Ir para conteúdo

Romário Nunes

Membros
  • Total de itens

    3
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

8 Neutra

Últimos Visitantes

O bloco dos últimos visitantes está desativado e não está sendo visualizado por outros usuários.

  1. Já pensou em trocar algumas horinhas de trabalho voluntário por acomodação em vários lugares do mundo? Sim, é possível! E é uma forma supereconômica de viajar, que muda toda nossa história, nos possibilita compartilhar habilidades e conhecimentos com outros viajantes, entrar em contato com outras culturas e simplesmente explorar novos lugares Já ouviu falar de Worldpackers? Se você ainda não conhece essa ferramenta surpreendente, vamos lá! Worldpackers é a plataforma que possibilita você viajar e morar em qualquer lugar do mundo, em troca de apenas algumas horas de trabalho. É isso mesmo! Trabalho em troca de acomodação. O trabalho em si inclui alguns benefícios como estadia, por vezes alimentação, uso da lavanderia e outros. Todas as informações ficam descritas no perfil dos hosts no site ou aplicativo. No caso de passagem aérea, seguro viagem e visto, isso fica por sua conta. Por que trabalhar em troca de hospedagem? Há muitas razões para se inscrever nesse tipo de trabalho voluntário, a primeira delas é a possibilidade de economizar uma boa grana que seria gasta com hospedagem e alimentação em suas viagens. Por exemplo: imagine que você vai passar 15 dias em “Santiago – Chile”, pagando diárias e almoçando fora, além de ficar correndo atrás de informações para conhecer os melhores pontos turísticos da cidade. Pois bem, agora veja você no mesmo lugar, trocando suas habilidades de trabalho durante quatro horas do seu dia, na recepção e em troca disso você recebe uma boa acomodação, café da manhã, uso da lavanderia e a oportunidade de conhecer novas pessoas de todos os lugares do mundo, e viver de fato o local e suas histórias. Claro que tudo isso varia um pouco, existem lugares que te oferecem o básico, como café da manhã e a acomodação, e tem também os que te oferecem praticamente tudo, além da acomodação, toda a parte de alimentação, o serviço de lavanderia, descontos em passeios, pontos turísticos, aulas de idiomas, dança, yoga e até mesmo uma bicicleta. O importante é saber quais são suas habilidades e quais você realmente tem a vontade de adquirir. As funções para as quais você pode se aplicar, variam dependendo do local escolhido, como recepção, organização e limpeza, guia turístico, fotografia e vídeos, pintura e decoração, ajudante de cozinha, projetos ecológicos e muito mais. Em relação ao tempo de estadia no local, existem opções que te aceitam para algumas semanas e outras que te aceitam durante meses. É importante verificar as informações e requisitos que o host propõe no perfil. Pois bem! O que fazer? Descreva suas habilidades em seu perfil e aplique para o que mais gosta de fazer. É simples, fácil e rápido. E qual o valor? É preciso pagar uma pequena taxa de adesão, ela é necessária para acessar detalhes das vagas e dos anfitriões. É algo muito irrelevante, se comparado ao preço de uma estadia em qualquer lugar do mundo. A taxa é anual, custa $49 dólares e você tem a carência de um ano para aplicar em vários lugares. Lembrando que, na verdade, nesse tipo de experiência o que paga mesmo a sua estadia é o seu trabalho. O primeiro passo para se inscrever é registrar seus dados pessoais. Depois fornecer uma forma de pagamento, que pode ser cartão de crédito ou boleto bancário. Uma vez realizada a reserva via Worldpackers, você tem garantido o contato com o host, a plataforma serve para conectar ambas as partes, serve como intermediária. Daí a importância de checar bem o local para onde está indo, conversar com o anfitrião, ler as avaliações de ex-voluntários e tirar todas as suas dúvidas antes de cair na estrada. A Worldpackers é confiável? Bom, eu viajo pela plataforma e nunca tive problema, pois faço todo contato com os outros viajantes que também tenham sido recebidos