Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

natsumy

Membros
  • Total de itens

    61
  • Registro em

  • Última visita

  • Dias Ganhos

    1

natsumy venceu a última vez em Dezembro 25 2018

recebeu vários likes pelo conteúdo postado!

Reputação

27 Excelente

Sobre natsumy

  • Data de Nascimento 09-09-1995

Outras informações

  • Lugares que já visitei
    Bolívia, Chile, Peru, Japão
  • Próximo Destino
    Argentina e Chile

Últimos Visitantes

913 visualizações
  1. Dia 22 - La Paz Pessoal, peço desculpas novamente por demorar 21346653 anos pra atualizar o post. Bora terminar esse relato! Nesse dia acordei cedo e fiz check-out do hostel. No dia anterior tinha pesquisado e reservado outro hostel em La Paz: Hostal Austria. Decidi ficar lá o resto dos dias de viagem porque além da localização boa, era mais barato e tinha cozinha. O hostel ficava umas 3 quadras de distância do WR, aí pensei: "chego lá em 10 minutos, faço o check-in, deixo minha mochila e vou desbravar a cidade!". Gente, ledo engano! Demorei 1 hora pra andar 3 quadras porque a cidade tava um inferno! Pra quem não sabe, como eu também não sabia, dia 22 de janeiro é o Dia da Fundação do Estado Plurinacional da Bolívia. É uma festa muito linda em comemoração ao reconhecimento de um Estado plurinacional, multiétnico e pluri-linguísta. Pra quem não sabe, grande parte do povo boliviano é descendente dos aimaras e dos quéchuas! As casas todas ficam com aquela bandeira cheia de quadradinhos coloridos pendurada na janela. A festa é realmente linda gente, mas a questão é que eu estava no epicentro dela! O WR ficava a umas 2 quadras da praça principal, que era onde a muvuca toda tava e eu meio que tinha que passar ali pra ir pro hostel Austria. O problema era que muitas ruas estavam fechadas por causa dos desfiles e as ruas que os policiais estavam permitindo a circulação estavam literalmente muito, mas MUITO abarrotadas de gente! Tava eu com uma mochila quase do meu tamanho nas costas de baixo de um sol dos infernos pedindo 'Permission senhór, perdón senhõra!' toda hora. Teve uma hora que simplesmente agarrei no meio da multidão, acho que minha mochila agarrou em algo ou alguém e eu fiquei meio sem conseguir me mexer, aí foi a hora que eu perdi a paciência e saí meio que atropelando todo mundo com alguma educação e só escutei atrás de mim pessoas putas gritando "boluda, boluda" Tive que dar uma volta gigantesca pra chegar na rua do hostel e quando finalmente cheguei, a rua também estava fechada e os guardinhas não queriam me deixar passar! Eu, que já estava puta, só olhei pro guarda, apontei pra entrada do hostel e falei: "mi hostel" com a cara mais fechada possível. Ele teve que me deixar passar. Quando cheguei na entrada do hostel fiquei um pouco assustada porque assim que entrei no prédio me deparei com um monte de entulho, parecia que estavam em reforma. Mas quando subi as escadinhas, o lugar era muito aconchegante! Fiquei num quarto com 3 camas. Além de mim, tinha uma argentina e um francês no quarto, daqui a pouco conto mais desse francês! O hostel é bem calminho, limpo e silencioso. São poucos quartos, poucos hóspedes. O único ponto fraco que identifiquei foi a cozinha fechar muito cedo: 21hs. Fora isso eu adorei e recomendo bastante. É bom fazer a reserva no Booking, o link é esse: hostal Austria Agora sim, deixei minha mochila lá no hostel, peguei o mapinha da cidade que o recepcionista do WR tinha me dado no dia anterior e fui finalmente desbravar a cidade! Evitei