Ir para conteúdo

alexandresfcpg

Membros
  • Total de itens

    470
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    4

Tudo que alexandresfcpg postou

  1. Essa parte do país já tive tempo de conhecer, Guadalajara até estava no roteiro, queria ir à Tequila, mas não rolou. Mas o sul é animal demais cara, vale a pena conhecer.
  2. Olá Lusmel, tudo bem? Sinceramente não sei por onde começar, tem muita coisa bonita pra se ver, tem um brother meu que foi pra lá quinta e deixei ele louco com tanta dica, ele nem sabe o que fazer kkk Eu diria que lugares como o Cânion de Sumidero e o vilarejo de San Juan Chamula; Cozumel, isla Mujeres (próximo a Cancún, ainda falarei sobre lá); os centros históricos de San Cristobal e Oaxaca; as ruínas de Palenque, Tulum e de Teohtihuacan são lugares obrigatórios pra se conhecer, fora outros tantos. Adorei conhecer o México, garanto que sentirá o mesmo. Qualquer dúvida pode ir
  3. Se interessar, dá uma olhada no meu relato do México, ainda falta acabar a parte de Cancún e do último dia em CDMX, mas acho que deve ajudar.
  4. Eu fui no ano passado e gastei 900 dólares (ou quase 13.000 pesos) em 25 dias rodando o México de CDMX até Cancún, já incluído hospedagens, alimentação, passeios, transporte, bugigangas (sombrero, chaveiro, tequilas e afins) e até um vôo de Cancún pra CDMX. Comer e entradas de atrações é hiper barato no México, transporte é de boa também. Não tentei comprar pesos mexicano aqui, levei dólar e troquei lá, achei que compensou, melhor câmbio do país é no Terminal 1 do aeroporto da capital.
  5. Bom, eu levei 1200 dólares e voltei com 300 ainda, minha viagem durou 25 dias. Claro que Cancún e Playa del Carmen são um pouco mais caros em relação ao restante do México, mas com 3800 dá até pra ressuscitar o Chaves kkk Pra você ter uma ideia, fiz uma conta rápida, eu gastei mais ou menos 260,75 dólares em 6 dias na CDMX e 340 dólares em 8 dias em Playa e Cancún, incluindo despesas com hospedagem e o voo que fiz de Cancún para CDMX. Com relação ao câmbio, eu troquei só 500 dólares no Terminal 1, peguei a 17,06 (detalhe: eles pagam melhor se levar nota de 100), quando estava em Cancún
  6. Olá Simony! Acredito que dê com folga, eu troquei 500 dólares no aeroporto e o dinheiro durou bastante, só fui usar dinheiro novo bem a frente na viagem, claro que faço numa forma mais econômica, mas como seu hotel já tá pago 1000 vai dar de sobra. Conselho: troque só uma parte no Terminal 1 do aeroporto (melhor câmbio da cidade) e se precisar troque mais (mas duvido que precisará). Qualquer outra dúvida só chamar. Abraço e ótima viagem, você adorará, garanto!
  7. Então, confesso que essa informação eu peguei em algum lugar quando tava pesquisando minha viagem, mas não tive o cuidado de checar, agora que você falou vou dar uma olhada e se for o caso vou corrigir minha postagem. Valeu pelo aviso!
  8. DIA 18 – 04/10 - Playa del Carmen Acordei cedo, tomei café e logo fui em direção ao píer comprar as passagens para Cozumel, óbvio que fui no quiosque azul que era mais barato, o ferry saia do mesmo lugar e aparentemente era igual ao outro. Passagem comprada, fui até o local de embarque e acabei encontrando o Danilo e sua tia, também estavam indo pra lá. Ele disse que havia alugado um carro e que buscaria no aeroporto de Cozumel, e eu nem sabia como faria ainda kkk O ferry era bom e confortável, o ar condicionado era bem forte, a travessia durou 35 minutos e lá estava eu na paradisía
  9. DIA 17 – 03/10 - Playa del Carmen A tormenta havia passado e o sol apareceu com toda sua intensidade, a roupa que não havia secado direito estava seca e finalmente pegaria uma boa praia caribenha com tempo bom. Subi ao terraço onde serviam o café da manhã, que era muito bom: café, leite, chá, frutas cortadas, cereal, pão, geléia, manteiga, uma torradeira, tinha uma mina que servia. Sentei com a galera e ficamos resenhando enquanto comíamos. Terminado o café, parti rumo à praia, segui caminhando conhecendo ela toda, primeiro segui direção à Playa Mamitas (indo pro lado esquerdo)
