em conta do que um quarto privado de hostel para um casal, mas quando estive em Budapeste fui sozinha e por isso fiquei no quarto coletivo do hostel. Dos 70.000 que sobraram, deu para fazer tudo: comer (todas as refeições, pois o hostel não incluía café da manhã), usar transporte público, entrar em atrações e ainda ir em dois dos banhos termais mais famosos de lá: o Szecheny (4900 florins) e o Gellert (5300 florins). Não fiz a visita que é das mais caras entre as atrações turísticas da cidade, que é o tour no Parlamento, então meus 70.000 deram e sobraram para comer bem (sem luxo) e fazer tudo que eu queria. Ainda deu para gastar uns 10.000 florins em comprinhas supérfluas. Ah, nesse valor não estava incluso o transporte de trem que peguei para Viena, pois eu já havia comprado pela internet. Alguns estabelecimentos aceitam euros, mas nem sempre a cotação é vantajosa. Às vezes a conversão era 300/1, mas às vezes 250/1. Minha sugestão para esse tempo que vocês tem é combinar Budapeste com Viena (também maravilhosa!) e talvez Bratislava (estava no meu roteiro, mas não consegui ir). Um site que me ajudou muito quando estava planejando a viagem, além dos relatos aqui no Mochileiros, foi o www.360meridianos.com, tem bastante informação sobre Budapeste lá. Qualquer coisa, pergunte! Abraço! Helen.
  2. Olá! Obrigada pelo relato! Lindas fotos! Sabes me dizer quanto custou o serviço de remis? Estou bem na dúvida de como fazer esta logística de visitar vinícolas, gostaria da liberdade de um remis mas não sei se cabe no orçamento hehehe. Agradeço tua ajuda!
  3. Olá! Belíssima viagem, obrigada por relatar! Tenho uma dúvida quanto aos remis em Mendoza: é fácil fechar com algum lá na hora? Tens contato do remis que vcs contrataram (whatsapp ou email)? Lembra do valor que foi? Agradeço a ajuda!
  4. Puxa, não me lembro que horas chegamos de volta... Só sei que já era noite, o que não significa muita coisa, pois era inverno e escurece cedo . Sorry! Concordo com a dica do Adriano (o Adriano é o mago das dicas, sempre certeiras!), viaje à noitinha para aproveitar o dia. Mas eu faria esse deslocamento em um dia passeando em Florença mesmo, para não ter aquela preocupação de "será que vou chegar do passeio a tempo de pegar meu trem?". De fato, eu amo Roma ! Hahaha. Mas dentro desse teu roteiro, considerando os dias que tu já colocaste em cada lugar, eu colocaria um dia a mais em Florença. Veneza já está de bom tamanho. Curta muito!
  5. Como obter internet em celular na Europa?

    Em julho deste ano comprei um chip da Vodafone na Itália, e usei o mesmo na Hungria, Áustria e República Tcheca. Fui na loja, expliquei qual era o uso da internet que eu precisava (mapas, buscar algumas informações no Google, etc) e eles montaram um pacote. Uso ilimitado dos mapas (Maps.me e Google Maps) e das redes sociais, mais 7GB, por quatro semanas, custou 35 euros. Por outro lado, muitos lugares disponibilizam wi-fi: hospedagens, restaurantes, alguns espaços públicos, aeroportos... Pense qual a tua necessidade de acesso à internet e avalie se precisas comprar um chip ou não. Mas de maneira alguma use o roaming internacional da operadora do Brasil, é muito caro! Abraço!
  6. Ah, sobre Florença, acho um dia e meio apertado... Vais ter que fazer escolhas e cortar algumas coisas.
  7. Olá! Minhas sugestões: -corte um dia de Milão -sem dó!- e coloque em Roma; -Verona é uma gracinha, mas dentro do teu roteiro, eu cortaria e colocaria... em Roma também ; -quando fui, fiz um tour San Gimignano+Siena+vinícola por uma empresa de turismo que ficava oferecendo serviços em frente à Santa Maria Novella. Sim, tem seu lado chato, fazer tudo no ritmo deles, mas foi a maneira de visitar as duas cidades no mesmo dia. No fim das contas foi bem legal (e foi em conta); -se tiveres que escolher entre SG ou Siena, eu ficaria sem dúvida com a primeira; -a partir de Veneza, visite Burano em vez de Murano. Boa viagem, abraço!
  8. Olá! Não somos assim flueeentes, mas temos uma comunicação/compreensão razoável em inglês, rola até uns papos sobre amenidades . Mas não te preocupa com isso! Os tailandeses são muito fofos e prestativos, eles vão fazer de tudo para se fazer entender: mímica, gestos etc. No caso do barco quebrado, tu iria ver o barqueiro com uma chave inglesa na mão e o braço todo sujo de graxa , e o guia apontando para o relógio pedindo "mais alguns minutos", e tu saberias o que estava acontecendo. Uma amiga minha foi um ano depois de mim, com essa mesma preocupação. E deu tudo certo, teve uma viagem fantástica. Vai tranquila que vai dar tudo certo! E os perrengues depois são só história para contar e para dar risadas. Abraço!
  9. Olá, Mayra! Que legal, passar o dia de los muertos por lá deve ser sensacional! Consultando o site da ADO (www.ado.com.mx), vi que há um ônibus que faz o trajeto Chichén-Mérida às 17:35, com uma hora e meia de viagem. Aparentemente é direto, pelo tempo de viagem, mas não posso afirmar pois não utilizei. Ótima viagem para vocês!
  10. Visita noturna ao Coliseu