passar por aquela muvuca toda e fui comer no BK que tinha ali perto. Na época que fui, a Bolívia ainda não tinha McDonalds, coisa triste para os amantes do junk food como eu, não sei se agora tem! Infelizmente, como era feriado, muita coisa tava fechada e a cidade não tava aquele caos que eu esperava e que é normalmente. Mas foi bom porque deu pra ir em todos os lugares com tranquilidade. A primeira parada foi no mercado das bruxas, lá tinha muita coisa aberta e a maioria das agências também estavam abertas. Aproveitei pra fechar o passeio da Estrada da Morte. Fechei com a Viacha Tours, foi a mais barata que encontrei, fica lá no mercado das bruxas mesmo, numa rua cheia de agências. Quem me vendeu foi a agência, mas fui mesmo com a companhia The Fear. Sobre os preços: 338 bols pagos na agência pelo passeio + 50 bols para entrar na Estrada da Morte (tive que pagar só no dia do passeio). Fechei o passeio para o dia seguinte. Depois de dar várias voltas pelas ruas do mercado, decidi ir na rodoviária comprar de uma vez a minha passagem de ida pra Santa Cruz. Gente, uma dica que dou pra vocês aqui é: peguem os ônibus capengas que parecem que vão desmontar a qualquer momento que circulam pela cidade! Vale a pena tanto pela experiência quanto pelo preço! Eu pagava 2 bols e dava pra ir em vários pontos da cidade. Só pergunte ao motorista se ele vai mesmo passar pelo lugar que você quer ir. Enfim, peguei um desse ônibus e fui pra rodoviária. Outra dica importante: pesquisem os preços em TODAS as agências da rodoviária. Assim, se você quiser achar o busão mais barato né. E vá direto nas agências, não nos caras que ficam gritando o preço das passagens. Parece que a passagem varia conforme a sua cara. No meu ônibus conheci uma mulher que pagou 180 bols, outra que pagou 220 e eu paguei 200 bols. Fui pela companhia Eldorado. Não vou recomendar não porque o ônibus foi uma porcaria, mas foi o mais barato que encontrei kkkkkk Passagem comprada, era hora de conhecer o teleférico que liga o município de La Paz a El Alto! É bem interessante a história desse teleférico. Ele não foi construído pra turismo nem nada disso, foi construído apenas para facilitar o deslocamento das pessoas entre as duas cidades, que antes demorava de 40 minutos a uma hora e que agora demora apenas 3 minutos! Por isso o ingresso pro teleférico é extremamente barato: apenas 6 bols ida e volta, e a vista é incrível, dá pra ver a cidade quase toda! Não deixem de ir, sério mesmo. A fila é bem grande mas anda muito rápido. Lá em cima, tem uma feira gigantesca que vende de tudo que você imaginar, desde parafusos até pomadas caseiras. Fiquei um tempão andando lá e comprei um fone de ouvido chinês que, claro, estragou em um mês kkk Depois do teleférico fui lá no Mirador Killi-Killi, pra lá fui de táxi mesmo. Não tinha quase ninguém. A vista também é incrível! Por fim, fui lá na praça principal ver o finalzinho da comemoração e tirar umas fotos. Lá conheci um boliviano muito gente boa chamado Ariel. Ele mora mesmo no México e tinha vindo visitar a família na Bolívia. Aproveitei e perguntei pra ele onde tinha um supermercado naquela cidade porque eu não tinha visto nenhum. Ele foi muito gentil e me levou por uns caminhos muito feios, tão feios que eu achei que ele tava me levando era pra um cativeiro, mas no final era mesmo um supermercado! Comprei muitas coisas lá pro resto dos dias que eu passaria na cidade e Ariel foi muito gentil me acompanhando até a porta do hostel. Cheguei lá, jantei e fiquei quietinha descansando pro próximo dia! GASTOS DO DIA: 59 bols - diária WR42 bols - diária hostel Áustria338 bols- downhill22,5 bols -burguer king2 bols - bus até rodoviária200 bols - passagem la paz - santa cruz2 bols - bus até teleférico6 bols - teleférico ida e volta20 bols - fone de ouvido que estragou em 1 mês18 bols - táxi até mirador killi killi10 bols - táxi até centro43,5 bols -compras no supermercado TOTAL: 763 bols