  10. DIA 16 – 02/10 - Tulum / Playa del Carmen Acordei umas 9h, ainda chovia pra burro, a rua era de terra e tinha um pequeno lago formado na esquina, achei que me lascaria para ir embora, mas lá pra umas 10h30 parou de chover e aproveitei pra sair rumo ao terminal, o ônibus saia às 12h. Pensa num terminal cheio! O ônibus partiu no horário, e no caminho caiu um dilúvio, tinha até pontos de alagamento (nada de absurdo) na pista já próximo a entrada de Playa del Carmen. Graças a Deus, quando desembarquei no terminal, tinha parado a chuva, e como meu hostel era próximo fui caminhando,
  11. DIA 15 – 01/10 - Tulum Meu plano inicial era ir até as ruínas de Cobá, uma cidade há mais ou menos 1h de lá, mas quando acordei vi o dilúvio que estava e o horário do ônibus (há uma linha de ônibus que vai pra Cobá e sai meio cedo) que ia pra lá já estava em cima então me conformei e fiquei por lá, curtindo um tédiozinho chato. Não estava tão calor que nem no dia anterior, mas esqueceram de desligar o ar (ficou ligado o dia inteiro), então fiquei um pouco no quarto, aproveitei para ver hostel em Playa del Carmen e ver o que poderia fazer por lá, tinha uma praia chamada Playa Paraiso,
  12. DIA 14 – 30/09 - Valladolid / Tulum Às 9h20 peguei o ônibus rumo a Tulum e ao Caribe mexicano. O tempo estava bom e a estrada era boa, a viagem durou mais ou menos 1h30, às 11h estava na rodoviária que fica na avenida principal da cidade. O hostel ficava há umas quadras dali e quando cheguei descobri que o check in seria somente às 15h (na verdade esse era o horário padrão da maioria dos hostels mexicanos, mas sempre conseguia fazer check in quando chegava). Pedi para a mulher que me atendeu se poderia deixar pelo menos a mochila lá enquanto batia perna e voltar depois pra me hospe
  13. DIA 13 – 29/09 - Valladolid Acordei umas 7h, tomei o café que eles deram (apenas razoável, mas de graça tá valendo) e já me mandei, pois queria chegar cedo em Chichen Itza antes que as excursões chegassem e lotassem o lugar. O local de onde saem as vans é quase ao lado do terminal de ônibus da ADO, na própria Calle 39, mas eu acabei passando direto e tive que voltar. Aproveitei e parei no terminal e comprei a passagem para Tulum, voltei e aguardei numa van, só tinha eu, duas alemãs e um casal. O tempo foi passando e nada da van sair e as duas alemãs foram lá falar com o motorista, ele di
  14. DIA 12 – 28/09 - Mérida / Valladolid No México é muito comum ocorrerem blitz nas estradas, principalmente nas interestaduais, e o ônibus foi parado num desses, subiu uma policial e pediu os documentos, eu estava dormindo pesado e acordei meio zureta, quando fui abrir a doleira pra pegar o passaporte e percebi que o RG e o papel da imigração que estariam dentro dele não estavam, entrei em pânico imaginado se havia perdido em algum lugar. Dei o passaporte pra policial e quando ela pediu a “tarjeta da imigración”, pedi licença ao senhor do meu lado que se levantou, eu abaixei e comece
  15. DIA 11 – 27/09 - San Cristobal de Las Casas / Palenque / Mérida Acordei às 3h, coloquei o que faltava na mochila e fiquei aguardando a van chegar às 4h, pelo menos havia parado a chuva. Ele chegou ás 4h30, me despedi de um dos funcionários que estava no outro hostel e estava acordado. Eu fui um dos últimos a entrar, depois de mim ele pegou mais um casal e partimos rumo a Ocosingo, onde tomaríamos o café da manhã. Estava bastante escuro e aproveitei pra cochilar um pouco, apesar de estar desconfortável, pois a mulher que subiu depois sentou na minha frente e reclinou bastante o banc
  16. DIA 10 – 26/09 - San Cristobal de Las Casas O dia estava bem ensolarado e sai cedo pra visitar o povoado de Chamula, tem umas vans que vão pra lá, elas saem da esquina da Calle Honduras com a 16 de Septiembre de uma garagem, é só chegar e ir entrando, custa 18 pesos, eles esperam encher (ou pelo menos metade) e partem, a viagem dura mais ou menos 30 minutos, e o tempo começou a ficar estranho. A parada final da van é na praça principal da cidade (se bobear, a única), onde fica a igreja de San Juan Bautista. Na frente, há uma praça bem grande onde ficam várias barraquinhas de l