no mesmo local. Além de tirar todas as dúvidas com o anfitrião, procuro recomendações e avaliações. A Worldpackers garante que, uma vez combinada as datas e o período de tempo em determinado local, você não fica na mão. A plataforma garante que há a verificação de todos os hosts cadastrados no site. Além disso, oferece suporte 24h por dia e uma espécie de seguro que inclui 3 noites em um outro hostel na mesma cidade, caso você não esteja contente com o local que escolheu. Quais tipos de lugares existem na plataforma? É possível trabalhar em hostels ou pousadas, ONGs, pequenas empresas, em casa de família ou, ainda, em projetos sociais e ambientais. Outras dicas para viabilizar sua viagem: Além do Wordpackers existem outras iniciativas de trabalho voluntário, como o WWOF, AISEC e o Workaway. O já conhecido CouchSurfing, que nada mais é que o famoso “posso dormir uma ou duas noites no seu sofá / sala / qualquer cantinho”, e que pode ser arranjado no site oficial ou mesmo em grupos espalhados pela internet, é um recurso muito válido para quem viaja com pouca grana e também quer conhecer pessoas do local que vai visitar. Eu recomendaria? Sim! A oportunidade de fazer novas amizades e as aventuras do dia-a-dia é um aprendizado incrível. Estar disposto a oferecer conhecimento, experiência e tempo é VIVER e, claro, ARRISCAR, pois os maiores prazeres da vida estão naqueles momentos em que você se sente realizado, e eu pude obter isso com o Worldpackers. Me ajudou a descobrir um mundo que não conhecia, pessoas incríveis e histórias surpreendentes. Quando alguém me pergunta se deve fazer e se eu recomendo, me faltam palavras para enfatizar na mesma intensidade que vivo esse momento, o quanto eu recomendo e desejo que todos passem por isso. Aqueles que querem conhecer a plataforma, vou deixar o link e também um Código de Desconto de $10 dólares, para ser um Membro Verificado, ou seja, se utilizar o código irá pagar a taxa anual de apenas $39 dólares. Se houver dúvidas, me procurem nas redes sociais, terei o prazer de responder e ajudar aqueles que desejam ter essa experiência e cair na estrada. Site: www.worldpackers.com Código de Desconto: #WPRELATOSDEROMARIO Acompanhe as redes sociais: @relatosderomario
  2. Começando aos poucos minhas primeiras palavras aqui no site, vou relatar sobre um dos lugares mais incríveis que eu já tive o prazer de conhecer e até mesmo morar por alguns meses. Um cantinho de sossego, cheio de energia, pessoas boas e de uma natureza sem igual. A experiência que tive nesse lugar, o privilégio de conhecer as pessoas, as histórias que vivi e ouvi, sem dúvidas vão me acompanhar sempre em minha jornada. O que vou escrever aqui, de certa forma irá ajudar vocês a conhecerem alguns pontos importantes, para que possam aproveitar melhor sua estadia; Ilhabela fica localizada no litoral norte de São Paulo, conta com aproximadamente 35 mil habitantes e 85% de sua área é de preservação ambiental, além de 42 praias, 12 comunidades caiçaras, mais de 300 cachoeiras e muita história local. Quem gosta de histórias, lendas sobre piratas e muita cultura. Ilhabela é o lugar certo! Quem vem de São Paulo, o trajeto é em média 4h de viagem, chegando até a cidade de São Sebastião, parada obrigatória para continuar a viagem até Ilhabela. Ali existe uma empresa de travessias DERSAque são balsas que transporta veículos e passageiros até a Ilha. Aqueles que optam em viajar de carro, o indicado é comprar a opção de hora marcada, que é vendido pelo site da empresa que faz a travessia. Vale lembrar que depende muito da data, pois em baixa temporada o tráfego é bem menor, o que dispensa a compra de hora marcada. Já na alta temporada, se prepare! O movimento é bem intenso. Os viajantes que estão de carona ou ônibus podem ficar tranquilos. A travessia é gratuita e funciona 24 horas, durante o dia é de 30 em 30 minutos e na madrugada é de 1h em 1h. A empresa que faz o trajeto vindo de São Paulo é a Litorânea. Assim que chegar na cidade de São