  2. Te desejo uma ótima viagem, espero que dê tudo certo! Achei esse hostel no booking, segue o link caso você tenha interesse: hostel Austria Beijos!
  3. Oi sparthimos! Te recomendo fortemente o hostel Austria em La Paz, que achei bem aconchegante e barato, além de ter uma localização ótima. Mas assim, o hostel é totalmente calmaria viu, se você curtir festas e tudo vai pro Wild Rover ou Locki! Pra fazer a estrada da morte de bike, te recomendo uma agência que chama Viacha Tours. Fica lá no meio do mercado das bruxas mesmo, foi a agência mais barata que encontrei pra fazer esse passeio. Ah, te recomendo sempre que puder, andar naqueles ônibus capengas que parecem que vão desmontar a qualquer momento, que são os ônibus que circulam em La Paz kkkkk Vale a pena pela experiência e pelo preço! Acho que eu pagava 1 boliviano apenas e dá pra ir pra maioria dos lugares da cidade com eles, só confirme com o motorista se ele realmente vai passar onde você quer ir! Se for pegar ônibus na rodoviária, pesquise os preços em todas as agências possíveis, e vá direto na agência, não feche com os caras que ficam gritando os preços não, eles costumam cobrar mais caro. E os ônibus sempre atrasam! kkk Leve lanches com você sempre! E por último, em La Paz não deixe de andar no teleférico, ir no mirador Killi-Killi e dar uns perdidos por essa cidade caótica mas bem legal! Beijos!
  4. Oi ddemoliner, desculpa demorar 1289137 anos pra te responder! Espero que a minha resposta, apesar de atrasada, seja de alguma ajuda! A única calça que usei pra trekkings foi daquelas segunda pele que parece/é uma legging, sabe? Ela aguentou o frio numa boa! Comprei na Decathlon, recomendo viu! A mochila foi ótima, muito boa e confortável e coube tudo, mesmo depois de comprar 2000 coisas no Peru kkkkk Beijos!
  5. Oi Eliane, na verdade levei 1000 dólares + 300 reais, acabou sobrando 150 dólares. Eu não paguei nada em dólar, sempre trocava os dólares por bolivianos, pesos chilenos ou soles. A única cidade que troquei alguns reais foi Arequipa. Olha, é arriscado levar tudo em ca$h, eu acho. Mas é o que mais compensa na minha opinião. Eu não levava na mochila, levava na doleira que ficava sempre coladinha em mim, só tirava na hora de tomar banho e olhe lá kkkk Esses países não são tão perigosos que nem o Brasil, não é comum assalto a mão armada nem nada, sabe? Furtos são comuns, mas é só tomar cuidado. Às vezes eu distribuía o dinheiro, colocando um pouco na mochila, um pouco dentro da bota.. kkk mas a maior parte ficava na doleira mesmo, foi tranquilo! Beijos!
