Ir para conteúdo

gabriela.duarte04

Membros
  • Total de itens

    15
  • Registro em

  • Última visita

Reputação

1 Neutra

Sobre gabriela.duarte04

  • Data de Nascimento 04-08-1991
  1. De nada! Se vc tiver tempo, é bom mesmo parar um dia em Barreirinhas. A travessia é bem cansativa (pelo menos p mim, que não tenho mt preparo físico) e mesmo pernoitando em Santo Amaro, vc acordará na madrugada p pegar transporte (e ele não é nada confortável). Então descanse um dia, conheça a cidade, veja algum passeio relax e aí vc reforça as energias p seguir sua viagem. Tenho vontade de fazer a rota das emoções um dia. Aproveite! Beijos
  2. Olá, Andreia. Muito obrigada! Fico feliz que meu relato esteja ajudando. Então, acho que às 9h da manhã já estávamos em Barreirinhas. Eu te aconselho a já deixar um transfer reservado de lá p Parnaíba, caso haja esse serviço. Não sei quanto tempo deve ser de Barreirinhas p Parnaíba, mas se for um destino comum vc deve conseguir um transfer p lá no mesmo dia que chegar a Barreirinhas. Vc pode também ligar pra lá antes de ir pra saber se esse serviço tem horários fixos. O que eu não recomendo muito é ir de ônibus se tiver van, pq como coloquei no relato a experiência de Barreirinhas p São
  3. Alguém indo para a Chapada dos Veadeiros dia 21/01 que possa dar carona a um casal? Ou alguém para rachar aluguel de carro talvez.
  4. Que relato legal! Vou para Veadeiros no fim de janeiro e seu relato ajudou muito. Você poderia me passar o link do grupo de caronas do Facebook? Procurei e não achei. Obrigada
  5. Que relato maravilhoso! Fiquei com mais vontade ainda de conhecer Chile e Bolívia. Confesso que tenho receio da Bolívia, pois todo mundo que conheço e já foi diz que é meio tenso, mas o salar parece tão incrível, que vou juntar coragem. =)
  6. DIA 7 – SÃO LUÍS - RETORNO RIO DE JANEIRO Bom, nosso vôo estava marcado para a madrugada seguinte, então tínhamos ainda um dia todo livre em São Luís. Planejamos ir à Alcântara e o rapaz da recepção da pousada nos disse na noite anterior que poderíamos ir para o local das barcas A PARTIR de 7:15 da manhã. Erroneamente, interpretei que “a partir” significava que haveria barcas saindo a intervalos regulares para Alcântara, mas estava enganada. Chegamos quase às 9h e a última barca tinha saído às 8h (precedida de uma que saiu às 7). A próxima sairia às 11 e aí não valeria a pena, pois chegarí
  7. DIA 6 – BARREIRINHAS – SÃO LUÍS O ônibus que nos levou para São Luis era velho, não tinha ar condicionado, demorou anos para sair de Barreirinhas e tive a impressão de que de van seria muito mais rápido, porque ele parava às vezes no meio da estrada. E ainda parou na hora do almoço para o pessoal comer, sendo que faltava menos de 1h para chegar a São Luis. Melhor deixar para parar só quando chegasse lá, né? E teve gente almoçando!!!! Como íamos nos hospedar no centro histórico e ônibus não circula pelas estreitas ruas de lá, o ônibus nos deixou em um táxi, que nos levou até a Pousada dos L
  8. DIA 5 – SANTO AMARO – SANGUE – BARREIRINHAS A Toyota acabou passando quase às 4h da manhã, e veio já cheia (éramos os últimos, eu, meu namorado e o guia). A viagem até Sangue durou umas duas horas e custou R$20 por pessoa. E como aquele treco sacolejava! Estava caindo de sono, mas não tinha como dormir por conta do balanço. Além disso, os últimos bancos são bem desconfortáveis porque nos nossos pés tinha um monte de mercadoria (encomenda, bagagem, etc.) que o pessoal transporta de uma cidade para outra. A Toyota te deixa no meio da BR, ali você atravessa para o outro lado e espera alguma v
  9. DIA 4 – QUEIMADA DOS BRITOS – SANTO AMARO Último dia de caminhada e eu reuni toda a coragem e os Dorflex que me restavam (embora no fim não tenha precisado tomar nenhum) e partimos às 3h da manhã para o último dia de travessia. Escuridão total, estou até agora me perguntando como Fagno não se perdia no meio daquela imensidão de areia. Quando subimos na primeira duna, foi possível avistar ao longe uma área iluminada, que era a cidade de Santo Amaro, nosso destino. Ventava bastante e chuviscou um pouco, mas por pouco tempo. Nesse trecho descemos muitas dunas, algumas enormes, então galera qu
  10. DIA 3 – BAIXA GRANDE – QUEIMADA DOS BRITOS O segundo dia de travessia é o que se anda menos (apenas 4/5 horas) mas, na minha opinião, foi o mais difícil para mim. Fiz o percurso todo mancando, andando bem devagar e em poucas horas estava esgotada. Acordamos às 6h e saímos às 7h e a saída de Baixa Grande foi feita em uma balsa improvisada com isopor e pedaços de madeira. Jurava que aquilo ia virar ou afundar, mas transportou quatro pessoas de boa hahaha. O cansaço do dia anterior e as dores musculares eram imensos e eu continuava preocupada com o último dia de caminhada, que novamente exig
  11. DIA 2 – INÍCIO DA NOSSA TRAVESSIA – CANTO DO ATINS – BAIXA GRANDE Às 2h da manhã acordamos e nos preparamos para o início da nossa travessia. O café foi bem simples e até decepcionante, apenas duas fatias de pão de fôrma duro com manteiga e leite. A dormida foi R$30 por pessoa e o café estava incluso. Às 3h partimos, em plena escuridão. Andamos cerca de seis horas pela praia e nesse período tive a oportunidade de assistir o mais lindo amanhecer. Andamos e andamos e andamos e a entrada para as dunas que levaria a Baixa Grande nunca chegavam. Encontramos pescadores no caminho em suas barraca
  12. Dia 1 – BARREIRINHAS - CANTO DO ATINS Como marcamos de encontrar nosso guia (segue contato dele ao fim do post) em Atins (e de lá seguir andando por duas horas até Canto do Atins, onde começaria nossa aventura no dia seguinte), decidimos aproveitar para fazer o passeio do Rio Preguiças (R$ 70 por pessoa). O passeio passa por Vassouras, Mandacaru e Caburé e é possível combinar com o guia o transporte de barco de Caburé até Atins (nos foi cobrado R$10 por pessoa, então o total do passeio foi R$80 para cada um). Um carro nos buscou no albergue uma hora depois de nossa chegada a Barreirinhas (
  13. Saímos do Rio de Janeiro (Galeão) às 22:34 do dia 16/04/2015 e retornamos dia 24/04/2015 às 2:50. Viajamos pela Gol e pagamos R$ 382 com taxas. Chegamos em São Luís às 2h da manhã. Agendamos previamente com o Jorge da Levatur um translado do aeroporto para Barreirinhas. A van passa ás 4h da manhã no aeroporto e custa R$50 por pessoa. A viagem até Barreirinhas demora cerca de 3 horas, com uma parada rápida na estrada para tomar café. Mais ou menos às 7:30 estávamos no albergue onde o guia que contratamos para a travessia disse que poderíamos guardar nosso mochilão (maiores informações sobre
×
×
  • Criar Novo...