  17. DIA 9 – 25/09 - San Cristobal de Las Casas A viagem seguia madrugada adentro quando umas 3h da manhã o ônibus parou na rodoviária de uma cidade chamada Santiago, aproveitei para comprar uma “Sabritas” (como eles chamam os salgadinhos da Elma Chips por lá) e uma coca e depois consegui pegar no sono rápido (o roncador acabou dando uma sossegada). Eram 6h45 o ônibus parou em Tuxtla Gutierrez (capital de Chiapas) e de lá seguiu morro acima até San Cristobal. Estava sol mas no caminho começou a chover e uma neblina forte tomou conta do caminho. Por volta das 8h paramos na rodoviári
  18. Opa, valeu Michradu! Você acompanhou meus perrengues com terremoto e a tempestade tropical, se não fosse minha internet até teríamos nos trombado no último dia. Com relação ao caos, imagina eu que não sabia o que tinha acontecido (em Teotihuacan não "tremblou") tentando entender aquela confusão que tava formada. Tô terminando e vou postando conforme tiver tempo. Abraço!
  19. Ah sim, eu vi que caiu uma das imagens que fuca numa das torres, eles chamam de La Esperanza.
  20. Sim, pelos videos que vi depois a Colonia Roma sofreu muito, a região do Zocalo, onde eu estava, não sofreu tanto pelo que vi nos arredores do meu hostel. Então, perguntei sobre o terremoto de 07/09 e disseram que na cidade de Oaxaca não foi tanto o estrago, foi mais no litoral (local do epicentro), e nessa réplica foi igual, caiu só algumas lascas de fachadas, pedaços de topo de igreja mas nada sério. Aliás, Oaxaca e Chiapas são os lugares do México com maior incidência de terremotos.
  21. DIA 8 – 24/09 - Oaxaca de Juarez / San Cristobal de Las Casas Não sei se era cisma com terremoto, mas acordei umas 3h30 com a sensação que o travesseiro estava vibrando, depois descobri que havia ocorrido outro terremoto em Chiapas (5.8 se não me engano), mas o horário não batia, foi de manhã cedo, deve ter sido alguma réplica mais fraca. Este era meu último dia em Oaxaca e tinha reservado o dia para fazer o tour que incluía a Árvore de Tule, o Sítio Arqueológico de Mitla, as cascatas petrificadas de Hierve El Água e as fábricas de tapetes e de mezcal. No papel que me deram co
  22. DIA 7 – 23/09 - Oaxaca de Juarez Lembram quando disse que na CDMX o beliche balançava tanto que não saberia diferenciar de um terremoto? Pois bem, estou eu dormindo de boa e começo a acordar com a cama chacoalhando, logo me irritei porque assim como na Cidade do México não teria paz com o cara da cama de cima... mas pera, NÃO TEM NINGUÉM NA CAMA DE CIMA , eu tava sozinho no beliche. Abri os olhos e vi a cama balançando para um lado e para o outro, olhei para a cama do lado e ela também estava balançando assim como o ventilador de pedestal que ficava no meio do quarto. Olhei para o
  23. DIA 6 – 22/09 - Cidade do México / Oaxaca de Juarez Levantei por volta das 5h, já tinha deixado a mochila pronta e logo sai, peguei o metrô vazio e rapidamente cheguei ao Terminal TAPO, fiz hora usando o WI-FI (todos os terminais da ADO no México tem Wi-Fi disponível e muito bom por sinal) e embarquei rumo à Oaxaca, seriam umas 7h de viagem. O ônibus até era bom, a viagem foi tranquila (tirando uma mulher com uma criança sentada ao meu lado que me dava alguns chutes durante a viagem), o motorista colocou filme pra passar, a estrada era boa e o tempo também estava bom, só pegu
  24. Cara, tava tenso o negócio lá mesmo, fiquei na região do Zocalo e lá não foi tão afetado não, quem tava na hora do terremoto falou que ficou dentro do hostel de boa. E sim, eu estava em Cáncun quando o Nate passou lá (ainda falarei sobre isso). Também curti muito o México, tô terminando o restante do relato pra postar, valeu por estar acompanhando. Abraço!
  25. Esse não, mas ainda vou falar sobre a réplica que peguei kkk Cara, pode ir tranquilo porque o México é demais, e essa rota é show!
×
×
  • Criar Novo...