  6. Dia 21 - Copacabana -> La Paz **UPDATE** - pessoal, atualizei o primeiro post do relato com a planilha, agora o link tá funcionando! Mas qualquer coisa é só passar o e-mail que eu mando. Nesse dia acordei totalmente recuperada. Como meu ônibus para La Paz era só 13hs, decidi pegar um mapa de Copa e explorar um pouco mais a cidade. Já fiz o check-out do hotel e deixei minha mochila lá na portaria. Copacabana é uma cidade pequenininha e não tem tantas atrações além do lago. Eu cismei que queria ir num mirante que eu vi no mapa, não é muito afastado da cidade mas é um morro de respeito viu.. Pessoas sedentárias como eu sofrem para subir mas nada impossível. Parece que o mirante é um ponto de peregrinação, vi várias famílias subindo, levando lanches pra fazer piqueniques lá em cima, bem legal. No topo tem muitas cruzes, muitos monumentos cristãos, tudo muito bonito, e a vista é espetacular, com certeza vale a subida se você tiver um tempinho! Fiquei no mirante um tempo admirando a vista e as pessoas. Desci, andei mais um pouco pela cidade e depois fui almoçar em um restaurante super simples. Tem muitos gringos trabalhando nos restaurantes da cidade e quem me atendeu foi uma argentina. Ela era super gente boa, conversamos um pouco. Pedi pra ela me explicar o que era jamón, porque eu não tava entendendo, ela não soube me explicar direito e eu entendi que era hambúrguer. Estava curiosa pra experimentar um omelete de hambúrguer. Só quando chegou meu pedido que descobri que era presunto, que lerdeza.. Então fica a dica, jamón é presunto KKKK Peguei meu ônibus 13hs, foi bem pontual. Demorou umas 3hs pra chegar em La Paz. No meio do caminho precisamos descer pra cruzar o lago, aí o ônibus vai em uma balsa e os passageiros vão em lanchas, tem que pagar 2 bols. e é bem tranquilo. No caminho para La Paz passamos pelo município vizinho de El Alto. Meus amigos, o que que é aquilo.. É uma cidade sinistra cheia de frases ameaçadoras escritas nos muros e bonecos enforcados pendurados nos postes. Dá um pouco de medo kkkkk Quando eu estava em La Paz mais de uma pessoa me disse que El Alto era bem violento mesmo, cuidado! Cheguei lá na rodoviária, fui pra rua e peguei um táxi. O taxista me deixou próximo ao Wild Rover. Ia acontecer uma festa na cidade no dia seguinte e várias ruas estavam fechadas, por isso não deu pra ele me deixar na porta do hostel. Infelizmente a internet de Copa era tão ruim que não consegui fazer a reserva antes, então nem tinha o quarto mais barato disponível. Resolvi ficar no segundo mais barato e procurar por outro no dia seguinte. Deu pra ganhar a camisa (linda) do WR pelo menos! Depois de tomar banho fui andar um pouco pelas ruas e procurar algum lugar pra comer. Acabei comendo num restaurante super junk food estilo McDonalds (não existem McDonalds em La Paz ainda) e depois de andar mais um pouquinho fui pro hostel descansar. Eu até gostei do WR de La Paz. É bonito, tem muitos banheiros, festa todo dia, a localização é boa.. Mas não gostei muito dos quartos, são barulhentos e toda hora que eu dormia alguém acendia todas as luzes do quarto. Achei muito difícil dormir lá. GASTOS DO DIA: 100 bols - diária el mirador 27 bols - omelete de jamón 2 bols - lancha 10 bols - táxi até Calle Comercio 23 bols - combo + refri TOTAL: 162 bols
  7. Oi Camila, creio que existam ônibus de hora em hora sim. Pelo menos foi o que eu vi lá em Puno, muitos ônibus saindo pra Copa toda hora, eles saíam toda vez que ficavam cheios, então não era necessariamente era de hora em hora (não tinha um horário certo, em resumo kkk), mas como sempre tem muita gente indo pra Copa, tem muita oferta de ônibus, não se preocupe. Beijos!