    Visita noturna ao Coliseu Não é sempre que esta modalidade de visita ao Coliseu funciona. Quando eu e meu marido fomos à Itália pela primeira vez, em 2014, as visitas eram somente de dia (fizemos a normal, sem guia). Estivemos pela segunda vez na Itália em julho deste ano, e para nossa sorte, está em funcionamento o evento La Luna sul Colosseo (literalmente: a lua sobre o Coliseu). Assim que descobrimos essa possibilidade corremos para comprar os ingressos, que são limitados e pouca coisa mais caros do que a entrada normal. Os tour são guiados, em grupos pequenos e disponíveis em italiano, espanhol e inglês. Além do charme de ver o Coliseu por dentro iluminado e um guia contando um monte de histórias, curiosidades e mitos sobre o local, a visita leva às galerias sob a arena (aquela parte onde ficavam os gladiadores e os animais antes das lutas), coisa que a visita normal não permite. Ah, outra coisa legal é que acontece em um horário em que somente esses pequenos grupos entram, então o Coliseu não está tomado por hordas de turistas. O post contando como foi nossa experiência nesse tour sensacional está aqui: https://recordacoesdeviagens.wordpress.com/2017/09/08/visita-noturna-ao-coliseu/ Boas viagens!
  11. ACONCÁGUA DEZ/2016 - RELATO

    Olá, Vanessa! Eu estava na seção de relatos de viagem pela Argentina, procurando informações sobre Mendoza, e vim parar no teu relato. E é simplesmente uma das me-lho-res coisas que já li aqui no Mochileiros! Apesar de adorar ler relatos de viagem, nunca tinha lido nenhum do fórum "Trilhas e Montanhas". Comecei a ler o teu e não consegui parar até terminar! Obrigada pelo relato excelente e parabéns por essa experiência incrível, pela determinação, pela superação, pela força! Abraço!
  12. Olá! Obrigada pelo relato, muitas informações úteis! Especialmente porque farei um roteiro bem parecido com o teu e na mesma época (no caso, janeiro de 2018). Qual a tua opinião sobre os dias que ficaste em Valparaíso e Santiago? Estou pensando em deixar cinco dias para distribuir entre essas duas cidades, ainda não sei se durmo em Valparaíso ou faço somente um bate-volta... que achas? E quanto a Santiago, esses três dias cheios que tu ficaste ficaram de bom tamanho? Te agradeço a ajuda! Helen.
  13. Oi, Tanaguchi! Eis que entro aqui para ler teu relato, para matar um pouquinho da saudade da viagem que fiz e me inspirar para as próximas... e vejo uma "menção honrosa" ao meu relato! Fiquei muito feliz! Muito obrigada! Que bom que foi, de alguma forma, útil. Vou seguir acompanhando, tomara que tu mudes de ideia e faça um relato enorme, cheio de detalhes e histórias! Abraço!
  14. Olá, licealvess! Obrigada! Que bom que gostaste! Sim, o isopor cheio de ceva foi nosso fiel amigo, praticamente o 4º integrante da trip . Além de ser bem mais barato (a gente comprava o fardo com 12 latas de Corona no super por 120 pesos!), a ceva ficava mais gelada também, eles não são muito adeptos da bebida gelada como nós brasileños. Infelizmente não guardei o contato do taxista... falha minha. Vou tentar entrar em contato com o proprietário do apartamento em que ficamos em PDC, pois foi indicação dele. Se eu conseguir, te passo. Abraço!
  15. México - CDMX, Puebla e Oaxaca

    Para nós, não pediram. Nem passagem de volta, nem documento algum. Também não perguntaram absolutamente nada. Porém, essa foi somente a nossa experiência, não posso afirmar que seja assim com todos.
×