Sebastião, o motorista faz a primeira parada na rodoviária e depois de alguns minutos no ponto da balsa. O lugar exato para iniciar a travessia. Aos que viajam pensando em baratear os custos (assim como eu), existem diversas maneiras de chegar até o local, uma delas é o BláBlá Car o aplicativo de caronas. Com algumas idas e vindas de São Paulo, conheci pessoas que vivem na ilha e fazem esse trajeto quase todos os dias, e oferecem carona com o preço acessivo. Deixarei o contato para os interessados. Chegando em Ilhabela, é a hora de procurar uma acomodação, certo? Se for em alta temporada, procure reservar com antecedência, pois já vi casos de pessoas chegarem em cima da hora e não ter lugar para ficar ou até mesmo pagarem um valor muito acima do normal. Aos que curtem acampar, existem as opções de camping em vários pontos da cidade, mas acampar nas praias da ilha é extremamente proibido, de acordo com a Lei Municipal nº 1.224, de 02/10/2017. Vale ressaltar que a localização é primordial na sua viagem e, na minha opinião, um bom lugar para se hospedar é no Bairro do Perequê, que é conhecido como o centro comercial da ilha, onde tem a maioria dos bancos, farmácias, agências de passeios e o mercado principal. O Perequê fica próximo ao ponto da balsa, onde tem todas as saídas dos ônibus para as praias de norte a sul. E, claro, se for ficar vários dias na ilha e for utilizar o transporte público, faça o cartão cidadão da empresa Fênix, que além de fácil é o melhor modo de conhecer as praias andando muito e gastando pouco. No quesito hospedagem, irei deixar o contato do hostel onde fiquei, que na minha opinião é o mais bem localizado da ilha, 20 metros da Praia, 10 minutos da balsa, esquina com o mercado e também contém sua própria operadora de passeios. É claro que, quando falamos em hospedagem, precisamos de um local onde vamos ser bem recebidos, teremos informações turísticas e contamos também com uma staff legal, não é? Então minha indicação, sem dúvidas é o Hostel Central Ilhabela. Pronto! Falamos sobre como chegar, sobre a travessia e onde se hospedar. Agora é hora de falar um pouco sobre as praias e seus pontos turísticos. PRAIA DE CASTELHANOS Castelhanos ou Castê, como é chamada por alguns moradores, é famosa por suas histórias de piratas. Ela tem uma extensão de areia de 1,7km (sendo a maior da ilha) e é um dos poucos cenários do mundo com o formato de coração. É também a segunda maior comunidade tradicional caiçara do arquipélago. Vale pena conhecer Castê! Aos adeptos do surf ela é ideal e rola alguns circuitos maneiros no local. Uma dica de bebida é a Caipirinha de Folha de Mixirica. Dizem que ela foi criada ali na região do Saco do Eustáquio, uma praia próxima a Castelhanos. É muito saborosa. Prove! Só não esqueça… Beba com moderação! O passeio para a Castelhanos pode ser feito de duas maneiras: A mais econômica, ida e volta de jipe pelo parque estadual (parada para conhecer uma parte da trilha, da Cachoeira da Água Branca). Ou de Flexboat, incluindo as praias da Fome e do Saco do Eustáquio, e voltando de jipe. As duas opções incluem a Cachoeira do Gato, por uma trilha que leva em média 2h de caminhada (ida e volta). Ela tem uma queda d’água de 65 metros de altura e conta com um visual incrível. Aqueles que querem curtir um pouco mais de tempo na praia, evite a trilha, pois até então a caminhada varia em média 3h de duração. Aos que gostam de caminhar e estar em meio a natureza, aproveite. Pois mergulhar ali é revigorante! Se for ficar na praia, não deixe de conhecer o Mirante do Coração, fica no final da praia, no lado direito, e tem uma vista fantástica. Fazer fotos ali admirando a beleza, é o “clichê” de Castelhanos. Dando sequência, chegou a vez de: PRAIA DO BONETE Considerada por muitos uma das melhores praias de Ilhabela! Já foi citada como uma das 10 praias mais bonitas do Brasil pelo Jornal The Guardian. Com uma extensão de 600 metros de areias claras e mar agitado, Bonete é o lar da maior comunidade tradicional caiçara