  8. Dia 20 - Isla del Sol Acordei cedo nesse dia e fui lá pra orla do lago esperar o barquinho. Fiquei preocupada de não achar meu barco, mas é bem fácil. Os barcos ficam concentrados em uma parte do lago e na agência eles te dão o nome dele. É bom chegar cedo e já ficar na fila com seu ticket pra pegar bons lugares. O barco que fui era pequeno e devegarrr quase parando kkkk E balançava muito, é bom quem sente muito enjoo tomar um plasil antes da viagem porque umas pessoas passaram mal no meu barco. Acho que foram uns 40 minutos de viagem até chegar no lado Sul. O barco para lá pra quem quiser descer, depois para mais ou menos no meio da ilha e por último para no lado norte. Você desce onde você preferir mesmo. No esquema do bate-volta eles te dão um tempo pra explorar um lado da ilha e depois você pega o barco que te leva ao outro lado, fica lá mais um tempinho e depois vai embora. Esse tempinho é suficiente pre você explorar um pouquinho a ilha mas eu recomendo fortemente vocês fazerem o trekking de um lado a outro e dormirem lá. Eu desci no lado norte e depois fui para o sul. Nos dois lados quando você desce do barco aparecem umas cholitas cobrando taxas de entrada. É bem barato, no lado sul foi 10bol e no norte não paguei, acho que eu tava com tanta cara de doente que a mulher nem me cobrou KK Descendo lá um guia acompanha o grupo que está no barco, se você quiser o passeio guiado vale a pena ir com ele. Eu não fui, tive que sentar na orla um pouco porque não estava me sentindo bem e só depois de um tempo fui explorar a ilha. O lado norte é lindíssimo, as paisagens são fodas.. A trilha é super tranquila. Quando eu fui tinha até uns músicos gravando um clipe. Como citado em vários relatos o lado norte é menos desenvolvido que o sul. É mais simples mas achei mais bonito. Infelizmente não deu pra eu andar o tanto que eu queria porque não consegui mesmo, fica pra próxima. Algumas fotos do lado norte da ilha: lado norte by Natalia Natsumy, no Flickr lado norte by Natalia Natsumy, no Flickr lado norte by Natalia Natsumy, no Flickr lado norte by Natalia Natsumy, no Flickr lado norte by Natalia Natsumy, no Flickr orla lado norte by Natalia Natsumy, no Flickr Fui pro lado sul e quando cheguei lá já era mais ou menos hora do almoço e resolvi almoçar em um dos restaurantes que tinha por lá. Esbanjei um pouco dessa vez porque eu tava com vontade de comer uma trucha na mantequilla. Muito gostoso, recomendo.. Eu nem andei pelo lado sul direito, foi o tempo de almoçar, conversar com um boliviano atrevido que sentou na minha mesa e esperar o barco pra voltar. lado sul by Natalia Natsumy, no Flickr Cheguei em Copa no fim da tarde, andei um pouco pelas ruas, comprei uns lanches pra comer a noite e depois sentei na orla pra ver o pôr do sol lindíssimo. Não fiz mais nada a noite além de andar pelas ruas da cidade. GASTOS DO DIA: 10bols - taxa sul da ilha40bols - trucha20bols - snacks TOTAL: 70 bols
  9. Oi Wesley! Obrigada, fico feliz que esteja gostando. Essa semana eu posto mais alguns dias. Sim, eu escrevia sobre as minhas impressões das cidades e sobre as coisas que aconteceram no dia, tipo um diário. A câmera que usei foi uma sony cybershot antigassa do meu pai, nem achei o modelo mais à venda kkk e algumas vezes a câmera do meu celular mesmo, um moto g 2. Abraços!
  10. Reservei apenas o Wild Rover antes. Gostei mais do WR, é mais animado. Mas o Inkaspacha é bem mais econômico. Beijos!
  11. Dia 19 - Puno -> Copacabana O ônibus chegou em Puno umas 6hs. A rodoviária é bem pequena e não tinha quase nada aberto. Tinha tomado alguns remédios na noite passada mas ainda estava muito mal. Fiquei sentada um tempo esperando dar o horário do ônibus (acho que era 6:30hs).Quando eu comprei a passagem em Cusco, tinham me dito que eu precisaria ir no guichê da companhia em Puno (Transzela) pra trocar o ticket que me deram pela passagem do ônibus. Mas quando eu fui no guichê, estava fechado!! Haviam várias pessoas querendo pegar a passagem também e ninguém aparecia.. No fim alguém que tava esperando conseguiu achar alguém da companhia lá dentro da rodoviária que fez a troca do ticket pra gente. Mas demorou 2 horas até resolver tudo!! Muito tempo.. e parece que os ônibus não tinham horário, iam enchendo e saindo. Por isso acho que não é necessário comprar a passagem em Cusco.. tem muita oferta de passagem de Puno pra Copacabana e eu acredito que não haja problemas em comprar por lá mesmo, além de evitar essa confusão toda. O ônibus demorou umas 2, 3hs pra chegar na fronteira. No meio do caminho temos que preencher um papel da imigração pra adiantar um pouco o processo. O mesmo cara que mandou a gente preencher o papel cobrou 1s/. De todo mundo do ônibus que segundo ele era uma "taxa de imigração". Eu acho que ele pegou o dinheiro pra ele mesmo, teve gente que nem deu. Mas eu tava tão mal que nem discuti nada. Cheguei lá na imigração e as mochilas ficam no ônibus. Tem que entrar numa casinha e apresentar o documento e o papel preenchido original e xerox. Essa parte do xerox ninguém tinha me avisado, tive que ir em uma papelaria do lado tirar um xerox superfaturado por 2s/ - creio que é só pra quem viaja com ID, mas não tenho certeza.Depois disso, fui orientada a pegar minha mochila no ônibus e esperar por uma minivan que leva as pessoas pra Copa. Não demorou muito e foram acho que uns 30min até lá.Quando cheguei em Copacabana estava completamente exausta, meu estômago estava doendo muito ainda e eu nem tive o pique de sair procurando hostel. Fui logo no hotel Mirador que tava perto e eu já sabia que era bom. Mas caro pra uma pessoa só.. 100 bol a diária. Parece que eles só tem quarto duplo lá. O meu quarto era no último andar e tinha uma vista muito foda do lago Titicaca. Duas camas de solteiro e um banheiro com um chuveiro um pouco ruim, mas bem quentinho. No final valeu a pena o preço.. Precisava de um pouco de privacidade. Tomei um longo banho, mais remédios e dormi a tarde toda. Vista do hotel by Natalia Iassanori, no Flickr Acordei no fim da tarde me sentindo um pouco melhor. Fui andar um pouco pela orla do lago. Esse hotel que fiquei é literalmente em frente o lago, então foi bem rápido. Comprei umas coisinhas pra comer mais tarde e já fui comprar o ticket pra fazer o passeio pela Isla del Sol no dia seguinte e a passagem pra La Paz. Minha intenção era ir pra ilha de manhã, dormir lá e voltar no outro dia e já ir pra La Paz. Mas eu ainda tava muito mal e achei melhor fazer o bate-volta na ilha mesmo, infelizmente. Fiquei com medo de passar mal lá e não ter médicos e tal. E provavelmente eu não ia conseguir andar por muito tempo do jeito que eu estava. Fica pra uma próxima oportunidade. Mas recomendo todo mundo que passe uma noite na ilha. Lá é lindíssimo e no bate-volta não dá pra conhecer tantas coisas. Comprei a passagem pra La Paz na mesma agência que comprei o passeio. O barco chamava Amazonas e iria sair de Copa às 7 ou 8hs se não me engano.Depois disso fui pro hotel e fiquei por lá mesmo. Conheci uma brasileira que também viajava sozinha (única que encontrei na viagem!), conversamos um pouco e fui pro quarto. GASTOS DO DIA:Puno:1 s/. - taxa do ônibus1,5 s/. - taxa terminal0,5 s/. - banheiro rodoviária punoCopacabana:100 bol - diária el mirador20 bol - snacks30 bol - ida e volta Isla 30 bol - passagem para La PazTOTAL: 3 s/. + 180 bol
×
×
  • Criar Novo...