do arquipélago. E ainda preserva a riqueza de sua cultura local. Estar no Bonete é estar, de certa forma, conectado ao passado. Sem sinal de celular e sem grandes estruturas. O ideal é ouvir as histórias dos moradores, ir a cachoeira do Poço Fundo, apreciar os pescadores em sua tarefa diária no Rio Nema, subir o mirante e ver a imensidão do mar até o pôr do sol. E a noite nesse lugar? Sem palavras! Precisam ficar ao menos um dia e apreciar as estrelas. Não deixem de conhecer a comunidade do Bonete, é exatamente feito para os amantes da natureza e o paraíso para aventureiros. O acesso à praia pode ser feito de Flexboat, que custa em média R$150 a R$200 por pessoa, e em alguns casos o passeio também inclui a Praia de Indaiaúba. É sempre bom ressaltar que em alta temporada tem que estar antenado devido à grande procura nesse período. O outro acesso é feito por trilha, a partir da Ponta da Sepituba, localizada no sul da ilha. Uma caminhada de 15km que varia em média de 02 a 04 horas. No caminho vai se surpreender por duas lindas cachoeiras; da Lage e do Areado. Além de todo o percurso em meio a mata atlântica. Lembrando que a trilha tem um nível médio de dificuldade, dependendo muito do preparo físico. CACHOEIRA DO PAQUETÁ Conheci várias cachoeiras em Ilhabela, mas nenhuma se compara com a querida Paquetá, famosa por sua borda infinita com vista para o mar. O acesso é feito por uma trilha leve, com duração média de 30 minutos. Localizada no Bairro do Bixiga sentido sul da ilha – Praia Grande. A cachoeira não faz parte do Parque Estadual, e por isso não há demarcação na trilha. Porém é acessível e considerada nível fácil. Fui sozinho, prestando bastante atenção e chegando a primeira queda em alguns minutos. A cachoeira é formada por três partes: a primeira é bem rápida, e ali mesmo já consegue dar um tchibum ou pausa para se refrescar. A segunda conta com um paredão rochoso de onde água cai diretamente sobre um poço, é um local tranquilo e com um bom espaço para mergulho e até mesmo parada para recuperar o fôlego. Na terceira e última parte, requer um pouco mais de cuidado, pois até então a subida é um pouco íngreme e escorregadia. Todo o esforço é recompensado ao chegar lá em cima, o local é exato para fazer as fotos na borda infinita e também aproveitar o tobogã natural. Prepare para apreciar o visual! PISCINAS NATURAIS Considerada o Secret Point de alguns moradores é uma piscina formada na costeira da região sul da ilha, conhecida como Caminho das Flechas. A piscina é ideal para banho e fica lado a lado com o mar, quando a maré sobe ou lança suas ondas nas pedras, a água invade pelas fendas e adentra a piscina trazendo peixes coloridos para nadar. É bem legal! Para chegar à piscina não é muito difícil, é só ter cuidado, pois boa parte da caminhada é pela costeira sobre as pedras. Tenha atenção com as crianças no local. Sua localização fica à 3km da Praia do Veloso, sentido sul, no condomínio particular nº 12.300, chamado de Condomínio das Flechas. Tem entrada permitida para visitantes, em sua lateral direita, num portão pequeno que dá acesso uma escadaria para dentro do condomínio. O ideal é visitar pela manhã, em dias de sol, assim irá aproveitar a piscina com tranquilidade e sossego. PICO DO BAEPI Agora vem a parte boa para os aventureiros que curtem caminhadas desafiadoras. Prepare-se para uma das vistas mais bonitas que tem na ilha. Baepi tem seus 1.048 metros de altitude com vista panorâmica do arquipélago e de toda mata atlântica da região. É possível avistá-lo em quase todas praias do canal, só que exige um bom preparo físico. Não tem nenhuma espécie de rio ou riacho no caminho, o importante é levar água para se hidratar e algo para comer. A duração média de 3h de subida e 2h de descida no total de 7,5km. O caminho é todo demarcado e inicia em área aberta e logo adentra na mata atlântica. Prepare-se para os degraus, em uma trilha pesada e acidentada. É aconselhável estar fazendo o percurso com outras pessoas, ou até mesmo um monitor credenciado. O importante também é ver se o clima está agradável e se não há previsão de chuva. Não é nada bom subir até o cume com o tempo instável. Em relação as praias do canal que são de fácil acesso, vou deixar uma lista de norte a sul, que bem são bacanas e que vale a pena conhecer! Praias do Norte: Praia de Pacuíba e Jabaquara (acesso de trilha, bicicleta ou carro), Praia da Armação e Pedra do Sino (acesso de ônibus) Praias do Sul: Praia do Curral, Julião e da Feiticeira (acesso de ônibus) Aqueles que tiverem oportunidade de ir até Castelhanos, Bonete e Jabaquara, existem opções de praias próximas e fantásticas para se visitar: Praia de Enchovas (trilha depois do Bonete, em média 40 minutos); Praia de Indaiaúba (trilha depois do Bonete, em média 3h); Praia da Fome (trilha depois de Jabaquara, em média 3h); Praia Mansa (trilha depois de Castelhanos, em média 1h); Praia Vermelha (trilha depois de Castelhanos, em média 2h) Sobre cachoeiras, tenho que destacar as Cachoeiras: dos Três Tombos; do Veloso e da Água Branca, todas com a entrada gratuita e de fácil acesso. Consulte um receptivo local para maiores informações. Ao visitar o Centro Histórico da cidade, conhecido como Vila, não deixe de passar pela Igreja Matriz Nossa Senhora D’Ajuda, um dos cartões postais da cidade! A construção foi erguida entre 1697 e 1728, por escravos, que utilizaram pedras, conchas e óleo de baleia em sua constituição. Ela está localizada ao lado do antigo Fórum e Cadeia, atual sede do Parque Estadual de Ilhabela. Além da Igreja, a Vila conta com vários restaurantes, bares e comércio local. Há também uma praça e um píer, ótimos locais para fazer uma caminhada com a família. Uma das opções de bares na Vila é o Estaleiro Bar, famoso pelo forró que acontece todas às quartas-feiras. Aos finais de semana também rolam outros estilos musicais, além de apresentação de bandas e DJ’s. Ilhabela atrai turistas e profissionais de diversos setores o ano todo e os motivos vão além da natureza deslumbrante que a cerca. Um exemplo é a Semana Internacional da Vela, o maior festival do gênero realizado na América Latina, que acontece em julho aqui na Ilha. Tem ainda o Festival da Tainha e, em agosto, o Festival do Camarão. A lista de festivais não para por aí: Jazz, Cerveja Artesanal, Shows Nacionais, Forró, são só alguns exemplos do que rolou em 2017 na cidade. Para terminar meu relato sobre Ilhabela, deixo aqui um aviso importante: usem repelente! Isso mesmo, a Ilha mais charmosa do litoral norte de São Paulo é também lembrada por quem a visita pelos borrachudos que dividem o espaço com os moradores e turistas. Em algumas épocas chega a ser impossível ficar em determinados locais sem usar o produto. Uma dica interessante é começar a tomar um complexo de Vitamina B alguns dias antes da viagem, ele é vendido em farmácias, ou, assim que estiver na cidade, comprar o repelente nativo, CITROILHA, feito com óleo e citronela, o mais eficaz que experimentei até então. A Ilha é um lugar mágico, rodeada pela natureza e conta muito com o bom senso de seus visitantes para se manter limpa e preservada! Respeite os moradores, a fauna e flora local. Empresa de Travessia – São Sebastião x Ilhabela www.dersa.sp.gov.br Empresa de Ônibus – São Paulo x São Sebastião www.litoranea.com.br Trajeto São Paulo x São Sebastião – BláBlá Car Andy (11) 93807-5821 Hostel Central – Localizado Bairro Perequê www.hostelcentral.com.br Empresa de Passeios – Jipe e Flexboat www.jipeaventura.com.br
  3. Olá boa noite, também estou muito interessado em conhecer a Bolívia, Chile e Peru, fiz um roteiro bem bacana através de pesquisas aqui no fórum, falo perfeitamente o Espanhol e estou embarcando sozinho nessa viagem ainda este ano, se tiver alguém com as mesmas intenção , podemos conversar. Quero conhecer tudo de 20 a 30 dias, dependendo de quem for comigo, essa será minha primeira viagem e estou muito animado em cair na estrada. Whatsapp +5567 99278046 até mais galera
×
×
  • Criar Novo...